The Claremont Club & Spa: Um hotel espetacular em Berkeley

Um edifício histórico ultra charmoso, vistas arrasadoras da baía de San Francisco e um clube completíssimo são alguns bons motivos para você incluir o The Claremont Club & Spa, em Berkeley na sua lista dos sonhos. Nós passamos duas noites no The Claremont e saímos encantados. Neste post dividirei com vocês todos os detalhes da nossa experiência.

O The Claremont é um desses edifícios que se destaca do seu entorno e chama atenção de longe. O hotel foi inaugurado em 1915 e de lá para cá já recebeu dezenas de personalidades importantes, de presidentes a atrizes de cinema. Em 2014 o The Claremont foi comprado pela grupo de hotéis Fairmont e foi completamente revitalizado, ou seja, além da experiência de se hospedar em um hotel histórico lindo, o The Claremont conta com todo o conforto, modernidade e nível de serviços espetacular dos hotéis Fairmont (já viram que sou fã da rede, né?!)

The Claremont
Entrada do The Claremont: uma bela chegada, hein?

Uma estrutura de lazer impecável

Um dos pontos altos da estadia no The Claremont é a estrutura de clube e spa. São 4 piscinas aquecidas, 8 quadras de tênis, uma academia completa (devido a reforma do clube os aparelhos foram movidos para uma área provisória, mas que deixa muita academia de hotel no chinelo, o projeto da reforma está bem caprichado e a academia vai ficar linda), e um super vestiário com amenidades legais (tem secador de maiô, shampoo e cia, e roupões para você poder trocar de piscina sem medo de ser feliz) e uma sauna. Achei demais! Isso sem falar na super vista da baía de San Francisco e na programação caprichada com aulas de yoga, spinning e etc.

The Claremont
Piscina de natação
The Claremont
Uma das quadras de tênis
The Claremont
Tabuleiro gigante de xadrez: o Tom amou!

A entrada no clube está inclusa na diária do hotel (mas vale falar que há uma taxa diária de resort que será incluída na sua conta final você usando ou não as amenidades do clube. Eu se fosse você, usaria!)

O spa do The Claremont

O The Claremont conta com um spa completo com um menu diversificado de massagens e tratamentos de beleza, uma área bem bacana com chuveiros especiais e uma hot tub com vistas lindas para a baía de San Francisco, para você ter uma ideia do quão completo é o spa, são 32 salas de massagem, incluindo salas para massagem de casal.

The Claremont
Hot tub com vistas lindas para a baía de San Francisco

Ao reservar qualquer tratamento você receberá acesso para a área dos chuveiros e hot tub, hóspedes do hotel também tem a opção de pagar uma taxa de $45 por pessoa para curtir essa área.

Kids Club do Claremont

Para complementar a estrutura completa do clube e spa, há também um clubinho para as crianças, e quer saber o mais legal? Você tem direito a 3 horas de clubinho (no nosso caso, uma hora e meia para cada criança) por dia de hospedagem.

The Claremont
Parquinho caprichado na área externa do clubinho

A estrutura do clubinho é bem legal, tem salinha para atividades manuais, tem muitos brinquedos bacanas, e uma área externa fechadinha com parquinho e profissionais super bem treinados e cuidadosos com os pequenos. Amamos ter um tempinho para curtir o hotel em casal (e aproveitar as amenidades divinas do clube) e os pequenos se divertiram MUITO.

The Claremont
Tom e Caio se divertindo no clubinho

Gostamos tanto do combo hotel + clubinho que voltaremos mais vezes para curtir esse descanso maravilhoso.

Limewood: O bar e restaurante do Claremont

Conhecido pelas vistas lindas e drinks caprichados o Limewood é um destino bem comum entre os moradores de Berkeley e precisa ser reservado com antecedência. Durante nossa estadia no The Claremont, fizemos 3 refeições no Limewood: jantar, brunch de ano novo e café da manhã, adoramos as 3 experiências e não conseguimos decidir se gostamos mais do brunch ou do café da manhã.

The Claremont
Limewood – O Restaurante do Claremont

Nossa experiência no Claremont

Berkeley é um dos cantinhos mais especiais para a nossa família, foi graças a um mestrado na Universidade de Berkeley que nos mudamos e nos estabelecemos na Califórnia. Somos apaixonados pela cidade e se pudéssemos escolher um cantinho da Bay Area para morar (região da Baía de San Francisco) Berkeley seria sem dúvidas a nossa casa.

