Córsega: Roteiro de 7 dias

Córsega

Roteiro de 7 dias na Córsega, conheça as principais cidades da Córsega e alguns dos principais pontos turísticos desta ilha maravilhosa. Um destino sem contra indicações: perfeito para famílias, romântico para casais, e repleto de possibilidades para quem curte natureza e aventura. Córsega é uma boa pedida para combinar com a Sardenha na Itália, ou com uma viagem por Provence na França.

Córsega: Roteiro de 7 dias

A Vera, o Marcos e o Baby Kike acabaram de voltar uma viagem pela Sardenha e pela Córsega, começamos a viagem pela Córsega (descreveremos tudo em detalhes neste post) e em seguida continuamos pela Sardenha. Combinado?

Texto e Imagens: Vera Olivera e Marcos Vidigal Filho

Roteiro Resumido:

  • Dia 1: Vôo: São Paulo – Roma – Olbia
  • Dia 2: Olbia – Santa Teresa de Gallura – Bonifacio
  • Dia 3: Bonifacio – Porto Vecchio
  • Dia 4: Porto Vecchio – Aiguilles de Bavella –  Ile Rousse
  • Dia 5: Ile Rousse – Calvi – Porto
  • Dia 6: Porto – Ajaccio
  • Dia 7: Ajaccio – Bonifacio – Santa Teresa de Gallura (Sardenha)

Hotéis da viagem

Como chegar à Corsega:

De balsa: Saídas de vários portos na Itália

A Córsega é acessível por balsa (Ferry) de diversos pontos da Itália (Livorno, Genova, Civitavecchia, Essas duas últimas cidades ficam na Sardenha) e de Marselha e Nice na França. O menor trajeto de Ferry é via Santa Teresa de Gallura, na Sardenha. O trajeto de Santa Teresa até Bonifácio são 11km, que levam 50 minutos de ferry.

Córsega

Bonifacio: uma das portas de entrada da Córsega

De avião: Vôos frequentes de Paris e Marselha

Ajaccio, quase no centro da Córsega é o principal aeroporto da ilha e conta com voos frequentes de Paris e Marselha, assim como voos de UK, Holanda e Suíça. Bastia no norte da ilha também conta com vôos vindos de Paris e Marselha.

O que você precisa saber antes de viajar

Alugue um carro

O transporte público na Córsega não é lá essas coisas, e para desbravar a Córsega de verdade, você vai precisar de carro. Quem pensa em combinar este destino com a Sardenha ou Provence, pode alugar um só carro e fazer os trajetos de ferry.

GPS & Internet ilimitada

Em geral o GPS do celular funciona super bem na Córsega, tivemos poucos problemas de falta de sinal e achamos relativamente fácil nos deslocarmos por lá. Nós compramos um Chip de internet ilimitada da Tim no aeroporto de Roma, e viajamos com ele pela Córsega e pela Sardenha numa boa. O chip que compramos é válido em todos os países da união européia e custou metade do preço dos chis oferecidos no aeroporto do Brasil.

Reserve o ferry com antecedência e chegue antes do horário

Reserve o ferry com antecedência para chegar na Córsega. Durante a baixa temporada é tranquilo não reservar, mas na alta temporada há chances do ferry se esgotar e não vale arriscar.

No dia da viagem, programe-se para chegar com pelo menos 40 minutos de antecedência ao horário de saída do ferry, uma vez que há checagem de documentação antes de embarcar no ferry.

Para aproveitar as praias sem perrengues

Compre um guarda-sol: Além de economizar os alugueis caros nas praias onde eles estão disponíveis, você poderá visitar as praias sem estrutura tendo a garantia de uma sombra para você..

Córsega

Praia em Ajaccio: ter seu próprio guarda sol faz toda a diferença

Estradas são péssimas e as distancias são longas

Parece pertinho, mas na real demora. Essa foi a nossa impressão na maior parte das estradas da Córsega. Tirando as vias principais que conectam as cidades grandes (Ajaccio, Bonifácio, Porto Vecchio e Bastia) as estradas corsas são estreitas e sinuosas. Assim vale planejar um roteiro com mais bases e evitar bate e voltas longos. 

Para ter uma referência, muitas vezes para percorrer uma distância de 30 km, levamos duas horas por conta da quantidade de curvas nas estradas estreitas de mão dupla.

Pessoas simpáticas

Ficamos encantos com a simpatia e com a gentileza dos Corsas, pessoas lindas, hospitaleiras e que fizeram de tudo para nos receber bem.  

Dá pra se virar na Córsega sem falar francês?

Francês é a lingua local da Córsega e é a lingua preferida deles e a primeira tentativa, sempre,  mas em geral os corsas falam inglês. Como a galera é muto gente boa, com um pouco de boa vontade dá para se virar super bem.

Córsega com crianças: vá feliz!

A Córsega é um desses destinos maravilhosos para toda a família, uma viagem deliciosa para fazer em casal, e uma super pedida para viajar com crianças. Durante este roteiro de 7 dias pela Córsega viajamos com o Baby Kike (1 anos e meio) que testou e aprovou todos os parquinhos da região, brincou nas areias e se esbaldou nas praias da Córsega.

