Roteiro: o melhor de Roma em 3 ou 4 dias

Roteiro de Roma

Esse é um roteiro caprichado para quem quer curtir o melhor de Roma em 3 ou 4 dias. Conheça os principais pontos turísticos de Roma, encante-se com as fontes, ruínas e igrejas desta cidade linda. Preparado para se apaixonar?

Roteiro: o melhor de Roma em 3 ou 4 dias

Roma é uma cidade relativamente pequena, então dá fácil para conhecer as principais atrações em 3dias ou 4 dias fazer tudo caminhando. Caso seu tempo esteja um pouco apertado, ou você não goste tanto de caminhar, faça o trajeto sugerido de transporte público: ônibus + metrô.

Roteiro de Roma

Igreja de São Pedro – Vaticano

Na dúvida caminhe!

O bacana de fazer o passeio a pé são as pequenas descobertas que Roma proporciona: achar uma fonte, uma estátua, ruínas e obeliscos em ruas aparentemente “sem graça”. Isso sem falar nas sorveterias, pizzarias, restaurantes e outros pequenos prazeres que só quem caminha por lá encontra.

Roteiro Resumido: roteiro de 3 ou 4 dias em Roma

[Clique no mapa para ir direto ao ponto, ou se preferir, leia o post todo!]

E para quem só tem 2 dias em Roma?

Eu faria o dia 1 (tirando a parte do Aventino e Travestere) + Praças e fontes romanas no primeiro dia (vai ficar pesado, mas dá) e faria o roteiro do dia 2 completo.

A vantagem de quebrar em três dias é fazer tudo bem devagar, sem nenhuma pressa. Mas, para os mais velozes, ou para quem não gosta nem se interessa tanto por museus, dá para encaixar os três dias em dois e passar o terceiro dia em Tivoli, uma cidade linda que fica pertinho de Roma e que é imperdível.

Roteiro de 3 ou 4 dias em Roma no Mapa:

Veja aqui todas as dicas do nosso roteiro de 3 ou 4 dias em Roma inseridas no mapa!

Planejando sua viagem à Roma

Para te ajudar a botar este roteiro de 3 ou 4 dias em Roma em prática preparei essa sessão geralzona com dicas espetar para te ajudar a planejar sua viagem a Roma. Quem preferir pode clicar aqui e avançar ao Dia 1 do roteiro. Nesta seção você encontrará:

Roteiro de Roma

Castelo de San Angelo – Vaticano

Onde ficar em Roma

Depois de 4 visitas à Roma (sim, amo muito e não me canso de repetir) e de me hospedar em regiões bem diferentes, vou recomendar alguns dos meus cantinhos preferidos.

Região da Piazza di Spagna

Uma das minhas regiões preferidas de Roma. Uma área linda, fácil de caminhar, repleta de bons restaurantes, lojas bacanas e próxima de muitas atrações turísticas. Adoro essa região.

Região do Coliseu

Uma área bem turística, porém bem conectada com fácil acesso ao metrô e as principais atrações turísticas de Roma. Fiquei hospedar por alí na segunda visita a Roma e achei bem prático.

Piazza Navona e Piazza Campo di Fiore

Pra quem quer um região animadinha e repleta de bons restaurantes, essa é uma boa dica. Fiquei hospedada por aqui na minha última ida a Roma e adorei. A desvantagem é estar longe do metrô. Nessa região você encontrará uma oferta grande de B&B charmosos e apartamentos.

Região da Estação Termine

Essa é uma região um pouco mais feia, e que pode assustar um marinheiro de primeira viagem. Se você for esperto e ficar de olho, não chega a ser uma região perigosa, mas é um pouco escura e feia. A vantagem de Termine é a proximidade da estação central (uma mão na roda para ir e vir do aeroporto) e os preços hiper convidativos dos hotéis. Quem está com a grana mais apertada, vai achar os preços de Termine atrativos. E vale falar que alguns dos melhores hostels de Roma estão nessa área como o Alessandro Palace e seu irmão Alessandro Downtown.

Hotéis em Roma Termine

Outras regiões

Nunca fiquei hospedada no Vaticano, mas acho que pode ser uma opção excelente e hiper bem conectada de hospedagem. Veja ofertas de hotéis em Roma aqui.

Transporte: como se virar em Roma

Roma é uma cidade relativamente pequena e bem fácil de se virar de transporte público (metrô e ônibus) ou um eventual táxi. Então nem pense em alugar carro! Dirigir em Roma é um caos, estacionar pior ainda, e juro que você não quer ter esse perrengue durante as férias.

De volta ao transporte público, este roteiro foi preparado de uma forma que contempla muitas caminhadas. Roma é um verdadeiro museu a céu aberto e cada rua revela um segredinho diferente que passa despercebido para quem vai de metrô ou de ônibus. Assim, faça como os romanos: prepare-se para caminhar MUITO!

E, para começar, veja aqui como chegar do aeroporto ao centro de Roma!

[E antes que você me pergunte, não recomendo os ônibus de Hop-on-hop-ff em Roma. Digo e repito: a cidade é deliciosa e merece ser explorada a pé!]

Ingressos antecipados: o que vale a pena comprar

Roma é uma das cidades mais turísticas e mais visitadas do mundo, por isso pontos turísticos famosos como o Coliseu e a Capela Sistina (que fica dentro dos museus do Vaticano) costumam ter uma fila do cão. Para economizar horas na fila, a minha dica de ouro é comprar ingressos antecipados. Sim, o ingresso antecipado custa um tiquinho mais caro, mas quer saber? Caro mesmo é gastar 1-2 horas da sua viagem plantado esperando na fila. Fiz isso nas minhas duas últimas visitas à Roma e não me arrependo. Aí vão as atrações de Roma que merecem ser compradas com antecedência:

  • Ingresso do Coliseu (o ingresso inclui o Forum Romano e o Palatino e é válido por 2 dias): a fila é insana em qualquer época do ano, compre com antecedência e comece a visita pelo Coliseu.
  • Ingressos dos Museus do Vaticano: compre o ingresso para a parte da manhã para ter a oportunidade única de ver a Capela Sistina vazia, essa é outra fila muito demorada que começa antes mesmo do museu abrir.

[O resto dos passeios de Roma podem ser comprados direto na bilheteria sem grande perrengues.]

Roteiro de Roma

Sala dos mapas do Museu do Vaticano – Taí um ingresso que você deveria comprar antecipado

Seguro de saúde para a Itália

Já contratou seu seguro viagem? Além de ser obrigatório para quem viaja para a Europa, (muito provavelmente vão te pedir o comprovante na imigração, tenha a apólice impressa com você) o seguro é seu melhor amigo em qualquer eventualidade.

Um bom seguro viagem cobre malas extraviada. O seguro viagem te livra de perrengues, e evita burocracias desnecessárias. Eu que sou macaco velho não viajo sem seguro.

Nós do Ideias na mala viajamos com os Seguros da Seguros Promo uma empresa brasileira que funciona como um comparador de seguros, buscando os melhores custos benefícios do mercado sem abrir mão de uma cobertura excelente! Faça uma cotação aqui  e insira o cupom de desconto IDEIASNAMALA5 para ganhar 5% de desconto na compra do seu seguro de viagem

Com o seguro de viagem resolvido, vamos falar do realmente interessa: Nosso roteiro de 3 dias em Roma!

Roma no Inverno

Uma das grandes dúvidas de quem viaja para a Itália no final do ano é: Dá para aproveitar Roma no inverno? E minha resposta certeira é: Muito. Apesar de escurecer mais cedo, e as atrações terem horários diferenciados, Roma é uma das minhas cidades preferidas para visitar no Inverno, já que o frio não é tão intenso como outras capitais Europeias nesta época do ano. Já fui três vezes e adoro (aliás, acho bem melhor que visitar no verão e passar um calor do cão e ainda pegar a cidade abarrotada!) E antes que eu me esqueça, já testamos este roteiro de Roma no inverno e funciona SUPER bem! Vá feliz!

Roteiro de Roma

Gu e Mari curtindo o inverno no Coliseu. Fizemos nossa última viagem no começo de dezembro

Roteiro detalhado: O melhor de Roma em 3 ou 4 dias

Chegou a hora de explorar Roma em detalhes! Gosto de dividir a visita em três (ou quatro) partes diferentes, começar pela parte antiga – as origens de Roma e onde tudo começou (Dia 1), continuar pelo Vaticano, um país a parte no meio de Roma e repleto de história pra contar e de lugares lindos para conhecer e, para fechar, deixo algumas alternativas de passeios passando pelas principais praças e fontes Romanas. Vamos nessa?

Dia 1: Roma Antiga + Travestere

Hoje é um dia intenso que combina alguns dos principais pontos turísticos de Roma Antiga com as vistas maravilhosas do Aventino e um pulinho do Travestere no finalzinho da tarde/comecinho da noite. Calce sapatos bem confortáveis e prepare-se (se você tem 4 dias, pode deixar Travestere para o último dia de viagem) para se apaixonar por Roma.

Como chegar ao Coliseu

Comece o dia desvendando os mistérios do Coliseu. Para chegar lá você pode caminhar desde o seu hotel ou pegar um metrô para a estação Colosseu que fica na linha azul. E, como já adiantei no começo do post, recomendo seriamente que você compre os ingresso do Coliseu com antecedência para escapar de uma fila imensa.

Roteiro Roma

Coliseu

Visitando o Coliseu

O Coliseu é o principal cartão postal de Roma, e um dos pontos turísticos mais visitados do mundo – entenda por filas bravas para entrar (os ingressos antecipados agora são comprados com hora marcada!) e uma quantidade enorme de pessoas lá dentro. Como gosto de visitar lugares turísticos mais vazios gosto de chegar bem cedinho, na hora que abre mesmo – sei que o fuso horário do Brasil pega forte na primeira manhã e que não vai ser muito fácil madrugar, mas se você for do tipo que não sofre para acordar cedo (eu!) vale a madrugada!

