Califórnia: Costa norte da Califórnia de carro

7
Paisagens da costa de Sonoma

Paisagens marcantes, praias paradisíacas, rochedos ponteagudos, e o melhor: pouquíssima gente! Preparer-se para se encantar com o Norte da Califórnia, uma viagem de carro Inesquecível. Nesse post descreveremos a viagem entre San Francisco e o Redwood National Park no Norte da Califórnia passando por Point Reyes, Russian River, Mendocino, Avenida dos Giagantes e Eureka. Pronto para viajar com a gente?

Califórnia: Costa norte da Califórnia de carro – de San Francisco ao Red Woods National Park de carro

Enquanto todo mundo fala do trecho sul da Highway 1, a incrível viagem de carro entre San Francisco e Los Angeles, pouca gente sabe que o trecho norte da rodovia mais linda da Califórnia é tão bonito e especial quanto o trecho sul.  O norte da Califórnia é meu novo queridinho no quesito viagens pela Califórnia, são tantas cidades lindas pouco conhecidas, que quanto mais visito, mais quero visitar. Já fiz três viagens pela região, e nesse post divido com vocês o melhor do que vi e vivi, e uma sugestão de roteiro espetacular.

Jardim Botânico de Mendocino

Jardim Botânico de Mendocino, parada imperdível!

Quanto dias?

Essa é uma viagem de pelo menos 4 dias (sem contar os 3-5 dias de San Francisco). Até dá para fazer em três, mas você terá que deixar muita coisa linda para trás. Já fiz em dois dias e foi corrido demais. Não recomendo de jeito nenhum. Se você tiver 5, ou 6 dias melhor, poderá conhecer melhor as cidades pequeninas e até encaixar paradas nas regiões vinícolas de Russian River ou Anderson Valley. Para quem segue até Portland ou Seattle, o ideal é alugar o carro em San Francisco, devolver em Seattle (ou Portland) e voltar de avião. A viagem é longa para ser feita duas vezes.

Praia em Fort Bragg

Praia em Fort Bragg

San Francisco

Começaremos nossa viagem em San Francisco, uma cidade multi personalidade e com muita coisa legal para ver e fazer. Nesse roteiro completinho, indico o que ver e fazer na cidade em 3,4 ou 5 dias incluindo pontos turísticos como a Ponte Golden Gate, o famoso bondinho de SF e outras dicas menos óbvias e que você vai adorar.

Quantos dias: de 3 a 5 dias

Dolores Park, gramadão maravilhoso com vistas bonitas da cidade. Ideal para Picnic

Dolores Park, gramadão maravilhoso com vistas bonitas da cidade. Ideal para Picnic

O mirante da Golden Gate

Depois de pelo menos 3 dias em San Francisco, é hora de alugar um carro e explorar o norte da Califórnia. Para se despedir da cidade com chave de ouro, daremos uma passadinha no meu mirante preferido. O Hawk Hill em Marin Headlands. São 3 mirantes com vistas espetaculares da ponte Golden Gate, e um dos meus farois preferidos da Califórnia, o Bonita Light house (aberto somente aos Sábados, Domingos e Segundas das 12:30 às 15:30).

Ponte Golden Gate - San Francisco

Ponte Golden Gate – San Francisco

Quanto tempo demora?

A parada nos mirantes é relativamente rápida. (Durante a alta temporada, pode ser que você demore um pouco para estacionar). Caso você decida incluir a Bonita Light House na parada, considere umas 2 horinhas.


 

De San Francisco a Point Reyes

Muir Woods

Nossa primeira parada oficial é Point Reyes, mas quem tiver com bastante tempo, pode aproveitar para conhecer dois lugares que eu amo, e que ficam (quase) no caminho. O primeiro é o Muir Woods, um parque recheado de Sequoias do tipo Red Woods (elas são mais compridas porém menos espessas que as sequoias que você encontra no Sequoias National Park ou no Yosemite National Park) maravilhosas. O Muir Woods tem vários tipos de trilhas, sendo que a principal é acessível mesmo para cadeiras de rodas ou carrinhos de bebê. O parque é lindo e super vale a parada.

Muir Woods

Árvores do Muir Woods

Mt. Tamalpais

A segunda parada é igualmente especial, mas só vale a pena se o dia estiver sem nenhuma nuvem. O Monte Tamalpais, conhecido pelos locais como Mt. Tam, é uma montanha maravilhosa com vistas incríveis de toda a baía. Uma ótima forma de se despedir de San Fran. Não acham?

Monte Tamalpais - Califórnia

Baía de San Francisco vista do alto do Monte Tam

Você pode dirigir até o topo e se quiser uma vista ainda melhor dá para subir um pedacinho a pé.

