Guia de como planejar sua visita ao Uluru

Este post é um guia rápido e prático com todas as informações necessárias para visitar o deserto Austráliano tanto sozinho quanto com um tour. Saiba como chegar, onde se hospedar, onde comer, o que visitar e muito mais!

deserto da australiano: Guia de Uluru

Uluru, um dos famosos cartões postais Australianos é um grande monólito alaranjado de 3,6km de largura, e 348 metros de altura, mas o mais interessante é que dois terços da pedra estão debaixo do solo. O gigante australiano além de ser famoso por sua beleza, e por mudar de cor conforme a luz do dia bate na pedra oferecendo verdadeiros espetáculos de luz durante o nascer e o por do sol, também tem uma grande importância cultural para o povo aborígene da região, os Anagus.

É um passeio incrível, mas esteja preparado para andar e para enfrentar muitas moscas

Trasporte: Como chegar

– De carro:

Alugar um carro em Alice Springs e dirigir até Ayres Rock

(+ ou –440 km). Pegue um carro em ótimas condições para agüentar o sol de rachar sem pifar, e sempre que encontrar um posto pelo caminho encha o tanque para não correr o risco de ficar sem gasolina no meio do caminho, recomendo que você alugue um GPS. Mas de qualquer forma a estrada é ótima e a sinalização é relativamente boa.

Recomendo que você passe uma noite perto de Kings Cânion e visite o Cânions que são maravilhosos, e uma noite em Yulara para acompanhar o nascer e o por do Sol. Você pode devolver o carro em Ayres Rock e voltar de avião, ou voltar para Alice Springs de carro, o que sinceramente acho uma grande besteira.

– De avião

Por ser um dos destinos turísticos mais visitados da Austrália, Ayres Rock tem vôos diretos de Sidney, Melborn, Brisbane, Cairns e outras grandes cidades australianas.

Como a única opção de hospedagem do local é o complexo de Yulara – Ayres Rock Resort com opções que variam de camping, hostel, até hotéis de luxo, o resort oferece um ônibus transfer gratuito que te levará do aeroporto até o seu hotel.

– De ônibus

Pegar um ônibus de Alice Spings até Ayres Rock.

A viagem leva por volta de 5 horas e meia, inclui uma parada em uma fazenda de Camelos no meio do caminho e custa 152 doláres. Tem algumas empresas que oferecem este trajeto, vale a pena pesquisar, mas uma delas é a Parter Viator.

Hotéis | Campings: Onde se hospedar?

– Camping

A maneira mais econômica de se hospedar em Yulara e custa a partir de 25 dólares por pessoa. Como no deserto raramente chove, uma das coisas que as pessoas gostam de fazer é colocar o sleeping bag fora da barraca, uma rede anti mosca na cabeça e dormir ao ar livre vendo as estrelas. E como o camping tem banheiro comunitário, você não precisará ficar nem sem banho e nem recorrer ao matinho.

– Hostel

Para os mochileiros de plantão – que não topam acampar – a opção de hospedagem mais indicada é o Outback Pioneer. O lodge tem duas opções relativamente em conta, a primeira é um mega dormitório para 20 pessoas que custa 37 dólares Australianos por dia e a segunda opção é um quarto para quatro pessoas que custa 45 dólares Australianos por dia. A parte boa é que tem piscina, cozinha para quem quer cozinhar e de noite tem musica ao vivo.  Dentro do complexo de Yulara é longe o lugar mais divertido que você pode se hospedar.

– Hotéis

Tem várias opções de hotel, tudo depende do quanto você esta disposto a pagar. Como fui com meus pais, que definitivamente não estavam dispostos a dividir o quarto com muitos mochileiros felizes como eu, ficamos hospedados no Desert Gardens Hotel, que é super gostoso, bem localizado e tem uma piscina deliciosa. Fomos até nadar a noite!

A diária do Gardens custa a partir de 309 dólares o casal e 40 dólares a cama extra.

Uma opção um pouco mais barata é o Lost Camel, onde os quartos custam a partir de 249 dólares.

