O nascer do sol no Monument Valley – A nossa experiência

3
Nascer do sol no Monument Valley

Conheça o Monument Valley em Utah,  saiba como visitá-lo e veja como foi a nossa experiência durante o nascer do sol no Monument Valley!

O nascer do sol no Monument Valley – A nossa experiência

O Monument Valley, em Utah, é uma reserva tribal dos índios Navajo, um desses cantinhos fotogênicos que encantam desde a primeira olhada e que ficam na memória pra sempre (mesmo.) Juro que de perto o vale é ainda mais impressionante que nas telas de cinema.

Monument Valley no Cinema

E falando em cinema, os fãs de cinema de plantão rapidamente irão associar Monument Valley ao filme Forest Gump, De volta para o futuro e a dezenas de outros filmes de Hollywood. É que o lugar caiu nas graças do cineasta John Ford, e posteriormente de vários outros cineastas, que produziram dezenas de filmes por lá (veja aqui uma lista dos principais filmes no Monument Valley).

Roadtrip pelos parques nacionais de Utah e Arizona

Sol se ponto no ponto onde Forest Gump fez sua corrida, do lado de fora do parque

Eu que não sou tão ligada em cinema, mas que sou fascinada por rochas e paisagens do deserto, estava intrigada para conhecer o vale e fotografá-lo com calma. Essa nossa viagem pelo deserto de Utah, foi a desculpa que faltava para incluir o MV no nosso roteiro! E quer saber? Foi HIPER especial. Neste post dividirei com vocês a nossa experiência no Monumen Valley e contarei detalhes do tour que fizemos para ver o nascer do sol. Pronto para se encantar?

Por que decidimos fazer o tour?

O Monument Valley tem uma estrada principal que dá acesso a um centro de visitantes com um mirante bem bonito e uma lojinha. Mas para passear de verdade e aproveitar as melhores vistas de lá, é preciso encarar uma estradinha de terra batida, a Valley Drive, são 17 milhas de paisagens especiais.

Nascer do sol no Monument Valley

As três irmãs, uma das paradas lindas do caminho

Quem viaja de carro pode explorar o Monument Valley por conta própria (você receberá um mapinha na entrada) ou optar pelos tours guiados . Mas não se assuste, a estradinha de terra é MUITO superior as estradas de terra do interior do Brasil.

Quem viaja de Motorhome (como era nosso caso!) não pode acessar a estrada e precisa necessariamente contratar um tour.

Tours disponíveis

Há uma série de agências locais que oferem tours variados pelo Monument Valley. Nós seguimos a dica da querida Alê Fratus do blog Tô pensando em viajar  e escolhemos a Goulding’s, uma hospedaria tradicional da região que faz alguns tours pelo Vale.

Roadtrip pelos parques nacionais de Utah e Arizona

Caminhãozinho do nosso tour

O tour mais popular da Gouldin’s é o Tour básico, um giro de 2 horas e meia por alguns dos principais mirantes  que inclui uma demonstração de tecelagem no início do tour. Para quem quer um tour mais detalhado e quer ter a chance de acessar locais restritos, há o Tour Deluxe que inclui todas as paradas do tour básico além de paradas especiais e dura 3 horas e meia.

Pra quem tem o dia todo, há um tour de dia inteiro, que inclui visita ao local onde os índios Anasi viviam, um giro completo pelo Monument Valley e uma hamburgada de almoço. E também há tours especiais durante o nascer, o pôr do sol e durante as noites de lua cheia (eu tive o privilégio de prestigiar a Lua Cheia no vale, e digo é especial!)

O que escolhemos?

Já viram que opção de tour é o que não falta, né?! A dificuldade (pelo menos a nossa) foi escolher um desses tours. Depois de matutar um bocadinho, optamos pelo tour do nascer do sol. Amo as cores da manhã,as possibilidades fotográficas do amanhecer, e também gosto da preguiça alheia (o povo fica com preguiça de acordar cedo enquanto eu aproveito e fotografo lugares lindos e vazios.)  Assim, escolhemos fazer o tour do nascer do sol no Monument Valley, e que acerto!

O Tour “O nascer do sol no Monument Valley” custa $80 dólares por pessoa ( é um pouco salgado, mas infelizmente todos os tour no território Navajo são caros). Vale falar que o ingresso do tour isenta o pagamento da taxa de entrada no Monument Valley!

Nascer do sol no Monument Valley

Sol nascendo no Monument Valley

O nascer do sol no Monument Valley: A nossa experiência

Era uma noite de lua cheia quando deixamos o calor dos nossos cobertores para encarar o frio do comecinho de inverno . Sabe essas luas que enchem o céu de luz e deixam tudo com ar de encanto? A lua foi nossa companheira nas primeiras horas do dia enquanto tomávamos um café da manhã rápido e nos dirigiamos ao Goulding’s, uma das hospedarias mais tradicionais do Monument Valley e ponto de partida do nosso tour.

Nascer do sol no Monument Valley

Sol nascendo no Monument Valley

Éramos nós 5 (Gu, meus sogros, baby Tom e eu) encapotadíssimos na parte traseira de um caminhãozinho parrudo preparado para aguentar a estrada de terra batida do Monument Valley, e um guia Navajo entendido, o Leeland, que ia nos contando detalhes da história da sua tribo e como o Cineasta John Ford se encantou pelo Monument Valley e gravou tantos filmes por lá.