Mirantes da Muir Beach

Terminada a sessão paradas extra, começaremos o passeio de verdade. Assim como a parte sul da Highway 1, a parte norte da estrada é repleta de mirantes e paradas incríveis. A primeira delas são os mirantes da Muir Beach. O primeiro deles fica pouco depois da saída do parque Muir Woods. Esse é um mirante grande e bem sinalizado. Pare e dedique alguns minutos a essa vista LINDA!

Mirante da Muir Beach

Continue a estrada rumo a Stinson Beach, no caminho você passará por algumas dezenas de mirantes não tão bem demarcados quanto o que você acabou de parar. A dica é dirigir devagar e parar sempre que der.

Atenção: Infelizmente estaremos dirigindo do lado oposto a costa, assim, toda parada significa cruzar a pista. Antes de parar, veja se você tem espaço para fazer o retorno com segurança. E sim, fazer esse roteiro de trás para frente, ou seja, de Eureka para San Francisco é uma melhor opção.

Stinson Beach

A Stinson não é uma das praias mais bonitas do mundo (vista do alto do morro ela é bem mais fotogênica do que no cara-a-cara), mas é um dos lugares preferidos dos San Franciscanos para curtir o verão. As águas aqui são um pouquinho mais quentes do que no resto da baía e como a praia é uma das melhores e mais próximas da cidade, ela acaba bombando. Assim, vale dar uma passadinha rápida para entrar no clima e mergulhar o pézinho na água gelada antes de tocar viagem.

Stinson Beach

Alamere Falls

Parada espetacular para quem gosta de caminhar e está com tempo sobrando. A Alamere falls é uma cachoeira linda que desagua nas areias de uma praia. Diferente da Mcway falls em Big Sur, aqui você poderá chegar perto – e se encarar o frio – até tomar banho de cachoeira. A praia também é super bonita, e um lugar bem gostoso para fazer um picnic.

  • Distância da caminhada: 13.4 Km (de 1,5 à 3 horas de caminhada)
  • Nivel de dificuldade: moderada

Alamere Falls - Point Reyes

Praia da Alamere Falls - Point Reyes

 


 

Point Reyes Station

Por fim chegamos a Point Reyes, uma cidade gracinha e com MUITA coisa bacana para fazer.

Farol de Point Reyes

Farol de Point Reyes

Onde dormir:

Point Reyes tem várias opções de hotéis pequeninos e Bed & Breafast fofinhos como famoso Manka’s Inverness Lodge. Pra quem curte acampar, tem vários campgrounds bacanas e com vistas lindas na região.

Quantos dias:

Se você fez todas as paradas sugeridas nesse post, você chegará em Point Reyes bem no final do dia. Assim você precisará de pelo menos mais um ou dois dias para explorar o incrível Point Reyes National Seashore. Em um dia dá para explorar o básico, mas em dois dias dá para descobrir muita coisa legal.

O que fazer:

Point Reyes é um lugar bem natureza. E os principais atrativos do lugar são as caminhadas e trilhas, passeios de caiaque e cavalgadas. Para quem gosta de caminhar, algumas sugestões que já testamos e gostamos.

Point Reyes National Seashore

Um parque MARAVILHOSO repleto de animais selvagens (prepare-se para ver vários tipos diferentes de antílopes, e durante o inverno, baleias e elefantes marinhos), praias bonitas e vistas maravilhosas

  • Earthquake Trail: Uma trilha que começa no Visitor center de Tomale’s bay e te leva bem perto do epicentro do terremoto de 1906, um dos maiores da história da cidade. Impressionante ver a destruição causada.
  • Point Reyes Light House: um farol em operação desde 1870. O farol é mega fotogênico, e um lugar incrível para avistar baleias durante o inverno
  • Elefantes marinhos de Point Reyes

Point Reyes - Praia

Para comer:

  • Pirar com os queijos e gostosuras da Tomales Bay Foods: Para mim parada obrigatória sempre que vou para a região. Tanto os queijos quanto os sandubas da Cow Girl Creamery são um arraso. O queijo mais famoso da Cow Girl se chama Mt. Tam. Ele é redondinho e cremoso como um Camembert. O sabor é bem diferente, mas para lá de especial.
  • Devorar Ostras em Tomales Bay: Outro programa bem comum entre os locais é comprar e devorar Ostras na Tomales Bay Oister Farm. Não sou chegada a ostra, mas tenho amigos tão enlouquecidos pelo assunto que fazem questão de ir para Tomales Bay comer ostras pelo menos duas vezes por ano. O esquema é informal, divertido e descontraído. Reserve sua mesa com antecedência.

 

Continuando a viagem: de Bodega Bay a Mendocino

Bodega Bay

De volta a nossa viagem pela costa, nossa primeira parada é Bodega Bay, uma cidade que não tem um centrinho específico, ela é toda espalhada. Um pedacinho aqui, outro ali, e quando você menos percebe, a cidade acabou.