Baby Kike

Baby Kike: nosso companheiro de viagens

Produtos típicos da Córsega

Embutidos (Copa, Salame, Presunto), o queijo Corsa (Delicioso porém um pouco forte, comemos tanto que até enjoamos) e o Óleo Imortal, (um poderoso anti-séptico feito com uma planta local, sabe aquele óleo que é bom pra tudo?!)

Roteiro no Mapa

Veja todas as paradas sugeridas neste roteiro no Google Maps.

Roteiro Detalhado:

Dia 1: Vôo SP – Sardenha

Para chegar a Córsega voamos São Paulo – Roma, e na sequencia Roma – Olbia (Air Italy – Cia da Sardenha).

Sala VIP no aeroporto de Roma

Chegando no aeroporto de Fiumicino em Roma, contratamos a sala VIP do Hello Sky que fica dentro do aeroporto, entre os terminais 1 e 3. Para nós, que viajamos com uma criança pequena, a sala VIP foi essencial para recuperar a energia entre os dois voos. E uma dica legal é que a sala vip do Hello Sky é mais barata que as do aeroporto. Ou seja, se seu cartão de crédito não oferece sala VIP, taí uma boa dica!

Chegada em Olbia e voltinha pelo centro da cidade

Reservamos um hotel bem pertinho do aeroporto pois sabíamos que estaríamos cansados da viagem, e foi uma ótima pedida. O Hotel Jazz é ótimo e o restaurante tem até indicação Michellin. Neste dia demos uma voltinha pelo centro de Olbia que é bem ok.

Dia 2: Chegada em Bonifácio 

Ida para a Córsega

Neste dia pegamos o ferry rumo a Córsega. Os ferrys para Bonifácio saem de Santa Teresa de Gallura que fica cerca de 1 hora e 20 minutos de Olbia. Vale considerar que é preciso chegar pelos menos uns 30-40 minutos antes do horário de partida do ferry (na reserva diz que é preciso chegar com 1 hora e meia de antecedência, mas na real, 40 minutos está de bom tamanho).

Com medo de estarmos muito cansados da viagem, optamos por pegar o ferry na parte da tarde, assim tivemos uma manhã de descanso antes de começar a viagem de verdade pela Córsega. Quem tiver mais pique, ou já estiver na Europa pode pegar o primeiro ferry da manhã e já aproveitar o dia para curtir Bonifácio.

Chegada em Bonifácio 

Bonifácio é uma cidade linda encrustada nas falésias. A cidade é pequenina e dividida em duas partes, a parte da Marina com restaurantes e lojinhas, e a cidade antiga, que é a parte encrustada nas falésias e é toda murada. A cidade antiga é um labirinto de ruas fotogênicas e antigas fortificações. É a parte mais linda de Bonifácio e onde estão alguns dos principais pontos turísticos da cidade.

Córsega

Região do porto de Bonifácio

Deixe o seu carro estacionado no porto e passeie pela cidade a pé

Deixamos o carro estacionado no porto durante todo período que ficamos na cidade.

Onde se hospedar em Bonifácio: Porto x Old Town

Nós ficamos hospedados na região do porto de Bonifácio, uma região bem conveniente para quem quer explorar a parte marítima da cidade, que por sinal é imperdível.

Para nós que viajamos com criança, se hospedar no porto (perto de onde estacionamos o carro) e onde é mais convidativo caminhar com carrinho de bebê, foi sem dúvida a melhor pedida. Nós ficamos no Best Western Roy D’Aragon, e foi uma ótima pedida. O hotel é gostosinho e a localização é ótima.

Para quem viaja sem crianças, vale mais a pena ficar na parte alta (Old Town) de Bonifácio, onde há dezenas de restaurantes famosos e lojinhas fofas. Algumas das melhores pedidas em Old Town são o Hotel Solemare e o Version Maquis Citadelle.

E claro, para quem quer algo super luxuoso, o Hotel des Pecheurs na ilha Cavallo (acessível apenas de barco) é uma das experiências de hospedagem mais incríveis da região.

Passeio pela região do Porto de Bonifácio

Como chegamos no meio da tarde, num dia chuvoso acabamos ficando pela parte baixa da cidade e deixamos para explorar Bonifácio de verdade no dia seguinte.

Dia 3: Old Town de Bonifácio e Passeio de barco

Hoje foi dia de explorar o centro antigo de Bonifácio e de fazer o passeio de barco pelas ilhas da região, dois passeios maravilhosos.

Desbravando a Old Town de Bonifácio

Como já adiantei nos paragrafos anteriores, a Old Town de Bonifácio fica no alto das falésia, dá para subir a pé (prepare-se para uma boa pernada), de carro (lembre-se que os estacionamentos são BEM limitados), ou de trenzinho. Nós subimos de trenzinho (Nono’s Petit Train) que custa 5 Euros por pessoa e funciona apenas durante os meses de verão. Há saídas a cada 30 minutos e o ponto de partida é a Marina.

Córsega

Fotografando a Old Town de Bonifacio

Chegando na parte alta a dica é se perder pelas ruas estreitas, e visitar algumas das principais atrações da cidade como a La Porte De Gênes (a única entrada de Bonifácio até o século XIX), Bastion de l’Etendard (Uma fortificação do século XIII repleta de passagens e mirantes interessantes), a igreja de Sainte-Marie-MajeureIl Torrione (essa torre de 1195 é a única parte que resta da antiga cidadela)e o Jardin des Vestiges (ruínas antigas). Para ter um visual maravilhoso das ilhas da região vá até a Place du Marché, e pra fechar vá até a escadaria do Rei de Aragão (quem tem pique poderá encarar os degraus de pedra e descer até o nível do mar).

