O que fazer em Tokyo: 15+ atrações imperdíveis

0
O que fazer em Tokyo

Saiba o que fazer em Tokyo, a divertida capital do Japão. Uma cidade que combina bairros urbanos e para lá de movimentados com templos lindos que guardam uma paz surpreendente. Tokyo é uma cidade de misturas deliciosas, de sabores mirabolantes e milhões de possibilidades. Neste post dividiremos com você 15 passeios imperdíveis para incluir no seu roteiro pela cidade. Vamos nessa?

O que fazer em Tokyo: 15+ atrações imperdíveis

Vai viajar para Tóquio (ou Tokyo, como dizem os japoneses), você está no lugar certo! Neste post você encontrará um resumo caprichados dos 15 principais pontos turísticos de Tóquio, uma cidade cosmopolita, agitada e lotada!

Tokyo é conhecida pelos mares de gente, pelo empurra-empurra no metrô (basta entrar no trem no horário de rush para participar do movimento! É uma loucura) e pelo clima relaxada dos templos, um mais lindo do que o outro. Cosmopolita, Tokyo combina características puras japonesas, como a hospitalidade, com um toque bem internacional e bem vibrante. Uma mistura gostosa que pode te causar estranhamento em um primeiro momento, mas que certamente irá te cativar.

Para criar nossa lista do que fazer em Tokyo mapeamos os principais bairros da cidade e pontuamos suas principais atrações turísticas. A dica é começar por elas e extrapolar o passeio fazendo pequenas descobertas – restaurantes pequeninos (tem tanto lugar gostoso em Tókyo), e lojinhas descoladas. Com olhos atentos e um pouco de curiosidade você fará descobertas incríveis!

Aí vão os 15 principais pontos turísticos de Tokyo:

E mais:

Se preferir, clique nos itens acima separadamente para ir direto ao ponto.

Conhecer o bairro Shibuya

Shibuya é um dos bairros mais famosos (e movimentados) de Tokyo. É em Shibuya que fica o famoso cruzamento mais lotado do mundo e uma série de shopping interessantes e lojinhas descoladas. Shibuya é o bairro certo para quem quer capturar o lado cool de Tokyo e é um dos meus bairros preferidos para hospedagem, principalmente se essa for a sua primeira vez em Tokyo: ele é agitado, bem servido de linhas de metrô, com bons restaurantes por perto e bastante seguro. Quer pedida melhor que essa?

O cruzamento de Shibuya

O famoso cruzamento de Shibuya não é qualquer cruzamento. Conhecido como “Shibuya Scramble“, ele é o encontro de 8 semáforos que fecham e abrem ao mesmo tempo, formando o maior aglomerado de pessoas atravessando uma rua do mundo são cerca de 2500 pessoas cruzando as ruas cada vez que o farol abre, cerca de 250,000 pessoas por dia, chega a ser surreal. Vale acompanhar o movimento atravessando o farol e, claro, vale reparar nas pessoas (uma mega vitrine de estilos e de diversidade).

O que fazer em Tokyo

Muvuca no cruzamento de Shibuya

Tome um café (para ver a bagunça do alto)

Já cruzou e descruzou as ruas uma par de vezes? Não saia da região, então, sem ver o farol do alto. Há três endereços com vistas privilegiadas do cruzamento: a Starbucks Coffee Shibuya Tsutaya que fica bem em frente ao cruzamento e costuma ser bem disputada, pegue sua bebida preferida e espere vagar um lugar em frente as janelas. Quer uma opção mais caprichada? A dica é o Cafe L’Occitane (2F and 3F Shibuya Eki Mae Biru, 2-3-1 Dogenzaka) – sim a famosa marca de cosméticos franceses tem um café em Tokyo e o menu é bem caprichado. Procure uma mesa próxima a janela e boa diversão! A terceira dica é o Hoshino Coffee (dentro da loja de departamento masculina 109), a vista aqui é lateral, mas a vibe do café é um pouco mais local.

A estátua de Hachiko

Bem em frente a estação de Shibuya há uma praça com uma estátua do cachorro Hachiko que desde a morte de seu dono, em 1925, continuou indo todas as tardes à estação para esperá-lo com fazia habitualmente. Hachiko fez isso durante 10 anos e sua estátua é uma homenagem à fidelidade do animal ao homem. Já assistiu o filme “Para sempre ao seu lado“? Sim, é a história desse cachorro aqui. Mas não se empolgue, a estátua é bem pequena (mesmo)!

Como curiosidade, o corpo de Hachiko está exposto dissecado no Museu Nacional de Ciências.

Lojas de departamento e lojinhas locais

Uma das delícias de Shibuya é passear pelas ruas pequenas que se cruzam e descobrir lojas diferentes e inusitadas. Uma dessas ruas é a Center Gai, ela é fechada para carros e apenas pessoas passam por ali (e algumas pessoas bem exóticas, viu?). Caminhe sem pressa para conhecer essas lojinhas – tem desde aquelas que são ótimas para conhecer as invenções malucas dos japoneses à uma loja especialista em diferentes tipos de preservativos, a Condomania. Outras pedidas bem populares são a MUJI (21-1 Udagawa-cho, Shibuya) tem loja no Brasil e várias nos EUA, mas a de Tóquio é bem mais barata), e a Can Do (36-6 B1F Udagawa-cho, Shibuya), uma loja de 100 Yens (1 dólar) com um sortimento bem lega

E não dá para falar de lojas sem mencionar as lojas de departamento gigantescas e excelentes, uma das minhas preferidas é a Shibuya 109 (2-29-1 Dogenzaka, Shibuya – este edifício é 100% feminino, mas há uma segunda loja focada nos homens onde fica o café com vista do cruzamento) que tem uma seleção sensacional de marcas japonesas top e marcas internacionais. Outra pedida bacana é a Tokyu Hands (12-18 Udagawa-cho) uma loja estreitinha de vários andares que vende produtinhos japoneses, coisas para casas e kits super criativos de “faça você mesmo”. Uma pedida legal para quem quer fazer compras diferentes

Passear pela Omote Sando

Saindo da estação Harajuko-Eki (sentido sul) e seguindo reto, você chegará na Omote-Sando, um Boulevard bem largo em estilo europeu rodeado por árvores dos dois lados. Esta é um das ruas mais luxuosas e caras de Tokyo e a ideia é ser o mais parecida com sua “prima” distante, a champs Élysées de Paris.