Bodega Bay - Califórnia

Hitchcok & Bodega Bay

Para os Fãs de Hitchcock, porém, vale mencionar que Bodega Bay é onde o filme “Os pássaros” foi filmado. O complexo The Tides Wharf, onde algumas das cenas mais importantes do filme foram gravadas, continua no mesmo lugar, mas foi tão reformado que ficou irreconhecível. De qualquer forma, é um lugar super bacana e é um lugar ótimo para parar e para comer.

Duas locações do filme que continuam intactas são a “The Potter School (17110 Bodega Lane)”  e a “St. Theresa’s church” (igreja de Santa Tereza). Quem é muito fã, terá que fazer um desvio de 7km para chegar lá. Veja as direções aqui no Google Mapas

Para tomar um café (e uma sobremesa)

  • The Tides Wharf: O Tides é um complexo gigante e super bonitinho, que tem restaurante, lanchonete, mini mercado (com queijos e vinhos incríveis) e a minha parte preferida, uma doceria deliciosa. Comi uma tortinha de limão com framboesas maravilhosa. Massa levinha e crocante, um creme de limão azedinho adoçado pelas deliciosas framboesas. Gamei. O Gu pediu uma bomba de chocolate, que estava boa, mas nem se comparava a minha tortinha. #Pediumal
Torta de limão - Bodega Bay

Minha Torta de limão com framboesas!

Não saia de lá sem dar uma voltinha no pier.

Para um picnic especial…

Compre seu picnic no mercadinho do The Tides, e devore alguns quilômetros para frente, num dos mirantes ou praias desertas do Sonoma State Park. #VemComigo

Terrapin Creek (1580 Eastshore Rd, Bodega Bay): Um cafézinho super fofo e com poltronas confortáveis decorado com pinturas no estilo mexicano. Adoramos o ambiente, e meu cházinho tava uma delícia.

Quanto tempo?

Bodega Bay é uma parada rápida, perca o menor tempo possível para passar mais tempo na estrada e para poder parar mais.


 Sonoma Coast State Beach

Passando Bodega Bay começa uma das minhas partes preferidas da estrada. O trecho do Sonoma Coast State Beach se estende por pouco menos de 30 km, e é de pirar de tão lindo. A estrada ganha um aspecto mais curvo e os penhascos esbanjam beleza. Um mais bonito que o outro.

Costa de Sonoma - Califórnia

Faça esse trecho com calma e sem economizar paradas. Algumas paradas que recomendo:

  • Salmon Creek: Uma praia bonitinha onde o Riacho “Salmon” desagua. Bem fotogênico e vale a parada pra começar a esquentar. Para os surfistas, um dos picos de surf mais seguros da região. | [Se comparada com o Brasil, a praia é mais ou menos… sorry to say]
  • Archaed Rock (pedra arqueada): Um trecho bem bonito onde dezenas de pedregulhos de tamanho considerável tomam conta da costa. Vale a pena parar varias vezes para acompanhar a mudança de paisagem.
  • Carmet Beach: Um praia bonitinha em meio aos pedregulhos. Um cantinho gostoso para relaxar.
  • Portuguese Beach: Uma praia maior, e bem querida pelos locais. A cor da areia nem é tão bonita. Eu passaria batido.
  • Duncan’s Cove:Um ponto bem bonito e com pequenas caminhadas. Recomendo a parada

Dica para os surfistas: Esse é um dos lugares mais perigosos para o Surf na California. As ondas mudam de tamanho e de direção do nada, e suas chances de se espatifar num recheado são altas. Cuidado.

Highway 1 - Norte da California

E para a turma do picnic…

Escolha uma parada bonita, de preferência com mesa de picnic e mande ver! Algumas paradas com mesas de picnic: Rock Point, Duncan’s Landing e Writer’s beach.

Highway 1 - Norte da California

Curvas da estrada!


 

Opção de conhecer Russian River

Agora você tem duas opções, seguir em frente sempre pela costa, ou passar um dia (ou mais) explorando a região vinícola de Russian River (uma versão menor e mais acolhedora de Sonoma ou Napa Valley). As duas opções são bem bacanas, tudo depende do quanto tempo você tem disponível para rodopiar pela Cali.

Jenner

Nossa próxima parada, Jenner é uma graça. Aqui as águas calmas do Russian River (queridinho dos locais para driblar o calor do verão) se encontram com as águas do mar e para completar o cenário, uma colônia de leões marinhos preguiçoso habita o local. A foz do rio é linda, e especialmente fotogênica do alto da estrada.

Jenner by the River

Jenner by the River

Goat Rock State Beach

Para chegar na praia de Jenner, siga as placas com cuidado. A entrada é bem escondida e fica ANTES da ponte. Nessa praia você verá uma colônia linda de leões marinhos (entre março e junho é a estação de reprodução e você verá muitos bebês) e poderá nadar tanto nas águas do rio (mais quente que o mar) quanto no mar.