– Super Luxo

Para quem está buscando algo além de visitar o deserto, uma opção de hospedagem incrível é o Longitude 131, são tendas fixas hiper charmosas com uma decoração linda. O pacote inclui café da manhã e jantar ao ar livre com um cardapio de especialidades bem variado e exige um mínimo de duas noites que custam a partir de 2070 dólares. O hotel tem piscina e SPA.

Onde Comer: 

Restaurante dos hotéis

Assim como os hotéis, comer em Yulara depende do quanto você esta disposto a gastar. Ou seja, caso queira um jantar mais especial – e conseqüentemente mais caro, vá até o Sails in Desert, e já li algumas reviews e vi que não tem nada de especial.

O restaurante do Desert Gardens não tem nada de muito especial é bem salgado.

-Um jantar diferente

Agora se você esta buscando musica ao vivo e diversão, o restaurante do Outback Pionner é uma boa opção, lá você escolhe sua carne (tem varias opções exóticas e convencionais: canguru, barra mundi, cordeiro, vaca, frango) e você mesmo cozinha em uma das churrasqueiras comunitárias. Para complementar tem um Buffet com saladas, e alguns outros apetrechos que você também pode cozinhar, como milho, batatas, e etc…

– Um jantar experiência

Agora se você está buscando um experiência única, ouvi falar super bem do Sounds of silence, uma opção de jantar ao ar livre com uma vista incrível do Uluru no fundo e um céu repleto de estrelas.  Mas tratando-se de um jantar ao Ar livre, o sounds of silence, só acontece se o tempo estiver bom, o que é quase certeza no deserto, mas nós conseguimos a proeza de pegar uma noite chuvosa – ou seja, nada de jantar ao Ar livre.

Um detalhe importante é que para garantir seu lugar você precisa fechar sua reserva até as 14:00, e como os Australianos são bem pontuais, 14:00 são 14:00 sem choro e nem vela. O jantar custa 164 dólares australianos por pessoa.

-100% econômico | Supermercado

Para quem quer economizar, Yulara tem um supermercado onde você pode comprar varias opções de comida e ou cozinhar caso seu hotel tenha cozinha, ou fazer um sanduba, o que é uma ÓTIMA opção para o café da manhã.

Eu se fosse você compraria tanto água quanto repelente ali.

Como se locomover em Ayres Rock, austrália

Se você for a Ayres Rock por conta própria, sem nenhum pacote, terá que providenciar alguma opção de transporte para te levar até o Uluru (que fica mais ou menos a 1km do resort) e até as Olgas (Kata Tjuta), que ficam a mais ou menos 40 km do resort.

– Alugar um carro:

No próprio aeroporto você encontrará o escritório de algumas empresas de aluguel de carro, mas seguem abaixo os telefones caso você queira dar uma pesquisada. Dei uma olhada rápida e o carro mais barato – by the way, um Corola – custa 80 doláres por dia com um limite de100 km. Para duas pessoas, o preço já é o mesmo do shuttle.

– Reservar um shuttle

A empresa Uluru Express, tem um serviço de leva e traz que funciona durante todo o dia tanto para o Uluru, quanto para as Olgas. O preço de uma ida e volta até o Uluru custa 42,50 dólares Australianos. Caso você prefira, eles também oferecem caminhadas guiadas, passes de dia todo, ou de múltiplos dias. O passe de dois dias por exemplo custa 155 dólares australianos.

Entrada do Parque:

Vale lembrar que caso você não esteja em um tour, ainda terá que comprar a entrada por parque que custa 25 Dólares e é valida por três dias.

Passeios e Caminhadas: o que visitar?

Uluru: o Monolito vermelho mais sensacional do mundo

Algumas opções de caminhadas

1) Base walk (ao redor) – 10km

(Entre 3 e 4 horas de caminhada – dá para fazer em 2 horas caso você esteja com pressa e tenha um bom preparo físico)

Uma bonita caminhada em volta da rocha passando por vários pontos de interesse como pinturas aborígenes, cavernas, buracos d’água. O Base walk inclui todos os outros percursos que descreverei a seguir.

