Roteiro de 1 ou 2 dias na Cidade do Panamá

Roteiro de 1 dia na cidade do Panamá. Começaremos pelo Canal do Panamá, passearemos pelo centro histórico e terminaremos o dia com um jantar caprichado no animado bairro do Cangrejo.

Canal do PanamáEstique sua escala

Já devo ter falado em algum post anterior que escala é um “presente” lindo que a companhia aérea nos dá. Assim, sempre que meu vôo faz escala e que o tempo permite, dou um jeitinho de parar pelo menos uns dois ou três dias e conhecer a cidade da escala. Foi mais ou menos assim que vim parar no Panamá, sem nenhuma expectativa e com muita vontade de aproveitar a escala.

Enquanto reservava minha lua de mel para San Barth, pedi para a moça da agencia incluir dois dias de Panamá no meu roteiro. Eu se fosse você faria o mesmo. Passe dois ou mais dias por lá e aproveite as maravilhas da cidade.

É melhor parar na ida ou na volta?

Como Panamá para nós Brasileiro é sinônimo de compras, a agente de viagens sugeriu que minha parada fosse feita na volta. Mas como fazer compras não estavam nos meus planos de viagem, bati o pé e pedi para parar na ida. Nossa ideia foi ir “melhorando” o roteiro aos poucos, e por isso Panamá como primeira parada fez absoluto sentido. Então deixo a dica, caso o objetivo da sua viagem NÃO seja fazer compras, pare na ida.

Agora chega de motivos e vamos ao passeio. Depois de uma noite muito mal dormida (meu vôo saia as 5:00 da manhã e foi impossível pregar o olho com a final de libertadores rolando e a galera enlouquecida soltando berros e rojões do inicio ao fim do jogo), finalmente desembarcamos na cidade do Panamá.

Pousando no Aeroporto de Tocumen

Uma das graças de pousar no Panamá é ver os navios lá de cima. O Gustavo que já havia pousado no Panamá antes disse que haviam bem poucos navios para o Padrão normal, mas para mim que sou marinheira de primeira viagem, a quantidade de navios era bem considerável. Lá de cima já fica evidente que o canal que movimenta a economia do país.

Desembarcamos, um sol danado, mas rapidinho já nos encaminharam para a imigração gelada…é, Panamá é assim: quente, gelado, quente, gelado. O calor úmido do quentíssimo inverno Panamenho é resfriado com doses geladíssimas de ar condicionado seja no taxi, seja no hotel, prepare-se para enfrentar um senhor ar condicionado. Quer se livrar do resfriado? Leve um casaco leve sempre com você.

Pegue um taxi oficial ou vá de van

Saída de aeroporto básica, placas para lá e para cá e um montão de gente te oferecendo taxi. Para pegar um taxi oficial, basta sair pelo desembarque e já na rua, pegar um taxi da fila à esquerda. Uma viagem do aeroporto ao centro, custa cerca de 28 dólares.

PARÊNTESIS: Preciso fazer um primeiro elogio a honestidade Panamenha, enquanto pegávamos um taxi, veio um senhor se informar onde pegar e quanto sairia uma corrida ao shopping Center Multicentro, o taxista respondeu que para o Multicentro não valia a pena ir de taxi e indicou o local onde tomar a van do shopping. Ponto para o Panamá.

Parada rápida no hotel para deixar as malas

Ficamos hospedados no Hotel Riane Granada, no bairro Cangrejo. Um bairro animado com excelentes opções de bares e restaurantes.

Deixamos as malas, trocamos as calças do inverno paulista por shorts e saímos para visitar o canal do Panamá.

O Canal do Panamá

Como chegar?

Nosso plano inicial era ir até o Centro de visitantes do Canal do Panamá de ônibus, mas nos disseram na recepção que era longe e impossível chegar lá de ônibus. Desconfiei da informação, mas como não tinha tempo de pesquisar as rotas de transporte publico por conta própria, acabei acatando e tomando um taxi.

Aqui o primeiro erro da viagem, tomamos o taxi na porta do hotel que nos cobrou 40 dólares pelo passeio (ida, espera e volta), quase o dobro do que um taxi da rua nos cobraria.

