Mendoza – Roteiro gastronômico de 5 dias

Tá indo para Mendoza e curte comer e beber bem? Este post é pra você! Aí vai um roteiro gastronômico de 5 dias em Mendoza, um post recheado de dicas deliciosas, com muitas boas vinícolas e restaurantes. É só imprimir e viajar!

Roteiro gastronômico de 5 dias em mendoza

Confesso que tenho uma “quedinha” pela Argentina, acho a terra dos hermanos linda e cheia de diversidade. O roteiro dessa vez foi escolhido em função de outra paixão: vinho e gastronomia e tenho que dizer, foi uma bela escolha! Mendoza é uma cidade gracinha, que oferece uma gastronomia deliciosa (e para vários bolsos). Nessa viagem, não fizemos compras, nem visitas a museus, mas voltamos com uma bagagem cultural enorme e muitos conhecimentos interessantes sobre o universo do vinho Argentino. Te convido a embarcar numa viagem maravilhosa pelos vinhedos de Mendoza. Vem comigo?

Roteiro Resumido:

  • Dia 1: Finca Agostino
  • Dia 2: Olivicola Laur e Casa El Enemigo
  • Dia 3: Pulenta Estate, Chandon, Dolium e Azafran
  • Dia 4: Vale do Urco: Salentein &  Casa de Huespedes Gimenez Riili
  • Dia 5: Centro de Mendoza
Mendoza
Amanda e Lucas na Finca Agostino em Mendoza

Onde ficar em Mendoza

Centro de Mendoza

Antes de começar a falar de hospedagem em Mendoza, preciso dizer que Mendoza é uma cidade assim como uma região vinícola, e que o centrinho de Mendoza, apesar de afastado das vinícolas (como próximos parágrafos explicarei detalhadamente como chegar as vinícolas, e darei dicas de vinícolas deliciosas testadas e aprovadas por nós) é uma região deliciosa, repleta de lojinhas, restaurantes e salões de degustação. O centrinho de Mendoza foi a nossa escolha para as 4 primeiras noites do roteiro e ADORAMOS, mas vale falar que os hotéis das regiões vinícolas tem muito mais personalidade que os hotéis do centro.

Hotéis caprichados em Mendoza

Park Hyatt Mendoza Hotel, Casino & Spa

O hotel mais bem avaliado de Mendoza tem uma fachada imponente, pé direito alto e quartos amplos com decoração clean e banheiros de mármore com banheira de hidromassagem. O Park Hyatt possui uma área de lazer bacana com piscina, jacuzzi e academia. Localização excelente e atendimento ultra bem avaliado pelos hóspedes. Fique ligado na hora de reservar já que alguns quartis incluem um café da manhã delicioso no preço da diária. Reserve aqui.

Mendoza
Park Hyatt Mendoza | Foto: divulgação
Mendoza
Quarto do Part Hyatt | Foto: divulgação
Mendoza
Foto: divulgação

Hotel InterContinental Mendoza

Moderno e sofisticado o InterContinental é uma opção sólida para quem quer curti Mendoza com bastante conforto. Os quartos são amplos, confortáveis e decorados com muito bom gosto. Destaque para os banheiros bem iluminados com estilo moderninho. O hotel tem uma piscina coberta deliciosa, academia e alguns quartos incluem um café da manhã bem caprichado no valor da diária. O hotel fica um pouquinho afastado do centrinho da cidade e você precisará de um táxi (ou alugar um carro) para se deslocar, em compensação o hotel fica em frente ao shopping de Mendoza que é um lugar excelente para fazer compras e que está repleto de restaurantes. Reserve aqui.

Mendoza
Quarto do InterContinental Mendoza | Foto: divulgação
Mendoza
Foto: divulgação

Mod Hotel

Com quartos espaçosos e a opção de quartos família, o Mod é uma opção bacana e que costuma ter um melhor custo benefício em relação aos hotéis de luxo da cidade. O hotel conta com piscina, uma pequena academia e café da manhã estilo buffet incluso no valor da diária. A localização é boa, e quem não se incomoda de caminhar algumas quadras consegue chegar ao burburinho de Mendoza a pé. Reserve aqui.

Onde ficar em Mendoza
Hotel Mod | Foto: divulgação
Onde ficar em Mendoza
Foto: divulgação

Argentino Hotel

Quartos compactos porém confortáveis, atendimento ultra bem avaliado pelos hóspedes, um dos cafés da manhã de hotel mais elogiados da cidade e uma pequena piscina externa que cumpre hiper bem sua função nos dias quentes. O Argentino Hotel é um hotel um hotel intermediário e que está entre os confortáveis e os hotéis com bom custo benefício no quesito preço. A localização é ótima no centrinho da cidade. Reserve aqui.

Mendoza
Argentino Hotel | Foto: divulgação

Hotéis com bom custo benefício

Há uma diferença imensa entre os hotéis caprichados e os hotéis com bom custo benefício em termos de qualidade, tamanho dos quartos e amenidades Mendoza. Ainda assim tem coisas bacanas para quem quer algo limpo, bem localizado e com um custo benefício legal, mas para não se decepcionar vale ler bastante as reviews. Depois de muita pesquisa cheguei a essa pequena lista com meus preferidos. 

