São Paulo Cultural: rolês para aproveitar o melhor da cidade

2
são paulo centro

Aí vão 10+ rolês incríveis para curtir o melhor da São Paulo Cultural. Um post recheado de boas dicas para quem mora na cidade e quer fazer algo diferente, ou para quem vai visitar São Paulo e quer incluir uma atividade bacana no roteiro. Pronto para curtir São Paulo Cultural?

São Paulo Cultural: 10+ rolês para aproveitar o melhor da cidade

São Paulo cultural: uma cidade em transformação

Como moradora do centro de São Paulo, tenho acompanhado a força das atividades culturais que nos últimos anos vêm mudando a cara da cidade e tornando o espaço público como algo nosso. A ideia é quebrar o paradigma de que a rua é espaço perigoso, ou que serve apenas para ir e vir e transformá-la num lugar para estar e aproveitar. Cada vez mais temos eventos a céu aberto: exibições de filme, festas gratuitas com coletivos musicais, feiras com trabalhos de pequenos produtores, feiras gastronômicas e por aí vai! E o movimento não para por aí não, aos poucos a cidade tem ganhado novas galerias, museus e espaços culturais incríveis!

Com a vibe da cidade mudando, a forma como os turistas enxergam São Paulo também se altera e a tendência é não sermos mais taxados com a categoria de turismo empresarial. Ao poucos São Paulo vai ganhando um novo rótulo e se transformando no mais novo destino cultural brasileiro. 

Sabe aquela máxima de que praia de paulista é shopping? Te convidamos a deixar essa ideia de lá e experimentar outras formas divertidíssimas de vivenciar a cidade. Aí vai uma lista caprichada com nossos rolês paulistanos preferidos, pronto para explorar São Paulo Cultural?

São Paulo Cultural: Dicas incríveis do que fazer na cidade

Curta o Carnaval paulistano

São Paulo Cultural

“Todo carnaval tem seu fim” // Foto: Thaís Carneiro

São Paulo já recebeu o título doloroso de túmulo do samba e viu o seu carnaval de rua definhar, mas de uns anos para cá temos visto uma nova forma de ocupar a cidade e os blocos de carnaval, ou bloquinhos, como nós paulistas gostamos de falar, vieram com tudo.

Temos bloquinhos para todos os gostos e públicos. Aí vão alguns dos meus preferidos: Acadêmicos do Baixo Augusta, um bloquinho tradicional que ganhou tamanha força nos últimos anos, arrastando 1 milhão de foliões pelo centro de São Paulo e agora, tem uma espaço cultural na região, a Casa do Baixo Augusta; a força das mulheres com o tradicionalíssimo Ilu Obá de Min e o Bloco Pagu; os desconhecidos Cordão Cecília, que traz o carnaval das marchinhas de volta, e o Unidos do Swing, que mistura marchinhas com jazz;  os populares MinhoQueens e Sereianos; para quem curte o bom e velho pagode anos 90, não posso deixar de falar do bloco Lua vai.

Opções de carnaval de graça e qualidade não faltam pelas ruas da cidade e por incrível que pareça, em 2018 ultrapassamos o Rio de Janeiro em quantidade de blocos de rua cadastrados, tendo 491 contra 473 dos cariocas.

Veja mais sobre o carnaval paulistano no blog Mulheres Viajantes: O carnaval das mulheres em São Paulo & A nova cara do carnaval de São Paulo.

Praça Roosevelt e arredores

São Paulo Cultural

A praça Roosevelt do alto// Foto: Thaís Carneiro

Conhecida por estar rodeada teatros e bares trazendo o fervo paulistano desde a década de 1980 e por esbanjar um ar de decadência, a Praça Roosevelt sofreu uma reforma no começo da década de 2010, que modificou um tanto o público da região. A especulação imobiliária chegou firme e por pouco companhias teatrais tradicionalíssimas como Satyros e Parlapatões não perderam os seus espaços. São Paulo cultural agradece!

Mais viva do que nunca, a Praça Roosevelt lota quase todos os dias como reduto de skatistas, patinadores, atores, artistas circenses que ensaiam por lá, grupos de amigos tocando violões e outros instrumentos. Uma vibe bem festa de amigos a céu aberto, sabe?