Falando na escada do Rei de Aragão, esse é um dos grandes mistérios da Córsega. São 187 degraus de pedra e ninguém sabe quem fez o corte, mas sabemos que o corte foi feito para invadir Bonifácio. Impressionante, né?

Córsega

Escadaria do Rei de Aragão: um recorte no meio dos rochedos de Bonifacio

Dica de restaurante em Bonifácio: Stella Douro

Para comer nossa dica é o Stella D’oro, (7 Rue Doria) que fica na old Town, um restaurante excelente (comi um dos melhores peixes da vida!) e com preços bem amigáveis.

Bonifácio com crianças

Vale falar que a parte alta de Bonifácio é bem ruim de andar com carrinho de bebê, para quem viaja com crianças a nossa dica é subir de canguru. Ainda na parte alta, ao lado da escadaria de Aragão há um parquinho delicioso e que é uma ótima pedida para gastar energia dos pequenos. O Kike se esbaldou.

Passeio de Barco pelas Ilhas e grutas marinhas da região

Chegou a hora e explorar a parte marítima de Bonifácio, um passeio lindo que te permite observar a cidade de Bonifácio do mar (e é incrível ver como a cidades, suas construções e as falésias se misturam formando uma paisagem linda) e conhecer as ilhas da região. Há várias empresas que fazem este passeio que tem duração entre 2-3 horas e custa cerca de 35 euros. Principais paradas do passeio:

Córsega

Bonifácio vista do mar: um espetáculo! (Reparem na escada do Rei de Aragão recortada nos rochedos).

Ilhas Lavessi:

Um arquipélago com várias praias maravilhosas. A ilha não tem estrutura e nem sombra, ou seja, leve seu piquenique e um guarda sol para curtir as praias. Como ainda não tínhamos comprado nosso guarda-sol (por isso te demos a dica no comecinho do post) e estávamos com criança pequena, acabamos não descendo, mas que pena. As ilhas Lavezzi são um desses cantinhos lindos e que merecem ser explorados.

Córsega

Arquipélago Lavessi: um passeio espetacular na região de Bonifácio

Atenção: Alguns passeios permitem que você desça e aproveite as praias da ilha Lavezzi no seu tempo, e outras apenas passam pela região.

Vale escolher um tour que pare nas ilhas e se preparar para ficar pelo menos uma horinha por lá (lembre-se que não tem nenhuma construção na ilha, ou seja, leve água!).

As principais praias das ilhas Lavezzi são as praias Sperone e Lavezzi. Se você tiver equipamento de Snorkel, vale levar porque a vida marinha da região é linda. E quem curte passeios históricos, pode ainda caminhar até o cemitério Achiarino, um cemitério construído em memória do naufrágio Semillante.

Ilha Cavallo:

Uma ilha privada, famosa pelo Hotel des Pecheurs. O barco não aporta lá, mas passa bem em frente. A cor da água na frente da ilha Cavallo é de cair o queixo!

Córsega

Hotel & SPA des Pecheurs na ilha Cavallo | Foto: Divulgação

Grutas marinhas e Calanges de Bonifácio:

O tour continua passando pelo Pointe de Sperone, por várias escarpas de pedra. Destaque para uma gruta que tem o formato do mapa da Sardenha esculpido na pedra.

Córsega

Gruta marinha de Bonifácio

Córsega

Passeio de barco em Bonifácio: Paredão rochoso

Córsega

Gruta marinha na região de Bonifácio

Dia 4: De Bonifácio a Porto-Vecchio parando nas praias da região

Bonifácio e Porto-Vecchio ficam a cerca de 20 minutos de distância, e entre estas duas cidades (ambas merecem entrar no seu roteiro) estão as praias mais bonitas da Corsega: Baías protegidas, água clara e tranquila. Aproveitamos este dia e escolhemos duas praias para visitar: a Santa Giulia e Palombagia. Gostamos muito e recomendamos as duas.

Manhã gostosa na Praia de Santa Giulia

Passamos a manhã em Santa Giulia que é uma praia deliciosa, com opções de aluguel de esportes aquáticos como pedalinho e stand up paddle, mas sem tanta estrutura de restaurantes. A água é bem clarinha (fria!) e o mar tranquilo e rasinho, com a areia fina. Ficamos um par de horas na praia e assim que o baby Kike começou a cansar do passeio, seguimos para a Praia de Palombaggia.

Córsega

Praia de Santa Giulia na região de Porto Vecchio

 

Praia de Palombaggia

A praia de Palombaggia foi uma excelente escolha como segunda praia do dia, a praia é linda e tem uma estrutura bacana. Almoçamos num restaurante delicioso chamado Playa Baggia, comemos super bem. O legal de optar por um dos restaurantes da praia é usar a estrutura do restaurante para estacionar, e como estacionar por lá é bem difícil e os restaurantes oferecem essa facilidade. Além disso, o Playa Baggia oferece também estrutura de guarda sol e espreguiçadeira.

