Rota do vinho na Borgonha: Roteiro de 3 dias de bicicleta

Conhecida como Champs-Élysées dos vinhos, a rota dos vinhos ou rota dos Grands Crus, começa em Dijon e vai até a encantadora Beaune. São 40 km de vinhedos poéticos onde se respira uva, trufas, queijos e, é claro, vinhos.

Ficou interessado em fazer essa viagem? Então vem com a gente!

Neste post, você vai encontrar dicas para ter uma experiência inesquecível e descobrir quais vinícolas visitar, como funcionam os vinhedos, desde a escolha da uva para plantar até a fabricação do vinho, e qual é o vinho mais famoso e mais caro da Borgonha. E, é claro, a cereja do bolo: muitas degustações!

No final do post, tem explicações extra sobre AOCS, mundo e estrutura do vinho na Borgonha para você já chegar arrasando nessa viagem. Vamos nessa?

Neste post você encontra:

Resumo do Roteiro de 3 dias na Borgonha

Nós fizemos o trajeto Dijon -Beaune – Dijon de bicicleta em três dias, mas para quem tiver menos tempo, ou não se sentir confortável pedalando, há opções de passeios de 1 dia saindo de Dijon ou de Beaune. Veja aqui três ótimas opções para conhecer a Rota dos Grands Crus em 1 dia

E para quem tem 3 dias (recomendo muito), aí vão todos os detalhe da viagem:

Distância e dificuldade do passeio

O nível de dificuldade do percurso é baixo, são 40 km praticamente sem subidas, mas você pode alugar uma bicicleta elétrica e fazer com menos esforço. Fizemos em três dias e duas noites até Beaune. Ao final do terceiro dia, pegamos o trem de volta a Dijon, levando junto as bicicletas. 

A melhor época para se fazer essa viagem é entre maio e setembro. Se puder escolher, sugiro os meses de setembro e agosto, pois são os meses da colheita e das feiras da colheita, onde você pode comprar os produtos fresquinhos e conhecer a safra do ano.

Início da viagem, saindo de Dijon para Beaune, de bicicleta rota dos vinhos na Borgonha. Roteiro de 3 dias.
Começando a viagem. Paramos na primeira placa que vimos ”Rota dos Grands Crus” para uma foto 🙂

Alugue sua bicicleta com antecedência

Lembre-se de alugar sua bicicleta com pelo menos um mês de antecedência. Alugamos as nossas nesse site. Se estiver pensando em comprar garrafas de vinho, sugiro que alugue a bolsa feita para carregar garrafas de vidro que eles acoplam à bicicleta.

Seguro de viagem

É obrigatório mostrar seu seguro de viagem no aeroporto durante sua chegada nos países europeus. Então, faça um seguro caprichado e tenha sua apólice em mãos para mostrar na imigração.

Nós usamos e recomendamos os seguros da Seguros Promo, um comparador de seguros que te ajuda a selecionar o melhor custo x benefício para a sua viagem. Com ele você fica coberto para qualquer eventualidade médica ou odontológica que possa ocorrer durante a viagem. O seguro viagem também cobre atraso de voos e bagagens extraviadas.

Use o cupom IDEIASNAMALA5 e ganhe até 10% de desconto no seu seguro viagem. Faça já sua cotação

Onde se hospedar

Nesse roteiro, fizemos duas pernoites: uma em Nuits-Saint-Georges e uma em Beaune. Aí vão nossas melhores dicas de lugar para dormir em cada uma delas:

Nuits-Saint-Georges é uma cidadezinha linda no coração da Borgonha. Já que o roteiro é pensado para ser feito de bicicleta, separei as melhores opções pertinho do centro, ou no centrinho da cidade. A primeira (Au Coeur des Nuits) é um B&B com banheiro privativo. Eu amo essa opção pelo fato de poder trocar ideia com os locais e aprender mais sobre os lugares. Sei que esse tipo de alojamento não é muito comum no Brasil, mas super comum na Europa e Estados Unidos. A segunda opção (Douce Nuits) é um hotel e a terceira é um apart-hotel.

