O que fazer na Emilia Romagna: 10 passeios imperdíveis

Saiba o que fazer na Emilia Romagna, um resumão com 10 dos passeios mais especiais da região incluindo cidades incríveis como Bolonha, Parma, Ravenna e Rimini. Veja neste post dicas incríveis para explorar a região!

O que fazer na Emilia Romagna: 10 passeios imperdíveis

Atenção fãs de comida italiana de plantão, chegou a hora de explorar uma das regiões mais deliciosas da Italia, a Emilia Romagna. Sim estamos falando de molho bolonhesa (ragù alla bolognese), presunto de Parma, queijo parmesão, azeite balsâmico e vinhos deliciosos.

E não é só isso não, a Emilia Romagna também é conhecida por ser a casa de marcas automobilísticas famosíssimas como Ferrari, Lamborghini, Maserati, Pagani e Ducati, e você poderá aproveitar sua visita para conhecer os museus, ou porque não, acelerar um desses carros?!

Quer outros motivos para visitar a região? 

Se apaixonar pelos mosaicos de Ravenna, curtir um dia de praia nas cidades costeiras de Rimini, Cervia ou Riccione e carimbar seu passaporte Em San Marino,  um dos menores países do mundo e que fica bem na fronteira da Emília Romagna.

Viu só quantos motivos incríveis? Neste post no listamos 10 passeios incríveis pela Emilia Romagna. Vamos nessa?

Onde fica a Emilia Romagna?

A Emilia Romagna fica no norte de Itália, bem ao norte da Toscana (onde estão algumas das cidades queridinhas dos brasileiros como Florença, Pisa e Siena) e ao sul da Lombardia (onde está Milão) e Veneto (região de Veneza). Sua capital e a maior cidade da região é Bolonha.

A Emilia Romagna é um destino perfeito para ser incluído no seu roteiro pela Itália, dá fácil para incluir uns 2 ou 3 dias na região entre uma parada em Veneza e Florença, ou Florença e Milão. Não tem dois dias? Vale pelo menos dedicar um dia a Bolonha entre uma parada ou outra. Seja como for vale considerar a região na sua próxima viagem a Itália!

Como chegar à Emilia Romagna?

O Aeroporto de Bolonha (Bologna – BLQ) conta com voos de alguns das principais cidades europeias, e a estação central de trem tem conexões com as principais cidades italianas (e acredite, andar de trem é fácil e muito gostoso na Italia).

[googlemaps https://www.google.com/maps/embed?pb=!1m18!1m12!1m3!1d635998.8044071387!2d10.195559127504453!3d44.537303862921355!2m3!1f0!2f0!3f0!3m2!1i1024!2i768!4f13.1!3m3!1m2!1s0x132ab57c46f385dd%3A0x1079b0bfcba7ca0!2zRW3DrWxpYS1Sb21hbmhhLCBJdMOhbGlh!5e0!3m2!1spt-BR!2sus!4v1532364268748&w=600&h=450]

O que fazer na Emilia Romagna:

BOLONHA

1 – Subir a torre de Bolonha

Bolonha é a “capital” da Emilia Romagna, e geralmente é a base para conhecer a região, suas conexões de trem também são ótimas para outros locais da Itália, como Milão e Florença. A cidade é relativamente pequena, e seu centro histórico é bem fácil de ser explorado caminhando e está repleto de paradas lindas. Um dos símbolos da cidade são as torres de Garisenda e de Asinelli. A primeira, que é a menor e não pode ser visitada, tem uma inclinação de 3,2 metros ou seja, maior que a Torre de Pisa. Já a torre de Asinelli é aberta ao público, são “apenas” 498 degraus para subir os 97,2 metros de altura, mas juro que a vale a pena, nos dias claros dá até para ver o Adriático. Os ingressos são vendidos online, com hora marcada.

2- Aprender a fazer o verdadeiro ragu alla bolognese

Se você chegar na Itália e pedir uma massa com molho bolonhesa, os italianos provavelmente vão achar esquisito. Molho? O correto é ragu alla bolognese, e a massa tradicional para comer com o ragu é o tagliatelle. Ô combinação boa.

E já que estamos em Bolonha, nada como provar o tal do ragu alla bolognese, direto da fonte, não é mesmo?

E já que estamos na terra onde tudo isso começou, por que não aprender a fazer o prato com quem realmente sabe? Não faltam opções de aulas de culinária em Bolonha, e quer saber? Vale mega a pena. Fiz com a La Cesarine, uma associação cozinheiros que ensinam em suas próprias casas, para passar uma autêntica experiência para os viajantes. Nossa professora, a Diva Gelosi, nos recebeu em sua sala com o maior carinho e paciência. Paciência mesmo, porque eu sou tão boa cozinheira que não sei nem quebrar um ovo. Foi uma experiência incrível, as aulas são para grupos muito pequenos, então é bem intimista e ficou uma delícia! Para quem não quer colocar a mão na massa, a Cesarine também oferece jantares nas casas do locais, é só sentar a mesa e se deliciar.