A hora certa para visitar

O segundo erro foi não saber que o período entre o meio da manhã e o comecinho da tarde é morto na eclusa. Como os barcos fazem o trajeto Pacifico – Atlântico toda a noite até o começo da manhã e a tarde o trajeto inverso, este final da manhã é absolutamente parado.

Entrada do centro de Visitas de MirafloresEntrada do centro de Visitas de Miraflores

Quanto custa a entrada?

Compramos o bilhete de entrada completo que custa quinze dólares (estudantes pagam dez) e dá acesso a eclusa +um videozinho explicativo de dez minutos e ao museu do canal. (Tem também um mirante que infelizmente tava fechado no dia da nossa visita).

Canal do PanamáO museu do canal do Panamá

O museu conta em detalhes a história do Canal (que tem um impacto absurdo na história e na economia do país) as dificuldades da escavação, desde doenças locais, dificuldades no solo e animais locais venenosos, e mostra os próximos passos do canal que está sendo reformado para a passagem de navios maiores.

Museu do Canal do PanamáMuseu – explicações sobre a escavação e as dificuldades

Quanto tempo demora?

Com barcos a caminho, o passeio completo leva pouco entre uma e duas horas, no nosso caso, como os barcos não vinham, ficamos quase três horas sentadinhos esperando no centro de visitas de Miraflores.

O Gustavo – como bom engenheiro, depois de dar uma boa analisada na estrutura do canal, já teria ido embora, com ou sem barcos. Eu não. Eu queria ver o “brinquedo” em funcionamento, sem chance de eu arredar meu pézinho dali sem barcos.

Entrada de navios no Canal do PanamáO primeiro navio da tarde… olha só como encheu de turistas querendo tirar fotos

Algumas horas depois, o primeiro barco da tarde – um desses navios cheinhos de containers entrou no canal de Miraflores. A entrada leva mais tempo que a travessia… Porta abre, porta fecha, água sobe, água desce e rapidinho o primeiro barco da tarde se despede do canal e nós também…

Navio no Canal do Panamá
Olha só que bonitão o primeiro barco da tarde.

Navios no Canal do PanamáE logo atrás dele já veio o segundo….

Saída de navios no Canal do PanamáÁgua baixa e o segundo navio do dia cruza o canal

Próxima parada: Casco Antiguo 

O Casco Antiguo, ou centro velho da Cidade do Panamá, esta todo em reforma, não achem que estou exagerando quando digo “todo”. O local esta um quebra-quebra só. Muitas ruas esburacadas, muitos homens trabalhando, poeira para todos os lados, mas atrás disso tudo, enxergamos um centro muito gracioso e cheio de potencial. Daqui a uns dois anos, quando esta bagunça acabar, o centro será um senhor passeio.

Hoje, mesmo em meio ao caos, a visita vale muito a pena. O centro da Cidade do Panamá é uma espécie de centrinho de Paraty só que bem maior e no momento, muito mais mal cuidado.

O que visitar:

– Presidencia do Panamá

Presidencia do Panamá
Presidência Panamenha: porta de entrada do Casco Antiguo

Na entrada do centro esta a presidência Panamenha, com uma linda vista para a parte moderna da cidade. A baia esta repleta de fofíssimos barcos de pesca pequeninhos e coloridos… um charme!

Cidade do Panamá - parte moderna

-Catedral da cidade do Panamá

Há poucas quadras da presidência, está a charmosa catedral, que nesse dia infelizmente estava fechada para visitas, a praça da catedral tem algumas barraquinhas de artesanato local e claro, chapéus panamenhos :).

Catedral do Panamá

– O altar de ouro (bonito, mas bem inferior ao que temos em Salvador)

Altar de ouro - Panamá-Diversas ruinas espalhadas pelo centro

Ruínas - Casco Antiguo - Panamá

 

Ruínas - Casco Antiguo - Panamá-Praça da França

Uma praça simpática rodeada por prédios bonitos e uma linda vista da cidade e da ponte das Américas.

As três ilhotas no fundo, são o Amador Causeway, um braço de terra construído com a areia que saiu da eclusa e que serve tanto como barreira de proteção do canal quanto área de recreação para os Panamenhos. Quem tiver mais um dia, vale super a pena fazer um passeio de bicicleta por lá.

