O que fazer em Chiang Mai na Tailândia: 12 dicas para sua viagem

Descubra o que fazer em Chiang Mai, a segunda maior cidade da Tailândia e uma mistura interessante de cidade grande com jeitinho de interior. A magia ocorre no centrinho histórico da cidade, rodeado por ruínas da antiga muralha que protegia a cidade contra invasões dos Birmaneses (hoje Mianmar) e repleta de templos lindos, cheios de detalhes e muita história para contar. Ah, os templos de Chiang Mai! Reserve um dia do seu roteiro para conhecer os templos mais importantes, assistir um ritual com monges e quem sabe até bater um papo com eles.

Todas as noites a alegria do mercado noturno toma conta da cidade, esse é um dos melhores mercados do país para fazer compras e para degustar comida de rua; o auge é aos domingos, quando um segundo mercado, maior e mais animado toma as ruas do centro e traz uma vibe festiva para o coração da cidade! Ao escolher o que visitar em Chiang Mai inclua experiências gastronômicas, a comida do norte da Tailândia é uma delícia e vale a pena provar a comida de rua, os restaurantes e cafés fofos da cidade e quem sabe até se aventurar em uma aula de culinária tailandesa.

templo Wat Pra Singh em Ching Mai na Tailandia
Cerimônia com monges no templo Wat Pra Singh

Chiang Mai também é o ponto de partida para muitos passeios que envolvem natureza e elefantes, o santuário Elephant Nature Park é um dos melhores lugares da Tailândia (e do Sudeste Asiático) para interagir com elefantes de forma responsável. Também há trilhas interessantes, rafting pela região e a chance de fazer bate e voltas para cidades lindas como Pai e Chiang Rai.

Para te ajudar a conhecer o melhor de Chiang Mai, preparamos um guia detalhado com os principais pontos turísticos da cidade, incluindo vários templos de Chiang Mai e dicas para comer bem. Vamos nessa?

Neste post você encontrará:

História de Ching Mai

A história de Chiang Mai começa no fim do século XVIII, como a capital do Reino Lanna. A cidade era cercada por uma muralha para proteção contra os birmaneses (ao longo da sua visita, você verá partes desta muralha que serve como guia para te orientar pela cidade) . Com o declínio do reino, Chiang Mai foi perdendo a sua força e chegou a ser ocupada pela dinastia Taungoo, da Birmânia.

Porém, Chiang Mai preservou boa parte da sua história e de sua cultura e hoje é considerada capital cultural e espiritual da Tailândia. Se você curte história e gosta de dar um pouco de contexto às suas viagens vale visitar o Chiang Mai City Arts and Cultural Center nos seus primeiros dias. Lá você aprenderá bastante sobre a cidade, a importância de Chiang Mai para os Tailandeses e as idas e vindas da cidade ao longo dos séculos.

O que faz de Chiang Mai tão especial é que mesmo sendo uma cidade grande, com muitos turistas, ela conserva um ar interiorano. É possível se perder pelas ruelas do centro histórico, ficar em silêncio, achar um templo vazio, conversar com os monges e, ao fim de tudo isso, experimentar a gastronomia do norte da Tailândia, que é uma delícia.

Interagir com Monges em O que fazer em Chiang Mai
Monge caminhando em um dos templos de Ching Mai

 

Onde ficar em Chiang Mai

Quando o assunto é onde ficar em Chiang Mai, há duas possibilidades que eu consideraria:

  • Ficar em um hotel incrível mais afastado do centro – saiba que você vai precisar de transfer o tempo todo, nessa categoria o Four Seasons tá no topo da minha lista dos sonhos (já já falo mais dele);
  • Escolher um hotel (ou hostel, há várias opções legais na cidade) bem localizado e fazer quase tudo a pé.

Aí vão nossas alternativas preferidas:

Hotéis caprichados:

Para quem tem um orçamento mais folgado, o Four Seasons de Chiang Mai é um sonho. Ele fica mais afastado da cidade, mas oferece transporte para o centro histórico. O hotel é cercado de verde (o hotel fica em meio a um arrozal ultra fotogênico que parece de mentira de tão perfetinhos), quartos em bangalôs, além de piscina e spa. Como o padrão da rede Four Seasons, os quartos são amplos, confortáveis e o serviço é de primeira.

Four Seasons Chiang Mai

Four Seasons Chiang Mai | Foto: divulgação

Outro hotel desejo de Chiang Mai é o Dhara Dhevi, que parece até um templo de tão lindo. É super luxuoso, com piscina, spa, restaurantes e academia.

Mais uma alternativa de hospedagem caprichada é o Anantara Chiang Mai Resort. O já clássico está localizado às margens do rio Mae Ping e oferece acomodações com design asiático minimalista.

onde ficar chiang mai
Anantara Chiang Mai Resort | Foto: Divulgação

Para explorar Chiang Mai uma boa pedida é ficar dentro do centro histórico. O Tamarind Village é um hotel lindo com uma localização imbatível, um casal de amigos queridos se hospedou por lá durante a Lua de Mel na Tailândia e adorou.

