Kompira San: degraus e oração em um dos lugares mais sagrados do Japão

0

A pequena cidade de Kotohira em Shikoku (a menor das quatro grandes ilhas do Japão) não é exatamente um destino turístico para nós gringos, mas é bem conhecida em todo o Japão por abrigar um dos templos shintoistas mais visitados pelos peregrinos japoneses, o Kompira San (ou Kotohiragu).

Famoso pela dificuldade da subida, são 785 bons degraus de pedra para chegar ao hall principal e 1368 para chegar ao topo. Fazer uma peregrinação ao Kompira é motivo de orgulho, de resistência e chegando lá em cima, é motivo de comemoração.

Diga para um Japonês que você visitou o Kompira San e seguramente ele vai te perguntar se você subiu até o topo.

Quem não aguenta ou não topa o festival de degraus, pode pagar 6000 Yens para subir carregado, olha só que moleza! E chegando lá em cima a oração já vale… rs

Turista Japonesa subindo de carona… assim é fácil!

Kompira san era originalmente um templo budista dedicado a proteção dos marinheiros. Durante a era Meiji, o templo foi convertido em Shintoista, mas um observador cuidadoso ainda pode notar alguns detalhes tipicamente budistas na construção.

Quer ter uma experiência de peregrino japonês de verdade? Compre um bastão de bambu para peregrinos e embarque nessa caminhada.

Minha família Japa e eu levando a história de peregrinação a sério… rs

O chapéu ficou só na foto, mas o bastão me acompanhou por todo o passeio

O passeio começa pela rua de lojinhas que rodeiam os degraus até o portão Principal (O-Mon) um grande portão de pedra com estátuas de sentinelas bem uniformizadas no interior.

Lojinhas rodeiam os degraus… já começou a canseira e nem entramos

Sentinelas embaixo do O-mon

Para os amantes de um bom Sake, tem uma fábrica de sake no meio das lojas onde dá para degustar um belo sake. Para quem pensa em comprar uma espada de Samurai, tem uma loja que vende umas bem bacanas. E além disso tem um monte de lojas de presente, e claro lojas que vendem o famoso bastão de peregrino. (Dica: alguns hotéis emprestam o bastão para seus hospedes).

As lojinhas terminam no portão de entrada do templo. Passado o portão a direita esta a Homotsukan – uma espécie de museu que abriga os tesouros do templo.  (Aberto das 08:30 as 16:30 | Entrada: 300 Yens). Ali pertinho, outra curiosidade do templo, cinco lojas tradicionais de doces japoneses (reparem nos guarda – sol de papel branco que sinalizam estas lojas) estes vendedores (em japonês chamados de Gonin Byakusho) são descendentes de famílias ancestrais e há muitos anos são as únicas permitidas a comercializar produtos dentro das propriedades do templo.

Mais degraus até o próximo prédio, o Shoin (Aberto das 08:30 as 16:30 | Entrada: 300 Yens) que tem alguns pinturas e um mini jardim no interior. Se você não for nenhum aficionado em arte Japonesa antiga, dá fácil para pular esse e continuar a caminhada.

Degrau, degrau, degrau … Repare que este caminho que liga o portão principal ao prédio principal é rodeado por colunas de pedra com o nome das pessoas que doaram as colunas escrito em Kanji como forma de oferenda ou de agradecimento. (Um ato recorrente em alguns templos japoneses, o que muda é o suporte… em Kyoto no Fushimi Inari os nomes são escritos em Colunas, em Nara no Kasuga Taisha os nomes são escritos em Lâmpadas.)

O principal prédio do Kompira San que se chama Asahino Yashiro (Templo do sol nascente) e foi construído em 1837 em homenagem ao Deus do Sol. Repare nos lindos detalhes de madeira do prédio.

Se você chegou até este ponto já pode se sentir vitorioso. 90% dos visitantes param a visita nesse templo principal, qiue diga-se de passagem já é bem bonito, e para os peregrinos japas já vale a visita!

Mas como bons Brasileiros que não desistem nunca, te recomendo mais alguns degraus rumo a parte mais alta do templo. Juro que vale a pena!

E agora começa a parte mais bonita e final da caminhada. Ainda faltam exatos 583 degraus para chegar ao topo.

E quando chegar lá em cima, é hora de jogar uma moeda e fazer um pedido… quem sabe essa caminhada toda além de um bom exercício e de boas fotos te renda bons frutos 🙂

Quer fazer certinho, a etiqueta é a seguinte: jogue a moeda na caixinha, toque o sino bem forte, se recline uma vez, bata duas palmas e se recline mais uma vez. 🙂

Detalhe do templo mais alto do Kompira San

E além de toda a parte bacana de chegar ao ponto mais alto e mais sagrado,s e o dia estiver bonito, você terá mais um presente bacana… dê só uma olhadinha na vista…

Foto: http://japanvisitor.blogspot.com.br/2008/08/kompira-san-kotohira.html

E como diz o ditado, a descida é bem mais tranquila que a subida. Mas ainda sim não deixe de fazer como os japas e dar o descanso que seus pés merecem…

Japinha curtindo o Ofurô para pés

Quando bater uma fominha, não deixe de comer o prato típico da cidade, o Sanuki Udon. (Udon é um macarrão grossinho delicioso).

E PARA QUEM TEM MAIS TEMPO… 

Aproveite para caminhar pela cidade e visitar o Takadoro, um antigo farol que alertava a cidade nos dias de perigo, a ponte de Sayabashi, uma fofíssima ponte coberta e o Kanamaru-za, o mais antigo teatro de Kabuki do Japão ainda em funcionamento.

Fotos: http://www.theorientalcaravan.com/pages/Shikoku.htm

INDO ALÉM DO TURISTICO

Uma volta pela parte agrícola da cidade pode ser bem bacana, a cidade é super fofa, e dá só uma olhadinha nas fotos…

INFORMAÇÕES TURISTICAS:

Na rua principal, entre as estações de JR e Kotoden, há uma central de informações turísticas com panfletos em inglês e bicicletas para alugar.

E para quem quiser mais info sobre a cidade: http://www.town.kotohira.kagawa.jp/english/index.html

COMO CHEGAR:

Kotohira fica a 4h e 15min de Tokio e 1h 40 min de Osaka. Pegue um trem bala (shinkasen) até Okayama e em Okayama pegue a linha Seto Ohashi.

About author

mari vidigal

Viajante incansável, daquele tipo que no meio de uma viagem já está pensando na próxima, na próxima e na próxima. Apaixonada por fotografia, natureza e vinhos

No comments

Veja também