Lucerna: A subida ao Monte Pilatus

27
Monte Pilatus - Lucerna

O Monte Pilatus é uma das montanhas mais lindas da Suíça central e um bate-e-volta espetacular pra quem sai de Lucerna. Nesse post dividirei com vocês todos os detalhes desse passeio que combina a subida (ou descida) com o funicular mais inclinado do mundo com um conjunto de teleférico lindo e hiper moderno chamado de “Dragon Ride”. Pronto para se encantar com o Monte Pilatus?

Lucerna: A subida ao Monte Pilatus

Uma camada de nuvens gordas cobria os céus de Lucerna. “Droga, pensei, bem hoje que vou subir o Monte Pilatus”. Mal sabia eu que em breve estaria sobre as nuvens embaixo de um céu azul, vendo Lucerna do alto, curtindo as vistas espetaculares de uma das montanhas mais místicas da Suíça.

Monte Pilatus - Lucerna

Tapetão de nuvens visto do ato do Monte Pilatus

Deixa eu contar do começo que o passeio merece, mas antes de mais nada, um detalhe técnico importante:

Funicular & Dragon Ride

Existem duas formas de subir o Monte Pilatus (ou como dizem os locais, Pilatus Kulm) de trenzinho Funicular (aberto de maio a novembro) ou com um conjunto de teleféricos, o Dragon Ride (aberto durante o ano todo). Minha recomendação é que você escolha um deles para subir e desça pelo outro, as experiências são hiper diferentes e complementares. Eu escolhi subir de Funicular, pois achei que na subida conseguiria sentir melhor a inclinação do trenzinho e curtir a mudança de paisagem e descer de teleférico.

Atenção: Os horários de subida/ Descida do funicular são menos frequentes que o teleférico. Programe-se!

Dica: Se você pretende casar o passeio pelo Monte Pilatus com um passeio de barco para Lucerna, eu recomendo que você suba de teleférico e desça de funicular. Verifique os horários de descida do funicular e de saída do barco de Alpnachstad com antecedência

A subida e o trem mais inclinado do mundo

De Lucerna à Alpnachstad

O trajeto entre Lucerna e Alpnachstad pode ser feito de trem (15 minutos) ou barco (cerca de 50 minutos). Como já havia feito o trajeto entre Fluelen e Lucerna de barco no dia anterior, optei pelo trem que como praxe na Suíça, saiu e chegou no horário. Foi engraçado notar que o idioma oficial do vagão era o inglês e não o usual alemão. 🙂

Monte Pilatus - Lucerna

O Funicular

A subida

E começa a subida a bordo do furnicular mais inclinado do mundo. O monte Pilatus tem 2128 metros de altura e para chegar lá no alto, percorremos 4.6 Km de trilhos dentados numa velocidade máxima de 12 Km por hora. A subida é vagarosa e se você tiver sorte com o tempo poderá contemplar a mudança de paisagem do vale para a montanha com direito a muito verde e vistas do lago. É bem especial.

Monte Pilatus - Lucerna

Subindooooo

Monte Pilatus - Lucerna

E olha o túnel!

Durante a subida, o Andreas que trabalha na Pilatus Bahnen AG ía me contando detalhes do passeio e da paisagem, ele me descolou um lugar caprichado na frente do trem onde pude bater altos papos com o condutor (um Suíço que ganhou o troféu fofura do dia) e aprender um pouco sobre os trilhos dentados que sustentam e dão segurança ao funicular. Isso sem falar nas vistas incríveis do passeio que eu consegui filmar de camarote ;).

Monte Pilatus - Lucerna

O condutor

Por cima das nuvens

E lembram das nuvens gordas que mencionei no comecinho do post? Aos poucos fomos chegando perto delas, passamos por dentro e magicamente chegamos na parte azul da montanha.

Monte Pilatus - Lucerna

Ultrapassando a camada das nuvens

Nesse momento consegui enxergar a parte mais alta do Monte Pilatus, túneis de pedra, muito verde e o pedacinho final do nosso trajeto. UAU, eu até então não tinha tido a dimensão da subida – que sim é inclinada pacas – e nem da montanha, que é um espetáculo!

Monte Pilatus - Lucerna

Monte Pilatus

Monte Pilatus - Lucerna

Monte Pilatus - Lucerna

E sente só o tamanho da subida!