O que fazer em Tóquio

Omote Sando vista do alto: Bem diferente do resto da cidade

Comparar Omote-Sando com Champs Élisées é apenas uma brincadeira, mas que foi levada bem a sério pelos japoneses. Isso se reflete nos cafés espalhados belo Boulevard (muitos com nomes franceses) e pelas boutiques disputadas, como a gigantesca Louis Vuitton de 5 andares, Prada, Tod’s, Dior ou a famosa loja de departamento japonês La Foret Harajuku (se você curte moda, vale conhecer) que vende marcas famosas de diversos países e até mesmo peças de Herchcovitch.

Não é só da influência francesa que vive a região, nas travessas da Omote-Sando estão alguns restaurantes gringos famosos, como por exemplo a famosa churrascaria Brazuca Barbacoa (Jingumae, 4 Chome−3−2 ) uma bela opção para quem estiver com muita vontade de comer carne durante a estadia no Japão.

Desbravar Harajuku: um das regiões mais trendy de Tokyo

O passeio começa logo na chegada, a estação de Harajuko é uma gracinha. Ela tem uma arquitetura bem diferente das outras estações de Tokyo e dá um charme especial ao local. Agora, se você cruzar a rua, estará na Vila Madalena de Tokyo: a Rua Takeshita – Harajuku Fashion, uma rua bem estreita e lotada de gente. São milhões de lojas alternativas, todas muito coloridas que valem a pena dar uma olhada! Vá entrando pelas vielas, quanto mais você entrar, mais bacanas e originas as opções serão.

Harajuku

Takeshiya Dori: sente só que animado este pedacinho da cidade

Algodão doce arco-íris

Aproveite sua passagem na região para provar uma das esquisitices mais fofas de Tokyo, um algodão doce gigantesco com as cores do arcos-íris na Totti Candy (Jingumae, 1 Chome−16−5 R). A Marcella do Segredos de Viagem comeu tudinho e ainda arrasou no clique do instagram. A loja também vende cake pops fofíssimos com cara de bichinho.

Cat Café Motcha e Monster Café

Experiências diferentes são a cara de Harajuko, duas das mais populares são o Cat Café Motcha (vários endereços em Tóquio, achei o de Harajuco um dos mais bonitos) onde você pode tomar um café brincando com gatinhos, o ambiente é lindo; e o Kawaii Monster Café que tem um ambiente para lá de colorido e um menu com pratos fofos e ao mesmo tempo monstruosos.

Maisen Tonkatsu

Tonkatsu é a carne de porco empanada japonesa (geralmente servida com arroz, miso shirt, Saldanha de repolho e picles variados) e um dos lugares mais tradicionais para prová-la é o Maisen Tonkatsu (4 Chome-8-5 Jingumae). O Tonkatsu é crocante por fora, macio por dentro e uma verdadeira bomba calórica – que o Gu ama de paixão.

Lattest Omotesando Espresso Bar

E pra fechar a comilança com um cafézinho expresso ou um latter caprichado a dica é o Lattest Omotesando Espresso Bar, um café despretensioso mas com tudo o que uma boa cafeteria deveria entregar. Vá feliz!

Design festa: cultura contemporânea underground

A região de “ura Harajuku” está cheia de paradas interessantes e pequenas descobertas, um desses cantinhos é a galeria Design Festa, uma galeria coloridíssima que serve de show room mais de 50 artistas e com um cronograma de mostras temporárias. Vale entrar para visitar e tomar um cafézinho (tem menu em inglês) ou quem sabe provar um Okonomiyaki (eles dizem que é a pizza japa, mas para mim mais parece uma panqueca no restaurante dos fundos)

Nezu Museum: encontro do moderno e do tradicional

Prefere algo mais tradicional? A pedida é o Nezu Museum uma coleção privada de arte nipônica pré moderna, o edifício é maravilhoso e o jardim (hiper tradicional) do museu é um show a parte.

Lojinhas que valem a parada

A rua em frente a estação de trem de Harajuku tem um monte de lojinhas legais e que valem a parada. Algumas das minhas preferidas são a Oriental Bazaar (com fachada de templo e uma infinidade de presentinho tradicionais), Kiddy Land (loja de brinquedos fofos),  Tokyu Plaza e Omotesando Hills para roupas. Vale sair das rua principal e se enfiar nos becos para descobrir uma infinidade de lojas locais bem diferentes.

Admirar as Harajuku Girls

Uma das melhores maneiras de conhecer a cultura do Japão é mergulhar nela – e uma das opções para isso é ver as Harajuku Girls.  O melhor dia para curtir a experiência é no domingo a tarde, quando garotas vindas de todos os cantos do Japão se concentram em Harajuku para mostrar seus próprios conceitos de moda e posar para fotos. Elas se vestem em estilos diversos e a única regra é criatividade e mente aberta.