Vamos falar um pouquinho do Coliseu?

A construção do Coliseu começou no ano 72 d.C. – durante o Império Romano – e foi concluída oito anos depois sob o mandato do imperador Tito – ele serviu como o maior anfiteatro romano (também chamado de Anfiteatro Flaviano, uma homenagem à Flavio Vespasiano, pai de Tito). Lá, mais de 50 mil pessoas podiam assistir diversos espetáculos de entretenimento (fazia parte da política do “pão e circo”), como batalhas, lutas de gladiadores, execuções de prisioneiros e até exibições de animais.

A inauguração do Coliseu se deu com 100 dias de espetáculos, onde estima-se que centenas de gladiadores e cerca de 5 mil animais foram mortos. As arquibancadas ficam a 3 metros do solo e a arena central possui um espaço de 85 po 53 metros.

A partir do século VI, o Coliseu começou a decair muito por conta de terremotos, roubos e bombardeios durante a Segunda Guerra Mundial  e passou a ser usado como Igreja, cemitério e até mesmo moradia para a nobreza). Hoje, juntamente com o Vaticano, ele é a maior atração turística de Roma e recebe mais de 6 milhões de visitantes por ano.

Roteiro Roma

Parte interna do Coliseu

Reforço mais uma vez a importância de adquirir o ingresso antecipado para evitar tempo perdido em filas gigantescas. Caso você opte pela visita guiada, escolha ir na parte da manhã e programa-se pois ela leva cerca de 2h

  • Horário de funcionamento
    Todos os dias, das 08h30 às 19h
  • Ingressos
    Entrada para o Coliseu, Fórum e Palatino: 12 Euros | Menores de 17 anos, gratuito
    Visita guiada pelo Coliseu, Fórum e Palatino: 36 Euros
  • Compre aqui seu ingresso antecipado do Coliseu

Saindo do Coliseu, você pode escolher: ir almoçar direto, antes de entrar no Foro Romano (uma boa pedida para quem quer comer cedo e, acredite, você quer comer antes de entrar no Foro Romano porque o passeio é gigante) ou seguir para o Aventino e Boca da Verdade – comer algo nas redondezas – e deixar o Palatino para o final do dia. Seja qual for a sua escolha, não deixe de entrar no Palatino e reservar umas 3 horas para essa visita que é fantástica. Já fiz este roteiro das duas formas: com Palatino logo em seguida do Coliseu e com Aventino na sequencia, ambos funcionam bem.

Onde comer perto do Coliseu?

Viajantes mais escolados sabem que, em geral, o lugar mais turístico de cada cidade tem as comidas mais caras e ruins da cidade. Na Itália, restaurantes com placas em inglês, ou com alguém na porta “puxando” turista para dentro, são fortes indícios de pegadinha. Fuja! E, para fugir de lugares turistões nas bandas do Coliseu, minha dica é subir a Via Cavour, e quando chegar na estação de metro Cavour, descer as escadas do lado esquerdo. Por lá há um montão de ruazinhas e restaurantes, em geral, restaurantes cheios são bons indícios de comida boa (e barata). Procure um e suas chances de comer bem serão altas!

Palatino e Fórum Romano

Depois do almoço é hora de explorar as ruínas do Palatino e do Fórum Romano, meu conjunto de ruínas preferido em Roma. Reserve um tempinho com calma para visitar o Palatino, que fica a 40 metros de altura do Fórum. Segundo a mitologia romana, Luperca (a loba que cuidou de Rômulo e Remo) vivia no Monte Palatino. Falando em moradia, era ali também que durante o período republicano a nobreza se instalava em luxuosos palácios.

Roteiro de 15 dias na Itália

Ruínas do Forum Romano

Faça o passeio com calma, perca-se nas vielas e não deixe de visitar os seguintes locais: o estádio do Palatino, o Templo das Virgens Vestais e o Templo de Saturno. Aqui, mais do que no Coliseu, contratar um guia que manja de história, ou apelar para o áudio guia, é uma boa pedida para entender cada cantinho e a importância de cada um dos templos para o antigo Império Romano.

Durante o Império Romano, o Fórum era onde acontecia a vida pública e religiosa do povo e foi caindo no esquecimento com o fim do Império – só foi localizado no século XX após diversas escavações. Em suas ruínas, há diversos templos, como o de Saturno e Vênus, a Via Sacra, o Arco de Tito e muito mais. Vale super perder horas caminhando por lá e imaginando como era na antiguidade.

Roteiro de Roma

Ruínas do Templo de Saturno – Fórum Romano

  • Horário de funcionamento
    Todos os dias, das 08h30 às 19h15 (horário varia de acordo com os meses)
  • Ingressos
    Entrada para o Coliseu, Fórum e Palatino: 12 Euros | Menores de 17 anos, gratuito
    Visita guiada pelo Coliseu, Fórum e Palatino: 36 Euros

Aventino: Vistas caprichadas de Roma e a Igreja de Santa Sabina

Terminado o combo Coliseu + Palatino, minha sugestão é dar um pulinho no Aventino, o bairro vizinho e uma das 5 colinas de Roma. Como essa é uma caminhada longa, caso você não curta caminhar ou não tenha tanto pique, siga direto para a igreja de Santa Maria de Cosmedin (onde fica a Boca da Verdade).

Circo Massimo

No caminho entre o Palatino e o Aventino você passará pelo Circo Massimo, um enorme campo verde que um dia serviu como uma espécie de estádio para corridas de carruagem (puxadas por cavalos), jogos públicos e corridas atléticas. Esportes e apostas eram grande parte do entretenimento durante o império Romano e aqui neste campo milhares de escravos corriam para conquistar prestígio e potencialmente sua liberdade. Há poucas ruínas e nada que mostre a dimensão do que um dia existiu – o estádio chegou a comportar 300.000 pessoas – mas como estamos passando por um lugar histórico, gosto sempre de pontuar.

Roteiro Roma

Circo Massimo

Parco Savello

A subida entre o Aventino e o Palatino é suave, o que pesa, é que você já terá caminhado um bocado dentro do Coliseu, e dentro do Foro Romano antes de chegar até aqui, mas acho essa vista tão especial que recomendo a pernada. E já que estamos falando de vista, vamos começar por ela?

Nossa primeira parada é o Parco Savello, conhecido pelos locais como parque das laranjeiras. De baixo destas laranjeiras trazidas da Espanha por Santo Domingos -fundador da ordem dos Pregadores (ou dominicanos) – que o Santo costumava meditar. Caminhe até o finalzinho do parque para ter vistas lindas Roma com uma perspectiva bem interessante do Rio Tibre.

Roteiro Italia

Roma vista do Parco Savelo

Basílica de Santa Sabina

E já que falamos de Santo Domingos e da Ordem dos Pregadores, ali do ladinho está a Basílica de Santa Sabina a principal igreja da ordem dos pregadores e uma das (muitas) igrejas que valem a pena visitar em Roma.

Antes de entrar repare na fachada, uma mistura de fórum romano com teto de igreja. Os católicos aproveitaram muitas estruturas romanas para erguer suas igrejas e a Basílica de Santa Sabina é a mais antiga igreja romana que mantém sua estrutura original.

Pegue uma castanha no caminho 

Entre a igreja e o parque, há grandes chances de você encontrar um vendedor de castanhas torradas, o saquinho custa cerca de 5 euros (não vale converter, ou vai achar caríssimo) mas é delicioso.

O interior da igreja

Entrando na igreja vale reparar nas portas com cenas da crucificação de cristo – 5 delas são originais e datam do ano 400 e pouco (sempre me espanto quando vejo coisas bem preservadas com duas vezes a idade no nosso país). O interior é relativamente simples com direito a um afresco mostrando Jesus e o bom e o mal ladrão na parte central da igreja e um detalhe bem interessante no chão: ruínas romanas da estrutura que um dia existiu aqui.

A fechadura mais linda de Roma

Nossa próxima parada é o buraco de fechadura mais famoso do mundo, o “Roteiro de Roma”. É um furinho de fechadura no portão da sede dos Cavalheiros Templários de Malta que te uma vists lindíssima de Roma com direito a linda cúpula do Vaticano. Coloque os olhos no buraco e logo você entenderá o porquê da fila.

A boca da verdade

Depois de curtir a vista, desça a Colina rumo à igreja de Santa Maria de Cosmedin que fica em uma pracinha mega animada – Piazza de la Veritá. No interior da igreja está a famosa “boca da verdade” (Bocca della Verità), uma representação do Deus do Mar com olhos e boca perfurados. Há muitas lendas sobre a boca da verdade, a mais conhecida diz que a estátua é capaz de detectar mentiras e morde a mão dos mentirosos. A graça aqui é colocar a mão dentro da boca tamanho família e contar uma lorota para ver o que acontece. Mas claro que para chegar até a boca, a fila pode ser grande.

Roteiro Roma

Boca da Verdade na Igreja Santa Maria de Cosmedin

A maior parte dos turistas se contenta em tirar um foto com a mão na Boca da Verdade e se esquece de visitar a igreja – que é linda. Nem pense em fazer isso! O giro pela igreja de Santa Maria de Cosmedin é bem mais rápido do que a espera na fila para tirar foto com a mão na boca e vale super a pena. A igreja tem um cripta bem interessante sob o altar (nessa cripta o Papa Adriano guardava algumas relíquias extraídas das catacumbas de Roma) e uma espécie de relicário – que mais parece um aquário – de cristal que guarda o crânio de São Valentim.