Córsega

Praia de Palombaggia na região de Porto Vecchio

Gostaríamos de ter ficado mais uns dois dias curtindo as praias e a região de Porto Vecchio, que é linda. Pra quem tem mais tempo, ouvimos falar muito bem das Praias de San Cipriano e Arinella. 

Chegada em Porto Vecchio

Assim como Bonifácio, Porto Vecchio está dividida em duas partes, a cidade baixa (onde fica o porto) e a parte alta. Nós ficamos hospedados na parte alta da cidade, que é linda, bem mais acessível que Bonifácio e está repleta de bons hotéis. Nós ficamos no Hotel Le Mistral e achamos ótimo. Os quartos estão recém reformados, oferece estacionamento gratuito e fica ao lado do centro da cidade. Outras opções bacanas e bem localizadas são o Best Western Hôtel Alcyon (Hotel básico com vistas lindas e ótima localização), Hôtel Restaurant Le Goéland (de frente para o mar).

Para quem quer uma experiência espetacular, o Casadelmar (grupo Leading Hotels) é uma ótima pedida e fica na região das praias. O hotel é tudo de bom!

O que fazer em Porto Vecchio

O centro de Porto Vecchio é uma graça! É desses centrinhos fofos com mil lojinhas, cafés e restaurantes que dá vontade de ficar passeando todos os dias! Bem no centro da cidade há uma praça super agradável com alguns cafés, restaurantes e um carrossel testado e aprovado pelo Kike.

Córsega

Centro de Porto Vecchio

O grande atrativo da região são as praias, cachoeiras e parques . Para quem curte caminhar vale visitar a Zona arqueológica de Cucuruzzu (que além das ruínas tem vistas lindas da região), as ruínas do Castellu d’Araghju ou a Zona arqueológica Ceccia. E claro, o farol Punta Chiappa que é bem fotogênico tem vistas lindas do campo de golfe de Porto Vecchio

Para comer

Coma em uma dos restaurantes em frente a antiga muralha, a vista de lá para a cidade baixa e para o porto é maravilhosa. Seja exigente, ao chegar nos restaurantes, muitos vão te dizer que a mesa de frente para vista está reservada, mas na real eles guardam estas mesas para quem bate o pé e ameaça trocar de restaurante.

Bonifácio ou Porto Vecchio: Onde ficar?

Bonifácio e Porto Vecchio são cidades bem próximas e conectadas por uma estrada boa, ou seja, você pode escolher apenas uma delas para usar de base e explorar toda a região. Nós ficamos nas duas cidades, mas caso tivéssemos que escolher entre elas, a escolha seria Porto Vecchio. Porto Vecchio tem mais opções hotéis, a parte alta da cidade é linda e tem um acesso mais fácil, isso sem falar nas praias que ficam mais próximas a Porto Vecchio e estão repletas de bons hotéis.

Veja aqui opções de hotéis em Porto Vecchio.

Córsega

Vista da parte alta de Porto Vecchio

Fique mais tempo em Porto Vecchio

Amamos a nossa estadia em Porto Vecchio e poderíamos ter ficado mais tempo se quiséssemos curtir mais praias. A cidade é uma graça e há muitas praias lindas na região. Daria fácil pra ter ficado mais uns dois dias.

Dia 5: Porto Vecchio – Ile Rousse

Hoje foi um dia de muita estrada e algumas paradas bem interessantes. Nosso destino final era a cidade de Ile Rousse, e para chegar lá pegamos uma estrada bem interessante e que cortou o interior da Córsega.

Zonza: ponto e início de vários passeios bacanas

Nossa primeira parada do dia foi o povoado de Zonsa que serve de base para explorar três pontos turísticos da Córsega, a cachoeira Piscia di Gallo, o Trou de la Bombe (um arco de granito pra lá de fotogênico) e o Col de Bavella, uma região super famosa para fazer tracking e caminhadas. O Col de Bavella é uma das paradas da trilha G20 (que percorre 200Km de norte a sul da Córsega), as paisagens são lindas, há muitas opções de caminhadas para todos os ritmos e fôlegos e haviam várias famílias passeando por lá.

Córsega

Zonza: ponto de início de muitos passeios incríveis pela Córsega

Zonza é mais uma opção interessante de bate e volta e Porto Vecchio, e para nós foi bacana para parar após a estrada cheia de curvas, tomar um café, esticar as pernas e seguir viagem.

Uns 10 minutos depois de Zonza avistamos a Auguille de Bavella, uma pedra enorme e linda que dá o nome a região. Em Col de Bavella tem um estacionamento enorme e estrutura para quem quiser fazer tracking na região.

Córsega

Baby Kike em frentes as Aiguilles de Bavella: uma região no interior da Córsega conhecida por suas trilhas e belezas naturais

Sare-Solonzera: A terra do esporte radical

Nossa próxima parada foi Sare-Solonzera, uma cidade famosa pelas cachoeiras formadas pelo desfiladeiro do rio Solonzera. São várias cachoeiras, sendo as Cascades de Polischellu, as mais procuradas. A região está repleta de possibilidades para quem curte esportes radicais e quer fazer canoagem de corredeira, tirolesa, escaladas ou rapel. Seguindo rumo ao litoral, há  praias lindas como a Acqua Vanua e a Anse de Favone.

