Como tomar vacina contra o coronavírus nos Estados Unidos

Roteiro econômico por Nova York, Miami e Orlando

Um passo a passo para tomar a vacina nos Estados Unidos: da saída do Brasil até a imunização contra o coronavírus em território americano e a volta para casa. 

Inclusive, com detalhes sobre a necessidade de fazer isolamento no México. Este post vai reunir todas as informações para você se vacinar em território americano. 

É seguro se hospedar em hotel na pandemia?

 

Roteiro de Nova York
Vista do Central Park, em Nova York, um dos destinos onde brasileiros podem se vacinar

Se vacinar nos Estados Unidos é permitido?

Sim. O motivo é que em alguns estados americanos estão sobrando vacinas contra covid-19 e, por isso, o Estados Unidos liberaram a imunização de estrangeiros. São vacinas da Moderna, Pfizer e Johnson & Johnson. 

No aeroporto de Miami, por exemplo, há um microfone anunciando em alto e bom tom: “Temos vacinas da Johnson & Johnson disponíveis (dose única) e gratuitas para quem quiser se vacinar agora de forma gratuita”.

E isso vale também para quem entra com visto de turismo e chegou recentemente aos Estados Unidos. Mas é preciso seguir um passo a passo para evitar contratempos e conseguir se imunizar com tranquilidade em território americano.  

Planejamento para tomar vacina nos Estados Unidos

Segundo boa parte dos jornais, os estados norte-americanos que estão imunizando estrangeiros são: Arizona, Louisiana, Texas, Alabama, Califórnia, Colorado, Indiana, Iowa, Michigan, Nevada, Novo México, Ohio, Carolina do Sul, Tennessee, Virgínia e Flórida. 

Obviamente esta lista muda constantemente, mas dois destinos que estão bem posicionados neste sentido são Flórida e Nova York. Em todos os casos, basta apresentar um documento provando ter pelo menos 16 anos de idade. No caso dos brasileiros, o passaporte funciona tranquilamente. 

Outro ponto importante é que não dá para viajar diretamente do Brasil para os Estados Unidos. Sendo assim, você precisará fazer o período de quarentena em algum país onde isso não seja um problema. E pela praticidade, a maior parte dos brasileiros têm escolhido o México como sua parada de 15 dias.  

Ou seja:

  1. Embarca no Brasil
  2. Faz um período de isolamento de 15 dias em um País autorizado a entrar nos EUA, como o México
  3. Embarca para os EUA e toma a vacina
  4. Retorna para o Brasil

Passo 1: Saindo do Brasil rumo à vacina nos EUA

Obviamente, para viajar para o Estados Unidos é preciso ter visto americano –  pode ser o de turismo. Além disso, antes do embarque, será preciso fazer um teste de coronavírus (RT-PCR) antes do embarque. Dá para fazer isso no próprio Aeroporto Internacional de Guarulhos, em um laboratório que fica no Terminal 3. E para seguir viagem, precisará ter resultado negativo, é claro.

Outro ponto de atenção é que, atualmente, brasileiros com visto de turismo não podem viajar diretamente para os Estados Unidos. Então você precisará fazer uma pausa de 15 dias entre Brasil e EUA: a solução é fazer um parada de duas semanas no México para cumprir o período de isolamento exigido pelo EUA.

Passo 2: Isolamento no México para tomar vacina nos Estados Unidos

Como os turistas brasileiros não podem entrar nos EUA em voos diretos Brasil, uma alternativa prática é fazer uma parada de 15 dias no México. O País está aberto aos turistas, inclusive praias, restaurantes e pontos turísticos.

A região mais escolhida pelos brasileiros que vão tomar vacina nos EUA é fazer o período de isolamento em Cancun e Riviera Maya. O destino já está recebendo voos de inúmeras cidades brasileiras por meio das companhias: Copa Airlines, Aeromexico, LATAM e Avianca. E, de lá, comprar o voo para os Estados Unidos.

Lembrando de fazer outro teste de coronavírus antes do embarque – pode ser no aeroporto ou até em muitos hotéis mexicanos, que oferecem ou orientam os hóspedes sobre o procedimento.

Cancun e Playa del Carmen
Punta Sur da Isla Mujeres, na região de Cancun – México

Onde ficar em Cancun e na Riviera Maya

Enquanto estiver no México, vale a pena investir em um bom resort para descansar e, se possível,  passar a maior parte do tempo. Afinal, a ideia é se isolar durante 15 dias e nada melhor que um all-inclusive para isso. Algumas sugestões são:

TRS Coral Hotel | Este all-inclusive é dedicado exclusivamente para adultos. Fica em Cancún, a 400 metros da Praia das Mujeres, e tem uma baita infraestrutura com vários restaurantes e quartos enormes. Tem opção com hidromassagem e até piscina privativa. O hotel ainda adotou várias medidas de segurança, como distanciamento dos hóspedes em áreas comuns, treinamento dos novos protocolos para os funcionários e limpeza com  produtos eficazes contra o Coronavírus.

Turquoize at Hyatt Ziva Cancun | Outro refúgio cinco estrelas exclusivo para adultos. Destaque para as suítes com varanda, banheira de hidromassagem privativa e vista para o mar. Quem quiser ficar exclusivamente na acomodação pode fazer todas as suas refeições lá e ainda contar com serviços de mordomo. 

The Westin Resort & Spa Cancun |  Fica na parte tranquila da Zona Hoteleira de Cancún, é um resort um pouco mais acessível que as opções acima. Os quartos com varanda valem o investimento para quem vai passar a maior parte do tempo em isolamento. A propriedade tem áreas amplas ao ar livre, além de um spa bem disputado pelos viajantes. Além disso, ainda oferece informações dos laboratórios para o teste COVID, inclusive alguns que fazem o teste no próprio hotel.