Praia & Rio em Jenner - Califórnia

Praia & Rio em Jenner

Leões marinhos em Jenner

Leões marinhos em Jenner

Jenner by the River

Um pedacinho lindo do Russian River. Alugue o caiaque lá perto e curta algumas horas de calmaria no rio. Programinha delicioso para um dia quente.

Para comer:

Durante a temporada, o restaurante River’s End (ainda não provei, mas tá na lista) tem vistas espetaculares da baía. (Fora dos meses de verão, fechas as quarta feiras) Ouvi dizer que o menú não é lá essas coisas, e que os preços são salgados pela entrega, mas que vale a experiência.


 

Fort Ross

A próxima parada oficial (a regra do achou bonito, parou continua valendo) é o Fort Ross, uma das construções históricas mais lindas da Cali. O Forte Ross é uma reconstrução do antigo forte de 1812 construído pelos Russos, na época em que eles dominavam esse pedacinho da Califórnia. A partir de 1850, após a guerra com México, esse pedaço da Califórnia passou a fazer parte dos Estados Unidos.  O forte visa preservar a história e os costumes russos vividos no local, conta com um museu excelente e com uma igrejinha de madeira linda.

Forte Ross - Califórnia

A visita

A visita ao Forte leva entre 1 e 3 horas dependendo do quanto você está disposto a andar, e do quanto de informações você deseja ler e absorver. O lugar é lindo, lindo mesmo e rende belas fotos. Vá com sapato confortável.

Cachorros & comida

Atenção: Entrada de cachorros não é permitida e apesar de ter mesas de picnic o forte não vende absolutamente NADA de comer. Leve algo com você

Cemitério Russo:

Para quem se interessa pela história, o cemitério fica alguns quilômetros antes do Forte. Nós passamos batido e ficamos com preguiça de voltar.


 

Do Fort Ross ao Point Arena

Como fizemos a subida em dois dias, passamos um pouco rápido de mais pela região entre o Fort Ross e Point Arena. Enquanto não voltarmos para conferir o que ficou para trás, divido com vocês um pouco do que vi pelo caminho (e não parei) e do que pesquisei para uma próxima jornada?

[Tem alguma dica legal desse trecho para dividir com a gente? Deixe sua dica na caixinha de comentários que eu atualizo o post 🙂 ]

 

Paisagens da Highway - Norte

Salt Point State Park

Este parque de 5 milhas tem três entradas e várias opções de trilha. Gu e eu vacilamos e acabamos passando o último estacionamento, que é onde fica o mirante para a  Sentinel Rock (uma subidinha boa, mas que promete ter vistas lindas) e a Fisk Mill Cove, uma pedra toda furada que parece colmeia de abelha (como sou louca por pedras, super queria caminhar por lá). Nós deixamos para uma próxima, mas se alguém fizer a caminhada e quiser dividir com a gente o que achou, terei o maior prazer em publicar seu comentário.

Fizemos uma caminhada tosca no meio do mato, e que nos deixou a um rio de distância do outro lado do parque. Não rolou atravessar e nem rolou uma vista legal. #Furadadodia

Sea Ranch

Entre o Salt Point e Guelala há um trecho da estrada SUPER bonito dominado por casas de madeira com uma arquitetura SUPER legal e pelo Sea Ranch Inn, um hotel boutique bacanérimo.

Além das visitas lindas, esse trecho tem  a Sea Ranch Chapel, um lugar para meditação, ou oração que tem uma arquitetura bem interessante. Formas organicas de madeira e de pedra, com o interior decorado por vitrais coloridos. Passamos batido, e pensamos seriamente em voltar, mas acabamos deixando para a próxima [já deu para ver que me apaixonei pela Costa Norte, né?! Mal voltei e já quero ir de novo).

Onde dormir:

Pra quem tiver um budget mais caprichado, vale se hospedar no Inn (os quartos são ESPETACULARES e as vistas são lindas de viver), ou alugar uma das casas (tem uma mais legal do que a outra) pelo site Airbnb e curtir o lugar com mais calma.

Para comer:

Não preciso nem dizer que o restaurante do Sea Ranch, o Black Gril Point também entrou na minha “to go list”. Parece ser MUUUITO top

Gualala

Se você percorreu o trecho entre Bodega Bay e Guelala com calma, chegará em Guelala perto do fim do dia. Gualala é a maior cidade entre Bodega e Mendocino e tem uma boa concentração de hotéis com bom preço  e opções de camping na margem do rio (Se Sea Ranch não coube no seu budget, Gualala é uma opção legal e BEM pertinho)

Gualala - Califórnia

Gu e eu passamos batido pela cidade, mas curtimos a Vibe família do lugar. A igrejinha no centro é super fofinha, a arquitetura no estilo Russo do St. Orres e os dinossauros de ferro da Gualala Nursery, uma loja de flores SUUUPER bacana, chamaram nossa atenção. Gualala tem o Gualala Point regional Park, um parque maravilhoso com praia boa e MUITA natureza. Uma opção bem família que fiquei com bastante vontade de visitar.