Graças as nuvens que praguejei a vista ganhou um tom místico, um tapete de nuvens cercado de montanhas pontudas, algumas nevadas outras muito verdes. A linha de montanhas ultrapassava o horizonte e a minha imaginação. Que coisa linda!

Vistas espetaculares

Assim que chegamos ao topo do Monte Pilatus, perguntei para o Andreas qual era o mirante mais bonito. A montanha tem mil e uma opções de trilhas e atividades, mas com o tempo limitado, eu tinha que priorizar -e muito bem – por onde começar.

Logo na saída do Funicular há dois mirantes, um para o lado esquerdo que exige uma trilhazinha de uns 15 minutos morro acima e outro para o lado direito, muito mais acessível. O Andreas sugeriu que começássemos pelo lado direito “é um pouco mais íngreme, mas as vistas compensam”.

Monte Pilatus - Lucerna

Vista do alto do mirante mais alto, daqui dá para ver o outro mirante

E ele tinha razão! Lá do alto consegui enxergar os dois lados da montanha, de um lado o caminho por Alpnachstad por onde sobe o trenzinho, e do outro lado a cidade de Lucerna rodeada pelo lago dos 4 cantões.

Monte Pilatus - Lucerna

Vista do alto do Monte Pilatus

Monte Pilatus - Lucerna

Tapete de nuvens

Monte Pilatus - Lucerna

Lago dem Lucerna visto do alto

Monte Pilatus - Lucerna

E olha só os alpes que lindos

Enquanto curtíamos as vistas fiquei babando nos parapentes que sobrevoavam a montanha, sempre quis voar num treco desses, e combinei comigo mesmo que a próxima vez que eu vier para essas bandas marcarei um vôo (é vôo ou salto, que fala? Ajudem uma blogueira desentendida ;)). E sim, fiquei morrendo de vontade de abandonar os planos da tarde e saltar/voar nesse treco. Imagine só que máximo!

Monte Pilatus - Lucerna

Vôo de parapente no Monte PIlatus – Que inveja!!!

Almoço no topo do Monte Pilatus

Almocei no restaurante Sun Terrace do Hotel Pilatus Klum (quem preferir algo mais rápido/ econômico pode comer no Self Service do Panorama Grill), comi um picadinho local bem típico acompanhado de massa folheada e arroz com ervilhas. (Não consigo me lembrar o nome do prato, mas tava bem gostoso)

Monte Pilatus - Lucerna

Almoço no alto do monte Pilatus

Como o dia estava lindo, almocei do lado de fora curtindo o panorama da região. Foi bem especial.

Atividades, hotel e possibilidades

E pra quem tem mais tempo, o Monte Pilatus tem atrações muito legais que variam conforme a estação do ano. No verão tem trilhas diversas, escalada em rocha, parapente, tobogãs e um dos parques de cordas mais completos da Suíça. No inverno tem várias atividades divertidas como neve: trenós, tobogãs e aluguel de diversos equipamentos para se divertir com a neve.

Monte Pilatus - Lucerna

Pedacinho de trilha no monte PIlatus

Monte Pilatus - Lucerna

E olha só o primeiro mirante que subi visto da trilha

Durante o passeio, o Andreas me levou para conhecer alguns dos quartos do Hotel Pilatus Klum, fiquei encantada com a possibilidade de dormir um noite do alto de uma montanha tão linda, e fiquei imaginando aquele céu lindo todo estrelado durante a noite.

Monte Pilatus - Lucerna

Quarto do hotel Pilatus Kulm

Monte Pilatus - Lucerna

Os quartos são espaçosos, modernos e tem visitas caprichadas da montanha. Gostei tanto que na próxima vinda a Suiça, quero encaixar essa experiência no meu roteiro. #Ficaadica

A lenda do Monte Pilatus: Demônios & Dragões

Além da parte visual encantadora, a visita ao Monte Pilatus te transporta ao universo mitológico da região. Fiquei muito intrigada ao saber que a Montanha se chama Monte Pilatus pois acredita-se que dentro do lago Pilatus em Oberalp o corpo de Pilatus foi sepultado, e não é só isso não… tem até dragão na parada!