A cidade não tem um centrinho e para nós foi mais uma parada -sem graça – para o almoço.

Distância de Porto Vecchio pela estrada mais rápida: cerca de 40 minutos. Pela estrada que fomos levou bem mais tempo.

Corte: Cidade medieval linda e lagos

Continuando a estrada passamos pelo interior da Corsega, uma série de paisagens mais rurais e bem diferentes em uma das melhores estradas da Córsega.

Seguimos até Corte, uma cidade pequenina e charmosa no alto do morro. A cidade tem parte murada e é o ponto de início para vários trackings interessantes pelos lagos lindos da região. Para ver a cidade do alto, siga até o Belvedere Point Panoramique, e pra quem tiver tempo de visitar um museu, o Citadelle de Corte é super fotogênico, interessante e de quebra tem vistas lindas da cidade.

Córsega

Cidadela de Corte vista de longe

Pra quem curte explorar a parte natural, vale dar uma olhadinha nos lagos Lac du MeloLac de Capitellu, Lac de NinoLac de Bettaniella. E pra quem curte arcos naturais, vale checar o L’Arche de Corte.

Ile Rousse: uma delícia de cidade

Nossa última parada do dia foi Ile Rousse, uma cidadezinha bem charmosa, com um centrinho fofo com direito a praça central e muitos cafés charmosos. Um dos destaques da cidade é o mercado (a versão local e charmosa das nossas feiras ) que rola pelas manhãs (fechas às 12:00) e vende produtinhos locais deliciosos, como os embutidos, queijo Corsa e o famoso óleo Imortal. O mercado é delicioso, e apesar de não ser barato, vale mega a pena.

O Farol de Ile Rousse: Lindo durante todo o dia

Ficamos hospedados ao lado do farol que é o principal ponto turístico da cidade, tanto o pôr do sol do farol quanto as vistas do farol são espetaculares, para quem se hospedar por lá vale ir durante o por do sol para ver o espetaculo das luzes, e no dia seguinte logo depois de acordar para ter o lugar todinho para chamar de seu e tirar fotos lindas.

Córsega

Farol de L’Ile Rousse

De volta ao nosso hotel, ficamos hospedados no Hotel La Pietra, o hotel é simples, mas conta com um SPA delicioso e um restaurante incrível (que até o ano passado era indicado pela Michellin, e que apesar da falta de indicação, continua ótimo). Além do jantar imperdível com uma vista panorâmica para o mar, o café da manhã do hotel também merece destaque: era completíssimo, com diversas opções de pães, ovos, cereais e frutas, tinha uma máquina que fazia suco de laranja fresquíssimo. Nós mesmos selecionávamos a laranja, colocávamos na hora e o suco de laranja super doce ficava pronto!

Falando em café da manhã…

Os cafés da manhã nos hotéis da Córsega em geral custam 7 euros e tem aquele estilao delicioso francês: croissant maravilhoso, baguete, manteiga, suco de laranja e café com leite ou chocolate. Uma delícia para começar o dia. (E durante a viagem pela Sardenha ficamos morrendo de saudades dos cafés da manhã corsas). 

Córsega

Padaria caprichada na Córsega: prepare-se para comer pães deliciosos

Dica: Em geral Ile Rousse é um bate e volta comum para quem se hospeda em Calvi que é uma cidade maior ali perto, mas nós gostamos BEM mais da vibe de Ile Rousse e acabamos nos hospedando por lá.

Dia 6: Ile Rouse – Calvi – Porto Ota

Manhã em Ile Rousse

Depois de um café da manhã delicioso com direito a suco de laranja espremido na hora, saímos para desbravar Ile Rousse, e que graça de cidade!

Volta no farol

Nosso passeio começou com um giro pelo farol que tem vistas lindas da região e estava completamente vazio. Em seguida, demos uma passadinha rápida pela praia de Ile Rousse, que também é bem gostosa, mas acabamos não ficando. A praia fica bem ao lado do centrinho da cidade.

Córsega

Vista espetacular do Farol de L’Ile Rousse

Mercadinho de Ile Ruse

Todos os dias pela manhã, bem no centro da cidade, acontece um mercado com produtores locais. Ele fica aberto até o meio dia e foi o nosso preferido da viagem (quase todas cidades corsas tem o seu mercado!). Passeamos pelas barquinhas de comidas típicas, fizemos umas comprinhas e curtimos a deliciosa vibe local.

Córsega

Queijo corsa no Mercadinho de Ile Ruse

Parquinho delícia com o Kike

Encerramos nossa passagem pela cidade brincando no parquinho com o nosso baby que se divertiu muito. Aliás, todas as cidades que passamos tinham ótimos parquinhos para os pequenos, sempre bem localizados!

Partida para Calvi

Depois de muita brincadeira no parquinho seguimos para Calvi, a maior cidade da região, e que assim como muitas cidades da Córsega está dividida entre o porto e uma pequena ciudadela fortificada na parte alta da cidade.

A Cidadela de Calvi

Logo antes de visitar a Citadela é possível parar o carro em um estacionamento na entrada e subir tudo a pé. O caminho é cheio de escadas e rampas e pouco antes da entrada da Cidadela, você terá uma vista bem bonita da cidade. Se preferir, é possível subir uma boa parte do caminho da Citadela de carro.