Au Coeur des Nuits, Douce Nuits, Appart’Au Coeur des Nuits

Onde ficar em Beaune:

Beaune é uma cidade maior e com mais opções hoteleiras. Aí vai nossa seleção dividida por categorias de preços:

Roteiro de 3 dias na Borgonha em detalhes

Nossa aventura de bicicleta pelos vinhedos da Côte d’Or começou em Dijon, uma das cidades mais belas da França – e olha que a concorrência é grande- e cheia de lugares incríveis para conhecer. Desde construções medievais até a mais nova e moderna atração da cidade: a Cidade Internacional da Gastronomia e do Vinho. Fica claro que Dijon está investindo no seu turismo gastronômico e no seu lugar entre os melhores destinos turísticos da França.

Place de la Libération
Place de la Libération em Dijon

Nossas melhores dicas de Dijon estão no post: o que fazer em Dijon

Deixe as mala no hotel ou em um locker

Após um dia inteiro curtindo a cidade e uma ótima noite de sono, deixamos nossas malas guardadas no hotel, retiramos as bicicletas alugadas e iniciamos o passeio. Se o seu hotel não quiser guardar as malas, uma boa opção é guardar na estação de trem de Dijon (15 Cour de la Gare. Custa 9,50 euros as primeiras 24 horas e mais 5 euros por bagagem por dia após as primeiras 24 horas).

Saindo de Dijon, já se vê a placa ”Route des Grands Crus” e, pedalando mais 5 minutos, a paisagem já não é mais de cidadezinha com construções antigas e prédios históricos de Dijon, mas sim das colinas douradas da região.

Dá para se virar bem sem falar Francês

Se você não tiver um francês legal, não se preocupe. A maioria das vinícolas estão preparadas para receber turistas que falam inglês.

Como é a Rota dos Vinhedos na Borgonha de bicicleta

Durante os três dias de passeio, passamos por vilarejos pitorescos, repletos de flores e construções com estética particularmente bela. Os telhados desenhados e coloridos, as prefeituras fofas e pracinhas típicas de filmes alegravam nossos olhos. Além da arquitetura, também havia a linda paisagem das pequenas colinas, repletas de vinhedos por toda parte.

rota do vinho na Borgonha de bicicleta: o que encontrar pelo caminho. Prefeitura florida.
Prefeitura florida com estátua de trabalhadores carregando a colheita de uva

O caminho de bicicleta cruza os pequenos lotes onde as uvas estão plantadas e onde se vê as pessoas trabalhando no cultivo e na colheita. Uma das nossas atividades favoritas era fazer um piquenique ou apenas abrir uma boa garrafa de vinho e brindar à beleza do lugar e à alegria de poder apreciar aquela experiência. 

Roteiro de 3 dias de bicicleta na Borgonha: caminho repleto de vinhedos
Vinhedos

Dia 1: De Dijon até Nuits-Saint-Georges

Domaine Bruno Clair

No primeiro dia de passeio, saímos de Dijon e pedalamos oito quilômetros. Ao longo desse percurso, nossa primeira parada foi em uma vinícola chamada Domaine Bruno Clair.

Eles são considerados porta-bandeira dos vinhos clássicos da Borgonha e utilizam quantidade mínima de agrotóxicos, lançando mão de práticas mais sustentáveis e saudáveis, como a compostagem para laborar o solo. A colheita, desde 2019, não tem sido muito boa nesse vinhedo. Desde então eles não estão aceitando novos clientes. De qualquer maneira, vale a pena dar uma conferida quando você estiver por lá para ver se já reabriram para o público. Se tiver fechado, a boa opção é bem pertinho de lá, o Château de Marsannay.

