Roteiro de 2 dias em Portland (Oregon)

4
Roteiro de 2 dias em Portland

Esse é um roteiro de 2 dias em Portland que combina um passeio pelas atrações turísticas de Portland com dicas gastronômicas e um giro pelas cachoeiras do desfiladeiro do Rio Columbia incluindo a Multonamah Falls. Pronto para se encantar?

Roteiro de 2 dias em Portland (Oregon)

Há dois anos que Portland brincava de sair e entrar nos nossos planos de viagem. A ideia era fazer uma Road Trip caprichada pelo Norte da California, subindo de San Francisco para Mendocino, Eureka, Crescent City, Portland e terminando em Seattle. Só que nos últimos anos só temos conseguido férias mais longas durante o inverno, o que definitivamente não é uma boa época para viajar pelo norte dos Estados Unidos, já que essa é a estação das chuvas – e da neve.

Assim, dividimos a viagem em pedaços. Primeiro fizemos a Costa Norte da Califórnia até Eureka (veja todos os detalhes nesse post) – que por sinal é uma viagem INCRÍVEL, no último final de semana visitamos Portland e deixamos Seattle para uma próxima viagem. Nesse post dividirei com vocês todos os detalhes do roteiro, incluindo muitas dicas para quem planeja fazer algo parecido. Vem comigo?

Highlights da viagem:

  • Gastronomia em Portland: Cervejarias & Restaurantes
  • Jardim Japonês do Washington Park
  • Columbia River Gorge: Que passeio incrível!

Roteiro Resumido:

  • Dia 1: Centro de Portland, Water Front & Washington Park
  • Dia 2: Columbia River Gorge & Mount Hood Scenic Highway

E dá para conhecer Portland em 2 dias?

Sim e não. Portland é uma cidade relativamente pequena e fácil de visitar. O transporte público funciona bem, e as principais atrações turísticas e cervejarias ficam pertinho deu centro. Ou seja, em dois dias dá para conhecer BEM a parte central de Portland e se esbaldar nas cervejarias e restaurantes da cidade.

Roteiro de 2 dias em Portland

Centro de Portland

Mas… além das atrações que estão dentro da cidade, as aforas de Portland estão repletas de lugares lindos: cachoeiras, montanhas, vinícolas e mais cervejarias. Ou seja, 2 dias é BEM pouco tempo para o combo Portland + Arredores, mas já é um começo. Eu gostaria de ter tido 3 dias e pularia de alegria com 4, mas com 2 dias já deu para sentir a vive da cidade e sair de lá com gostinho de quero mais.

Roteiro detalhado

Chegamos em Portland sem muitos planos e com um montão de dicas de restaurantes e cervejarias. Tudo indicava que nosso final de semana seria de muita comilança e poucas andanças, mas acabamos equilibrando bem as duas coisas. Nossa ideia era passar o primeiro dia no centro da cidade – sem grandes compromissos – e caso ficássemos com vontade, alugaríamos um carro para no segundo dia visitar a Multonamah Falls (cerca de 30 minutos de carro de Portland). Deixamos todo o planejamento do segundo dia para decidir na noite do primeiro, e que saber, foi um ótimo plano!

Dia 1: Passeio pelo Centro de Portland

Paradas do dia 1:

  • Brunch no Screen Door
  • Saturday Market & Water Front
  • Livraria Powell
  • Cervejaria Deschutes
  • Jardim Japonês
  • Jardim das Rosas
  • Sorveteria Salt & Straw (Nob Hill)
  • Food Carts do centro de Portland

Saímos de San Francisco no sábado bem cedo (embarcamos às 6:20 da manhã), o que era BEM mais barato do que voar na sexta a tarde e voltamos na segunda cedo ( que denovo fazia muito mais sentido que voltar no domingo a noite) via San José – no Vale do Silício – que é o aeroporto mais perto de onde moramos.

Quanto tempo demora e quanto custa a viagem entre San Francisco e Portland?

