O Vale Sagrado do Peru: tudo para planejar sua viagem

12

O Vale Sagrado é uma região Peruana que se extende de Cusco até o Machu Picchu. São mais de 100 Km de extensão com direito a muita água e solo fértil, atributos considerados sagrados pelo povo que desbravou esta região, os Incas. Assim, não é de se estranhar que a região serviu de base para algumas das mais importantes construções incas, que ainda hoje surpreendem turistas de todo o mundo. Uma visita ao Vale Sagrado deixará sua passagem pelo Peru ainda mais especial.

Depois de desvendar e me apaixonar por essa região, divido com vocês todos os detalhes que eu gostaria de saber antes da viagem e outras informações bem úteis para quem planeja fazer um passeio parecido. Esqueci algo? Deixe seu comentário!

O Vale Sagrado do Peru: tudo para planejar sua viagem

Mirante do Vale Sagrado -Peru

Mirante do Vale Sagrado

Quantos dias?

Quem viu meu roteiro, sabe que só tive um dia para desbravar o Vale. Mas sinceramente gostaria de ter ficado muito mais tempo. Tem muito lugar bacana para visitar. Portanto, o ideal é explorar o Vale por uns dois ou três dias, mas se você só tem dia, ainda assim vale e muito a pena.

E a tal da altitude?

O Vale Sagrado dos Incas fica a uma média de 2800 metros de altura. Pra quem vem de Lima, que fica no nível do mar, o ganho de altitude brusco pode ser um problemão. A dica é respeitar seus limites, e sempre que possível, pegar bem leve no primeiro dia. Na dúvida, leve um remedinho.

Terraços agrícolas - PeruTerraços agrícolas – Peru

Tá faltando oxigênio?

Muitos dos hotéis de Cusco, tem oxigênio disponível. Não tenha vergonha e nem medo de pedir, um pouco de ar, vai te ajudar com certeza!

O que eu senti?

Eu tive bastante dor de cabeça, o que é normal, e cansei muito nas caminhadas pela falta de oxigênio. Não tomei remédio, mas tomei chá de coca que aliviou muito os sintomas. Meus sintomas foram bem leves, mas tenho amigos que passam bem mal. Na dúvida, cuide-se e respeite os seus limites.

Urubamba - no Vale Sagrado

Urubamba – Vale Sagrado

Como explorar o Valle Sagrado do Peru

Cusco e Ollantaytambo são duas cidades base para quem quer explorar o Vale Sagrado, e visitar Machu Picchu. Ambas as cidades oferecem diversos tipos de tour pela região. Algumas das opções mais comuns para quem quer explorar o Vale são:

Fazer um tour em grupo:

Tanto em Cusco como Ollantaytambo, existem n opções de empresas que oferecem tours em grupo por um preço super amigável. O tour em grupo é uma boa alternativa para quem quer visitar o Vale de forma econômica. Tours de dia inteiro, custam a partir de 20 dólares por pessoa.

Fazer um tour privado:

Pra quem quer uma experiência mais personalizada e exclusiva, os tours Privados são uma excelente opção. Enquanto no tour coletivo todo segundo é cronometrado, o tour privado de tá a chance de explorar os seus lugares preferidos com mais liberdade e flexibilidade. Os tours privados custam a partir de 80 dólares por pessoa. Fiz um tour com uma agência local chamada Fabulous Peru Tours e gostei bastante.

Ruínas de Pisac - Vale Sagrado

Uma das graças de fazer o tour privado foi ter a liberdade – e um pouco mais de tempo – para explorar as ruínas Inca.  Em Pissac, caminhamos por todo o complexo, em Ollantaytambo tive tempo para passear pelo centrinho e nas salientar de Maras, paramos lá no alto para ver as salientar pequeninas crescendo na paisagem.

Cidade de Ollantaytambo

Salineiras de Maras vistas de longe

Alugar um carro:

Pra quem tá ponto para encarar uma verdadeira selva no trânsito e estradas nada amigáveis, alugar um carro pode ser uma alternativa para explorar o vale. A vantagem do carro alugado é poder estabelecer base em uma cidade menor, e explorar no seu próprio ritmo. A grande desvantagem, é não contar com a experiência do guia pra te contar histórias e explorar as minúcias de cada construção. Não faria e não recomendo porque achei o trânsito uma zona, as estradas ruins e a presença do guia foi mega importante.

[Alguém ai já alugou carro no Perú? Conte para nós o que achou.]

Com um táxi:

Um táxi bem combinado sai mais barato que um tour privado para múltiplas pessoas, mas tem a grande desvantagem da falta do guia. Combinando com o táxi, você poderá dormir em cidades menos exploradas. De táxi o preço inicial é 220 soles (saindo de Cusco) e óbvio que dá para negociar bastante.

Vale Sagrado de Trem:

Infelizmente há poucas opções para quem quer explorar o Vale sem fazer um tour. A alternativa é pegar um trem de Cusco até Ollantaytambo. Eu não faria isso, porque o resto do vale é super interessante e merece ser visitado.

Os principais Roteiros ou tours pelo Vale Sagrado

As agências de viagem de Cusco costumam fazer combinações entre os diferentes lugares do Vale Sagrado, algumas das principais combinações são:

Tour Tradicional pelo Vale Sagrado:  Ruínas de Pisac, Mercado de Pisac, Ollantaytambo e Chinchero

  • As Ruínas de Pisac são interessantes terraços incas que eram usados para a produção agrícola. O complexo é lindo e gigantesco e conta com centenas de terraços, um cemitério, vivendas e um templo.