As garotas ficam espalhadas pelo caminho que liga a Estação de trem ao Meiji Jingu. Eu diria que é uma experiência cultural um tanto quanto inusitada. Já pensou estar na entrada de um dos lugares mais sagrados e tranquilos de Tokyo e dar de cara com um tsunami de pessoas “fantasiadas” tirando fotos? É, de fato, imperdível!

Que fazer em Tóquio

Harajuku Girls posando para foto – já viram que em termo de roupa vale tudo, né?!

Relaxar no Meiji Jingu

Que tal alguns minutos de sossego e paz profunda? E, para isso, basta caminhar alguns passos e passar pelo Tori (portal de entrada do Meiji Jingu) e vivenciar um dos poucos e raros momentos de tranquilidade em uma cidade tão caótica. Acho que em poucos lugares fica tão evidente a forma como Tokyo consegue combinar o caos e a serenidade a poucos passos de distância.

O que fazer em Tokyo

Entrada do Meiji Jingu: U dos cantos mais serenos de Tokyo

Meiji Jingu é um templo xintoísta. O templo original datado de 1920 foi construído em homenagem ao imperador Meiji a partir da doação de 100.000 árvores do Japão e de outros cantos do mundo que formaram a magnífica floresta que hoje faz parte do complexo. O templo original foi destruído durante o bombardeio na segunda guerra mundial e reconstruído em 1958 com madeira de cipreste. Para chegar ao templo é necessário passar por um lindo túnel de árvores. Confira aqui a minha experiência completa no templo Meiji.

Pendurando a sorte na árvore

Na entrada do templo, você notará uma árvore repletas de papéis amarrados – os japoneses costumam amarrar sua sorte (a sorte é comprada no templo) boa ou ruim na árvore. Caso a sorte seja boa, você pode levá-la para casa, mas se for ruim, você necessariamente deve pendura-la. Alguns templos muito visitados por turistas – vendem sorte em inglês. A sorte custa uns 500 Yens e pendurar papelzinho na árvore é uma experiência bem autêntica

que fazer em Tokyo

Meiji Jingu em Tokyo

Para orar como os japoneses, jogue uma moedinha no caixote de madeira, se recline duas vezes, bata duas palmas, toque o sino (pode tocar com vontade!) e torne a se reclinar um última vez.

Outros destaques: coleção de barris de saquê que fica logo na entrada no templo, uma árvore enorme rodeada de placas de madeira (são pedidos e agradecimentos – talvez você se anime para fazer ou um ou outro); e o jardim do templo (entrada paga) que fica lindo na primavera

Meiji Jingu
Endereço: 1-1 Yoyogikamizonocho, Shibuya City
Horário de funcionamento: aberto todos os dias das 05h às 18h
Entrada: gratuita

Visitar o bairro Roppongi

O bairro é conhecido pela sua vida noturna agitada, mas que guarda muita cultura também. É por lá que estão os museus National Art Center (7 Chome-22-2 Roppongi), o maior museu do Japão e um verdadeiro show de arquitetura e modernidade e o Mori Art Museum, em Roppongi Hills, um museu de arte contemporânea espetacular; e o legal que é que a entrada no museu inclui a subida ao observatório Tokyo City View (ainda não subi na Sky Tree, mas adianto, o Tokyo City view deixa a Tokyo Tower no chinelo). Nos dias claro taí um super lugar para ver o Mt. Fuji de longe.

Roppongi Hills

Aranha Maman de Louise Bourgeois – um dos ícones de Roppongi Hills

De volta a Roppongi (eu adoro a região e sempre que posso me hospedo por lá), a região é jovem, moderna e tem uma das maiores concentrações de Karaoke da cidade (e, como os japoneses adoram soltar a voz, eles estão sempre lotados) Por lá, as salas são individuais então fica aí uma dica de programa diferente: reúna seus amigos de viagem e vá cantarolar em Tokyo. Ah, também é por lá que está o Hard Rock Café Roppongi – se você é daqueles que viaja já procurando onde fica o restaurante, certamente terá de ir ao bairro.

Roppongi também tem um parque urbano no Tokyo City Center (Green and Park) que eu adoro. Se você está viajando com crianças, não deixe de conhecer o parquinho lindo, divertido e com direito a arquitetura moderna.

Que fazer em Tokyo

Um dos brinquedos do Parquinho do Green and Park em Tokyo City Center

No mesmo local, há um jardim japonês com ares modernos e que ganha cores lindas no outono.

Jardim japonês

Jardim japonês em Tokyo City Center

Por último, é em Roppongi que está a Tokyo Tower – um dos melhores lugares para avistar a cidade do alto. Falaremos dela mais adiante

Iluminação de natal em Roppongi

Roppongi tem uma das melhores iluminações de natal de Tokyo e dois cantinhos que merecem destaque durante essa época: Roppongi Hills (na base do edifício Mori Tower ) e a constelação de natal (que beira surreal) criada em Tokyo Midtown.

Percorrer o Shinjuko

O bairro é o coração financeiro de Tokyo – bem movimentado e com muita coisa bacana para ver e fazer. É por lá que está a famosa escultura LOVE do artista americano Robert Indiana. Se você é do tipo de viajante que coleciona cliques ao redor do mundo ao lado do monumento, certamente terá que ir até Shinjuko. Ah, quer outra atração que não fica de fora dos turistas em Tokyo? A cabeça do Godzilla no topo do Shinjuku Toho Building, um prédio com restaurantes e várias salas de cinema. Pela região, é possível ouvir de tempos em tempos sons do Godzilla por caixas instaladas nas calçadas. Veja aqui um roteiro completinho de 1 dia em Shinjuko.