Tamarind Village
Tamarind Village | Foto: divulgação

Hotéis com com custo x benefício

Umaopção dentro do centro histórico, com bom custo benefício é o Buri Gallery House. Fica pertinho do Wat Phra Singh, um dos principais templos de Chiang Mai e na rua do Sunday Market.

Buri Gallery House
Buri Gallery House | Foto: divulgação

O Goldenbell Hotel não é dentro do centro histórico, mas fica pertinho da muralha que delimita a parte antiga da cidade. O hotel ainda tem uma piscina ótima, o que é uma boa pedida para o calor da Tailândia.

Goldenbell Hotel
Goldenbell Hotel | Foto: divulgação

Hotéis econômicos

Chiang Mai está repleta de ótimos hostels e o Khunluang Hostel é um deles. Localizado no centro histórico, ele possui acomodações e decorações modernas – um opção econômica no bolso, mas muito elegante na prática.

Hostel em Chiang Mai
Khunluang Hostel | Foto: Divulgação

Outra boa opção de hostel é o What’s up Chiang Mai. Ele tem restaurante e piscina ao ar livre. É uma ótima pedida!

Hostel em Chiang Mai
What’s up Chiang Mai | Foto: Divulgação

O que fazer em Chiang Mai

Chegou a hora de falar sobre o que visitar em Chiang Mai e a boa notícia é que tem muita coisa legal para fazer na cidade e várias alternativas bacanas de bate e volta saindo de Chiang Mai. Como a Tailândia enfrenta muitas questões delicadas com o turismo exploratório (seja das minorias étnicas ou exploração animal) nós fizemos uma curadoria cuidadosa e escolhemos apenas passeios que tem este cuidado com o sustentável.

tuk tuk em o que fazer em Chiang Mai
Tutk tuks apressados no centro de Chiang Mai na Tailândia

Tudo junto e misturado

A graça de Chiang Mai é vivenciar um pouco de tudo: a paz dos templos, os sabores da gastronomia, a animação dos mercados e a sabedoria dos monges. Ao montar seu roteiro de Chiang Mai, tenha o cuidado de misturar as atrações e, se possível, deixar um tempo livre para percorrer o centrinho sem pressa, xeretar as lojinhas, descobrir cafés incríveis e visitar templos menos conhecidos. E se você ainda não montou seu roteiro da Tailândia, vale reservar pelo menos 3 dias para essa cidade incrível!

Buda reclinado no templo Wat Chedid Luang
Buda reclinado no Wat Chedid Luang, um dos templos mais importantes (e mais lindos) de Ching Mai

Aí vai a nossa lista do que fazer em Chiang Mai:

  1. Visitar os Templos de Chiang Mai
  2. Participar de um bate papo com os monges
  3. Chiang Mai City Arts and Cultural Center
  4. Muralha de Chiang Mai
  5. Elephant Nature Park
  6. Curso de culinária
  7. Ritual matinal das Almas
  8. Passeio de bicicleta pelo centro da cidade
  9. Mercado noturno
  10. Lanna Folklife Museum
  11. Rafting e trilhas
  12. Bate e volta para Chiang Rai

1) Se encantar pelos templos de Chiang Mai: Doi Suthep, Wat Chedi Luang, Wat Phra Singh e mais

Não dá para falar de Chiang Mai e não falar dos templos. São mais de 300 espalhados pela cidade, um mais bonito que o outro. Minha dica é mesclar os templos mais famosos como Doi Suthep (é chatinho chegar lá mas não deixe de visitar) e o Wat Chedid Luang com cantinhos menos conhecidos porém super especiais como o Wat Lok Moli, o Wat Pan Thao e o Wat Sri Suphan (o templo de prata).

Aí vai uma lista com os 10 templos em Chiang Mai que merecem entrar no seu roteiro:

    1. Wat Phrathat Doi Suthep
    2. Wat Chedi Luang
    3. Wat Pan Thao
    4. Wat Phra Singh
    5. Wat Chiang Man
    6. Wat Umong
    7. Wat Suan Dok
    8. Wat Lok Molee
    9. Wat Sri Suphan (o Templo de Prata)
    10. Wat Mo Kahn Tuang

Wat Phrathat Doi Suthep

A montanha sagrada de Chiang Mai abriga o templo mais famoso e o local mais visitado da cidade. A visita começa com uma escadaria linda com serpentes coloridas nas pontas. São 309 degraus para chegar a parte central do templo, mas vale o esforço. Ainda na subida vale reparar na mistura: peregrinos tailandeses, monges e visitantes curiosos como eu e você.