NH Cordilheira – Nossa escolha para as 4 primeiras noites

Um hotel bem localizado com piscina, sauna e um bom restaurante. Os quartos são um pouco antigos, com um perfume que não era dos nossos preferidos e um ar condicionado bem meia boca. É sem dúvida um bom custo benefício mas não nos impressionou e numa próxima visita tentaremos um lugar diferente. Reserve aqui.

Mendoza
Quarto do NH Cordilheira | Foto: divulgação
Mendoza
Piscina do NH Cordilheira | Foto: divulgação

Abril Hotel Boutique

Quem procura um hotel novo, limpo e ultra bem localizado vai curtir o Abril Hotel Boutique, que tem quartos básicos porém bem decorados e oferece um café da manhã bem básico incluso na diária. Um excelente custo-benefício em Mendoza. Reserve aqui.

Mendoza
Abril Hotel Boutique | Foto: divulgação

Casa Lila

Quem curte se hospedar no esquema B&B vai adorar a casa Lila, um B&B gracinha com quartos lindos (um diferente do outro), jardim delicioso, café da manhã ultra bem avaliado e uma ótima localização. A Casa Lila é um dos B&B’s mais disputados de Mendoza e os preços variam bastante dependendo da demanda. Reserve aqui.

Mendoza
Café da manhã na Casa Lila | Foto: divulgação
Mendoza
Quarto da Casa Lila | Foto: divulgação

Opções econômicas em Mendoza

Quem viaja num estilo mais econômico e curte a vibe dos hostels tem boas opções em Mendoza. Veja nesta lista três das melhores opções da cidade.

Hostel de Los Artistas

O Hostel de Los Artistas é um desses cantinhos divertidos e aconchegantes que te deixam a vontade desde os primeiros instantes. Quartos bem limpos com banheiro próprio, café da manhã incluso na diária e um staff hiper gente boa. As áreas comuns com jardim e churrasqueira são uma boa pedida para quem quer ficar na cidade por mais tempo. Reserve aqui.

Mendoza
Hostel de Los Artistas | Foto: divulgação

Hostel Lagares

Básico, bem limpo e ultra bem localizado. O hostel Lagares tem áreas comuns gostosas, uma vibe divertida e é uma opção excelente para quem quer ficar coladinho no centro por um dos melhores custo-benefícios de Mendoza. Reserve aqui.

Mendoza
Hostel Lagares | Foto: divulgação
Mendoza
Foto: divulgação

Chill inn Hostel

Descolado, limpo e com um staff super bacana. O hotel Chill inn tem jeitão alegre e descontraído com as melhores áreas comuns entre os hostels da cidade com direito a piscina, varanda a churrasqueira. Este é um dos hostels mais bem avaliados de Mendoza e os hóspedes costumam gostar muito. Reserve aqui.

Mendoza
Hostel Chill Inn | Foto: divulgação
Mendoza
Piscina do Hostel Chill Inn | Foto: divulgação

Casa e apartamentos em Mendoza

Quem não achou um hotel com o preço que queria, ou está em um grupo grande e prefere alugar uma casa pode dar uma olhada nesta página com algumas boas opções de casas e apartamentos na cidade.

Onde ficar em Maipú & Luján de Cuyu

Tanto Maipú quanto Luján de Cuyo são opções interessantes para quem busca hotéis com mais personalidade ou a oportunidade de se hospedar dentro de uma Bodega.

Entre Cielos:

Um dos melhores e mais exclusivos hotéis da região com uma decoração moderna de ultra bom gosto, piscinas externas caprichadíssimas, Spa completo (com direito a vinoterapia e banho turco) e todos os mimos que você espera encontrar em um bom hotel. Pedida certeira para quem quer curtir o melhor da região com muito estilo. Reserve aqui.

Mendoza
Arquitetura do Entre Cielos | Foto: divulgação
Mendoza
Um dos quartos do Entre Cielos | Foto: divulgação
Mendoza
Piscina deliciosa do Entre Cielos | Foto: divulgação
Mendoza
Spa | Foto: divulgação

Villa Mansa:

Uma opção linda pra quem quer se hospedar em meio aos vinhedos e com um toque de modernidade. Quartos modernos, espaçosos e aconchegantes com uma piscina linda. A casa possui um restaurante próprio muito bem avaliado. Reserve aqui.

Onde ficar em Mendoza
Quarto do Hotel Villa Mansa | Foto: divulgação
Onde ficar em Mendoza
Piscina e jardim | Foto: divulgação

Lares De Chacras:

Um interior de pedra e madeira com lareiras aconchegantes e uma área externa caprichada com direito a piscina, jacuzzi e um gramadão lindo, florido e bem cuidado. Os quartos são espaçosos, com decoração rústica de muito bom gosto e amenidade deliciosas. A casa tem uma adega espetacular e um staff super atencioso. Reserve aqui.