Saímos uns dez minutos mais tarde que o previsto (6:40 da manhã para ser exata) e aos poucos a luz do dia ia dando o ar da graça enquanto o Leeland ia narrando um a um o nome das rochas, que em inglês são chamadas de “Mesas” ou “Butte” – dependendo do formato, palavras na língua navajo e algumas pequenas histórias.

Nossa primeira parada foi no mirante do centro de informações que fica aos pés do Centro de visitantes do Monument Valley e tem vistas lindas. Falando em mirante esse é o principal ponto de visitação do Vale, e quem não tem coragem de encarar a estrada de terra acaba ficando por alí mesmo.

Nascer do sol no Monument Valley

Nós: Gu, eu e Baby Tom

Além do Centro de Informações, há um hotel, o The View e uma lojinha com souvenirs e artesanatos Navajo. “Tirem fotos rápido, mas não demorem muito que quero levar vocês para um cantinho mais especial para o nascer do sol, nos orientou Leeland”.

Nascer do sol no Monument Valley

Monument Valley visto do centro de visitantes

The Mittens

Dito e feito, minutos mais tarde estávamos na parte baixa do Monument Valley esperando o sol nascer em meio aos Mittens, duas formações rochosas batizadas em homenagem a forma como os esquimós protegem suas mãos durante o inverno deixando o dedão separado do resto da mão para não perder a mobilidade.

Pouco antes do nascer do sol as nuvens ganham uma tonalidade rosada, o fenômeno dura poucos segundos, mas é lindo d+.

Nascer do sol no Monument Valley

Nuvem rosada e um dos Mittens

Nascer do sol no Monument Valley

Sol nascendo e os The Mittens

As três irmãs

Assim que o sol nasceu, subimos no caminhãozinho e seguimos para a segunda parada oficial do dia, “As Three Sisters (3 irmãs)”, batizadas graças a semelhança das rochas com freiras católicas. A sombra matinal, e a lua cheia deixaram as irmãs ainda mais bonitas.

Nascer do sol no Monument Valley

The three Sisters

The Windows

Roadtrip pelos parques nacionais de Utah e Arizona

North Window – Monument Valley

Dali seguimos para um dos cantinhos mais fotogênicos do parque, as janelas norte e sul, duas vistas caprichadas e que ficam especialmente lindas durante o comecinho da manhã. UAU! Só estas duas vistas já valem o passeio, mas de quebra vimos outras formações legais e com nomes alto explicativos como “o Elefante e o camelo”.

Roadtrip pelos parques nacionais de Utah e Arizona

Vista da South Window

Totem Poles

Nossa última parada foi num mirante especial com vista para os Totem Poles, apesar de estarmos contra o sol, a vista foi bem especial.

Nascer do sol no Monument Valley

Totem Poles

Música Navajo

E para fechar o tour, o Leeland parou num cantinho especial, e em meio as rochas avermelhadas e árvores perfumadas de alecrim silvestre cantou para nós uma antiga cantiga Navajo que falava sobre animais. O Leeland não é nenhum cantor, mas a experiência foi bacana e de certa forma nos conectou ao vale.

Nos despedimos da vermelhidão das mesas e Buttes feliz com a experiência, e empolgadas para pegar estrada e seguir para o próximo destino da viagem. Page no Arizona.

E vale a pena fazer o tour?

Foi uma delícia passear pelo vale na companhia de um local e aprender um pouco sobre as tradições Navajo. E quer saber? O fato de termos escolhido o tour em um momento mais vazio (o amanhecer) e termos o privilégio de dirigir quase que sozinhos foi muito especial. O nascer do sol no Monument Valley e as cores do início do dia foram um dos highlights da viagem. Adoramos o passeio.

E precisa mesmo de um tour?

Quem viaja de Motorhome (RV) como nós viajamos, precisa! Como já contei no comecinho do post, a estrada de terra que atravessa o Monument Valley não pode ser acessada por trailers. Acho uma pena viajar até lá e não ver a reserva de perto. O lugar é muito lindo e pra lá de fotogênico

Monument Valley

The Tumb, uma das formações do Monument Valley

Quem está de carro pode sim pegar o mapinha na entrada e percorrer o Vale por conta própria. A única desvantagem dessa alternativa é não ter as explicações do Leeland. Para entender mais sobre o local, dê uma pesquisadinha básica na internet antes do passeio. De resto, vá feliz.

Para explorar por conta própria

A entrada no Monument Valley custa $20 por veículo para até 4 pessoas. Cada pessoa adicional custa $6,00. Passada a guarita de entrada, retire seu mapinha e dali é só seguir pela estrada de terra em direção aos principais mirantes!

Para quem tem mais tempo vale incluir o Gooseneck State Park, o chapéu Mexicano, e o Valley of Gods na jogada.

Como chegar?

O Monument Valley fica na fronteira de Utah com o Arizona, no Google maps, basta procurar como Oljato Monument Valley (veja o mapa abaixo).

Principais distâncias

  • Las Vegas: 645 Km
  • South Lake City: e a 620 Km
  • South Rim do Grand Canyon: 300Km
  • Page: 215 Km

Obrigada a querida Ale Fratus do Blog Tô pensando em viajar que nos recomendou este tour. Amamos!

A Mari fez o passeio a convite do Gouldin’s. Todas as descrições e opiniões desse post refletem a nossa experiência no Monument Valley.

About author

mari vidigal

Viajante incansável, daquele tipo que no meio de uma viagem já está pensando na próxima, na próxima e na próxima. Apaixonada por fotografia, natureza e vinhos

3 comments

Post a new comment

Veja também