Casco Antiguo - Cidade do Panamá
Casco Antiguo - Cidade do Panamá

E no caminho, reparem na quantidade de janelas – lindas & diferentes!

Janela - Cidade do Panamá

Janela - Cidade do Panamá

Janela - Cidade do PanamáAntes de deixar o centro percorremos várias vielas fofas e namoramos os grafites coloridos.

Casco Antiguo - Cidade do Panamá
Grafites - Cidade do PanamáGrafites fofos

Grafites - Cidade do Panamá

A Cinta Costeira

Voltamos a pé, contornando a Cinta Costeira – recém construída com areia extraída da ampliação do canal – que é uma área super gostosa para correr e caminhar. Nesses quase 5 quilômetros de caminhada, vimos de perto o contraste entre o centro antigo e o novíssimo centro financeiro repleto de torres modernas super altas.

Cinta Costeira - cidade do Panamá

Cinta Costeira - cidade do Panamá

Para jantar…

A noite pesquisamos alguns restaurantes para jantar,  e por pura sorte, dois dos mais recomendados restaurantes da cidade ficavam na rua do hotel o Martin Fierro ( Ave. Eusebio A. Morales, 21), um restaurante de carnes argentinas e o Machu Pichu (Ave. Eusebio A. Morales 16), um tradicional restaurante peruano.

Como adoramos comida peruana, escolhemos Machu Pichu e acertamos em cheio. O Gu comeu camarões gratinados dentro de um purê de batatas com champignons e eu comi um peixe branco com Saladinha e purê. Ambos os pratos maravilhosos. Para beber pedimos uma jarra de Sangria, que veio tão grande que não aguentamos metade. A conta saiu pouco mais de 60 dólares.

Dia 2

Estávamos curiosos para desvendar o que a cidade nos revelaria além do canal, só que não contávamos com uma chuva gelada e forte dessas que não dá vontade de encarar nem com guarda chuva e que acabou adiando o nosso plano algumas horas.
Pegamos um taxi na rua, o taxi já tinha uma passageira – para quem não sabe, taxi compartilhado no Panamá é super comum – mas assim que ela desceu a taxista super simpática começou a conversar com a gente e perguntar o que já tínhamos visitado na cidade, conversa vai conversa vem, decidimos desviar um pouco da nossa rota de chuva sentido shopping Center para passar no Cerro Alcón, um dos pontos mais altos e que tem uma belíssima vista para a cidade.


Parte moderna vista do alto do Cerro Alcón

Parte moderna vista do alto do Cerro Alcón

É no alto do Cerro Alcón que fica a enorme bandeira panamenha ( a bandeira  esticada tem o tamanho de uma quadra de basquete) que pode ser vista desde longe.

Este morro teve um papel importante na construção do Canal do Panamá, foi lá do alto mirante que boa parte da construção foi planejada e muitas rochas do Cerro foram usadas no Canal. A parte escavada do cerro é onde fica o atual escritório de administração do canal.

Canal e Porto vistos do alto do Cerro

Terminada a construção do canal, devido sua localização privilegiada e posição estratégica, o morro permaneceu sob domínio Norte Americano até 1999, quando junto ao canal foi entregue aos panamenhos. No alto do morro esta a placa comemorativa do tratado de 1979 entre Panamenhos e Americanos acordando a devolução do canal.
E mesmo com tanta história, eu nunca tinha ouvido falar desse lugar tão bacana que a taxista nos levou.
Apesar da chuva, que não nos deu um segundinho de trégua, foi bem bonito observar a parte moderna da cidade do lado esquerdo e o Casco Antiguo do lado direito, um mega contraste.


Ponte das Américas:  porta de entrada ou saída do canal do Panamá vista do alto do Cerro Alcón.

Demos a volta no cerro e fomos para o mirante que fica em frente ao porto, tava um pouco nublado por causa da chuva, mas ainda sim avistamos a saída do canal ea ponte das Américas. Enquanto tirava minhas fotos da cidade, recebemos a ilustríssima presença de um Tucano, que passou voando do nosso lado e pouco depois se instalou num galho alto e começou uma linda cantoria. Achei que o tucano panamenho tem o bico de cor mais fosforescente que o tucano brazuca, não parece? (Biólogos e entendidos de plantão, desculpem a ignorância da blogueira que não entende nadica de pássaros mas que gosta muito deles.)


