Roteiro: O melhor de Paris em 4 ou 5 dias

Da Torre Eiffel à Catedral de Notre Dame, do Louvre aos Jardins de Notre Dame, conheça o melhor de Paris neste roteiro completo de 4 ou 5 dias. Um roteiro esperto para você desvendar os principais pontos turísticos de Paris e descobrir segredinhos que muitas vezes passam batido pelos viajantes apressados.

Neste post completo, você encontrará um roteiro passo a passo para curtir o melhor de Paris com dicas de onde ficar, sugestões de restaurante e um mapa completinho para te guiar por cada pedacinho de Paris. É só imprimir (ou consultar o smartphone) e viajar! Também temos um guia de Paris com mais de 30 dicas do que fazer na cidade e, para fechar com chave de ouro, temos também um compilado com os melhores hotéis na cidade “Onde ficar em Paris: conheça os melhores bairros e o melhor custo x benefício“.

Tem apenas 2 dias? Não se preocupe, preparamos também um roteiro resumido para você. Veja: Roteiro: O melhor de Paris em 2 dias“!

Antes de viajar:

Museum Pass: Um passe de desconto para as principais atrações turísticas de Paris

O Paris Museum Pass é um passe esperto que te dá acesso há mais de 50 monumentos em Paris e nos arredores da cidade. Você pode comprar o passe para 2, 4 ou 6 dias consecutivos. Se fizer as contas vai perceber que vale muito a pena. Isso sem falar que o passe garante o fura fila em várias atrações lotadas como no Museu do Louvre, o que faz muita diferença especialmente nos meses mais lotados do ano. Recomendo muito!

Roteiro: O melhor de Paris em 4 ou 5 dias
Paris vista do alto da Catedral de Notre Dame | foto: Isa Aggiunti

Seguro de viagem:

O seguro de viagens é obrigatório para Brasileiros que viajam para a Europa (imprima a apólice porque podem te pedir na imigração!) e é o seu salvador nas situações de dificuldade, como eventualidades médicas (quem nunca teve uma indisposição estomacal por causa da comida quando viaja?!), extravios de bagagens, cancelamentos e atrasos de voos, entre outras coisas.

Ao escolher um seguro de viagens nossa dica é contratar um seguro com boa cobertura e que cubra qualquer eventualidade no ato (você não quer ter que desembolsar uma bolada em Euros para depois ficar meses correndo atrás de reembolso).Para comparar os melhores seguros do mercado nós usamos e recomendamos a Seguros Promo, uma empresa brasileira que te apresenta um comparativo entre os melhores seguros disponíveis.

Clique aqui e faça sua cotação inserindo nosso cupom IDEIASNAMALA5 para ganhar 5% de desconto na compra do seu seguro viagem.

Ingressos que precisam ser comprados com antecedência:

Viajar para as grandes cidades europeias e visitar atrações famosas sem ingresso como a Torre Eiffel, o Coliseu e os Museus do Vaticano é um verdadeiro tiro no pé. Você vai passar horas na fila e perder um tempo precioso da viagem esquentando a cabeça no sol. Alguns ingressos antecipados são um pouquinho mais caros (e juro que pagar 2 ou 3 euros a mais para economizar uma hora de fila vale a pena mesmo com o Euro nas alturas), mas muitas vezes eles custam o mesmo preço – este é o caso nos Palácios de Versalhes, por exemplo – ou até mais barato.

Para este roteiro recomendo que você compre algumas atrações com antecedência:

O resto das atrações estão incluídas no Museum Pass ou são fáceis de comprar na hora. E antes que você me pergunte, eu acho que sim vale a pena pagar 7% de IOF para evitar dor de cabeça com filas.

Chegando em Paris:

A) Como chegar do Aeroporto ao centro de Paris

O aeroporto de Charles de Gaulle, o principal aeroporto de Paris, está conectado as linhas de metrô da cidade por meio da linha de trem RER B, e o bilhete custa 11 Eutos (jun/2019). O legal é que o mesmo bilhete usado no trem pode ser inserido nas máquinas do metrô para te levar até a estação mais próxima do seu hotel.

Vale falar, porém, que grande parte das estações de metrô de Paris não possui elevador e nem escada rolante, ou seja, prepare-se para fazer baldeações carregando sua mala escadaria acima e abaixo. Veja como chegar do aeroporto ao centro de Paris.

Se você vai de Uber prepare-se para gastar em torno de 45 Euros. No aeroporto o preço do táxi é tabelada e custa entr 40 e 6050 Euros (jun/2019).

B) Transporte em Paris

Este roteiro foi planejado para ser percorrido a pé, e cá entre nós, caminhar é a melhor forma de descobrir os segredinhos e tudo o que Paris tem de melhor. Quem não tem pique pode fazer alguns trechinhos de metrô (ele funciona que é uma belezura e é bem fácil de usar) ou recorrer as bikes da Velib (o sistema público da cidade que foi pioneiro nessa coisa de shared bikes no mundo e recentemente entrou na era das bikes elétricas) ou aos patinetes elétricos da Lime (eu adoro e acho incrível circular por Paris de Patinete. Se você nunca usou e quer testar, use o código RWKZHGZ. Com ele, você ganha 3 dólares de crédito e eu também! Baixe o aplicativo antes da viagem).

Volta e meia me perguntam se vale a pena comprar o ônibus de Turismo vermelho em Paris. Olha, eu sinceramente acho que ele tira grande parte do charme da cidade e não recomendo não. Dá para fazer tudo de metrô + bike ou patinete e gastar bem menos dinheiro que o ônibus.

C) Onde ficar em Paris

Paris é dividida em 20 regiões, os arrondissements. O legal de se hospedar numa zona mais central é estar perto de algumas das atrações turísticas da cidade e em áreas com conexões mais fáceis de metrô, por outro lado, as regiões mais centrais são consideravelmente mais caras que as regiões mais distantes. O Arrondissement 1 (1er), por exemplo, é onde está o Museu do Louvre, uma área hiper bem servida pelas linhas de metrô.

E qual o melhor lugar para ficar em Paris afinal? Taí uma pergunta difícil e que depende muito do seu estilo de viagem e do seu budget (é caro ficar bem hospedado e em um hotel bem reformado em Paris). Para tentar te ajudar separei as minhas regiões preferidas de Paris.

1er e 2 ème – Louvre e arredores: Você no centro de Paris

Quando o assunto é turistar, a região mais central de Paris, o primeiro e o segundo arrondissements, são imbatíveis. Essa região que se estende do jardim das Tuileries a Saint Chapelle fica no meio de tudo e está incrivelmente bem conectada com o metrô.

Veja aqui ofertas de hotéis nesta região.

5 ème e 6 ème – Quartier Latin, Jardim de Luxemburgo e St. German: Meus queridinhos

Quando o assunto é charme, o Louvre e toda sua centralidade que me perdoem, mas eu sou 50 vezes mais o Quartier Latin, os arredores do Jardim de Luxemburgo (meu lugar preferido de Paris) e St- German des Près. É uma região jovem, repleta de lugares gostosos para comer e super conveniente para explorar Paris. Nas minhas últimas três idas à cidade fiquei hospedada por lá e, quer saber? Ficaria de novo! Veja aqui ofertas de hotéis nesta região.

3 ème – Marais: Paris com muito charme

Sei que já falei de charme antes, mas não consigo pensar em outra palavra para descrever o Marais. O bairro esbanja delicadeza por todas as suas ruas e vielas. A diferença entre o Marais e o Quartier Latin é que a coisa aqui é mais chique e sem a agitação estudantil que eu amo do Quartier Latin. Taí um pedida certeira para curtir muito Paris. Veja aqui ofertas de hotéis nesta região.

16 ème – Torre Eiffel: Para não perder a torre de vista

Poucos lugares de Paris te proporcionam a chance de dormir com as luzes e acordar com a sombra da torre mais famosa do mundo. É uma Paris ULTRA turística, mas recheada de opções de hotéis interessantes (e o legal é que também dá para achar opções com um bom custo x benefício por aqui). Já me hospedei na região e curti bastante. Veja aqui ofertas de hotéis nesta região.

8 ème – Champs-Elysées: Compras com Glamour

E já que estamos falando do pedacinho mais turístico da cidade, a região da Champs-Elysées, a Avenida mais famosa de Paris, também está recheada de hotéis. Essa é uma boa região para fazer compras e está coladinha no Arco do Triunfo. Veja aqui ofertas de hotéis nessa região.