Córsega

Vista do alto da Cidadela de Calvi

No interior da parte murada – que por sinal é bem sem graça comparada a outras cidades da Córsega está a catedral St Jean Baptiste, e as ruínas da casa onde Cristovão Colombo nasceu (detalhe que nunca foi provado que Colombo realmente nasceu alí, mas isso é motivo de orgulho na cidade).

O Porto de Calvi

De volta ao Porto, Calvi tem um centrinho bem gostoso e muitas ruas fotogênicas, destaque para igreja de Sainte-Marie-Majeure, uma igreja rosada muito simpática, para a marina animada e repleta de restaurantes, e para a Tour de Sel, uma fortificação arredondada do século XIX que está aberta para visitação.

A Praia de Calvi

Nossa próxima parada foi a praia de Calvi, são mais de 8Km de costa, que são beiradas pela linha do trem (que faz o trajeto entre Calvi e Ile Rousse). São poucas as entradas públicas para chegar até a praia, mas, se seguir pela avenida principal da cidade, você consegue ter acesso. O estacionamento fica logo antes da linha do trem, e atravessando a linha você já chega na praia. Essa praia tem uma vista maravilhosa de Calvi e da cidade velha.

Córsega

Praia de Calvi com a Cidadela no fundo

Dica: Para quem curte vinho, um dos passeios mais bem avaliados da região é a vinícola Clos Colombo nos arredores da cidade.

Onde ficar em Calvi

Pra quem pensa em dormir por lá, um boa pedida é o La Villa, um hotel lindo na parte alta da cidade com vistas inspiradoras da região e o Saint-Christophe que fica numa localização impecável pertinho da praia. Nossa ideia inicial era justamente dormir em Calvi, mas como nosso giro pela cidade foi relativamente rápido, decidimos avançar o roteiro e seguir para Porto. Foi a melhor escolha já que a viagem para Porto foi bem mais longa e cansativa do que antecipamos.

Porto Ota

Porto Ota é uma cidade no meio das rochas, e o Golfo do Porto é um dos patrimônios da humanidade segundo a Unesco. O lugar é lindo, mas a estrada para chegar lá é uma verdadeira aventura. A estrada é terrível, são 2 horas serra, beirando o mar e sem guardirreio, numa estrada de pista dupla que mal cabem dois carros.

Córsega

Estrada que conecta Calvi à Porto Ota: Pensa numa aventura

Fomos pela estrada cênica, que é a 81 B, e não nos arrependemos porque a vista era maravilhosa. Eram poucos quilômetros entre Porto e Calvi, porém, como a estrada era super delicada, foram duas horas de vistas deslumbrantes – sem nenhum mirante- mas, que ficamos quase sem respiração de tanta tensão a cada carro que cruzávamos por conta do perigo da estrada.

Córsega

Porto Ota visto da estrada: é lindo!

Maravilhoso, porém BEM perigoso. Sabe aquela curtição tensa em que você fica com a atenção máxima tentando observar quando vem um carro do outro lado da estrada? Vá bem preparado porque de Calvi a Porto há apenas uma cidade pelo caminho. Não há paradas para comer, não há nada!

Chegando em Porto

Porto é uma cidade minúscula que tem uma Marina que vive em função dos passeios de barco. Chegamos cansados e não fizemos muita coisa além de comprar os passeios de barco (a grande razão deste nosso deslocamento louco de 2 horas) para o dia seguinte.

Sobre o passeio de barco:

Depois de pesquisar um pouco sobre os passeios pelo golfo de Porto, ficamos em dúvida entre duas operadoras, a Via Mare e a Alpana.

A Via Mare oferece barcos grandes e confortáveis com cobertura. Os barcos cabem muita gente e os tours custam cerca de 35 euros. Já a Alpana tem barcos menores e portanto oferece tour mais exclusivos. Só que os barcos são pequeninos e o tour é todo sentado (o que pra nós que viajamos com bebê seria praticamente impossível, isso sem falar da falta de uma sombrinha). A grande vantagem da Alpana é que os barcos menores passam por dentro dos rochedos chegando a lugares mais remotos. Os tours são mais caros, mas são a melhor pedida para quem viaja sem crianças. Nós acabamos escolhendo a Via Mare.

Córsega

Girolata – um dos destaques da viagem na Córsega

Dia 7: Porto – Ajaccio

Passeio de barco

O Passeio de Barco da Via Mare é dividido em duas partes (e para nós essa divisão foi sensacional). Na parte da manhã visitamos o Golfo da Girolata com direito a uma parada de meia hora na praia de Girolata, que tem uma vila fofa com direito a farol fotogênico e cafés charmosos. Dali seguimos para o Golfo de Scandola, uma reserva natural com diversas formações rochosas lindas. De manhã tivemos a sorte de pegar o barco bem vazio, então deu para curtir o passeio sem muvuca e andar pelo barco com o pequeno. Este primeiro trecho leva cerca de 2 horas e meia.

Porto Ota

Uma das paisagens de Porto Ota

 

Córsega

Praia de Girolata

Dali o barco retorna para Porto onde fizemos uma parada de uma hora para almoço, e para nós com bebê foi ótimo descer do barco e almoçar num lugar tranquilo e dar um break antes de continuar o passeio. Durante o break,  vale dar uma passadinha no Le Gobi, um café coloridinho e com uma vibe bem gostosa. É a cara da Córsega.