Onde ficar em Mendoza
Lareira no Lares De Chacras | Foto: divulgação
Onde ficar em Mendoza
Quarto do Lares De Chacras | Foto: divulgação
Onde ficar em Mendoza
Piscina do Lares De Chacras | Foto: divulgação

Posada verde oliva:

Decoração linda no estilo fazenda, quartos bem confortáveis e vistas deliciosas das parreiras. Uma opção linda ora quem procura algo no estilo hotel-fazenda. Reserve aqui

 Mendoza
Foto: divulgação

Onde ficar no Vale do Urco:

Casa de Huespedes Gimenez Riili – Testado & aprovadíssimo por nós

Um hotel lindo, super exclusivo e com excelente atendimento. O hotel tem um restaurante e Bodega próprios (ambos excelentes) e oferece passeios bacanas como cavalgadas, aluguel de Mountain Bike e caminhadas pela região. Amamos e recomendamos bastante. Reserve aqui.

Mendoza
Casa de Huespedes Gimenez Riili | Foto: divulgação
Mendoza
Quarto da Casa de Huespedes Gimenez Riili | Foto: divulgação

Transporte em Mendoza: Como visitar as vinícolas?

Há algumas formas de visitar as vinícolas tudo depende do seu orçamento e de como você gostaria de distribuir o roteiro. Vale só lembrar que bebida e direção não combinam, e que ao alugar um carro o ideal é designar um motorista da vez, ou contratar um motorista.

A) Aluguel de carro + motorista

Essa foi a opção que escolhemos, e amamos. Nós contratamos o motorista Luis Domingues (+54 9 261 244-9343) , uma pessoa incrível, muito culta e que conhece a região super bem. O Luis nos ajudou muito na hora de escolher as melhores vinícolas e cuidou de todas as reservas para nós. Adoramos o trabalho dele e recomendamos.

B) Ônibus de linha

Quem quer uma opção economica, sem abrir mão da possibilidade de escolher as vinícolas e viajar no seu próprio tempo, o ônibus de linha é uma opção super eficiente e barata. Há linhas de ônibus que conectam o centro do Mendoza às regiões de Maipú e Luján de Cuyu. A dica é selecionar as vinícolas, reservar com antecedência e consultar no Google Maps qual a melhor rota para o seu passeio.

Para usar os ônibus locais você terá que compra rum cartãozinho e carregá-lo com créditos. Basta um cartão para toda a família.

Veja os relatos de Mendoza de ônibus no VnV e no Lole Pocket

C) De bicicleta

Quem curte pedalar pode aproveitar a região a bordo de uma super magrela. No centrinho de Maipú (pegue um busão até lá, eles saem do centro de Mendoza) há meia dúzia de lojinhas de aluguel de bike (veja no mapa abaixo) com preços bem similares (segundo o pessoal do Lole Pocket, nem vale a pena pesquisar preços porque é tudo bem parecido) e a partir do centro de Maipú, você estará bem próximo de várias vinícolas bacanas.

Veja aqui os relatos do pessoal do Mochila & Etc sobre visitar vinícolas de Bike

D) Táxis e Remis

Não quer alugar um carro, mas não encara busão e muito menos bicicleta? Os táxis, e principalmente os Remis, são uma boa pedida pra você. Andar de táxi na Argentina é um pouco chato porque os caras são bem malas (A Mari teve experiências chatas em Buenos Aires), mas o táxi funciona bem em Mendoza, especialmente se você optar pelo Remis (dica da Natália Gastão do Ziga da Zuca que reclamou um pouco da chatice dos taxistas locais, mas deu muita sorte de encontrar uma Remis boa e fez vários passeios com ela. O Remis é tipo com táxi, só que você combina o preço antes, e se você gostar do cara, terá o melhor dos dois mundos: toda a experiência e conhecimento de um local, sem precisar alugar um carro.

C) Passeios em grupo e o Bus Vitivinícola

Uma forma prática porém um pouco menos pessoal de explorar as vinícolas são os Tours em grupo (há dezenas de companhias que oferecem o serviço e você pode reservar tanto online como direto em Mendoza), ou com o Bus Vitivinícola, uma espécie de ônibus hop-on-hop-off que para em alguns vinícolas e você pode fazer os passeios e degustações no seu próprio ritmo A Naty do Ziga da Zuca fez este passeio e conta todos os detalhes neste post.

Como funciona a visita aos vinhedos?

Você pode visitar os vinhedos por conta própria (que é o que fizemos, e recomendamos) ou contratar um tour. Que pretende visitar as vinícolas or conta própria deve ficar ligado nos horários de funcionamento, e sempre que possível reservar a visita/degustação com pelo menos um dia de antecedência. Ao reservar você garante presença e não corre aquele risco chato de chegar num lugar ultra bacana e não poder degustar o vinho porque a casa está lotada.

Para te ajudar a planejar a viagem, fiz um post bem descritivo das vinícolas e deixei o site e o telefone de cada uma delas :).

Mendoza
Degustação de vinhos na Pulenta State

Quantas Bodegas visitar?