Por último, nossa taxista cantou o moço que toma conta da montanha e ele liberou nossa passagem ao lugar onde fica a bandeira panamenha e grande parte das antenas de telefonia do país, mais uma bela vista. E um pequeno presente que eu não consegui fotografar, um desses sapos pequeninos, mega coloridos e mega venenosos. Lindo bicho. Isso sem falar na natureza em volta, arvores e flores. Não preciso dizer que a visita valeu, né?


Outro tímido habitante do Cerro

Próxima parada, o shopping center Albrock que tem fama de ser um dos mais baratos da cidade. ( Veja mais detalhes sobre compras no Panamá no:  https://ideiasnamala.wordpress.com/2012/07/19/panama-dicas-para-planejar-sua-viagem-ou-escala-longa-na-cidade-do-panama/) Como a chuva atrapalhou nossos planos de passeio, resolvemos parar e comprar o presente de aniversário da minha sogra, um shorts de praia para o Gu e uma calça jeans para mim.

O Albrock é um shopping muito grande e meio popular se comparado ao  Multicentro. Para quem gosta de compras bem baratas, tem muitas lojas desconhecidas e com preços bem baixos. Outra dica importante é pedir desconto, em muitas lojas o preço da etiqueta é bem negociável.


Almoçamos no Crepes & Waffles, uma rede colombiana super gostosa ( tá, eu sei que já chegou ao Brasil, mas como não tem nenhuma perto de mim em São Paulo, fiz este “esforcinho” no Panamá).

Comemos uma Saladinha, um crepe (o Gu pediu um de frango thai e eu pedi um de queijo com champinhon) e de sobremesa dividimos um senhor sorvete (o cardápio de sorvetes deles de sorvetes é ótimo, taças lindas e muito bem fotografadas. Para os amantes de uma bela taça gelada, eu diria que é um programa imperdível 🙂 )
Terminadas as compras , pegamos um taxi rumo ao Amador Causeway, um braço construído com a terra extraída do Canal do Panamá que liga três ilhotas: Naos, Perico e Culebra.

O Amador Causeway serve como uma barreira de proteção ao canal do Canal do Panamá e como um ponto de recreação para os panamenhos já que os calçadões da rua, são um belo convite para ciclistas, corredores e turistas.O Calçadão tem cerca de 2 quilómetros de extensão e uma bela vista para a cidade e para a Ponte das Américas.

Por cerca de oito dólares por hora (passamos um pouquinho de uma hora e não nos cobraram a diferença) você aluga uma dessas bicicletas duplas engraçadas e faz um passeio bem agradável pelo Causeway, tem muitas bancas de aluguel de bike pelo caminho. Quem preferir pode escolher uma bike individual ou até um patins.


O tempo continuava feio, mas ainda sim alugamos uma bicicleta e fizemos nosso passeio.
O calçadão é repleto de bancos para quem quiser parar e olhar para o mar, alguns restaurantes com super cara de turista (traduzindo, nenhum que me animasse a comer por ali) e no final uma Marina.


No meio do passeio passou por nós um desses ônibus anfíbios e um pouco para frente o ônibus entrou na água e virou barco. Costumo fazer meus passeios de forma independente, mas numa cidade com tanta água, um ônibus-barco me pareceu uma excelente opção.
Terminado o passeio pegamos um taxi e pedimos para ele nos deixar próximo aos prédios modernos da cidade…

Desembarcamos a poucas quadras da nossa próxima parada: um drink no chiquérrimo Trump Hotel, um predio super moderno que de longe nos lembrou muito o Burj Al Arab de Dubai. O Trump Hotel tem um pouco de tudo: residências, escritórios e hotel.


E no saguão, uma bela Gordinha de Botero

O 16o andar é o piso dos restaurantes. Duas opções nos chamaram a atenção: o BARcelona e o Tejas os dois pareciam bem bacanas, mas escolhemos o BARcelona pela vista da cidade.

(A vista não é tão boa quanto pensávamos, os prédios da frente passam bastante dos 16 andares. Ainda sim visitar o Trump hotel vale a pena pela experiência)


Tomamos dois drinks maravilhosos acompanhados de uma porção deliciosa de lulas fritas, até pensamos em ficar para jantar, mas era um pouco cedo e eu queria conhecer outros restaurantes.