Na parte da tarde fizemos um passeio de uma hora e meia pelos Calanges de Piana – as Calanges são formações rochosas avermelhadas pra lá de bonitas e Piana é uma cidade vizinha a Porto Ota, que dá nome a esse espetáculo da natureza, considerado patrimônio da humanidade pela Unesco.

Córsega

Os calanges são formações rochosas avermelhadas e o contraste com a cor do mar é linda

O barco da Via Mare tem banheiro, sombra e toda estrutura. Porém, como é grande, não consegue entrar em todos os lugares, e como o barco estava bem cheio tirou um pouco o clima do lugar. Ainda assim gostamos da experiência e achamos que apesar do acesso terrível a Porto, valeu o perrengue.

Córsega

Passeio pelos Calanges de Piana

Córsega

Os Calanges formam paredões de pedra avermelhados

Córsega

E as vezes aparecem assim solitários no meio do mar.

Porto a Ajaccio: Paisagens espetaculares

Saindo do passeio continuamos a viagem sentido a Ajaccio, e quer saber? Foi incrível! A estrada por Piana passa pertinho dos Calanges e é uma estrada organizada e repleta de mirantes e pontos de parada.  O contraste entre os calanges avermelhados e o mar azul é surreal de lindo. Depois dessa viagem, ficou bem claro porque os Calanges são considerados patrimônios da humanidade. Passando por Piana, a estrada segue por mais uma parte de serra, porém, o caminho é mil vezes mais tranquilo entre Porto e Ajjacio do que entre Porto e Calvi.

Córsega

Estrada por Piana: passando em meio aos Calanges

Córsega

E olha só a vista do mar

Ajaccio: A cidade de Napoleão Bonaparte

Ajaccio, terra de Napoleão Bonaparte e capital da Córsega, é uma cidade grande para os padrões corsas e um verdadeiro choque para quem cruzou o país passando apenas por cidades menores. Ajaccio tem supermercado grande, tem Burguer King, e tem o principal aeroporto da Córsega.

Para começar, uma dica importante: fique perto do centro para evitar vai e vem de carro porque é uma droga estacionar em Ajaccio, assim quanto menos você mexer no carro, melhor. E antes que eu me esqueça, ao menos que você seja louco por história e queira visitar com calma todos os museus da cidade, uma tarde é um tempo ótimo para conhecer as principais atrações da cidade.

Córsega

Catedral de Ajaccio, a capital da Córsega

O que fazer em Ajaccio

Ajaccio está dividida em duas partes, o centro histórico genôves, um emaranhado de ruas estreitas e construções em tons pastéis, e uma parte moderna com largas avenidas. Para passear muita gente opta pelo trenzinho histórico, o Petit Train, que faz duas diferentes rotas, o circuito Villa (pelo centro da cidade | 7 Euros) e o Circuito Sanguinare (que segue até as ilhas sanguinárias | 10 Euros), o tour é audioguiado em 8 diferentes línguas (infelizmente não há português na jogada, mas o Espanhol da uma bela ajudada pra quem não se vira em inglês ou francês), nós demos um belo giro a pé e ficamos felizes.

O centro histórico de Ajaccio

Começamos explorando o centrinho que é super charmosos e está repleto de restaurantes e lojinhas. O centro de Ajaccio conta com uma fortaleza que serve como base do exército (e portanto não está aberta para visitação), duas casas museu em homenagem a Bonaparte, a Maison Bonaparte (onde Napoleão nasceu e viveu até os nove anos de idade, o Palais Fesch (antiga residência do tio de Napoleão e hoje um museu de Belas Artes), a Catedral de Ajaccio, um edifício alaranjado pequenino, muitas praças com monumentos em homenagem a Napoleão, e o mercado de Ajaccio (Place César-Campinchi) que é outra mercadinho delicioso repleto de produtinhos locais e muitas comidinhas gostosas que fica bem em frente ao porto da cidade. (Os mercados da Córsega em geral são mais caros que os supermercados normais, mas valem a pena pelo passeio e pela experiência. A vantagem de comprar direto do agricultor é poder provar os queijos e embutidos antes de comprar, e assim, você saberá exatamente o que está comprando.)

Um pouquinho adiante está a Place d’Austerlitz, famosa pela estátua de Napoleão no alto de uma pirâmide, e pela caverna onde ele costumava brincar e se esconder quando criança. Dali seguimos para a orla que é bem gostosa de caminhar e tem uma marina bem bonita.

Córsega

Orla de Ajaccio

Onde ficar em Ajaccio

Nós ficamos no Albion, um hotel simples porém bem localizado e o staff do hotel é uma simpatia.

Dicas para quem tiver mais tempo em Ajaccio

Quem tiver mais tempo para explorar a região de Ajaccio pode dirigir até o Pointe de la Parata, onde o mar do mediterrâneo encontra o golfo, esta ponta estreita de terra é marcado por uma torre antiga, a Tour de la Parata, seguida por um conjunto de ilhas, as ilhas sanguinárias (esse nome um tanto quanto estranho vem da coloração avermelhada do solo das ilhas). Este é um dos lugares mais fotogênicos da cidade para assistir o pôr do sol.

