Como é passar o ano novo tailandês (Songkran) em Bangkok

1

O Songkran, também conhecido como ano novo tailandês ou Water festival (festival da água) é para os tailandeses um momento de reencontro familiar, limpeza da casa e dos templos. Assim como no ocidente, fala-se em deixar para trás o que não deu certo e renovar as energias para o começo de um novo ano. Na prática, o Songkran é a maior e mais divertida guerra de água do mundo, a sua chance de comprar uma pistola de água gigante e sair atirando para todos os lados sem medo de ser feliz.

Como é passar o ano novo tailandês (Songkran) em Bangkok?

Divertidíssimo! Uma guerra de água infinita toma conta da cidade e uma multidão de pessoas (Tailadêses e gringos) saem pelas ruas bem armados com suas bazucas de água gelada mirando e sendo mirados. Música alta e quitutes de rua (uma pouco mais molhados do que o normal) fazem parte da confusão e do agito e a única parte seca do dia, são os pequenos saquinhos de plástico impermeável que carregam dinheiro, documentos e celular.

Bazucas preparadas para a guerra de água

Bazucas preparadas para a guerra de água

Eu entrei na festa e saí para a rua BEM armada com uma bazuca vermelha (que depois de pechinchar bastante, custou 200 Bahts) das grandes bem cheia com água gelada e vestida com roupas velhas e bikini por baixo. Minhas companheiras de quarto (essas da foto) entraram na brincadeira comigo.

Mesmo com minha boa pontaria – meu alvo era sempre a testa das pessoas – tive que competir com bazucas maiores e de águas mais geladas do que a minha. Em poucos minutos estava ensopada, mas feliz da vida!

Water Festival - Bangkok

Pose pra selfie – segundos antes de ser metralhada

O alvo soy yo. Fui fazer pose pra foto e dancei!

O alvo soy yo. Fui fazer pose pra foto e dancei!

Sempre gostei de guerra de água, participar de uma guerra tão gigante e organizada foi uma das experiências mais divertidas do #IdeiasnaAsia (minha viagem de três meses pela Ásia).

Como funciona o Songkran?

Na prática, é só molhar e ser molhado e sem medo de ser feliz.

A criança se divertindo no Songkran

A criança se divertindo no Songkran

Gringos aproveitando o festival

Gringos aproveitando o festival

Festival da água - Tailândia

Recarregar as armas com água é grátis nas ruas adjacentes a bagunça e custa entre 5-10 Bahts no meio da confusão. A vantagem de recorrer a recarga paga é encher a bazuca de água estupidamente gelada. E se água gelada na testa ou na nuca refresca até a alma, refrequei a alma de muuuuuuita gente. 😉

Vendedores de munição (água gelada e baldinhos com farinha)

Vendedores de munição (água gelada e baldinhos com farinha)

Água muito gelada por 10 Bahts

Água muito gelada por 10 Bahts

E olha a munição chegando…

Munição (entenda-se por água muito gelada) chegando

Munição (entenda-se por água muito gelada) chegando

Além da guerra de água fabulosa, havia uma parte religiosa super bonita rolando discretamente em meio ao caos do Silom. Uma pequena estátua de um Buda dourado era lavada com carinho pelos participantes do festival. Tão bonito que fiquei observando a cena por alguns instantes e também dei meu banho carinhoso no Buda antes de voltar pra festa da água.

Banho no buda: parte religiosa do festival

Banho no buda: parte religiosa do festival

Fiquei mais de duas horas guerreando, e só parei porque tinha o meu vôo de volta já agendado (pensa que é fácil chegar no aeroporto em meio a uma guerra de água gigante? O táxi saiu mais caro do que deveria, mas pelo menos cheguei BEM seca… UFA! Viajar 30 horas molhada seria um inferno e me custaria pelo menos um bom resfriado – e na dúvida, levei uma roupa seca dentro de uma plástico. Com tanta água na rua, não dava para arriscar.)

Dentro do táxi presenciei algumas das cenas MAIS divertidas do dia, um tuk tuk repleto de mulheres secas sendo atacado por um esquadrão de tailandeses armados. As mulheres não paravam de berrar, e quanto mais elas berravam, mais o esquadrão atirava. Um grupo de pessoas tentou abrir a porta do nosso táxi para nos molhar, por sorte estava bem trancada, mas o motorista ficou bem tenso quando eles tentaram forçar a porta – e nós também. Vimos as pessoas saindo do metrô e sendo completamente encharcadas por grupos de atiradores, e vimos crianças escondidas distribuindo baldadas de água gelada na galera desprevenida. Foi o máximo!

Esquadrão bem munido

Esquadrão bem munido

5 minutos de fama. #Sqn .Enquanto ele posavam para fotos eram metralhados por todos os lados

5 minutos de fama. #Sqn .Enquanto ele posavam para fotos eram metralhados por todos os lados

Pose pra foto!

Pose pra foto!

Quando?