Para quem ficou curioso, aí vão as duas lendas mais contadas da região:

O fantasma de Pôncio Pilatus

Há muitos e muitos anos atrás acreditava-se que o pequeno lago em Oberalp, no alto do Monte Pilatus era o responsável por todas as terríveis tempestades que castigavam a região. Dizia-se que tempestades terríveis eram formados cada vez que surgiu ondulações nas águas do lago, e que eram geradas pelo Fantasma de Pôncio Pilatus que supostamente vinha a suerficie do lago, toda sexta feira santa para lavar o sangue de Cristo de suas mãos.

As causas da morte de Pôncio Pilatus não são muito claras, e não existe nenhum sepultura ou documento que a comprove. Reza a lenda que ele foi condenado a prisão por Tiberius Caesar por executar Jesus Cristo, e que ele se matou na prisão. Seu corpo foi jogado nas águas do Rio Tibre, mas o rio se rebelou e castigou a região com enchentes terríveis. Para acabar com a enchente, o corpo de Pilatus foi resgatado e atirado no Rio Reno, onde novamente o fantasma se rebelou e causou uma enorme confusão. Para evitar novas enchentes, decidiu-se afundar o corpo de Pilatus no pequeno lago em Oberalp, no topo do monte Pilatus e assim a região se acalmou, mas terríveis tempestades de tempos em tempos perturbavam a região.
A região da montanha foi considerada “assombrada” e a subida a montanha foi proibida até que em 1585 um padre de Lucerna, acompanhado de uma procissão decidiu desafiar o fantasma, eles atiraram pedras no lago, mexeram com as águas, e finalmente mergulharam. O fantasma não reagiu e com isso quebrou-se o feitiço.
Ainda assim, para garantir que o fantasma de Pilatus jamais incomodasse a região, cavou-se um buraco que esvaziou as águas do lago, que apenas 400 anos depois tornou a ser enchido. Aparentemente o fantasma tomou gosto pela região e decidiu ficar quietinho 😉
Os Dragões Bonzinhos do Monte Pilatus
Reza a lenda que desde a era medieval o Monte Pilatus é habitado por uma série de dragões com poderes de cura, e existem muitas histórias diferentes sobre o aparecimento desses dragões na cidade de Lucerna. A mais famosa das histórias conta como um casal de dragões salvou um jovem tanoeiro (jovem que fazia barris para estocar vinho).
Era inverno e o jovem estava buscando toras caprichadas para confeccionar seus barris. Sem perceber, ele foi se afastando de centro e começou a subir a montanha proibida. Pouco antes do pôr do sol, ele se deu conta de onde estava e começou a descer a montanha – morrendo de medo e correndo com sua máxima velocidade. Eis que o garoto tropeça, perde consciência e rola montanha abaixo.
No dia seguinte ele acorda, olha para o alto, e vê apenas um pedacinho azul do céu. Ele estava preso dentro de uma caverna dentro da montanha. A caverna era gigante, o céu estava lá longe e para piorar haviam dois dragões com cara de bravos encarando o garoto. Os dragões foram se aproximando cada vez mais, e ele ficou apavorado achando que em breve seria devorado vivo, mas para sua grande surpresa os dragões chegaram perto, sentiram o cheiro do garoto, olharam para ele de pertinho e foram até as paredes da caverna onde escorria um nutritivo “leite da lua” para se alimentarem.
Durante todo o inverno o garoto e os dragões dividiram a caverna e se alimentaram do leite da lua, nesse meio tempo, ele foi se recuperando do tombo, ficando cada vez mais forte, e estava 100% curado quando a primavera chegou. E com a chegada da primavera os dragões resolveram se retirar do seu lar de inverno. Um deles estendeu o rabo ao garoto e o levou voando até a superfície da caverna onde flores perfumadas o receberam com um sol quentinho. O garoto se despediu dos dragões e correu montanha abaixo feliz da vida para encontrar seus amigos e familiares.
Em Lucerna, o garoto que era tido como morto foi recebido por amigos e familiares com muito carinho. E após contar e recontar suas história dezenas de vezes, ele conseguiu convencer a população de Lucerna sobre a veracidade da história e foi presenteado com uma túnica de prata com sua história estampada. A túnica existe até hoje e está guardada no museu da igreja de St. Leodegar.
Após este fato os dragões de Pilatus passaram a ser considerados dragões do bem. Dizem que em noites de Lua cheia suas sombras podem ser vistas brincando de esconde-esconde entre as nuvens, e que de quando em quando é possível ouvir o bater das asas dos dragões do alto do Monte Pilatus.

