Edimburgo: Um passeio pela Royal Mile

A Royal Mile ou milha real é uma rua de uma milha em Edimburgo na Escócia, que liga o Palácio de Holyroodhouse ao Castelo de Edimburgo. Uma rua bem animada e bem turística, e um ótimo lugar para começar a explorar a cidade. Neste post divido com vocês cada pedacinho deste trajeto – que pode ser feito como roteiro de 1 dia ou quebrado em dias diferentes. Pronto para se encantar com a Royal Mile?

O ponto de início do nosso passeio é o Castelo de Edimburgo, uma das principais atrações turísticas da cidade, e que tem vistas lindas para toda a cidade. A foto abaixo foi meu primeiro contato com o castelo e o primeiro “UAU” do dia. ” É maior do que eu esperava” – pensei enquanto corria de um lado para o outro sendo desafiada por ventos corredores de F1 – Falaremos desses ventos insanos e seu poder de destruição no melhor estilo “balança casaco e arremata chapéu” logo logo.

Royal Mile
O castelo de Edimburgo

Mas porque começar pelo castelo e não pelo palácio?

Sabe aquela velha lenda de que na descida todo o Santo Ajuda? Achei que subir de manhã seria mais fácil e menos doloroso. Depois dessa pequena subida inicial, foi só descida e foi só alegria! Isso sem falar que foi bacana ver toda a cidade do alto do castelo no começo do dia e na descida ir descobrindo aos poucos o que eu havia visto de longe. Gostei da ordem e recomendo: De baixo pra cima lá vamos nós!

[Vale falar que fiz este passeio durante o inverno, quando escurece por volta das 17:30. Durante o verão você terá muito mais tempo para aproveitar a cidade com a luz do dia. E poderá fazer mais paradas pra foto e até esticar o passeio se pernas deixarem. Agora chega de lenga-lenga e bora para dentro do castelo.

O Castelo de Edimburgo

O Castelo de Edimburgo é um pedaço de memoria viva e um fragmento de muitas histórias, reinados, guerras e conquistas. O Castelo é um emaranhado de edifícios que trocaram muitas vezes de mãos ao longo dos séculos. Devido sua localização privilegiada, conquista-lo era uma missão tão difícil quanto mante-lo e essa é parte da graça da visita, uma historia de história contada nos vários cômodos do castelo.

A visita começa no portão de entrada, sólido e imponente. Um desses portões altos que te fazem sentir pequeno.

Royal Mile: castelo de Edimburgo
Entrada do castelo de Edimburgo

Ao cruzar o portão, olhe para a cidade e veja que linda a silhueta de Edimburgo emoldurada na fortaleza. Destaque para a torre da catedral de St. Giles, uma das visitas do dia de hoje.

castelo de Edimburgo

Tour gratuitos pelo castelo Edimburgo

Uma das melhores formas de conhecer o básico do castelo e aprender um pouquinho de sua história é fazer um dos tour guiados gratuitos oferecidos pelo castelo. O ponto de encontro é num reloginho de plástico do lado direito do portão principal.

Os tours acontecem de hora em hora e eu dei a sorte de chegar bem na hora que um deles estava começando. O guia, um escocês bem animado de saia típica, o Kilt, nos contou brevemente pedaços da história do castelo e  o que havia em cada um dos prédios. A capela, a sala das jóias da coroa, o museu do exercito, o cemitério de cães, o memorial de guerra, a prisão e assim por diante.

Mas antes de mais nada, precisamos subir até a parte mais alta do castelo, e olha só que linda a vista.

Interior do castelo de Edimburgo
Castelo de Edimburgo – Interior

Terminada a breve explicação de cada um dos lugares, o guia deixou que cada um de nós continuássemos livremente o passeio. Como vi que a maior parte das pessoas começou pelas jóias da coroa, comecei pelo lado oposto, a capela.