Caminhada pelo Travestere

Tem pique para caminhar mais 20 minutinhos (1,3 Km)? Se sim, estique o passeio rumo à Travestere, um bairro que agrada gringos e turistas e que é uma ótima pedida para tomar uma cervejinha no final da tarde. Para chegar lá há dois caminhos, eu fui pelo mais curto, mas quem quiser pode caminhar um tiquinho a mais e já conhecer a pequena ilhota do Rio Tibre: A Isola Tiberina.

Atravessando o rio, minha sugestão é que você caminhe despretensiosamente pelas ruelas apertadas do bairro – aqui a brincadeira é se perder e fazer pequenas descobertas e não deixe de visitar o interior da Basílica de Santa Maria in Travestere.

Roteiro Roma

Basílica de Santa Maria in Travestere

Basílica de Santa Maria in Travestere

Assim como boa parte das igrejas de Roma, Santa Maria in Travestere é uma mistura de diferentes épocas e estilos arquitetônicos, com traços e pedaços ruínas de antigos templos romanos. Do lado externo, destaque para a torre do campanário com um mosaico bem delicado da Virgem Maria carregando menino Jesus, e o mosaico lindo no exterior que mostra virgem Maria amamentando Menino Jesus e sendo iluminada por dez outras mulheres.

E no interior vale falar das colunas jônicas (nas laterais) extraídas de banhos romanos, dos mosaicos brilhantes (o mais lindo deles, no topo do altar central retrata a coroação da virgem Maria) e do teto todinho trabalhado com elementos dourados. Mais uma curiosidade, essa basílica guarda duas relíquias: a cabeça de Santa Apolônia e um pedaço da esponja de Cristo.

Onde comer no Travestere?

Uma boa dica para comer no Travestere é o Da Enzo al 29 (Via dei Vascellari, 29) – dica afinadíssima da Lu do Roma Pra você – testada e aprovado por nós.

Dia 2: Vaticano (Museu do Vaticano, Basílica de San Pedro e Castelo de San Angelo

Pronto para mais um dia impressionante em Roma? Começaremos o dia pelo Museu do Vaticano, seguiremos pela Basílica de San Pedro e depois faremos um passeio caprichado até o Castelo de Sant’Angelo – e para quem ainda tiver pique, esticaremos o passeio até Piazza Navonna. Pronto para caminhar bastante?

Roteiro Roma

Pátio Interno dos museus do Vaticano

Comece cedo e compre ingressos antecipados

Já percebeu que gosto de acordar cedo, né? Em cidades movimentadas como Roma faz todo sentido sair cedinho da cama e pegar lugares disputados, como o Vaticano, vazios. Falando em vazios, a fila dos museus do Vaticano – e a quantidade de pessoas lá dentro – é uma das coisas mais desagradáveis de Roma. Para burlar a fila imensa, nas minhas duas últimas visitas eu comprei o ingressos dos Museus do Vaticano com antecedência. O ingresso tem hora marcada, compre o primeiro horário e tenha o privilégio de passear pelo museu antes dos grandes tours começarem a entrar.

Para chegar ao museu do Vaticano, pegue o metro até a estação Ottaviano ou dependendo de onde você estiver hospedado, caminhe. E, antes que você me pergunte, faz todo sentido deixar a praça de São Pedro para depois, e ja já explico o porquê.

O Museu do Vaticano

O Museu do Vaticano é um desses museus gigantescos e incríveis. O museu tem um pouco de tudo, uma linda coleção de arte egípcia, uma das maiores e mais completas coleções de arte etrusca do planeta, esculturas gregas, esculturas Romanas, mapas, uma pinacoteca invejável, uma galeria com afrescos maravilhosos pintados por Rafael Sanzio, arte moderna e, claro, a Capela Sistina.

Roteiro de Roma

Esfera dentro da Esfera. Você já viu esta escultura em outros lugares do mundo? Veja em Berkeley e em Dublin

O Museu do Vaticano tem sua origem por volta de 1503, quando o Papa Júlio II doou sua coleção particular de obras à ele. Depois disso, muitas famílias e outros Papas fizeram o mesmo, aumentando o acervo do Museu.

A Capela Sistina

Falando em Capela Sistina vou te ensinar o pulo do gato, algo que só aprendi na minha terceira visita ao Vaticano e que mudou completamente minha experiência no museu. A visita ao Museu do Vaticano foi pensada para deixar a Capela Sistina – o melhor – para o final. Só que a capela é relativamente pequena e fica abarrotada (naipe estação de metrô em horário de pico), o que acaba com a experiência.

Para evitar essa loucura toda, a dica é seguir direto para a Capela (sim você terá que caminhar um bocado por dentro do museu e depois voltar tudo – o que é uma bela caminhada, mas vale a pena) seguindo as placas de “Capela Sistina”. Muitos corredores depois você terá a Capela Sistina – que é incrível vazia – praticamente só para você.

Capela Sistina

Foto: Divulgação

Não tentarei descrever todas as cenas da Capela Sistina, mas vale falar que esta é a obra prima de Michelangelo que levou 4 anos para pintá-la. No telhado há 9 cenas de gêneses, a mais famosa delas é o encontro do dedo de Deus com o Dedo de Adão e, partir daí, há 9 outras cenas da criação do universo.

No esqueminha abaixo, há um resumão das cenas retratadas na Capela Sistina:

Roteiro de Roma

Crédito da imagem: https://pt.wikipedia.org/wiki/Teto_da_Capela_Sistina

Depois de observar tudo com calma, é tanta coisa que mal dá para saber pra onde olhar, retorne ao início do Museu e faça a sua visita com calma.

As rotas sugeridas pelo museu

O museu sugere dois tipos de roteiro, um passeio curtinho que dura cerca de uma hora (essa é geralmente a escolha de quem está ali somente para ver a capela Sistina) e um roteiro mais completo que dura umas três ou quatro horas dependendo do seu grau de interesse. Eu, em geral, levo cerca de 4 horas (e na real, esse é meu tempo limite em museus. Amo, mas chega um momento que fico muito cansada de tanta informação).

Na última visita à Roma contratei o áudio guia, mas achei ultra confusa a numeração (talvez eles estivessem mudando algo?) e não recomendo. Um tour guiado (dos bons, nem pense em pegar qualquer coisa) também pode ser uma boa pedida para quem quer aprender algo durante a visita.

O que eu mais gosto?

O capricho de cada sala, os mosaicos do chão e os afrescos do teto. São corredores e corredores forradas de obras de arte da mais alta qualidade. Chega a ser surreal!

Roteiro de Roma

Uma das mais famosas pinturas de Rafael Sanzio: A escola de Atenas

E não deixe de reparar na escadaria linda na entrada do museu!

Roteiro de Roma

Famosa rampa do vaticano… bacanérrima!!!

A visita termina na Capela Sistina e, se você seguiu meu conselho inicial e começou a visita por ela, vai me agradecer pois provavelmente quando você chegar nela pela segunda vez, encontrará a lotação que descrevi no começo do post. Voltei ao assunto Capela Sistina por um motivo principal: aqui há uma saída que te leva direto ao interior da Basílica de San Pedro sem precisar passar pela fila enorme do detector de metais. Uma mão na roda! Lembra que te falei para deixar a Basílica para depois, está aí o motivo!

Basílica de São Pedro do Vaticano

Você entrará pela lateral direita da Basílica, sem passar por nenhum ponto bonito para fotografar a fachada, mas nada que não possa ser feito no final da visita. Certo?! Aqui o mais impressionante é a monumentalidade e as dimensões da igreja, imensa e pra lá de imponente. O Gu que é engenheiro civil ficou impressionado com a estrutura e com os pilares. É surreal.

A Basílica de São Pedro é a construção mais importante para a Igreja Católica, foi iniciada em 1506 e concluída em 1626. O nome veio em homenagem ao primeiro Papa da história, São Pedro, que hoje está enterrado na própria Basílica.

Roteiro Roma

Interior da Basílica de San Pedro

Lá dentro, não deixe de admirar os detalhes e os ornamentos: a Pieta de Michelângelo (que é lindíssima), a cúpula (já já subiremos nela), os altares, é tudo bem bonito.

A Basílica suporta até 200 mil pessoas e sua cúpula, uma das partes mais impressionantes, tem uma altura de 136 metros.

Subindo na Cúpula do Vaticano

Depois de visitar o interior da Basílica, sugiro fortemente que você suba à cúpula da Basílica de San Pedro para ver Roma e todo o Vaticano do alto, essa é a minha vista preferida de Roma e um passeio que já fiz 3 vezes (e que voltaria outras 10.) Acho maravilhoso. Vale falar porém que para chegar ao topo você deve estar preparado para enfrentar degraus estreitos (uma porção deles) – ou seja – taí um passeio que não é ideal para pessoas com claustrofobia e que exige um certo preparo físico.

Há dois tipos de ingresso, um que combina elevador + escada e custa 2 euros mais caro, e um com 100% escada sendo que o primeiro trecho de subida para quem tem um bom preparo físico é bem mole. Já o segundo trecho – e este, mesmo a turma do elevador terá que encarar – é uma escada daquelas em caracol que vai afinando, afinando até chegar lá em cima. E vale a pena viu? A vista e a sensação de estar no topo de Roma valem cada degrau.