Roteiro de 3 dias de bicicleta pela rota dos grands crus na Borgonha. Paisagem pelo caminho: vinhedos
Vinhedos da Borgonha – paisagem pelo caminho

Planeje sua visita:

Domaine Bruno Clair

  • Apelação: AOC e AOP
  • Endereço: 5 rue du Vieux Collège, Marsannay-la-Côte.
  • Horário de funcionamento: de segunda à sexta das 9h às 12h e das 14h às 17h
  • Agende sua visita à Cave com antecedência no site. | Confira se a vinícola já está aceitando novos clientes.

Château de Marsannay

De Dijon ao Château de Marsannay são 8,7 km. No caminho você vai passar por domínios famosos como, por exemplo, Gevrey-Chambertin. O castelo de Marsannay possui 40 hectares de videiras orgânicas. Eles são engajados quando a questão é agroecologia e o manejo de suas terras é todo pensado para a manutenção da sua biodiversidade e na menor produção possível de carbono.

Placa gevrey chambertin: vinícolas famosas.
Placa e vinhedos da Gevrey-Chambertin

Eles oferecem 3 tipos de degustação e vista privilegiada da adega e do Château. As visitas são feitas com um guia especialista e começam com a história do savoir-faire e do tipo de clima através da exposição de monólitos e dos perfis do terroir. Ela continua com a visita da cave/adega e acaba com a degustação de grandes vinhos da Borgonha do Château de Marsannay com uma vista linda para o Clos de Jeu.

As três visitas duram cerca de 1h30 a 2 horas e custam entre 25 a 30 euros.

Planeje sua visita:

Château de Marsannay

  • Apelação: Grand Cru, premier cru, village e regional e hospital de Dijon
  • Endereço: 2 Rue des Vignes
  • Horário de funcionamento: Funcionamento: de maio a setembro aberto todos os dias de 10h às 18h30; de outubro a abril aberto todos os dias de 10h ao 12h e de 14h às 18h; de metade de novembro a final de março fecha aos domingos.
  • Agende sua visita no site

Clos de Vougeot

Depois de 12 km, chegamos ao Château du Clos de Vougeot, um vinhedo enorme dividido entre oitenta proprietários que produz vinhos AOC e é classificado entre os grands crus da Côte des Nuits. Essa enorme propriedade, que circunda o castelo imponente construído em 1551, ainda guarda ferramentas originais, como a prensa das uvas que era usada no século X.

O que fazer na Borgonha. Visitar vinhedos da Borgonha. Clos de Vougeot: uma das vinícolas mais famosas e maiores da Borgonha
Clos de Vougeot: uma das vinícolas mais famosas da Borgonha

Toda a atmosfera do ambiente conduz você por uma viagem romântica ao passado. Uma ótima opção para a visita é baixar o aplicativo BALADES EN BOURGOGNE e achar a “Visite du Château du Clos de Vougeot”, que permite que você desfrute o castelo em seu próprio ritmo.

Nesta visita você vai ver: uma adega do século XV, o Grande Porão e o Pequeno Porão do século XII, o antigo dormitório dos irmãos leigos (ou seja, membros que não eram padres, diáconos ou seminaristas), a cozinha e também os poços situados na ala Renascentista.

Eu amei e recomendo. Se você é do time que gosta de assistir aos filmes em museus, não deixe de assistir ao filme “Jamais en Vain, Toujours en Vin” (“Jamais em Vão, Sempre em Vinho”, tradução livre).  Dura apenas 20 minutos e é exibido dentro do antigo dormitório dos irmãos leigos.

O que fazer na rota dos vinhos na Borgonha: Clos de Vougeot uma das vinícolas mais famosas e maiores da Borgonha
Pátio do Clos de Vougeot

Planeje sua visita:

Château du Clos de Vougeot

  • Apelação: Appellation Grand Cru du vignoble de la Côte de Nuits, en Côte-d’Or (AOC).
  • Endereço: Rue de la Montagne, 21640 Vougeot
  • Horário de funcionamento: De novembro a março, aberto todos os dias das 10h às 17h. De abril a outubro, aberto todos os dias das 9h30 às 18h. Fecha nos dias 25 e 31 de dezembro e primeiro de janeiro.
  • Agende sua visita e degustação com antecedência no site.