A capela do castelo de Edimburgo

A capela é pequenina e delicada, uma graça. De frente para ela há um terraço com uma vista maravilhosa da cidade. E a alguns metros abaixo desse terraço há um segundo terraço pequenino que é o cemitério de cães, um visitante distraído e assustado pelos ventos fortes pode sair dali sem nem notar a morada eterna dos bichinhos.

Royal Mile- Castelo de Edimburgo
cemitério de cães

O memorial de guerra

Dali segui para o memorial de guerra, uma entrada imponente, mas um interior um pouco triste e pesado. Ali dentro de uma espécie de templo e escrito em livros que estão divididos por batalha, estão o nome de todos os que morreram na primeira a na segunda guerra mundial

Royal Mile- Castelo de Edimburgo
O palácio real onde estão o Memorial de guerra e sala de jóias da coroa
Royal Mile: Castelo de Edimburgo
Detalhe na frente do memorial de guerra

As jóias da coroa escosesa

Saindo da prisão, fui até a parte mais visitada, e mais impressionante do castelo, o prédio das jóias da coroa, onde por motivos de segurança as fotos estão terminantemente proibidas.

Assim como a prisão o prédio das jóias também tem uma produção super legal e que conta toda a historinha de cada uma das jóias da coroa escocesa conhecidas como honra escocesa: a coroa o cetro e uma enorme espada conhecida como espada do estado.

Alem das jóias, há uma pedra que é conhecida como Stone of Destiny – pedra do destino – que simboliza a união do monarca com sua terra e seu povo e é usada desde a coroação dos primeiros reis da Escócia. Essa pedra é um símbolo muito valioso para os escoceses, mas ficou muitos anos fora do pais.

A pedra foi roubada pelo rei inglês Eduardo I em 1296 e só foi devolvida em 1996 quando passou a ser exposta neste prédio. A honra escocesa só continua vivinha da Silva porque passou anos e anos escondida, mas essa é uma história que vale a pena você descobrir lá no castelo e por isso não vou contar tudo aqui.

Mas vou contar é que as jóias são lindas e imponentes. A coroa é feita de ouro proveniente das minas escocesas e decoradas com pérolas e pedras preciosas como diamantes e ametistas. O cetro é de prata dourada e esta decorado com uma enorme pedra de cristal reluzente. E a espada do estado, grande e pontuda, esta decorada com o escudo do papa Julio II  e com símbolos cristãos.

Castelo de Edimburgo
Brasão do Reino Unido: Antigamente a coroa Escocesa era representada por dois unicórnios  – diziam que somente um rei teria o poder de pegar um unicórnio, um ser místico – com a junção entre Inglaterra e Escócia, o Leão inglês foi incorporado ao brasão Escocês demosntrando a união dos reinos.

A prisão do Castelo

Minha próxima parada foi na antiga prisão, quase uma Disney com direito a bonecos bem feitos, reproduções super convincentes, luz e som. A prisão tem alguns detalhes bem curiosos como os barcos desenhados em portas de Madeira, a maquete do barco Saint George, construída por prisioneiros franceses em 1769. Os artesanatos produzidos com pouquíssimo material e a técnica de falsificar dinheiro.

Os prisioneiros desenvolveram uma técnica de fabricação de notas e com estas notas falsas eles subornavam carcereiros e quando conseguiam escapar usavam o dinheiro para comprar roupas e comidas. As notas falsas eram tão parecidas com as originais que os bancos tiveram que criar mecanismos anti-falsificação. Além dessa, tem muita história bacana.

Prisão do castelo de Edimburgo

A vista do Castelo de Edimburgo

Essa é a minha vista preferida do Castelo. A cidade de Edimburgo vista do alto. Detalhe que a foto quase me custou um chapéu.