Roteiro

Basilica de São Pedro do Vaticano – Vista da Cúpula

  • Horário de funcionamento
    De outubro a março, das 07h às 18h30
    De abril a setembro, das 07h às 19h
  • Ingressos
    Entrada gratuita
    Subida na cúpula por escada (551 degraus): 8 Euros
    Subida na cúpula com elevador + escada (320 degraus): 10 Euros

Antes de sair da Basílica repare nos guardas de uniformes coloridos – a guarda Suíça- que fazem a segurança do Papa. Adoro o uniforme e a forma como eles batem continência quando alguém importante passa por lá. Em seguida caminhe rumo à Praça de San Pedro para finalmente ver e fotografar a basílica de frente, caminhar pelas colunas do Vaticano e observar os detalhes da região.

Rua Borgo Pio

Dali, seguiremos para a Rua Borgo Pio, uma das ruas mais animadas do Vaticano e parada estratégica para almoçar. Ali fica o Arlú (Borgo Pio, 135 | Atenção fecha às 16:00 e reabre às 18:30 para o jantar), meu restaurante preferido de Roma, o serviço não é dos mais rápidos, mas a comida é tão gostosa que não posso deixar de recomendar. E já que estamos falando de comilança, vale emendar com um sorvete do Hedera (Borgo Pio, 179) famoso por ser a sorveteria preferida do Papa Francisco.

O castelo de Sant’Angelo

Nossa próxima parada é o Castelo de Sant’Angelo, uma fortaleza militar construída sob vestígios do Mausoléu do imperador Adriano e com um papel bem eclético ao longo da história: o castelo serviu de residência papal, fortaleza, prisão e hoje é um dos museus mais visitados da cidade.

Roteiro de Roma

Curiosidade: Repare que há uma muralha, o Passeto di Borgo, que conecta o Vaticano ao Castelo de Sant’Angelo. Este corredor fortificado era usado pelos papas para acessar o castelo em caso de perigo. O episódio de fuga mais famoso foi o do Papa Urbano V durante o Concílio de Avignon.

E vale a pena entrar no Castelo de Sant’Angelo?

A vista é uma das mais lindas de Roma (mesmo!) e os aposentos papais feitos por ninguém menos que Michelangelo são lindíssimos, mas achei o resto do museu meio pobrinho e gostei mesmo foram das janelas. Em resumo, para quem acabou de sair do Museu Vaticano e já subiu no topo da Cúpula do Vaticano, acho mais do mesmo e não recomendo a subida. Para quem não encarou a subida do Vaticano ou ama história, acho que pode sim ser uma alternativa interessante.

  • Horário de funcionamento
    De segunda a quarta, das 09h às 19h30
    De quinta a domingo, das 09h às 24h
  • Ingressos
    Adultos: 15 Euros

A ponte de Sant’Angelo

Continuaremos o passeio pela Ponte de Sant’Angelo, um ponte linda repleta de estátuas de anjos e que rende fotos privilegiadas do Rio Tibre, do Castelo e da Cúpula do Vaticano. Arrisco dizer que boa parte dos cartões postais que você verá em Roma tem uma foto da ponte estampada.

O que fazer no Vaticano

Ponte de Sant’Angelo, a ponte que conecta Roma ao Vaticano

A Ponte de Sant’Angelo até o século VII era chamada de “Ponte de São Pedro”, isso porque a ela conecta Roma ao Vaticano. O nome foi alterado após o Papa Gregório I visualizar uma aparição do Arcanjo de São Miguel – vindo para curar Roma da peste – na ponte. A ponte mudou de nome, e o Castelo ganhou uma estátua de bronze do anjo no topo.

Piazza Navonna

Tem pique para estender a caminhada? Minha sugestão de hoje é que você termine o dia na Piazza Navonna, uma das praças mais bonitas e um cantinho super animado no finalzinho da tarde/ comecinho da noite. Quem viaja no finalzinho do ano ainda encontra um mercadinho de natal animado com direito a Carrossel para os pequenos (li que o mercadinho deu uma diminuída de tamanho nos últimos anos, mas espero que ele tenha mantido a vibe divertida e que você possa se esbaldar numa caneca de vinho quente – bem diferente do nosso e delicioso!)

Ruas e praças de Roma

Piazza Navonna

Quer outro bom motivo para visitar a Piazza Navonna de noite?

A iluminação faz com que a praça tenha duas caras diferentes: uma durante o dia – onde predominam os tons pastéis das casas que rodeiam a praça e a feirinha de artesão com suas telas coloridas, e de noite reinam as fonte iluminadas.

São três fontes diferentes: a Fontana del Moro (localizada na parte sul da praça, é uma estátua de um mouro segurando um golfinho), a Fontana dei Quattro Fiumi (construída por Bernini em 1651, representa os rios mais importantes da época: Nilo, Danúbio, Ganges e Da Prata) e a Fontana del Nettuno (onde o deus romano dos mares aparece rodeado por ninfas do oceano)

[Aqui abro um parêntesis para falar que a Fontana di Trevi e o Panthéon também merecem ser visitados duas vezes – de dia – e de noite.]

Onde comer na região da Piazza Navonna?

Essa é uma das melhores regiões para comer bem em Roma! Aí vão 4 dicas que eu adoro:

  • Pietro Valentini (Via dei Pianelari, 19): Peça a Flor de Abóbora e o Gnocchi de gorgonzola. Adoro este restaurante e faço questão de voltar sempre que vou a Roma
  • La Pollarola ( Piazza Pollarola, 24-25 entre a Piazza Navona fica entre a Piazza Navona e a Piazza Campo Dei Fiori): Aproveite para provar a Pasta Amatriciana – é apimentada – a especialidade Roma, e não saia de lá sem provar o zabaione.
  • Il Forno (Piazza Campo de’ Fiori, 22): Pra quem quer algo bem descontraído, essa pizzaria bem tradiconal que serve pizzas em pedaço. O legal é que a praça Campo di Fiori – por sinal, nossa primeira para de amanhã – é super legal para tomar um drink e comer aperitivos Romanos.
  • Armando al Panthéon (Salita dei Crescenzi, 31) – O turistão mais bem recomendado de Roma é sempre uma ótima pedida. Reserve!

Dia 3: praças e fontes de Roma

Agora que você já conhece os principais pontos turísticos de Roma Antiga (Coliseu e Palatino) e a imponência do Vaticano, chegou a hora de passear pelas principais fontes e monumentos de Roma. Este é um passeio delicioso e repleto de paradas especiais.

  • Campo Di Fiori
  • Piazza Navonna
  • Panteão
  • Coluna Antonina
  • Fontana di Trevi
  • Piazza Di Spagna
  • Piazza del Popolo
  • Villa Borghese

Campo Di Fiori

Nosso dia começa na Praça Campo di Fiori, um cantinho delicioso para começar e para terminar o dia. Gosto tanto da localização que foi aqui que me hospedei na minha última viagem a Roma, no discreto hotel boutique Mama’s Home Rome. Adorei a experiência.

Rodeada por casarões, a praça tem esse nome (Campo de Flores) pois antigamente era lugar de um campo bastante grande. Em 1456, a pedidos do Papa Calixto III, a Praça foi construída.De segunda a sexta das 7:00 às 13:00 acontece o tradicional mercado da Campo Di Fiori, com vendinhas de flores, frutas (se estiver na época não deixe de comprar o morango silvestre divino) e souvenires.

No centro da praça há uma estátua de Giordano Bruno – um filósofo que foi queimado na praça em 1600 acusado de heresia. Ali, aconteciam diversas execuções públicas e, mais de 200 anos depois, foi erguido este monumento em homenagem à Giordano e também como forma de não esquecermos do passado. Em tempo, vale falar que essa é uma das poucas, se não a única praça romana que não tem uma igreja. Curioso, não?

Minha sugestão para o café da manhã é o Obica (Piazza Campo dei Fiori, 16 ) -o forte casa, na real, são os happy hours – mas não posso deixar de mencionar os croissants fresquinhos, expressos autênticos e suco de laranja natural servidos no café da manhã.

Piazza Navonna

Depois de dar uma voltinha na praça, faremos uma caminhada curtinha até a Piazza Navonna, ponto final do nosso roteiro de ontem. E olhem só como a praça fica diferente durante o dia. Se você tiver sorte com o tempo e pegar um céu azulão verá o contraste interessante entre os tons pastéis dos edifícios e fontes e do céu. Apaixonante.

Muito provavelmente você encontrará mágicos, dançarinos e artesãos expondo telas coloridas com paisagens de Roma.

Ruas e Praças de Roma

Piazza Navonna

 

Panthéon Romano

Dali seguiremos para o Panteão Romano, também chamado de Panteão de Agripa, o monumento mais bem conversada da Roma antiga – possui mais de dois mil anos de existência e impressiona pela sua dimensão.

Arquitetado na época de Marcus Agrippa (daí seu nome) para ser um lugar sagrado politeísta, no início do século VII foi convertido em uma Igreja Católica pelo Papa Bonifácio IV.

Roteiro de Roma

Antes de entrar repare na dimensão da fachada, 16 colunas de granito e um pé direito de nada menos que 14 metros de altura, mas calma, isso não é nada perto do interior lindíssimo deste edifício circular  que tem mais 43 metros de diâmetro.

Roteiro de Roma

E sabe o que eu mais gosto? Da abertura no interior do edifício que permite que ele seja iluminado por luz natural. Ali estão enterrados diversos reis da Itália e artistas importantes – como, por exemplo, o pintor e arquiteto renascentista Rafael.

Panthéon Romano – Detalhes da visita:

  • Horário de funcionamento:

    De segunda à sábado: das 08h30 às 19h30
    Domingo: das 09h às 18h
  • A entrada é gratuita.

Coluna Antonina

Nossa próxima parada é a Coluna Antonina (também chamada de Coluna de Marco Aurélio) que fica no centro da Piazza Colonna (o nome não poderia ser mais óbvio né?