Serpente colorida do templo Do Sutep em Chiang Mai
Serpente colorida na escadaria do templo Do Sutep em Chiang Mai

Reza a lenda que o templo Wat Phra That Doi Suthep data lá de 1386, quando uma parte do ombro de Buda foi descoberta em Sukothai. Duvidando da autenticidade da peça, o Rei de Sukothai mandou o ombro do Buda para Chiang Mai (na época era o Reino Lanna). Antes de ser consagrada, a relíquia se replicou, como um milagre. O osso clonado foi amarrado nas costas de um elefante branco, que saiu vagando e foi parar no no alto da montanha onde hoje está o templo. O rei de Lanna entendeu isso como um sinal e mandou construir o templo para abrigar o ombro do Buda.

De volta a visita, para entrar no templo é necessário cobrir os ombros e os joelhos (regatas e shorts curtos não são bem vindos, lembre-se que estamos adentrando um local sagrado e que respeito é essencial).

Lá no alto, uma grande estupa dourada dessas que brilham muito, e uma quantidade imensa de estátuas de mudas douradas tomam conta do recinto. São tantos detalhes que é difícil saber para onde olhar e o que fotografar.

Estopa dourada do Wat Phra That Doi Suthep em Chiang Mai
Estopa dourada do Wat Phra That Doi Suthep: É claro que tirei minha foto!

Aproveite a visita e faça como os locais: dê oito voltas em torno da estopa central (grande monumento dourado). Faça as voltas em sentido horário e aproveite para pensar em algo bacana, ou quem sabe, agradecer a visita. Em seguida, vá até o hall de ordenação e seja abençoado com água sagrada por um dos monges e receba uma fitinha de barbante branco (voltei da Ásia cheia delas). Após a bênção, é recomendado que você faça uma pequena doação.

Dizem que um dos pontos altos do Doi Suthep é a vista da cidade, mas quando o visitei havia uma neblina densa das queimadas no Mianmar e não dava para ver absolutamente nada, o que sim vi foi muita gente rezando, agradecendo e meditando. Impossível sair de lá sem sorrir.

Templo Doi Sutep em o que fazer em Chiang Mai
Peregrina Tailandesa no Wat Phra That Doi Suthep em Chiang Mai

Saindo do templo, aproveite para visitar o mercadinho do templo, achei muito coisa bacana e consegui bons preços em um colar de miçangas bem vermelho e bem especial.

Terminada a visita, pegue o transporte até o centro da cidade e brinque de se perder pelas ruas e encontrar templos. Você certamente vai achar um templo para chamar de seu. Algumas paradas obrigatórias são:

Como chegar ao Doi Suthep

O Wat Phrathat Doi Suthep é o templo mais visitado de Chiang Mai e o mais difícil de visitar. Ele fica afastado do centro e as vans que funcionam de forma coletiva esperam lotar até a boca para levar os visitante. Ou seja, em um dia de movimento mais vazio, você pode perder horas esperando a van lotar. O que eu faria se fosse você? Vá preparado para gastar uma graninha extra e feche sua própria van (ou tuk tuk para chegar lá).

Quer fazer uma trilha?

Com tempo e disposição você pode fazer a trilha que conecta o pé da montanha ao Wat Pha Lat e de lá seguir até o Doi Suthep. Essa trilha, conhecida como Monks Trail (Trilha dos monges) é o caminho original rumo ao topo da montanha e ainda é usada pelos monges para percorrer o caminho entre os dois templos. Separe pelo menos duas horas para fazer o trajeto e leve bastante água. Veja a descrição da trilha como fotos aqui.

Curiosidade: uma das celebrações dos calouros da Universidade de Chiang Mai é subir o Doi Suthep. Mais de 30 mil estudantes sobem a montanha em um rito de passagem para marcar o início do ano na faculdade. Eles acreditam que a experiência traz boa sorte durante o curso.

Estátua dourada no Templo Wat Doi Suthep
Para aproveitar sua visita, vale sair do miolinho mais básico do templo e fazer descobertas lindas (e possivelmente douradas) como essa estátua.

 

Wat Chedi Luang

É o principal templo do centro de Chiang Mai. É um complexo com três templos: Wat Chedi Luang, Wat Ho Tham e Wat Sukmin. Do Wat Chedi restam as ruínas, a construção original foi parcialmente destruída em 1545 em um terremoto. O templo foi a primeira casa do Buda de Esmeralda, que hoje fica no Grand Palace, em Bangkok.

As ruínas são impressionantes, uma estopa de tijolos esculpida com elefantes e decorada com budas dourados. Vale contornar a estopa e descobrir estátuas (algumas bem peculiares) e ser abençoado pelo monge local.

Wat Chedi Luang em que fazer em Chiang Mai
Chiang Mai Wat Chedi Luang em O que fazer em Chiang Mai | Foto: Joanna Saldanha

Dentro do complexo, não deixe de visitar o Wat Ho Tham, o templo que é realmente utilizado para rezas e orações. Ele é decorado com faixas coloridas – pedidos e agradecimentos das pessoas. Fique de olho nos horários e participe de uma das orações seguidas do Monk Chat, um espaço para conversar com os monges sobre os preceitos do budismo e sobre curiosidades do dia a dia.

templo Chedid Luang em Chiang Mai
Wat Ho Tham, o espaço de orações do Wat durante uma das orações diárias.