Casa Kay | Na região da Playa del Carmen, é uma acomadação aconchegante com ar-condicionado, TV,  cozinha compacta (micro-ondas, cafeteira geladeira e torradeira) e banheiro privativo. Se quiser investir um pouco mais, vale optar pelo Estúdio com terraço, mais amplo que as demais opções.

Passo 3: Chegando nos Estados Unidos para se vacinar

Depois de fazer o teste, receber o resultado negativo e embarcar, hora de de de fato chegar aos Estados Unidos para vacina. E, como já comentamos no começo do post, os estados de Nova York e Flórida são as principais alternativas para brasileiros tomarem a vacina contra o coronavírus. Por isso, separamos o passo a passo pensando nesses dois destinos.

Como tomar vacina em Nova York

Recentemente a prefeitura de Nova York anunciou um plano para vacinar turistas nas principais atrações da cidade. Deixei até o print do post no twitter para vocês verem. E o legal é que muitos postos de vacinação da cidade não exigem nem agendamento. É só chegar e vacina, acreditam? 

Dá para ver a lista completa dos pontos para se vacinar contra o coronavírus no site oficial da cidade. A busca é super didática e dá para filtrar por tipo de vacina desejada, disponibilidade e se há necessidade de agendamento, por exemplo. Também dá para colocar um cep como referência e ver os locais mais próximos. Uma dica é colocar o cep do seu hotel como referência.

E ainda sobre os tipos de vacina, lembre-se que as vacinas da Janssen-Johnson são de dose única, o que diminui o tempo da viagem já que você não precisará esperar o período da segunda dose exigida pelos demais laboratórios. 

Empire States Building em Nova York
Empire States Building em Nova York

Onde ficar em Nova York

Artezen Hotel: Fica no distrito financeiro. E, por estar mais afastado da região central, tem diárias com valores bem atrativos para os padrões de NY. 

Park Terrace Hotel: Pertinho do Bryant Park e da Biblioteca Pública de NY. Ele tem um bom custo benefício se levar em conta comodidades como academia e sauna. 

Riu Plaza: Essa é uma boa opção para quem não abre mão de ficar pertinho da Times Square, fica a 400 metros de distância. Os quartos são confortáveis e boa parte das diárias inclui café da manhã.

E depois de tomar a vacina, quem sabe não rola explorar a cidade com nosso Roteiro de Nova York?

Como tomar vacina na Flórida

Na Flórida, rola tomar vacina contra coronavírus na chegada no aeroporto ou até mesmo em lojas. Uma delas Macrobaby, que fica em Orlando (1361 Florida Mall Ave).

No site oficial, informam que não precisa agendar, é só chegar e apresentar o passaporte. Eles garantem, porém, ter um limite de doses por dia

A loja aplica vacinas de diferentes laboratórios, mais especificamente  Pfizer, Moderna (duas doses)  e Johnson & Johnson (dose única). Sem custo e sem dor de cabeça.

Mas também dá para tomar a vacina contra COVID-19 em endereços oficiais do governo na Flórida. Mas fica a dica: melhor ficar em cidades maiores como Miami e Orlando, onde a disponibilidade de vacinas é maior. 

A forma mais segura é se cadastrar em algum dos sites de agendamento, como o CDR HealthProEm pouco tempo eles indicam o local mais próximo do cep indicado (pode ser do seu hotel) e data disponível. Dependendo da demanda, é possível até escolher qual vacina deseja tomar.

Orlando Eye em Orlando
Orlando Eye, a roda gigante de Orlando

Onde ficar em Orlando

Hilton Orlando: Uma junção bem legal de hotel e parque aquático coladinho no complexo da Universal Studios. Uma das nossas opções preferidas da cidade.

Wyndham Orlando Resort & Conference Center: Propriedade com duas piscinas, academia e business center. De quebra, fica pertinho da entrada do Animal Kingdom, no Walt Disney World. 

Marriott’s Cypress Harbour Villas: Mais uma boa opção de resort, com três piscinas. O destaque porém são as acomodações com área de estar, varanda e dois quartos. 

Hyatt Regency Orlando: Este é um resort ótimo para quem viaja com crianças, porque as piscinas têm até toboágua. Fica na  International Drive, perto do Universal Orlando Resort.

Veja aqui todas as nossas dicas de onde ficar em Orlando

Onde ficar em Miami

Four Seasons Miami: Este hotel Art Déco fica diante da Baía de Biscayne.  Além disso, conta com 2 piscinas ao ar livre e aulas de ciclismo e ioga, por exemplo. 

Hampton Inn & Suites: Na região central de Miami, oferece acomodações confortáveis com área de estar e estação de trabalho. 

Mr. C Miami: Tem restaurante, spa, piscina ao ar livre e academia a 500 metros do Cocowalk Shopping Center. 

passo 4: Retorno ao Brasil depois da vacina nos EUA

Para o retorno ao Brasil será necessário realizar um último teste PCR, já que o governo brasileiro o exige para entrada de qualquer viajante, residente ou não. 

Em média, cada teste custa US$100 por pessoa, e sim, se você procurar bem, encontra lugares que realizam testes gratuitos. Mas lembre-se que você deve realizá-lo até 72 horas antes de embarcar.

O último lembrete é: você pode voltar diretamente dos Estados Unidos, ou seja, não há necessidade de parar no México novamente.

Curtiu as dicas? Deixe aqui seu comentário.

Veja também:

Leave a comment