Essa é uma pergunta hiper pessoal, e tudo depende do quanto você planeja, pode e consegue beber. Em geral, o ideal é visitar entre 2 ou 3 vinícolas por dia. Não recomendo mais do que 4, pois a chance de você beber mais do que a conta (e passar mal a beça) é grande.

Compra de vinhos no exterior:

Provar vinhos maravilhosos e trazer alguns para casa era parte importante da nossa viagem. A empolgação nos levava a comprar vinhos em todas as bodegas e isso foi se tornando um problema, afinal, teríamos que leva-los de volta para o Brasil. Então tratamos de pesquisar e aprendemos que:

A Receita Federal permite que cada viajante procedente de uma viagem internacional entre no Brasil com até 12 litros de bebida alcoólica. Ou seja, o importante é ficar ligado no volume das garrafas e não na quantidade, e se assegurar que o valor total das garrafas não ultrapasse a cota de USD $500. Quando o assunto é garrafa de vinho (dessas de tamanho padrão) você poderá transportar até 16 garrafas – despachadas na sua bagagem. Chegando no Brasil, você poderá comprar mais 24 unidades de bebida alcoólica no Duty Free (máximo de 12 unidades de cada tipo) com uma nova cota de USD $500.

Mendoza
Degustação de vinhos na Finca Agostino

Roteiro Detalhado:

Mendoza é a principal região produtora de vinho na Argentina e responde por quase 80% da produção total do país. A produção vinícola esta dividida em três regiões diferentes: Maipú, Luján de Cuyu e Vale de Uco. A cidade de Mendoza é a base perfeita para explorar Maipú e Luján de Cuyu e conta um centrinho animado com lojinhas, bares, bons restaurantes, salões de degustação e uma estrutura hoteleira caprichada com bons hotéis (e hostels pra quem quer algo mais econômico) e operadores de viagem que oferecem passeios e tours diversos pela região.

  • Maipú: A região vinícola mais próxima da cidade e está repleta de vinhedos tradicionais. Uma região de fácil acesso (você poderá chegar de ônibus, bicicleta ou de carro) e onde as vinícolas estão integradas a cidade.
  • Luján de Cuyu: Uma região linda, repleta de grandes vinhedos com montanhas no fundo. Luján de Cuyu é hiper fotogênica e uma alternativa sensacional para quem quer sentir o clima andino em ir tão longe.
  • Valle do Uco: A região mais distante de Mendoza (são cerca de 100 Km) e a mais bonita. O Valle do Uco fica nos pés da montanha e oferece um visual maravilhoso. Se puder, inclua Valle do Uco na sua viagem.

Mendoza no mapa:

Veja neste mapa todas as dicas deste post, assim como alguns restaurantes e vinícolas bem recomendados que não tive os chance de testar.

Chegada em Mendoza

Mendoza é um destino ultra turístico e uma pedida excelente para o ano todo. Há voos diretos do Brasil (e de outras cidades importantes da região como Santiago e Bueno Aires). Quem viaja com um orçamento mais econômico pode até fazer o trecho interno de ônibus. Nós optamos para um voo com conexão (a diferença de preço era tão grande que não pensamos meia vez, e não nos arrependemos).

Nosso hotel o NH Cordilheira ficava numa região central e Mendoza, recheada de cafezinhos super aconchegantes (bons e baratos) e farmácias (uma a cada esquina) e em frente a uma pracinha gostosa, mas que estava em reforma.

Jantar no 1884

Na primeira noite, já decidimos “iniciar os trabalhos” e fizemos uma reserva no famoso restaurante 1884, do renomado chef Francis Mallmann. O restaurante é lindo, tem um estilo colonial, um salão chique e cheio de apreciadores de uma boa comida. Na parte de fora, um jardim com cadeirinhas e o forno, onde são feitas as maravilhosas carnes.

Mendoza
Jantar no 1884 em Mendoza

Os preços são um pouco altos, mas nada que inviabilize um belíssimo jantar. As entradas custavam na faixa de $350 e os pratos principais, entre $590 e $730. Como passamos o dia entre aeroportos e avião, não estávamos com muita fome, e optamos pedir um vinho, compartilhar uma entrada (empanadas) e um prato principal (ojo de bife) e ouso dizer que foi a melhor carne que comi na vida. O sommelier logo na apresentação traz uma extensa carta de vinhos, onde os valores ficam entre $350 e $3.000 (o céu é o limite).

Dia 1: Finca Agostino

Degustação experiência na Finca Agostino

Nossa primeira experiência foi na Finca Agostino, (Endereço: Carril Barrancas 10590, 5517 Maipú | +54 261 524-9358) onde fomos super bem recebidos pelo Nahuel que nos ofereceu duas taças de espumante e nos deu uma super explicação sobre o local. A propriedade é de uma família canadense que visita a finca uma vez por mês. O lugar é tão lindo que nos deixou muito impressionados, e foi apenas o começo…

Mendoza
Degustação de vinho em frente aos vinhedos da Finca Agostino
Mendoza
E olha só esse gatinho lindo que encontramos lá

Nosso motorista havia reservado um menu degustação harmonizado de cinco prato, cada prato mais lindo e delicioso que o outro, harmonizados com seus respectivos vinhos, todos produzidos na finca. O valor para o almoço é R$ 180,00 por pessoa (Nov 2017).