Wat Pan Thao

Coladinho no Wat Chedid Luang, o Wat Pan Thao é um templo de madeira escura com jeito antigão – bem bonito – e que frequentemente é decorado com centenas de bandeiras laranjas (a decoração depende do festival que vem por aí e da lua cheia).

Bandeiras no templo Wat Pan thao em Chiang Mai
A estrutura de madeira antigona decorada com bandeiras amarelas é um dos charmes do templo Wat Pan Thao em Chiang Mai

O que eu mais gostei: um pequeno lado nas costas do templo com um buda sentado sob uma árvore. Um visual completamente pacífico e especial. Durante as cerimônias do templo os monges se sentam ao longo do lago e entoam mantras, é uma experiência bem especial. Cheguei no finalzinho da tarde em um dia sem cerimônia, mas fiquei tocada pela energia do local.

templo Wat Pan Thao em Chiang Mai na Tailandia
Lago cerimonial no templo Wat Pan Thao em Chiang Mai

Continue a caminhada rumo ao final do templo onde há uma grande estopa e uma horta bem cuidada (com sorte você verá monges trabalhando nela).

Wat Phra Singh

Localizado na rua principal do Centro Histórico, o Wat Phra Singh é daqueles templos que você pode ficar um tempão explorando. São vários anexos e ele está super bem conservado, depois de uma renovação em 2002, e os jardins também são bem bonitos.

Existem duas estátuas de buda que dizem ser Phra Buda, uma está em Nakhon Si Thammarat, no sul da Tailândia, e outra em Bangkok. Mas a verdade é que ninguém sabe dizer qual é realmente a Phra Buda.

Wat Phra Singh em o que fazer em Chiang Mai
Wat Phra Singh | Foto: Joanna Saldanha

Programe sua visita por volta do meio dia para assistir ao ritual lindo de agradecimento, seguido pela única refeição do dia. Ou tente encaixar a visita com algumas das orações – ver o templo cheinho e monges cobertos com suas vestimentas laranjas é bem especial.

Templo Wat Pra Singh - Chiang Mai
Monges orando no Templo Wat Pra Singh – Chiang Mai

Wat Pra Singh, um dos destaques de Chiang Mai

Wat Chiang Man

É o templo mais antigo de Chiang Mai, sua construção começou em 1036, mas muitas de suas partes foram colocadas no local séculos antes. Na entrada do templo tem-se um Buda de cristal – bastante famoso por lá.

Não deixe de conferir a estupa dos elefantes, a construção mais antiga do templo. O Wat Chiang Man tem dois budas muito importantes para a população: o Phra Sae Tang Khaman e o Phra Sila. O primeiro tem apenas 10 cm e protege a cidade de grandes desastres. Já o Phra Sila tem o poder de fazer chover e é muito importante nas celebrações que marcam o fim da estação seca.

Dentro do templo há dois salões de meditação decorados em ouro e repletos de imagens do Buda. Dentro do maior dele está  um Buda em pé segurando uma tigela de esmolas. Essa é a mais antiga imagem de Buda de Chiang Mai.

Wat Umong

Afastado do centrinho de Chiang Mai – e um tiquinho mais vazio que os templos principais – o Wat Umong combina um jardim lindo com antigas ruínas e túneis de meditação. A ideia é que você vá andando (sempre em silêncio) e parando nos pequenos espaços de adoração aos longo dos corredores.

Wat Suan Dok

Lembram do osso de Buda partido em duas metade? Metade foi colocado no lombo do elefante que o levou ao topo da montanha do Doi Suthep. A outra metade foi colocado sob a estopa principal do templo que também serve de abrigo para antigas famílias nobres e os primeiros governantes da cidade. Este Mausoléu pode ser visto na parte externa do templo com várias estruturas brancas ornamentadas e muito bem mantidas.

Templo Wat Suan Dok em Chiang Mai
Templo Wat Suan Dok em Chiang Mai
Wat Suan Dok - Chiang Mai
Fachada ornamentada do Wat Suan Dok – Chiang Mai

Outra curiosidade legal: o Wat Suan Dok é afiliado a Mahachulalongkorn Buddhist University e lá você poderá fazer workshops de 1 a 4 dias focados em budismo e meditação. Além disso o templo oferece programas de bate papo com os monges (Monk Chat) que são sempre interessantes.

Wat Lok Molee

O templo abriga as cinzas da dinastia Mangrai, responsável pela construção desse templo, um dos mais antigos de Chiang Mai. Aproveite para passar no jardim e deixar o seu pedido, agradecimento ou oração nas árvores sagradas.

Templo wat lok molee em Chiang Mai
Estopa antigona no Wat Lok Molle – Este templo não é dos mais famosos, mas amei e recomendo a visita

Durante a visita vale ficar de olho nas estátuas hindus espalhadas pelo templo, uma mistura bem interessante que não vi em tantos lugares na Tailândia.