Vista do castelo de Edimburgo

O vento diabólico

Quando cheguei ao final da ladeira e comecei a bater fotos do castelo e da vista cidade, fui subitamente surpreendida pelo vento cortante de Edimburgo – o primeiro do dia e de muitos da viagem. Meu chapéu voou e eu fui rápida o suficiente para alcança-lo antes que ele rolasse ladeira abaixo. Ofegante e com o chapéu nas mãos comecei a dar risada da cena e agradecer pelo chapéu enquanto estremecia de frio. O vento me gelou as espinhas e mostrou que em Edimburgo quem manda é ele! Senti na pele o ditado que diz que Edimburgo é uma cidade que vive as quatro estações do ano em um único dia. Esse vento forte foi uma clara demonstração do poderoso inverno e de eu estava sem as roupas necessárias para enfrenta-lo. Subestimei o frio.

Museu do exército

Museu do Exército - Castelo de EdimburgoAntes de deixar o castelo dei uma rápida olhada no museu do exercito que parece interessante mas que não é tanto a minha praia.  Preferi sair de lá rápido e aproveitar a luz do dia para descer a milha real.

Descendo a Royal Mile

A descida pela Royal Mile é bem animada, repleta de lojas de presentes, mapas e postais com direito a sainha escocesa (Kilt) e lojas de cashmere. Esse é um dos lugares mais turísticos e portanto mais caros da cidade, mas vale dar uma olhadinha e já “mapear os horizontes”.

Loja de Kilt, Royal Mile

A Catedral de Saint Giles

catedral de St. Giles - Edimburgo

Entre o Castelo de Edimburgo no começo da milha e o palácio, que marca o final, há algumas paradas interessantes,como a catedral de St. Giles que tem bonitos vitrais decorados com bandeirinhas. A entrada na catedral é grátis, mas eles sugerem uma doação de 3 pounds por pessoa. Caso você queira tirar fotos, terá que comprar uma licença especial para fotos.

Vitrais da catedral de St. Giles - Edimburgo

O parlamento escocês

Outra parada bacana é o parlamento escocês que é aberto para o publico. Caso você queira assistir a uma assembleia, é só ficar de olho nos horários. O prédio é bem bacana hiper moderno, mas assistir uma assembleia não estava nos meus planos de férias então passei batido.

Royal Mile: Parlamento da escócia

Royal Mile: Parlamento da escócia

Lojas de Kilt mais profissas

Para quem quer dar um passeio vestido de escocês, tem uma loja que aluga Kilts, o traje típico. A loja se chama Nicolson Kiltmakers e fica do lado esquerdo da rua (sentido palácio). Essa foi a loja mais legal que encontrei no caminho, as outras me pareciam muito mais fantasia do que roupa. [Não, comprar um Kilt nunca esteve nos meus planos, mas aposto que tem gente aí que vai curtir a ideia.]

Uma curiosidade bacana é que a estampa do Kilt é algo super tradicional e que varia de família para família. Quem é  escocês de verdade usa a saia da sua respectiva família.

Royal Mile: Loja de Kilt
Guia de estampas por família

Mas para alugar dá para escolher umas estampas reais e até umas coisas mais “fancy”

Royal Mile: Loja de Kilt

Onde comer na Royal Mile

Fish & Chips: Clamshell

Para quem quer comida rápida, gostosa e não muito cara – lembre-se amigo, você está no lugar mais turístico da cidade e a comida por aqui esta longe de ser a melhor opção para o seu bolso, mas fome é fome e toda regra tem exceção – tem um restaurante de fish and chips (peixe com batata frita)  bem gostosinho e que quebra o maior galho, o restaurante se chama Clamshell e fica lá em cima, número 148 – relativamente próximo ao castelo.

Royal Mile: Fish & Chips

Café bonitinho: Clarida’s Tea House

Quem caminha sentido palácio encontra algumas opções de comida menos turísticas, almocei em um café muito fofo bem decoradinho e com mesas redondas de toalha rendada chamado Clarinda’s Tea House. Comi um delicioso quiche com salada. Mas o destaque absoluto foi para o carrinho de sobremesas, Lindo e delicioso. Meu almoço saiu por menos de 10 pounds com direito a sobremesa, razoável, não?!