Em teoria, o Songkran ocorre entre 13 e 15 de abril, mas na prática tanto o festival quanto a guerra de água gigante podem durar uma semana inteira. Em 2015, o Songkran começou um dia antes do planejado e com força total. Como dia 12 de abril era sábado, os tailadêses saíram as ruas, bem armados com suas bazucas de água e atirando pra todos os lados,especialmente em gringos desprevenidos. Vale lembrar que abril é a época mais quente do ano na Tailândia, e em meio ao calor dos infernos, uma boa baldada de água gelada (e bota gelada nisso) é mais do que bem vinda!

Vale lembrar que durante estes dias, todo o comércio e as atrações turísticas (menos os templos) ficam fechados.

Onde?

O melhor lugar para comemorar o ano novo Tailandes, é em Chiang Mai no norte do país. Lá, além duma guerra de água gigantesca (alimentada por meia população de Bangkok que volta para casa para rever suas famílias) há uma série de procissões bacanas com direito a desfile das estátuas dos templos da cidade. Bangkok, apesar de perder boa parte dos habitantes que voltam para suas cidades natais, é um bom lugar para curtir o festival. Outras cidades tailandesas comemoram o Songkran de forma mais modesta, porém igualmente divertida.

Festival da água - Tailândia

Melhores lugares para curtir o Songkran em Bangkok

Os dois melhores lugares da cidade para curtir o festival são a Silom Road e a Khao San Road. Em Silom, muitas ruas ficam fechadas e rola um showzinho com direito a música animada, túneis de água no teto, além de um baldão de água típico de parques aquáticos (sabe aquele baldão que tomba ao encher?) e potentes mangueiras de água sendo espirradas na platéia. Há uma mistura de locais e estrangeiros bem interessante. Em Khao San Road, a maioria dos participantes é estrangeiro, e ouvi falar que o clima é bem divertido. Como estava hospedada em Silom, nem me animei em ir até lá.

E olha só a festa que rolou em Silom Road:

Reparem no baldão laranja no fundo - ao encher de água ele vira em cima da galera

Reparem no baldão laranja no fundo – ao encher de água ele vira em cima da galera

E olha só que festa gostosa! Galera dançando e se molhando. Até paree carnaval

E olha só que festa gostosa! Galera dançando e se molhando. Até paree carnaval

Túnel de água em Silom Road

Túnel de água em Silom Road

Para quem quiser curtir um pouco a parte religiosa do festival, vale a pena visitar um dos templos da cidade e acompanhar as estátuas sendo lavadas e as orações sendo feitas.

Faça como os locais

Durante os três dias do festival, os locais se vestem com camisas coloridas no estilo Havaiano, e um óculos de plástico desses bem baratinhos para prevenir a água na cara. O figurino é meio brega, mas no final das contas, durante as férias vale tudo, não vale?

Menina com o look tradicional do festival: camisa florida & óculos pra proteger os olhos da água

Menina com o look tradicional do festival: camisa florida & óculos pra proteger os olhos da água

Cuidados durante o Songkran

Existem dois perigos durante o festival, os batedores de carteira, que se aproveitam da multidão para roubar telefones e carteiras e os motoristas bêbados que causam o maior número de vítimas do trânsito do ano. Eu se fosse você, ficaria o mais longe possível das estradas (mesmo porque, com tantas ruas fechadas, o trânsito beira o limite do suportável) e deixaria sua carteira e seu telefone guardados no saquinho impermeável e pendurados por dentro da sua roupa. Na dúvida, melhor não arriscar, certo?

E vale lembrar que apesar do calor e da quantidade de água que o Songkran é um festival religioso, assim bikinis e sungas não são muito bem vistos pelos locais e pelos policiais (os únicos indivíduos que consegue circular pela rua sem se molhar).

[Com medo de encharcar a câmera ou o celular, tirei poucas fotos, todas com o telefone. Não ficou lá essas coisas, mas espero que dê para sentir um pouquinho das emoções do Songkran.

Olha só a criançada causando

Olha só a criançada causando

Crianças no Songkran - Bangkok

Como faz para sair sem ser molhado?

Pra quem está hospedado próximo ao Silom ou Khao San Road – que diga-se de passagem, é a localização da maiorias dos hostels e hotéis baratos – sair sem se molhar é uma missão bem complicada. Para ir almoçar num restaurante caprichado pertinho do meu hotel, saí de roupa seca e mãos para cima (em gesto de rendição) dizendo “No water please”. Deu certo, mas corri um risco grande. Outra alternativa, é pedir um taxi, mas vale lembrar que como o transito é forte e a quantidade de táxis é BEM limitada, eles vão querer te cobrar bem mais do que o valor do taxímetro.

Mais informações sobre o festival

Water Festival - Bangkok

E vale a pena passar o festival da água na Tailândia?

Muita. Adorei a experiência e amei a guerra de água. Para quem não conhece Bangkok ou Chiang Mai direito, a parte chata é que as cidades estarão completamente fechadas e as únicas alternativas serão guerra de água e visita aos templos.

Dica: Reserve seu hotel ou hostel com antecedência por que eles costumam LOTAR.

About author

mari vidigal

Viajante incansável, daquele tipo que no meio de uma viagem já está pensando na próxima, na próxima e na próxima. Apaixonada por fotografia, natureza e vinhos

1 comment

Post a new comment

Veja também