Shinjuko

A cabeça do Godzilla em Shinjuko | Foto: Andy Grams

Shinjuku Gyoen

Se estiver viajando na mesma época que a floração das cerejeiras (geralmente em meados de abril), não deixe de visitar o Shinjuku Gyoen National Garden . Bem em frente da saída da estação Shinjuko (lado South ou New Exit) fica o jardim botânico. Ele possui três jardins diferentes (o francês, inglês e japonês) que valem a visita.

Shinjuku Gyoen National Garden
Endereço: 11 Naitomachi, Shinjuku City
Horário de funcionamento: aberto de terça a domingo das 09h às 16h40
Entrada: 500 Yen

Kabukicho

Kabukicho é o maior distrito de entretenimento de Tokyo – e super alternativo também! Por lá você encontrará um pouco de tudo: restaurante com garçons robôs, casa para fazer massagens, karaokês super divertidos e lojas para comprar de tênis à lembrancinhas. A região ganha ainda mais vida após o anoitecer.  Apenas atente-se que essa também é uma área com diversos motéis e casas eróticas, rs.

Golden Gai

Não quer errar em Kabuchiko? Então vá direto para Golden Gai. Essa é uma região que os japoneses adoram ir após o trabalho. Golden Gai é uma pequena área do distrito de Kabukicho (que falamos acima), um espaço incrível para quem gosta de cerveja e aperitivos, mas não estranhe o tamanho dos bares. Por aqui, eles são bem pequeninos e com poucos lugares, então é ótimo para você bater papo com um local e conhecer a cultura verdadeira deles (desde que o local fale inglês, claro). As ruas são estreitas e repletas de tabernas japonesas. Opte por aquelas que possuem alguma placa na entrada inglês, já é um sinal de que lá os turistas são bem vindos. Os preços por aqui costumam ser um pouco mais altos, mas vale a pena para experimentar uma autêntica vida noturna em Tokyo.

Tokyo Metropolitan Building

O Tokyo Metropolitan Building é um ótimo lugar para observar Tokyo do alto. É nele que está a sede do Governo Metropolitano de Tokyo. O prédio tem 48 andares e conta com duas torres e um observatório no 45° andar a cerca de 202 metros de altura. Escolha um dia com céu aberto e vá sem medo. O melhor de tudo? A subida é gratuita!

Tokyo Metropolitan Building
Endereço: 2 Chome-8-1 Nishishinjuku, Shinjuku City
Horário de funcionamento: de segunda a sexta das 08h30 às 17h
Entrada: gratuita

Loja Don Quijote

Uma loja com todas as maluquices e doces japoneses que você poderá encontrar. Não entre se não estiver disposto a perder pelo menos uma hora olhando as prateleiras e experimento todos os doces possíveis. É um passeio bem divertido!

Don Quijote Shinjuku
Endereço: 1 Chome-16-5 Kabukicho, Shinjuku City
Horário de funcionamento: todos os dias 24h

O Distrito de Ginza

Ginza é o mais famoso centro comercial de luxo da cidade, com inúmeras lojas de departamento, boutiques, galerias de arte, restaurantes, boates e cafés. Bem próximo da Estação de Tokyo, o bairro é considerado super chique e pedida certa para os amantes de moda e boa gastronomia – mas com opções de hotéis para todos os bolsos.

Por lá, vale a pena conhecer a Chuo-Dori, a principal rua do bairro que conta com lojas como Chanel, Louis Vuitton e Coach (aos domingos a rua fecha para carros, tornando o passeio para pedestres muito mais bacana), o Ginza Wako (4 Chome-5-11 Ginza) que é o prédio cartão-postal da região e o Teatro Kabukiza (4 Chome-12-15 Ginza), o mais importante teatro do genêro Kabuki do Japão.

Templo de Asakusa

Sensōji, também conhecido como templo Asakusa, é um desses cantinhos especiais que te fazem esquecer o caos e agito de Tokyo e experimentar uma cidade quase mística. Belo, imponente e sagrado, o Asakusa é um passeio para quem quer ver de perto o Budismo Japonês em um dos templos mais interessantes do Japão.

O que fazer em Tokyo

Templo Sensōji em Asakusa

Asakusa é o templo budista mais antigo de Tokyo e, apesar de ter sofrido com os bombardeios da segunda guerra mundial e ter sido parcialmente, ele ainda conserva muito de sua beleza e estrutura original. Além do título de mais antigo, o Asakusa é também o templo mais lindo da cidade. Um templo vermelho e branco, com as maiores lanternas japonês que já vi e detalhes arquitetônicos especiais. Preste atenção nos detalhes, eles vão te surpreender.

Destaques da visita: Kaminarimon (a porta de entrada do templo), Nakamise (um lugar espetacular para fazer compras), o calderião de incenso lindíssimo do templo e, claro, o interior. Confira aqui a minha experiência completa no Templo Asakusa.

Saindo do templo, aproveite para se aventurar pela parte antiga de Tóquio e desbravar os encantos de Asakusa. Há muitos restaurantes baratos na região.

O Prédio da cervejaria Asahi (um edifício dourado diferentão) e o observatório Tokyo Sky Tree fica bem pertinho do templo (compre o ingresso antecipado com desconto); se tiver pique emende o passeio com um trechinho de barco pelo Rio Sumida rumo a Odaiba.

Tokyo

Edifício da cervejaria Asahi e observatório Tokyo Sky Tree

Templo de Asakusa
Endereço: 2-3-1 Asakusa, Taito-ku
Horário de funcionamento: aberto todos os dias das 06h30 às 17h
Entrada: gratuita

Fazer um passeio de Rickshaw

A parte antiga de Tokyo também é muito bacana de se aproveitar? E que tal um passeio de Rickshaw (a tradicional carruagem japa puxada por uma pessoa- e ele corre durante o passeio). O programa não é dos mais baratos, mas é super bacana, especialmente se você der a sorte de pegar alguém que fala inglês (e comprando online suas chances são maiores) para te dar boas explicações locais.