A viagem entre San Francisco e Portland dura cerca de 1 hora e 20 minutos, e se você comprar a passagem com antecedência, encontra bilhetes por 50-60 dólares. O bilhete não promocional custa entre 100-120 dólares dependendo do dia da semana e do horário (nos horários de pico, pode custar bem mais). Nós voamos de Alaska e aproveitamos para liquidar umas milhas que estavam perigando de caducar.

Chegada em Portland – Como chegar do aeroporto ao centro?

O aeroporto de Portland fica há cerca de 20-40 minutos do centro da cidade (dependendo do tipo de transporte escolhido) e está acessível por tram (bondinho elétrico), Shuttle ou automóvel.

Preços & tempo de viagem:

Max Light Rail (linha vermelha) : 38 minutos | $2,50

  • Conecta a Pionner Square (centro de Portland) ao aeroporto das 4:30 AM às 11:30 PM

Blue Star Downtown Shuttle: 30 minutos | $14,00 (ou $24 ida e volta)

  • Serviço de vans circular que conecta o centro da cidade e principais hotéis ao aeroporto em 30 minutos.

Táxi | Uber | Lyft: 20 minutos | Táxi ~$35 – Uber ou Lyft ~$25

  • Pra quem quer ir direto do aeroporto ao hotel sem nenhuma parada extra.

Como chegamos cedo e estávamos cansados, não pensamos duas vezes e pegamos um Lyft (aplicativo de táxi que mais usamos). A corrida saiu pouco mais de $ dólares e nos deixou na porta do restaurante onde havíamos planejado tomar nosso primeiro brunch.

Brunch Caprichado no Screen Door

“Fique na fila mesmo se estiver chovendo” nos disse a amiga que recomendou o Screen Door, um restaurante de brunch hiper popular (e lotado) em Portland. Confesso que frango frito – o carro chefe da casa – não é dos meus pratos preferidos e que geralmente me recusaria terminantemente de ficar na fila para comer frango frito, mas ela falou tão bem, que fiquei curiosa e resolvi experimentar.

Screen Door - Portland

Frango frito com Waffle

O Screen Door abre às 9:00 (aos sábados) e nossos planos eram sair direto do aeroporto para lá, e chegar (de mala e cuia #vantagensleve) pouco antes de abrir. E que pena que não conseguimos ser 10-15 minutos mais rápidos, chegamos e a fila já estava grande a ponto de não sentarmos na segunda leva, então esperamos cerca de 1 hora para sentar, o que foi Ok, já que ainda era cedo e não estávamos com fome.

O que pedimos?

O Gu pediu o frango com Waffle, carro chefe da casa e eu pedi um “Cathead Biscuit Sandwich“. Sanduíche de frango frito com molho gravy no pão tipo Biscuit e acompanhado de polenta. Também pedimos o Praline Bacon (outra especialidade da casa e que eu fiquei mega curiosa para provar) – que são tirinhas de bacon frito coberto com nozes do tipo pecam e praline.

Screen Door - Portland

Cathead Biscuit Sandwich

Saímos rolando de comer e não demos conta de 2/3 dos pratos. Daria fácil para ter pedido um deles e dividido. Mas eu não abriria mão das tirinhas da Bacon que estavam divinas.

E o tal do tal do frango frito vale uma hora de fila?

Já falei que não sou nenhuma expert no assunto frango frito, mas o treco tava bom, viu? Gostei da experiência mas prometo não repetir a porpentagem no próximo ano. O combo frito + bacon foi arrasador para meu estômago pouco acostumado a doses brutais de gordura. Mas, pra quem gosta do esporte eu juro que recomendo. Rs.

Check-in | Dica de Hospedagem em Portland

Terminado o brunch, pegamos um Lyft (app tipo táxi) até o Hotel. Ficamos hospedados no centro de Portland (que é uma região ótima para se hospedar e com diversos opções de hotéis). Ficamos no The Westin  (750 SW Alder St) que custou $120 por noite (reservado pelo Hotwire – já testaram o esquema de reservar hotel às cegas? Eu acho super bacana) e atendeu hiper bem nossas expectativas, quarto amplo e confortável, colchão e travesseiros excelentes e um ótimo atendimento.

