Viajando sozinha: dicas práticas de como começar

19

Desde que escrevi o primeiro post da série Viajando Sozinha, tenho recebido um feedback super bacana de amigas e leitoras. Pelo visto, tem muita gente querendo abraçar a causa, e tentando descobrir as maravilhas de viajar sozinha. Eu apoio e assino embaixo, mas aviso: vá com cuidado, porque uma vez que você toma gosto pela coisa é difícil parar :P. Nesse post divido com você algumas dicas de como começar.

Viajando sozinha: dicas práticas de como começar

A) Escolha um destino fácil

Escolher um destino relativamente fácil de se virar é algo fundamental para a sua primeira viagem solo dar certo. Para começar, faça uma lista dos lugares que você gostaria de conhecer e avalie qual (ou quais) são os mais perfeitos para sua viagem. Caso visite mais de uma país, comece pelo mais fácil e vá dificultando aos poucos. Quer uma solução ainda mais fácil?

Vá visitar amigos

Sabe aquela sua amiga que mora na Holanda? Taí um belo plano para começar a viajar sozinha. Enquanto sua amiga trabalha você tem o dia todo para passear pela cidade, e a segurança de que quando voltar para casa, terá alguém para bater papo. E o melhor, quem sabe sua amiga não se empolga e faz algum passeio incrível com você no final de semana? Só não vale ficar muito tempo para não atrapalhar a vida dela.

Algumas características de um destino fácil:

  • Transporte público eficiente: na sua primeira viagem sozinha, você não quer alugar um carro e nem passar horas a fio sozinha na estrada, quer?
  • Um lugar acostumado a receber turistas: quanto mais preparado o país, mais fácil será sua jornada.
  • Um lugar seguro: para você poder andar por aí sem grandes preocupações
  • Uma lingua que você domina (ou pelos menos tem conhecimentos básicos): Pra você se virar razoavelmente bem sozinha.

 

Barcelona - Ideias na Mala

Espanha é sempre um destino delícia pra viajar sozinha!

E não se engane…

Infelizmente um destino fácil não quer dizer um destino perto. De todos os lugares que já viajei sozinha, a América Latina foi um dos mais desafiadores. É desafiador pelo machismo das pessoas que não estão acostumados a receber mulheres sozinhas e pela (falta de) segurança. Se eu voltaria? Fácil. Mas não recomendo para uma marinheira de primeira viagem.

Minhas sugestões

A Europa concentra a maior quantidade de destinos fáceis para viajar sozinha por metro quadrado do mundo. Comece pela Espanha ou Portugal, e ai vá subindo. França e Holanda também são ótimas escolhas. Londres dá um pouco mais de trabalho, especialmente para quem quer ficar em hostel. Para quem quer algo mais diferente (por incrível que pareça) Tailândia e Camboja são babas de viajar sozinha.

B) Vá aberta a conhecer gente

Um dos maiores desafios de viajar sozinha é a solidão (tcha-nan-nan-nam) se você ainda não esta acostumada a se virar bem sozinha e se bastar (demora um pouco, mas juro que se aprende) você precisa se cercar de pessoas bacanas, e nada mais legal para se cercar de pessoas que um hostel. Eu geralmente reservo meus hostels no hostelworld.com e sou muito criteriosa na escolha. Detesto hostel barulhento ou hostel-balada, mas gosto quando há uma área comum bacana ou um bar. Não reservo  nada com menos de 80% de aprovação, e gosto mesmo é dos 85%-90% (E com pelo menos 200 reviews diferentes)

Viajar sozinha

Sylvia da Alemanha e Beca dos Estados Unidos. Conheci as duas no hostel e saímos para passear vários dias

Escolha bem seu hostel

Prefiro quartos de 6-8 pessoas, não gosto de nada menor do que isso porque a sua chance de estar sozinha num quarto com um grupo de amigas que já se conhecem e que não tem a menor vontade de te enturmar, e nem de respeitar seu sono. Prefiro um quarto de 12 do que um quarto de 4. E 12 é o meu limite. E sempre que possível fico em quartos 100% femininos, adoro pode me vestir onde estiver sem ficar me preocupando com quem entra ou sai do quarto.