Mendoza
Degustação harmonizada da Finca Agostino

Drinks e música boa no Jhonny be Good 

À noite, não sobrou espaço para nenhuma extravagância (estávamos muito satisfeitos e levemente alcoolizados), então decidimos ir à rua de bares e restaurantes da cidade, a Avenida Arístides Villanueva e entramos na lanchonete Jhonny be Good (Av. Arístides Villanueva 373). O menu é bem diversificado e os valores super em conta, sem contar que o bar/restaurante tem um estilo musical muito bacana que certamente agrada a gregos e troianos.

Dia 2: Olivicola Laur e Casa El Enemigo

Degustação de azeites + Tour na Laur

Logo pela manhã, tínhamos reservas para conhecer a Olivicola LAUR (Videla Aranda 2850, Maipú | +54 261 499-0716) em Maipú e na sequência, menu degustação harmonizado na Bodega Casa El Enemigo. Tenho que dizer que fui novamente surpreendida nesse segundo dia.

Mendoza
Degustação de azeites na Olivicola LAUR

A Olivícola é bem turística e vale super a pena. Fomos recepcionados com uma degustação de quatro tipos de azeite e três vinagres balsâmicos e um prato cheio de delícias (pães italianos cortadinhos em pequenos pedaços, azeitonas pretas e verdes, com seus respectivos patês e uma porção de tomate seco). Minha vontade era de pegar o pãozinho e molhar no azeite (quem nunca?) mas para degustar os azeites, recebemos apenas colheres descartáveis (os pãezinhos e cia eram para “limpar” o paladar antes de experimentar outro azeite). Essa experiência certamente quebrou paradigmas na minha cabeça, adorei!

Depois, fomos conhecer a fábrica e vimos como o azeite é feito, desde a colheita até o seu engarrafamento. Eles também mostram aparatos antigamente utilizados, como prensas a maquinário. Super interessante e recomendado. No final, acabamos levando duas garrafas do azeite maravilhoso deles e outras coisinhas mais.

Degustação experiência na Casa El Enemigo

Saindo de lá, fomos para nosso almoço harmonizado. A Casa El Enemigo (Videla Aranda 7008, Maipú | +54 261 413-9178) é linda e bem moderna, num estilo completamente diferente da finca Agostino.

Mendoza
Flores na Casa el Enemigo

Nosso menu de três pratos foi regado a excelentes vinhos (eram tantas taças que eu ate me atrapalhava). Escolhemos o menu de três vinhos, que custou $420 por pessoa e pagamos $720 por pessoa pelo menu com entrada, prato principal e sobremesa. Os pratos eram tão grandes que eu mal consegui chegar na metade e a comida estava espetacular.

Mendoza
Ambiente da Casa el Enemigo
Mendoza
Amanda olhando para o seu super prato

Mendoza

Na saída, caminhamos visitamos a bodega e vimos como é feita a produção, armazenagem e finalização dos aclamados vinhos.

Ponto alto: a bodega é repleta de obras de arte que ficam expostas (elas mudam ao longo do ano) e a arquitetura (e os vinhos) são inspirados na Divina Comédia de Dante Alighieri. Quem visita a bodega passa pelo purgatório (restaurante), em seguida, se depara com um salão de pedras, repleto de obras de arte, definido como paraíso, para então descer ao inferno onde fica a cava do enólogo Alejandro Vigil. Vale a visita.

Mendoza
Uma das obras de Arte do Paraíso da Casa El Enemigo

Cerro de La Gloria: vistas lindas da região

Saindo de lá demos uma volta pelo Cerro de La Gloria, com uma vista linda da cidade.

Mendoza
Lucas e Amanda curtindo a vista
Mendoza
Vista do Cerro de La Gloria

Dia 3: Pulenta Estate, Chandon, Dolium e Azafran

Degustação de vinhos da Pulenta State

Nosso terceiro dia foi bem longo.  Começamos visitando a bodega Pulenta Estate, (Ruta Provincial 86 km 6,5, Alto Agrelo | +54 261 440-0066) famosa bodega, respeitada por seus Malbecs que são objeto de desejo dos visitantes (e também dos produtores das demais bodegas). O lugar, como não poderia deixar de ser, é suntuoso, muito florido e lindo.

Fomos novamente recebidos com taças de espumantes. Fomos levados às salas de armazenagem dos vinhos, com verdadeiros tanques de aço inox com capacidade para 200.000 litros e barris de carvalho, onde os vinhos são armazenados. Em seguida, fomos levados a uma sala envidraçada, no meio dos barris, para iniciar a degustação de quatro vinhos, juntamente com uma bela “aula” para identificação de visual, aroma e sabor bem como dicas de como cada vinho deve ser harmonizado. Adoramos!

