Dicas para viajar grávida

0
Viajar grávida

Descobriu que está grávida poucos dias antes de viajar? Já está grávida de uns meses e está indo fazer uma viagem mais longa? Calma, não é motivo de pânico e muito menos motivo para cancelar a viagem, você só precisa tomar alguns cuidados básicos com a sua saúde e a do bebêzinho que está por vir. Nesse post divido com vocês tudo o que aprendi durante a gravidez do Antonio, e que podem te ajudar a viajar tranquila e sem grandes preocupações.

Dicas para viajar grávida

Descobri que estava grávida do Antonio dois dias antes da minha viagem para a Europa e quase tive um treco. Primeiro porque eu não tinha a mínima ideia sobre nada relacionado a gravidez, e segundo porque era uma viagem longa (6 semanas) com dois objetivos principais que não combinavam nenhum pouco com gravidez: beber vinho e esquiar.

Óbvio que tive que mudar de planos, bem rápido, e me adaptar a minha mais nova realidade: seria uma viajante grávida pelos próximos 8 meses. Durante essa viagem aprendi muito e passei alguns perrengues que poderiam ter sido evitados e que acho que vale a pena dividir com vocês. Mas antes de qualquer coisa…

Lucerna - Suíça

Grávida de poucas semanas em Lucerna, quem vê o sorriso da foto não imagina o tamanho das minhas nauseas.

Ouça seu médico (a) e feche os ouvidos para o mundo

Uma coisa que você vai descobrir logo no início da gravidez é que quando o assunto é maternidade e gestação tem muito expert de meia tijela querendo dar palpite na sua vida e na do seu bebê. A quantidade de informações absolutamente contraditórias é de deixar qualquer mamãe de primeira viagem enlouquecida, e quer saber o que funcionou para mim? A velha regra do “entra por um ouvido e sai pelo outro”. Pelo meu próprio bem e sanidade mental, optei que só ouviria conselhos de duas pessoas: minha médica e minha nutricionista, qualquer outro conselho foi ouvido e gentilmente ignorado, especialmente no quesito viagens.

Essa dica serve para todas as outras desse post, tudo o que escrevi aqui faz parte das minhas experiências e da linha dos médicos que me acompanha, veja o que se encaixa para você e ignore todas as outras dicas desse post.

Viajar grávida: o que pode e o que não pode?

Como mamãe de primeira viagem, eu não fazia a menor ideia do que pode/ não pode numa gravidez. Com o passar dos meses fui aprendendo que essa lista varia MUITO de médico para médico, e que você terá que fazer escolhas (e bancar eventuais consequências dessas escolhas). Minha opção foi confiar 100% na decisão das minhas médicas e parteiras (falei disso aqui) e seguí-las. Eu se fosse você, faria o mesmo.

Cuidados com a alimentação:

  • Carnes Cruas: Não coma nada de carne vermelha (frango, vaca, porco) crua ou mal passada.
  • Peixes com alto índice de mercúrio: Atum, tubarão e peixe espada estão proibidos durante toda a gravidez.
  • Álcool: Sim tem muita gente que defende a tacinha de vinho, ou o “golinho”. Mas na real, tá todo mundo careca de saber que álcool não faz bem, especialmente para um bebê que não tem fígado para digerí-lo. Segundo minha médica: Álcool nem pensar.
  • Queijos não pasteurizados: A maior parte dos queijos que consumimos são pasteurizados. Na europa, é bom ter cuidado.
Uma viagem diferente

Mari Grávida do Antonio

Tomar cuidado/ Evitar:

  • Alimentos crus e vegetais em lugares duvidosos: ter uma dor de barriga grávida é ainda mais desagradavel que fora da gravidez.
  • Alimentos muitos gordurosos & açúcar em excesso: tudo o que você sabe que não faz bem para você, também não faz bem pro bebê.
  • Embutidos & enlatados: mesmo motivo acima.
  • Sushi & peixes criados em cativeiro: Apesar das lendas urbanas exageradas, o sushi não entra na regra da carne crua. Qual o problema de comer sushi então? Primeiro o Atum que não pode, e segundo é que o Salmão que comemos no Brasil é criado em cativeiro e recebe altas doses de antibiótico para não morrer com seus amiguinhos doentes. Esse antibiótico em excesso vai direto pro coitado do bebê. Caso queira muito comer um peixinho cru, opte por peixes frescos pescados e não criados em cativeiro.