A coluna é toda esculpida – e são 29 metros de altura – com cenas que celebram as vitórias Romanas. Em 1589 a coluna sofreu uma intervenção católica – e possívelmente foi graças a essa intervenção que a coluna sobreviveu – e ganhou uma estátua de São Paulo, ordenada por Papa Sisto V.

Roteiro Roma

Coluna Antonina

Aqui vale falar que juma das laterais da praça dá para a Via Del Corso, uma das principais avenidas comerciais de Roma, e um dos melhores lugares da cidade para fazer comprar baratas. As principais marcas européias de bom preço estão nessa avenida! A Via del Corso conecta dois monumentos romanos importantes a Piazza del Popolo – que visitaremos ainda hoje – e o Monumento a Vitor Emanuel II.

Fontana di Trevi

Uma caminhadinha bem curta te leva a nossa próxima parada, a Fontana di Trevi, considerada por muitos a fonte mais bonita do mundo. A fonte é gigante, são quase 20 metros de largura e 26 metros de altura que fazem da a Fontana di Trevi a maior e mais imponente fonte Romana, um desses lugares que merecem entrar no seu roteiro pelo menos uma vez – eu, que sou a louca da foto confesso não saio de Roma sem visitar a fonte de noite e de dia – a vibe e a quantidade de pessoas muda completamente.

No centro da fonte há uma representação lindíssima de Netuno, Deus do Mar, montado em sua cocha/carruagem e puxado por dois cavalos, um calmo e um ferroz – assim como os cavalos o mar tem dias calmos e dias ferozes, taí o significado da alegoria.

Roteiro de Roma

A Fontana di Trevi é cercada por muitas lendas e mistérios. Em 1954, com o filme “A Fonte dos Desejos”, as pessoas começaram a jogar moedas nela afim de realizar alguns desejos, como voltar à Roma, encontrar um amor ou se casar. Para o desejo se realizar, deve-se jogar a moeda de costas para a fonte com a mão direita sobre o ombro esquerdo. O resultado disso? Mais de um milhão de Euros por ano destinados à caridade.

Quer seguir a tradição: vire-se de costas para a fonte e jogue sua moedinha para o alto por cima do seu ombro direito.

Piazza Di Spagna

Terminando de contemplar a Fontana di Trevi, siga para à Piazza de Spagna (uma das praças mais famosas de Roma) onde está a famosa escadaria Trinita dei Monti

O nome Piazza da Spagna tem a ver com a Embaixada Espanhola que fica ali do ladinho. No centro da praça, também há uma fonte, a Fontana della Barcaccia – criada por Bernini para o Papa Urbano III e entregue em 1627. Sua arquitetura possui forma de barco e está sempre rodeada por turistas.

Roteiro de Roma

As escadas (mais de 135 degraus) são marca registrada do ponto turístico e cenário de diversos filmes (Quem aí viu a Princesa e o Plebeu?), interligam a praça à Igreja Trinità dei Monti. Suba, a igreja é bonita, e a vista lá do alto é bastante especial.

Roteiro de Roma

Vista do alto das escadarias da praça de Espanha

De volta ao centro da praça, vale falar que a rua que saí da frente da fonte é a Via Condotti, a rua mais chique de Roma e endereço de lojas de grife badalas. Para quem curte ver vitrines e se inspirar, taí o lugar!

Piazza del Popolo

Terminado o passeio pela Piazza di Spagna, continue reto até a Piazza del Popolo (uma das antigas entradas entrada de Roma) e lugar onde os romanos fazem a contagem regressiva para o Réveillon, no dia 31 de dezembro a praça fica lotada de gente e super animada, uma verdadeira balada a céu aberto.

A luz do dia a Piazza del Popolo é uma praça bonita, com um obelisco egípcio de 24 metros de altura no centro e duas igrejasquase gêmeas em uma das suas extremidades, Santa Maria dei Miracoli e Santa Maria di Montesanto.

Essas não são as duas únicas igrejas da praça, que também conta com a Igreja Santa Maria del Poppolo, nossa próxima parada e sua chance de ver obras de grandes artistas como Caravaggio, Rafael Sanzio e Bernine de graça. A pegadinha é que visitas turísticas não são permitidas durante os horários das missas – e tem missa quase toda hora, mas nós demos sorte e conseguimos – As obras mais famosas são a Crucificação de São Pedro, e a Conversão de São Paulo de Caravagio.

Roteiro de Roma

A Piazza del Poppolo também é um excelente lugar para matar a fome, as ruazinhas que contornam a praça estão cheias de restaurantes gostosos. Experimentamos Trattoria e Pizzeria Dal Pollarolo 1936  (Via di Ripetta 4-5) e adoramos. Para comer peça uma bruscheta de entrada e uma lasanha de prato principal.

Se você estiver cansado pode encerrar o dia por aqui e curtir um final de tarde de compras na Via del Corso e Via Condotti que ficam bem pertinho daqui (há uma estacão de metrô na praça para quem quer pegar um metrô direto para o hotel). Para quem tem pique de caminhar, vale a pena subir as escadarias que saem da praça e visitar a Villa Borguese.

Villa Borghese

Ninguém gosta de subir degraus, mas todo mundo gosta de vista bonita, taí o primeiro motivo para incluir a Villa Borghese no seu itinerário, o parque é a maior área verde da cidade e possui formato de coração. O espaço foi comprado pelo governo italiano por volta de 1900 (era propriedade da família Borghese até então) e, desde então, e um pólo cultura com mais de 80 hectares de jardins, fontes, lagos, estátuas e um belo espaço para respirar um pouco.

Roteiro Roma

Roma vista do alto da Villa Borghese

Dentro do parque, há um zoológico, uma casa de brinquedo para as crianças, alguns museus como o “Museo Pietro Canonica” e a “Galleria Borghese”, fontes como a Fontana dei Cavalli Marini, e muito mais! Vale fazer um passeio completo.

Falando em Galleria Borghese, muita gente considera a galeria mais linda de Roma pois é uma mescla perfeita entre beleza, arte, história e organização. A visita é ultra controlada, comprada com horários pré determinados (compre seu ingresso antecipado porque esgota MESMO ) e duração máxima de duas horas, mas não se preocupe que em duas horas você terá tempo de ver (e se encantar) pelo melhor do museu. As visitas duram até, no máximo, duas horas – o que evita a superlotação. Portanto, o ideal é adquirir o ingresso antecipadamente (não faça como eu que acabei não visitando o Museu por não ter entrada) e com hora marcada. Reserve seu ingresso no site oficial da Galleria Borghese (e caso já esteja esgotado, vale também checar no  Get Your Guide.

  • Ingressos:
    Adultos: 20 Euros
    Menores de 18 anos: Gratuito
    Visita guiada: 59 Euros
  • Horário de funcionamento:
    De terça à domingo das 09h às 19h

Depois do passeio retorne para o centro de Roma e jante em algum lugar caprichado.

Onde comer bem em Roma

Dei várias dicas de restaurantes e lugares para comer ao longo deste post, mas deixo aqui meu resumão – e um dos posts mais deliciosos da blogosfera, juro – onde comer bem em Roma? Não se esqueça de me contar que lugares provou e gostou, hein?

Dia 4: Você escolhe: passeio + profundo por Roma ou bate e volta

Hoje é dia de escolher entre um bate e volta pelos arredores de Roma (tem muitas opções legais, e darei algumas delas) ou um passeio mais profundo pela cidade.

  1. Passeio mais profundo por Roma
  2. Bate e voltas a partir de Roma

1) Para quem fica em Roma

Com três dias você conheceu os principais pontos turísticos de Roma. Com 4, dá para externar o passeio e conhecer a cidade a fundo. Muita gente guarda o quarto dia para visitar as 4 basílicas maiores, o que é uma opção bem interessante para os católicos mas que exige uma organização legal já que três delas ficam afastadas do centro de Roma – e a Basílica de São Paulo não está tão próxima ao metrô.

Minha sugestão é um roteiro mais eclético, visitaremos a cripta dos frades Capuchinhos que é o mais próximo de uma catacumba no centro de Roma, a linda basílica de Santa Maria Maggiore (assim visitaremos pelo menos 1 das 4 basílicas maiores), o monumento a Victor Emanuel (para ter mais uma vista sensacional de Roma do alto) e o incrível Museu Capitolino – que por algum motivo acaba ficando de fora dos principais roteiro de Roma, mas que super deveria entrar na sua viagem. Vamos a descrição detalhada do dia de hoje?

Paradas do dia 4:

  • Museu e cripta dos frades Capuchinhos
  • Basílica de Santa Maria Maggiore
  • Monumento à Vitor Emanuel
  • Museu Capitolino
  • Jewish Ghetto
  • Grande Sinagoga de Roma
  • Basílica de Santa Maria em Travestere

Museu e cripta dos frades Capuchinhos

Nosso dia de hoje começa no Museu e Cripta dos Frade Capuchinhos. A estação de metrô mais próxima é a Barberini e este museu, um tanto quanto macabro, relata a criação da ordem dos Capuchinos. Você verá milhares de esqueletos – há cerca de 4 mil ossadas – dispostas de forma um tanto quanto estranha (pensem em mosaicos formados por ossos), corpos inteiros vestidos com o habito capuchinho, um quadro pintado por Caravaggio que retrata San Francisco segurando um crânio, além de obras de arte e objetos de frades.

A visita dura cerca 40 minutos (claro que quem quiser ler tudo vai demorar um pouco mais) e é estranha, porém interessante. É o mais próximo que você consegue chegar “das visitas às catacumbas” sem sair de Roma. O Gu achou o passeio bizarro, mas vive recomendando pra quem vai a Roma. Vai entender, rs!