Numa viagem muito longa, mesclo noites em hostel com noites em bons hotéis. Não preciso conhecer gente nova todo dia – e nem a cada cidade – e dormir num quarto bem confortável faz toda diferença para eu recuperar minhas energias e continuar a viagem feliz.

Piscina do Marina Bay Sands - Cingapura

Relaxando no Marina Bay Sands em Cingapura. Um hotel caprichado depois de algumas noites de hostel.

Faça um tour ou curso rápido

Um programa super legal para conhecer gente é fazer os Free Tours, várias cidades do mundo tem tours grátis organizados por jovens locais. Você paga quanto puder/quiser, conhece a cidade e ainda por cima conhece gente.

Para conhecer gente que tem um gosto parecido com o seu, fazer um curso rápido de um assunto que te interessa pode ser uma ótima pedida. O Sabiar fundado pela querida Dri Lima, tem vários cursos legais. Ainda não fiz nenhum, mas dá minha próxima viagem não passa. Outra alternativa paga, porém interessante, é contratar os serviços de um guia local não oficial do Rentalocalfriend.com ainda não testei, mas a proposta é bem interessante.

C) Dedique tempo a você

Conhecer gente nova é o máximo e não tenho dúvida que durante a sua viagem você vai conhecer muita gente bacana. Mas não se esqueça de dedicar alguns dias da viagem – ou algumas horas de cada dia – para fazer ou descobrir algo que você realmente gosta. Eu por exemplo, adoro arte. Curto mesmo. Curto entender, curto procurar detalhes. Sou daquele tipo que fica horas no museu feliz da vida. Então, sempre que viajo sozinha dedico alguns dias as minhas maratonas no museu, vou sozinha, não convido ninguém e vou sem hora pra voltar.  Viajar sozinha é criar seu ritmo e a sua rotina, e ser completamente dona dele. Vale mudar de idea? Sem dúvida, só o que não vale é deixar de ser você mesma.

Em Rishkesh na Índia passando um tempo comigo mesma

Em Rishkesh na Índia passando um tempo comigo mesma

D) Tenha um plano B

Você se animou com a ideia, foi viajar sozinha e esta odiando a experiência?  Calma, nem tudo esta perdido. Existem algumas formas legais de salvar sua viagem, e claro, no pior cenário, dá sempre para mudar a passagem e voltar mais cedo (mas essa é a última opção, tá?!). Algumas possíveis soluções para o seu problema:

  • Faça uma excursão: Mude a programação na viagem e integre um grupo de excursão. E não precisa torcer o rosto não porque excursão tá longe de ser coisa de velho, é só escolher o grupo certo. Empresas super jovens como a G Adventures (fiz um tour super bacana com eles na Índia) e a Intrepid tem roteiros super bacanas e descolados pelo mundo todo. Durante o tour, você com certeza vai conhecer alguém que tem a ver com você e poderá continuar a viagem com essa pessoa.
  • Faça um tour guiado: Se você não tem a grana (ou o tempo) para entrar numa excursão completa, faça passeios curtos pelos lugares que você gostaria de visitar com grupos. Vai que além de visitar o lugar que você planeja, você ainda conhece alguém legal?
  • Faça um curso rápido: que tal aproveitar que você está sozinha para aprender algo novo e divertido. O Sabiar tem várias opções de cursos legais e fazer um curso é sempre um forma bacana de aprender algo legal e pessoas com gostos parecidos com o seu.
  • Tente conhecer gente pelo Couch Surfing: Escreva para a comunidade local e convoque um happy hour (se der para participar de algo já agendado, melhor). Taí uma chance de se integrar com possíveis locais e de conhecer muita gente descolada.