Dragon Ride e a volta para Lucerna

Depois do almoço, dei mais um passeio pelo topo da montanha, explorei um pedacinho das trilhas lá do alto, e me preparei para descer. Como já tinha um passeio agendado em Lucerna, fiquei muito menos tempo do que gostaria, mas tempo o suficiente para curtir, amar e recomendar o passeio.

Monte Pilatus - Lucerna

Primeira parte da Dragon Ride

Para descer, escolhi o Dragon ride, um conjunto de teleféricos moderno que atravessa as montanhas e tem vistas lindas da região. A descida é feita em etapas, e em cada etapa você precisará passar seu ticket na catraca ( a espertinha aqui perdeu o ticket e teve que contar com a boa vontade do moço da catraca. #Nãosigameuexemplo)

De Pilatus Kulm até Fräkmüntegg

A primeira parte é feita em um bondinho aéreo grandão. Tente sentar na frente para curtir as vistas dos dois lados. Caso não seja possível, sente do lado direito que tem vistas lindas para o lago. A descida leva 3 minutos e meio e te leva até a estação Fräkmüntegg.

Monte Pilatus - Lucerna

Dragon Ride – Monte PIlatus

Se você sentar na frente como eu, olhe primeiro para o lado esquerdo e veja a pequena capelinha no meio do nada, e logo em seguida olhe para direita e pire com as vistas do lago, que mudam e melhoram a cada segundo.

Monte Pilatus - Lucerna

Igrejinha no Monte Pilatus

Fräkmüntegg – Krienseregg – Kriegs

A segunda parte do trajeto é feita a bordo de pequenos teleféricos chamados de gôndolas panorâmicas. O trajeto completo leva 18 minutos, e quem quiser poder dar uma descidinha em Krienseregg e curtir as vistas da região ou seguir direto até Kriegs ( o ponto final do teleférico).

Monte Pilatus - Lucerna

Teleférico: o trecho final do Dragon Ride

A segunda parte do trajeto tem uma transição muito linda de montanha para campo acompanhada de muitas casinhas fofas. Não é tão bonito quanto o trecho anterior, mas sem dúvida nenhuma rende belas fotos.

Monte Pilatus - Lucerna Monte Pilatus - Lucerna

Volta para Lucerna

Chegando em Kriegs é só seguir as placas do ônibus número 1, que te leva ao centro de Lucerna. O trecho é curtinho, são 5 minutos de caminhada e pra melhorar é descida!

Exemplo de placas que você deve procurar:

Monte Pilatus - Lucerna


 

Montanha & Lago: Pilatus + Passeio de barco

Uma alternativa bacana é combinar o passeio ao monte Pilatus com uma volta de barco para Lucerna (sugiro deixar o barco para a volta para aumentar as chances de chegar na cidade sem neblina). Num dia de sol, você ficará encantado com as belezas e as paisagens da região.
Wilhelm Tell Express - Suíça

Barco na região de Lucerna

Para fazer isso, compre o ingresso combinado que te dá direito ao passeio de barco + subida ao Monte Pilatus, comece o passeio pelo Dragon Ride (ônibus até Kriegs) e desça de funicular. Fique de olho nos horários de descida do funicular para casar bonitinho com o barco.

Informações Adicionais

Quanto Custa?

De abril a novembro

  • Ida e volta (Funicular + Dragon Ride): 72.00 CHF | Com Swiss Pass ou cartão de meia tarifa 36.00 CHF

De dezembro a março

  • Ida e volta (Dragon Ride): 57.60 CHF | Com Swiss Pass ou cartão de meia tarifa 36.00 CHF

MONTE PILATUS + BARCO

  • Ida e volta (Funicular + Dragon Ride) + Barco 2a Classe: 106.00 CHF | Se você tem o Swiss Pass, você anda de barco grátis, compre o bilhete mais barato.
  • Ida e volta (Funicular + Dragon Ride) + Barco 1a Classe: 120.00 CHF

Atualização: a partir de 1 de janeiro a subida ao monte Pilatus estará inclusa no preço do Swiss Pass

MONTE PILATUS + PASSAGEM DE TREM

  • Ida e volta (Funicular + Dragon Ride) + Trem 2a Classe: 83.20 CHF | Se você tem o Swiss Pass, você anda de trem grátis, compre o bilhete mais barato.
  • Ida e volta (Funicular + Dragon Ride) + Trem 1a Classe: 79.20 CHF

Atualização: a partir de 1 de janeiro a subida ao monte Pilatus estará inclusa no preço do Swiss Pass

[Preços de 2016]

Quanto tempo demora?

