O caminho de Santiago: uma descrição prática dos 115k finais

17

IMG_5130

Santiago de Compostela – o ponto de chegada desse lindo caminho

Nos próximos posts tentarei contar um pouquinho sobre a experiência quase mágica que vivi nos últimos dias. Os posts serão bem pessoais contando minhas dificuldades, encontros e alegrias durante os cinco dias de caminho entre Sarria e Santiago de Compostela. Acho que os relatos podem inspirar e ajudar quem pensa em fazer o caminho e para mim é uma forma de expressar um pouco o que vivi… Mas…

Para quem quer uma descrição mais prática e menos sentimental, ai vai:

 1o dia: Sarria – Porto Marin (22,4 Km)

IMG_4290

 

Um lindo trecho do primeiro dia

O primeiro dia de caminho é lindo, tranquilo e sem grandes dificuldades. Nos últimos 5 quilômetros as pernas começam a sentir os quilômetros caminhados e as costas sentem o peso da mochila. A chegada em Porto Marin Cruzando o enorme rio é muito linda e faz toda a caminhada valer a pena!

IMG_4298

 

Chegada em Porto Marin 

2o dia: Porto Marin – Palas de Rei (25 Km)

No segundo dia a perna já estará um pouquinho castigada do dia anterior. Os primeiros 8 Km são de subida, mas depois melhora. De qualquer forma, dai em diante a trilha será subida, descida, subida…

IMG_4374

 

Parada fofa na metade do dia

A trilha do segundo dia é menos bonita e cruza a estrada muitas vezes, mais ainda sim tem seus segredos e encantos. A chegada em Palas de Rei é menos gloriosa, em compensação, come-se muito bem ali.

IMG_4412

Trechinho do segundo dia 

3o dia: Palas de Rei – Arzua (28,5 Km)

Além da quilometragem já acumulada nas pernas e joelhos (que apartir do quarto dia começam a se acostumar), a quilometragem mais alta somada a três barrancos caprichados (entenda-se por três boas subidas e três boas descidas, faz desse trecho o mais desafiador do caminho. Seguimos até Arzua, mas me arrependo de não ter parado dois quilómetros antes em Ribadiso.

IMG_4424

 

Pueblito no terceiro dia

Nesse dia o caminho passa por Melide, terra do Polvo Gallego (que é delicioso e imperdível) e em Arzua é uma cidade produtora de queijo de Tetilla, também sensacional).

IMG_4471

 

Melide: muito lindinha 

4o dia: Arzua– Pedrouzo (20 Km)

Depois de tanto sobe e desce, o quarto dia é um lindo passeio, bem tranquilo e bem curto. O corpo já está acostumado a caminhar e as dificuldades são menores. Cruzar a placa de 20km para o final é absolutamente sensacional.

IMG_4572

O Caminho do quarto dia: sem grandes dificuldades

IMG_4584

E não vale parar de caminhar! Quase chegando em Pedrouzo 

5o dia: Pedrouzo– Santiago de Compostela (22,4 Km)

Tinha ouvido – e muito falar – da grande subida entre Pedrouzo e Monte do Gozo, mas quer saber, achei o quinto dia muito tranquila e a subida pequena e fácil comparada com o que já havia passado. E o tal do Monte do Gozo, uma enganação. Não consegui ver a catedral lá de cima e parece faltar muito mais do que falta.

IMG_4606

 

No último dia acordei com um Arco Iris :O)

IMG_4625

 

Monumento bacana em Monte do Gozo

Entrando em Santiago, ainda faltam 5,7 Km até a Catedral e esse trecho parece não passar. Só consegui ver a catedral da entrada do centro velho de um trecho chamado “Porta do Caminho” e foi emocionante! A chegada na praça é muito linda.

IMG_4919

 

Catedral de Santiago vista do centro velho de Santiago

Veja também:

O caminho de Santiago: http://ideiasnamala.com/2013/05/08/o-caminho-de-santiago/

Meu Caminho de Santiago: http://ideiasnamala.com/2013/05/09/o-meu-caminho-de-santiago/

About author

mari vidigal

Viajante incansável, daquele tipo que no meio de uma viagem já está pensando na próxima, na próxima e na próxima. Apaixonada por fotografia, natureza e vinhos

17 comments

  1. Dalva de Andrade Monteiro 30 março, 2016 at 23:48 Responder

    Fiz o Caminho de Santiago de Compostela no período de 29 de abril à 07 de maio de 2013, desde Sarria.
    Foi muito especial o acolhimento dos nativos, a beleza do caminho e a precisão, quase mágica, das setas amarelas.
    Pretendo voltar em uma outra primavera, sem pressa de chegar e sem parcimônia do percurso

  2. Samuel 14 janeiro, 2016 at 20:01 Responder

    Tive a oportunidade de fazer o caminho duas vezes com meu pai.
    Uma em 2013, saindo de Astorga que da uns 267 km, e a segunda vez foi em 2015 de Leon que da uns 312 km.

    Experiência incrível que levo para o resto da minha vida.

  3. Nelson Coser 10 agosto, 2015 at 20:31 Responder

    Iniciei o Caminho de Santiago de Compostela a partir de Sarria (Espanha). Foram aproximadamente cento e dez a cento e quinze quilômetros de muito desafio, pois jamais havia feito um percurso nesta dimensão. Cinco dias de muita satisfação e, principalmente, ao ouvir o cumprimento de “Bom caminho”. A solidariedade e humildade das pessoas deixaram em mim marcas indeléveis.

    • mari vidigal 11 agosto, 2015 at 04:29 Responder

      Que delícia de experiência Nelson! E que seu caminho pós caminho seja tão iluminado quanto a viagem! Buen Camino!
      Obrigada por dividir a experiência com a gente.

Post a new comment

Veja também