Para comer

E falando em St. Orres, taí outro lugar que entrou na nossa lista. Passamos em frente, e gostei tanto que tive que pesquisar o que era na mesma hora. O St. Orres é um hotel e restaurante. Durante o jantar, o menú de jantar + prato principal custa $45 por pessoa, e as sobremesas custam $10. Para quem tá com a grana curta, vale entrar para conhecer o prédio e tomar um drink no bar local. As review no Yelp estão relativamente boas, mas não conheço ninguém que testou. Terei que conferir por conta própria.


 

De Point Arena a Fort Bragg

Point Arena

Nossa próxima parada é a pequenina Point Arena, uma cidade pequenina, porém super fofa. A highway 1 passa dentro da cidade, e é a “Main street” de Point Arena.

Para comer: doçuras do Franny’s Cup & Saucer

Frannies Cup & Saucer

Ali, não deixe de provar um doce DIVINO do Franny’s Cup & Saucer (213 main street, Point Arena | Aberto de quarta a sábado das 8 as 16:00), a dona dessa simpática padaria trabalhou muitos anos no Chez Panisse, um dos restaurantes mais famosos da Califórnia (e um dos meus preferidos). Os doces são lindos, deliciosos e a lojinha é uma graça.

Doce no Frannies Cup & Saucer

E olha só meu doce que bonitão!!!

Falando em lojinha fofa, ao lado do Franny’s, há uma loja toda maluquinha. A fachada tem desenho de sol, com bandeira de lua, mais hippie, impossível. A lojinha é toda cool e repleta de produtos esotéricos. Vale a visita.

Point Arenas Light house

Terminada a comilança, siga até o farol Point Arenas Light House (aberto 10:00 – 15:30 e no verão até às 16:30 | Ingresso: $7.50 por pessoa) esse é o farol mais alto da Califórnia que permite visitas (com direito a subida até o topo). O farol é super bonitinho, data de 1908 e continua operando. Na parte de baixo há um pequeno museu que fala sobre os naufrágios pré farol, e sobre as antigas lâmpadas usadas e sobre os estragos que o terremoto de 1906 causaram no antigo farol.

Farol de Point Arenas - Califórnia

Farol de Point Arenas

Para subir prepare-se para encarar centenas de degraus em forma de caracol. Juro que a vista vale a pena!

Escada do Farol de Point Arenas - Califórnia

Escada do Farol

E lá no alto… olha só a vista!!!

Point Arenas - Califórnia

Vista do alto do farol

Os arredores do farol

O pedaço de costa que margeia o farol é super bonito e merece uma boa parada para fotos, o “Stornetta public Lands” tem formações rochosas bem desgastadas pelo impacto das ondas, e que formam uma espécie de uma linha no oceano. O farol no fundo deixa as fotos ainda mais caprichadas.


 

Opção de conhecer o Anderson Valley

Aqui você tem outra oportunidade de escapar da rota e desvendar uma região vinícola ainda menor e menos explorada que Russian River, porém super acolhedora. O Anderson Valley tem 15 milhas de extensão e dezenas de vinícolas fofas. O desvio para região leva pouco mais de 20 minutos, e é feito por uma estrada divina e rodeada de Redwoods, a Hwy 128, que já é a estrada das vinícolas.

Se você pensa em fazer este desvio, o que eu recomendo, veja todos os detalhes nesse post.

Anderson Valley - Califórnia


 

Little River

Continuando pela costa da Califórnia, passaremos por três cidades bonitas Little River, Mendocino e Fort Bragg, uma bem pertinho da outra. Todas essas cidades tem opções charmosas de Bed & Breafasts, restaurantes caprichados e paisagens lindas

O que fazer em Little River

Little River tem um parque bem bonito, o Van Damme State Park, com uma praia linda e ótimas opções de trilhas.

Mendocino

Minha paixão. Uma das cidades mais fofas e cheias de personalidade da Califórnia. A cidade é minúscula, 8 blocos por 8 blocos rodeada por rodovia e mar, e repleta de prédios históricos e casas como as de antigamente. Linda demais.

Centrinho de Mendocino

Centrinho de Mendocino

O que fazer em Mendocino:

  • Passear pelo centrinho: O centrinho de Mendocino é uma graça e está repleto de lojinhas fofas, e pequenos restaurantes. Dê uma boa volta pelo centro e não deixe de passar na Ford House, uma casa de 1854 toda construída de madeira do tipo Redwood que hoje serve de museu e de centro de visitantes. A estrutura da casa é impressionante. Outra casa antiga que foi transformada em museu e que merece ser visitada é a Kelley House, de 1861 e que tem tour temático com guias vestidos com roupas de antigamente. Ainda no centro, procure e fotografe o maior número de torres de madeira que você encontrar, essas torres fotogênicas, são sobreviventes da época em que Mendocino tinha mais de 34 delas.
Centrinho de Mendocino

Centrinho de Mendocino – Repare na caixa de água no alto da torre de madeira. A cidade tem várias dessas torres.