Wat Sri Suphan (o Templo de Prata)

Ainda tem pique? Não deixe de visitar o incrível Wat Sri Supan, o templo de prata de Chiang Mai, e uma experiência SUPER impressionante. Como ele fica meio afastado do centro, pegue uma carona com o aplicativo Grab (versão local dos apps de corrida compartilhada) ou feche um Tuk Tuk para te levar e esperar. Eu fiz um bem bolado com o motorista de Tuk Tuk e visitei Wat Sri Suphan e Wat Suan Dok na mesma pernada.

Wat Sri Suphan o templo de prata de Chian Mai
Wat Sri Suphan o templo de prata de Chian Mai

Chegando no tempo fiquei impressionada com a delicadeza e com o fato de eu ser a única turista no local.

Havia um monge por lá que me avisou que mulheres não podem entrar na estrutura prateada – mas falou para eu chegar bem pertinho e ver o templo de fora que seria lindo (e é!) e me deu uma bênção. Fiquei uns 10 minutos conversando com o monge que me contou um monte de curiosidades sobre o local.

Templo de Prata de Chiang Mai
Detalhes de prata nas paredes do Wat Sri Suphan

Wat Mo Kahn Tuang

O Wat Mo Kahn Tuang não entra na lista dos templos mais famosos e nem dos mais bonitos de Chiang Mai, mas achei a visita tão especial e as pinturas internas do templo (que contam passagens do Budismo) tão especiais que não posso deixar e incluir a visita nos meus queridinhos. O Buda branquinho e sereno sentado na lateral do templo também me arrancou um sorriso e um par de fotos. Vale a visita.

Wat Mo Kahn Tuang - Ching Mai
Buda sereno na entrada do Wat Mo Kahn Tuang

2) Participar de um bate papo com os monges, o MONK CHAT

O Budismo é a principal religião da Tailândia e está presente no cotidiano da população. Uma maneira prática de conhecer mais sobre o budismo e sobre os preceitos da religião é conversando com os monges. Durante minha estadia em Chiang Mai tive a chance de participar do Monk Chat em três templos diferentes: no Wat Chedid Luang onde há mesinhas de plástico com monges dispostos a bater papo todos os dias das 9:00 às 18:00; no Wat Pra Singh onde vimos uma cerimônia linda e conversamos com monges na sequência e no Wat Sri Suphan, onde peguei o templo praticamente vazio e fiquei um tempão conversando com o monge.

Monge no Wat Doi Suthep
Monge no Wat Doi Suthep : você pode ser abençoado, participar de um bate-papo ou fazer as duas coisas!

Os monges são super disponíveis e atenciosos. Tenha paciência, pois às vezes o inglês não é um dos melhores. Um dos monges me explicou que uma das funções do Monk Chat é exatamente treinar o inglês dos monges e eu achei esta troca super legal.

Vale falar que roupas próprias com joelhos e ombros cobertos são um sinal de respeito e que mulheres não podem tocar o monge. Nem pense em dar aquele abraço. Lembre-se que você está em um espaço religioso e respeite as regras.

Outros templos que oferecem o programa são o: Wat Doi Suthep (das 13:00 às 15:00) e o Wat Suan Dok (segundas, quartas e sextas das 17:00 às 19:00).

3) Chiang Mai City Arts and Cultural Center

O centro cultural foi criado para preservar a história de Chiang Mai. O museu tem exposições permanentes que mostram diferentes períodos de Chiang Mai, desde a pré-história até os dias de hoje. Com vídeos, fotos e projeções, o Chiang Mai City Arts and Cultural Center mostra de uma maneira moderna e de fácil entendimento como Chiang Mai foi se transformando. No segundo andar é possível ver a réplica de uma casa na época do Reino Lanna.

Antes de explorar a cidade e seus templos, é interessante fazer uma parada no museu para conhecer melhor a história do local.

Na frente do centro cultural tem o monumento “3 Reis” em homenagem aos monarcas na época da fundação de Chiang Mai: Mengrai, de Chiang Mai, Ramkamhaeng de Sukothai e Ngam Muang de Payo. O monumento é uma referência bem importante aos locais e durante minha estadia na cidade foi por várias vezes usado como ponto de referência.

Monumento dos três reis em Chiang Mai
Monumento dos três reis: um marco de direções na cidade

4) Muralha de Chiang Mai

O centro histórico de Chiang Mai é cercado por uma muralha que data da fundação da cidade. Chiang Mai sofria ameaças constantes de invasão birmanesa (onde hoje fica Myanmar) e por isso se protegia com o muro. Hoje o centro histórico abriga os principais pontos da cidade, hotéis, restaurantes, cafés e mercados. Alguns portões estão mais bem conservados que outros, então aproveite para passar pela muralha em pontos diferentes.

