Lua de Mel: Paris e Budapeste

2

A Lua de Mel da Mari e do Flávio combinou o romantismo de Paris com o charme de Budapeste na Hungria. Neste post eles contam para nós todos os detalhes da Lua de Mel deles, um roteiro de 14 dias, com muitas dicas para quem planeja fazer algo parecido.

Lua de Mel: Paris e Budapeste

Mari e Flavio em Paris

Roteiro Resumindo:

  • Dias 1-5 Paris | Hospedagem: Ibis Bastilha
  • Dias 6-9 Budapeste: Hospedagem: Palazzo Zicchy
  • Dias 10 -14 Paris | Hospedagem: Ibis Bastilha

Comentários do casal sobre os hotéis:

Paris: Ibis Bastilha

A escolha:

Os hotéis em Paris tem a fama de serem minúsculos então preferimos ficar em um de rede que teria pelo menos o padrão de conforto internacional. O quarto era realmente pequeno, mas amamos! Ficamos tanto no primeiro período quanto quando voltamos de Budapeste.

No hotel não tinha nada… Café da manhã e tal. Mas era bem ok! Fora que eles tem alguns lockers no térreo que foram hiper úteis no nosso caso de ficarmos um tempo fora e voltar para o mesmo hotel.

Localização:

O Ibis Bastilha não fica super central, mas fica bem próximo a Marais e bem pertinho tem uma estação de metrô. Chegávamos em qualquer lugar super rápido! Fora que a bastilha é um bairro super movimentado e boêmio, uma delicia! Ficaríamos de novo! 

Budapeste: Palazzo Zicchy

Hotel Palazzo Zichy - Budapeste

 

Hotel Palazzo Zichy em Budapeste

Um hotel incrível! Ele fica um pouco mais fora do centro, mas daria para ir andando em uma leve caminhada, mas ganhamos do hotel tickets para aquele onibus de sightseen que foi a melhor coisa! Saia de perto do hotel e conseguimos em 3 dias ver a cidade toda! Alem disso ganhamos do hotel entradas para as termas de Szechenyi que tivemos que ir de metrô, que foi uma história a parte! Engraçado demais. Por que não dá para entender absolutamente nada de húngaro! Kkkkk mas foi incrível! Super recomendamos!

Mariana e Flávio no ônibus turistico

Mariana e Flávio no ônibus turistico

Roteiro detalhado

Dia 1 – Paris: Champs Elysses & Jardim de Tuileries

Caminhamos pela Champs elysees, subimos no arco do triunfo e descemos andando ate o petite palais e grand palais. Depois fomos ao jardim de Tuileries e ficamos horas la! Jantamos num restaurante perto do hotel muito bom, que tinhamos visto indicação na internet: Cafe De l’industrie

Champs Elysses - Paris

Dia 02 – Paris: Torrei Eiffel, prédio da ONU e Museu D’Orsay

Acordamos tarde então pulamos o café da manhã, fomos a Torre Eiffel fazer um piquenique, caminhamos até o prédio da ONU e fomos ao Museu D’Orsay.

Torre Eiffel - Paris

Torre Eiffel – Paris

Dia 03 – Paris: Notre Dame, Instituto do Mundo Árabe e pavilhão Zaha Hadid

Fizemos uma manhã de pontos turísticos arquitetônicos: Instituto do Mundo Árabe do Jean Nouvel e o pavilhão da Zaha Hadid. Fomos a Notre Dame e subimos na Torre da igreja. São muiiiiiitos degraus, mas super vale a vista. A tarde visitamos o Louvre.

Dia 04 – Paris: canal de Saint Martin, Pompidou & passeio de barco

Caminhamos ao longo do canal de Saint Martin, almoçamos no restaurante L’Atmosphere (49 Rue Lucien Sampaix) -indicação de amigos, e que também recomendamos- e fomos ao Centro Pompidou (um museu de arte moderna). Fizemos o passeio de barco pelo Sena e fomos ao Le Bon Marche – muito bacana. É um mix de shopping, lojas de departamento e supermercado. Varias coisas bacanas. Para quem como eu ama supermercado vai pirar! Hehe

Canal de St. Martin

Dia 05 – Paris: Montmatre & aeroporto

Fomos almoçar no Café des 2 Moulins (15 Rue Lepic) – o café da Amelie Poulaim em Montmatre e depois fomos para o aeroporto para ir a Budapeste.