Voltando ao assunto lojinhas, alguns lugares que adorei foram a Mendocino Jams & Preserves (440 Main Street) uma lojinha de geléias deliciosas. A Mendocino Chocolate Company (10483 Lansing St) é super bonitinha, e um ótimo lugar para adoçar a boca. Para quem curte ler, uma parada super bacana é a Gallery Bookshop (319 Kasten Street) uma livraria linda e que tem um bichano maravilhoso e super manso de mascote oficial. Para um cafézinho, o Mendocino Hotel (45080 Main St) é uma excelente pedida.

Gato mascote da livraria de Mendocino

Bichano da Gallery Bookshop

  • Mendocino Headlands State Park: A costa de Mendocino é linda, e é toda recortado por morros e falésias, desenhados com flores silvestres e enfeitados com o azul do oceano. A paisagem muda a cada curva, e parece sempre mudar para melhor. Este pequeno trecho da costa tem 4 parques estaduais diferentes. Visitamos o Mendocino Headlands State Park, que fica quase dentro da cidade e é super bonito.

Costa de Mendocino

A graça aqui é dirigir, encontrar um lugar bonito, parar e caminhar. As trilhas são curtas e as vistas das falésias compensam cada passo.

Onde comer:

  • Mendocino Hotel: Um hotel bem fofo na rua principal de Mendocino. O restaurante é uma graça, clima retrô tem tudo a ver com a cidade. Almoçamos sandubas bem gostosos e ficamos com vontade de voltar para jantar.
  • Trillium Cafe: O restaurante é uma graça e tem um dos pátios (e jardins) mais gostosos da cidade. Comemos uma saladinha gostosa (porém pequena para quem tá com fome) e uma costelinha com molho barbecue e milho. Adoramos sentar do lado de fora.
  • Heritage House: Dica dos queridos amigos Jorge & Denise, comilões exigentes e que não dão ponto sem nó. Assino embaixo.

Onde se hospedar:

  • Heritage House: Um casal de amigos queridos passou um final de semana neste hotel lindo, e ficou super bem impressionado. Eles adoraram o hotel, as vistas, o serviço e o restaurante. Olha só as fotos do quarto e do hotel que lindas.
  • Sea Rock: Ficamos encantados com este Bed & Breakfast, super charmoso e hiper bem localizado. As vistas são maravilhosas, e o hotel é uma graça. O hotel tem 5 estrelas e quase 500 reviews no trip Advisor. Entrou pra nossa lista da próxima viagem.

Fort Bragg

O que fazer:

Jardim Botânico de Mendocino

  • Glass Beach: Essa praia linda, repleta de cristais de vidro coloridos é fruto de um grave descuido humano. Durante 1906 – 1967 a praia servia de deposito de entulho para indústrias locais. A praia foi limpa, e o vidro que sobrou foi desgastado pelo oceano formando bolas redondinhas e super bonitas. Hoje a praia se transformou em atração turistica e a graça é coletar pedrinhas coloridas para guardar de “recordação”. A melhor hora para visitar a praia é pela manhã, ou no final da tarde, com a maré baixa as pedrinhas de vidro ficam mais evidentes.

Glass Beach - Fort Bragg

  • Museu da Glass Beach: Para quem se interessar mais sobre a história da Glass Beach, a cidade tem um museu privado, dedicado ao assunto e aos achados da praia. Não visitei
  • MacKerricher State Park: Esse parque lindo começa na Glass Beach e segue serpenteando a costa. Um trechinho repleto de trilhas e praias muito bonitas.
Praia em Fort Bragg

MacKerricher State Park

  • Triangle Tatoo Parlor: Um lugar bem avaliado tanto no Yelp quanto no Trip Advisor é esta loja de tatuagens que tem um pequeno museu sobre a história das tatoos. Confesso que não sou mega fã do tema, e deixei passar, mas deixo aqui a dica e o link para quem se interessar.

Onde comer:

  • North Coast Brewing: Pra quem curte cerveja a dica é um jantar descontríado na cervejaria da cidade. Nós pedimos uma pizza ótima e para acompanhar, uma degustando com 21 mini cervejas diferentes. Adoramos a experiência.