O que fazer em Tokyo

Motorista de Rickshaw na região de Asakusa – esse passeio é um charme e a cara do Japão

Por lá, o preço médio para meia hora de passeio (e pode esquecer que não tem negociação) é 8000 Yens (cerca de 80 dólares) para duas pessoas ou 5000 Yens (cerca de 50 dólares por pessoa). Comprando antecipadamente, você tem um belo desconto. Este passeio, por exemplo, percorre o bairro de Asakusa em opções de 30 minutos até 1h30 – o valor mais em conta sai por U$44 por pessoa.

Dica: se você também vai para Kyoto, deixe o passeio para fazer lá que é bem mais autêntico!

Passeio de barco para Odaiba

Odaiba é uma ilha artificial bem próxima de Tokyo, um lugar bem popular entre os estrangeiros (o Hilton tem um de seus hotéis aqui) e um dos cantinhos preferidos dos jovens que amam sua imensa área a beira-mar repleta de atrações divertidas incluindo shoppings, restaurantes, museus e parques. Odaiba também é visitada por muitos casais apaixonados já que seu “Marine Park” é considerado um dos lugares mais românticos de toda a cidade! Lá também está a estátua da liberdade tamanho miniatura de Tokyo. Veja neste outro texto o que fazer em Odaiba.

Odaiba

Rainbow Bridge vista de Odaiba| Foto: Andress Grams

É de Asakusa que saem os barcos para Odaiba. O passeio passa por várias pontes, entre elas a Rainbow Bridge, e é uma forma interessante de ver a arquitetura da cidade. O transporte pode ser comprado na hora em Asakusa. Se quiser algo mais especial, há um cruzeiro com duração de 3h que inclui um jantar caprichado com 10 pratos típicos japoneses. O valor é U$124 por pessoa.

Visitar os Jardins do Palácio Imperial

Desde o final da segunda guerra mundial e a formação da constituição do Japão, o país tornou-se uma monarquia constitucional, ou seja, o poder está concentrado nas mãos do primeiro ministro e de outros membros o Parlamento Nipônico. Ainda assim, o Imperador continua tendo um papel simbólico importante e é visto como o “símbolo do Estado e da unidade do povo”. O Palácio Imperial de Tokyo ou Kokyo (como é conhecido) é a residência oficial da família imperial nipônica e fica no coração da cidade, a cerca de dez minutos da Tokyo Station. O complexo é gigante e está repleto de jardins, dois deles abertos ao público e lindos de visitar.

O que fazer em Tokyo

Kokyo, o palácio imperial de Tokyo

A parte externa dos Jardins

A visita aos jardins externos do palácio imperial começa com um exército de pequenos pinheiros cultivados com a técnica do Bonsai. São centenas deles, um mais bonitinho que o outro. Ao lado há dois lagos repletos de cisnes. Continuando a caminhada (mais uns 5 minutos no máximo), você chegará ao cercadinho que delimita a área fechada ao público e aberta a família imperial. Aqui você poderá ver uma pontinha do Palácio Imperial Japonês e as entradas do castelo.

Tōkyo Higashi Gyoen: os jardins internos abertos ao público

Além da parte externa descrita nos parágrafos anteriores, o Palácio tem um bosque interno e ruínas de um castelo que um dia foi o maior do Japão, ambos abertos ao público. A região foi no passado um dos lugares de defesa mais íntimos do Castelo de Edo, que era a residência de Tokugawa, que governou o Japão de 1603 a 1867. O imperador Meiji também residiu por lá de 1868 a 1888 antes de se mudar para o Palácio Imperial. Atualmente, não há nenhuma construição que tenha restado da época, apenas ruínas e paredões para se admorar.

É possível visitar o interior Palácio Imperial de Tokyo?

O palácio é aberto ao público apenas duas vezes por ano, 2 de janeiro (dia das saudações de ano novo) e 23 de dezembro (o aniversário de imperador). Nesses dois dias os visitantes podem caminhar por todas as áreas do palácio e ver a família imperial que faz algumas aparições na varanda enquanto os milhares de visitante acenam com bandeiras do Japão.

Palácio Imperial
Endereço:
1-1 Chiyoda, Chiyoda City,
Horário de funcionamento: aberto de terça a quinta, sábados e domingos das 9h30 às 16h30
Entrada: gratuita

 Visitar a Dieta Nacional de  Tokyo

Aqui é onde a atividade política do Japão toma forma. O prédio fica localizado no centro de Tokyo e abriga a Câmara dos Deputados e a Câmara dos Vereadores. É possível fazer um tour guiado pelas acomodações do prédio de segunda a sexta e de forma gratuita. No passeio, você pode conhecer a Galeria Pública, a Sala do Imperador, a Sala da Família Imperial, o Salão Central, o Pátio da Frente e alguns outros cantinhos importantes para a política do país.

O que fazer em Tokyo

Fachada do Tokyo Diet Building

Nos dias em que uma sessão plenária é realizada, nenhum visitante é admitido uma hora antes da abertura da sessão até o encerramento da sessão.

O prédio levou 17 anos para ser constrúido e foi concluído em 1936. O local apresenta extensos murais que retratam as quatro estações do ano e elegantes vitrais. Em 1918 foi feito um concurso de desenhos para decorar o prédio. O vencedor foi o japonês Watanabe Fukuzo e é ai que começa a confusão. O primeiro piso foi feito com base nesse desenho, mas o teto e os andares superiores seguiram o desenho do arquiteto que tinha ganho o prêmio de terceiro lugar, o japonês Takeuchi Shinshichi. Dizem que essa mistura foi feita para refletir o modernismo combinando influências europeias e asiáticas.

