Edimburgo: Um passeio pela Royal Mile

26

A Royal Mile ou milha real é uma rua de uma milha em Edimburgo na Escócia, que liga o Palácio de Holyroodhouse ao Castelo de Edimburgo. Uma rua bem animada e bem turística, e um ótimo lugar para começar a explorar a cidade. Neste post divido com vocês cada pedacinho deste trajeto – que pode ser feito como roteiro de 1 dia ou quebrado em dias diferentes. Pronto para se encantar com a Royal Mile?

Edimburgo: Um passeio pela Royal Mile

O ponto de início do nosso passeio é o Castelo de Edimburgo, uma das principais atrações turísticas da cidade, e que tem vistas lindas para toda a cidade. A foto abaixo foi meu primeiro contato com o castelo e o primeiro “UAU” do dia. ” É maior do que eu esperava” – pensei enquanto corria de um lado para o outro sendo desafiada por ventos corredores de F1 – Falaremos desses ventos insanos e seu poder de destruição no melhor estilo “balança casaco e arremata chapéu” logo logo.

Royal Mile

O castelo de Edimburgo

Mas porque começar pelo castelo e não pelo palácio?

Sabe aquela velha lenda de que na descida todo o Santo Ajuda? Achei que subir de manhã seria mais fácil e menos doloroso. Depois dessa pequena subida inicial, foi só descida e foi só alegria! Isso sem falar que foi bacana ver toda a cidade do alto do castelo no começo do dia e na descida ir descobrindo aos poucos o que eu havia visto de longe. Gostei da ordem e recomendo: De baixo pra cima lá vamos nós!

[Vale falar que fiz este passeio durante o inverno, quando escurece por volta das 17:30. Durante o verão você terá muito mais tempo para aproveitar a cidade com a luz do dia. E poderá fazer mais paradas pra foto e até esticar o passeio se pernas deixarem. Agora chega de lenga-lenga e bora para dentro do castelo.

O Castelo de Edimburgo

O Castelo de Edimburgo é um pedaço de memoria viva e um fragmento de muitas histórias, reinados, guerras e conquistas. O Castelo é um emaranhado de edifícios que trocaram muitas vezes de mãos ao longo dos séculos. Devido sua localização privilegiada, conquista-lo era uma missão tão difícil quanto mante-lo e essa é parte da graça da visita, uma historia de história contada nos vários cômodos do castelo.

A visita começa no portão de entrada, sólido e imponente. Um desses portões altos que te fazem sentir pequeno.

Royal Mile: castelo de Edimburgo

Entrada do castelo de Edimburgo

Ao cruzar o portão, olhe para a cidade e veja que linda a silhueta de Edimburgo emoldurada na fortaleza. Destaque para a torre da catedral de St. Giles, uma das visitas do dia de hoje.

castelo de Edimburgo

Tour gratuitos pelo castelo Edimburgo

Uma das melhores formas de conhecer o básico do castelo e aprender um pouquinho de sua história é fazer um dos tour guiados gratuitos oferecidos pelo castelo. O ponto de encontro é num reloginho de plástico do lado direito do portão principal.

Os tours acontecem de hora em hora e eu dei a sorte de chegar bem na hora que um deles estava começando. O guia, um escocês bem animado de saia típica, o Kilt, nos contou brevemente pedaços da história do castelo e  o que havia em cada um dos prédios. A capela, a sala das jóias da coroa, o museu do exercito, o cemitério de cães, o memorial de guerra, a prisão e assim por diante.

Mas antes de mais nada, precisamos subir até a parte mais alta do castelo, e olha só que linda a vista.

Interior do castelo de Edimburgo

Castelo de Edimburgo – Interior

Terminada a breve explicação de cada um dos lugares, o guia deixou que cada um de nós continuássemos livremente o passeio. Como vi que a maior parte das pessoas começou pelas jóias da coroa, comecei pelo lado oposto, a capela.

A capela do castelo de Edimburgo

A capela é pequenina e delicada, uma graça. De frente para ela há um terraço com uma vista maravilhosa da cidade. E a alguns metros abaixo desse terraço há um segundo terraço pequenino que é o cemitério de cães, um visitante distraído e assustado pelos ventos fortes pode sair dali sem nem notar a morada eterna dos bichinhos.