Clarinda’s Tea House

Clarinda’s Tea House

Opção Fancy: The Witchery by the Castle

E pra quem quer algo mais fancy tem o The Witchery by the Castle colado no castelo de Edimburgo e com um ambiente que parece ser o máximo. Faça reserva!

Detalhes pelo caminho

Além dessas paradas, um observador cuidadoso consegue reparar em detalhes como o memorial da última execução da cidade no cantinho da parede de um prédio:

Última execução de Edimburgo

A fonte de mascaras que é feliz de uma lado e triste do outro…

Fonte de máscaras - Edimburgo

A estátua do unicórnio que é o símbolo do país, detalhes dos memoriais de guerra e até mesmo uma estátua de um poeta de gravata de borboleta que parece caminhar com a multidão sentido Palácio. Não fazia a mínima ideia de quem era o cara, até que a Bruna do Blog Contando as horas, contar que se trata de Robert Fergusson, um poeta Escocês. Gostei do muito jeitão dele e por isso tirei uma foto…

Robert Fergusson - Royal Mile

O Palácio de Holyroodhouse

E por fim, o auge do passeio pela Royal Mile: Chegamos no palácio de Holyroodhouse que é a residência oficial da família real inglesa na Escócia. É aqui que a rainha Elisabeth e sua família passam o verão, e o legal é que o palácio está aberto para visitas!

Palácio de Holyroodhouse

O passeio com áudio guia dura pouco mais de uma hora e é fantástico. E Como o castelo continua sendo usado pela família real durantes as férias de verão, tudo ali dentro é muito verdadeiro desde o grande salão de chá, até os aposentos reais. O audio guia também conta muitos trechos da historia da Escócia e do palácio.

Palácio de Holyroodhouse

Terminado o tour, é possível caminhar pelos jardins e pelas ruínas da antiga abadia e aqui sim as fotos são permitidas!

Royal Mile: Palácio de Holyroodhouse
Olha ai o Brasão antigo da Escócia com os dois unicórnios

A abadia é HIPER fotogênica! Amei fotografá-la no finalzinho da tarde.

abadia de Holyrood - Edimburgo

abadia de Holyrood - Edimburgo

Bilhete anual: Uma dica legal para quem mora na Escocia é o que bilhete de entrada do palácio é valido por um ano, é só carimbar o ticket na saída e pronto, você pode voltar quantas vezes quiser durante 12 meses!

E aí, curtiu a dica?

Alguém aí se animou para passear pela Royal Mile?

Outros posts bacanas de Edimburgo:

Também vai para a Inglaterra? Veja nossos posts aqui!

E para ficar por dentro de todas as novidades do Ideias na Mala, siga nosso instagram!

Planeje sua viagem

Matérias Relacionadas

Comentários (26)

[…] plena Royal Mile, este restaurante é uma parada que vale a pena. O The Witchery by the Castle fica em um prédio […]

[…] Scotland Museum fica bem no centrinho da cidade, encostado da Universidade de Edimburgo e da Famosa Royal Mile  e assim como grande parte dos museus do Reino Unido, É GRÁTIS! Ou seja, dá para dar uma […]

Oi Mari adorei suas dicas, suas fotos, que a gente acaba viajando na mente mesmo, só de ver imagens tão bonitas, vc é muito simpática e generosa, fornecendo informações tão preciosas. Tenho planos de ir pra lá, e pode ter certeza que usarei todas essas informações preciosíssimas, mas por hora, eu quero mesmo é te dar os parabéns, e muito obrigada!
Bjão

Oi Cristiane,
Super Obrigada pela visita e pelos elogios!
Espero te ver por aqui mais vezes!

Bjs

[…] a Milha real (Royal Mile) passando por: -Castelo de Edimburgo: um tour fantástico pela história da cidade -Palácio de […]

Adorei as dicas. estou planejando uma round the world trip, e suas de Edimburgo me ajudaram bastante.