National Diet Building
Endereço: 1 Chome-7-1 Nagatacho, Chiyoda City
Tour: gratuito, de segunda a sexta das 08h às 17h. Basta se direcionar à recepção (duração de 60 minutos)

Ver Tokyo do alto

Há três boas opções para quem quer ver Tokyo do alto: Tokyo Tower (o observatório mais antigo da cidade), Tokyo City View (em Roppongi) e o Tokyo Sky Tree (o edifício mais alto da cidade e o segundo mais alto do mundo).

Tokyo Tower

Se Tokyo já é especial, ver a cidade de cima é ainda mais. Na cidade, há diversas opções para observar a movimentação do alto e talvez a mais conhecida dela é a Tokyo Tower. Com 330 metros de altura a torre de Tokyo tem como principal finalidade transmitir o sinal das maiores redes de TV nipônicas, mas além disso é um dos principais pontos de observação de Tokyo com uma bela vista da cidade.

Tokyo Tower

Tokyo Tower vista de Roppongi

A torre foi aberta em 1958 e por incrível que pareça tem 12 metros a mais que sua famosa irmã parisiense, a torre Eiffel cujo formato serviu de inspiração para essa. Com cores vermelho e alaranjada por exigências da aeronáutica (sim, os japoneses são verdadeiros maníacos por segurança), você verá a torre de longe e de qualquer ponto da cidade!

A vista do observatório é bem bonita, em um dia claro dá para ver a cidade todinha, o que inclui até lugares mais longe como a Disney de Tokyo e o famosíssimo Monte Fuji. A torre tem dois observatórios – e atenção porque as entradas são vendidas separadamente – um com 150 metros e altura e outro com  250 metros.

Tokyo Tower
Endereço: 4 Chome-2-8 Shibakoen, Minato City
Horário de funcionamento: aberto todos os dias das 09h às 23h
Ingressos: 1,200 Yen (U$12, mirante com 150 metros) e 3,000 Yen (U$28, mirante com 250 metros) | confira os preços atualizados no site oficial

Tokyo City View

Localizado no 52º andar da Torre Mori de Roppongi Hills, este observatório tem uma impressionante vista panorâmica de 360 ​​graus de Tokyo. O deck de observação na parte interna do prédio possui uma tecnologia super bacana chamada Sky Gallery, um espaço de galeria distintamente urbano, com qualidade de museu e projetado para sediar eventos e exposições. Já o Rooftoop, na cobertura ao ar livre, oferece vistas ainda melhores com o bônus do ventinho no rosto. É um ótimo lugar para ir a noite – além da vistas para a cidade, você terá um céu estrelado sobre sua cabeça.

O que fazer em Tokyo

Tokyo vista do alto do City View – Olha só que lindo o edificio moderno do Museu Nacional visto lá do alto.

A melhor parte da visita é a chance de curtir um pôr do sol especial com vistas do Monte Fuji (claro que o tempo tem que ajudar!)

O que fazer em Tokyo

Por do sol (e Mt. Fuji) vistos de Tokyo City View

Ah, vale dizer que o preço do ingresso inclui a entrada no excelente Museu de Arte Mori de arte contemporânea. Vale conhecer também!

É neste prédio que está também o Roppongi Tenmon Club, um clube de astronomia que, de tempos em tempos, realiza atividades no deck de observação, como festas para observação de estrelas e seminários de astronomia com especialistas. Qualquer pessoa pode participar dos eventos propostos por eles, basta ficar de olho no calendário oficial do clube. Aliás, toda última sexta-feira do mês acontece o “Roppongi Tenmon Club Day”, onde são realizados seminários sobre notícias astronômicas e comentários sobre o céu noturno do mês seguinte.

Tokyo City View
Endereço: 6-10-1 Roppongi, Minato-ku
Horário de funcionamento: de segunda a quinta das 10h às 23h e sexta e sábado das 10h às 24h
Ingressos: 1,800 Yen (U$17) (ingresso dá direito a entrada ao Mori Art Museum)

Torre Sky Tree

O que fazer em Tokyo

Sky Tree vista de Tokyo City View – Reparem que ela é BEM mais alta do que todos os outros edifícios da cidade

A Tokyo Sky Tree tem 634 metros e é a nova torre de TV de Tokyo. Ainda não tive chance de visitar, mas a vista deve ser bacana. A torre é uma revolução arquitetônica e se tornou a maior torre de transmissão de TV do mundo. Reconhecida pelo Guiness Book também como a segunda torre mais alta do mundo (fica atrás apenas do icônico arranha-céu Burj Dubai), ela foi construída para melhorar os sinais de rádio e TV que antes eram operados pela Tokyo Tower.

Ela foi inaugurada em 2012 e o nome foi escolhido a partir de um concurso organizado pelas seis empresas que lideraram o projeto de sua construção. A mulher que deu a ideia do nome “Sky Tree” também foi a primeira visitante na torre.

Tokyo Sky Tree
Endereço: 1 Chome-1-2 Oshiage, Sumida City
Horário de funcionamento: aberto todos os dias das 08h às 22h
Ingressos: U$18 (preço com desconto para comprar antecipado) | confira todos os preços no site oficial

Mercado de peixes em Toyosu (antigo Tsukiji)

Muita atenção quando for visitar esta atração! Desde outubro de 2018, o tradicional mercado de peixes mudou de endereço. A área, que ocupou um antigo depósito em Tsukiji por mais de 80 anos, mudou para uma ilha artificial na baía de Tokyo, a 2,3 km de Tsukiji. Na época da reinauguração, Yuriko Koike, a prefeita de Tokyo, afirmou: “Toyosu vai prolongar a tradição de Tsukiji, oferecendo uma higiene de alto nível”.