Para aproveitar a vibe recomendo que você assista uma peça no Espaço Parlapatões, no Satyros ou na SP Escola de Teatro. Para comer minha dica é o restaurante colombiano Los Rolos, e para beber recomendo o BAZ – Bar Amigos do Zé, um boteco clássico ou a choperia recém-inaugurada Tap Tap, que trabalha apenas com produtores paulistas.

Escondidinhos na vizinha Nestor Pestana, ficam o café Por um punhado de dólares,em que recomendo o delicioso chocolate quente com paçoca naqueles dias em que você quer aquele abraço apertado, e o Drosophyla Bar, em um casarão restaurado dos anos 20, que te transporta para os anos dourados ao som de jazz e soul.

Como chegar:

Praça Franklin Roosevelt

Se você vier de transporte público, venha de metrô e desça nas estações República, da linha 3 – VERMELHA e da linha 4 – AMARELA; ou Anhangabaú da linha 3 – VERMELHA. A oferta de ônibus por lá é bem grande, pois as linhas que passam a avenida Nove de Julho ou a rua da Consolação, atendem à região.

Paulista aberta aos domingos e feriados

São Paulo Cultural

A banda de rock Picanha de Chernobill em ação // Foto: Denis Negocia

Uma das decisões mais incríveis dos últimos anos foi fechar a Avenida Paulista para os carros e abrir para bicicletas e pedestres aos domingos e finais de semana, assim a Paulista se transformou num dos espaços culturais mais deliciosos da cidade e um verdadeiro convite ao exercício e a música.

A Paulista Aberta fez tanto sucesso, que andar por lá aos domingos e feriados é ver uma grande festa. Você vê pessoas circulando de bicicletas, várias bandas pela avenida, muitos artesãos e artistas com suas barraquinhas.

Por lá é tanta coisa boa para aproveitar que daria um post só para isso, mas elenco alguns lugares imperdíveis como o MASP – Museu de Arte de São Paulo com suas exposições fantásticas; o IMS – Instituto Moreira Salles que além de ótimas exposições, tem um mirante para a avenida Paulista; o Centro Cultural FIESP com uma programação gratuita e shows abertos na própria avenida; o Instituto Cultural Itaú com rodas de conversa e palestras incríveis e a Casa das Rosas, que além de uma programação gratuita ótima, tem uma arquitetura e um jardim de se encantar.

Como chegar:

Utilize o metrô, preferencialmente, por ser mais prático e rápido. Você pode descer na estação Brigadeiro, da linha 2 – VERDE, para chegar na Avenida Paulista, próximo ao bairro do Paraíso. Se quiser chegar já no meio do fervo, desça na estação Trianon-MASP,  da linha 2 – VERDE, próximo ao bairro do Jardins. Por fim, se quiser se colocar na parte da avenida que reúne uma galera mais underground, desça na estação Consolação, da linha 2 – VERDE ou na Paulista, da linha 4 – AMARELA.

Como a avenida estará fechada, vir de carro próprio ou de ônibus não são boas opções, pois uma parte das vias estará fechada para a circulação de pedestres.

Explore a galeria Metrópole

São Paulo Cultural

A livraria Tapera Taperá em um dia de roda de conversa // Foto: Mulheres Viajantes

O centro de São Paulo é repleto de galerias, e apesar de algumas terem caído em desconhecimento do público ou modificado suas características, há muitas galerias bacanas e que merecem ser visitadas.

Uma delas é a Metrópole, que fica na avenida São Luís, e que é super heterogênea. Lá dentro vale visitar a livraria Tapera Taperá, que também funciona como biblioteca e centro cultural com diversos encontros e palestras; os bares Mandíbula (os drinks são deliciosos, não deixe de provar o Mojito) e o vizinho Metropol, que têm festas incríveis e entrada gratuita. Além disso, no térreo também existem restaurantes de comida brasileira, principalmente, nordestinas.

E quer saber o mais legal? Como a galeria Metrópole é voltada para a Praça Dom José de Barros, onde está localizada a suntuosa Biblioteca Mário de Andrade, um oásis para leitores, e o clássico restaurante Paribar, de comida brasileira, você vê uma galera ocupando os dois espaços, pois no térreo, à noite, acontecem rodas de samba lotadas. 