  • Ingressos:
    Adultos: 8,50 Euros
    Menores de 18 anos e maiores de 65: 5 Euros
  • Horário de funcionamento:
    Todos os dias das 09h às 19h

Basílica de Santa Maria Maggiore

Dali, seguiremos em linha reta pela Via delle Quattro Fontane, que no cruzamento com a Via del Quirinale tem as 4 fontes que dão origem ao nome da avenida e sempre me fazem pensar: em que outra cidade do mundo há 4 fontes num cruzamento qualquer? Adoro Roma.

Há 26 igrejas romanas dedicadas à Santa Maria, essa é a maior e mais imponente de todas – também é uma das quatro maiores Basílicas da cidade. Foi construída por volta do século IV e, segundo a lenda, após a Virgem ter aparecido ao Papa Libério e indicado a sua construção em algum lugar que tivesse neve em Roma (por isso ela também é conhecida como Santa Maria das Neves). Por isso, todo dia 05 de agosto, milhares de pétalas brancas de rosa caem no interior da Basílica.

Em seu interior é possível encontrar diversos estilos arquitetônicos, um campanário incrível, alguns mosaicos e um chão feito em mármore durante o período medieval.

  • Horário de funcionamento:
    Todos os dias das 07h às 18h30

Monumento à Vitor Emanuel

Seguiremos agora para o Monumento à Vitor Emanuel, ou como brincam os Romanos, a “Máquia de escrever”. Branco, imponente e imenso, o monumento destoa um tanto das ruínas romanas que o rodeiam, mas é uma pedida especial para ver Roma do alto (a vista das ruínas romanas e do Coliseu é imbatível). A visita conta com três paradas interessantes: Museu do Ressurgimento (que é gratuito e documenta a história da Itália), a basílica de Santa Maria in Aracoeli (que é linda por dentro com direito a mosaicos no piso, afrescos no teto e pinturas por todos os lados) e os terraços (única parte paga da visita – o pedaço final é feito de elevador e as vistas são maravilhosas).

Roma vista do alto do monumento Victor Emmanuel II

Coliseu e ruínas romanas vistos do alto do monumento a Victor Emmanuel

  • Elevador para o terraço:
    Adultos: 7 Euros
    Menores de 18 anos e maiores de 65: 3,50 Euros
  • Horário de funcionamento:
    Todos os dias das 09h30 às 19h30

Museu Capitolino

Demorei 4 visitas à Roma para conhecer o Museu Capitolino e gostei tanto do que vi que recomendo que você o encaixe na sua primeira visita. A experiência começa na porta do Museu, ao subir a Cordonata – escada desenhada por Michelangelo. Você chegará à praça do Capitolio, que fica bem nas costas do Fórum Romano, e será recebido por uma estátua equestre de Marco Auréli. Ali, você pode dar uma espiadinha na fontes que pertecem ao acervo do museu e que dá uma palhinha no potencial da visita, imponente não?

Roteiro de 15 dias na Itália

Museu Capitolino

O Museu Capitolino é o museu público mais antigo do mundo e tem uma coleção bem vasta com obras que foram doadas pela igreja – a mais famosa é a estátua da Loba Capitolina (um dos destaques do museu) – e estão espalhados e três edifícios diferentes. Eu adorei o grande corredor que te leva a um mirante intimista do fórum romano e o terraço com vistas panorâmica da cidade. Dentre as obras de arte, não dá para não falar da estátua equestre de Marco Aurélio (lembram da réplica que você viu ao subir as escadas do museu? Essa é a original e é lindíssima), a Medusa de Bernini – Medusas sempre me dão um calafrio – e as paredes decoradas do Hall dos capitães.

  • Ingressos:
    Adultos: 15 Euros
  • Horário de funcionamento:
    Todos os dias das 09h30 às 19h30

Jewish Ghetto

Saindo do museu, entraremos no Gueto Judaico, aqui o mapa do comecinho do post dá uma ideia de rota, mas por favor saia dela e faça suas próprias descobertas.

O Gueto Judaico é o coração da comunidade judia de Roma e o local onde os judeus foram confinados entre 1550 à 1870. Caminhe olhando para o chão e você verá plaquinhas douradas que indicam as famílias que foram levadas aos campos de concentração.

Roteiro de 15 dias na Itália

Camnhando pelas ruas do Beco Judaico

A região foi formada em 1555 após o Papa Paulo IV estabelecer fronteiras de segregação. O Gueto só foi aberto definitivamente em 1848 por Papa Pio IX e apenas o Papa João Paulo II declarou que a Igreja Católica deveria ter defendido os judeus durante o Holocausto.

Ao contrário de ruas com bares e restaurantes modernos, naquela época a região não possui rede de esgoto e sua população era obrigada a usar bonés ou xales amarelos para se diferenciar do restante. Eles podiam sair da área durante o dia, mas tinham um toque de recolher para voltarem ao Gueto antes dos portões serem trancados.

Neste miolinho, também está o Teatro Marcello, que foi construído no ano de 17a.C. (ou seja, ele é mais antigo que o Coliseu). Falando nisso, o Teatro tem uma grande semelhança com o Coliseu – provavelmente serviu de inspiração para a construção do icônico monumento.

Roteiro Roma

Teatro Marcelo

Nele, aconteciam apresentações teatrais e de sacrifício em determinadas comemorações. A ruínas que o cercam atualmente mostram que a decoração era de extremo luxo, com arcadas decoradas com máscaras de mármore e todo revestimento feito também em mármore branco. Caminhe por entre ele (é gratuito) com calma e observando todos os detalhes.

Grande Sinagoga de Roma

Também chamada de Tempio Maggiore di Roma, ela é a maior sinagoga de Roma e localizada no rione Sant’Angelo (também no Gueto Judaico). Ela foi construída depois da unificação da Itália, em 1870 – data em que o Gueto foi demolido e os judeus ganharam cidadania italiana.

Em suas paredes, placas estão fixadas homenageando às vítimas do nazismo. Hoje, além de templo a Sinagoga é também um centro cultural, abrigando o escritório do rabino-chefe e o Museu Judaico de Roma.

Basílica de Santa Maria em Travestere

Agora, se você não esticou o seu primeiro dia até o bairro de Travestere, essa é a hora. Vale conhecer o bairro boêmio e a Basílica de Santa Maria. Como já falamos dela no comecinho do post, não vou repetir, tá?!

  • Horário de funcionamento:
    Todos os dias das 07h30 às 21h

2) Bate e voltas a partir de Roma

Aí vão 3 sugestões de lugares interessantes para visitar a partir de Roma:

Tivoli:

Conhecida pelas maravilhas Villa d’Este (uma das principais obras do Renascimento e patrimônio Mundial da Unesco) e pelas ruínas maravilhosas da Vila Adriana, Tivoli é um dos meus bate e voltas preferidos de Roma. Dá para fazer o bate e volta à Tivoli por conta própria, ou contratar um passeio guiado de dia inteiro. Seja qual for a sua escolha, Tivoli é linda e merece a visita!

Roteiro Roma

Villa d’Este

Pompéia + Nápoles:

Fiz minha visita às ruínas de Pompéia a Caminho de Positano (já viu meu roteiro de 15 dias na Itália?) e achei o rolê tão bacana que se tivesse pouco tempo faria um bate e volta pra conhecer Pompéia e dar uma chegadinha em Nápoles. O Ric Freire do Viaje na viagem, ensina como fazer este rolê e ainda encerrar o dia com a pizza mais famosa de Nápoles. Quem se anima?

Roteiro de 15 dias na Itália

Ruinas de Pompeia

Catacumbas de Roma:

Deixe este passeio por último, mas na real ele é o primeiro item da minha lista para uma próxima ida a Roma, adoraria conhecer alguma das Catacumbas de perto. Grande parte das catacumbas romanas ficam em uma região chamada Appia Antica (sinalizei as principais catacumbas de Roma na cor vinho) e há linhas de ônibus de linhas que conectam Roma à região. Para quem não quer perrengue algum, há a opção de pegar a linha roxa do Ônibus de Hop-on-hop-off e descer na porta.

E aí, gostou do nosso roteiro de 3 ou 4 dias em Roma?


Viaje sem stress

✅ Reserve seu hotel em Roma

Faça seu seguro de viagens 


Veja também:

Milão:

Florença & Toscana

Costa Amalfitana


E, para ficar por dentro de todas as novidades do Ideias na Mala, siga nosso instagram!

Guarde este post no Pinterest!
Roteiro de Roma
Roteiro


SOBRE O AUTOR

mari vidigal

Viajante incansável, daquele tipo que no meio de uma viagem já está pensando na próxima, na próxima e na próxima. Apaixonada por fotografia, natureza e vinhos

80 comments

  1. ISA 17 outubro, 2017 at 02:33 Responder

    Ola Mari, parabens pelas otimas dicas .. embarco na proxima semana e me ajudou muito !! Fiquei so com uma duvida se fale a pena comprar o ROMAPASS ou os bilhetes em separado .. o que recomenda ?

  2. Marcio Martins 2 março, 2017 at 21:19 Responder

    Ola Mari.

    Primeiramente gostaria de parabenizar pelo blog. Estou programando uma viagem para Roma e as dicas foram extremamente úteis. Estarei em Roma com minha esposa entre os dias 29/04 a 04/05 (04 dias inteiros).
    Montei um roteiro inicial, e gostaria muito de vosso auxilio para avaliar ao mesmo. Lembro que no 02° dia será feriado de 01 de maio e muitas atrações estarão fechadas. Estarei hospedado no Transtevere.

    -DIA 01 (30/04):
    Coliseu, Palatino e Forum
    Arco de Constantino
    Circo Massivo
    Piazza Venezia,
    Monumento a Vittorio Emanuelle II

    -DIA 02 (01/05)
    Basílica do Vaticano
    Museu do Vaticano, Capela Sistina
    Algo mais?

