25 dicas pra viajar barato

0
Viajar barato

Viajar barato é SIM possível, e é bem mais fácil e divertido. Nesse post dividiremos com vocês 25 dicas espertas para economizar a cada passo da viagem. Bora?

25 dicas pra viajar barato

Texto e imagem: Júlia Altenhofen

Com a alta do dólar e a recessão no Brasil, viajar ficou ainda mais caro. Mas não é impossível, se você tiver um bom planejamento e flexibilidade para fazer alguns ajustes.

Listamos abaixo 25 dicas de como fazer sua viagem dos sonhos, mantendo um pé na realidade!

Viajar barato: Comprando a passagem

  • Inscreva-se em um programa de milhagens e passe a fazer seus gastos diários no cartão de crédito, ao invés de débito. Isso vai acelerar o acúmulo de pontos.
  • Ao invés de presentes de Natal, namorados e aniversário, peça à sua família uma ajudinha financeira para viabilizar a viagem.
  • Além de pesquisar por passagens em sites, converse com agências de viagem menores, que têm acordos exclusivos. Volta e meia eles conseguem bons preços!
  • Fuja do combo ‘viagem da moda + alta temporada’. Ferramentas como Google Flights ajudam a descobrir quais as melhores datas e destinos para viajar.
  • Voar no meio da semana costuma sair mais barato. Quanto mais flexibilidade você tiver para determinar os dias da viagem, maiores as chances de conseguir algo barato. Na dúvida pesquise antes de comprar.
  • Quer conhecer 2 cidades pelo preço de 1? Compre uma passagem com escala de 1 dia (ou 10, 12h) ou faça um stopover em outra cidade interessante que esteja no caminho.
  • Por fim, dê preferência para destinos onde tenha algum amigo (ou amigo de um amigo), e talvez você possa pagar a hospedagem com um jantar.

Viajar barato: Dicas para economizar na Hospedagem

  • Não tenha medo de ficar em um hostel ou alugar um apartamento em sites conhecidos. É fácil descobrir se o lugar foi bem avaliado pelos hóspedes anteriores, em sites como Booking, Tripadvisor e AirBnB. O importante é estar ciente sobre as regras: confirme se existem políticas de horário e barulho, se precisará levar sabonete e toalhas, etc.
  • Se ficar em hostel, cheque se o quarto/banheiro é compartilhado, se o lugar foi considerado limpo e seguro por outros turistas, e se fornece um armário com chave (do contrário, compre um cadeado para sua mala).
  • Dê preferência para locais próximos de transporte público, que ofereçam wi-fi e café da manhã.

Viajar barato: Economias em Restaurantes e passeios

  • Se sua hospedagem não inclui café da manhã, compre algumas comidinhas simples no mercado mais próximo. Ou melhor ainda, faça picnic em um parque. Como em alguns países é comum dar gorjeta até nos cafés, fazer todas as refeições na rua pode sair caro.
  • Aproveite sua visita ao mercado para comprar água e snacks. Assim você evita comprá-los nos lugares mais caros (por exemplo, dentro do barco que está indo pra uma ilha quase deserta).
  • Evite consumir nos pontos mais turísticos: o restaurante do calçadão, a lojinha do museu, etc. O mesmo vale para lojas de aeroporto, com exceção das Duty Free.
  • Aplicativos como Foursquare e Yelp possibilitam filtrar todo tipo de loja, café, restaurante e mercado de acordo com a localização e faixa de preço. Sem contar que trazem avaliações e dicas dos frequentadores. Aquele restaurante pequeno e escondido pode acabar sendo um achado… e uma alternativa melhor do que fast food.
  • Nos EUA, onde alguns restaurantes servem porções enormes, é super normal pedir que o garçom embale a comida restante para viagem. Não tenha vergonha de fazer isso se puder esquentar as sobras mais tarde. Afinal, você ganha duas refeições pelo preço de uma.
  • Muitos países na Europa – Itália e Inglaterra são dois bons exemplos – cobram BEM mais caro para comer no restaurante do que comida para levar. Para economizar, vale pedir “To Go” e escolher um lugar bem bonito para devorar.
  • Pesquise por atividades grátis ou baratas na cidade onde você vai estar. Nos sites das prefeituras é possível encontrar eventos públicos como shows, performances, exposições e feirinhas de rua (os chamados farmers’ markets), isso sem falar nos sites locais que oferecem sugestões de atividades e passeios baratos, em San Francisco o Fun and Cheap SF é sempre uma boa pedida.
  • Alguns museus têm entrada gratuita. Outros oferecem 1 dia gratuito na semana; programe sua agenda com base nisso.
  • Veja se os lugares que você quer visitar não oferecem combos de desconto – Veja por exemplo o SF City Pass e o NY City Pass – ou descontos online.

