Uji: visitando uma das mais tradicionais casa de chá do Japão e o templo estampado na moeda

13

Uji é uma cidadezinha graciosa ao sul de Kioto, suas ruas estreitas  estão lotadas de lojinhas, restaurantes e principalmente casas de chá. Uji é famosa pelo chá verde de alta qualidade e é casa do templo Byodoin que esta estampado na moeda de 10 Yens.

Uma das muitas casas de chá de Uji

Durante meu intercâmbio no Japão, há alguns anos atrás, fiquei muito amiga da família Nakamura, que há 200 anos é dona da casa de chá Nakamura, e é claro que não poderia deixar de visitá-los e apresenta-los ao meu pai.
De Fushimi, onde mora minha família de intercâmbio até Uji, são cerca de 30 minutos de trem JR, havia combinado de encontrar-los as 14:00, mas antes disso dei uma passadinha no templo Byodoin.
Entre a estação de JR e o templo é preciso caminhar uns 15 minutinhos por ruas pequeninas. Chegando na ponte de Uji, que também é um cartão postal da cidade e vale umas fotos, há uma pequena bifurcação. A rua da esquerda nos levou direto até a entrada do templo. Como estávamos um pouco corridos, não tivemos tempo de xeretar as lojinhas, mas minha lembrança de alguns anos atrás é que Uji é um ótimo lugar para comprar lembrancinhas.

Ponte de Uji

Não é atoa que o Byodoin esta estampado na moeda. O templo é lindo, um jardim japonês maravilhoso com um lago no centro, o templo fica no meio do lago e para entrar é preciso atravessar uma pequena japonesa vermelha. Quem atravessa a ponte (para entrar é preciso comprar uma segunda entrada) tem a chance de reparar nas pedras que compõem as margens do lago de diferentes tamanhos formando quase que um degrade. O reflexo do templo no lago é muito bonito.

 Em volta do lago há muitas arvores, o jardim é muito caprichado e muito decorado. Como estamos no inicio do inverno, ainda tivemos a chance de encontrar algumas arvores de Mapple com as folhas lindamente coloridas.

Entrando no templo, há um enorme pavilhão onde um Buda grande descansa. Ao lado do Buda, há pequenas e lindas estátuas. Cada uma tem um detalhe especial, seja um instrumento musical, seja uma lanterna. Todas as estátuas são diferentes.

 E quase que me esqueço do meu detalhe preferido. No alto do templo repousam duas maravilhosas Fênix de Bronze. Um detalhe que pode passar desapercebido para muitos. No entanto, a simbologia por trás dessa ave que nunca morre protegendo o telhado de um templo de mais de 1000 anos de idade me chamou muita atenção desde minha primeira visita.

 O ingresso do templo dá direito a visitar o museu onde estão expostas as peças originais do templo. Exceto o grande Buda, todas as outras peças expostas fora do museu são replicas, isso por causa da conservação delas. Dentro do museu elas ficam expostas a muito pouca luz e por isso estão em ótimo estado. Aproveitamos para olhar os pequenos detalhes de pertinho. Reparei na textura dos sinos, nos instrumentos que as estátuas pequenas carregam e quando cheguei na fênix, perdi uns minutos olhando como a cauda esta pregada… bem interessante.
Saindo de lá caminhamos até a casa de chá dos Nakamura, o real motivo da minha ida até Uji. A casa de chá é muito bacana. Na entrada esta estampado o símbolo da família, usado desde de tempos ancestrais. Reza a lenda que o primeiro Nakamura era uma bravo Samurai e dai vem o emblema da família.

A casa em si é bem antiga, toda de tatami. Na entrada há uma loja de produtos Nakamura – feitos de chá vede – ali o fogo fica sempre acesso, durante o inverno os clientes são convidados a tomar um pequenino copo de chá quente e no verão, chá gelado.
Saindo da loja há um pátio com um jardim japonês, alguns pinheiros estão plantados de modo a formar um barco. Nos fundos do jardim há uma casa de chá.

 Os Nakamura, como sempre muito receptivos nos convidaram a tomar algo. Escolhi um sorvete de creme acompanhado de frutas e bolo de chá que é uma verdadeira iguaria (juro que não sou mega fã de chá, muito pelo contrário, só tomo quando realmente preciso, o que no Japão ocorre bem mais freqüentemente que no Brasil, mas o bolo vale a pena) e meu pai escolheu um sorvete de chá verde com frutas (segundo ele um pouco amargo demais ), mas como o sorvete vem servido numa taça de bambo, não deixa de ser uma experiência diferente.
Terminada a sobremesa, resolvi abusar uma pouco da hospitalidade e perguntei se eles não poderiam nos servir um pouco do chá usado nas cerimonias do chá. Queria que meu pai experimentasse um pouco do chá verde, amargo espumante e cremoso servido há seis gerações pelos Nakamura. Eles prontamente atenderam o pedido, e de forma mais linda do que esperávamos.