Mendoza
Degustação de vinhos da Pulenta State

Degustação de espumantes na Chandon 

Na sequencia, fomos para a bodega Chandon (Ruta 15 Km 29, Agrelo | +54 261 490-9968) para conhecer (e degustar) os famosos espumantes. Outra experiência incrível. As fotos dão uma mera ideia da beleza do local, que certamente deve ser visitado pelos entusiastas da marca.

Mendoza
Foto básica na fachada da Chandon
Mendoza
Chandon

Lá experimentamos três tipos diferentes de espumantes e tivemos a oportunidade de checar de perto toda a sua confecção. Saindo de lá, após um bocado de excelentes vinhos e espumantes, não me dei por satisfeita e quis visitar uma outra finca (ok, talvez eu estivesse um pouco alcoolizada e bem animada).

Mendoza
Degustação de espumantes na Chandon

Bodega Dolium

Nosso motorista nos levou a bodega Dolium,(RP15 Km. 30, Lujan de Cuyo | +54 261 490-0226) e confesso que a primeira vista fiquei um pouco decepcionada. Depois de visitar tantas fincas suntuosas e famosas, fomos parar na bodega de um enólogo, produtor independente, cheia de cachorros simpáticos e pouco vistosa.

Minhas ideias preconcebidas foram apagadas da minha cabeça a medida em que fomos conversando com o Sr. Ricardo que nos recebeu super bem. Fomos questionados no início se desejávamos fazer a degustação simples ou uma mais técnica, que seria um mini curso de vinhos. A diferença de valores era irrisória, cerca de R$ 30,00 a simples e R$ 45,00 a técnica, mas infelizmente optamos pela primeira opção, devido ao cansaço do dia.  Mesmo assim, visitamos a “fabrica subterrânea” e ao final tivemos uma verdadeira aula com o Sr. Ricardo. Da próxima vez, farei a degustação técnica (o nosso arrependimento foi assunto recorrente durante os jantares).

Mendoza
Degustação de vinhos na Dollium

Jantar no Azafran

No jantar, como não fizemos nenhuma orgia gastronômica durante o dia, fomos jantar no famoso Azafran (Av.Sarmiento 765, 5500 Mendoza | +54 261 429-4200). Não conseguimos fazer reservas, então fomos os primeiros a chegar. Os valores são também um pouco salgados, mas a experiência vale cada centavo.  Pedimos um ojo de bife para duas pessoas que custava algo em torno de R$ 250,00 e vinha acompanhado de um excelente purê de batatas e salada. O couvert também é super gostoso e os garçons são atenciosos. Não pedimos vinho, por motivos óbvios, mas a casa tem um sistema interessante de levar o cliente até a “cava” onde estão expostos os vinhos para que ele próprio escolha a sua garrafa. Vale a pena.

Dia 4:Vale do Urco: Salentein &  Casa de Huespedes Gimenez Riili

Degustação na Salentein

No quarto dia, fomos visitar o Valle de Uco, região no pé da montanha, bem afastada da cidade (cerca de 1h30 de carro) e aproveitamos o caminho para visitar a bodega Salentein (Ruta 89 s/n, Los Arboles, Mendoza | +54 2622 42-9090), que havia sido hiper bem recomendada.

Mendoza
Finca Salentein – Valle do Uco

A finca era monstruosamente grande, uma bela (literalmente) caminhada até a fábrica, com parreiras a perder de vista e muitas roseiras lindas. Experimentamos três diferentes vinhos em uma sala dentro da bodega, que foi de longe a mais “ambiciosa”. Os barris de carvalho cercam um enorme piano, que pode ser tocado, pois o local tem uma acústica super bem projetada.

Mendoza
Piano na Bodega Salentein
Mendoza
Degustando o Malbec da Salentein
Mendoza
Vinhedos da Salentein – Valle do Uco

Após a visita, decidimos sentar no bar e pedir um autêntico vinho Salentein, juntamente com umas tapas para curtir mais um pouquinho o momento. O menu é super em conta e honesto. Recomendamos.

Mendoza

Casa de Huespedes Gimenez Riili

Nessa noite nos hospedamos Casa de Huespedes Gimenez Riili, bem pertinho do The Vines Resort & Spa, onde tentamos (sem sucesso), reservar o almoço do dia seguinte no restaurante Siete Fuegos, do chef Francis Mallmann.

O hotel é super exclusivo, contando com apenas quatro quartos (enormes e super aconchegantes, guarnecidos com um “Garden” com vista para a montanha) e um belo restaurante. A recepcionista Sol é um show de simpatia. O clima de montanha é ideal para descansar, mas o hotel disponibiliza “bikes” para os mais aventureiros (onde eu me incluo), passeios a cavalo, rafting e massagens.

Mendoza
Passeio de Bike em Valle do Uco

Mendoza

Você pode também agendar uma visita a bodega, fazendo uma bela caminhada pelas parreiras e conhecendo um pouco mais desse lugar sensacional. Fizemos uma degustação direto do tonel de aço inox e depois, do próprio barril de carvalho, excelentes.

A noite, fizemos o menu degustação harmonizado oferecido pelo hotel e nos esbaldamos uma vez mais com uma comida excepcional, numa mesinha que ficava na “varanda” do nosso quarto. Foi uma experiência e tanto.