Chegamos no hotel pouco antes das 11:00 da manhã e eles já nos disponibilizaram um quarto. O que foi ótimo. Estávamos com sono da noite bem dormida e adoramos sonegar uma horinha antes de começar os passeios pela cidade.

Saturday Market (Mercado de sábados) e Water Front

Depois da soneca, chegou nossa hora de passear pelo Centro de Portland. Pelo que vimos, Portland tem um  jeitão de Berkeley (Califórnia) só que muito maior. Pessoas educadas, sorridentes, muitos hippies e muitos doidos. A cada quarteirão éramos surpreendidos por algo engraçado e nos sentíamos de volta em Berkeley (onde moramos dois anos e amamos de paixão).

Roteiro de 2 dias em Portland

Músico no Sunday Market

E falando em gente exótica o Saturday Market tem uma concentração bem alta desses tipos figura, muitos músicos (escutamos MUITA coisa ruim e pouca coisa boa, infelizmente… mas a galera parecia estar se divertindo e no fim é isso que importa) e baraquinhas de comida, bebida (durante o mercado, e nas mediações dele, pode até tomar cerveja na rua – o que geralmente é proibido na cidade) e de presentinhos locais.

Ainda cheios do almoço, passamos bem longe da parte gastronômica do mercado, que parecia fazer o maior sucesso, e concentramos nosso tempo no Water Front – área em frente ao rio Willamette, que está rodeada por um parque e uma ciclovia. Esse foi um dos pedacinhos que mais gostei da cidade, achei o Waterfornt muito gostoso e fiquei com vontade de percorrer a região de bicicleta.

Powell’s Book Store

Dalí seguimos para o Pearl District, um bairro que antigamente era ocupado por grandes galpões e que foi completamente revitalizado. A revitalização atraiu muitos artistas, lojinhas de bairro, cervejarias locais e restaurantes. É sem dúvida um dos cantinhos mais vivos de Portland.

Nossa próxima parada oficial era a Powell’s Book Store (1005 W Burnside St, Portland), um das maiores (e melhores) livrarias independentes, mas no caminho fizemos um pequeno desvio para passar por dentro da China Town, que fora o portão fotogênico na entrada nos pareceu um tanto desanimadinha. Saímos de lá rapidinho.

Roteiro de 2 dias em Portland

Meu paraíso em Portland: Powell Books

O paraíso dos livros

Pra quem gosta de ler e descobrir novos autores, a Powell é um verdadeiro paraíso. Fiquei encantada com a forma criativa como os livros são etiquetados e pirei com as possibilidade de cada um dos andares. O Gu, que não gosta tanto de ler, ficou meio deslocado do programa e logo percebi que não poderia passar a tarde toda alí para não frustrar o coitado. Mas bem que eu gostaria de ter tido tempo de explorar os novos autores -tentei a sorte com um ou dois livros mas a sinopse não valia a pena e acabei saindo de lá de mãos vazias.

Antes de sair, passamos no café da livraria, que é SUPER legal, descolado – e que segundo o Gustavo serve um expresso delicioso. Eu também fiquei contente com minha soda italiana de Blue Berry.

Degustação de cervejas na Deschutes

Portland tem mais de 65 cervejarias artesanais e é famosa por produzir um dos lúpulos de melhor qualidade do mundo. A cultura bebedoura de cervejas faz parte do cerne da cidade e é um programa que tanto os locais quanto os visitantes amam de paixão. Há quem passe dias na cidade, trançando de bar e bar e provando cervejas diferentes e nós que curtimos cerveja, não poderíamos deixar de entrar na dança e provar pelo menos uma pequena mostra dessas cervejarias, certo?!