O que fazer em Tokyo

Leilão de Atum no mercado de peixes de Tóquio

Embora a grande mudança tenha acontecido, a tradição japonesa permanece. O mercado recebe cheffs de todo o mundo e vende 1.628 toneladas de pescados por dia. Ali, são vendidos mais de 400 tipos de frutos do mar que vem de diversas partes do Japão. O destaque ficava por conta do “leilão de atum”, momento em que a iguaria é leiloada – o maior lance até hoje foi de US$ 38 mil.

Entretanto, neste novo espaço, o leilão não pode ser acompanhado pelo público geral (que acontece todos os dias às 04h30 da madrugada). O que é possível hoje é apenas uma visita rápida das pessoas que se inscreverem para isso. São aceitos até 120 visitantes por dia em turnos de 10 minutos. Se quiser muito acompanhar o leilão, se inscreva no site e siga as instruções por lá.

A visitação do mercado é gratuita e por lá existem diversas opções gastronômicas (cerca de 40 restaurantes ou barraquinhas que servem pratos típicos fresquíssimos. Quem voa do Brasil direto para Tokyo sem escala no caminho pode incluir este passeio na primeira noite e transformar o Jetlag (há grandes chances de você acordar no meio da noite) em diversão.

Toyosu Market
Endereço: 6 Toyosu, koto-ku | não há estacionamento por perto, vá de metrô e desça na estação Shinkotsu Yurikamome Shijo-mae
Horário de funcionamento: todos os dias das 05h às 17h
Entrada: gratuita

Akihabara (paraíso dos eletrônicos e cafés)

Akihabara era conhecida como o melhor lugar do Japão para comprar eletrônicos, hoje em dia os preços não são tão bons assim, mas Akihabara continua tento muitas lojas de bugigangas eletrônicas e se tornou um redutor de gamers e apaixonados por quadrinhos em Manga.

Akihabara

Akiharaba em Tokyo

Hoje, muitas lojas são dedicadas a cultura japonesa, como o anime e mangá. Juntamente com isso, surgiram – e alguns até temáticos onde os funcionários se vestem como personagens de filmes, ou como funcionarias domésticas (os Maid Cafés são mega populares por lá e há dezenas deles na região).

Akihabara

Os Maid Cafés são uma febre na região: você certamente verá alguém fantasiado por lá!

Museus em Tokyo

Tokyo tem museus incríveis e minha dica é escolher 1 ou 2 para encaixar na sua programação pela cidade. Ai vão os melhores museus de Tóquio.

teamLab Borderless – Aomi

O Museu de Arte Digital de Tokyo é super colorido e interativo. Com diversos projetores digitais, as obras são expostas nas paredes, pisos e tetos e reagem aos movimentos dos visitantes. São mais de 10 mil metros quadrados de espaço e cerca de 60 obras – divididas em 5 regiões diferentes. Por aqui, as obras são vivas e toda vez que você entrar em uma sala, terá uma nova experiência.

teamLab Borderless – Aomi
Endereço: Japão, 〒135-0064 Tóquio, Koto City, Aomi
Horário de funcionamento: de segunda a sexta das 10h às 19, sábado, domingos e feriados das 10h às 21h
Ingressos: 3,200 Yens (U$30) | compre antecipadamente pelo menos valor e evite filas

Edo Jidai Museum

O museu conta um pouco da história de Tokyo – em inglês – ao longo dos séculos e de como a cidade foi destruída e reerguida tantas vezes. É bem impressionante para nós que vivemos em um país bem pacífico e sem grandes inimigos naturais (nada de vulcões, nada de terremotos e nem tsunamis). A visita começa pelo prédio que, por si só, já é um show! Recomento fortemente.

Edo Jidai Museum
Endereço: 1-4-1 Yokoami, Sumida-ku, Tokyo
Horário de funcionamento: de terça a domingo das 09h30 às 17h30
Ingressos: 600 Yen (U$6)

Museu Nacional de Fotografia

Para quem gosta de fotografias e tem um pouco de curiosidade de entender mais sobre o Japão do passado versus o Japão atual, o museu de fotografia é um ótimo programa. Ele não é muito grande e em pouco mais de uma hora você consegue percorrer com os olhos sobre a história do Japão. O museu fica no lindo complexo de Ebisu, que por si só já é um passeio.

Tokyo Photographic Art Museum
Endereço: Yebisu Garden Place
Horário de funcionamento: de terça a domingo das 10h às 18h
Ingressos: variam conforme a data 

Museu da Cerveja Yebisu

Se for até lá, vale a pena visitar também o Museu da Cerveja que fica logo ao lado. A cerveja Yebisu é uma das mais famosas e antigas do Japão. O museu conta um pouco da historia da fábrica de cerveja que antigamente ocupava o local e é bem interessante para os apreciadores de uma boa cerveja, especialmente porque depois da exposição (que é gratuita) você terá a oportunidade de degustar a cerveja mais barata de Tokyo: 200 yens cada copo (cerca de U$2). A partir de maio de 2019 eles passaram a oferecer tours em inglês (o que facilita bastante, né?) a cada 50 minutos. O museu da cerveja funciona de terça a domingo das 11h às 19h.

National Art Center

O Centro Nacional de Arte de Tokyo foi inaugurada em 2007  e é uma bela pedida para quem curte até mesmo arquitetura moderna. Projetado por Kisho Kurokawa, a estrutura de vidro onde está o museu é o maior espaço de exposições do Japão. Por lá você sempre encontrará novidades, já que não conta com coleções permanentes, apenas exposições temporárias. O museu também conta com uma casa de chá que, pelas avaliações dos turistas, parece o máximo.