Atividades físicas

A recomendação da minha médica foi eliminar todas as atividades mais arriscadas (exemplo esqui) e atividades de contato (lutas marciais, basquete e etc.), além de proibir o mergulho de cilindro.

Muitos médicos recomendam que atividades físicas mais intensas sejam evitadas durante os três primeiros meses, mas quem já está acostumado com essas atividades, pode continuar fazendo, desde que respeite os limites do seu corpo – que vão mudar – e que interrompa a atividade ao menor sinal de dor ou desconforto.

De qualquer forma se manter ativo -seja caminhando, nadando, pedalando – ou praticando atividades como Yoga, Pilates e etc… é SUPER importante para uma gravidez saudável.

O que não pode? Começar algo novo ou que seu corpo não esteja acostumado, sem a autorização do seu médico. E como tudo na vida, não exagere!

Carregar peso

Outro cuidado importante para quem vai viajar – e no dia a dia de uma grávida – é evitar carregar peso. Eu que havia acabado de comprar uma mochila nova, acabei indo viajar de mochila, mas me arrependo, carreguei peso desnecessário e meu corpo sentiu (muito mais do que eu podia imaginar). Hoje teria viajado com uma mala bem leve de rodinhas (dessas que dá para empurrar com dois dedinhos).

No avião, não tenha vergonha em pedir ajuda para levantar sua mala de mão (por mais levinha que esteja) para o primeiro homem que aparecer. Afinal, para que fazer esforço à toa.

Hot Tub

Uma coisa que aprendi durante a gravidez é que gestar um bebê e aquela água maravilhosa das Hot Tub europeias não combinam. Isso porque a Hot Tub aumenta a temperatura do seu corpo, o que pode gerar um bebê com problemas. Na dúvida, não custa nada passar longe, custa?

E banheira pode? Pode desde que não seja fervendo de quente. Como a água da banheira vai esfriando aos poucos, ela não chega a mudar a temperatura do seu corpo. E cá entre nós, nada melhor para aliviar as dores no corpo do que um belo banho de banheira.

Viajar grávida: Dicas pra durante a viagem

Para evitar o enjôo

Leve um remédio receitado pela sua médica

Um vacilo que cometi foi não levar nenhum remédio para enjoo, não achei que fosse precisar (e vocês não tem ideia o quanto eu passei mal) e o quanto eu sofri durante as viagens de trem. Geralmente não enjôo com transporte, mas passei mal a beça! Eu se fosse você passaria no médico antes da viagem e pegaria uma receitinha por precaução. Se não precisar melhor, mas se precisar, tá na mão!

Coma algo de duas em duas horas

Especialmente nos primeiros meses de gravidez, é importante manter o estômago sempre cheio. Tente diminuir a quantidade de comida nas refeições e comer muito mais vezes. Eu passava muito mal ao acordar até começar a ter biscoitos de água e sal no criado mudo. Antes mesmo de levantar, mandava ver três deles. Acordei com fome no meio da noite. Água e sal. O estômago começou a reclamar, água e sal. E santo água e sal, viu?! Me salvou de poucas e boas.

Cítricos serão seus melhores amigos.

Além do biscoito água e sal, alimentos cítricos (limão, laranja) são ótimos para reduzir a sensação de náusea. Tomei dezenas de copos de limonada sem açúcar e nos piores momentos cheguei a chupar limão como se fosse laranja. Laranjas e tangerinas também ajudam e são bem mais gostosas que o limão, eu se fosse você teria sempre umas duas na bolsa. Outro bom amigo é o gengibre! Abuse dele!