Cervejaria Deschutes - Portland

Degustação de Cervejas das Deschutes

Assim, próxima parada foi a cervejaria Deschutes (210 NW 11h Ave), uma das cervejarias que estávamos com vontade de provar. Nossa ideia era provar uma ou duas cervejarias nesse primeiro dia de viagem, e no segundo, caso escolhêssemos ficar em Portland visitar mais uma porção delas. Mas, acabamos saindo de Portland e o tal do “roteiro da cerveja” vai ter que ficar para uma próxima viagem.

[O fato de eu estar grávida e não poder beber contribuiu para a nossa decisão de deixar as cervejarias para uma próxima. Rs.]

Voltando a Deschutes, a cervejaria é bem grandona e está dividida entre bar – é só aparecer e sentar – e restaurante (dependendo da hora, prepare-se para pegar um fila). Nós sentamos no bar e pedimos uma rodada de degustações com 6 unidades escolhidas por eles. Não provei as cervejas, mas o Gu gostou muito e saiu de lá feliz da vida.

E pra compensar que eu não podia tomar cerveja, pedi um sorvete de creme – o garçom me deu uma zoada “bem de leve” e brincou “deixa eu checar se a gente tem isso”. Antes de me trazer uma bola caprichada de sorvete de baunilha – um dos meus preferidos – servido na concha de chocolates. Não posso falar da cerveja, mas a concha de baunilha valeu a visita ;).

Cervejaria Deschutes - Portland

Meu prêmio de consolação: sorvete de creme com casquinha de chocolate

Rumo ao Washington park

Depois da cerveja seguimos para o Washington park um parque gigante que fica na parte alta da cidade e concentra uma série de atrações turísticas como o Jardim de teste das rosas (International Rose Test Garden), Jardim Japonês (Portland Japanese Garden), o Museu das Crianças (Portland Children’s Museum) além de parquinhos, quadras esportivas e etc…

Andando de ônibus com app

Para chegar lá pegamos um ônibus e fomos surpreendidos pela gentileza do motorista. Como não tínhamos trocado para duas passagens, ele nos deu de presente um ticket de 1 dias inteiro de ônibus pra rodar pela cidade. Ainda tentei pagar pela passagem que eu tinha trocada, e ele não aceitou.

Dentro do ônibus aprendemos que a Trimet (empresa que opera os transportes em Portland) tem um app ótimo e que poderíamos pagar nossos bilhetes – e conferir todos os horários e rotas dos ônibus online. Mais um ponto positivo para os habitantes de Portland.

O ônibus nos deixou pertinho do parque, mas ainda assim tivemos encarar uma bela subida para chegar lá.

Jardim Japonês de Portland

O Jardim Japonês de Portland é MA-RA-VI-LHO-SO. Um jardim bem montado repleto de plantas lindas, flores perfumadas, lagos com carpas e jardins de pedra e musgo. Por dois minutos me senti de volta ao Japão. Lindo D+.

Jardim Japonês de Portland

Cachoeira no final do Strolling Pond Garden

Jardim Japonês de Portland

E olha só elas aí

O Jardim fica num local privilegiado e nos dias claro para para ver o Mount Wood no horizonte. Nós pegamos um dia azul, porém nublado e não vimos a vista, mas ainda assim amamos o passeio.

A entrada custa $9,50 por pessoa, e juro que o passeio vale cada centavo.

Rose Garden

Ao lado do jardim japonês está o Rose Garden. Um conjunto de canteiros de rosas de vários tipos e espécies. Infelizmente estávamos completamente fora de estação e as roseiras estavam puro galho. Achamos um ou outro botãozinho, mas nada aberto. Imagino que no auge da primavera o lugar deva fica um espetáculo.

Roteiro de 2 dias em Portland

Rose Garden de Portland

A entrada no Rose Garden é grátis, e todos os dias às 13:00 a um tour guiado com docentes que conta um pouco sobre as diferentes espécies de rosa e suas características. O Rose garden também tem vistas lindas da cidade.

