Museu do Louvre


Na minha primeira visita a Paris tinha expectativas altissimas de muitas coisas, queria ver tudo, conhecer tudo e fotografar muito. E como estudante de arte a maior das minhas expectativas era sem dúvida nenhuma o museu do Louvre. E lá fui eu !

Era meu segundo dia em Paris, e peguei um metro cedinho direto e reto para o Louvre, como sou um ser humano hiper mega perdido, desci do metro pela saída errada e levei uns 15 minutos para encontrar a tal da entrada e a tal da piramide. Uff, tinha certeza que apesar do perengue inicial no final do dia seriamos bons amigos, e não foi diferente.

Como gosto BASTANTE de arte confesso que tive muita dificuldade de selecionar por onde começar, sim eu queria ver a Monalisa, mas queria ver muitas outras coisas, ou melhor, queria ver tudo o que eu conseguisse antes que a minha cabeça começasse a doer – sintoma que normalmente ocorre depois de muitas horas no museu – escolhi uma das alas e para lá segui.

Vi muuuuita coisa linda,  tive a felicidade de começar minha visita por umas galerias cobertas de pintura do teto ao chão, algo surreal. Depois parti para o mestres Italianos onde vi muita coisa linda, entre elas a disputadíssima Monalisa, prepare-se para disputar cada centímetro de espaços com turistas do mundo inteiro – fiquei pasma em saber que em alguns tour guiados de Japoneses e Chineses, eles entram no Louvre simplesmente para ver a Monalisa, tirar meia duzia de fotos e partir para a próxima parada.

Outros pontos de destaque são os quadros de Leonardo Da Vinci – acho que me impressionei porque nunca tinha visto nada dele antes , e por fim  alguns quadros de Giuseppe Arcimboldo, provavelmente você estudou isso na escola, ele é um italiano doido que pintava rostos de pessoas compostos por frutas, animais e por ai vai. De perto estes quadros malucos são verdadeiros quebra cabeça, pirei um pouco com os pepinos, beringelas e sardinhas alí lindamente pintados.

Mas além de quadros o Louvre tem uma coleção abssurda de estatuas e outras objetos, alguns comprados por antigos reis e outros conquistados por Napoleão Bonaparte. Escolhi algumas galerias para visitar e fiquei bem feliz com o que vi… incontáveis sarcofagos egipcios, estatuas e tudo quanto é tipo de relíquia que se possa imaginar.

Quando já estava bem cansada de tanto ver me dirigi a última parada obrigatória, a Venus de Milo. Realmente bonita !

Saindo dalí passei um tempo incontável deitada no jardim, tirei algumas fotos com a Piramide e fui visitar o shopping subterraneo ao lado do museu onde ocorre o famoso encontro das piramides descrito no Livro “O código da Vinci”. Desafio ? Conseguir tirar uma foto das piramides sem nenhuma cabeça de turista na foto. Praticamente impossível.

O Louvre é um desses lugares que merece pelo menos umas vinte visitas, para mim ainda faltam pelo menos 19…rs… mas logo, logo, chego lá !

Para quem quiser aproveitar bem a visita, planejar com antecedência ajuda. Compre o ingresso online e estude o mapinha do museu: http://www.louvre.fr/media/repository/ressources/sources/pdf/src_document_52741_en_v2_m56577569831286488.pdf

Localize-se

Museu do Louvre

http://www.louvre.fr/llv/commun/home.jsp

Metro : Palais – Royal – Musée

Segudas, quintas, sabado e domingo: Aberto das 09:00 as 18:00

Quarta e sexta: Aberto das 09:00 as 21:45

(fechas as terça feiras)

Entrada : 10 Euros

Planeje sua viagem

Comentários (4)

[…] ponte des Arts fica encostadinha no museu Du Louvre (é só seguir reto de costas para o rio que você chegará lá), que é a nossa próxima parada do […]

[…] Du Royal fica exatamente do lado oposto do Museu do Louvre, lógico que a perdida aqui chegou lá achando que era o próprio museu do Louvre. A descrição […]

Deixe o seu comentário