Descubra e evite o que te cai mal

Sou uma formiga que adora doce, mas nos três primeiros meses de gravidez, não consegui comer absolutamente nada doce. Sempre que comia algo, passava mal. Até que resolvi ser esperta e não comer mais doces. Bingo!

Siga seus instintos

Falando em fazer bem ou mal é impressionante como os instintos não falam e como seu corpo pede o que preciso. Geralmente sou intolerante a lactose e durante as primeiras temas de gravidez, tudo o que eu queria comer era queijo e iogurte. Mandei ver e nunca tive o menor sintoma de desconforto estomacal que geralmente sinto. Depois disso veio a vontade de comer carne vermelha, algo que evito e não costumo comer no meu dia a dia, e que me caiu maravilhosamente bem. Assim seguindo os pedidos do meu corpo, fui aprendendo a conviver com a gravidez passei cada vez menos mal.

Tome muita água e vitamine-se

A maior parte dos médicos indica um complexo de vitaminas durante a gravidez, antes da viagem consulte seu médico e veja o que ele recomenda. Eu tomei um complexo muti vitaminico de pré natal + vitaminas que deram baixas no meu exame de sangue. A vitamina vai ajudar a te manter com a resistência alta durante climas mais frios, ou depois daquele ar condicionado terrível do avião.

E claro, tome MUUUUITA água, muita mesmo. É bom para o bebê e ótimo para você!

Viajar grávida: Cuidados com a circulação

Durante viagens de avião evite passar muitas horas sentado. Levante, de voltinhas pelo corredor (sem medo de ser feliz) e faça alongamentos. Grávidas tem chances maiores de terem problemas de circulação durante o vôo. Não vale a pena arriscar.

Respeite seu corpo

Uma coisa que eu não fazia ideia antes de engravidar, é o quão cansativo é produzir um bebe. Juro. Durante os primeiros meses sentia muito sono e muito pouca disposição para fazer longas caminhadas (algo que geralmente amo de paixão). Me sentia a pessoa mais fora de forma do mundo (embora um mês antes houvesse subido a maior montanha dos EUA) e demorei um pouco em perceber que teria que diminuir o ritmo e não abusar do meu corpo.

Aos poucos me conformei com minha nova realidade, incorporei siestas nos meus roteiros e o fato de anoitecer mais cedo no inverno para voltar para o hotel e descansar. Mudou meu humor e melhorou minha viagem, 1000%.

Viajar grávida

Grávida de pouco mais de 6 meses no Havaí. Na época achava minha barriga imensa. Rs (Não tinha nem ideia do potencial de crescimento do bebê)

Viajar grávida

Algumas semanas depois em Portland. Mesma camiseta e barrigão BEM mais avantajado.

E se tudo der errado?

Experimente outras estratégias, mude os planos, mude a rotina e cuide-se bem por que logo logo vem aí um serzinho lindo que precisará de você como nunca. Não tenha medo de ser a chata do grupo ou dizer para seu parceiro que não aguenta sair para jantar, ou que não quer fazer o passeio x.

E não, nem pense em cancelar a viagem, gravidez não é doença e nem motivo de medo, gravidez é um momento lindo e se você souber deixar de lado as pressões e viver o seu momento irá aproveitar e muito.

Viajar grávida

A pessoa que tirou a foto escondeu minha barriga. É… acho que eu parecia mais gorda do que grávida e a pessoa quis quebrar meu galho 😛

Ah, e posso dar uma última dica? Tire muitas fotos! Você vai sentir falta desse momento e seu filho vai amar saber que ele viajou para X,Y,Z antes mesmo de nascer!

Beijo carinhoso e uma ótima gravidez!

Mari

gravidez

About author

mari vidigal

Viajante incansável, daquele tipo que no meio de uma viagem já está pensando na próxima, na próxima e na próxima. Apaixonada por fotografia, natureza e vinhos

No comments

Veja também

Londres! (PARTE 1)

A Amanda acabou de voltar de uma incrível cruzeiro pela Europa. O cruzeiro saiu de Londres percorreu alguns países escandinavos como Dinamarca, Suécia e Finlândia e chegou até ...