Como chegar:

Endereço: Av. São Luís, 187

Se você vier de transporte público, venha de metrô e desça nas estações República, da linha 3 – VERMELHA e da linha 4 – AMARELA; ou Anhangabaú da linha 3 – VERMELHA. A oferta de ônibus por lá é bem grande, pois as linhas que passam a avenida Nove de Julho ou a rua da Consolação, atendem à região.

Conheça o Matilha Cultural

Já imaginou um centro cultural voltado ao direito dos animais e de minorias sociais? Pois bem, este é o Matilha Cultural, que ainda é um lugar pouco explorado na cidade. O trabalho deles é incrível! Todas as semanas, há uma feira fixa de doação de animais e eles servem refeições para pessoas em situação de rua, que fazem fila por lá. Além disso, o espaço abriga uma biblioteca comunitária, uma cafeteria vegana com um brigadeiro divino, uma sala de cinema pequena que exibe filmes lado B e documentários com entrada gratuita. Um dos meus passeios favoritos é ir ao cinema lá, pois além de não pagar nada, vejo filmes atuais e não enfrento filas paulistanas. #Ficaadica

Como chegar:

Endereço: R. Rêgo Freitas, 542

Se você vier de transporte público, venha de metrô e desça nas estações República, da linha 3 – VERMELHA e da linha 4 – AMARELA; ou Anhangabaú da linha 3 – VERMELHA. A oferta de ônibus por lá é bem grande, pois as linhas que passam a avenida Nove de Julho ou a rua da Consolação, atendem à região.

Veja São Paulo do alto

São Paulo Cultural

Vista do Edifício Itália do alto do COPAN // Foto por Thaís Carneiro

Temos vários mirantes do centro da cidade e alguns já se tornaram clássicos na Paulicéia Desvairada e povoam os cartões-postais, como o Edifício COPAN, o Edifício Martinelli, e o SESC 24 de Maio no Baixo Centro; o Instituto Moreira Salles e o SESC Paulista, na Avenida Paulista. Particularmente, amo a vista do COPAN e a grande novidade da região é a reinauguração do mirante Farol Santander, que se chamava Banespão, e que agora tornou-se uma centro cultural, tendo até mesmo uma pista de skate projetada por Bob Burnquist.

O Farol Santander

O Farol Santander está situado na Rua João Brícola, 24 e funciona de terça a sábado das 9h às 20h e domingo das 9h às 18h. Os ingressos para a visitação custam entre 10 e 20 reais. Porém, dependendo da exposição que você quiser visitar como Os pontos e a vista sobre o escritor José Saramago, a entrada é franca e há a necessidade de reserva de horário. Aproveite que está no coração da cidade e dê um pulo na clássica Casa Mathilde, doçaria tradicional portuguesa, que produz doces desde 1850. Outra indicação é estender a visita ao Pateo do Collegio, o marco zero da cidade.

Informações da visita:

Farol Santander

  • Horários de funcionamento: de terça a sábado das 9h às 20h | domingo das 9h às 18h.
  • Ingressos: entre 10 e 20 reais.

Como chegar?

Endereço: Rua João Brícola, 24

Se você vier de transporte público, venha de metrô e desça na estação São Bento, da linha 1 – AZUL ou na Sé, que corresponde à linha 1 – AZUL e à 3 – VERMELHA.  

Conheça o lado b do Bairro do Bixiga

São Paulo Cultural

Explorando o bairro do Bixiga em São Paulo// Foto: Thaís Carneiro

Bexiga Cultural

O conhecidíssimo reduto de italianos, não só é o local de deliciosas cantinas, mas de uma resistência cultural negra bem impactante na cidade. Lá é o lar da gloriosa escola de samba Vai-Vai, onde você pode acompanhar os ensaios abertos à comunidade aos finais de semana; da Casa do Mestre Ananias que desenvolve a tradicional capoeira de Angola; do costumeiro Jazz na Escadaria do Bixiga que acontece mensalmente aos sábados, na escadaria que conecta as ruas 13 de maio e dos Ingleses.

Se esbaldando no Bexiga Italiano

Por outro lado, você não precisa deixar de visitar o lado italiano do bairro e pode aproveitar para comer na cantina Conchetta, onde o seu dono Walter Taverna dá um show com o bater de panelas. Logo em frente, fica o Centro de Memória do Bixiga, que reúne vários documentos e fotografias que contam a história do bairro. Pode aproveitar também para vir na tradicionalíssima Festa da Achiropita, que ocorre anualmente em agosto, e toma as ruas do bairro com comida boa, farta e barata.

