Lassen National Park: saiba como foi a nossa visita

0

No final de semana passado visitamos o pouco explorado, porém maravilhoso Lassen National Park na Califórnia, um parque repleto de caldeirões vulcânicos borbulhantes, montanhas fotogênicas e lagos cinematográficos. Um lugar bacana para quem curte sossego e aventura.

Lassen National Park: saiba como foi a nossa experiência

No post anterior contei um pouquinho sobre o parque com muitos detalhes que vão te ajudar a planejar sua viagem, nesse post descreverei a nossa visita ao Lassen e porque já pretendemos voltar. Vem comigo?

Mirante do Diamond Peak - Lassen National Park

Mirante do Diamond Peak – Lassen National Park

A viagem:

Estou de olho no Lassen faz tempo, primeiro porque era o único parque nacional Californiano que eu não conhecia e segundo porque ADORO o poder e a maluquice das termas vulcânicas. Mas o Lassen fica no BEM no norte da Califórnia, o que em outras palavras significa LONGE pra burro (moro perto de San Francisco) para uma viagem de final de semana, e sempre acabávamos deixando passar. Outra dificuldade de visitar o Lassen é que o parque passa boa parte do ano congelado, o que impedia nossa viagem durante boa parte do inverno e primavera (entenda-se por 90% dos feriados norte americanos).

E finalmente conseguimos visitar o danado! Mesmo sabendo que boa parte do parque estaria fechada (como neva muito nessa região, parte significativa do parque só abre entre julho e outubro) decidimos arriscar e ver o tal do Lassen de perto e combiná-lo com uma viagem ao Monte Shasta, outro lugar que eu estava morrendo de vontade de conhecer.

Roteiro Resumido:

  • Dia 1: Cupertino (perto de San Francisco) – Sussanville
  • Dia 2: Lassen National Park – no final do dia ida para o Mt. Shasta
  • Dia 3: Monte Shasta
  • Dia 4: Monte Shasta – San Francisco

De Cupertino ao Lassen National Park

Saímos de Cupertino sexta feira (véspera de feriado) às 4:00 da tarde. O trânsito tava brabo (pensa que só no Brasil tem trânsito? 🙁 ) e o GPS deu uma volta no planeta para desviar, o que funcionou bem.

Na região de Walnut Creek, o trânsito começou a fechar, então paramos para jantar com calma em um dos restaurantes fofos da cidade. (Como a comida tava MEGA meia boca, não vou recomendar o restaurante). Parar naquele momento de pico, foi a melhor escolha do mundo e praticamente eliminou o trânsito

Depois do jantar seguimos viagem, chegamos em Susanville perto da meia noite. A viagem é longa pra caramba e a desvantagem de faze-la a noite como fizemos, é não ver as visitas maravilhosas do caminho. Salvo a última estradinha – já na estrada do Lassen – que tem curvas fechadas uma atrás da outras, a estrada é ótima e bem fácil de dirigir. Dá fácil para fazer o trajeto a noite.

Mas  vale lembrar que quem puder viajar durante o dia leva de brinde paisagens maravilhosas dos campos dourados da Califórnia e estradinha sinuosas repletas de árvores centenárias.

Primeiro erro de planejamento da viagem: Sussanville fica a cerca de 1:15 de Lassen, olhando no mapa parecia bem mais perto do que isso. Escolhemos Sussanville porque as opções de hotel disponíveis na última hora eram bem melhores que na vizinha e muito mais próxima do parque, Chester. Pena que não valeu a pena. Chester fica a 35 minutos do parque.

Nosso hotel:

Ficamos hospedados no Best Western Trail Side inn que era bem ok. Padrão normal para hotelzinho de estrada Norte Americano. Quarto antigo porém bem limpinho e com um bom café da manhã no restaurante ao lado incluso no diária. A diária custou $140 (que era mais caro que a opção similar em Chester. #Fail)

Um dia no Lassen National Park

Chegamos no Lassen as 8 e pouquinho da manhã e depois de uma parada rápida no centro de visitantes para pegar informações de trilhas e comprar comidas (vale lembrar que o Lassen só tem duas opções de café, uma na entrada e outra na saída do parque, e a distância entre uma e outra é de cerca de uma hora de carro) seguimos para a primeira trilha do dia, a Mill Creek Falls que tem início no próprio estacionamento do centro de visitantes. A trilha tem 2.9 Km (total 6K ida e volta).

Primeira parada: admirar a linda Mill Creek Falls

Trilha para a Mill Creek Falls

Trilha para a Mill

A trilha entre o centro de visitantes e a cachoeira é de nível fácil para moderado, a trilha esta bem demarcada, mas tem bastante sobe e desce. A paisagem é super bonita com direito a centenas de árvores compridas e flores silvestres perfumadas. A cachoeira é maior do que eu esperava, alta e imponente. Valeu a caminhada.

Cachoeira - Lassen Park

Segunda parada: Sulphur works

Sulfur Work's - Lassen 2

De todas as zonas termais do parque, Sulphur Works é a mais acessível e a mais fácil de visitar. A borbulhante “piscina” de águas cor de argila fica na beira da estrada e há cerca de 100 metros do estacionamento. O cheiro de enxofre é forte e a fumaça esbranquiçada constante lembra que o tal do vulcão Lassen continua acordado, e com a corda toda.