Prefere provar o bolonhesa num dos restaurantes locais? A nossa dica é o Oltre (b 1, Via Augusto Majani) , um restaurante moderninho e caprichado. Uma pedida certeira para provar um autêntico macarrão à bolonhesa e outras delícias locais! Outras boas pedidas são o Trattoria de la Montanara, Trattoria Tony e Trattoria Dal Biassanot.

3 – Devorar o aperitivo em Bolonha

 

O aperitivo é uma tradição Italiana deliciosa, uma espécie de happy hour que acontece no final do dia, por volta das 17h. Durante o aperitivo os bares servem comidinhas deliciosas à vontade para quem consome os drinks da casa. Várias cidades da Emilia Romagna oferecem aperitivos caprichados, e foi em Bolonha que eu encontrei os mais animados.

E como que estamos na terra da comida boa, vale aproveitar a deixa para provar um pouco de tudo e sem gastar muito! Os dinrks custam entre 5 e 10 euros os aperitivos são sensacionais: queijos deliciosos, presuntos, mortadela e piadinas (um tipo de sanduíche). Se esbalde!

Um dos nossos cantinhos preferidos para um bom aperitivo em Bolonha é o 051(Via Dè Pignattari, 1/F) o lugar é uma graça e as comidinhas são ótimas. Pra quem curte explorar e descobrir, na Via Pesscherie Vecchie há vários cantinhos gostosos que oferecem aperitivos, na dúvida, escolha um mais cheio e mande ver!

4 – Comer tudo no FICO Eataly

E já que estamos falando de comida boa, precisamos falar do FICO Eataly (Via Paolo Canali, 8), o maior parque gastronômico do mundo que só podia ficar na Emilia Romagna. FICO significa Fabrica Italiana Contadina, e o Eataly já é uma marca internacional, com os melhores produtos italianos.

O FICO Eataly é um parque enorme, com comida de todas as regiões da Itália,  mais do que um mercado, a proposta do FICO é integrar o universo gastronômico em um único lugar, assim o FICO oferece aulas gastronômicas, palestras, mercado, fábricas, fazendinhas, restaurantes e bares. É para nenhum foodie colocar defeito!

O lugar é tão grande que tem até bicicleta para facilitar o transporte, mas o legal mesmo é ir andando e experimentando tudo. Tem área de queijos, azeites, presuntos, doces, vinhos, gelatos e tudo o que você possa imaginar. E já que estamos na Emilia Romagna a minha dica é ir área do Aceto Balsâmico e pedir para experimentar o Aceto de Módena, um vinagre balsâmico divino e que não se encontra facilmente pela Itália.

5) Visitar as vinícolas e beber os vinhos locais

Falei tanto de comida, mas também é impossível não falar dos vinhos da Emilia Romagna. Os vinhos da região são o Pignoletto, Sangiovese e o Lambrusco. Para degustar e conhecer mais sobre eles, nada melhor do que ir em uma vinícola da região. Conhecemos a Lodi Corazza, que fica a 20 minutos de carro do centro histórico de Bolonha. Eles oferecem tours guiados, degustações e jantares. No verão, algumas vinícolas da região se juntam para o Zola Jazz and Wine, e a cada final de semana um vinícola recebe um show de jazz na hora do pôr do sol.

PARMA

6 – Experimentar o Presunto de Parma e outras delícias locais

 

E já que o assunto é gastronomia, passemos a Parma, uma das melhores cidades da região para conhecer a gastronomia local.  Parma, é a terra do presunto de Parma e do queijo parmigiano reggiano. Então, o que devemos fazer por lá? Comer, é claro! E para não errar a nossa dica é fazer um tour gastronômico e visitar alguns dos melhores produtores locais.

Fizemos a Lowlander Tour com a empresa Food Valley, que passa por uma fábrica de queijo, uma fazenda produtora do presunto de Parma e uma vinícola, com degustações em cada uma das paradas. Durante o tour ainda conheci o culatello, que parece o presunto, mas não é, o culatello é feito de uma parte mais nobre do porco. Uma das curiosidades de Parma, e uma das muitas razões para você incluir este passeio no seu roteiro é que todos os produtos que degustamos, o queijo parmigiano, como o presunto de parma e o culatello são produtos de denominação de origem protegida (DOP), ou seja, só são realmente verdadeiros se são produzidos na região da Emilia Romagna e você irá provar-los direto da fonte!

SAN MARINO

7- Carimbar o passaporte num dos menores países do mundo

Você sabia que San Marino é país dentro da Itália? Sim, San Marino é a república mais antiga do mundo e um dos menores países que você vai conhecer, e embora não haja uma fronteira entre San Marino e a Itália, quem quiser pode visitar o centro de visitantes local e garantir um carimbo no passaporte!

