Viajando com bebês: A pseudo catapora do Tom

3
Pseudo Catapora

Um dos maiores tapas na cara que a maternidade me deu foi a imprevisibilidade da coisa, num dia está tudo bem e no outro… PUM. O bebê acorda indisposto, é dente saindo, ou aquela febre inexplicável que brota do nada (e olha que eu tenho sorte e o Tom só ficou doente duas vezes) ou o pequeno resolve que só quer peito e mais nada. A primeira vez que o Tom ficou doente foi na véspera de uma viagem para o Brasil (nesse post contei o drama das minhas 16 horas de viagem controlando a febre do pequeno, isso tudo, claro depois da pediatra dizer que ele estava bem pra viajar). A segunda viagem quase cancelada (o Brasil não foi pro saco por MUITO pouco) foi o primeiro camping do pequeno no Yosemite Park, um lugar que vamos bastante e que fica a cerca de 3 horas de casa.

Viajando com bebês: A pseudo catapora do Tom – sobre viagens e mudanças de planos

Qualquer viagem de camping exige um setup mais complicadinho com uma lista de compras recheada de itens, barraca, sleeping bag, e uma infinidade de coisinhas bem fáceis de esquecer e que na hora do vamos ver, fazem uma falta danada. Quer dois exemplos matadores? Saco de lixo e esponja para lavar pratos! Tenta acampar sem esses caras! Rs

Pra agilizar a nossa saída na sexta feira, deixamos o carro cheio com todos os itens na quinta a noite, e na sexta feira a ideia era só colocar as comidas, dar jantar para o Tom, tomar um banho e zarpar.

O dia da viagem

A meta do Gu era sair do trabalho o quanto antes para agilizarmos a saída, mas sabíamos que ele dificilmente sairia antes das 17:00. E foi o que aconteceu.

As 17:15 fui busca-lo no trabalho, passamos para comer uma pizza rápida (achamos que seria melhor do que sujar louça em casa) e começamos a fechar as últimas coisas viagem: comidas no isopor, gelo no saquinho e assim por diante. Quanto estava tudo quase pronto fui dar banho no baby Tom, e assim que tirei a roupinha quase caí pra trás: bolinhas vermelhas, muitas delas e por todo o corpinho: CATAPORA, pensei! E como raios não vi isso antes!

Preocupada, levei o baby peladinho até o Gu e ele também achou que fosse catapora. Viagem cancelada, pensamos, ligando rápido para avisar um casal de amigos que ia com a gente antes que o celular deles perdesse o sinal. No Yosemite a internet não pega, e eu queria ter certeza que eles soubessem que MUITO provavelmente não iriamos antes da internet morrer. Eles ficaram chateados com a situação e preocupados com o Tom (e nós preocupados que fosse dar algum pepino na chegada deles: as reservas estavam no nosso nome, isso sem falar que tínhamos metade da comida com a gente. 🙁 )

Um pouco mais sobre a pseudo catapora do Tom

Antes de vocês me rotularem de doidona, preciso contar que a suspeita da catapora não veio do nada. A semana anterior a viagem foi um show de horrores: o pequeno teve febre, diarreia e muito chororô, algo que não é normal para o Tom, mas na quarta feira achamos que ele estava 100%, até que… apareceram as benditas bolinhas.

Respira fundo

Antes de cancelar a viagem resolvemos dar uma passadinha no pronto-socorro, mesmo porque, eu Mari nunca tive catapora e se o pequeno tivesse dodói, o Gu teria que tirar uma semana de “sick leave” (afastamento por doença) do trabalho para cuidar dele. Morri de dó de pensar na situação, seria péssimo. Detalhe que seguimos para o pronto-socorro com o carro cheio, vai que a doutora libera a viagem!

Passadinha no Pronto-Socorro

Chegamos no pronto-socorro infantil, falamos da suspeita de catapora e a galera (que morre de pavor de doença contagiosa aqui nos EUA) tremeu na base. 10 minutos depois nos comunicaram que a doutora de plantão estava grávida e não poderia ver o Tom. Achamos o fim da picada! Como assim a médica de plantão do pronto-socorro não pode ver criança doente? Tem algo errado aí!

Fomos para o segundo pronto-socorro que graças ao aviso do primeiro já estava nos esperando. Tivemos que esperar- apenas 3 minutinhos – do lado de fora para não correr o risco de infectar outras crianças. Poucos minutos depois a médica de plantão examinou o Tom, e descartou a catapora. “Quando ele tomou as vacinas de um ano? “ Ela perguntou. “Há dez dias atrás” – respondi. E ela rapidamente completou: “Reação da vacina, deve desaparecer nos próximos dias e até lá, pode ser que dê um pouco de coleira”.

O Gustavo que já estava cansado de uma semana bem intensa de trabalho já havia decretado o final da viagem, segundo ele era muito perrengue pra pouca diversão, mas o diagnóstico positivo da médica levantou seu ânimo de forma mágica, e ele declarou, “vamos para o Yosemite?” Mas já eram 9:30 da noite, baby Tom que geralmente dorme as 6:30 estava pra lá de Bagdá de cansado, saindo naquele momento chegaríamos lá de madrugada e ainda teríamos que montar barraca, me pareceu loucura. “Vamos dormir em casa e amanhã sairemos bem cedo”, sugeri. E ele concordou.

Rumo ao Yosemite

O carro dormiu cheio e nós prontos para sair. Assim que o Baby Tom deu a chorada típica das 5:00 da manhã (ele acorda pra mamar e volta a dormir) levantamos e demos a mamadeira para ele já no carro. Pouco mais de três horas depois chegamos ao Yosemite, famintos para o café da manhã e animados para curtir o primeiro camping do Tom. Nossos amigos que não sabiam se iríamos ficaram felizes da vida, e nós também!

pseudo catapora

De barracas armadas: repare o Baby Tom saindo pela portinha

E sabe o que esse viaja-não viaja- viaja me mostrou?

Viajar com uma criança pequena é um exercício de adaptabilidade e flexibilidade, os planos sempre podem mudar e nós temos que estar prontos para uma mudança no último segundo. Também percebemos que o desgaste de uma viagem de final de semana com bebê é tremendamente maior, e que tudo demora dez vezes mais. Pra viagem funcionar bem é preciso diminuir as expectativas e curtir cada segundo do jeito que der e sem muitos planos. Ao invés de 3 ou 4 paradas no Yosemite como fazíamos antigamente, fizemos um passeio por dia, e foi bem gostoso.No final das contas amamos o nosso acampamento – e pode deixar que contarei tudo sobre ele no próximo post – e achamos que todos os perrengues valeram a pena!

pseudo catapora

No Yosemite Park com o amigo Luca

E quanto a catapora: UFA! Que sorte que não era!

E você?

Algum perrengue de viagem pra dividir com a gente?


Viaje sem stress

✅ Reserve seus hotéis com a gente!


Para ficar por dentro de todas as novidades do Ideias na Mala, siga nosso instagram!

About author

mari vidigal

Viajante incansável, daquele tipo que no meio de uma viagem já está pensando na próxima, na próxima e na próxima. Apaixonada por fotografia, natureza e vinhos

3 comments

  1. Beatriz 26 julho, 2017 at 00:33 Responder

    Caramba! Que bom que vcs não desistiram da viagem, e melhor ainda que não era catapora kkkk tadinho!
    Estou doooooida pra acampar no Yosemite. Aliás, eu estou doida pra fazer várias viagens que tem aqui no seu blog!!! 😂

Post a new comment

Veja também