Um passeio completinho saindo e voltando de Lucerna demora pelo menos meio dia, mas se você tiver mais tempo, melhor, a montanha é linda e tem muita coisa bacana para fazer lá no alto!

Outros blogs que fizeram esse passeio:

  • Contando as as horas: Veja aqui a experiência da Bruna.

E aí, curtiu o passeio?

Alguém aí já fez já visitou o Monte Pilatus e quer dividir a experiência com a gente?

Veja também:

Dicas de hotel na Suíça:

E para ficar por dentro de todas as novidades do Ideias na Mala, siga nosso instagram!

A Mari viajou com o apoio do Swiss Travel System do escritório de turismo de Lucerna e do Monte Pilatus.

 

 

 

About author

mari vidigal

Viajante incansável, daquele tipo que no meio de uma viagem já está pensando na próxima, na próxima e na próxima. Apaixonada por fotografia, natureza e vinhos

27 comments

  1. Ricardo Bonifácio 24 fevereiro, 2017 at 17:35 Responder

    Olá. tenho uma dúvida um pouco urgente. Me ajuda. Estou em Lausanne programando meu dia de amanhã. Tenho o Swiss Travel Pass Flex que me permite rodar por aqui em alguns dias tranquilamente.
    Gostaria de ir ao Monte Pilatus. Qual parte de fato nao é cobrada para chegar até lá? O trem apenas? Eu terei que pagar o funicular para subir e descer?

    Muito obrigado. Só queria esclarecer isso pois em algum momento achei que todo o trajeto até o Pilatus Kulm seria gratuito.
    Boa noite.

  2. Ariana 2 dezembro, 2016 at 18:08 Responder

    Oi Mari, vc pode me ajudar?
    Farei um intercâmbio em Londres e após terminá-lo terei 10 dias para conhecer outros lugares. Tô querendo passar 3 dias em Paris e de lá 3 dias na Suíça e 3 dias na Itália. Vc poderia me sugerir qual cidade da Suíça dá pra combinar neste roteiro, que inclua uma montanha legal para conhecer e que de lá tenha trem direto para Veneza? Se possível valores tbm agradeço, como vou fazer o intercâmbio antes, vou com dinheiro reduzido. Meu interesse é saber quanto gastarei nesses 10 dias com passagem, hospedagem e passeios.

    • mari vidigal 2 dezembro, 2016 at 21:08 Responder

      Oi Ariana,
      Posso te dar uma opinião bem sincera? Porque não passar seus dez dias um único país? Eu iria esquiar no Norte da Itália (Turin é incrível, mas tem estações que até fazem fronteira com a Suíça e você pode cruzar esquiando) e de lá seguiria pra Veneza, Florença (e talvez outras cidades da Toscana) e terminaria em Roma. Com o tempo assim tão contando, nada melhor que explorar bem uma região do que ficar pingando de país em país… Isso sem falar na economia!
      É só uma sugestão!
      Beijos e aproveite o intercambio

  3. Roberta 14 outubro, 2016 at 15:16 Responder

    Olá! Seu blog è. Nota 10!!!! Obrigada por compartilhar essas. Informacões preciosas com a gente!
    Nós vamos para Suíca na segunda quinzena de janeiro de 2017. Como nosso orcamento está meio contado queríamos sua sugestão de qual monte conhecer em relacão ao custo/benefício… Pois temos que conhecer um, nè?
    Ficaremos em Lucerna e pensei num roteiro assim: 1 – Lucerna, 2. – Zurique. 3- um monte 4- Berna e o 5 – aindda tô em duvidas… Talvez Bellazoni. O q acha? Tem alguma sugestão?
    Como estaremos no mais. Alto inverno tô preocupada…
    Mais uma vez, muito obrigada
    [email protected]

    • mari vidigal 14 outubro, 2016 at 16:44 Responder

      Oi Roberta,
      Vc estará com o Swiss Travel Pass? Se sim, o Monte Rigi é uma ótima pedida e está incluso no preço!
      Abraços
      PS: Que delícia de viagem!