Piscina borbulhante em Sulfur Works

Piscina borbulhante em Sulfur Works

Sulphur works me lembrou o parque termal repleto de piscinas coloridas em Rotorua, Nova Zelândia e me deixou morrendo de vontade de conhecer a cereja do parque: O Bumpass Hell.

Terceira parada: Emerald Lake

Saindo de Sulphur works fomos dirigindo devagar e curtindo cada curva e cada paisagem diferente. O Lassen Park é repleto de montanhas fotogênicas cheias de curvas, pontas, picos e muita neve no topo. Uma paisagem típica de inverno Suiço em plena Califórnia. Me diverti parando nos mirantes e fotografando o Mt. Lassen e o Diamond Peak de todos os possíveis ângulos enquanto eles brincavam de esconde-esconde com nuvens gordas e branquinhas.

Lassen National Park.

Conforme fomos ganhando altitude, a natureza deixou seu ar de cachorro dálmata para trás e ganhou uma capa branca intensa de neve. O lago Emerald estava 90% congelado e pregava peças afundando e ensopando os turistas que chegavam perto de mais em busca de uma foto campeã. É amigo, com lago congelado em fim de inverno, não dá para brincar. {E sim, tive que me segurar a beça pra não chorar de rir da dondoca que se ensopou}

Lago Emerald Congeladíssimo

Lago Emerald Congeladíssimo

Lassen National Park. 8

Quarta parada: Bumpass Trailhead

Vista do mirando Bumpass

Vista do mirando Bumpass

Na esperança de avistar mais um pouquinho de atividade vulcânica fomos até o ponto de inicio da trilha Bumpass que ainda estava fechada (Bumpass geralmente abre entre julho e outubro). Não vimos piscina termal e nem fumaça, mas tivemos uma vista maravilhosa do vale com montanhas pontudas no fundo. Valeu a parada.

Lassen Park

 

Quinta parada: Lassen Peak Trailhead

Passamos batido pelo Lake Helen, que também estava lindão e todo congelado, mas com poucas oportunidades para estacionar e seguimos até o ponto mais alto do parque que se chega de carro, o ponto de partida da trilha rumo ao pico do monte Lassen. A trilha é relativamente curta, são 5 Km ida e volta, só que o que pega é o rápido ganho 650 metros de elevação somado a uma grossa e escorregadia capa de neve. Ficamos morrendo de vontade de subir, mas sem grampo nas botas, não dava nem pra pensar.

Turistas brincando com a neve no estacionamento do Lassen Peak

Turistas brincando com a neve no estacionamento do Lassen Peak

Sexta parada: Devasted Area

Mt. Lassen - Devasted Area

Passado o Lassen Peak, a estrada começa a descer, e a altitude a diminuir. Aos pouco surgem os primeiros traços de rochas em meio a branquidão das montanhas, e a neve começa a sumir até desaparecer completamente. Algumas milhas e curvas depois, chegamos a outro highlight do parque, a área devastada pelo Monte Lassen durante sua erupção há exatos 100 anos atrás. Há uma pequena trilha no local mostrando fatos e explicando a devastação causada, começamos a trilha, achamos bobinha e voltamos. A parte mais legal da parada foi ver o Lassen – com sua faixa devastada, e árvores nitidamente menores – bem de pertinho.

Entre Devasted Area & Manzanita Lake, fizemos um paradinha rápida no Crag lake e valeu mega a pena. Olha só que lindo!

O reflexo e as arvores nesse lago me lembram ondas de som.

O reflexo e as árvores nesse lago me lembram ondas de som.

Última parada: Manzanita Lake

Manzanita Lake - Lassen

Dalí seguimos para a última parada do dia, o Manzanita Lake, que fica bem pertinho da saída do parque. Talvez pelo tempo que resolveu fechar, ou pelo cansaço que chegou chegando, achamos o lago menos impressionante que as fotos, mas não dá para negar, que em um dia quente de verão o manzanita – e seus caiaques – são um programa prá lá de atraente. O lago estava repleto de pequenos patos selvagens de coloração esverdeada e tinha como música de fundo o cantar dos passáros. A vibe é deliciosa.

De Lassen à Shasta

A viagem entre Lassen e o Monte Shasta é de 150 Km (cerca de 1 hora e 40). E se você estiver menos cansado do que nós pode aproveitar o caminho e parar nas cachoeiras do McCloud River, Mc Arthur-Burney Falls, Hedge Creek Falls e se aguentar, pode ainda dar uma esticadinha até o Lake Shasta (que não fica na mesma cidade da montanha) mas que é bem bonito.

Cachoeira McCloud, umas das cachoeiras do Mt. Shasta

Cachoeira McCloud, umas das cachoeiras do Mt. Shasta

E vale a pena visitar o Lassen Park?

Lassen National Park

Sem dúvida. O parque é lindo, bem mais vazio e menos concorrido que outros parques nacionais como o Yosemite ou o Sequoias e tem uma diversidade de paisagens espetacular. Adorei o passeio, e digo mais. Bumpass Hell & Devils Kitchen que me aguardem, porque eu volto, e logo!

E ai, se animou em visitar o Lassen?

Alguém ai já foi e quer contar pra nós o que achou?

Veja também:

About author

mari vidigal

Viajante incansável, daquele tipo que no meio de uma viagem já está pensando na próxima, na próxima e na próxima. Apaixonada por fotografia, natureza e vinhos

No comments

Veja também