Mendoza
Jantar na Casa de Huespedes Gimenez Riili

Mendoza

Dia 5: Centro de Mendoza

Após um café da manhã apreciando o Cordon de Plata na montanha, que não tinha sequer uma nuvem, demos uma caminhada e fizemos nosso check out para voltar a Mendoza.

Optamos por não visitar mais vinícolas, pois a viagem estava chegando ao fim e queríamos de fato descansar um pouco, mas o Valle de Uco conta com uma diversidade de boas bodegas para visitação.

No retorno a Mendoza, fomos novamente até a badalada Avenida Arístides Villanueva, onde caminhamos para depois tomar uma cervejinha (ninguém é de ferro) no restaurante El Mercadito (Av. Arístides Villanueva 521) enquanto aguardávamos a abertura do Club de la milanesa (Av. Arístides Villanueva 405 ) [escolha do boy]. O primeiro é super gracinha, enfeitado e com um cardápio que me chamou bastante atenção. Os valores, novamente, super módicos e justos, mas, conforme o combinado, seguimos o plano original e fomos jantar um filé a cavalo no El Club de la Milenesa, só para arrebentar de vez a boca do balão e finalizar a orgia gastronômica com mais uns quilinhos (tudo bem, depois corremos atrás do prejuízo).

Mendoza
El Mercadito

No dia seguinte pegamos o voo rumo ao Brasil, encantados pela região e felizes com os vinhos maravilhosos que provamos.

E aí, curtiu a dica?

Guarde este roteiro no Pinterest!

Mendoza

Para ficar por dentro de todas as novidades do Ideias na Mala, siga nosso instagram!
[instagram-feed]

Planeje sua viagem

Comentários (25)

boa tarde
gostaria de saber se todos os valores do post são em peso argentino?
porque vocês não fizeram o tour pela alta montanha?
o sr. luis fala portugues?
estou indo em agosto

Os valores são todos em pesos argentinos sim. Não conseguimos tempo para fazer o tour da montanha…passamos pouco mais de 24h por lá e demos prioridade ao enoturismo que ao turismo propriamente dito. O hotel também era super gostoso então optamos por descansar.
O Luiz fala portunhol, que nem a gente! Mas compreende tudo e também se faz entender muito bem! Ele é muito atencioso.
Abraços

Olá! Em qual mês você foi? Vi que o clima estava agradável e o dia lindo. Estou planejando ir em Maio mas preocupada de ser uma época ruim. Obrigada 🙂

Oi Ana,
Fomos em novembro.
Maio é uma ótima pedida! Vá feliz!
Beijos

nelbner edvaldo colomera

ola Amanda. nesse terceiro dia… houve necessidade de reservar nos 4 locais(Dia 3: Pulenta Estate, Chandon, Dolium e Azafran)

O motorista Luis foi quem reservou tudo para nós, exceto pelo Azafran, que eu mesmo fiz a reserva por telefone no hotel! Eu pessoalmente prefiro ir com tudo reservado para não correr o risco de não conseguir entrar nos lugares, ainda mais em se tratando de vinícolas tão turísticas como a Pulenta e a Chandon (que é de espumantes). A Dollium é de um pequeno produtor, então não é turística, mas mesmo assim acho que vale reservar!

nelbner edvaldo colomera

boa tarde Amanda. Sera que eu consigo contato com o Sr. Luis Domingues (+54 9 261 244-9343) pelo whats?

Oi Nelber, consegue sim! Ele tem também um instagram, que é por onde ele costuma falar comigo (touremismendoza)

Boa tarde! Muito bom o porst.
Uma dúvida.. quanto tempo leva o tour na Laur??

Obrigada

Boa tarde, Aruana! Fico feliz que tenha gostado.
Acredito que o tour na Laur dure em torno de 1h30, porque eles fazem a degustação e depois a visitação no local e nos mostram o maquinário explicando o funcionamento e contextualizando. Achamos bem interessante.

Boa noite
Estou programando viajar para Mendoza numa sexta e retornar numa terça. Ou seja, serão 3 dias inteiramente livres. Diante disso..
Primeira pergunta: quais as vinícolas consideram imperdíveis?
Segunda pergunta: no Vale de Uco, visitaram as vinícolas por conta própria ou com o motorista?
Obrigada pelo seu post!!
Grata,
?

Monaliza, obrigada pelo comentário!
Gostamos muito da Bodega El Enemigo, Salentein, Pulenta e de uma não tão conhecida, mas que foi um tiro certeiro do nosso motorista Luis, a Finca Agostino. No Vale de Uco visitamos apenas a vinícola do hotel em que nos hospedamos, porque queríamos curtir o lugar, então foi por conta, mas o nosso motorista nos deixou e nos buscou no dia seguinte no Vale de Uco.
Duas coisas: existem muitas vinícolas lindíssimas e famosas e algumas dependem de reserva prévia (Catena Zapata, Lagarde são algumas delas). Recomendo que você entre nos sites e entre em contato para ver se consegue reservar. A segunda dica, vá com motorista. Fomos com a intenção de alugar carro, mas desistimos. Esse motorista que indiquei no post é muito bacana e proativo (ele mesmo vai atrás das reservas e fica esperando você sair, sem nenhuma pressa). Três amigos meus já fizeram os passeios com ele e adoraram, então acho que vale o contato.