  4. Marcelo 11 outubro, 2016 at 20:36 Responder

    Olá, Parabéns pelo seu blog, realmente está nos dando uma grande referência.

    Algumas dúvidas:

    estamos de carro e vamos sair de uma cidade 50km (bem cedo) de Lucerna para ir no monte pilatus seguindo suas dicas.
    1) precisar reservar tickets do funicular e ou teleférico antes?
    2) você saberia me dizer se há estacionamento para carro (ou ainda o valor) e se é perto da saída do funicular e do retorno do teleférico? Quero dizer…. se o funicular sai do mesmo lugar que o teleferico volta…

    muito obrigado pela sua resposta. estou a 2 dias de lá e tomara que você consiga ver esta msgm antes.

    abs

    • mari vidigal 12 outubro, 2016 at 05:38 Responder

      Oi Marcelo,
      Vocês tem o Swiss Pass. Se sim, acho que a partir desse mês a subida na montanha estará inclusa no bilhete. Agora como é baixa temporada, pode ir sem reservar que não tem problema.
      Seguramente há estacionamento, só não sei se esta incluso no valor.
      Abraços

  5. Cristiana Rausis 9 setembro, 2016 at 03:02 Responder

    Oi Mari,

    estou em dúvida entre o Rigi e o Pilatus, vou pesquisar um pouco mais antes de escolher, pois não tenho muito tempo e ainda quero ir a Schilthorn.
    Para ir ao Pilatus fiquei com uma dúvida, se eu tenho o Swiss Travel Pass e o ticket do trem é gratuito, pq comprar o pacote mais barato e não só o ticket da montanha?
    E por que o trem de primeira classe é mais barato que a segunda classe?

    .Ida e volta (Funicular + Dragon Ride): Com Swiss Pass ou cartão de meia tarifa 36.00 CHF

    MONTE PILATUS + PASSAGEM DE TREM
    Ida e volta (Funicular + Dragon Ride) + Trem 2a Classe: 83.20 CHF | Se você tem o Swiss Pass, você anda de trem grátis, compre o bilhete mais barato. (Isso quer dizer que é para comprara o bilhete de 36.CHF?)
    Ida e volta (Funicular + Dragon Ride) + Trem 1a Classe: 79.20 CHF

    Desde já obrigada pelo help.

    • mari vidigal 12 setembro, 2016 at 00:35 Responder

      Oi Cristiana,
      Devo ter comido bola na hora de escrever os preços do post. Vou revisar. Obrigada
      Quanto ao Swiss Travel Pass, ele inclui o trem + 50% de desconto do Pilatus. Para o Rigi, é totalmente grátis.
      Abraços

  6. Karen de Andrade Fiori 9 junho, 2016 at 01:51 Responder

    Oi Mari ! Descobri seu blog hoje e adorei as dicas ! Vc explica udo muito bem !!!
    Uma perguntinha … onde eu posso comprar os tickets para os passeios ?? Estou fazendo minha programação para passar 5 dias na Suiça, ficando em Lucerna e fazendo passeios em Lucerna, Interlaken e mais uma cidade ainda a definir (provavelmente Berna). Vou comprar o Swiss Pass, mas ainda assim tenho que comprar os passeios, onde vende ? Outra duvida, qual passeio de montanha pode ser feio no lugar de Interlaken ? O lugar sem duvidas e lindo, mas o orçamento esta meio curto.
    Obrigada !!!

    • mari vidigal 9 junho, 2016 at 17:45 Responder

      Oi Karen,
      Tudo bem?

      Não perca Berna. A cidade é um encanto. Veja aqui um roteiro de 1 dia por lá.
      Se você vai comprar o Swiss Pass, eu subiria no Monte Rigi – a vista parece ser tão linda quanto o Pilatus – mas a subida é TOTALMENTE grátis para quem tem o Swiss Pass. Uma senhora economia, não? Especialmente se orçamento é um fator importante na sua viagem.
      Ir para Interlaken e não subir no Jung Frau, não sei se é uma boa. Que tal visitar Montreux que tem um lago lindo, e um castelo fotogênico ou fazer o passeio de barco entre Thun e Interlaken (e conhecer o centro de Thun que é mais bonito que Interlaken?).
      Qualquer duvida é só gritar!
      BEijos