Royal Mile- Castelo de Edimburgo

cemitério de cães

O memorial de guerra

Dali segui para o memorial de guerra, uma entrada imponente, mas um interior um pouco triste e pesado. Ali dentro de uma espécie de templo e escrito em livros que estão divididos por batalha, estão o nome de todos os que morreram na primeira a na segunda guerra mundial

Royal Mile- Castelo de Edimburgo

O palácio real onde estão o Memorial de guerra e sala de jóias da coroa

Royal Mile: Castelo de Edimburgo

Detalhe na frente do memorial de guerra

As jóias da coroa escosesa

Saindo da prisão, fui até a parte mais visitada, e mais impressionante do castelo, o prédio das jóias da coroa, onde por motivos de segurança as fotos estão terminantemente proibidas.

Assim como a prisão o prédio das jóias também tem uma produção super legal e que conta toda a historinha de cada uma das jóias da coroa escocesa conhecidas como honra escocesa: a coroa o cetro e uma enorme espada conhecida como espada do estado.

Alem das jóias, há uma pedra que é conhecida como Stone of Destiny – pedra do destino – que simboliza a união do monarca com sua terra e seu povo e é usada desde a coroação dos primeiros reis da Escócia. Essa pedra é um símbolo muito valioso para os escoceses, mas ficou muitos anos fora do pais.

A pedra foi roubada pelo rei inglês Eduardo I em 1296 e só foi devolvida em 1996 quando passou a ser exposta neste prédio. A honra escocesa só continua vivinha da Silva porque passou anos e anos escondida, mas essa é uma história que vale a pena você descobrir lá no castelo e por isso não vou contar tudo aqui.

Mas vou contar é que as jóias são lindas e imponentes. A coroa é feita de ouro proveniente das minas escocesas e decoradas com pérolas e pedras preciosas como diamantes e ametistas. O cetro é de prata dourada e esta decorado com uma enorme pedra de cristal reluzente. E a espada do estado, grande e pontuda, esta decorada com o escudo do papa Julio II  e com símbolos cristãos.

Castelo de Edimburgo

Brasão do Reino Unido: Antigamente a coroa Escocesa era representada por dois unicórnios  – diziam que somente um rei teria o poder de pegar um unicórnio, um ser místico – com a junção entre Inglaterra e Escócia, o Leão inglês foi incorporado ao brasão Escocês demosntrando a união dos reinos.

A prisão do Castelo

Minha próxima parada foi na antiga prisão, quase uma Disney com direito a bonecos bem feitos, reproduções super convincentes, luz e som. A prisão tem alguns detalhes bem curiosos como os barcos desenhados em portas de Madeira, a maquete do barco Saint George, construída por prisioneiros franceses em 1769. Os artesanatos produzidos com pouquíssimo material e a técnica de falsificar dinheiro.

Os prisioneiros desenvolveram uma técnica de fabricação de notas e com estas notas falsas eles subornavam carcereiros e quando conseguiam escapar usavam o dinheiro para comprar roupas e comidas. As notas falsas eram tão parecidas com as originais que os bancos tiveram que criar mecanismos anti-falsificação. Além dessa, tem muita história bacana.

Prisão do castelo de Edimburgo

A vista do Castelo de Edimburgo

Essa é a minha vista preferida do Castelo. A cidade de Edimburgo vista do alto. Detalhe que a foto quase me custou um chapéu.

Vista do castelo de Edimburgo

O vento diabólico

Quando cheguei ao final da ladeira e comecei a bater fotos do castelo e da vista cidade, fui subitamente surpreendida pelo vento cortante de Edimburgo – o primeiro do dia e de muitos da viagem. Meu chapéu voou e eu fui rápida o suficiente para alcança-lo antes que ele rolasse ladeira abaixo. Ofegante e com o chapéu nas mãos comecei a dar risada da cena e agradecer pelo chapéu enquanto estremecia de frio. O vento me gelou as espinhas e mostrou que em Edimburgo quem manda é ele! Senti na pele o ditado que diz que Edimburgo é uma cidade que vive as quatro estações do ano em um único dia. Esse vento forte foi uma clara demonstração do poderoso inverno e de eu estava sem as roupas necessárias para enfrenta-lo. Subestimei o frio.