11 ème – Bastille: Bom custo x Benefício

De volta a parte menos turística da cidade, uma região legal para quem busca algo central sem abrir mão de um bom custo x benefício é a Bastilha. Essa região tem uma das vidas noturnas mais divertidas de Paris e várias opções legais de hotéis e apês para alugar. Veja aqui ofertas nesta região.

18 ème – Montmartre: Um dos cantinhos mais cools da cidade

Montmartre fica um pouquinho mais longe do burburinho que as regiões que mencionei antes, mas oferece muitos hotéis bacanas com tarifas BEM próximas aos 100 Euros por noite. Montmartre tem uma vibe artística e uma atmosfera super jovem. O pedacinho próximo a estação Blanch do Metrô (nos arredores do Moulin Rouge) assusta a primeira vista com seus inferninhos e clubes masculinos recheados de neon, mas é só subir o bairro em direção à Sacre Couer que as ruas pitorescas aparecem trazendo muito charme. Outro ponto positivo desta região é a quantidade de restaurantes legais e com com custo x benefício. Os queridos amigos Isa e Juan se hospedaram por lá recentemente e amaram! Veja aqui ofertas nesta região.

Roteiro no mapa

Veja todas as dicas deste roteiro sinalizadas no mapa

Roteiro e Paris Resumido

Dia 1: Notre Dame e Quartier Latin

  • Catedral de Notre Dame
  • Shakespeare & Co
  • Fontaine Saint-Michel
  • Jardim de Luxemburgo
  • Panthéon
  • Rue Mouffetard
  • Mesquita de Paris
  • Jardin des Plantes

Dia 2: Da Torre Eiffel ao Arco do Triunfo

  • Jardins du Trocadero
  • Torre Eiffel
  • Wall of Peace
  • Hotel des Invalides
  • Musée Rodin
  • Ponte Alexandre III
  • Place de la Concorde
  • Arco do Triunfo

Dia 3: Louvre e Opera

  • Les Deux Magots
  • Biblioteca Mazarine
  • Pont Des Arts
  • Museu do Louvre
  • Jardins do Louvre
  • Museu Orangerie
  • Igreja de la Madeleine
  • Opera Garnier
  • Galeries Lafayette

Dias 4 e 5: A sua vez de escolher

  • Museu D’Orsay + Giro na Marais
  • Passeio em Montmartre
  • Bate e voltas nos arredores de Paris: Palácio de Versalhes, Casa de Monet em Giverny e Paris Disneyland

Roteiro de Paris detalhado:

Dia 1: Notre Dame, Sainte Chapelle, Quartier Latin, Mesquita de Paris e Mais

Hoje é dia de começar bem cedinho e visitar alguns dos meus cantinhos preferidos de Paris, como a Catedral de Notre Dame, a igreja Sainte-Chapelle, os Jardins de Luxemburgo e o Pantheón – um dia repleto de paradas e de surpresas para lá de especiais. Quem não aguenta caminhar tanto pode encerrar o passeio na Rue Moufferard (conhecida por seus quitutes espetaculares), quem aguenta caminhar mais um pouquinho pode esticar até o Jardin de Plantes.

Catedral de Notre Dame

Infelizmente, em abril de 2019, a Catedral de Notre Dame (Estação de metrô Cité – linha 4) sofreu um incêndio que a destruiu parcialmente. Os principais campanários e muros externos foram salvos, mas parte do teto da Igreja e uma das torres pontiagudas desabaram. Por conta disto, a Catedral segue fechada temporatiamente para visitação.

O que fazer em Paris
Catedral de Notre Dame após os incêndios 🙁 | Foto: Fabiana Leite

Quem visita a Igreja recentemente afirma que o cheiro de queimado ainda é forte. E, apesar dos tapumes que envolvem a construção, dá para ter noção da imponência que é Notre Dame. Então, vale sim passar pelo menos em frente, já que não há previsão de reabertura, e sentir ainda mais emoção por estar ali.

Um tiquinho de história

Notre Dame é uma igreja dedicada à Virgem Maria inaugurada em 1245 após 82 anos de construção. De lá pra cá, a Catedral passou por inúmeras reformas e serviu de palco para acontecimentos importantes como a coroação de Napoleão e Henrique VI (da Inglaterra) e a beatificação de Joanna D’Arc. Notre Dame.

Como o recomendávamos o roteiro:

O ideal é chegar cedo, bem cedo mesmo para pegar o ticket da subida ao terraço onde estão às gárgulas. As senhas começam a ser distribuídas às 7h30 e se esgotam rápido, especialmente nos meses de verão.  A Catedral é aberta apenas às 08h.

De volta à fachada, vale ficar de olho nas estátuas (repletas de história e simbologia. Minha preferida é a  estátua central da Virgem Maria apresentando o menino Jesus a cidade de Paris) e nas gárgulas que compõem o cenário.  Outro detalhe que me chamou muita atenção na minha primeira visita à Paris foi a estátua decapitada (segurando a própria cabeça – ela fica no portal à esquerda), reza a lenda que a estátua é uma homenagem a um dos arquitetos que faleceu em um acidente durante a construção da igreja.

Depois de observar os detalhes da fachada, vale dar um giro em torno da igreja e observar os detalhes e por fim entrar e conhecer a parte interna.

Os terraços de Notre Dame: Minha vista preferida de Paris

Para mim um dos destaques da visita a Paris, e possivelmente um dos lugares mais lindos para ver a cidade do alto, são os terraços da Catedral de Notre Dame. Lá do alto você terá uma vista espetacular da cidade com direito à Torre Eiffel, Arco do Triunfo, o edifício hiper moderno e colorido do Centro Pompidou, a cúpula do Panteon, as simpáticas gárgulas que protagonizaram o filme o Corcunda de Notre Dame e o sino da igreja.

A subida é brava, são 387 degraus de pedra em uma escada magrinha em forma de caracol. Prometo que passado o perrengue inicial, não há como se arrepender, é simplesmente maravilhoso!

A subida está incluída no Paris Museum Pass.

Roteiro: O melhor de Paris em 4 ou 5 dias
Catedral de Notre Dame | foto: Isa Aggiunti

Cripta Arqueológica

Quem tem o Museum Pass e quer esticar o passeio mais um pouquinho pode ainda visitar a Cripta arqueológica, uma visita as ruínas descobertas durante as escavações de 1965 e que mostra legados arqueológicos de civilizações super antigas naquele território. Os queridos Isa e Juan que deram a dica, contaram que para eles que não são do tipo que lêem tudo em museu, foi uma visita rápida e interessante. E já que está incluso no Paris Museum Pass, porque não?

Dica: Tome um sorvete na Berthillon

Uma das sorveterias mais tradicionais de Paris, a Berthillon (29-31 Rue Saint-Louis en l’Île) fica coladinha em Notre Dame. A sorveteria abre às 10h e costuma ter filas grandes. Quer uma sugestão de sabor? Prove o de Cassis.


Saindo da Notre Dame, olhe o relógio, se já passou das 10h, siga para a Shakespere & Co, se ainda é cedo, inverta o roteiro e siga para a Sainte-Chapelle que abre às 9h.


Shakespeare & Co

Nossa próxima parada é na Shakespeare & Co (Rue de la Bûcherie, 37) uma das livrarias mais charmosas de Paris. Apaixonados por livros vão ficar enlouquecidos com as prateleiras repletas de livros. Destaque para o segundo andar onde há um board de mensagens, um piano que pede para ser tocado e dezenas de livros raros que não estão a venda.

Shakespeare & Co Paris

E para os fãs de cinema, vale falar que essa livraria já apareceu em alguns filmes bacanas como Meia Noite em Paris e Julie e Julia.

Sainte Chapelle

Saindo da Shakespeare & Co., siga até a Sainte Chapelle, que é sem exagero nenhum uma das igrejas mais lindas que já visitei. Uma igreja pequenina e que se não fosse seu altíssimo pináculo (torre pontuda finíssima que fica no alto da igreja), que pode ser avistado desde longe, acabaria passando completamente desapercebida na paisagem.

A Sainte Chapelle e a sua vizinha Conciergerie são os pedaços remanescentes do antigo Palácio Real de Paris. A igreja foi construída para abrigar as relíquias de Cristo. Ela tem dois andares: o primeiro, um local de oração destinado aos súditos com o teto azul celeste e flores de Lis douradas, e um segundo andar exclusivo para o Rei, seus familiares e convidados especiais, decorado com um jogo de vitrais que mudam de cor conforme a hora do dia. Era neste segundo andar que ficavam as 22 relíquias.