Terminando o passeio pelo jardim, fomos descendo por dentro do Washignton Park e caminhamos de volta até o charmoso bairro de Nob Hill.

Roteiro de 2 dias em Portland

Não é uma rosa, mas pelo menos vimos alguma flor no jardim 😉

Roteiro de 2 dias em Portland

Botãozinho, uma rosa to be

Passeio por Nob Hill e sorvete no Salt & Straw

Nob Hill (também conhecido como Alphabet Distric – distrito do alfabeto) é um dos bairros mais charmosos de Portland, e sem dúvida o cantinho mais gostoso para caminhar, ver gente e fazer umas comprinhas da cidade.

Roteiro de 2 dias em Portland

Nob Hill em Portland

Chegamos ao bairro graças a uma indicação gulosa de duas meninas que havíamos conhecido na Deschutes, ao me verem tomando sorvete na cervejaria elas disseram que eu precisava visitar a Salt & Straw (838 NW 23rd Ave) o melhor sorvete da cidade. Eu que adoro sorvete, não poderia deixar essa dica passar, poderia?

Salt and Straw - Portland

Salt and Straw, olha só o meu sorvete tomando vida

E o sorvete era realmente delicioso – com direito a uma hiper fila na porta, acho que esse povo do Portland realmente gosta de fila! – e passear pelas ruazinhas do bairro deixou o programa ainda mais especial. O Alphabet District tem uma série de lojinhas de chá charmosas, vários tasting rooms para degustação de vinho (além da cerveja, a região de Portland também tem tradição de servir bons vinhos) e muitas lojas bonitinhas. Taí outro cantinho que merece ser explorado com calma.

Salt and Straw - Portland

O meu sorvete

Food Carts de Portland & Brunch Box

Depois do sorvete, voltamos caminhando para o hotel. Eu estava com sono e resolvi que queria tirar uma pestana antes do jantar. No caminho passamos pelos trailers de comida (que em Portland são chamados do Food Carts) da Alder Street, ouvimos falar hiper bem do trailer que serve queijo quente gourmet, mas como os trailers fecham hiper cedo, não conseguimos jantar por lá.

Roteiro de 2 dias em Portland

Food Cart famoso em Portland

Mais tarde quando decidimos que queríamos sair para comer – algo rápido, pois continuávamos cansados, rs – optamos pelo Brunch Box (620 SW 9th Ave) uma hamburgueria descolada que começou como food cart e prosperou. Os sandubas estavam ótimos e o Gu arrematou a segunda cerveja do dia. Gostoso & Barato, nossa janta custou $17,00 dólares!

Roteiro de 2 dias em Portland

Brunch box Portland

Roteiro de 2 dias em Portland


Decisões para o segundo dia:

Chegando no hotel demos uma pesquisada rápida sobre a região do Columbia River Gorge para decidir se ficaríamos na cidade (havíamos adorado o centrinho, e sem dúvida ainda havia muito o que explorar) ou se faríamos um bate e volta a cachoeira Multonamah. Ao pesquisar aprendemos que a região tem dezenas de cachoeiras lindas e que o circuito voltando pelo Mt. Hood demoraria o dia todo, mas com tantas fotos lindas não foi difícil decidir. Adoramos natureza e estávamos encantados com a ideia de ver tantas coisas lindas.

Aluguel de carro ou excursão?

Há dezenas de passeios de meio dia ou dia inteiro que saem de Portland e exploram a região do Columbia River Gorge, os passeios custam entre $50-150 dependendo do roteiro e tamanho do grupo. O carro, alugado pelo RentaCars.com custava cerca de $23 dólares por dia + $11 de seguro. A gasolina em Portlan custa ridiculamente barato (estou comparando com a Califórnia) e ter o carro com a gente, nos daria liberdade de pararmos quantas vezes quiséssemos. Foi o que fizemos!