Que delicia!
Espero ter enchido sua mala de ideias!
Abraços

Ola, Mari,

Estou indo para Edimburgo daqui a duas semanas e adorei o post! Muito util!
Soh gostaria de saber sobre esses tours pelo castelo gratuitos. Eles avisam quando eles vao ocorrer? Afinal, economizar 14£ eh sempre bem-vindo, neh! hehe
Obrigada desde jah!

Oi Gabriela,
Tudo bem? Na verdade a entrada no castelo é paga. Chegando lá dentro – e depois de pagar – o tour guiado é grátis.
Assim quem chegar fique de olho nas plaquinhas que sinalizam o próximo tour.
Abraços,
Mari Vidigal

Olá Mari, parabéns pelas fotos. Uma amiga minha que não vejo há mais de quatro décadas está em Edimburgo; com o fito de conhecer essa esplendorosa capital visitei a sua página, adorei. Quanto ao poeta Robert Fergusson que a Bruna identificou, ele é natural de Edimburgo e viveu no século XVIII (05/09/1750 – 16/10/1974) , “fonte Wikipedia”.
Renato

Oi Renato,
Obrigada pelas infos 🙂
Edimburgo ela linda, você vai amar.

Abraços,
Mari Vidigal

[…] Edimburgo- Caminhando a Milha Real: https://ideiasnamala.wordpress.com/2012/02/03/edimburgo-caminhando-a-milha-real/ […]

[…] Idéias na mala Viagem, cultura e arte Pular para o conteúdo InícioIdéias na mala ← Roma Fiumicino: do aeroporto ao centro Edimburgo: caminhando a milha real. → […]

[…] Edimburgo- Caminhando a Milha Real: https://ideiasnamala.wordpress.com/2012/02/03/edimburgo-caminhando-a-milha-real/ […]

[…] fica bem no centrinho da cidade, encostado da Universidade de Edimburgo e da Famosa  Royal Mile (https://ideiasnamala.wordpress.com/2012/02/03/edimburgo-caminhando-a-milha-real/), e assim como grande parte dos museus do Reino Unido, É […]

Oi Mari,
Morei em Edimburgo por 1 e meio e agora estou de volta ao Brasil.
Adorei o post (aliás, adoro tudo que é da Escócia heheeh)!!
A estátua q fica na Royal Mile, em frente a Canongate Kirk (igreja onde acontecem os casamentos reais na Escócia) é de Robert Fergusson, um poeta escoces!
=)

Oi Bruna,
Bem vinda ao Brasil!
Super Obrigada por me ensinar o nome da dona estatua! Vou atualizar no post.
Abraços,
Mari

Mari,
Estou me programando para ir para lá.
Infelizmente tenho apenas 2 dias ou 2+1/2. Dá para ver o essencial?
Você tem uma sugestão de hotel?
Adorei as dicas.

Oi Diogo, td bem? Dois dias e meio dá para aproveitar muito e ver quase tudo!
Quanto a hotel, como fiquei hospedada na casa do meu primo, infelizmente não tenho dicas.
Abraços,

Oi, Mari. Tudo bem?

Seu post foi selecionado para a #Viajosfera, do Viaje na Viagem. Dá uma olhada em http://www.viajenaviagem.com

Até mais,
Bóia Paulista

Olá Bóia Paulista!
Que boa notícia!!! Obrigada,

Linda as imagens da Royal Mile. Edimburg já estava na minha “wishlist” da Europa, e agora reforçou ainda mais! Parabéns pelo post e fotos.

Oi Simone,
Essa é uma cidade que merece um lugar especial em qualquer wish list… #meapaixonei…
Logo logo vem mais posts…
🙂
Abraços

Oi Mari, que lindas fotos você tirou!!! Fez um super trabalho, parabens.

Bjs Leda Pain

Olá, Obrigada pela visita e que bom que você gostou das fotos.
Beijos

Deixe o seu comentário