O Bexiga do Rock

Se você é da nação roqueira, também não pode deixar de visitar a região, principalmente da badalada rua 13 de maio, onde ficam os tradicionais bares The Wall, Café Piu Piu, Café Aurora. A galera do samba também não pode ficar de fora e temos o Samba da Treze, às sextas-feiras a partir das 20h, na rua 13 de maio, em frente à Igreja da Achiropita.

E muitas coisa legal

Tido como o point da galera jovem e alternativa da cidade, o Bixiga reúne espaços que vem ganhando visibilidade nos últimos meses, entre eles, a Casa Barbosa, um espaço que você não pode deixar de fora! A casa dos anos 20 abriga rodas de samba e festas regadas a jazz e discos de vinil; o restaurante árabe Al Janiah, conduzido pelo refugiado palestino Hasan Jarif, nascido no Brasil, que promove debates e shows com imigrantes e refugiados árabes e latino-americanos; a Casa Jardim Secreto conduzido pelas mesmas organizadoras da Jardim Secreto Fair, feira de produtores locais pioneira na cidade, que lançou um novo olhar sobre o handmade, trazendo não só uma energia nova ao bairro, mas festas gratuitas e cursos de empreendedorismo criativo

Como chegar:

Se você vier de transporte público, vir de metrô agrega uma caminhada um pouco maior, pois o bairro não é servido de linhas de metrô ainda e existem poucas de ônibus. Você pode descer na estação Brigadeiro, da linha 2- VERDE e ir andando cerca de 15 a 20 minutos até a rua 13 de maio, o coração do bairro.

Um mundo chamado COPAN

São Paulo Cultural

Vista do alto do COPAN / Foto por Thaís Carneiro

Com mais de 5.000 condôminos, o COPAN figura nas páginas do Guiness Book como o maior prédio residencial da América Latina e em seu térreo reúne um tanto de lugares imperdíveis. Para um bom café, você pode aproveitar o tradicionalíssimo Café Floresta, que ocupa o mesmo espaço há 40 anos  e que faz jus às suas raízes com pagamento apenas em dinheiro e serviço no balcão; ou o fofo Magg Café, conduzido por uma família moradora do edifício e dona de uma agência de viagens, que fica ao lado, que tem um chocolate quente italiano dos deuses e boas opções veganas.

Se a sua vibe for comida mexicana, se deixe encantar pelo La Central, que foge do estereótipo tex-mex e apesar das filas, tem um atendimento ótimo e rápido.  Outro queridinho paulistano é o Bar da Dona Onça, em que a comida com cores nordestinas, apesar de saborosa acaba dando pouco espaço aos vegetarianos.

Com uma pegada mais saudável, se destaca o Eco Mercato, com opções veganas e vegetarianas. Para um clássico programa paulistano, pare na padaria Santa Ifigênia para um bom café e croissant de chocolate dos deuses. Por fim,  conheça uma raridade, a videolocadora Vídeo Connection, última remanescente da rede criada em 1985, que conta com DVDs e exemplares em VHS.

Como chegar:

Endereço: Av. Ipiranga, 200

Se você vier de transporte público, venha de metrô e desça nas estações República, da linha 3 – VERMELHA e da linha 4 – AMARELA; ou Anhangabaú da linha 3 – VERMELHA. A oferta de ônibus por lá é bem grande, pois as linhas que passam a avenida Nove de Julho ou a rua da Consolação, atendem à região.

Aproveite a gama de exposições

São Paulo Cultural

O Teatro Municipal de São Paulo visto do alto// Foto: Thaís Carneiro

Depois de bons anos fechada, a Biblioteca Mário de Andrade voltou a ser carta marcada no centro da cidade, um oásis de livros raros que conta com uma programação cultural de respeito, com rodas de samba e chorinho semanais, peças teatrais e exibições de filmes, seguidas de debates.