Café des 2 Moulins - Paris

 

Gnomo do filme Amelie Poulaim no Café des 2 Moulins

Dias 6-9: Budapeste

Em Budapeste fizemos basicamente o passeio do ônibus em 2 dias, no terceiro dia fomos às termas e almoçamos em um restaurante incrível que esta no guia michelin, mas que pela desvalorização da moeda húngara tinha um preço ótimo! Pagamos 50 euros o casal pelo menu degustação! Chama Onyx.

Termas em Budapeste

Termas de Szechenyi 

A cidade é muito linda, tem uma mistura de luxo e beleza com resquícios de balas e ruínas da segunda guerra.

O que não perder em Budapeste:

O mercado central, o palácio de Buda, o parlamento em Peste o passeio de barco pelo Rio Danubio e se perder pelas ruas antigas do centro sem conseguir entender nada do que dizem.

Café NY - Budapeste

Ir no New York Café  (Erzsébet körút 9-11)  um café de 1894, conhecido como o café mais lindo do mundo – é realmente maravilhoso tem doces lindos, além de muito gostosos.

Dias 10-14: Paris

Os últimos dias em Paris foram: um dia inteiro em Versailles, um dia para compras nas ruas de Marais (para quem for na lua de mel, ou com vontade de comprar coisas para casa ficamos alucinados em uma loja que chama Fleux ).

Palácio de Versalhes

Jantamos em um restaurante incrível na Ille de France – aquela ilha pequenininha perto da Notre Dame. Tem que reservar pois é muito pequenininho, que, atende são os próprios donos (que inclusive não falam uma palavra de inglês ou qualquer outra línguas que não seja francês) chama Auberge de la Reine Blanche.

Perguntas & Respostas com Mari Maduro

Vocês montaram o roteiro sozinhos ou com agência?

Montamos sozinhos, mas super pesquisamos na internet, sem ela não teria sido a mesma coisa hehe. Tivemos também muitas dicas de amigos!

Confesso que com a correria do casamento, decidimos com antecedência somente os destinos e hotéis, o resto montamos no vôo e no nosso primeiro dia de viagem, em cafés e no parque!

Porque vocês escolheram Paris?

Paris desde sempre foi uma cidade sonho para mim. Quando eu fiz intercâmbio queria muito ir para a França, mas na época o Rotary não tinha intercâmbio para lá. Fui então para a Itália (o amor da minha vida) e acabei indo para França somente visitar. Acabei não indo para Paris, só para outras cidades. Voltei do intercâmbio e conheci o Flavio 6 meses depois, na época ele trabalhava em um escritório de franceses (ele é arquiteto) e também queria muito conhecer Paris pela arquitetura.

Já Budapeste foi por que minha avó paterna era húngara e eu queria muito conhecer o país dela. Eu não tinha nem ideia de como era, e como seria o estilo de vida que minha avó teria tido se não tivesse vindo para o Brasil.

Tinhamos combinado que na Lua de mel iríamos para algum lugar que os dois nunca tivessem ido, para conhecermos juntos. Pensamos em ir para a Africa do Sul – mas era mais eu do que “nós” que pensávamos neste roteiro. Acho que era exótico demais para nós na época e acabei desistindo da ideia. Então escolhemos Paris & Budapeste, que no fundo sempre soubemos que seria, e foi perfeito!

 Qual foi o lugar que vocês mais gostaram? 

Foi tudo muito incrível! Muito difícil escolher só um lugar… Mas brincávamos que iríamos nos mudar para Paris e ter uma casa de campo para ir de vez e quando em Budapeste. Então imagino que Paris tenha falado mais alto… A energia da cidade é única, além de termos tido experiências ótimas com os franceses, que não fizeram jus a fama de arrogantes, foram ótimos!

Qual foi o lugar mais especial?

Pode parecer clichê, mas a Torre Eiffel é simplesmente única. Fazer um piquenique debaixo dela foi especial.