Domaine Armelle et Bernard Rion

Após essa viagem no tempo, passamos pela região de Vosne-Romanée, de onde vem o renomado Domaine Romanée-Conti, com vinhos que não custam menos de mil euros e podem chegar a aproximadamente 13 mil euros a garrafa! Foi nessa região que, finalmente, fizemos nossa primeira degustação oficial. Havíamos reservado um horário no Domaine Armelle e Bernard Rion. Mais uma vez, uma vinícola gerenciada por uma mesma família através das gerações desde 1896.

São os próprios Armelle e Bernard que nos levam para conhecer a propriedade com suas adegas, barris e recintos perfumados pelo cheiro da madeira de carvalho e das uvas. A visita é especialmente divertida, pois enquanto experimentamos o vinho nos sentimos convidados a participar um pouco da intimidade deles, por meio do seu jeito de contar as histórias entremeadas de conversas particulares e um pouco dos detalhes de uma família que adora dividir seu conhecimento e sua paixão pelos vinhos e trufas que produzem. Durante essa experiência eu tinha a sensação de ser uma amiga pessoal daquela família.

Para quem vai com crianças, elas vão adorar ver os lindos cachorros da raça Lagotto Romagnolo, que são caçadores de trufas! Ainda na região de Vosne-Romanée aproveitamos para fazer um piquenique com as delícias de pães, queijos, charcuterie (frios) e frutas que havíamos comprado pelo caminho. Um piquenique ao lado de algumas das uvas mais valorizadas do mundo!

rota dos vinhos grands crus na Borgonha: roteiro de 3 dias de bike com dicas de degustação nas melhores vinícolas. Vinhos mais caros.
Uvas florescendo

4. Domaine Armelle et Bernard Rion

  • Apelação: Clos de Vougeot Grand cru controlée, Vosne-Romanée premier cru contrôlée entre outras.
  • Endereço: 8 Route Nationale, 21700 Vosne-Romanée
  • Horário de funcionamento: De segunda a sábado de 9h às 17h30.
  • Agende sua visita no site.

Nuits-Saint-Georges

Após essa jornada maravilhosa, pedalamos mais dois quilômetros e chegamos a Nuits-Saint-Georges, cidadezinha onde passamos a noite. Havíamos feito reserva para o restaurante La Cabotte, que fica em uma casa do século XVIII. Estava ansiosa para comer o famoso boeuf bourguignon em plena Borgonha e não tive dúvida ao escolher meu prato.

Para acompanhar pedimos um Pinot Noir, bem difícil de escolher pois a carta de vinho conta com mais de 300 garrafas diferentes. Foi uma experiência gastronômica memorável! Acordamos, tomamos nosso café da manhã no hotelzinho e continuamos a viagem rumo à Beaune. 

Noite no vilarejo de Nuits-Saint-Georges, Borgonha. Primeira parada para dormir.
Noite na pequena Nuits-Saint-Georges

Dia 2 Conhecendo Beaune e degustando na Bouchard Aîné & Fils

Ao longo do segundo dia, continuamos pedalando por entre os vinhedos, apreciando a paisagem e as pequenas cidades, conversando com alguns trabalhadores que encontramos pelo caminho. Neste dia, aproveitamos para relaxar um pouco e progredir em um ritmo mais tranquilo. Assim, também não visitamos nenhum domínio específico, mas fizemos bons piqueniques e abrimos uma ou duas garrafas que levamos conosco. Ao final do dia chegamos em Beaune. 

roteiro de 3 dias de bicicleta pela rota do vinho na Borgonha. Vinhedos mundialmente famosos por toda parte.
Vinhedos – Paisagem típica do passeio