  7. Carlos 26 janeiro, 2016 at 23:49 Responder

    Mari, adoro sua forma de escrever !
    Chego a Lucerna num dia (acredito que só à noite), passo o dia seguinte na cidade, e deixo a cidade no outro logo após o café da manhã.
    Em qual turno devo fazer o Monte Pilatus ?
    Estou considerando-o a melhor opção para pouco tempo na cidade … estou certo ?
    Veja se compreendi:
    1- deixo o hotel e sigo para a estação, onde pego o trem para Alpnachstad;
    2- sigo o fluxo (andando) e chego ao funicular;
    3- do monte, desço pelo teleférico;
    4- procuro (andando) pelo ônibus que vai para Lucerna ou pelo barco que tb segue para Lucerna.
    Abraço !

    • Carlos 27 janeiro, 2016 at 17:09 Responder

      Obrigado !
      Mas fui abrindo abas a parir do seu post e confirmei que em abril não é possível fazer o tour como você.
      Ou seja, só dá para subir e descer pela rota que vc desceu.
      E assim não dá para incluir a navegação.
      Você sugere algum passeio navegado de meio dia pelo lago ?
      Abraço !

      • mari vidigal 27 janeiro, 2016 at 20:35 Responder

        Carlos, Porque você não sobre o Monte Rigi? Dá para ir de barco e a vista parece ser tão linda quanto o Mt. Pilatus.
        Caso você compre o Swiss Travel Pass, a subida é grátis.
        Fica a ideia.
        Beijos

  8. Marcelo Marcos 23 janeiro, 2016 at 11:12 Responder

    Olá, por favor !!! Me tire uma dúvida, do centro da cidade até o Teleférico /Trem, como faço para chegar ?? Ambos ficam no centro da cidade ?
    A pergunta pode ser boba, mas pra quem irá mochilar sem falar inglês (como eu), pode ser super importante…pretendo fazer um bate e volta Interlaken X Lucerna com Swiss Pass.

    Muito obrigado !!!!

    • mari vidigal 23 janeiro, 2016 at 17:40 Responder

      Oi Marcelo,
      Não existem perguntas bobas. Fique tranquilo.
      Do centro de Lucerna (estação de trem principal) vc deve pegar o trem rumo a Alpnachstad (no site Sbb.com você conseguirá monitorar exatamente a plataforma & horário de saída. Use o Google Translate para traduzir as palavras chave e anote-as num caderninho, isso vai te ajudar a se virar melhor e ficar mais independente.)
      Chegando em Alpnachstad, é só seguir o fluxo!
      Abraços,

      • Marcelo Marcos 24 janeiro, 2016 at 22:02 Responder

        Olá Mari, muito obrigado !!!! Suas dicas são imperdível e seu blog incrível, parabéns !!!! Muito obrigado pela gentileza e ajuda !!! Vou seguir seu roteiro de 3 dias em Londres, pois tb achei fantástico !!!! Google translate é um amigo inseparável !!!! rsrsrsrs …App da SBB já está no meu celular, obrigado !!!! Estou super ansioso por esse mochilão …Suíça, Irlanda, Inglaterra, Espanha e França. Eu já conheço Genebra, Montreux e Lausanne do último mochilão…mas agora será a vez de Interlaken e Lucerna…sonho de longa data.
        Eu gostei dessa ideia da Montanha Rigga …ainda consigo poupar um dindin…q já está curto …rsrsrsrsr

        • mari vidigal 25 janeiro, 2016 at 06:39 Responder

          Que delícia de viagem!
          Qual o roteiro na Irlanda? Você viu que aqui no blog tem vários posts de lá?
          Amei o país de paixão e não vejo a hora de voltar!

    • mari vidigal 24 janeiro, 2016 at 03:26 Responder

      Oi Marcelo,
      Mais um pitaco: se vc já vai conhecer o Jung Frau, talvez não valha a pena fazer Jungfrau + Pilatus numa única ida a Suíça.
      O que eu faria se fosse você: passaria a manhã em Lucerna, depois do almoço pegaria o Barco até Weggis ou Vitznau e subiria a montanha Riggi (Mt. Riggi). A subida é 100% grátis para quem tem o Swiss Pass, e as vistas parecem maravilhosas. Não conheci o Mt Riggi, mas ouvi falar tão bem que acho que vale a pena.
      #Ficaaideia
      Beijos

Post a new comment

Veja também