Phae gate - em O que fazer em Chiang mai
Phae Gate em Chiang Mai | Foto: Wikimedia Commons

Não deixe de passar em frente ao Phae Gate, um dos portões mais famosos da muralha.

5) Visitar o Elephant Nature Park

Elephant Nature Park em Chiang Mai
Mamãe e filhote -Elephant Nature Park

Um passeio sensacional em Chiang Mai é o Elephant Nature Park. O lugar é um refúgio para elefantes que sofreram maus tratos por seus antigos donos. A proposta do Elephant Nature Park é ser um lugar onde os animais voltar a ser elefantes de verdade. Não espere montar em elefantes e nenhum tipo de showzinho. Aqui é possível alimentar os elefantes e ver eles interagindo uns com os outros, nadando e fazendo a maior bagunça. Pode ir sem medo.

O Elephant Nature Park foi pioneiro no resgate de elefantes na Tailândia e é o mais conhecido – vale reservar sua visita (que já antecipo não é barata, mas vale cada segundo) com bastante antecedência, porque lota – mas não é o único. Amigos queridos visitaram o Elephant Retirement Center (que é menor mais mais intimista) e adoraram a experiência ica aí uma alternativa bem legal para você considerar caso o Elephant Nature Park já esteja esgotado.

Por que você não deveria fazer Passeio de Elefante

Chiang Mai tem várias empresas que fazem passeios com elefantes, pena que para serem domesticados os elefantes passam por um ritual horrível e super doloroso (busque alguns vídeos no YouTube para ficar chocado!). Por isso, pesquise bastante sobre o trabalho que a empresa ou agência fazem com os animais. Testamos, aprovamos e recomendados o Elephant Nature Park e o Elephant Retirement Center. Ambos limitam ao máximo o contato entre as pessoas e os elefantes, pois eles querem que o animal esteja no habitat mais natural possível. Mas, se ainda sim você sonha em andar um elefante, a dica é buscar algum lugar com selo ambiental e que faça os passeios sem sela (a sela machuca profundamente as costas do elefante no longo prazo). Dessa forma, você fará um passeio um pouco mais ético.

6) Fazer um curso de culinária

Aromática e deliciosa, a culinária Tailandesa vai te surpreender aos poucos e te deixar completamente apaixonado. E para levar um pouco dos sabores – e quem sabe até exibir seus dotes culinários para os amigos – nada como uma aula de culinária tailandesa! Há vários bons cursos de culinária tailandesa em Chiang Mai e, se você tem tempo, vale super incluir um no roteiro.

Grandma’s Home Cooking School
A estação de cozinha na Grandma’s Home Cooking School | Foto: Joanna Saldanha

Fizemos o curso do Grandma’s Home Cooking School e adoramos! Outro local super bem avaliado é a Red Chili. Ambos incluem uma visita ao mercado local, uma experiência que eu considero sensacional.

Fazer o seu próprio pad thai, mango sticky rice, rolinho primavera e outras gostosuras é tão gostoso quanto comer tudo no final.

Falando em mercado, vale a pena incluir uma visita ao mercado de vegetais local – eu visitei o Chang Puek e adorei a experiência. Eu era a única turista no local e os vendedores me cumprimentavam com sorrisos. Fui de manhã cedinho e de quebra vi monges passando, coletando doações e abençoando os locais. Aproveitei para comprar um ramo de flores e também ser abençoada.

7) Acompanhar o ritual matinal das Almas

Uma prática comum em cidades majoritariamente budistas, o ritual matinal das almas acontece todos os dias pelas ruas de Chiang Mai. Em uma “cerimônia” simples e bonita, os monges saem dos templos e vão para as ruas em busca de doações. Na maioria das vezes, o que os monges coletam é o único alimento do dia.

Para acompanhar, é preciso acordar bem cedo, por volta das 5h30 da manhã, que é a hora que os monges percorrem as ruas. Lembre-se que, apesar de atrair turistas, é um momento religioso, então respeite o momento e o silêncio dos monges.

Ronda dos monges de Chiang Mai
Monge recebendo doação e abençoando durante a ronda matinal. Achei o ritual lindo

Tive um pouco de dificuldade de descobrir a rota que os monges percorrem, muitos sites falavam para esperar na região da estátua dos três reis, mas não vi nenhum monge passando por lá. Onde sim vi alguns monges – e na Tailândia eles andam sozinhos e não em grupos como no Laos – foi no mercado de Chang Puek.

8) Passear de bicicleta pelo centro da cidade

O centro de Chiang Mai é um quadrilátero delimitado por uma muralha construída no século XVIII. Percorrer o entorno da muralha de bicicleta é a melhor maneira de explorar Chiang Mai e o legal é que você vai descobrir templos lindos no caminho que não estão entre os mais famosos.