 

Dia 2: Columbia River Gorge & Mount Wood Scenic Highway

Acordamos as 9:00 da matina, tomamos um café da manhã rápido no Starbucks ( a gente reclama que a comida é ruim e que o custo benefício é péssimo, mas sempre acaba voltando :P) e fomos buscar nosso carro. Alugamos um Fiesta e levamos um Corola, acho que nos demos bem na troca, não?! 🙂 e de quebra, o cara simpático da locadora nos deu algumas dicas para o trajeto.

Paradas do dia 2:

  • Mirante do Portland Womens Forum
  • Vista House
  • Latourell Falls
  • Shepherds Dell Falls
  • Bridal Veil Falls
  • Multonamah Falls
  • Horse Tail Falls
  • Almoço em River Hood
  • Volta pelo Mt. Hood Scenic Highway
  • Doughnuts no Voodoo
  • Jantar caprichado no Andina

Mirante do Portland Womens Forum

De Portland até a primeira parada do dia, o mirante do “Portland Women’s Fórum” foram cerca de 25 minutos de carro numa estrada bem tranquila e fácil de dirigir. Já quase na chegada, pegamos a Hwy 30 que é a estrada mais cénica e onde passaríamos boa parte da manhã.

Multonamah Falls & Columbia River Gorge

Mirante do Portland Womens Forum

O tempo nublado não ajudou muito, mas as curvas do Rio Columbia e as montanhas ao seu redor já indicavam que seria um dia repleto de paisagem lindas.

Vista House

Dalí seguimos para o segundo mirante da viagem “Vista House”, um mirante construído em 1918 uma uma arquitetura pomposa e vistas lindas 360 graus. O Vista House fica de frente para o Portland Women’s Fórum e a visão é bem diferente. Alí continuamos pela Hwy entrando um impressionante corredor de cachoeiras, uma mais linda que a outra. Nesse trecho, a graça é dirigir devagar e parar sempre que der vontade.

Multonamah Falls & Columbia River Gorge

Vista House

Latourell Falls

A primeira cachoeira do dia foi a Latourell Falls, visível da estrada e bem bonita. Com uma pequena trilha – uns 100-150 metros no máximo é possível chegar até um pequeno mirante e ver a cachoeira do alto. E quem quiser pode fazer uma trilha de 2.4 milhas e chegar até a parte alta da cachoeira. Nós ficamos felizes com vê-la de baixo e seguimos estrada.

Multonamah Falls & Columbia River Gorge

Latourell Falls

Shepherds Dell Falls

Poucos quilómetros a diante, chegamos na segunda cachoeira do dia a Shepherds Dell, completamente escondida pela estrada e muito subestimada pelos viajantes. A trilha, de 300 metros no máximo te leva até a boca da cachoeira. Linda D+. Um dos meus cantinhos preferidos do dia.

Multonamah Falls & Columbia River Gorge

Sheppherds Dell Falls

Bridal Veil Falls

A terceira parada do dia foi na Bridal Veil Falls (Cachoeira véu da noiva). Para vê-la fizemos uma caminhada bem fácil de 900 metros  (com direito a subidinha na volta) e que super valeu a pena. UAU, quantas quedas d’água lindas em um espaço tão pequeno.

Multonamah Falls & Columbia River Gorge

Bridal Veil Falls

Dalí seguimos direto para a Waakenah Falls ignorando uma série de trilhas e possibilidades que haviam pelo caminho e já pensando que precisamos voltar para explorar essa região com calma – e sem um bebê na barriga. Rs

Waakenah Falls

A Waakenah Falls fica a cerca de 900 metros da Multonamah Falls e a grande sacada é estacionar aqui, olhar a cachoeira – que é bem bonita por sinal – e fazer a trilha por dentro (cerca de 900 metros até a Multonamah Falls). A vantagem de fazer essa escolha é não perder tempo ( e a paciência) no estacionamento hiper lotado da Multonamah Falls. Foi a melhor escolha do dia!