    -DIA 03 (02/05)
    Phanteon
    Basílica di Santa Maria Sopra Minerva.
    Piazza Navona
    Fontana Di Trevi
    Piazza del Popolo
    Piazza del Spagna

    -DIA 04 (03/05)
    Audiência com Papa (Vaticano)
    Castelo San Ângelo
    Basílica di San Giovanni
    Algo mais??

    Gostaria muito de receber sua opinião, e sugestões de acréscimos ou alterações.

    Antecipadamente agradeço pela atenção

    • mari vidigal 6 abril, 2017 at 16:40 Responder

      Oi Marcio,
      Seu roteiro tá ótimo.
      Achei o primeiro dia pesado. Talvez valha a pena dividir algo com o segundo.
      No segundo dia, vale encaixar o Aventino.

      Abraços

  3. Paulo Ferreira 6 outubro, 2016 at 12:31 Responder

    Olá Mari,

    Estarei em Roma 3 dias inteiros agora em Outubro e ainda bem que encontrei seu roteiro, muito detalhado. Só uma dúvida relativamente ao segundo dia, você foi no Vaticano da parte da manhã e voltou na Piazza del Popollo para almoçar na Trattoria del Pollarolo? Outra coisa, em Outubro que considero época baica, você acha que vale apena comprar já os bilhetes via online para o Coliseu e para o Vaticano para não apanhar fila lá? Vou estar também em Florença, Veneza e Milão.

    Com Os Melhores Cumprimentos,
    Paulo Ferreira

  4. Danielle 25 agosto, 2016 at 19:42 Responder

    Olá, tudo bem?

    Adorei as dicas, mas fiquei com uma dúvida…algum desses passeios são pagos? Se sim, sabe dizer o valor?

    Obrigada.
    Danielle

  5. SUELEN 10 agosto, 2016 at 15:29 Responder

    Olá, irei para Itália em outubro.
    E estou com seu roteiro em mãos.
    Já vi muitos vídeos e vários roteiros, mas confesso! Adorei o seu. Muito bem explicado.
    Obrigada!
    Quando voltar falo um pouco como foi….
    Abraço
    Suelen

  6. ana jacqueline 8 julho, 2016 at 02:24 Responder

    Oi Mari, Parabéns pelo blog e suas lindas fotos. Assisti seu vídeo e adorei com o tempo vc acostuma. e parabéns pelo bebê que irá chegar. Este ano em maio fiz seus roteiros para Lisboa, Madrid e Barcelona e deram super ok. Todas os países e cidades são maravilhosas valem a pena conhecer. No próximo ano pretendo fazer Paris, Londres, Berlim, Zurique Milão, Veneza e Roma. Então suas dicas são preciosas. Obrigada pelo cuidado dos textos e orientações. Super bacanas. pessoas como vc fazem diferença no mundo. Compartilhar com o próximo momentos tão especiais de uma viagem. Só quem adora viajar sabe o valor inestimável de cada uma delas. Parabéns. Um abraço fraterno.

  7. Regiane 18 fevereiro, 2016 at 14:29 Responder

    Olá, ficarei uns 10 dias nas proximidades de Roma, Além da Capital Italiana e Tívoli, vc sugere mais alguma cidade para conhecer? Obrigada.

    • mari vidigal 28 fevereiro, 2016 at 18:48 Responder

      Oi Regiane,
      Você já conhece Naopilis? Vale uma Bate-e-volta para comer uma pizza e conhecer a parte antiga da cidade! Pegue um trem expresso cedinho e volte no final do dia! Conheço pouco os arredores de Roma e por tanto não tenho nenhuma dica de bate-pronto.
      Beijos

  8. André 17 janeiro, 2016 at 18:42 Responder

    Olá! Obrigado pelas suas dicas. Estive 3 dias em Roma e segui o seu roteiro, embora com algumas alterações. As suas informações foram preciosas.

  9. MONICA MELLO 27 dezembro, 2015 at 20:17 Responder

    Boa tarde,
    Adorei seu roteiro de 3 dias… Queria aproveitar e te perguntar o seguinte: Eu gostaria de ver a missa que o Papa reza aos domingos na Praça de São Pedro. Isso ainda acontece? É demorado? Eu teria que ficar mais um dia prá fazer isso? Acha que vale a pena?
    Obrigada
    Mônica Mello – Rio de Janeiro

    • mari vidigal 28 dezembro, 2015 at 16:37 Responder

      Oi Monica,
      Tudo bem?
      Também morro de vontade de assistir essa missa,mas as três vezes que estive em Roma, o papa não estava.
      Não sei a duração da missa, mas sei que é preciso chegar bem cedo!
      Abraços e aproveite muito a viagem

  10. guidy 9 dezembro, 2015 at 14:51 Responder

    Olá Mari,
    Adorei seu blog e o seu roteiro, será que você não poderia me enviar somente os textos por email. Pois fui imprimir e da mais de 60 folhas.. De longe seu roteiro e descrição de detalhes esta muito acima dos outros que vi na web. desde já te agradeço.

    guidy

  11. Natalia Slongo 24 novembro, 2015 at 18:26 Responder

    Nossa, parabéns pelo site!!!! Ele é simplesmente maravilhoso e você escreve muuuito bem! Vou a Europa em Junho de 2016 e gostaria de saber se você tem alguma dica de hostel em Roma. Ficarei um 1 em Dublin e pretendo ir a Itália conhecer, pois tenho um sonho de visitar o país. Que cidades você me indicaria visitar além de Roma??! Desde já agradeço pelo site, ele é incrível!!! Beijos

    • mari vidigal 25 novembro, 2015 at 18:14 Responder

      Oi Nathália,
      O Alessandro Palace em Roma é super divertido. Já me hospedei duas vezes nele e recomendo.
      Se é a sua primeira vez na Itália recomendo Veneza, Florença (se tive tempo Luca e Siena são sempre boa pedida) e Roma.
      Beijos

  12. Ana Miguel 26 outubro, 2015 at 15:53 Responder

    Ola Diana, vou dia 22 de Abril até dia 25 para Roma, vou ficar no Hotel Lazin House Lucchesi, não sei se conhece. Sugere o mesmo roteiro? Ainda não comprei o voo por isso não sei se vou ter 3 dias livres ou so dois dias e uma tarde…
    Este seria a roteiro ideal? quanto a restaurantes sugere algum em especial?

    beijo

    • mari vidigal 26 outubro, 2015 at 23:25 Responder

      Oi Ana,
      Minha sugestão de roteiro é essa sim, e ele pode ser condensado em 2,5 dias fácil.
      To indo para Roma agora em Dezembro e voltarei cheia de dicas de restaurantes.
      beijos

  13. Claudia Rodrigues 9 setembro, 2015 at 19:49 Responder

    Mari, vou para Roma agora em outubro, vou ficar 4 dias em Bari a trabalho e 5 dias em Roma a lazer.
    A minha duvida é quanto as temperaturas, de 10/10 a 18/10 vai estar muito frio ou ainda um pouco quente que dê para usar roupas de verão.
    Já passei muito frio em algumas cidades da Europa no verão!
    Obrigada.

    • mari vidigal 14 setembro, 2015 at 03:13 Responder

      Oi Claudia,
      Pode ser que esfrie sim, na dúvida, dê uma olhada na média de temperatura dos últimos anos no http://www.weather.com e ná dúvida, leve sempre um casaco mais quentinho. Como você mesmo disse, mesmo no verão a temperatura varia bastante. Imagine no outono!
      Beijos e aproveite a viagem!

  14. Vital 9 setembro, 2015 at 17:27 Responder

    Mari, amei seu blog, sempre sonhei em ir à Roma, vendo seu blog, a vontade aumentou muito rsrsrsr
    Vou à Europa como estudante (dinheiro contadinho :-P), estarei em Roma em dezembro e pretendo ficar 3 dias, seguirei o seu roteiro ao ” pé da letra”. Você sabe indicar algum hostel baratinho e bem localizado? Muito obrigada e um abraço. Parabéns!!!!!

    • mari vidigal 25 setembro, 2015 at 23:13 Responder

      Oi Vital,
      Barato, Barato com o dólar a 4, fica difícil, mas o Alessandro Palace hostel tem um custo benefício ótimo. Já fiquei lá duas vezes.
      Beijos

  15. sergio pita 22 agosto, 2015 at 11:08 Responder

    olá, li com muita atenção e entusiasmo, as vossas dicas, mas como é a 1ªvez que vou a Roma (6 a 9 de dezº ), lua de mel!.. faço 40 anos de casado, gostaria que me desses um roteiro para estes três dias, de preferencia que se possa fazer tudo caminhando, O aeroporto é perto do centro de Roma? se tiveres alguma dica do nome do hotel perto de tudo isto, seria ótimo. fico a aguardar uma resposta…e mais uma vez parabéns pelo teu blog. abraço

  16. Diana 14 agosto, 2015 at 20:39 Responder

    Olá!

    Antes de mais parabéns pelo blog!!

    Vou para Itália no final do mês e chego a Roma por volta das 16h e fico até ao final do dia seguinte (tenho voo para Lisboa às 19h20).

    Gostaria de pedir ajuda quanto ao roteiro. uma vez que é a primeira vez em Roma.