Degustação de cervejas - Fort Bragg

  • Cowlick Ice Cream: A sorveteria mais tradicional da cidade, tem uma fila enorme na porta e dezenas de sabores diferentes. Tomei uma casquinha de framboesa com pedaços de chocolate que estava deliciosa

Onde se hospedar:

  • Atrium Bed & Breakfast: Uma pousada pequenina e charmosa. Os quartos – um diferente do outro – são lindos, o café da manhã é especial, e a área comum, uma sala super aconchegante e uma área externa com flores perfumadas e mesinhas, é o máximo. Adoramos tudo.

 

De Legget ao Red Woods National Park

Deixando o clima de Romance para trás e a costa da Califórnia um pouquinho de lado, chegou a hora de explorar a região das Árvores gigantes da Califórnia. Passaremos por dentro de uma sequoia gigante e veremos centenas de sequoias do tipo Red Woods (as mais altas do mundo) tanto na Avenida dos Gigantes quanto no Red Woods Nations Park.

Leggett: Dirigindo por dentro de uma Sequoia

Tree Drive Thru Park: (67402 Drive Thru Tree Road | entrada $5,00) Nessa primeira parada passaremos por dentro do tronco de uma Sequoia gigante que tem quase 90 metros de altura, e mesmo com o enorme buraco continua viva e é super linda. A Chandelier Tree (ou árvore Castiçal é impressionate. Tirar uma foto dentro do carro e passando no meio da árvore é bem especial.

Viagem pelo Norte da Califórnia

Viagem pelo Norte da Califórnia

 

Atenção: Em feriados prolongados a fila para passar por dentro da árvore chega a ultrapassar uma hora de espera. Chegue cedo, ou estacione do lado de fora e dê um passeio pelo parque. Esperei mais de uma hora e achei uma parda de tempo tremenda, acho que vale uma espera máxima de un 20 minutos, mas do que isso é furada

Humboldt State Park: dirigindo pela avenida dos Gigantes

A Avenida dos Gigantes é um trajeto da Hwy 101 repleto de Sequoias do tipo Redwood dos dois lados da pitas. São 32 milhas repletas de árvores gigantes e a sensação é de dirigir em um túnel gigantesco de árvores compridas. Bem especial.

Avenida dos Gigantes - Califórnia

Dois trechos que merecem uma visita mais detalhada – ou seja, sair do carro para caminhar são:

  • Founder’s Grove (Avenue of the Giants milha 20.5): um loop de 800 metros por algumas da árvores mais altas do parque.
  • Rockfeller Forest (Saída para Matole Road na milha 20.6 da Avenue of the Giants): uma trilha de 1 km por uma das florestas de Redwood mais lindas do parque.

Ferndale: uma cidade de casas vitorianas

Essa é uma parada que eu passei batido e me arrependo. Ferndale está na lista de cidades queridinhas de todos os meus amigos que conhecem a região. Uma cidadezinha fofa repleta de casinhas vitorianas lindas e palco de uma das corridas mais engraçadas do estado, a Kinetic Sculpure Race, uma corrida de engenhocas (tipo bicicleta maluca/carrinhos com roda de bicicleta) que acontece todos os anos no feriado de memorial day. Algumas das principais atrações da cidade são o pequeno cemitério Histórico de Ferndale que tem túmulos bem criativos de antigo imigrantes europeus que habitaram a California durante a colonização, o Ferndale Museum, com fotos da época vitoriana e uma coleção de objetos de época e o museu da corrida Kinetic Sculpure Race que conta com alguns dos “carros” e fantasias usadas durante a competição. Fiquei morrendo de vontade de assistir essa tal competição de carros e engenhocas malucas!

Eureka

E por fim chegamos a Eureka, a maior cidade da Costa norte da Califórnia, e sem dúvida um bom lugar para pernoitar.

Eureka - California

Board Walk de Eureka. Repare na casa bonitona lá no fundo

Eureka é uma cidade fofa e cheia de personalidade. O pequeno centrinho tem várias lojinhas, galerias e restaurantes bacanas e alguns prédios bem interessantes como o do Arley Center (412 G Street) que tem uma fachada maravilhosa e repleta de detalhes arquitetônicos diferentes, um interior super bonito e um mural lindo na parte de trás. O pier também é uma graça e merece ser visitado.

Eureka - California

Mural no Arley Center em Eureka

O que fazer em Eureka:

  • Passeio pelo centro da cidade: Alguns lugares que gostei de visitar no centro foram as livrarias Eureka Books para comprar livros novos e a Boklegger, super bacana e que vende livros usados. O Romano Gabriel Sculpture Garden (315 Second Street) um pequeno espaço que expõe o “jardim de madeira” criado pelo arquiteto ao longo de suas três décadas em Eureka, ele costumava brincar que Eureka era um lugar ruim para criar flores, e que o jeito era fabricá-las. O resultado: um jardim todo colorido e bem diferente. E falante em arte, ainda no centro da cidade, a galeria de arte Sewell (315 Second Street) é super bonita e tem peças de arte maravilhosas.
  • A casa mais linda da cidade: Um pouquinho fora do centro está a casa vitoriana mais linda da cidade, a Carson house é sede do Ingomar club. Apesar de fechada para visitação, a fachada é maravilhosa e merece meia dúzia de fotos.
  • Boardwalk de Eureka: um calçadão de madeira com um parque de diversões antigo.