Passeio pelo centro de Chiang Mai
Retratos cotidianos de Chiang Mai, uma das graças de percorrer a cidade sem pressa

A cidade é super charmosa e, além dos muitos templos, tem cafés – O Into the Woods (191 193 Prapokkloa Rd, Tambon Si Phum, Mueang Chiang Mai District) é uma graça – , restaurantes e lojinhas que valem a parada. Aproveite para descobrir os cantinhos mais lindos e fotogênicos de Chiang Mai. Também vale dar uma paradinha para fazer uma verdadeira massagem tailandesa.

Algumas boas opções no centro para ter essa experiência são a Women’s Massage Center (que é ultra bem avaliado e tem uma história bacana por trás: as massagistas são ex-detentas que ainda na prisão são treinadas para a profissão e terem onde trabalhar quando forem libertas) e a Lila Thai Massage.

9) Mercados noturnos: night bazaar e Rachadamnoen Road

Chiang Mai é a cidade dos mercados. O Kalare Night Bazaar acontece todos os dias a partir das 17h e vai até às 00h. É até difícil dizer onde começa e onde termina o mercado. Você encontra de tudo, roupas, artigos de casa e decoração e, claro, muitas comidas deliciosas. Ao lado do Kalare Night Bazaar, cerca de seis minutos andando, tem o Warorot Market. Chiang Mai também tem um Chinatown e o Warorot Market é o principal mercado do Chinatown.

Comida de rua em Chiang Mai na Tailandia
Comida de rua, uma das graças de se perder nos mercados de Chiang Mai

Rachadamnoen Road

Aos sábados, também tem um mercado noturno dentro do centro histórico. Diferente do Kalare Night Bazaar, que tem a parte principal dentro de um armazém, o mercado de sábado ocupa as ruas e calçadas do portão sul. O mercado de domingo, que vende mais ou menos os mesmo produtos e comida acontece ao longo da Ratchadamnoen Road.

É mercado que não acaba mais. E quer saber? Vá em todos, é uma experiência muito divertida.

10) Lanna Folklife Museum

O Lanna Folklife Museum é focado na arte e na cultura do povo Lanna. Os Lanna foram os primeiros habitantes do norte da Tailândia, suas tradições e costumes são milenares. O museu mostra os locais de oração, música, vestimenta, escultura e outras expressões artísticas desse povo.

O museu fica localizado em frente ao monumento dos três reis, bem no meio do centro histórico, dentro da antiga corte municipal de Chiang Mai.

O Lanna Folklife Museum mostra Chiang Mai de umas perspectiva diferente, que não é muito falada ou vista nos outros pontos turísticos. Então, é uma boa oportunidade para aprender mais sobre a Tailândia. Lá, você vai encontrar cerca de 18 exposições que mostram como era a vida no passado (há bonecos de cera em tamanho real e com vestimentas tradicionais). Para entrar, o ingresso custa 90 baht para adultos e 40 baht para crianças.

11) Rafting e trilhas

Chiang Mai está próxima de uma grande área verde e é um prato cheio para quem procura atividades ao ar livre, das mais radicais as mais tranquilas.

A Monk’s Trail é uma das trilhas mais conhecidas da região. Não é muito difícil e nem muito grande, são aproximadamente 40 minutos, e leva até o Wat Pha Lat, um templo no meio da floresta. Para chegar no início da trilha, a melhor maneira é pegar um Grab até o Zoológico de Chiang Mai. O início da trilha está marcado no Google Maps, não tem muito erro, quem quiser pode continuar a trilha rumo ao Do Suthep.

O bamboo rafting também é bem popular entre os viajantes. Não é nada radical, pelo contrário, é um passeio bem tranquilo pelo Rio Wang. A melhor maneira é fechar um passeio com uma agência, tem muitas pelas ruas de Chiang Mai.

Também existe uma variedade enorme de trekkings que passam pelas comunidades locais, algumas até com pernoite. Procure pesquisar obre as empresas que oferecem os trekkings e passeios, para checar se eles têm um trabalho socialmente responsável. Peça também indicações no seu hotel ou hostel.

12) FAZER UM BATE E VOLTA A CHIANG RAI

Localizada a 200 km de Chiang Mai, Chiang Rai é a província mais ao norte da Tailândia, quase na fronteira com o Laos e Myamar, uma região conhecido como Triângulo Dourado. A principal atração da cidade é o Wat Rong Khun o Templo Branco, que como o próprio nome já diz é todo da coloração branca. Mas para quem acha que é uma construção antiga e tradicional, não é nada disso. Na verdade, o templo foi construído em 1997, ou seja, é relativamente novo. De qualquer maneira a construção impressiona e é no mínimo curioso ver um templo com ares contemporâneos.

Como chegar: 

Existem ônibus que saem de hora em hora de Chiang Mai para Chiang Rai, se você quiser fazer o bate e volta por conta própria. A viagem dura aproximadamente 3h30. Chegando lá, negocie com um tuk tuk para ficar o dia inteiro com você.