Museu pouco conhecido pelos paulistanos, a Chácara Lane ocupa espaço na gigantesca rua da Consolação e conta com exposições de arte contemporânea. Como parte do Museu da Cidade, a sua entrada é gratuita. A escondidinha Andreus Galeria, na rua Nestor Pestana, também vale a visita com suas exposições com novos artistas.

Para exposições incríveis, não deixe de conhecer os espaços expositivos do SESC 24 de Maio e Consolação, que trazem elementos de arte e tecnologia também.

Para mergulhar na cultura erudita, não deixe de visitar o Teatro Municipal de São Paulo! Com programações que misturam cultura popular e erudita, balés, óperas e concertos, há sempre sessões gratuitas ou a preços mais acessíveis. Vale falar que o Teatro também está aberto para tours guiados (veja este post lindo do Tô pensando em Viajar)

Por fim, para uma pegada mais histórica, explore o centro velho e vá ao Páteo do Colégio, à Caixa Cultural, ao Solar da Marquesa de Santos, ao Beco do Pinto e ao CCBB, exemplos de mistura do novo e do velho.

Como chegar:

Se você vier de transporte público, venha de metrô e desça nas estações República, da linha 3 – VERMELHA e da linha 4 – AMARELA; ou Anhangabaú da linha 3 – VERMELHA. A oferta de ônibus por lá é bem grande, pois as linhas que passam a avenida Nove de Julho ou a rua da Consolação, atendem à região.

Caso você vá ao centro velho da cidade, desça na estação Sé das linhas 3 – VERMELHA e 1 –  AZUL ou na São Bento da linha 1 – AZUL.

Curta o Minhocão

São Paulo Cultural

Observando o Minhocão sobre rodas// Foto: Thaís Carneiro

Se você achou estranho essa frase é porque está perdendo os novos usos do Elevado João Goulart, que agora estendeu a sua abertura ao público. Nosso Highline brasileiro está na luta para tornar-se um parque e ser fechado definitivamente ao trânsito de carros. Enquanto isto não chega, você pode aproveitar para curtir boas horas de lazer por lá. O espaço é utilizado por skatistas, ciclistas, corredores profissionais e de finais de semana, famílias passeando com os seus pets e por aí vai. Aulas de ginástica funcional e yoga encontram espaço por lá bem como o grupo teatral Esparrama, que traz suas peças infantis para o espaço público, tendo como destaque, “Esparrama pela janela”. Por lá você vai ver até uma galera fazendo photo shooting para marcas jovens.

Como chegar:

Se você vier de transporte público, venha de metrô e desça nas estações República, da linha 3 – VERMELHA e da linha 4 – AMARELA, Santa Cecília, da linha 3 – VERMELHA, Marechal Deodoro, da linha 3 – VERMELHA; ou Anhangabaú da linha 3 – VERMELHA. A oferta de ônibus por lá é bem grande, pois as linhas que passam a avenida Nove de Julho ou a rua da Consolação, atendem à região.

Com este guia completíssimo, não dá pra achar o centro da cidade chato e sem cores, não é? Há opções para todos os gostos e claro, bolsos! Depois de gabaritar este guia, a dica é fazer um bate-e-volta caprichado e explorar as aforas da capital, veja aqui três dicas de bate e volta saindo de São Paulo.

Veja também:


Guarde esta pica no Pinterest!

São Paulo Cultural

 

Para ficar por dentro de todas as novidades do Ideias na Mala, siga nosso instagram!

 

About author

Thais

Historiadora, estuda mulheres viajantes latino-americanas no século XIX. Criadora do projeto Mulheres Viajantes que visa o empoderamento feminino através da publicação semanal de relatos de mulheres que viajam sozinhas e/ou entre amigas e do Mulheres Viajantes vai às ruas, que propõe o encontro destas mulheres para discutir questões caras às mesmas.

2 comments

  1. Olivia 29 maio, 2018 at 19:53 Responder

    Lembrando que agora ja esta aberta a estação Higienópolis Mackenzie, da linha amarela, mais perto da Praça Roosevelt – tb recomendo ir no Tabuleiro do Acarajé, bem pertinho do Minhocão e da Praça Roosevelt.

Post a new comment

Veja também

Bangkok: Um jantar no Sirocco

O Sirocco é uma das coberturas mais tops de Bangkok e um restaurante ao ar livre espetacular. Drinks divinos, comida gostosa e serviço impecável deixaram nossa ...