E falando em ilhas Sanguinárias, essa é uma das opções de passeio de barco saindo de Ajaccio. Há também passeios mais longos rumo aos Calanges de Piana.

Dia 8: Ajaccio – Bonifacio – Santa Teresa de Gallura (volta para a Sardenha)

A previsão do tempo sinalizava chuva na Córsega e sol na Sardenha e como não tínhamos hotel reservado para essa noite (não faça isso na alta temporada- para referência, viajamos no final de maio, início de junho que é média temporada), decidimos voltar até Bonifácio, pegar o ferry para Santa Teresa de Gallura e dormir por lá. E quer saber? Foi uma ótima pedida, Santa Teresa é uma graça de cidade e é consideravelmente mais barata que Bonifácio (yep, ainda por cima economizamos um bocado).

O Caminho entre Ajaccio e Bonifácio

De volta ao nosso dia, no caminho entre Ajaccio e Bonifácio há pelos menos duas cidades que valem a parada: Propriano que é famosa por sua marina repleta de grandes yates, um centrinho charmoso repleto de boutiques e muitos hotéis bacanas. Propriano fica quase no meio do caminho entre Ajaccio e Bonifácio e é uma base bem interessante para quem quer explorar as praias lindas da região, como a Plage de Lido e a Plage de Campomoro (que fica numa vila pitoresca com o mesmo nome. E Sartène, uma cidade linda, e nossa última parada na Córsega.

Sartène: Uma cidade linda entre Ajaccio e Bonifácio

Sartène é uma cidade de pedra que fica no alto de um morro.. O curioso é que as construções da cidade são feitas com as mesmas rochas do morro deixando tudo com cara de cidade de pedra. Bem bonito! Isso acontece em várias cidades e vilas da Córsega, como Corte.

Córsega

Sartène: Uma cidade linda entre Ajaccio e Bonifácio

Nós demos um giro pelo centrinho, destaque para o Convento de São Damião e para a Praça da Liberação, tiramos um par de voltas e seguimos viagem.

Mais dicas pela região de Sartène

Para quem tiver mais tempo para explorar, Sartène é conhecida pelas águas termais de Bains de Caldene, piscinas termais bem quentes com propriedades dermatológicas, um passeio delicioso para quem quer quebrar o ritmo da viagem e dar aquela descansada, e por vários sitio arqueológicos interessantes como o Plateau de Cauria. A região também tem praias bem bonitas como a Praia de Roccapina e a Praia de Tizzano, e o Museu Casa de Roccapina (uma casa de pedra antigona com vistas espetaculares da região).

Rumo à Sardenha

Dali tocamos para Bonifácio onde pegamos a balsa de volta para Santa Teresa de Gallura para começar a segunda parte das nossas férias: um giro caprichado pela Sardenha!

Nesse caminho entre Ajaccio e Bonifácio cruzamos com muitos ciclistas. A Córsega é bem famosa por agregar natureza e esporte e é uma opção de destino para vários perfis!

E vale a pena visitar a Córsega?

Muito! Adoramos a experiência e curtimos cada pedacinho da viagem! Enfim, 7 dias foi um tempo legal, mas se não fossemos para a Sardenha depois, teríamos ficado mais uns três dias na Córsega para poder curtir mais as praias!


Viaje sem stress

✅ Reserve seu hotel na Córsega 

Faça seu seguro de viagens 

Alugue seu carro


Veja também:


Para ficar por dentro de todas as novidades do Ideias na Mala, siga nosso instagram!

This error message is only visible to WordPress admins

Error: No connected account.

Please go to the Instagram Feed settings page to connect an account.



SOBRE O AUTOR

mari vidigal

Viajante incansável, daquele tipo que no meio de uma viagem já está pensando na próxima, na próxima e na próxima. Apaixonada por fotografia, natureza e vinhos

12 comments

  1. LUCAS 17 agosto, 2019 at 02:01 Responder

    Perfeito! Sempre tive curiosidade de conhecer a ilha de Napoleão e esse foi o relato mais completo que já vi na internet em português sobre a ilha.
    Vc achou a Córsega um local perigoso pros padrões europeus? Dizem que é a região mais perigosa da França. sobretudo por causa da máfia.
    Os corsos são simpáticos com estrangeiros?

    • mari vidigal 18 agosto, 2019 at 18:43 Responder

      Oi Lucas,
      Vou responder pelo meu irmão (autor do post e quem fez a viagem), ele voltou encantado e não se sentiu ameaçado, e olha que viajou com bebê pequeno. Pode ir feliz!
      Beijos e super obrigada pelos elogios.

  2. Cleide Garcia 13 agosto, 2019 at 14:13 Responder

    Amei sua experiência por Córsega, tenho muita vontade de conhecer, e com certeza com o fizer vou dar umas voltas no seu roteiro, pois foi muito legal o seu roteiro.

  3. Kelly 1 março, 2019 at 10:31 Responder

    Olá! Adorei a postagem! Vc poderia me falar sobre o clima? Vi vcs com roupa de manga comprida e o baby Kike de calça…
    Como são os dias? Faz bastante sol?

    • Malu Pinheiro 2 agosto, 2019 at 16:17 Responder

      Eba, ficamos felizes Elizabeth! Continue nos acompanhando por aqui e no Instagram (@ideiasnamala).
      Obrigada e um beijo!

Post a new comment

Veja também