2) Mala Walk – 2km

(Uma hora de caminhada)

Este passeio começa na base do ponto de escalada do Uluru e passa por lindas cavernas, alguns dos lugares mais sagrados para os Anagus – que não podem ser fotografados, mas são realmente lindos.

Essa é uma boa opção para quem não esta disposto a caminhar os dez quilômetros ao redor da base, mas quer ter uma real dimensão do monólito. Durante a nossa caminhada vimos dois lindos lagartos subindo a pedra.

DICA: Tem um tour gratuito que começa as 10:00h da manhã todos os dias e explica um pouco da historia por trás desse lugar sagrado.

3) Mutitjulu Walk – 1km

Mutitjulu é um dos olhos d’água permanentes ao redor do Uluru. E para chegar lá é preciso fazer uma pequena caminhada por uma bonita trilha, que passa por uma caverna repleta de desenhos aborígenes.

Lá ouvimos a lenda aborígene das cobras Kuniya e Liru que explica um pouquinho dos buracos e dos desenhos do Uluru.

4) Escalando o Uluru

Escalar o Uluru é algo super contraditório, pois ao mesmo tempo que atrai milhares de turistas ao redor do mundo, é algo não recomendado pelo aborígenes locais, pelo valor religioso que a pedra tem para eles.

Mas, apesar dos milhões de placas no local recomendando a não escalada, muitas pessoas decidem escalar.

Segundo o guia de viagens Lonely planet, é uma escalada relativamente tranqüila de 1,6 km, a parte mais difícil é lidar com o calor infernal do deserto australiano por pouco mais de duas horas. A parte inicial da escalada é de longe a mais complicada, e pelo que pude ver desde o ponto de inicio do Mala Walk, é super inclinada.

Por outro lado, pensando que com exceção as Olgas que estão a pouco mais de 40km Dalí, o deserto é um grande chapadão de coisas que você pode muito bem ver do alto do avião, então… para que escalar?

Kata Tjuta (Olgas): uma formação rochosa impressionante

Opções de passeios:

1) Vale dos ventos – 8km

(Entre duas e quatros horas de caminhada)

Vale dos ventos é o nome da caminhada que percorre ao redor das Olgas que na língua dos Anagus, significa “cabeças”. É uma caminhada bem bonita e bem diferente das que você fará ao redor do Uluru.

2) Olga Gorge (Tatintjawiya) – 2km

(Uma hora de caminhada)

Uma bonita caminhada que passa entre duas das cabeças e chega até um vale. Uma boa opção para quem não quer caminhar muito e quer ter uma boa visão da Kata-Tjuta.

Centro Cultural aborígene:

Um lugar interessante para quem quer entender um pouquinho mais sobre a cultura, leis e religião dos Anagus. O lugar também tem um lojinha com artesanatos e peças aborígenes, mas como é um dos lugares mais turísticos da Austrália, os preços são exorbitantes.

Guia de sobrevivência: dicas básicas para você se virar no deserto

  • Compre repelente e uma rede ante mosquito para o rosto, logo que você chegar. As moscas são chatas e impossíveis. Caso tentem te vender um aparelho sonoro que aparentemente repele as moscas, não acredite, é o maior conto do vigário do planeta.
  • Leve e beba muita água, desidratação é um dos maiores riscos do deserto.
  • Não se esqueça de passar e repassar o protetor solar ou corre o risco de ficar da mesma cor do Uluru.
  • Use um bom tênis para caminhar, o solo é lotado de pedrinhas e pedregulhos, e qualquer outro calçado aumentar bem suas chances de torcer o pé.
  • Use chapéu e roupas confortáveis.
Planeje sua viagem

Comentários (1)

[…] Tudo o que você precisa saber para programar sua visita ao deserto Australiano: https://ideiasnamala.wordpress.com/2011/04/24/tudo-que-voce-precisa-saber-para-planejar-uma-visita-ao… […]

Deixe o seu comentário