Picnic nos jardins da torre Eiffel

Picnic nos jardins da torre Eiffel

Lua de Mel - Paris e Budapeste

Em Budapeste, o lado de Buda também foi muito especial. É incrível como os dois lados de Budapeste são tão diferentes. Me apaixonei pelos mosaicos das igrejas de Buda.

Igreja em Buda - Budapeste

Igreja em Buda

Qual foi a experiência mais diferente?

Diferente com certeza foi pegar metro em Budapeste. Não conseguíamos entender absolutamente nada! Tinhamos que decorar o desenho que formava o nome das estações, por que escutar a mocinha do trem anunciar as estações era praticamente impossível. Assim como coloca Chico Buarque no livro Budapeste, de tão difícil que é o húngaro é “a única língua do mundo que, segundo as más línguas, o diabo respeita”.

Metrô em Budapeste

Metrô em Budapeste

Você mudaria algo no seu roteiro? 

Absolutamente nada… No começo estavámos com medo de quebrar a viagem no meio. De ficar um pouco em um lugar ir para outro e voltar, mas no fim foi muito bom. Conseguimos dar uma pausa ao ritmo mais pesado da cidade grande de Paris, com outra menor, e quando voltamos estavámos descansados, fora que parecia que estávamos voltando para casa, por voltarmos para a mesma cidade e no mesmo hotel.

Você recomendaria esse roteiro para outros casais de lua de mel? Porque?

Super! Para quem gosta de cultura, caminhar e comer é o combo perfeito! Não tem nada de próximo á um roteiro resort na praia em que você descansa, nem de compras enlouquecedoras como talvez os Estados Unidos (nada contra, aliás adooro) mas para Lua De Mel foi simplesmente perfeito!

Que dicas você deixaria para outros casais que pensam em fazer uma viagem parecida com a sua?

Caminhe em Paris

O segredo de Paris está em andar… Pegávamos bairros caminhávamos muito. Conhecendo cada cantinho e descobrindo coisas que não estão nos guias. Fomos em Abril… Inicio da primavera, o que foi muito bom, pois escurecia quase 9 da noite, a cidade tinha muita vida. Os barzinhos cheios, as lojas abertas até tarde… O segredo está realmente em se deixar descobrir a cidade.

Café des 2 Moulins - Paris

 Dica de hotel em Budapeste

Super recomendo o Palazzo Zichy em Budapeste – e se forem ficar neste perguntem se ainda tem um Pub na rua de trás. Foi onde praticamente jantamos todos os dias. A comida era excelente com um preço bem justo.

Rua do Palazzo Zichy-Budapeste

Rua do Palazzo Zichy-Budapeste

Dicas de restaurantes & comidinhas

Recomendo também  o jantar no La Reine Blanche em Paris, fazer o piquenique na Torre Eiffel e reservar um dia todo para Versailles.

Comer macarrons na Ladurée, Croc Monsier no café na frente da Notre Dame e creme brule em qualquer lugar! Experimentar confit de pato e se entregar aos pães franceses. Comemos um crepe na frente do Pompidou que era divino! Achamos que íamos comer o original crepe suzette mas eles não conheciam, mas eles fazem um outro com licor de laranja que vale muito a pena!

Créme Brule

Pegue o Audioguia

Outra coisa que aprendemos nessa viagem e que fazemos em todos os lugares agora, é pegar o audioguia nos museus – fez toda a diferença!

Versalhes

Uma dica para o futuro: Paris com crianças

Uma dica que recebemos de uma parisiense para quando tivermos filhos e formos viajar com eles é de assim que chegarmos na cidade deixarmos as crianças escolherem cartões postais com os lugares que elas querem visitar, assim a viagem fica mais lúdica para elas e desperta o interesse em conhecer novos lugares – adoramos e com certeza vamos seguir essa dica quando tivermos filhos. Fica a dica para quem for viajar com crianças!

Roteiro

About author

mari vidigal

Viajante incansável, daquele tipo que no meio de uma viagem já está pensando na próxima, na próxima e na próxima. Apaixonada por fotografia, natureza e vinhos

2 comments

Post a new comment

Veja também