Na manhã seguinte, ainda em Beaune, tivemos a feliz surpresa de encontrar uma super feira deliciosa e nos deleitamos com queijos artesanais, geleias, mais vinhos, frutas frescas, pães e frios. Todos os produtos produzidos em fazendas das redondezas. Normalmente, essa feira acontece aos sábados de 7h às 13h, (endereço: Halles de Beaune, Place de la Halle, Place Fleury 21200, Beaune).

o que fazer em Beaune, Borgonha: feiras deliciosas com queijos e produtos artesanais locais
Deliciosos produtos locais na feirinha de rua. Imagem: © OT Beaune – Michel JOLY Office de Tourisme

Aproveitamos para conhecer o Hospices de Beaune, que fica colado na feira e é um dos monumentos históricos mais prestigiosos da França. Sua arquitetura gótica do século XV, com telhados multicoloridos típicos da Borgonha, não passa despercebido por nenhum turista.

Atualmente, o local funciona como um museu da história da medicina, no passado era um hotel-Dieu (albergue de Deus) que acolhia pessoas pobres necessitadas de tratamento de saúde. O Hospices de Beaune também é famoso pela sua enorme vinícola. O dinheiro arrecadado com a venda dos vinhos é usado na manutenção do patrimônio cultural.

Roteiro de 3 dias de bicicleta na Borgonha: de Dijon a Beaune: passeios imperdíveis. Hospice de Beaune.
Pátio do Hospice de Beaune com telhado típico da região

Bouchard Aîné & Fils

Depois desse passeio delicioso, fomos a uma degustação de vinhos na Bouchard Aîné & Fils.  Essa propriedade data do século XVIII e propõe uma degustação em que os cinco sentidos são estimulados. Eles propõem uma expedição sensorial, lúdica e interativa para uma iniciação à arte do vinho. Então, ensinam a escolher um bom vinho, como abrir sua garrafa, apreciar os tons, experimentar e comentar sobre a textura, sabores identificados e outros fatores interessantes. Uma aula de uma hora de duração onde você vai poder saborear dois vinhos brancos e três vinhos tintos (Villages, Premier Cru e Grand Cru). Seja pontual porque eles não aceitam atrasos. 

5. Bouchard Aîné & Fils

  • Apelação: Premier Cru
  • Endereço: 4 Boulevard du Maréchal Foch, 21200 Beaune.
  • Horário de funcionamento: de terça à domingo das 9h30 às 12h30 e de 14h00 às 18h30. Início das visitas: 10h30; 11h30; 14h; 16h; 17h30.
  • Agende sua visita à Cave com antecedência no site.

Dia 3

Ao final do último dia já sentíamos certa nostalgia por estarmos chegando ao fim dessa experiência tão intensa e apaixonante. No dia seguinte, nossas bicicletas voltaram com a gente de trem para Dijon. Boas garrafas de vinho iam guardadas nas malas, enquanto memórias sublimes iam guardadas para sempre no coração!

Se você tiver um tempinho e quiser continuar sua viagem, no final do dia sugiro dois passeios para fechar Dijon: o museu do vinho e a visita a casa da mostarda Edmond Fallot.

Cidade Internacional da Gastronomia e do Vinho
Cidade Internacional da Gastronomia e do Vinho. Imagem: @ François Weckerle/ Ville de Dijon

O museu do vinho (Rue d’Enfer) é bem legal para quem quer aprender ainda mais sobre a história do vinho na Borgonha.

A moutarderie Edmond Fallot (31 rue du Faubourg Bretonnière) oferece dois tipos de visita: a visita Découvertes, onde você vai aprender de forma lúdica, desde a preparação até degustação da mostarda. Além da história e importância desse condimento legendário. E a Sensations fortes onde você pode visitar a fábrica da mostarda. As visitas custam 10 euros cada uma. Agende a sua nesse email: [email protected]

Três ótimas opções para conhecer a Rota dos Grands Crus em 1 dia:

Se você não tem 3 dias para fazer esse passeio, ou se não se sente seguro pedalando por aí e quer muito conhecer esse pedaço de paraíso, separamos aqui três opções bem legais de passeios guiados. Você pode escolher se vai de bicicleta, de van ou de ”carro lateral” (aquelas motos que vão dois na moto e uma pessoa no carrinho lateral). Em todas sugestões, o guia fala francês e inglês.