Detalhe na casa dos Nakamura

Fomos convidados a entrar na casa da Avó Nakamura ( ela é a atual dona da casa de chá) que nos recebeu com sorriso no rosto e nos guiou pelos lindos aposentos de tatami, fomos convidados a visitar as pequenas casinhas onde se realiza a cerimonia do chá de verdade, ela nos explicou que a porta da casa é muito baixinha para que antigamente os Samurais não entrassem portando espada. A casa é um pouco escura, chão de Tatami onde é servido o chá e teto de palha. Durante a cerimonia todos os detalhes fazem a diferença, desde a cerâmica usada para servir o chá aos utensílios de preparação, um ritual muito lindo. Ao redor da pequena casinha há um mini jardim, como a simplicidade é um fator importante o jardim é composto de pedras, bambo, plantas e água.


De volta a casa, a avó pessoalmente nos preparou o chá.

Ela preparou exatamente da maneira como prepararia durante a cerimonia, usando todos os apetrechos necessários. Antes do chá comemos um pequeno doce. Como o chá é bem amargo a função do doce é preparar o paladar para receber o chá, que é servido bem quente. Os doces de cerimonia do chá costumam ser muito bonitos, esse amarelinho que comemos, era um doce de ovo, muito parecido com nossos fios de ovos.


Antes de tomar o chá, há toda uma etiqueta. Ao receber a cumbuca, você segura com as duas mãos, levanta a cumbuca, agradece e depois gira a tigela meia volta no sentido horário e aí sim bebe. Ao terminar de beber, você volta a girar a tigela meia volta, mas dessa vez no sentido anti horário.
Depois de tomar duas rodadas de chá, visitamos o pequeno templinho em um dos quartos da casa, no Japão este tipo de templo em casa é bem comum. O bacana é que no templo dos Nakamura estão expostas fotos de seis gerações da família. Nosso amigo nos explicou que todas as manhãs ele acende incenso toca o sininho e oferece um pouco de arroz e frutas a seus antepassados, aí ele reza uma oração e só depois disso sai para trabalhar.
É, acho que a experiência do chá acabou sendo bem mais profunda do que imaginávamos e além de rever amigos queridos ganhei mais um importante aula de cultura japonesa.

 Quem for para Uji, não deixe de dar uma passada na casa de Chá Nakamura, o lugar é bem bacana, acho que vocês vão gostar. O chá verde japonês é bem diferente do chá Brasileiro, mas a experiência é tão cultural que vale a pena.
Há também um corner Nakamura que fica dentro da estação de Kioto, uma boa para quem quer experimentar um chá sem precisar ir até Uji.

Localize-se

Templo Byodoin

http://www.pref.kyoto.jp/visitkyoto/en/theme/sites/shrines/w_heritage/08/

http://www.sacred-destinations.com/japan/kyoto-byodoin.htm

Estação de JR: Uji

Entrada: 600 Yens (Templo + Museu) | Entrada no Hall do Buda (300 Yens)

Aberto das 08:30 as 17:30

Casa de Chá Tokichi Nakamura

http://www.tokichi.jp/english/about/index.php

10, Ichiban Uji , Uji-shi, Kyoto
TEL: (81) 774-22-7800

Veja também:

Seja bem vindo a Kioto: http://ideiasnamala.wordpress.com/2012/01/23/seja-bem-vindo-a-kioto-eki-estacao-de-kioto/

Em casa do Outro lado do mundo – Um relato de intercambio no Japão: http://ideiasnamala.wordpress.com/2012/01/17/em-casa-do-outro-lado-do-mundo/

Japão:  http://ideiasnamala.wordpress.com/2010/11/01/japao/

Conheça os encantos de Miyajima, uma das ilhas mais lindas do Japão: http://ideiasnamala.wordpress.com/2011/10/21/miyajima-desvendando-um-dos-lugares-mais-fotografados-de-japao/

Hiroshima: uma cidade que aprendeu a fazer a paz da maneira mais difícil: http://ideiasnamala.wordpress.com/2011/10/14/hiroshima-passeio-e-reflexao/

Primavera no Japão | As lindas flores de cerejeira: http://ideiasnamala.wordpress.com/2011/09/25/primavera-na-japao-e-as-flores-de-cerejeira/

Tóquio |conheça o cruzamento mais lotado do planeta: http://ideiasnamala.wordpress.com/2010/11/06/shibuya-o-cruzamento-mais-lotado-do-planeta/

Tóquio| Os jardins do palacio Imperial: http://ideiasnamala.wordpress.com/2010/12/19/jardins-do-palacio-imperial/

About author

mari vidigal

Viajante incansável, daquele tipo que no meio de uma viagem já está pensando na próxima, na próxima e na próxima. Apaixonada por fotografia, natureza e vinhos

13 comments

  1. Fotos & Inspirações de viagem no Instagram [Semana 7] 29 setembro, 2015 at 16:30 Responder

    […] Uji, nas aforas de Quioto, é uma das regiões mais famosas que produzem chá verde no Japão. Além disso, Uji tem um templo super famoso – o Byodoin – que de tão lindo foi estampado na moeda de 10 Yens. Esse templo tem um hall enorme com um Buda dourado, dezenas de tesouros, e minha parte preferida: as aves Fenix que adornam os telhados do templo, de uma delicadeza única! Ficou com vontade de conhecer Uji? Confira minhas dicas! […]

Post a new comment

Veja também

Torre Eiffel - Paris

O melhor de Paris em 4 dias

Esse é um roteiro esperto para quem quer curtir o melhor de Paris em pouco tempo. Se você não gosta tanto de andar, faça os ...