Durante a revolução Francesa a igreja foi duramente castigada e boa parte das relíquias foi destruída, por sorte os vitrais permaneceram intactos! Ufa, já pensou que pena destruir um conjunto desses?

O ingresso da Sainte Chapelle está incluído no Museum Pass – quem não quiser comprar, pode economizar uns trocados optando pelo ingresso conjunto Saintee Chapelle + Conciergerie.

Roteiro: O melhor de Paris em 4 ou 5 dias
Sainte Chapelle | foto: Isa Aggiunti

Dica para quem curte música clássica:

Fique de olho no calendário de concertos da Sainte Chapelle. Os concertos acontecem no segundo andar da igreja que fica toda iluminada e são bastante especiais!

Conciergerie

Nossa próxima parada, a Conciergerie, fica coladinha na Sainte Chapelle e é um retrato vivo da história da cidade ao longo dos séculos. Um lugar que passou de residência real a presídio para os inimigos da república durante a Revolução Francesa. Diferente dos outros passeios de Paris, você não sairá de lá nem deslumbrado e nem apaixonado, mas sem dúvida reflexivo após uma bela aula de história.

Roteiro: O melhor de Paris em 4 ou 5 dias
Conciergerie

Uma visita detalhadinha à Conciergerie demora pelo menos uma hora e meia, quem tiver com muita pressa e só quiser passar o olho levará cerca de meia hora. Eu que curto história acho que vale super a pena.

[A entrada na Conciergerie está inclusa no Paris Museum Pass.]

Fontaine Saint-Michel

Dali siga para a Fonte de Saint- Michel, a porta de entrada do Quartier Latin, onde está a fonte de Saint Michel, ou São Miguel, que retrata o santo derrotando satanás em meio as virtudes cardinais (Prudência, Justiça, Força e Temperança). Pra quem quiser saber mais detalhes da história da praça recomendo este post do Conexão Paris.

Quer mais uma curiosidade sobre a fonte? A fonte fica apoiada na parede do edifício onde residiu Heitor Villa-Lobos (e tem até plaquinha comemorativa no local!)

Dica: Coladinha na Fonte de Saint Michel está a Rue de la Huchette, uma das principais artérias gastronômicas do Quartier Latin. Se a fome bater mais cedo, taí uma bela alternativa para matá-la.

Jardim de Luxemburgo

Bem vindo ao Quartier Latin, meu bairro preferido de Paris. Adoro a vibe animada que mistura estudantes da Sorbonne, turistas e parisienses, e as vielas estreitas repletas de cafés que compõem o bairro. Nossa primeira parada é o Jardim de Luxemburgo e para chegar lá sugiro que você siga sempre em frente passando junto ao Museu Cluny (o Museu da Idade média de Paris, não adicionei ao roteiro porque infelizmente 4 dias é pouco tempo para ver tudo, então temos que priorizar) e a Praça da Sorbonne, a porta da entrada de uma das universidades mais fotogênicas de Paris.

Roteiro: O melhor de Paris em 4 ou 5 dias
Jardins de Luxemburgo – Paris

Para os comilões de plantão, vale falar que a região está repleta de cafés gostosos, gelaterias (tanto a Grom, quanto a Amorino valem a parada) e boas livrarias. Nossa caminhada termina nos jardins de Luxemburgo, um dos jardins mais lindos e deliciosos de Paris.

Canteiros floridos, espelhos d’água, fontes, muitas esculturas, quadra de esportes, parquinho e atividades bacanas para os pequenos. E antes que você se pergunte, o edifício que fica dentro do parque se chama Palácio de Luxemburgo e abriga o Senado Francês.

Durante a sua visita, faça um passeio caprichado pelo parque, descubra fontes, esculturas e quando cansar, junte-se aos locais e sente-se numa das cadeirinhas em volta do espelho d’água para curtir a vibe. É muito gostoso!

Biblioteca de Sainte Genevieve

Nossa próxima parada é a Biblioteca de Sainte Genevieve, uma visita rápida e espetacular por uma das bibliotecas mais lindas de Paris. A biblioteca é imensa e o salão principal parece coisa de filme, vale percorrer os corredores (em silêncio para não atrapalhar quem está trabalhando), tirar e no fim atravessar a rua para nossa próxima parada.

Panthéon

Nosso dia começou com a vista maravilhosa de Paris do alto da Catedral de Notre Dame e segue com mais vistas impressionantes do alto do Panthéon, mas antes disso que tal um passeio caprichado pelo complexo que está repleto de paradas espetaculares?

A visita começa com o edifício, que é lindo e foi projetado para fazer frente a Basílica de São Pedro em Roma, e foi projetado para ser uma igreja dedicada à Santa Genoveva, a padroeira de Paris. Cerca de 100 anos após sua inauguração, o Panthéon foi convertido em morada eterna para os grandes homens franceses, uma homenagem póstuma a nomes que marcaram a história e se transformaram em orgulhos nacionais como Jean-Jacques Rousseau (filósofo), Alexandre Dumas (escritor), Voltaire (escritor), René Descartes (filósofo), Jacques-Louis David (pintor) entre outros.

Os túmulos podem ser visitados na cripta do complexo, mas antes disso não deixe de contemplar a cúpula (que rende fotos espetaculares), o enorme pêndulo de Focault – a experiência que em 1851 ajudou a provar que a terra era redonda, e as colunas altas e pra lá de imponentes.

Roteiro: O melhor de Paris em 4 ou 5 dias
Interior do Pantheon de Paris

E, para fechar o passeio, não deixe de subir na cúpula e se encantar com as vistas. As subidas acontecem a cada meia hora em grupos de até 40 pessoas. Esteja preparado para subir 200 bons degraus!

Lugares para viajar sozinha: Paris
Paris vista do Pantheon

Saint étienne du-mont church

Dali siga para a igreja de Saint Étienne, no mesmo quarteirão, que além de linda (por dentro e por fora) ficou conhecida por ser a igreja do filme Meia Noite em Paris (era na porta desta igreja que o personagem principal do filme esperava a passagem do carro para ser levado a Paris de seus sonhos). A parte interna é bem bonita e guarda o túmulo de Santa Genoveva, a padroeira de Paris. A entrada é grátis e a visita é rapidinha. Vale a pena.

Rue Mouffetard

Continue a caminhada rumo a Rue Mouffetard, uma rua apertadinha repleta de restaurantes e creperias. A Mouffetard já foi conhecida por ser um dos melhores cantinhos para comer bem e barato em Paris, mas hoje está um pouco caída e repleta de lugares pega-turista. Com um olho atento e ajuda das avaliações da internet, ainda dá para comer bem na região (especialmente nas travessas e ruas adjacentes).

Durante a caminhada, vale dar uma paradinha na praça Contrescarpe para tomar um café e, por que não, uma tacinha de Champagne?

Mesquita de Paris

Nossa próxima parada é a mesquita de Paris (aberta das 10h às 18h) que além de bonita e ultra interessante conta com um salão de chá delicioso (peça o chá de menta) que serve sobremesas muito gostosas.

Jardin des Plantes

Terminaremos o dia no Jardin des Plantes, um parque lindo e gigantesco que conta com labirinto de plantas, jardim botânico, zoológico e museus. Curta o finalzinho do dia caminhando pelo jardim e quando cansar é hora de pegar o metrô de volta para o hotel e descansar.

Dia 2:

Agora que você já viu Paris do alto de dois dos meus cantinhos preferidos da cidade (a Catedral de Notre Dame e o Pantheon), e já avistou alguns dos principais símbolos de Paris, chegou a hora de conhecê-los pessoalmente! Hoje é dia de visitar a Torre Eiffel e subir no Arco do Triunfo. Prontos?

Jardins du Trocadero

Começaremos o nosso passeio pelos Jardins du Trocadero, um lugar espetacular para ver e fotografar a Torre Eiffel. Os Jardins tem vários níveis de alturas que oferecem vistas diferentes da torre, vá até o topo para ter uma vista privilegiada da torre com a fonte de Varsóvia no fundo.

Torre Eiffel
Torre Eiffel Vista dos jardins do trocadeiro

Muita gente prefere fazer este passeio no final da tarde curtido uma cerveja no barzinho do jardim e ver o dia mudando de cor. Acho o passeio no final da tarde lindo, mas prefiro a vista mais vazia do amanhecer. Vale voltar no final do dia para fotografar? Opa, se você tiver pique vale super a pena, especialmente durante o verão quando rola um show bacana de águas e luzes.