Ruínas de Pisac - Peru

  • Mercado de Pisac: um mercado com várias barraquinhas de produtos com estilo peruano. (Digo estilo porque tem muita coisa made in china, então você terá que garimpar).
  • Ollantaytambo: um complexo de templos absolutamente fantástico. Toda a cidade é construída em base de pedra de antigas construções. E o templo combina terraços agrícolas com uma parte de templos muito bonita e montanhas bem impressionantes.

Forte de Ollantaytambo

  • Chinchero:Uma cidade construída sobre ruínas incas. A igreja foi construída sobre um incrível muro. A combinação é super diferente e bonita. Em Chinchero, muitos tours costumam parar em uma tecelagem típica peruana. Ouvi falar muito bem da parada e da qualidade dos produtos.

Tour Moray & Maras

  • Moray: Um antigo campo de experimentos agrícolas. Aqui os incas testavam diferentes culturas plantadas em terraços circulares.
  • Salinas de Maras: uma salinera do tempo dos incas que tem centenas de terraços de produção de sal que ainda são ativos e são cultivados por famílias locais. Muito bonito.

Salineiras de Maras - Peru

Sul do Vale Sagrado: Tipón, Piquillacta e Andahuaylillas

  • Tipón: Um importante santuário Inca onde a água era cuidada e reverenciada. Até hoje os terraços agrícolas servem para cultivo.
  • Piquillacta: Uma fortaleza piramidal Pré Inca impressionante que servia como o centro político da civilização Wari.
  • Andahuaylillas: conhecida como a capela Sisitina do Peru, esta pequena capela tem uma decoração riquíssima em ornamentos e detalhes.

Dica: contrate seu tour com uma agência local peruana. Agências gringas oferecem tours absolutamente iguais por 5x o preço.

Visite o Vale Sagrado antes de conhecer o Machu Picchu

Machu Picchu - Peru

E a última dica, porém não menos importante é a ordem dos seus passeios. Encaixe seu passeio pelo Vale Sagrado antes de visitar o Machu Picchu. Por que? Como o Machu Picchu é a mais impressionante das ruínas peruanas, o Vale Sagrado é um bom aperitivo para te preparar para sua visita. A ideia é ir melhorando e chegar ao ápice da sua visita ao Peru no topo do Machu Picchu.

About author

mari vidigal

Viajante incansável, daquele tipo que no meio de uma viagem já está pensando na próxima, na próxima e na próxima. Apaixonada por fotografia, natureza e vinhos

12 comments

  1. Kamylla Batista 15 abril, 2016 at 01:54 Responder

    Estou planejando o seguinte roteiro:
    1 dia – Chegada em Cusco, aclimatar-se, comprar o boleto turístico e fechar pacotes de passeios com agências locais.
    2 dia – City Tour Cusco
    3 dia – Vale Sagrado Sul + MARAS E MORAY (é possível acrescentar esses dois últimos locais (Maras e Moray) para esse dia com a agência?)
    4 dia – Vale Sagrado Inca, deixando a excursão em Ollantaytambo para pegar trem e para Águas Calientes
    5 dia – Machu Picchu, depois voltar para Cusco
    6 dia – Passear por Cusco de forma tranquila, fazer compras
    7 dia – Deixar o Hotel e ir para o aeroporto, voltar para o Brasil

    • mari vidigal 17 abril, 2016 at 22:53 Responder

      Oi Kayla,
      Não acho que seja possível fazer tudo isso no dia 3, mas veja com a agência. No dia 4 sim dá para incluir caso seja um tour privado.
      De resto, o roteiro está ótimo e fazendo bastante sentido.
      Beijos

  2. Erval 5 setembro, 2015 at 13:29 Responder

    Olá, gostei muito do post e da maneira como você escreve, parabéns! Estamos indo semana que vem fazer uma trip Bolívia e Peru e gostamos do tour privado que encaixaria melhor no nosso tempo. Algumas dúvidas, você que montou quais passeios queria fazer? Tinha guia? Foi interessante as explicações dele?
    Obrigado!

    • mari vidigal 11 setembro, 2015 at 10:33 Responder

      Oi Erval,
      Fiz o passeio com guia e ameeeeeeei. Gostei tanto das explicações como da possibilidade de fazer o tour do meu jeito e no tempo que eu queria.(Acho que foi exatamente isso que você perguntou, certo?)
      Beijos

  3. Minha viagem ao Machu Picchu | Ideias na mala 3 setembro, 2015 at 22:48 Responder

    […] Depois de me perder com a sopa de letrinhas dos nomes peruanos complicados, e tentar entender que raios que era isso de “Vale Sagrado” decidi que a forma mais inteligente era contratar um tour particular direito do aeroporto para o Vale Sagrado, pegar o trem das 8:00 da noite rumo a Águas Calientes, no dia seguinte visitar Machu Picchu, e a noite, voltar para Cusco. Corrido? Muito. Mas não me arrependo nem um tiquinho. E para te ajudar, reuni todos os meus aprendizados sobre o Vale Sagrado neste post. […]

Post a new comment

Veja também