E) Planeje bem sua viagem

A segunda dica mais importante desse post (a primeira é escolher o lugar certo) é planejar bem a viagem. Quando viajo sozinha gosto de ter todos os momentos importantes bem planejados.

Alguns dos momentos que gosto de planejar são:

  • Saiba como sair do aeroporto (e que meio de transporte você irá utilizar):Esse é um dos momentos de maior vulnerabilidade de um viajante, e sua maior chance de tomar um golpe;
  • Tenha o endereço do seu hotel com instruções de como chegar lá (se tiver acesso ao Google maps, melhor);
  • Reserve os hotéis/hostels com pelo menos dois dias de antecedência, mais vale perder um depósito aqui outro lá do que chegar numa cidade cheia sem ter onde ficar. Eu viajo com 100% dos meus hoteis reservados, não dou chance para o azar de maneira nenhuma;
  • Deixe seu itinerário (com telefones de onde você estará) com sua família ou amigos: se der alguma besteira, todo mundo sabe onde te achar. Vai que…

F) Respeite-se

Não é porque você está viajando sozinha que você precisa topar todos as furadas e programas que você nem curte, ou que estão fora do seu budget, porque aquele grupo super legal de pessoas que você mal conhecem tá doido pra fazer. Não tenha medo de dizer não. As férias são suas e as decisões também. Saiba dizer não (se não souber aprenda) e não faça nada além dos seus limites ou vontades.

Viajando sozinha

No final, mais vale um não difícil, que logo logo você irá esquecer, do que carimbar aquela furada homérica no seu currículo de viajante. Na dúvida, pare, respire e siga sua intuição!


 

E ai, gostou das dicas? Pronta para embarcar? 

Alguém ai tem sugestões de outros tópicos para este post?

Vale lembrar que este post é um compilado de percepções minhas e de coisas que fui aprendendo ao longo dos anos e não de verdades absolutas. Pode ser que suas percepções sejam bem diferentes das minhas. No fim das contas, siga o seu coração e seja feliz.

Veja também:

#ViajandoSozinha

Este post é parte da série Viajando sozinha, uma fonte de inspiração para mulheres que desejam desbravar o mundo por conta própria.

E para ficar por dentro de todas as novidades do Ideias na Mala, siga nosso instagram!

Viagem solo

About author

mari vidigal

Viajante incansável, daquele tipo que no meio de uma viagem já está pensando na próxima, na próxima e na próxima. Apaixonada por fotografia, natureza e vinhos

19 comments

  1. Thaynne 8 abril, 2017 at 17:15 Responder

    Mari, seus posts me animaram bastante para tomar coragem e viajar sozinha. Já estou planejando minha viagem para a California, vai ser um momento de auto-conhecimento, que estou precisando… Obrigada

  2. Juliana 5 novembro, 2016 at 19:57 Responder

    Oi Mari….estou pensando em fazer minha orimeira viagem internacional pra Espanha e Portugal ….o que acha? Recomenda algum destino mais fácil? Bjos

  3. Jéssica Gentile 8 julho, 2016 at 22:43 Responder

    Oi, Mari!
    Pode me dizer como é passar pela imigração em Madri, em Barajas? Vou chegar sozinha neste aeroporto e já li cada relato que dá vontade de desistir de ir hehehe

    • mari vidigal 9 julho, 2016 at 02:45 Responder

      Depende do dia, e do humor do policial de imigração. Se você tiver todos os documentos necessários, não há o que temer. As vezes dá mais trabalho, mas no final da tudo certo!
      Beijos