Torre Eiffel - Paris
Torre Eiffel vista dos jardins du Trocadero

Torre Eiffel

Dali siga direto e reto para a Torre Eiffel. Este é um dos poucos passeios do roteiro que não esta incluído do Paris Museum Pass e um ingresso que eu recomendo muito que você compre com antecedência. A Torre Eiffel é um dos pontos turísticos mais visitados e mais disputados do mundo e para não correr o risco de pegar uma fila do cão, ou ficar sem ingresso para o seu horário de visita, a dica é comprar com antecedência e a economia em tempo é tão grande que eu não pensaria duas vezes. Já peguei a fila e não faria de novo. Há duas formas de comprar ingressos antecipados: comprar no site oficial com hora marcada ou fazer um tour guiado sem fila e de quebra aprender um monte sobre a Torre e Paris.

Embaixo da Torre Eiffel

Deixando os ingressos de lado, aproveite sua visita para reparar no tamanho dos arcos das patas da torre Eiffel, são gigantescos. Ao chegar lá embaixo e olhar para o alto, lembre que a torre, construída para ser a peça central da exposição mundial de 1889, quase foi destruída dez anos depois e que só foi salva por ser alta o suficiente para se tornar uma torre de TV. Sorte a nossa que hoje podemos ver a torre de quase todos os pontos altos de Paris.

De volta à visita, ao comprar o ingresso você terá duas possibilidades: visitar o segundo andar da torre (116 metros de altura) ou subir até o topo (276 metros). A subida pode ser feita de escada ou elevador (quem vai até o topo necessariamente sobe o último trecho de elevador), e os ingressos de escada são mais baratos que os do elevador. A menos que você tenha muita energia, ou esteja pagando alguma promessa, nem pense em fazer a economia do elevador. Quanto a altura, as duas vezes que subi a torre optei por chegar até o topo e não me arrependi. Se é para subir, que seja direito, certo?!

Torre Eiffel
Paris vista do alto da torre Eiffel

Campo de Marte

Terminando passeio pela torre, seguiremos caminhando até Les Invalides, passando por dentro dos Campo de Marte. Esse jardinzão em frente a torre é um dos meus lugares preferidos para fazer piquenique no final da tarde/comecinho da noite e esperar a Torre Eiffel ser iluminada (de hora em hora a Torre brilha por cerca de 5 minutos e fica ainda mais especial). É um programa que você precisa incluir numa das noites do seu roteiro. Leve uma toalha de piquenique, nas estações mais frias leve um cobertor, e curta a iluminação com queijos gostosos e um bom vinho!

O melhor de Paris em 4 ou 5 dias
Ver a Torre Eiffel iluminada: um dos programas mais especiais de Paris

Wall of Peace

Continuando a caminhada, ao sul do parque você encontrará um monumento de vidro e metal chamado de “Muro da Paz” – um monumento de vidro, madeira e metal que contém a palavra paz escrita em 49 idiomas. Ele foi erguido no exato local onde antes da revolução francesa os soldados faziam seus treinamentos e coladinho da Escola Militar de Paris.

Hôtel des Invalides

Falando em soldados, nossa próxima visita tem tudo a ver com o tema. Daremos um pulinho no Museu do Exército, onde está a tumba de Napoleão. O Palácio Invalides foi construído por Louis XIV para receber e tratar veteranos machucados, loucos ou desabrigados no pós-guerra e o interessante é que até hoje parte do complexo abriga um hospital dedicados aos veteranos.

Roeiro: O melhor de Paris em 4 ou 5 dias
Les Invalides – Paris

Nós visitaremos apenas um pedacinho do complexo, onde há um museu de guerra (tem bastante coisa legal para quem curte o tema) e a igreja du Dôme onde há o túmulo de Napoleão Bonaparte. Não sou muito chegada em museus de guerra, mas como o passeio está incluso no Paris Museum Pass, acho que vale dar uma passada antes de visitar o Mausoléu em homenagem a Napoleão. Na saída, não se esqueça de caprichar nas fotos da cúpula linda do Palácio e passear pelos jardins.

Musée Rodin

Nossa próxima parada é um museu lindo, que é a cara de Paris (e que também está incluso no Paris Museum Pass), o Museu Rodin, localizado na antiga oficina de Rodin, e que foi doado pelo próprio artista para o Governo Francês. O museu tem uma coleção invejável de esculturas de Rodin incluindo suas três obras primas: O pensador, o beijo e a Porta do Inferno – e na real, as três esculturas me emocionaram de tão lindas.

Destaque para os jardins do Museu, um espaço lindo que rende fotos interessantes das esculturas com a cúpula de Les Invalides no fundo.

Roteiro: O melhor de Paris em 4 ou 5 dias
Musée Rodin com torre dos Invalides no fundo

Que tal um desvio de 10 minutos do roteiro para comer muito bem?

Não sou fã de grandes desvios do roteiro para comer, mas essa dica é tão legal que vale a mudança de rota. Minha dica para o almoço de hoje é comprar um piquenique na Grande Epicerie de Paris (38 Rue de Sèvres) – o espaço tem uma espécie de praça de alimentação com mesinhas, mas quem preferir pode comprar para levar e comer em algum outro canto – um mercado gastronômico maravilhoso com comidas de todos os cantos do mundo e, claro, o melhor da gastronomia francesa. Taí um lugar espetacular para comprar queijos deliciosos (lembram daquele piquenique em frente a Torre Eiffel?), frutas, saladas, sanduíches. Tudo fresquíssimo e direto do produtor.

Dica: A Grande Epicerie de Paris fica a 4 minutos de carro do Museu Rodin, ou seja, se estiver cansado vá e volte de Uber.


Ponte Alexandre III

Siga para a ponte Alexandre III, uma das pontes mais ornamentadas de Paris, e muito famosa pelos postes ornamentados e esculturas douradas. Adoro cruzar esta ponte e acho que ela rende fotos bem especiais de Paris. Depois de cruzá-la, caminhe até a Praça da Concórdia.

Ponte Alexandre III - Paris
Ponte Alexandre III

Place de la Concorde

Chegamos na Praça da Concórdia, um marco no nosso roteiro e na história de Paris. Essa pracinha simpática, marcada por um obelisco Egípcio (antes que voce se pergunte, o Obelisco foi um presente do Egito à França) e fontes que celebram a navegação marítima e fluvial, já serviu de ponto de homenagem à cura do rei e até mesmo de praça da Guilhotina.

O que eu gosto da praça da Concórdia é enxergar um pouco de vários cantos de Paris, do Arco do Triunfo no final da Avenida Champs-Élysées aos Jardins do Louvre que visitaremos no terceiro dia da viagem.

Praça da Concordia
Praça da Concórdia

Champs-Élysées

Depois de passear pela praça, continuaremos nossa caminhada rumo ao Arco do Triunfo pela famosa Champs-Élysées. A Avenida é linda e está repleta de lojas bacanas (destaque para a Loja Conceito da Citroen) e para a sempre infalível doceria Ladurée. Aproveite para comer doces maravilhosos e experimentar um autêntico macarón francês. O curioso é que a Avenida tem desde lojas com preços acessíveis como H&M, Zara e Monoprix, a grifes famosas como Louis Vuitton e Cartier. Na minha última ida a cidade, acabei sendo distraída do roteiro por uma dessas super liquidações e cheguei ao Arco do Triunfo com umas sacolas não planejadas. Ops!

Arco do Triunfo

Continue a caminhada na Champs-Élysées até chegar ao Arco do Triunfo, erguido em 1806 para comemorar as vitórias de Napoleão Bonaparte. O arco levou 30 anos para ser construído e é cuidadosamente esculpidos com medalhões que homenageiam cada uma das 30 vitórias mais importantes de Napoleão. Para chegar ao Arco, atravesse um dos caminhos subterrâneos que conectam a Avenida ao monumento.

Vale dar uma volta cuidadosa pela base reparando nos detalhes e parar um minutinho diante do túmulo do soldado desconhecido, uma homenagem linda a todos os que doaram suas vidas à França durante a primeira guerra mundial e que jamais foram identificados.

O melhor de Paris em 4 ou 5 dias
Arco do Triundo Paris

Em seguida, aproveite que o Arco do Triunfo faz parte do pacotão do Paris Museum Pass e suba até o topo para tirar fotos lindas de Paris, da Torre Eiffel e da Champs-Élysées vista do alto.