Museu do exército

Museu do Exército - Castelo de EdimburgoAntes de deixar o castelo dei uma rápida olhada no museu do exercito que parece interessante mas que não é tanto a minha praia.  Preferi sair de lá rápido e aproveitar a luz do dia para descer a milha real.

Descendo a Royal Mile

A descida pela Royal Mile é bem animada, repleta de lojas de presentes, mapas e postais com direito a sainha escocesa (Kilt) e lojas de cashmere. Esse é um dos lugares mais turísticos e portanto mais caros da cidade, mas vale dar uma olhadinha e já “mapear os horizontes”.

Loja de Kilt, Royal Mile

A Catedral de Saint Giles

catedral de St. Giles - Edimburgo

Entre o Castelo de Edimburgo no começo da milha e o palácio, que marca o final, há algumas paradas interessantes,como a catedral de St. Giles que tem bonitos vitrais decorados com bandeirinhas. A entrada na catedral é grátis, mas eles sugerem uma doação de 3 pounds por pessoa. Caso você queira tirar fotos, terá que comprar uma licença especial para fotos.

Vitrais da catedral de St. Giles - Edimburgo

O parlamento escocês

Outra parada bacana é o parlamento escocês que é aberto para o publico. Caso você queira assistir a uma assembleia, é só ficar de olho nos horários. O prédio é bem bacana hiper moderno, mas assistir uma assembleia não estava nos meus planos de férias então passei batido.

Royal Mile: Parlamento da escócia

Royal Mile: Parlamento da escócia

Lojas de Kilt mais profissas

Para quem quer dar um passeio vestido de escocês, tem uma loja que aluga Kilts, o traje típico. A loja se chama Nicolson Kiltmakers e fica do lado esquerdo da rua (sentido palácio). Essa foi a loja mais legal que encontrei no caminho, as outras me pareciam muito mais fantasia do que roupa. [Não, comprar um Kilt nunca esteve nos meus planos, mas aposto que tem gente aí que vai curtir a ideia.]

Uma curiosidade bacana é que a estampa do Kilt é algo super tradicional e que varia de família para família. Quem é  escocês de verdade usa a saia da sua respectiva família.

Royal Mile: Loja de Kilt

Guia de estampas por família

Mas para alugar dá para escolher umas estampas reais e até umas coisas mais “fancy”

Royal Mile: Loja de Kilt

Onde comer na Royal Mile

Fish & Chips: Clamshell

Para quem quer comida rápida, gostosa e não muito cara – lembre-se amigo, você está no lugar mais turístico da cidade e a comida por aqui esta longe de ser a melhor opção para o seu bolso, mas fome é fome e toda regra tem exceção – tem um restaurante de fish and chips (peixe com batata frita)  bem gostosinho e que quebra o maior galho, o restaurante se chama Clamshell e fica lá em cima, número 148 – relativamente próximo ao castelo.

Royal Mile: Fish & Chips

Café bonitinho: Clarida’s Tea House

Quem caminha sentido palácio encontra algumas opções de comida menos turísticas, almocei em um café muito fofo bem decoradinho e com mesas redondas de toalha rendada chamado Clarinda’s Tea House. Comi um delicioso quiche com salada. Mas o destaque absoluto foi para o carrinho de sobremesas, Lindo e delicioso. Meu almoço saiu por menos de 10 pounds com direito a sobremesa, razoável, não?!

Clarinda’s Tea House

Clarinda’s Tea House

Opção Fancy: The Witchery by the Castle

E pra quem quer algo mais fancy tem o The Witchery by the Castle colado no castelo de Edimburgo e com um ambiente que parece ser o máximo. Faça reserva!

Detalhes pelo caminho

Além dessas paradas, um observador cuidadoso consegue reparar em detalhes como o memorial da última execução da cidade no cantinho da parede de um prédio:

Última execução de Edimburgo

A fonte de mascaras que é feliz de uma lado e triste do outro…

Fonte de máscaras - Edimburgo

A estátua do unicórnio que é o símbolo do país, detalhes dos memoriais de guerra e até mesmo uma estátua de um poeta de gravata de borboleta que parece caminhar com a multidão sentido Palácio. Não fazia a mínima ideia de quem era o cara, até que a Bruna do Blog Contando as horas, contar que se trata de Robert Fergusson, um poeta Escocês. Gostei do muito jeitão dele e por isso tirei uma foto…

Robert Fergusson - Royal Mile

O Palácio de Holyroodhouse

E por fim, o auge do passeio pela Royal Mile: Chegamos no palácio de Holyroodhouse que é a residência oficial da família real inglesa na Escócia. É aqui que a rainha Elisabeth e sua família passam o verão, e o legal é que o palácio está aberto para visitas!