  4. Ju 21 março, 2016 at 12:36 Responder

    Mari, de uns anos pra cá, a vontade de viajar tem crescido bastante, mas nunca consigo arrumar companhia, e aí sempre ia adiando pra esperar alguém ir comigo… Mas esse ano, aos 26 anos, resolvi mudar, aproveitar a vida, e não depender da companhia de ninguém… Estou com aquele sentimento de que a vida está passando e eu não estou vivendo nada… Como não estou acostumada a viajar, pensei em começar aqui pelo Brasil, 10 dias pelas cidades históricas mineiras (ouri preto, mariana, Tiradentes e são João del rei) e BH, as quais eu sempre tive muita vontade de conhecer… Mas estou na dúvida quanto a hospedagem, não sei se fico em hostel ou pousada… Nos hostels, eu sempre pesquiso quarto individual e, comparando com as pousadas em Ouro Preto, alguns ficam até mais caros… Ai não sei se é chatice da minha parte ou timidez, mas ainda não consigo me imaginar em um quarto coletivo, apesar de achar q deve ser ótima a interação entre os hóspedes nos hostels, ainda mais pra mim que vou viajar sozinha… Qual a sua opinião? Desculpe pelo texto longo… Obrigada! Ah e parabéns!!! Não consigo parar de ler os seus posts…:)

    • mari vidigal 21 março, 2016 at 21:18 Responder

      Oi Ju,
      Na minha opinião hostel é uma forma BEM legal de se enturmar, e conhecer gente para passear com você. Uma forma de fazer com que a viagem SOLO não seja solitária.
      Porque você não tenta ficar uma ou duas noites em quarto coletivo e se odiar muda para um individual? As vezes é difícil deixar a timidez de lado, mas juro que compensa.
      E se o intuito é conhecer gente, ainda que seja em quarto individual, o hostel é BEM mais interessante que a pousada.
      E posso dar mais um pitaco? Vc tem só 26 anos, ou seja é MUITO nova, então trate de parar com essa mania de “ver a vida passar” e passe a vive-la. Descubra coisas que gosta, busque novos círculos de amigos e tente sair da sua zona de conforto. Tenho certeza que vc vai amar!!
      Depois da viagem passe aqui para contar como foi!
      BEijos

      • Juliete 22 março, 2016 at 13:04 Responder

        Mari, muuuuito obrigada pelos “pitacos”!!! Vou seguir o seu conselho e
        com certeza voltarei aqui para contar!!! 😀
        Beijos

          • Ju 15 maio, 2016 at 03:50

            Mari, voltei pra contar da viagem!!! Eu realmente amei a experiência de viajar sozinha. No começo me senti um pouco solitária, mas depois de uns 2 dias ficou uma maravilha… Fui aprendendo a aproveitar sozinha, pois tinha liberdade pra fazer o que me dava vontade (às vezes eu queria apenas andar sem rumo, pensar na vida… hehe), conheci lugares lindos e muitas pessoas legais nos hostels… E, além disso, apesar de ter sido apenas 2 semanas, essa viagem me deixou um pouco mais confiante, deu uma melhorada na minha auto-estima… sei lá, só sei que me fez muito bem! Bom é isso, só queria compartilhar essa experiência… Muito obrigada pelas dicas, seu blog é ótimo!
            Beijos

          • mari vidigal 16 maio, 2016 at 02:34

            Oi Ju,
            Obrigada por compartilhar sua experiência, fico feliz em saber que a viagem foi um sucesso e que te deixou mais confiante. Espero que seja a primeira de muitas!
            Beijos

  5. Flávia 29 janeiro, 2016 at 11:53 Responder

    Eu adorei viajar sozinha, fiz tudo o que deu “na telha”. Minha experiência foi em NY, um destino bacana para viajar sozinha, a cidade não para! Inclusive escrevi um post a respeito, no Flávia por aí.
    Bjss, adorei seu blog!

    • mari vidigal 7 julho, 2015 at 17:15 Responder

      Oi Fabi,
      Obrigada pela visita!
      Tome coragem sim. No começo dá um medinho, mas depois acostuma e é uma delícia.
      Beijos,
      Mari

Post a new comment

Veja também