Aqui termina oficialmente a programação do dia de hoje. Se você tiver pique, a minha dica é voltar ao Campo de Marte e curtir o final da tarde fazendo um piquenique no gramadão. Taí um dos meus programas preferidos de Paris: curtir a mudança de cores do dia e ver a torre se iluminando acompanhada de uma bela taça de vinho!

Dia 3:

Hoje visitaremos o bairro Saint German des Pres (pense num lugar gostoso) com direito a um café especial num dos cantinhos mais tradicionais de Paris, visitaremos dois museus espetaculares, o Louvre e o Orangerie (onde estão as Ninfeias de Monet) e terminaremos o dia com um tour na Ópera Garnier. Quem tiver pique pode continuar o passeio com um rolê delicioso por Montmartre. Vamos nessa?

Roteiro detalhado

Um café caprichado na Saint German des Prés Boulevard.

Começaremos o dia de hoje explorando Saint German des Prés, um bairro delicioso repleto de cafés bacanas com mesas nas calçadas, restaurantes gostosos e muitas boas confeitarias. Você certamente já ouviu que um dos melhores programas de Paris é flanar, ou seja, sair por aí caminhando e descobrindo pequenos segredos. Saint German des Prés é um dos melhores lugares da cidade para fazer descobertas e o legal é que o bairro mistura de forma harmônica o climão turístico de Paris com deliciosas pitadas locais.

O Boulevard Saint German des Prés, a principal artéria do bairro, tem dois cafés (um coladinho no outro) que são a cara do bairro e que são famosos por terem sido frequentados por artistas, escritores e intelectuais como Pablo Picasso, Ernest Hemingway e Brigitte Bardot, o Café de Flore e o Les Deux Magots (que tem esse nome graças a duas estátuas no interior do café). Passe em frente aos dois (a fachada do Flore é mais atraente, mas eu prefiro o acolhimento do Deux Magots) e escolha um deles para tomar um cafezinho e comer um Pain au Chocolat.

Roteiro: O melhor de Paris em 4 ou 5 dias
Café de Flore

Depois do café, vale dar um giro pelas ruas do bairro (marquei alguns lugares no maps, incluindo restaurantes que adoro) e fazer uma visita rápida na igreja Saint German des Prés, a igreja mais antiga de Paris que continua em pé – além de ser o símbolo do bairro, é uma graça.

Biblioteca Mazarine

Cansou de flanar? Vamos continuar o passeio rumo a biblioteca Mazarine (23 Quai de Conti), a mais antiga da cidade. Taí outro lugar que não costuma entrar nos roteiros turísticos, mas que vale a passada. Tanto a fachada, quanto a parte interna da biblioteca, são lindas e merecem serem vistas. A biblioteca Mazarine fica coladinha no Rio Senna e, na próxima parada do nosso roteiro, na Pont Des Arts.

Pont Des Arts

Com vistas lindas do Rio Senna e da pontinha da Île de la cité, a Pont Des Arts ficou famosa por ser o ponto de encontro de casais apaixonados. Por muitos anos, pessoas de todos os cantos do mundo gravavam cadeados com seus nomes, fechavam o cadeado numa das barras de metal da ponte e atiravam a chave no rio. 45 toneladas de metal depois, a prefeitura de Paris resolveu acabar com a história do cadeado de vez e cobriu a ponte com um vidro protetor. E quer saber? Ela continua linda e pra lá de especial!

Atravesse a ponte, tire algumas fotos e continue a caminhada até o Museu do Louvre.

Museu do Louvre

Você entrará no complexo do Museu do Louvre por uma porta lateral e pouco depois chegará ao centro do complexo, onde está a pirâmide de Louvre – que por sinal é linda e rende fotos incríveis.

Quando escrevi a primeira versão deste roteiro recomendava a visita ao Louvre de manhã cedinho para não pegar fila, com o Paris Pass eu mudei de opinião. Mais vale dar um passeio gostoso por St. German, caprichar no café da manhã e chegar no Louvre cheio de energia, do que começar o dia se enfurnando no museu. Com o fura fila do Paris Pass dá para curtir o Louvre tranquilamente, então a hora de chegada não importa tanto.

Roteiro: O melhor de Paris em 4 ou 5 dias
Pirâmide do Louvre em Paris

Visite a Monalisa, os outros Da Vinci que ficam próximos à ela, e a famosa Vênus de Milo. Não deixe de ver os quadros do Arcimboldo, que são feitos de frutas e formam rostos humanos perfeitos, e alguma ala antiga, eu recomendo a do Egito, mas há dezenas de outras possibilidades incríveis. Se você for do tipo rápido e objetivo, ou do tipo que não gosta de museu, prepare-se para gastar umas duas horas do seu dia – menos do que isso é desperdício. Agora se você for do tipo apaixonado por museus, o horário de fechamento é o limite.

Minhas visitas ao Louvre geralmente duram entre 3 e 4 horas, seleciono um pedaço, vejo com carinho e esqueço do resto. Já que o museu é gigante, sei que não vai dar pra ver tudo, minha opção é ver um pedacinho, mas ver muito bem.

Shopping Center Carrossel Du Louvre

Na saída do museu, vale dar uma passadinha rápida no shopping Carrossel Du Louvre. Ali, em frente a Apple Store, você conseguirá ver a cena descrita no livro O Código Da Vinci do encontro das pirâmides. Legal, né?!


Parada extra: Palais du Royal

Aqui estou eu de novo propondo um desvio do roteiro. Dessa vez, um pulinho rápido no Palais du Royal (8 Rue de Montpensier), um conjunto de Palácio e Jardim que rende fotos para lá de especiais. Não deixe de visitar o pátio das colunas e passear pelo túnel de árvores no jardim.

O melhor de Paris em 4 ou 5 dias
Palais Du Royal – Paris

Arc de Triomphe du Carrousel

De volta ao centro do Museu do Louvre, faremos uma caminhada bem gostosa pelos jardins. Passada a pirâmide, você chegará em um pequeno arco do triunfo rosado, o Arc de Triomphe du Carrousel. Construído entre 1806 e 1808, para comemorar as vitórias de Napoleão Bonaparte, o arco tem 19 metros de altura e é todo trabalhado em relevos comemorativos às batalhas. Para completar o conjunto, as colunas são feitas em mármore rosado.

Roteiro: O melhor de Paris em 4 ou 5 dias
Arco de Napoleão – Paris

Vale uma parada para foto, não?!

Depois disso você entrará nos jardins de Tuileries, um lugar super gostoso para sentar um pouco, relaxar ou para quem quiser entrar no clima mesmo, deitar na grama e curtir a vibe. Atravesse o jardim, veja as pessoas sentadas em volta das fontes circulares e, quando cansar do passeio, siga para o Museu Orangerie.

Museu Orangerie

Ainda no jardim, antes de chegar à Place de la Concorde – a praça do Obelisco egípcio (se você chegou, volte, um pouquinho), do seu lado esquerdo haverá um pequeno prédio de cor de pedra. Este é o museu Orangerie, um museu pequeno, fácil de visitar e que contém os mais gigantes e impressionantes quadros de Monet: As Ninféias. Os quadros estão expostos em salas circulares especialmente concebidas para eles, que são impressionantes. Depois de ver essa maravilha de perto, há grandes chances de você se animar e querer visitar Giverny, a casa de Monet, que fica nas aforas de Paris.

Roteiro: O melhor de Paris em 4 ou 5 dias
Museu Orangerie

Terminadas as Ninféias, não deixe de visitar o andar de baixo do Orangerie, um acervo lindo e bem recheado de Matisses, Picassos, Cézannes e Renoirs. Falando nele, procure o quadro “Jeunes Filles au piano”, duas meninas tocando pianos em tons bem pasteis, amo esse quadro de paixão.

Quando cansar, siga para a Praça da Concórdia. Lembra dela? Hoje, ao invés de seguir pela Champs-Élysées, viraremos à direita rumo a Igreja Madaleine.

Igreja de la Madeleine

Vista de fora, Madaleine mais parece um templo grego com colunas altíssimas e um pórtico triangular do que uma igreja católica. A parte interna, porém é típico de igreja católica com direito a estátuas lindas e uma cúpula toda ornamentada. Mais uma parada linda!