Chiang Rai também pode ser visitada com tours fechados, que duram o dia inteiro. Nessas excursões você, normalmente, visita outros dois templos além do Templo Branco. É um dos passeios mais famosos de lá!

como chegar em Chiang Mai

Chiang Mai, na Tailândia, pode ser uma parada no seu roteiro pelo Sudeste Asiático. Com um aeroporto internacional, a cidade também é ponto de partida para explorar o norte da Tailândia. Além de Chiang Rai, você pode conhecer Pai, uma cidade pequenininha cheia de cachoeiras, além de cruzar a fronteira com o Laos ou Myanmar.

  • De avião: existem voos frequentes de Bangkok a Chiang Mai, com companhias aéreas low cost. Para quem está vindo do Laos o preço é um pouco mais caro.
  • Ônibus ou trem: a viagem dura de 10 a 12 horas e é um opção mais econômica que o avião. Porém, é necessário ter um pouco mais de tempo de viagem. Caso você opte por esse meio de transporte, vale parar em Sukhotai. A cidade foi a primeira capital do Reino do Sião (como a Tailândia era chamada) e hoje tem um parque histórico com as ruínas da época.
  • Barco: essa opção é para quem tem bastante tempo e está indo para o Laos. São quase 15 horas de barco pelo Rio Mekong, um dos maiores da Ásia, além de um pernoite em um vilarejo do Laos. É uma forma diferente de explorar o interior da Tailândia e do Laos. Várias agências de Chiang Mai vendem esse pacote, só confirme se a estadia inclui a acomodação nesse vilarejo.
Escadaria do templo Wat Doi Suthep
Escadaria famosa do templo Wat Doi Suthep: prepare-se para subir um bocado!

Onde comer em Chiang Mai

Um dos highlights da minha visita a Ching Mai foi a comida. De mercados de rua caprichados (humm o cheirinho do Pad Tai) seguido de um Mango Sticky Rice.. É uma delícia e uma das combinações mais baratas para comer bem. E o legal é que há mercados e barquinhas de comida espalhados por toda a cidade, você nem precisa procurar muito.

Dicas de restaurantes em Chiang Mai

Outro ponto que me chamou atenção em Chiang Mai foram os cafés fofos, visitei alguns lindos e deliciosos e o meu preferido é o Into The Woods (191 193 Prapokkloa Rd, Tambon Si Phum, Mueang), com decoração de contos de fadas, cafés lindos e sobremesas gostosas. Super ocidental, mas super gostoso. Também amei a vibe descomplicado (e descolada) do Tiger Ted Café (Chang Phueak, Mueang Chiang Mai District), comi uma torta de maracujá bem gostosa.

Into the Woods em Ching Mai
Into the Woods, um dos cafés fofos de Chiang Mai

Quer comer no conforto de um restaurante gostoso (mas sem grande luxos) minha dica é o It’s Good Kitchen (175/6 Rachadamnoen Rd, Phra Sing, mueang). Comida Tailandesa bem gostosa e pratos lindos para devorar (e fotografar).

Para quem quer comida Tailandesa caprichada o Dash! Restaurant and Bar (83/2 Moon Muang Rd Lane 1, ตำบล พระสิงห์ Mueang Chiang Mai District) é uma super pedida. Os pratos são coloridos, perfumados e hiper bem servidos. Uma delícia.

Agora se você quer algo mais tradicional, o Italics & Rise (22/2 Nimmana Haeminda Rd Lane 9, Tambon Su Thep, Mueang Chiang Mai District) é uma boa pedida. Um bom Italiano para quem quer fugir do tempero tailandês. Um pouch afastado do centro mais vale o rolê, o David’s Kitchen (113 ถนน บำรุงราษฎร์ Tambon Chang Moi, Mueang Chiang Mai District) é restaurante francês com influências de outros cantinhos da Europa tem pratos lindos, gostosos e um atendimento espetacular. Perfeito para um jantar especial.

Seguro viagem

Por último, mas não menos importante: o seguro viagem. Apesar de não ser obrigatório para quem viaja para a Tailândia, ele é essencial – ainda mais em um destino com língua, cultura e costumes tão diferentes. Um bom seguro viagem vai te salvar de algumas ciladas como malas extraviadas e voos cancelados. Além de evitar, claro, maiores problemas caso você necessite uma consulta médica.

Sugerimos que você contrate um seguro com boa cobertura e que cubra tudo no ato, por isso recomendamos e não viajamos sem os seguros da Seguros Promo, uma empresa brasileira que funciona como um comparador de seguros, buscando os melhores custos benefícios do mercado sem abrir mão de uma cobertura excelente!

Quer um desconto?!

Insira o código IDEIASNAMALA5 e ganhe até 10% de desconto na compra do seu seguro viagem!

E aí, gostou das nossas dicas do que fazer em Chiang Mai? Tem alguma dúvida ou sugestão? Deixe nos comentários!


Veja também:


Para ficar por dentro de todas as novidades do Ideias na Mala, siga nosso instagram!

Planeje sua viagem

Deixe o seu comentário