Muito brigada por sua ajuda Amanda!
Chegarei na sexta à noite e havia programado:
Conhecer as vinícolas de Maipu e Lujan no sábado e domingo. E partir no domingo à tarde para a região do Uco. Na segunda -feira, conheceria 1 vinícola da região, por exemplo. E na terça seria o retorno.
Mas lendo sobre as vinícolas escolhidas, descobri que as que ficam em Lujan e Maipu não abrem no domingo. E as do Vale de Uco, não abrem na segunda. Então não sei mais o que fazer ?
Opção 1: Desistir de se hospedar no
Vale de Uco e fixar base só em Mendoza?

Opção 2: manter as duas bases e me contentar em conhecer APENAS 3 das varias vinícolas de Lujan/Maipu no sábado e domingo ir para o Uco desde cedo conhecer 1 ou 2 vinícola de lá (ficando segunda como um dia inteiro off para curtir o hotel)

Vc que já foi, faria o que no meu lugar?

Oi Mari!
Estou começando a montar um roteiro para outubro e achei os eu irado!!!
Como você fez para contratar os passeios? Tem o contato pra me passar?
Grata desde já!

Oi Raquel,
Os contatos estão aí no post!
Abraços,

Oi Amanda, tudo bem?

Parabéns pelo qualidade do conteúdo e pelas dicas valiosas.

Uma única dúvida, os valores que você mencionou no depoimento sobre o restaurante 1884, estão em pesos argentinos ou doláres?

Desde já agradeço!

Oi Leandro,
Obrigada pelos elogios. Pesos Argentinos.
Beijos

Oi Mari! comprei hoje minha viagem para Mendoza. Como vc sugeri que façamos as reservas na vinícolas? Por tel mesmo, uma a uma, antecipadamente?

Amanda Forte Gonçalves

Oi Antonia!
Nós fomos sem reservas, mas por conta disso acabamos não conseguindo ir nas vinículas que ficam na cidade de Mendoza (elas são super disputadas, dependendo da época precisam de meses de antecedência para reservar). Mas isso não impediu que desfrutássemos de tantas outras viniculas incríveis, que nosso motorista reservava de um dia para o outro.
Se você já quer ir com tudo roteirizado, recomendo que você entre nos sites das vinículas que deseja ir, dê uma olhada no MENU e faça reserva, caso contrário, você consegue reservar de um dia para o outro por telefone (mas ai você tem que manjar de espanhol, hahaha).
Boa viagem!

Estou indo para Mendoza agora em Maio e
amei o post, super completo!!
Parabens pelo trabalho!

Fiquei com algumas duvidas, sera que vcs poderiam me ajudar?!

– Sobre o motorista para o passeio de vinicolas, vcs contrataram diretamente por aquele telefone ou por alguma empresa?! Ele que organizou as reservas das vinicolas ou vcs que fizeram?!
– Vocês alugaram carro para ir ao Vale do Urco?! Como se deslocaram entre as vinícolas la?!
Muito obrigada!

Amanda Forte Gonçalves

Oi Monaliza, tudo bem? Muito obrigada pelo feedback! Nós fomos para a viagem sem nada contratado e ao chegar lá, logo na primeira noite, conhecemos esse motorista, que foi super atencioso e nos deixou seu cartão. Ele mesmo reservava as viniculas para nós pelo telefone e ficava lá esperando. Gostamos tanto do serviço dele que indicamos para amigos nossos que foram em seguida e eles amaram!
Sobre o Vale do Uco, fomos também com esse motorista e lá ficamos apenas um dia, então não fizemos vinículas (apesar de existirem várias bem bacanas por lá). Nosso hotel oferecia alguns serviços de traslado, mas optamos por curtir um pouco o lugar.
Espero que goste de Mendoza, sou suspeita pra falar (já quero voltar).

Muito obrigada pelo retorno, Amanda!!

Só mais uma dúvida…. Como vcs voltaram do Vale do Uco depois de se hospedarem lá? Com o mesmo motorista? Estou te perguntando pq vamos dormir uma noite lá e estamos na dúvida se alugamos um carro, contratamos um motorista ou se tem outro meio de transporte para voltar!

Abs!

Olá Amanda,
Adorei as suas dicas, estou indo com mais dois casais de amigos agora no Reveillon.
Você poderia me passar o contato do motorista que vocês contrataram? Estou vendo com uma guia que nos indicaram, mas gostaria de ver com ele também.
Agradeço desde já.

Olá Nicole, fico feliz que tenha gostado do post! O motorista se chama Luis e ele é um fofo, super atencioso e acessível (sempre conectado no whatsapp). O telefone dele é +54 92612449343, pode falar em meu nome que ele certamente vai te atender muito bem!

Deixe o seu comentário