Palácio de Holyroodhouse

O passeio com áudio guia dura pouco mais de uma hora e é fantástico. E Como o castelo continua sendo usado pela família real durantes as férias de verão, tudo ali dentro é muito verdadeiro desde o grande salão de chá, até os aposentos reais. O audio guia também conta muitos trechos da historia da Escócia e do palácio.

Palácio de Holyroodhouse

Terminado o tour, é possível caminhar pelos jardins e pelas ruínas da antiga abadia e aqui sim as fotos são permitidas!

Royal Mile: Palácio de Holyroodhouse

Olha ai o Brasão antigo da Escócia com os dois unicórnios

A abadia é HIPER fotogênica! Amei fotografá-la no finalzinho da tarde.

abadia de Holyrood - Edimburgo

abadia de Holyrood - Edimburgo

Bilhete anual: Uma dica legal para quem mora na Escocia é o que bilhete de entrada do palácio é valido por um ano, é só carimbar o ticket na saída e pronto, você pode voltar quantas vezes quiser durante 12 meses!

E aí, curtiu a dica?

Alguém aí se animou para passear pela Royal Mile?

Outros posts bacanas de Edimburgo:

Também vai para a Inglaterra? Veja nossos posts aqui!

E para ficar por dentro de todas as novidades do Ideias na Mala, siga nosso instagram!

About author

mari vidigal

Viajante incansável, daquele tipo que no meio de uma viagem já está pensando na próxima, na próxima e na próxima. Apaixonada por fotografia, natureza e vinhos

26 comments

  1. Cristiane 25 novembro, 2014 at 16:49 Responder

    Oi Mari adorei suas dicas, suas fotos, que a gente acaba viajando na mente mesmo, só de ver imagens tão bonitas, vc é muito simpática e generosa, fornecendo informações tão preciosas. Tenho planos de ir pra lá, e pode ter certeza que usarei todas essas informações preciosíssimas, mas por hora, eu quero mesmo é te dar os parabéns, e muito obrigada!
    Bjão

  2. Gabriela 22 dezembro, 2012 at 18:46 Responder

    Ola, Mari,

    Estou indo para Edimburgo daqui a duas semanas e adorei o post! Muito util!
    Soh gostaria de saber sobre esses tours pelo castelo gratuitos. Eles avisam quando eles vao ocorrer? Afinal, economizar 14£ eh sempre bem-vindo, neh! hehe
    Obrigada desde jah!

    • mari vidigal 26 dezembro, 2012 at 00:06 Responder

      Oi Gabriela,
      Tudo bem? Na verdade a entrada no castelo é paga. Chegando lá dentro – e depois de pagar – o tour guiado é grátis.
      Assim quem chegar fique de olho nas plaquinhas que sinalizam o próximo tour.
      Abraços,
      Mari Vidigal

  3. Renato 22 junho, 2012 at 11:02 Responder

    Olá Mari, parabéns pelas fotos. Uma amiga minha que não vejo há mais de quatro décadas está em Edimburgo; com o fito de conhecer essa esplendorosa capital visitei a sua página, adorei. Quanto ao poeta Robert Fergusson que a Bruna identificou, ele é natural de Edimburgo e viveu no século XVIII (05/09/1750 – 16/10/1974) , “fonte Wikipedia”.
    Renato

  4. Bruna 10 fevereiro, 2012 at 21:56 Responder

    Oi Mari,
    Morei em Edimburgo por 1 e meio e agora estou de volta ao Brasil.
    Adorei o post (aliás, adoro tudo que é da Escócia heheeh)!!
    A estátua q fica na Royal Mile, em frente a Canongate Kirk (igreja onde acontecem os casamentos reais na Escócia) é de Robert Fergusson, um poeta escoces!
    =)

Post a new comment

Veja também

Desvendando Lisboa (Parte II)

  Fotos: Arthuro, Jeremy,Kate, Kristy e Marina Se o primeiro dia foi o dia dos descobrimentos e de reviver ao vivo e a cores as ...