Onde comer:

  • Restaurante 301O Restaurante mais badalado da cidade fica num dos inns mais  bacana de Eureka, o Carter inn. Os pratos são lindos e as reviews tanto no Yelp quanto no Trip Advisor são ótimas. Entrou para a fila da nossa próxima viagem.Reserve com antecedência.

Red Woods National Park

Redwood National Park

Ouvi falar maravilhas do Red Woods National Park, mas minha visita foi um tanto quanto frustrante. Fomos recebidos por uma neblina tão branca e tão densa que não conseguimos enxergar nem os troncos das árvore gigantes que deixaram o parque famoso. Numa tentativa de ver um pouquinho da paisagem (algo que jamais aconteceu) dirigimos pela Coastal Drive, um trecho de 8 milhas, que é supostamente um dos mais lindos do parque. Vimos um pedacinho do Klamath River, mas nada além. Espero de verdade que você tenha mais sorte do que nós (que com certeza voltaremos para conhecer o parque com a calma e carinho que ele merece), e enquanto isso deixo aqui algumas dicas que pesquisei, mas que infelizmente não pude testar:

O que fazer no Red Woods National Park:

  • Coastal Drive: uma estrada tortuosa, e repleta de paisagens bonitas. Aqui você verá Árvores gigantes, o oceanos e o Klamath River. De lá você terá acesso a Coastal Trail.
  • Fern Canyon: uma das paisagens mais diferentes e espetaculares do parque. Um paredão verde cortado por um pequeno fio d’água. Uma caminhada bem fácil de de 1,2km e que leva em torno de 1h.
  • Lady Bird Johnson Grove: outra trilha bem fácil (e pavimentada) por um trechinho repleto de árvores lindas e Redwoods centenárias.
  • Tall Tree Grove: Uma estrada de 4 milhas por algumas árvores bem altas. A trilha recebe no máximo 50 veículos por dia. As permissões são emitidas no Kuchel Visitor Center. Veja mais detalhes sobre a trilha aqui.
  • Crescente Beach Overlook: Um mirante para a praia de Crescente city.
  • Coastal trail: Uma trilha gigante que corta todo o parque. A graça é escolher um pedaço dela para caminhar e explorar.

E aqui termina nossa viagem!

Quem tiver mais tempo pode continuar pela Costa e seguir até Portland (Oregon), continuar até Seattle, e se o tempo permitir, ir até Vancouver no Canada. Todas essas cidades são lindas, e no caminho tem muita coisa linda e parque bacana. Eu ainda não fiz essa viagem, mas assim que fizer, volto aqui com mais dicas.

Espero que tenham gostado dessa viagem de carro pelo Norte da Califórnia, e caso tenham perguntas ou sugestões para melhorar o roteiro , é só deixar aqui na caixinha de comentários que eu respondo rapidinho.

 

 

About author

mari vidigal

Viajante incansável, daquele tipo que no meio de uma viagem já está pensando na próxima, na próxima e na próxima. Apaixonada por fotografia, natureza e vinhos

7 comments

  1. Claudio Kraus 29 abril, 2016 at 10:51 Responder

    Bom dia Mari,
    Suas dicas são ótimas, vou fazer esse roteiro no inicio de setembro, saindo de São Francisco até Vancouver, depois vamos descer até Chicago e Detroit, passando pelo Mount Rushmore e Mineapolis, esse periodo é bom para essa viagem?

    • mari vidigal 29 abril, 2016 at 20:13 Responder

      Oi Claudio,
      Que máximo de viagem.
      Vou falar pela Califórnia, tá?! Setembro é uma época excelente! venha feliz!
      Beijos

  2. Rita 19 janeiro, 2016 at 19:40 Responder

    Oi Mari!!
    Suas dicas são sempre ótimas. Acabei de voltar do Japão seguindo o seu roteiro e foi fantástico.
    Em que época do ano vc fez essa viagem pela costa norte? Acha q é tranquilo fazer em dezembro/janeiro?
    Obrigada,
    Rita

    • mari vidigal 21 janeiro, 2016 at 05:37 Responder

      Oi Rita,
      Norte da Califórnia no inverno = loteria. Chove pra caramba e sua chance de pegar muita neblina na estrada é relativamente alta.
      Dezembro e Janeiro não são as melhores épocas para essa viagem não. Não dá par deixar para Abril/ maio?

      PS: Que delicia que você curtiu o Jp, estou morrendo de saudades e não vejo a hora de voltar!

Post a new comment

Veja também