Roteiro: O melhor de Paris em 4 ou 5 dias
Igreja de la Madeleine

Opera Garnier

Nossa próxima parada oficial é a Opera Garnier, a Ópera de Paris. Para chegar lá, você passará por uma série de ruas fofas e são grandes as chances de você se empolgar com o passeio e desviar do roteiro. Aproveite, essa região é uma delícia! Quando você eventualmente chegar na Ópera, dê uma volta em torno do edifício, que é todo lindo e está recheado de detalhes arquitetônicos maravilhosos, e não deixe de entrar e fazer o tour guiado – este passeio infelizmente não está incluso no Paris Museum Pass, mas vale mega a pena!

[E, claro, se você curte ópera, vale dar uma olhadinha no calendário e tentar encaixar no seu roteiro. Assistir uma Ópera em Paris é inesquecível!]

Ópera de Paris
Interior da Ópera de Paris

Galeria Lafayette

Nossa última parada do dia é na Galeria Lafayette, uma das lojas de departamentos mais conhecida do mundo. Um edifício maravilhoso com uma cúpula linda e que durante o natal fica ultra bem decorado. O edifício é tão lindo que a galeria oferece tours gratuitos de 45 minutos sobre a história do prédio. Não fiz o tour e confesso que, com tanta coisa para ver em Paris, prefiro passar essa. O que sim recomendo é tomar um café na Starbucks (eu sei, o café dos caras nem é gostoso, mas a experiência é bem legal) do terceiro piso e acompanhar o movimento do prédio.

Aqui termina oficialmente o roteiro de hoje, mas dependendo do seu ritmo de passeio e pique, ainda dá pra emendar com um passeio em Montmartre. A região é linda para curtir o entardecer e está repleta de cantinhos deliciosos para uma boa refeição.

Dias 4 e 5: A sua vez de escolher

Paris tem muita coisa legal e, para deixar a viagem com a sua cara, deixei os últimos dias (ou o último dia, para quem só tem 4) um pouco mais livres para você montar do seu jeitinho. Claro que vou dar meus pitacos e sugestões, mas a ideia é personalizar seu roteiro com lugares que você tem vontade de visitar e que ficaram de fora dos 3 primeiros dias.

Algumas possibilidades:

[Clique no passeio acima para ir direto ao ponto.]

A) D’Orsay + Giro pelo Marais + Tarde em Montmartre

A visita ao Museu D’Orsay (fecha às segundas-feiras)

Em todas as minhas visitas à Paris, há um passeio que faço questão de repetir: passar a manhã vendo arte da boa no Museu D’Orsay. Gosto de chegar de manhã cedinho, no horário de abertura – às 9h30 – e passear pelo museu todo (ele é grande, porém não gigantesco) dedicando um tempo considerável ao piso superior onde estão as obras de Monet, Renoir e o maravilhoso auto-retrato de Van Gogh. O D’Orsay é conhecido por ter a melhor coleção de arte impressionista e pós-impressionista do mundo

Para quem visita o D’Orsay pela primeira vez, vale falar que a graça do passeio começa do lado externo onde há esculturas bacanas de animais gigantes, uma mais linda que a outra. Entrando no museu você se depara com uma antiga estação de trem com direito a relógio central e um andar térreo repleto de boas esculturas.

Pont Neuf e o menor parque de Paris

Terminada a surra de arte no D’Orsay, é hora de começar uma das minhas caminhadas preferidas pela cidade. O ponto de início da caminhada é a Pont Neuf e para chegar lá você pode caminhar pelas margens do Rio Sena (uma delícia!) ou pegar o metrô rumo a estação Pont Neuf.

Ponte Neuf, uma ponte estilosa que tem seus arcos decorados com máscaras, é a ponte mais antiga de Paris e serve de entrada para o parque Square du Vert-Galant, que nada mais é do que uma pontinha verde no finalzinho da Ilê de Cité. Vale dar uma descidinha no parque e curtir o visual. Quem quiser adicionar mais um pedacinho verde ao passeio pode fazer uma parada na torre de Saint-Jacques, o pedacinho que restou de uma antiga igreja destruída durante a revolução Francesa. A torre fica em outro parque fofo com direito a uma área de brincar bem gostosa para os pequenos.

Roteiro: o melhor de Paris em 4 ou 5 dias
Square du Vert-Galant, a pontinha da ilha

Centro Georges Pompidou

Topa ver mais um pouquinho de arte? A pedida da vez é arte moderna – e das boas! Nossa próxima parada é o centro Georges Pompidou, um prédio mega moderno que tem todos os dutos e tubos aparentes e sinalizados com um código de cor: todos os canos de água são verdes, os do ar condicionado são azuis, tudo que é elétrico é amarelo e os elevadores e sistema anti-incêndio são vermelhos. Tudo bem pensando e com um formato lindo.

O melhor de Paris em 4 ou 5 dias
Centro Georges Pompidou

E se o edifício já é o máximo, espere só você entrar e ver o acervo: uma das maiores e melhores coleções de arte moderna e contemporânea do mundo com direito a instalações lindíssimas. Quer mais um motivo para conhecer o Centro Pompidou? As vistas de Paris são lindíssimas! Suba até o último andar para ter uma perspectiva bem interessante e linda da cidade.

E, para fechar a visita, vale dar uma olhadinha nas fontes que ficam na parte externa do museu. Com sorte, elas estarão ligadas na data da sua visita!


Tem pique para mais um museu? No caminho entre o Pompidou e a Place des Vosges, há dois museus excelentes: o Museu Carnavalet (entrada gratuita), que fica em um prédio charmoso com direito a um jardim bem cuidado e conta a história de Paris, e o Museu Picasso (entrada inclusa no Paris Museum Pass) que é espetacular e detalha de forma deliciosa a trajetória de Picasso por mais de 5.000 obras de arte. Quem curte Picasso vai amar essa parada!


Place des Vosges

Nossa próxima parada é a Place des Vosges, uma praça planejada construída pelo Rei Henry IV em 1612 e rodeada por predinhos em tons vermelhos com uma arcada no térreo. A praça é toda simétrica com direito a fontes e um gramadão delicioso que fica lotado nos dias de calor. Ô lugar gostoso!

Roteiro: O melhor de Paris em 4 ou 5 dias
Place des Vosges

Depois de passear e fotografar a praça, que é toda linda, vale dar um passeio pelas arcadas repletas de cafés e o disputado L’Ambrosie com três estrelas Michellin. Falando em L’Ambrosie, pegue a saída junto ao restaurante para visitar os jardins do Hotel de Sully, não é permitido entrar no prédio, mas o jardim rende fotos lindas.

E, para fechar o passeio, vale visitar a Casa Museu de Victor Hugo (número 9 da Places des Vosges), que conta um pouco da vida do autor. Saindo dali, caminhe até a estacão de metrô Breguét – Sabin e pegue o metrô rumo a estação Blanche (você terá que fazer baldeação) que fica bem na porta da casa de shows Moulin Rouge.

Final de tarde em Montmartre

Montmartre, o bairro boêmio de Paris, combina um emaranhado de ruelas charmosas com dezenas de cafés bacanas, muita arte e até uma vinícola. O bairro que inspirou artistas como Picasso, Modigliani, Miro e, antes deles, Manet, Toulouse-Lautrec, Géricault, Renoir and Van Gogh está repleto de paradas lindas e segredinhos incríveis.

Antes de começar nosso passeio, vale falar que não existe roteiro perfeito para desbravar Montmartre. Então, juntei o maior número de paradas bacanas que consegui, mas deixei muita coisa para trás. Vale usar a criatividade para sair um pouco desse roteiro e fazer suas próprias descobertas. Fique de olhos atentos nos postes e muros, prestigie os artistas de rua e viva um pouquinho do que Montmartre tem para te oferecer. A região é demais!

Moulin Rouge

Nosso passeio começa em frente a estação Blanche do metrô, onde está o Moulin Rouge, uma das casas de show mais famosas do mundo e uma daquelas paradinhas que precisam entrar no roteiro de um marinheiro de primeira viagem. Há dois espetáculos todas as noites, eles são caros porém bem divertidos – e o ingresso ainda inclui meia garrafa de champagne por pessoa – que se esgotam com antecedência. Assim, caso assistir ao Moulin Rouge esteja na sua lista de sonhos Parisienses, compre os ingressos com antecedência. Eu tenho bastante curiosidade de assistir ao espetáculo e já ouvi falar bem, mas nunca assisti.