Viajar barato: Dicas de transporte

  • Antes de alugar um carro, avalie também os custos de estacionamento (muitos hotéis cobram – e caro – pelo privilégio de estacionar o carro) e as limitações para beber álcool. Muitas vezes, não vale a pena.
  • Organize seu roteiro por bairro/região. Assim fica mais fácil usar transporte coletivo, bicicleta e caminhada. Coloque seu trajeto no Google Maps e descubra quais linhas de ônibus e metrô deve pegar.
  • Em vários países, os táxis cobram gorjetas de no mínimo 15%. Prefira serviços mais baratos como Uber e seu concorrente Lyft. Se estiver em até 2 pessoas, você ainda tem a opção de usar as versões de carona compartilhada (Uber Pool e Lyft Line), que permitem dividir a corrida com outros usuários na mesma vizinhança. Entenda como funciona nesse link.

Compras baratas

  • Antes da viagem, tenha uma lista das coisas que realmente precisa ou quer muito comprar. Pesquise preços na internet para ganhar um bom parâmetro de comparação entre lojas e marcas na cidade que está visitando.
  • Em sites que fazem entrega rápida e barata, como a Amazon, vale a pena comprar online e enviar para o endereço onde estiver hospedado (ou de algum contato que tiver na cidade). Você economiza dinheiro e tempo. Só confira antes se o hotel não cobra taxas para receber as encomendas, essa é uma prática cada vez mais comum em Orlando.
  • Se realmente não puder gastar com compras (ou se não confia nos seus instintos), evite shoppings e bairros muito comerciais. Mesmo que isso signifique se separar do grupo quando a programação incluir aquele outlet gigante.
  • Se estiver buscando por roupas e bolsas de marca, considere visitar brechós (ou thrift stores). Algumas lojas como a Crossroads, na Califórnia, vendem peças atuais, com pouco tempo de uso, por até ¼ do preço original.
  • Na hora de comprar presentinhos ou coisas para a casa, dê uma chance às dollar stores – como são chamadas as ‘lojas de R$1,99’ nos EUA. O preço delas varia: em algumas os produtos custam menos de U$20, em outras chegam a custar só U$0,99 (como na rede 99 Only, da California). Você pode encontrar roupas básicas, itens de cozinha, festa, papelaria, acessórios de praia, doces e até cosméticos. Da mesma forma, o supermercado Trader Joe’s (nas principais capitais dos EUA) tem comidinhas, bebidas e cosméticos com preços ótimos e embalagens lindas.
  • Se o seu foco for decoração, a IKEA é uma ótima opção nos EUA e Europa. Só lembre de levar sua própria sacola (as da loja são cobradas à parte, como forma de baratear os produtos).

E aí, curtiu as dicas da Júlia para viajar barato?

Veja também:

Sobre a Júlia:

Publicitária paulista, Júlia se mudou para Nova York ‘de mala e cuia’ a convite de uma agência. Depois de um ano intenso na Big Apple, decidiu fazer as malas mais uma vez e mudar para Los Angeles, onde atualmente está curtindo um ano sabático de muito sol, yoga, leitura… e churros com sorvete.

About author

mari vidigal

Viajante incansável, daquele tipo que no meio de uma viagem já está pensando na próxima, na próxima e na próxima. Apaixonada por fotografia, natureza e vinhos

No comments

Veja também

Paris: Igreja Madeleine

Inaugurada em 1842, depois de 80 anos de construção a igreja Madeleine é uma dessas surpresas bonitas que Paris te reserva. Digo surpresa, por que ...