Mas não vá só pelo carimbo, San Marino é lindo e cheio de peculiaridades, como por exemplo, ter dois presidentes que governam juntos em um mandato de apenas seis meses! Isso faz com que praticamente todo mundo tenha um ex-presidente na família.

A parte histórica do país fica no alto do Monte Titano, e a melhor maneira de chegar lá é de bondinho (ida e volta 4,50 Euros). Quem preferir pode subir de carro, ou de ônibus, mas chegar de bondinho vale super a pena e as vistas são lindas. Lá no alto, prepare para se encantar com as ruelas medievais charmosas e com as vistas espetaculares. O pôr do sol visto do alto do Monte Titano é um dos mais bonitos que eu já vi.

RAVENNA

8- Conhecer os mosaicos de Ravenna

Ravenna foi a última capital do Império Romano no Ocidente e com forte influência estilo Bizantino (predominante na Constantinopla, atual Istambul). Essa mistura faz de Ravenna um importante ponto histórico na Itália, mesmo sendo uma cidade pequena, Ravenna tem oito monumentos considerados Patrimônio Cultural da Humanidade, e é um verdadeiro deleite para quem curte arte e história!

Graças a influência bizantina, Ravenna é muito conhecida pelos seus coloridos mosaicos, tudo na cidade é relacionado aos mosaicos. A Basílica de San Vitale é um dos principais marcos da região, e é um dos maiores exemplares de arte e arquitetura bizantinas na Europa. Outras paradas interessantes em Ravenna são o Mausoléu de Gala Plácida, a igreja de San Apollinare Nuovo, o Battistero Neoniano e a tumba de Dante Alighieri.

Quer aprender a técnica?

Para os mais habilidosos, a dica é colocar a mão na massa e participar de um workshop com os artistas locais, enquanto saí pra passear pela cidade a Traveling Jules fez um workshop express no Koko Mosaico. Ela adorou a experiência e achou os professores ótimos

9- Dar um mergulho no Mar Adriático

Sim, a Emilia Romagna também tem praia! Para conhecer o litoral italiano, Rimini é um dos melhores destinos da região. E o legal é que não é tão bombado como a Costa Amalfitana e Cinque Terre, e tem uma vibe bem mais tranquila.

E assim como diversos lugares na Europa, a praia de Rimini é “loteada” com vários beach clubs que cobram para sentar nas espreguiçadeiras, e aproveitar a estrutura do local. Mas quem quiser  pegar a sua canga e estender na areia, é mais que bem vindo. Aproveite e dê um mergulho gostoso (eu achei a temperatura da água BEM mais agradável que a do Rio de Janeiro)

Vai pra Rimini? Não deixe de olhar o calendário de eventos da cidade, tem muita coisa legal que rola por lá, especialmente no verão. Isso sem falar da Roda Gigante Ruota Panoramica que é armada na beira da praia durante o verão.

10 –Visitar as fábricas, museus de carro e pilotar uma Ferrari

Emilia Romagna
Museu Ferrari | Foto: Divulgação

Fãs de carro e velocidade de plantão: tem MUITA coisa legal pra vocês na Emilia Romana, afinal foi na região que surgiram algumas das maiores marcas de carros esportivos e motos do mundo!

A Ferrari, por exemplo, tem um museu em Maranello, o da Lamborghini fica em Sant’Agata Bolognese, o da Ducati fica em Bolonha, a fábrica da Pagani em San Cesario Sul Panaro está aberta para visitas, e o Museu da Maserati fica em Modena (e quem for até lá pode aproveitar para pilotar um carro no autódromo de Modena, veja a experiência dos amigos do Café Viagem). Algumas fábricas também fazem visitas guiadas, que podem ser agendadas no site da Motor Valley.

E aí? Quem já foi na Emilia Romagna? Tem mais dicas sobre a região?

A Joanna viajou pelo Blogville, uma experiência de 1 semana na Emilia Romagna.


Viaje sem stress

✅ Reserve seu hotel em Bolonha

Alugue seu carro na Itália 

Faça seu seguro de viagens 


Veja também:

Roteiros na Itália

EMILIA ROMAGNA

TOSCANA

ROMA

MILÃO

COSTA AMALFITANA

E para ficar por dentro de todas as novidades do Ideias na Mala, siga nosso instagram!

 

Planeje sua viagem

Matérias Relacionadas

Comentários (8)

[…] O que fazer na Emilia Romagna: 10 passeios imperdíveis […]

[…] o que fazer em Ravenna, uma pequena cidade da Emília Romagna conhecida por seus coloridos mosaicos. Neste post dividiremos com vocês as melhores dicas do que […]

[…] maior parque gastronômico do mundo tinha que ficar na Emília Romana, região das melhores comidas italiana! Um prato cheio (com perdão do trocadilho) para os amantes […]

Oi Joana
Obrigada por indicar o link do Café Viagem. AMOOOO Emilia Romagna.
Saudades
Beijos
Alexandra do Café Viagem

Oi Alexandra,
Sempre feliz em indicar coisa boa!
Beijos

Deixe o seu comentário