Roteiro: O melhor de Paris em 4 ou 5 dias
Fachada do Moulin Rouge

Ao redor de Moulin Rouge há dezenas de cabarés, casas de strip-tease, clubes masculinos e sex-shops. Estamos em um pedacinho mais underground de Paris, mas não se preocupe, em geral a região é bem segura (mas sim, fique de olho na sua bolsa/bolso porque os batedores de carteira são frequentes, não só nessa região como em toda Paris).

Café des Deux Moulins

O que fazer em Montmartre
Café de Deux Moulins

Nossa próxima parada é no Café dês Deux Moulins (15 Rue Lepic), também conhecido como Café do filme Amélie Poulain. O café é todo fofo com direito a decoração temática do filme (reza a lenda que, de quando em quando, o gnomo do filme aparece por lá) e um menu de drinks caprichado e com preços camaradas no happy hour (das 19h às 22h). Não provei as comidas da casa, mas mandei ver uma sobremesa ótima. De qualquer forma, este é um lugar mais legal para beber do que para comer.

Quase em frente ao Café des Deux Moulins, há uma loja de queijos bem gostosa, a Sarl Fromagerie Rovecchio. Aos amantes de piquenique de plantão, taí um bom lugar para se abastecer!

Casa de Theo Van Gogh

Nossa próxima parada é a casa onde Vincet Van Gogh morou com seu irmão Theo (Rua Lepic 54 no quarto andar) entre 1886 a 1888. A portinha azul fotogênica contém uma pequena placa sinalizando o local.

Bateau Lavoir: O Atelier de Picasso

E, já que o assunto é arte, vale dar uma passadinha no Bateau-Lavoir (13 Rue Ravignan na Place Emile Goudeau) que serviu de Atelier e residência para Picasso durante sua fase rosa. Outros residentes famosos do Bateau-Lavoir são Juan Gris e Modigliani.

Place du Tertre

Nossa próxima parada é a Place du Tertre, um dos cantinhos mais animados de Montmartre e o ponto de encontro dos artistas da região. A praça reúne dezenas de artistas locais que expõem seus trabalhos e outros que pintam retratos e caricaturas dos viajantes.

Roteiro: O melhor de Pairs em 3 ou 4 dias
Place du Tertre

Adoro observar os artistas trabalhando e amo reconhecer os traços nas caricaturas.

Vignes du Clos de Montmartre

Lá vou eu com mais uma sugestão de desvio do roteiro, mas prometo que esse é dos bons! Daremos uma passadinha rápida na vinícola Clos de Montmartre – pertinho do Museu de Montmartre, que por sinal é um espetáculo e há um ponto de vista perfeitinho para as videiras. É curioso pensar que uma cidade como Paris conseguiu preservar essas videiras históricas de 1930 e que há uma pequena vinícola em plena Paris!

O jeito mais facil de provar os vinhos locais é participar do Fête des Vendanges (festa da colheita) que acontece durante 5 dias no mês de outubro. Nos outros meses é possível participar de pequenos tours agendados pelo escritório de turismo de Montmartre e que fica na Place de Tertre. Ainda que você não consiga provar o vinho, vale dar uma passadinha por lá e ver as videiras de pertinho.

Musée de Montmartre

Tem espacinho pra mais um museu no seu roteiro? Se sim, anota essa dica! O Museu de Montmartre, um conjunto de casas e jardins onde moraram e trabalharam artistas renomados como Renoir, Maurice Utrillo, Suzanne Valadon, André Utter e Émile Bernard, Raoul Dufy é pra lá de especial.

O museu tem um acervo que retrata o crescimento de Montmartre como reduto artístico, jardins que serviram de inspiração para muitos quadros de Renoir e o charmoso apartamento-atelier de Valadon e Utrillo. Vale ficar de olho nas exibições temporárias pois volta e meia rola algo bem bacana por lá!

Basílica de Sacré Coeur

Chegamos a última parada do dia, a Basílica do Sagrado Coração, uma igreja linda e que tem uma energia espetacular. Entre na igreja com calma, contemple os detalhes – o mosaico da cúpula é lindo e é o maior da França. Se você animar subir até a cúpula (aberta para visitas das 9h às 18h – no verão até as 19h) terá uma bela vista do alto.

Roteiro: O melhor de Paris em 4 ou 5 dias
Basílica de Sacre Couer | Foto: Isa Aggiunti

Para fechar o passeio, caminhe até a escadaria em frente a igreja e veja as apresentações espetaculares feitas pelos artistas locais. Assisti um show de acrobacias com bola simplesmente espetacular na minha última ida à Paris!

Roteiro: O melhor de Paris em 3 ou 4 dias
Artista se apresentando em Montmartre

Para comer:

Comida boa e restaurante fofo é o que não falta em Montmartre, pena que também há um montão de pegadinhas. Aí vão três dicas recentemente testadas pelos queridos Isa e Juan:

  1. L’annexe (13 Rue des Trois Frères): Estava mais vazio que os restaurantes da rua, mas as avaliações online eram boas e decidimos testar.  De fato foi uma das melhores refeições que fizemos em Paris. O menu com entrada, prato principal e sobremesa saiu em torno de 38 euros e valeu cada centavo!
  2. Chez Toinette (20 Rue Germain Pilon): Pequenininho e delicioso! Foi nossa primeira refeição em Paris, já deixando alta as expectativas para outros restaurantes. Fomos super bem atendidos e gostamos da comida.
  3. Strobi (12 Rue Biot): Bom atendimento, comida gostosa e uma sobremesa campeã que imita Toblerone.

B) Château de Versailles + Final de tarde em Montmarte

Château de Versailles (Fecha às Segunda-feiras)

Centro do antigo regime na França, o Palácio de Versalles combina um edifício pomposo (destaque para o salão dos espelhos que é realmente lindo) com um dos jardins mais bonitos da França. No verão, as fontes são ligadas e o passeio fica ainda mais especial.

Roteiro: O melhor de Paris em 4 ou 5 dias
Jardins do Palácio de Versailles

Não deixe de visitar os Jardins

O momento mais especial da visita à Versailles são os jardins (se você for no verão, opte pelo ingresso com o show de fontes), que infelizmente não estão inclusos no Paris Museum Pass. Nem pense em economizar essa, ir até Versailles e não ver os jardins é uma grande roubada!

O Palácio é interessante e quem quiser alugar um áudio guia vai aprender muita história e curiosidades.

Chegue cedo!

Ainda que o Palácio de Varsalhes esteja incluso no Paris Museum Pass, você não poderá furar a fila para entrar e ela é gigantesca. Assim, minha dica para curtir o castelo e não amargar horas debaixo do sol é realmente chegar cedo.

Ingressos com hora marcada

Para quem não tem o Paris Museum Pass, minha sugestão é comprar os ingressos do Palácios de Versalhes com hora marcada e escapar de uma fila monstruosa.

Como chegar ao Palácio de Versalhes

Há várias formas de chegar a Versalhes e três estações de trem na cidade, a mais próxima ao palácio é a estação: Versailles Château Rive Gauche (cerca de dez minutos de caminhada do palácio) Para chegar nela a minha sugestão é pegar o metrô até a Gare d’Austerlitz e trocar para o trem RER C. De lá serão 41 minutos de viagem e 13 paradas até chegar em Versailles Château Rive Gauche .

Dica para comer bem em Versailles

Depois de visitar o Palácio e se encantar com os jardins, visite o Le bistro du 11 (10 Rue de Satory) que fica bem pertinho do Palácio e é maravilhoso. Os queridos Isa e Juan, que testaram o restaurante recentemente, disseram que a experiência foi a mais gostosa da viagem: ” O Le Bistro du 11 foi o melhor restaurante de todos da viagem. Fechamos o menu também com entrada, prato principal e sobremesa, e cada uma das etapas foi de chorar! “

C) Visita à Casa de Monet em Giverny

Quem curte arte e o estilo impressionista de Monet vai amar ver de perto o jardim que inspirou grande parte da sua obra e a casa onde ele viveu entre 1883 e 1936. A ponte Japonesa, os chorões na beira do lago, as ninféias e dezenas de outras flores coloridas e muito bem cuidadas… Está tudo lá, do jeitinho que Monet pintou. E que lindeza! Recomendo e muito a visita!

Roteiro: O melhor de Paris em 4 ou 5 dias
Casa de Monet em Giverny |Foto: Isa Aggiunti

Como chegar aos Jardins de Monet

A primeira etapa da viagem é feita de trem intercidades, que tem saída da estação Gare St.-Lazare (linhas 3, 12, 13 e 14  do metrô). Fique ligado que, dependendo do lugar onde você tiver hospedado, você poderá levar uns 40 minutos para chegar até St. Lazare. Compre o ingresso do trem Intercité para Vernon um dia antes – compre online no site da SFCN , o preço é o mesmo, mas você economiza um tempo de fila e não corre o risco de perder o trem. Para achar a sua plataforma, procure os trens com destino Rouen.

