Como dificultar ainda mais um vôo longo

Voar de avião é um mal necessário para atingir o que eu mais gosto. Viajar. Não sou nenhuma fan de ficar horas sentada numa cadeira minúscula, espremida ao lado de estranhos, mas fazer o que? Enquanto não inventarem o tele-transporte, terei que aguentar as cadeirinhas apertadas com o melhor humor do mundo. Só que as vezes é difícil…

Briga pelo guarda-malas

É difícil quando 70% do avião leva 10x mais bagagem do que deveria e rola aquela briga pelos remotos espaços do guarda-malas. Quer duas experiências antropológicas terríveis? Vôo Avianca saindo de Miami (o da American também é ruim, mas a Avianca bate) ou vôo da Copa saindo do Panamá. Já vi até briga e não foi só uma vez!

É difícil quando seu companheiro de assento chega atrasado no avião e tenta colocar a mala gigante dele em cima da sua mochila. Como obviamente não há mais espaço, ele fica tentando enlouquecidamente espremer o peru no pires. (Cuidado amigo, minha mochila é pequena, mas tem coisa que QUEBRA!)

Desodorante vencido

É difícil quando você senta ao lado de alguém com banho vencido e tem que aguentar o bodum por 12 horas. Bode velho ninguém merece, ainda mais contaminando o precário espaço do avião.

Coleguinha espaçoso

É difícil quando você senta ao lado de alguém espaçoso que ocupa a droga do meiúsculo (vulgo acento do meio) dele e metade do seu. Ninguém merece tentar dormir com um velho te encostando. É de tirar o sono de qualquer dorminhoco de plantão.

Jogador de futebol no banco de trás

É difícil quando você pega alguém desajeitado no banco de trás e a pessoa não para de te chutar. Se for criança até dá para entender ou explicar, mas marmanjo não dá! É de irritar qualquer samaritano.

Trocando gato por lembre

É difícil quando o cara do seu lado, que não fez check-in online – e está na cadeira do meio – quer que você troque de lugar com a esposa dele – também sentada no meio, para que os dois possam viajar juntos. Concordo que viajar junto é maravilhoso, mas infelizmente não vou me espremer 14 horas para você ficar confortável, e pode fazer cara feia que eu não vou mudar. Troco janela por janela e corredor por corredor, mas no meio eu não vou!

Estreando o saquinho branco

É difícil quando alguém enjoa do seu lado, passa mal no saquinho branco e não se dá o trabalho de jogar a droga do saco fora. O saco, mesmo que bem fechado, fede pra caramba. (Taí uma situação que me faz pedir para trocar de lugar, respeito sua sensibilidade com a turbulência, mas respeito ainda mais a minha sensibilidade com o cheiro do vómito alheio.

Bexiga pequena

É difícil quando a pessoa do seu lado te acorda S-E-T-E vezes para ir ao banheiro. Dá muita vontade falar, se você não consegue segurar sua bexiga, porque não sentou no raio da janela?

Falta de respeito T-O-T-A-L

É difícil quando a pessoa do seu lado chegou antes de você no avião e está de pé (com o sapato imundo) em cima do seu banco e do seu travesseiro. Tive que pedir para trocar o travesseiro dela com o meu, sem o menor pudor!

Companhia aérea barulhenta

É difícil quando a companhia aérea não para de passar Duty Free, ou qualquer outra oferta barulhenta que não te deixa dormir direito. Se for Low cost ok, ainda dá para perdoar, mas em caso de vôo longo é o cúmulo da indiscrição.

“Sinto muito mas a massa acabou”.

É difícil quanto a comida que você gostaria de comer acaba bem na sua vez. (Essa lição eu já aprendi, peço sempre comida vegetariana e dessa forma me livro de comer carne feia ou frango branquelo).

Complexo de super herói?

E pra fechar as dificuldades com chave de ouro, é difícil quando o maluco do seu lado resolve levantar e sair correndo do avião – com as portas ainda fechadas – pra tentar alcançar uma conexão incansável. Missão quase impossível pra quem esta nas últimas filas.

E pra você que tava reclamando de um vôo de 14 horas sem nenhum desses inconvenientes. Sinta-se um rei! Tem sempre como piorar! Afinal, como diria o velho amigo Murphy? Por que simplificar se você pode dificultar? E viva o perrengue!

Quem ai já passou por uma dessas (ou por uma pior que essas?)

Planeje sua viagem

Comentários (1)

[…] o segundo vôo beirou o limite do suportável. Sentei ao lado de um senhor espaçoso, que não parava de me encostar. Ele conseguiu ocupar a […]

Deixe o seu comentário