Multonamah Falls & Columbia River Gorge

Waakenah Falls (Juro que ao vivo é bem mais bonita que na foto. Rs)

Multonamah Falls

A trilha entre a Waakenah Falls e a Multonamah vai paralela a estrada e não tem absolutamente nada demais, assim seguimos direto e reto para a cachoeira Multonamah, que inspirou a viagem.  E não é que mesmo depois de tantas cachoeiras lindas a Multonamah Falls e seus 189 metros de altura (essa é a segunda cachoeira mais alta dos Estados Unidos perdendo apenas para a Yosemite Falls) são realmente impressionantes?

Multonamah Falls

Multonamah Falls

Fiquei uns 5 minutos abobada olhando pra cima e tentando entender o contorno das águas. São suas quedas, separadas uma da outra por uma piscina de cerca de 3 metros. O cenário fica completo graças a uma ponte de metal – de hiper bom gosto – construída sobre a cachoeira. A caminhada até o alto da ponte é de cerca de 300 metros é tão levinha nem vi passar.


Dica: Trilha pelo Desfiladeiro Oneonta

Entre a Horse Tail e a Multonamah Falls há uma desfiladeiro chamado Oneonta, pelo que vi nas fotos essa é a caminhada mais linda (das fáceis, claro- da região). Mas você terá que caminhar dentro da água (prepare-se para molhar os pés). Fiquei morrendo de vontade de fazer a trilha, mas o juizo, quer dizer, o bebê que vem aí, não me deixou começar a trilha.


Horse Tail Falls

Dali a ideia era seguir direto para Hood River (a fome bateu forte), mas a Horse Tail Falls fica tão perto da estrada e é tão linda que não deu para não parar. Ouvi falar hiper bem da trilha dessa cachoeira. São 800 metros de caminhada para chegar até o topo, mas a fome não me animou a começar.

Multonamah Falls & Columbia River Gorge

Horse Tail Falls

Na saída seguimos direto e reto até Hood River – pra quem tem mais tempo, vale considerar a parada na Becon Rock (que pelo que li, tem vistas lindas do Rio) ou a trilha pelo antigo túnel do Mitchell Point (2,6 milhas)

Almoço em Hood River

River Hood é uma cidade gracinha repleta de pequenos restaurantes, cervejarias e algumas casas de degustação de vinho. A cidade é point para prática de Wind Surf e Kite Surf e serve de base para quem quer explorar a região do Columbia Gorge (desfiladeiro do Rio Columbia) e as trilhas que visitamos esta manhã, e a região do Mount Wood, famosa por abrigar a estação de esqui que abre por mais meses em todos o Estados Unidos Continental e algumas vinícolas bacanas. Um desses lugares gostosos para para dormir um par de noites e explorar a região dos vinhos e das cachoeiras.

Hood River - Oregon

Pizza e cerveja na Double Mountain

Depois de dar um passeio pela cidadezinha procurando um lugar gostoso para comer, optamos pela Double Mountain (8 Fourth Street), uma cervejaria bacana que serve pizzas caprichadas. Comemos uma pizza com muçarela e queijo de cabra que estava ótima e pra acompanhar, o Gu provou e aprovou uma das cervejas da casa.

Volta pelo Mt. Hood Scenic Highway

Voltamos para Portland pelo Mt. Hood Scenic Highway, uma estrada linda que passa em volta da Mt. Hood um vulcão imponente de cerca de 3,400 de altura e que abriga nada menos que 12 estações de esqui e alguns parques em seus arredores.

Mt. Hood - Oregon

Mt. Hood, uma das paisagens do caminho

Um dos lugares mais interessantes para ver o vulcão do alto é o Timberline Lodge, e havíamos planejado parar por lá, mas resolvemos mudar de ideia e seguir para Portland mais cedo para devolver o carro antes do estacionamento fechar e evitar dores de cabeça. (Claro que voltar mais cedo foi ideia do Gu, por mim, teríamos ficado até tarde e feito guerrinha de neve na montanha, mas não posso ganhar todas ;))

Doughnuts no Voodoo

Chegamos em Portland exatos 5 minutos antes do estacionamento fechar! (YAAY) Devolvemos o carro e seguimos para a Voodoo Doughnuts (22 SW 3rd Ave,Portland), uma das esquisitices de Portland que eu estava doida para provar. As filas são gigantes, mas os Doughnuts em formatos exóticos e com recheios mirabolantes valem a espera.