Dica: No site Get Your Guide dá para comprar os ingressos de Giverny com o trem incluso numa tacada só!

Casa de Monet em Giverny
Jardins de Monet e a famosa ponte japonesa

Atenção aos horários: os trens NÃO são frequentes

Vale dizer que os trens saem a cada duas horas, começando as 8h18. Para visitar o Museu mais vazio, a dica é pegar esse primeiro, mas tanto o trem das 10h18 quanto o das 12h20 te dão tempo o suficiente para visitar Giverny sem pressa. A vantagem do trem das 8h18 é que ele chega em Giverny na hora de abertura, dando tempo para curtir o jardim e fotografar longe das multidões!

Chegando em Vernon

A Casa de Monet fica a cerca de 7 Km da estação de trem e, para chegar lá, você tem algumas opções:

A) Pegar um ônibus: o trajeto de ida e volta custa 10 Euros e o horário de saída dos ônibus é coordenado com a chegada do trem. Ele te deixa numa ruazinha fofa bem pertinho da entrada da fundação.

B) Alugar uma bicicleta: o bar em frente a estacão aluga bikes por 15 Euros. Leve seu RG (não precisa ser passaporte, RG tá valendo) para deixar de garantia. O trajeto é gostoso e todo sinalizado.

C) Caminhar: Não me parece uma ideia incrível porque vai demorar bastante, mas se você quiser muito. Manda ver!

Ingressos online para a casa de Monet

Ao chegar na casa de Monet você ainda tem que enfrentar uma fila boa para comprar seus ingressos e curtir a visita. Para evitar a fila a minha dica é comprar o ingresso na bilheteria virtual.

D) Paris Disneyland

A Paris Disneyland é uma versão compacta da Disney da Califórnia e que conta com dois parques: o Disneyland e o Walt Disney Studios. E, quer saber, ao contrário que dizem por aí e mesmo com suas proporções mini, a Disney de Paris não perde nada em termos de diversão e réplica de algumas das melhores atrações da Disney: Space Mountain, Piratas do Caribe, Rock’n’Roller Coaster e o famoso elevador que cai! Isso sem falar nas paradas lindas e no show de fogos. Quem viaja com crianças ou quer tirar um dia para descontrair, é um programa sempre especial! 

Dá para visitar os dois parque em um dia?

Quem quer ver um pouquinho de cada e aproveitar o melhor dos dois parques em um único dia (só recomendo fora de temporada), pode comprar um Hopper Ticket. Neste caso, comece pelo Walt Disney Studios que é menor e fecha mais cedo, fique por lá até a hora do almoço e, em seguida, toque para a Disneyland. Eu e a minha irmã Ana fizemos isso e achamos que deu para aproveitar bem, mas viajamos fora de temporada e em dia de semana.

Como chegar?
Pegue o trem do tipo RER A (algumas das estações em Paris são Les Halles e Gare de Lyon) rumo à Marne-la-Vallée. O trem vai direto, a viagem leva cerca de 45 minutos e a estação fica na boca do parque.

E ai, curtiu nosso este Roteiro de 4 ou 5 dias em Paris?

Na volta, não se esqueça de passar aqui e contar o que achou!


Viaje sem stress

 Reserve seu hotel em Paris 

Faça seu seguro de viagens


Veja também:

Guarde esta dica no Pinterest!

Roteiro: O melhor de Paris em 4 ou 5 dias

 

Comments (22)

Muito obrigada pelas informações repassadas com riqueza de detalhes.

Obrigada pela visita e pelo carinho!

Mari,
Tudo bem?
Adorei os roteiros.
O que você indicaria fazer no dia que chega à Paris?
Iremos chegar por volta das 14h ao aeroporto.
Obrigada

O que tiver mais perto do seu hotel :). Aí vc já mata um pedacinho

Quantos detalhes e perfeição!! Muito obrigada pela contribuição!!

[…] com mais de 30 dicas do que fazer na cidade! E, para quem gosta de roteiro já prontinho, temos um roteiro de 4 ou 5 dias em Paris e uma versão enxuta de 2 dias em Paris. Tudo bem explicadinho, basta imprimir e curtir ao […]

[…] Tem 3 ou 4 dias? Opa! Dê uma olhadinha no nosso Roteiro de 3 ou 4 dias em Paris! […]

[…] um roteiro prontinho? Veja aqui a nossa sugestão de roteiro de 4 ou 5 dias em Paris, o roteiro é muito detalhado. É basicamente imprimir e viajar. Se você tem pouquíssimos dias […]

Oi Mari, tudo bem? DE todas as dicas de roteiros, a sua achei mais completa. Mas tenho duas dúvida. Vou fica 4 dias inteiros em Paris com 2 dias de Museum Pass. Quero ir ao Palacio de Versalhes pela manhã e na parte da tarde casar com outras atracões que sejam contempladas pelo pass, o que você me indica fazer na parte da tarde? Ahh a respeito dos jardins, eu li que nos dias que não houver show nas fontes, o acesso é liberado pelo museum pass, você confirma isso? ou tem que pagar de qualquer forma, por fora. Não da direito ao fura filas de acesso ao Palácio? Obrigadaaa, beijão

Oi Suellen,
Quando visitei, não havia shows e o ingresso era cobrado a parte.
Eu faria os museus D’Orsay e Louvre (se não me engano tem fura fila nos dois) e talvez o topo do Arco do Triunfo (para ver Paris do alto!)
Beijos

Parabéns ??Super legal seu roteiro! Adirei!

Ola Mari, tudo bem ?
Parabens pelo guia. Já li muito a respeito de Paris e o seu guia foi o que conseguiu melhor explorar a cidade. Como dica você teria um tempo em media que devemos gastar em cada atração para conseguir completar todas as atrações sugeridas no dia ?
Obrigado.

Oi João,
Mais importante do que gabaritar o roteiro é garantir que vc curta – e muito – tudo o que vc for visitar. Assim, a dica é ir com calma – e se n≥ão der tempo de entrar em algo, deixar pra próxima!
Beijos

Mari, pode me tirar uma dúvida?
Como o ingresso do palácio de Versailles está incluso no Paris Museum Pass, basta eu comprar o ticket separado para o show das fontes? Fiquei em dúvida porque no link que você postou já cai direto numa opção de ticket com acesso total+show das fontes.
Muito obrigada!

Olá Mari, tudo bem?

Sempre que vou fazer alguma viagem corro para o seu blog!!! Suas dicas foram super importantes para a minha viagem à Califórnia e à África do Sul.
Estou com uma dúvida, mesmo com Paris Museum Pass é necessário chegar cedo à Catedral de Notre Dame para retirar a senha para acessar o terraço? Muito obrigada. 🙂

Sim! Sem a senha não é possível subir, e o número de subidas por dia é limitada.
Curta muito a viagem

Oi Mari!
Sem dúvidas o blog mais completo que já acessei sobre roteiros/viagens. Adoro suas dicas, não só de pontos turísticos , mas também de restaurantes.
Já fiz meu roteiro da california seguindo praticamente TODAS as suas dicas.
Gostaria de tirar uma dúvida sobre a visita no Palácio de Versalhes: o Paris Museum Pass inclui a visita ao palacio + os jardins?

Obrigada!
Grande beijo.

Oi Amanda,
Obrigada pelos elogios.
Os jardins não estão inclusos no passe, e ele também não dá fura filas em Veralhes.
Abraços,
Mari

Oi Mari! Tudo bem?
Há dois anos organizei minhas férias para Califórnia com a ajuda do seu blog, e foi tudo incrível! 🙂
Agora eu e meu marido estamos de viagem marcada para Paris/Roma/Amsterdam e cá estou de novo iniciando mais uma maratona pelos posts! hahahaha
Confio muito nas suas dicas.
bjos e obrigada!

Que delícia de comentário e vc está prestes a visitar algumas das minhas cidades preferidas do mundo!
Curta muito a trip.

Que roteiro lindo! Só de ler já me senti em Paris
Já salvei todas as dicas
Muito obrigada ;***

Paris é encantadora, Lara! Obrigada você por nos acompanhar. Um beijo!

Leave a comment