    Estava a pensar passear / visitar os seguintes locais (o hotel fica mesmo na Piazza di Spagna):

    Piazza del Popolo
    Piazza di Spagna
    Fontana di Trevi
    Piazza Colonna (Palazzo Chigi , coluna Marco Aurélio)
    Piazza di Monte Citorio (Palazzo Montecitorio)
    Phanteon
    Piazza Navona
    Piazza Venezia (Monumento a Vitorio Emanuel II)
    Coliseu
    Forum
    Arco de Contantino
    Vaticano (Basílica de S. Pedro e Pietá de Micheangelo, Capela Sistina),
    Castelo de Santt’Angelo

    É possível visitar tudo no domingo depois de chegar, ou seja, passear pela cidade e visitar o Panteão, o Coliseu, o Fórum e o Palatino e ainda o Arco de Constantino e deixar para segunda de manhã o Vaticano (quero visitar a Basílica e a Capela Sistina) e o Castelo de Sant’Angelo.
    Teria ainda a tarde até às 17h para passear.

    Alguma sugestão quanto ao roteiro? Devo comprar os bilhetes antecipadamente?

    Obrigada!
    Diana

    • mari vidigal 17 agosto, 2015 at 15:42 Responder

      Oi Diana
      É muita coisa para ver em pouco tempo, td depende com que profundidade e em que nível de detalhes você quer ver tudo. Eu se fosse você faria esse roteiro das praças e fontes + Panteon no primeiro dia e no segundo dia começaria com o Vaticano (Museu primeiro e igreja depois) e quando terminar siga para o Coliseu, e por último, se der tempo, o frum romano.
      Para o Coliseu, vale a pena comprar bilhetes antecipados sim (com tão pouco tempo, melhor não perder tempo na fila, certo?!)
      Beijios

      • Diana 17 agosto, 2015 at 22:10 Responder

        Obrigada pela resposta Mari!

        Estive a fazer as alterações no roteiro e ficou óptimo.

        Apenas tinha começado o roteiro pela Piazza di Spagna porque o hotel onde vou ficar é lá.

        Mas posso sempre começar o passeio “ao contrário” e terminar naquela zona.

        Beijo

    • mari vidigal 29 julho, 2015 at 00:50 Responder

      Oi Fellipe, Fico feliz que vc tenha gostado do roteiro! Muito obrigada pela visita e pelos elogios! Aproveite Roma, e sempre que for viajar, apareça por aqui! Beijos

  17. liviane 26 março, 2015 at 00:15 Responder

    ola estarei em roma em maio e queria dica de um hotel bacana que tenha cafe e um custo beneficio para podermos fazer mais passeios a pe

    • mari vidigal 26 março, 2015 at 14:08 Responder

      Oi Liviane, Td bem?
      Infelizmente não tenho nenhum hotel de cabeça para recomendar, mas minha área preferida para se hospeda é perto da Piazza del Poppolo.
      Aproveite bastante a viagem!

  18. Pedro 2 fevereiro, 2015 at 23:49 Responder

    Adorei seu post. Vou a Roma estarei la de Sexta a hora de Almoço até segunda de manha.

    Tenho 2 duvidas, Vou sozinho, sei que parece maluqueira mas é uma cidade que quero muito conhecer e ninguem tem ferias aquando a mim… Achas aquilo relativamente seguro para andar sozinho?

    a outra duvida, ocorreu.me apanha um comboio e ir conhecer Florença e Pisa ainda que por alto, mas pelo que vi do teu blog Roma tem coisas bonitas demais para estar a perder tempo saindo de la nesses dias… Que achas?

    • mari vidigal 11 fevereiro, 2015 at 10:37 Responder

      Oi Pedro, td bem? Já fui duas vezes pra Roma sozinha e não tive problema nenhuma. A única coisa que eu evitaria, é a área da estação de trem Termine a noite!
      De resto, vai feliz que você vai aproveitar e amar muito a viagem!

      • Pedro 12 fevereiro, 2015 at 15:40 Responder

        Mari Vidigal, obrigado pelo seu comentario!

        O meu hostel é perto de Termine… 10 minutos a pé.

        Espero que seja uma zona segura.

        Tenho visto tanta coisa bonita para ver em Roma que ja desisti da minha ideia de ir a Florença e Pisa e fa-lo-ei numa outra altura que possa viajar especiamente para la.

        Vou no ultimo fim de semana do mes. Soube que o Vaticano tem mais acessos nesse dia. Sabes de alguma coisa?

        • mari vidigal 1 março, 2015 at 17:19 Responder

          Oi Pedro,
          Termine é relativamente segura! 😉
          Você vai amar Roma.
          Dá sempre para entrar na Basilica de São Pedro (é grátis). O museu do Vaticano costuma ser pago, não tenho certeza se existe algum dia grátis. Chegue cedo!
          Abraços

  19. Filomena 12 outubro, 2014 at 06:57 Responder

    Boas dicas que tenho aproveitado neste momento a passar 4 dias em Roma.
    Aproveito para deixar uma dica para evitar as inumeras filas.. Comprem bilhete online para o museu vaticano e capela sistina, entram directo. No final da visita podem fazer a Cupula e directo na Basilica S. Pedro sem passar fila.
    Roma é uma descoberta de arte a cada esquina! Bom passeio

  20. Isabel 17 agosto, 2014 at 18:25 Responder

    Adorei as dicas! Hoje foi nosso segundo dia em roma e seguimos varias delas, adaptando a algumas preferencias pessoais! Amanha faremos todo o Vaticano! So queria dizer que senti falta da praça veneza, que achei absolutamente linda, e super pertinho do coliseu – vale a caminhadinha pra conhecer! 🙂

  21. Monique 15 julho, 2014 at 01:14 Responder

    Olá,
    chegarei em Roma por volta das 15:00h e estava querendo aproveitar o resto do dia. Pensei em ir para o Coliseu, Fórum Romano e Palatino por volta das 17:00, seria uma boa ideia? Terei 2 dias e meio em Roma, por isso quero aproveitar ao máximo!
    Obrigado.

    • mari vidigal 15 julho, 2014 at 02:48 Responder

      Oi Monique,
      Eu se fosse você aproveitaria o resto do seu dia curtindo as praças e fontes romanda, que são um máximo!!! No dia seguinte, com mais calma e menos pressa, faça esse passeio por Roma antiga.

      Abraços

  22. Marcelo Barros 12 maio, 2014 at 01:16 Responder

    Dicas sensacionais, Parabéns e obrigado.
    estou indo para Roma e suas dicas me ajudaram bastante.
    Obrigado
    Marcelo Barros

  23. Cleu 7 março, 2014 at 14:17 Responder

    Boa tarde, adorei as suas dicas, vc sabe me informar como é o tempo em Roma no início de Abril, estarei lá entre os dias 06 e 09 de abril? Em quanto tempo dá pra fazer as praças e fontes? Vc tem alguma outra opção pra fazer no período da manhã?

    Obrigada
    Cleu

    • mari vidigal 31 março, 2014 at 16:09 Responder

      Oi Cleu, dá uma olhada na previsão do tempo no: https://br.tempo.yahoo.com – De qq forma, abril é meia estação, nem quente e nem frio.
      O tempo para fazer as praças e fontes depende da velocidade do seu passo, mas para ver com calma umas 2,5 horas.
      Quanto a mais opções de passeio, em Roma não vão faltar… tem um monte de igrejas lindas, parques e fontes espalhados por todo o lado! Um passeio pelas margens do Rio desde a Piazza del Poppollo até o Vaticano,por exemplo, é uma delicia.

  24. Carolina 2 março, 2014 at 21:05 Responder

    Oi mari, tudo bem?

    Você já me respondeu à respeito de Paris, agora queria saber sobre Roma.. 🙂
    Como o tempo é curtissimo, gostaria de saber de dá pra fazer no mesmo dia Coliseu e as fontes, se é tudo perto. Ou melhor Vaticano e as fontes, ou Vaticano e Coliseu.. ?
    Temos mais um dia, gostaria de conhecer Capri, mas acho que é o período que está fechada.. E Pompeia, você tem alguma opnião? Acho que é tempo perdido em deslocamento… Gostei também de Tivoli, mas deve ser longe tbm ne?

    Desde já agradeço,

    Bjs,
    Carol

    • mari vidigal 3 março, 2014 at 03:25 Responder

      Oi Carolina,
      Tudo bem?

      Deixa eu ver se entendi bem… vc tem dois dias em Roma, certo?
      Acho que em um dia você consegue combinar um parte das fontes com o Coliseu e no dia seguinte a outra parte com o Vaticano. Veja o mapa e programe-se bem!
      Não conheci Pompeia e nem Capri, mas Tivoli é linda e se vc tiver um terceiro dia é uma ótima opção.

      Abs

  25. franci silva 1 outubro, 2013 at 17:16 Responder

    Adorei seus comentários….sua visão de Roma é diferente e suas fotos são ótimas…
    Sinceramente, já tenho quase 60 anos e nunca tive coragem de viajar sozinha, mas agora estou animada…antes que a gente passe pra outra….voltarei ao seu bloq pra tirar mais informações..adorei…bjos

    • mari vidigal 3 outubro, 2013 at 15:09 Responder

      Oi Franci,
      Que bom saber que vc “tomou coragem”.
      Na volta, passae aqui para contar como foi!
      Abraços e aproveite muito

  26. planejandoaviagem 2 outubro, 2012 at 12:30 Responder

    Oi Mari, passei por aqui para conferir seu post sobre Roma e também para conhecer seu blog. Adorei suas dicas do roteiro, principalmente a sugestão do almoço próximo a Cavour e a visita ao Parco Savello para ver o famoso buraco da fechadura. Também escrevo sobre Roma, se quiseres visitar meu blog e deixar um comentário com uma link para seu post seria ótimo. Segue o endereço: http://planejandoaviagem.wordpress.com/2011/11/07/roteiro-de-alguns-dias-em-roma/
    Além disso, vi que viajas bastante e a partir de agora vou voltar sempre para conferir suas dicas. Abraços

Post a new comment

Veja também