Antes de sair, demos uma voltinha pela lateral, e sem perceber, caímos na parte social do hotel, óbvio que antes de sair, resolvi fotografar tudinho :).
As piscinas são lindas, de frente para o mar e com uma vista linda para a baia. Uma bela opção para quem quer uma estadia super chique no Panamá.


Voltamos caminhando para o hotel, e no caminho demos uma passadinha no Multicentro, nossa idéia era fazer uma rápida comparação (meramente visual) com o Albrock, e sem dúvida a experiência no Multicentro é muito mais legal. Enquanto o Albrock é um lugar de compras baratas e ponto (sim, tem muita loja bacana no Albrock, mas no Multicentro tem muito mais) o Multicentro é um centro de diversões com Cassino, play ground para pequenos, Hard Rock Café e muito mais. Como minha paciência com shoppings não é lá essas coisas, não passei mais de 20 minutos ali, mas gostei da experiência.


Para quem planeja visitar o Multicentro, o lounge do Hard Rock Hotel vale a visita :).


Terminamos nosso dia num restaurante no Casco Antiguo.

 

Planeje sua viagem

Comentários (15)

[…] que chegamos no Casco Viejo da Cidade do Panamá, lembramos de um relato do blog Ideias na Mala, que falava sobre o quente-gelado que existe por lá. Literalmente sentimos na pele, quando […]

[…] Passeio pelo Centro da cidade do Panamá (Casco Antiguo) […]

[…] Mas, enlouquecida com os preparativos do casamento, e com a mudança para os Estados Unidos, acabei deixando a escolha 100% nas mãos da nossa agente de viagens, e ela acertou. O Hotel Riande Granada, localizado no bairro do Cangrejo foi uma excelente pedida para visitar a Cidade do Panamá. […]

[…] Roteiro de um dia pela cidade: https://ideiasnamala.com/2012/08/07/cidade-do-panama-muito-mais-do-que-uma-escala/ […]

Em junho conhecerei o Panamá e adorei as suas dicas, fiquei com mais vontade de conhecer a cidade. Você teria uma idéia de quanto gastou em restaurantes nesses dias em que ficou lá. Quero comprar algumas coisinhas também, mas preciso me planejar, pois tem comidas e hotel. Pretendo também conhecer alguma praia ou ficar numa ilha. Você tem alguma dica.
Muito obrigada. Adorei seus posts.

Oi Claudia,
Tudo bem?
O restaurante mais caro que visitamos no Panamá custou 100 dólares. Os outros custaram bem menos.
Quanto a praias, fiquei com bastante de vontade de conhecer Saint Blas: http://www.tripadvisor.com/Tourism-g298434-San_Blas_Islands_Guna_Yala_Region-Vacations.html

Abraços,
MAri

Boas dicas, estamos indo em julho, gostaria que tivesse colocada preço para ter uma ideia melhor ..mas de resto tudo romanticamente contado, amei. Obrigada

Oi Betina, Td bem?
Como pela primeira vez na vida fechei tudo em pacote, tenho bem pouca ideia do quanto seria o preço do hotel 🙁
De qualquer forma, para nós Brazucas o Panamá é relativamente barato ;o)

[…] Acordamos mega animados, era o nosso segundo dia e último dia no Panamá. No dia anterior havíamos visitado o canal do Panamá, o Casco Antiguo e terminado o dia jantando num restaurante gostoso no bairro Cangrejo. (Veja do primeiro dia no:  https://ideiasnamala.wordpress.com/2012/08/07/cidade-do-panama-muito-mais-do-que-uma-escala/.) […]

Também gostei, já estou querendo conhecer a cidade do Panamá, os coloridos dos ggrafites ,os chapéus…lindo! Bjs e valeu pela dica!

Oi Marta,
Obrigada pela visita!
Você vai adorar o Panamá!
Tem mais post vindo aí… Beijos

Carol Hauptmann Miranda

Adorei, fiquei com vontade de conhecer o Panamá!
Beijoca!

Adorei a cultura, os lugares panamenhos…

Deixe o seu comentário