Que fazer em Tokyo

Fachada moderna do National Art Center – espere só até ver a casa de chá de vidro no centro do edifício

National Art Center
Endereço: 7 Chome-22-2 Roppongi, Minato City
Horário de funcionamento: aberto todos os dias das 10h às 18h (às sextas encerra às 20h) | fechado às terças
Ingressos: os preços variam conforme as exposições vigentes, confira na bilheteria do local

Mori Art Museum

Como falamos acima, o Mori Art Museum é uma bela pedida – ainda mais que seu ingresso está incluso na subida à Tokyo City View. Aproveite a dobradinha para conhecer dois pontos turísticos de uma vez só.

Mori Art Museum
Endereço:
6-10-1 Roppongi, Minato-ku
Horário de funcionamento: de segunda a quinta das 10h às 23h e sexta e sábado das 10h às 24h
Ingressos: 1,800 Yen (U$17) (ingresso dá direito a subida na Tokyo City View)

Ueno Parque: Museus e cerejeiras

Bem pertinho da estação Ueno do Metro, fica o Ueno Parque – um dos mais antigos parques públicos do país. Com muitas cerejeiras espalhadas pelo seu espaço (quem vai a Tokyo na época das cerejeiras precisa incluir este passeio na lista), as atrações do parque chamam milhares de visitantes todos os dias. Em seu interior há diversos museus, jardins, templos e até mesmo um Zoológico de Tokyo. A entrada no parque, em si, é gratuita, mas os museus são pagos.

Tokyo

Ueno Park

Alguns museus que já visitei são o Tokyo National Museum (Museu Nacional de Tokyo) – um museu de arte antiga com muitos objetos religiosos; Tokyo Metropolitan Fine Art Gallery (que volta e meia recebe exibições boas de artistas internacionais) e o  Shitamachi Museum (um museu pequenino com explicações parcialmente em inglês que mostram como era vida antiga no Japão. Vale Apoena para quem tem muita curiosidade em cultura nipônica).

Atrações em Tokyo no mapa:

Veja todas as dicas do que fazer em Tokyo sinalizadas no mapa:

Transporte em Tokyo

Se você passará por outros lugares do Japão, além de Tokyo, vale investir no JR Pass. Ele é um passe de transporte que precisa ser comprado antes da sua chegada no Japão e que te dá direito a usar todo os sistema de transporte da linha JR (trens-bala, trens convencionais, ônibus, balsas e até teleféricos). Há passes de 1 ou 2 semanas e, apesar do preço (valores a partir de $272 por pessoa) parecer caro, ele faz todo o sentido para quem vai viajar pelo Japão.

Dentro de Tokyo, existem outras opções, como o Tokyo Free Kippu (você não precisa ativar o seu JR pass em Tokyo, deixe para ativar somente na data da sua viagem longa) – um passe ilimitado de metrô que custa R$44 por dia.

Onde ficar em Tokyo

Escolher o melhor lugar para se hospedar em Tokyo é um fator que depende do seu estilo de viagens e do seu budget. Para mim, o fator mais relevante na hora de escolher o seu hotel é a proximidade com o metrô.

O bairro de Shibuya é uma das melhroes regiões para hospedagem dos que vão para Tokyo em uma primeira vez. Aqui você encontrará shopping animados (com lojas japonesas descoladas). restaurantes bacanas e o mais importante: fácil acesso as linhas de metrô e JR. Shibuya é uma pedida estratégica e divertida de hospedagem e um bairro bem seguro e com comércios abertos a qualquer hora do dia (e da noite).

Quer bastante conforto e até mesmo um pouco de luxo? Os hotéis TRUNK, Cerulean Tower Tokyu Hotel e Shibuya Excel Hotel Tokyu são opções caprichadas na região (com diárias entre R$900 e R$1.500). Opções com bom custo benefício na região é o que não faltam. O Act Hotel Shibuya, Shibuya Hotel En e o Hotel Emit Shibuya são outras opções com preços mais em conta e também super bem localizadas (diárias entre R$300 e R$500). Agora se você for do tipo viajante economico e que não dispensa um bom hostel, invista no Mustard Hotel Shibuya ou Almond Hostel & Cafe Shibuya.

Quer conhecer outros bairros, além de Shibuya, e outras opções de hotéis? Veja aqui onde ficar em Tokyo.

Seguro viagem para Tokyo

O seguro viagem no Japão não é obrigatório, mas por aqui recomendamos que você nunca faça uma viagem (independente do destino) sem o seguro. Ninguém quer ter que contar com a própria sorte em uma baita viagem dessas, né? Em uma emergência hospitalar é o seguro viagem que salva sua pele – e até mesmo em casos de malas extraviadas e voos cancelados.

Para economizar tempo de pesquisa de apólices, sugiro e recomendo que você faça sua cotação de no site da Seguros Promo, uma empresa brasileira que te apresenta um comparativo entre os melhores seguros disponíveis no mercado, juntamente com os valores e tipos de cobertura. Faça uma cotação aqui e escolha a apólice com melhor cobertura e que cubra qualquer tipo de ocorrência no ato, o que sem sombra de dúvidas é um diferencial! Ah, não esqueça de inserir o nosso cupom IDEIASNAMALA5 para ganhar 5% de desconto na compra do seu seguro viagem!

E aí, curtiu nosso guia de atrações em Tokyo?


Viaje sem stress

✅ Faça seu seguro de viagens

Veja também:

E para ficar por dentro de todas as novidades do Ideias na Mala, siga nosso instagram!



SOBRE O AUTOR

mari vidigal

Viajante incansável, daquele tipo que no meio de uma viagem já está pensando na próxima, na próxima e na próxima. Apaixonada por fotografia, natureza e vinhos

No comments

Veja também