Um passeio por Alice Springs na Austrália

Nossa última parada no deserto Australiano tem o mesmo nome que o meu prato preferido do restaurante Outback, para quem nunca comeu, o Alice Springs chicken é um mega filet de frango coberto com três queijos e recheado com cogumelos e pedacinhos de bacon que deixa no chinelo a famosa costela ao molho barbecue. Simplesmente fantástico.

Deixando o frango de lado e voltando a cidade, nosso tempo em Alice Springs foi super mal planejado – ou melhor nem sabíamos que íamos para lá e foi um alivio saber que tínhamos um hotel reservado  –  tínhamos um pedacinho de final de tarde e um comecinho de manhã. Logo depois voltaríamos para Sidney. E como o final de tarde era um domingo, não deu nem para pensar em fazer nada além de pegar a bicicleta do hotel e sair pedalando pelo tapetão que é a cidade.

Como Alice Springs fica um pouco perigosa ao anoitecer, tivemos pouco mais de um hora para dar um passeio pela cidade, que se mostrou exatamente como a descrição guia: uma cidade ok, um ponto de saída ou chegada para quem deseja explorar o deserto Australiano. A parte mais legal é explorar os parques nacionais que ficam há pouco mais de uma hora da cidade, coisa que não tivemos nem tempo de cogitar.

O centro da cidade é super compacto e tem apenas 5 ruas, a rua principal a Todd St. é longe a mais viva e animada da cidade, lá você vai encontrar alguns restaurantes com cara de faroeste, e algumas galerias de arte aborígene. Como não tinha muito tempo e tive que escolher o queria visitar, acabei escolhendo visitar a antiga estação de telégrafos.

A estação fica 3.5 quilômetros a pé da cidade e como é uma linha reta, dá fácil para caminhar. Mas como tínhamos um problema de falta de tempo, decidimos pegar um taxi.

A estação de telégrafos foi construída em 1870 e trouxe a rápida comunicação para o deserto Australiano. A estação funcionou entre 1895 e 1905, depois disso o local foi transformado em uma escola para filhos misturados entre aborígenes e fazendeiros.

A estação foi construída em um local estratégico, as margens do buraco de  água – quase permanente – Alice, que mais tarde deu nome a cidade.

A visita custa 7 dólares e te dá um folhetinho que conta passo a passo o roteiro a ser seguido. Quem preferir explicações de verdade pode optar por uns dos tour guiados que sai a cada 45 minutos.

Mas preciso contar que dessa vez não foram nem as charmosas instalações antigas e nem a historia do local que fizeram com que nossa visita fosse incrível, mas sim o fato de encontrarmos dois maravilhosos Cangurus (mãe e filho) no local. Eu já tinha visto cangurus ao ar livre (fora do zoológico), mas nunca tão de perto. E essa experiência de chegar tão perto, foi super legal, mas para minha mãe que estava comigo e que mal tinha visto um canguru, foi longe um dos momentos auge da viagem dela.

E assim nos despedimos do deserto Australiano e nos preparamos para nossa próxima parada: Sidney!

mari vidigal
mari vidigal
Viajante incansável, daquele tipo que no meio de uma viagem já está pensando na próxima, na próxima e na próxima. Apaixonada por fotografia, natureza e vinhos

Viaje Melhor

Links para você reservar hotéis, comprar seguro viagem com desconto, conferir atrações e passeios incríveis e alugar carro em qualquer lugar do mundo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.