Voodoo Dougnuts - Portland

Nossos Dougnuts

A graça é comprar uma caixa cheia de Voodos, e rodelinhas coloridas, mas tive que me contentar com três unidades: 1 para o Gu e 2 para mim. Eu pedi um Doughnut Voodoo (com formato de Voodoo e recheado de framboesa) e uma rosquinha DIVINA de oreo. O Gu pediu um de chocolate recheado com creme de Portland. Ambos estavam ótimos!

Jantar caprichado no Andina

E para encerrar nossa estada em Portland com chave de ouro, jantamos no Andina, um restaurante Peruano com jeitão metido, música ao vivo e comida caprichada.

Começamos pedindo várias tapas: bolinho de mandioca recheada com Huancaina (um creme de queijo que eu amo), uma Causa (tipo um bolinho) de batata roxa com frango, e um Anticucho (espécie de espetinho) de polvo.

Restaurante Andina - Portland

Nossas 3 tapas

De prato principal pedimos um o Bistec Novo Andino, um medalhão de filet mignon acompanhado de bolinho de milho “humita” (enrolado na própria casca) e um sauté de batatas com vegetais. Adoro comida peruana, e amei nossas escolhas.

Restaurante Andina - Portland

Bistec Novo Andino

De volta para o hotel, deixamos tudo arrumadinho e já pronto para a nossa saída super cedo do dia seguinte. Adoramos Portland e esperamos voltar em breve!


 

E aí, curtiu nosso Roteiro de 2 dias em Portland?

Alguém aí já foi pra Portland e quer contar para nós o que achou?

 

Guarde este post no Pinterest!

Portland

 

 

 

 

 

About author

mari vidigal

Viajante incansável, daquele tipo que no meio de uma viagem já está pensando na próxima, na próxima e na próxima. Apaixonada por fotografia, natureza e vinhos

4 comments

  1. Osvaldo Maldonado 14 julho, 2017 at 20:44 Responder

    Oi Mari. Achei muito bom o seu roteiro e úteis as informações e fotos que você incluiu. Estou programando uma viagem para a região de Portland, na qual vou incluir também Salt Lake City e Denver. Foi uma pena que vc não falou nada sobre o uso de bikes na cidade, que parece ser um recurso muito conveniente. Mas isso não diminui em nada a riqueza de vosso relato. Parabens, Osvaldo

    • mari vidigal 16 julho, 2017 at 17:06 Responder

      Oi Osvaldo,
      Sabe que fiquei morrendo de vontade de fazer o passeio de bicicleta, mas com dois dias tive que fazer escolhas 😛
      Beijos e obrigada pela visita

  2. Cássia 2 fevereiro, 2017 at 00:22 Responder

    Esse roteiro de vocês está simplesmente maravilhoso!!! Em outubro irei para Portland para o casamento da minha irmã e quero conhecer o local e depois descer para conhecer a Califórnia, LA, Las Vegas, etc. E estava procurando um roteiro bacana pra conhecer o máximo de coisas na cidade. Vou “perder” uns dias por causa dos preparativos do casório e, por isso, vou ter menos tempo pra explorar o local. Mas você me ajudaram bastante com esse roteiro! Agora vou procurar mais dicas por aqui hehehe Parabéns pelo blog!

    • mari vidigal 3 fevereiro, 2017 at 04:07 Responder

      Oi Cássia,
      Que bom que curtiu o roteiro!
      Aqui no Blog tem várias dicas legais do Norte da Cali caso você opte em fazer a viagem de carro.
      BEijos e obrigada pela visita

Post a new comment

Veja também