De bicicleta: Você vai conhecer com pouco esforço os vinhos da costa de Beaune, visitar um castelo medieval, experimentar vinhos e almoçar um prato típico da Borgonha, aprender sobre o processo de vinificação e pedalar no vinhedo Grand Cru da Puligny-Montrachet. Nesse passeio você percorre 24 km em 7 horas.

De minivan: Essa opção é praticamente um intensivão do nosso roteiro. Ela começa às 9h30 e vai até 17h30. Nela você vai experimentar 10 vinhos diferentes da Borgonha, aprender sobre eles e passear pelas mais belas e prestigiosas vinícolas.

De moto com um carrinho na lateral: Bela opção para casais. Aqui você vai: degustar e conhecer vinhedos mundialmente famosos, atravessar vilarejos pitorescos e aprender muito sobre o mundo dos vinhos da Borgonha. Esse passeio dura duas horas.

O mundo do vinho na Borgonha

Para quem não tem familiaridade – assim como eu não tinha antes dessa viagem – com o mundo dos vinhos da Borgonha e sua forma de classificação peculiar, vou explicar um pouquinho a respeito.

Diferentemente dos vinhos de Bordeaux, que são classificados pela origem dos Châteaux (castelos) onde são produzidos, os vinhos da Borgonha são classificados pelo terroir. O terroir é um conceito caro aos viticultores da Borgonha. Ele traduz uma reunião de fatores climáticos, geológicos e também do savoir-faire (conhecimentos e práticas empregados) dos viticultores, que é transmitido, através dos séculos, de geração em geração. Esses fatores fazem com que a Borgonha seja uma lugar singular para a criação de vinhos únicos e especiais. 

Uma outra classificação básica para entender os vinhos da Borgonha são as apelações.  Existem duas: a Appellation d’Origine Contrôlée (AOC) e a Dénomination Géographique Complémentaire (DGC). Essas classificações são controladas por uma convenção. Para ser um AOC, por exemplo, o vinho precisa ter sido fabricado em uma mesma zona geográfica e segundo um savoir-faire reconhecido. Já para o DGC são vinhos fabricados em lugares considerados menos nobres, como a parte mais baixa de uma colina, tanto em uma mesma propriedade ou em vilarejos próximos. 

Para concluir essa explicação introdutória – pois esse assunto é longo e complexo -, as vinícolas da Borgonha se organizam de maneira hierárquica em quatro níveis de apelação: regional, village, premier cru, e o grand cru no topo da pirâmide.

Chip de telefone para Europa

Para chegar com tudo pronto e aproveitar cada segundo da viagem, que tal já sair do Brasil com seu chip de celular? Nossa dica é o Meu Chip, que tem um ótimo sinal por toda Europa e custa menos do que os vendidos por lá. Ou seja: você vai pagar menos e não perder tempo em loja comprando chip.

Existem duas opções de plano: o limitado e o ilimitado. No ilimitado você pode rotear até 3Gb de internet para outros aparelhos. Anota essa dica!

E aí? Gostou do nosso roteiro pela Rota do Vinho na Borgonha?

Deixe suas dúvidas e comentários aqui no post! E segue a gente para mais dicas imperdíveis no Instagram.

Veja também:

Avatar
Ariane Moreth

Viaje Melhor

Links para você reservar hotéis, comprar seguro viagem com desconto, conferir atrações e passeios incríveis e alugar carro em qualquer lugar do mundo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários:
Avatar Beany disse:

Excelente post! Muito completo e esclarecedor!!!