Durante nossos dias em Berkeley viemos uma ou duas vezes bebemorar no Limewood, e gostamos tanto das bebidas e da hospitalidade que  saímos com aquele gostinho de “precisamos passar uma noite para conhecer o hotel de verdade”.

Eis que quase 4 anos depois da nossa saída de Berkeley surge a oportunidade perfeita: Compramos uma casinha, e tínhamos até o dia 31 de dezembro para encerrar o contrato de aluguel da casa anterior e mudar de casa, só que a reforma da casa nova não ficou pronta. Nos vimos “homeless” em pleno ano novo e com uma série de boas opções para considerar: (a) Dormir em algum lugar em Pleasanton (cidade da casa nova) – alternativa mais racional, porém a mais boring de todas (b) Dormir em algum hotel em SF (tenho uma lista imensa de lugares que quero testar para dividir com vocês, o único problema é que ano novo em San Francisco custa caro especialmente na semana anterior  (c) Procurar outros hotéis legais pela Bay Area.

Varri o Booking.com (faço todas as minhas reservas com eles e adoro) em busca de alternativas e quando me deparei com o The Claremont, não pensei meia vez e reservei. Era a justificativa perfeita para conhecer um hotel lindo (e com sorte veríamos um bocadinho da queima de fogos de uma das janelas do hotel).

O Check in no The Claremont

Chegamos no The Claremont no finalzinho da tarde do dia 31 de dezembro e o hotel estava bombando. Havia uma pequena fila de 4 ou 5 famílias, então tivemos que esperar um tiquinho. Caio e eu ficamos na fila enquanto o Gu deixou o Tom correr pelo lobby e namorar a árvore de natal (Que árvore linda!)

The Claremont
Decoração de natal caprichada do Claremont
The Claremont
E olha que graça esta mini cidade vontade de biscoitos de gengibre e chocolate (meu filho estava louco para morder a montanha)

Quando finalmente chegou a nossa vez, me dirigi até um dos balcões de check in (são 4, se não me engano, e por isso a fila andou rápido) onde fui recebida com uma ótima notícia: “Temos um upgrade especial para vocês” – anunciou o Lucas, o recepcionista simpático que nos recebeu no Claremont – e eu sorri e soltei um YES um pouco alto de mais. Com duas crianças pequenas, minha única chance de assistir a queima de fogos de artifício de ano novo era da janela do quarto, e aquele upgrade tinha acabado de garantir nossos fogos.

Aproveitei a simpatia do Lucas e pedi para ele confirmar a nossa reserva para o café da manhã do dia 2. Eu já havia reservado o jantar no restaurante Limewood (dei MUITA sorte de conseguir um lugarzinho aos 48 minutos do segundo tempo) e para o brunch de ano novo, mas não tinha fechado o café da manhã do dia 2 e preferi não arriscar.

O Lucas me deu as chaves do quarto e confirmou meu telefone para comunicar sobre as reservas, alguns minutos depois ele confirmou por SMS e se colocou a disposição para tirar dúvidas. Também usei o celular para pedir um segundo berço para o nosso quarto, comi bola durante a reserva e acabei pegando um quarto com só uma cama, e para não dormir com nenhum dos meninos achamos que 2 berços seria uma ótima solução, e foi. Foi a primeira vez que vi um hotel usando o celular como ferramenta de comunicação de forma ativa durante a hospedagem e achei bacana e eficiente.

O que eu não sabia:

A hospedagem no The Claremont inclui 3 horas de Kids club (clubinho infantil) para os pequenos por dia de hospedagem, mas as vagas são limitadas e para não ficar sem, vale reservar logo na chegada. Eu dei sorte (de novo e consegui reservar para os horários que queria tanto no dia 1 quanto no dia 2.) Eu se fosse você já garantiria seu lugar na chegada!

O quarto do Claremont

Sabe aquele minutinho de expectativa entre o momento em que você faz o check-in até realmente entrar no quarto? ADORO. Adoro quando os quartos me surpreendem, e amo hotéis com vistas especiais. Entrei no quarto do Claremont e sorri, as persianas estavam fechadas e eu ainda não conseguia ver a vista, mas já havia gostado.

Um quarto espaçoso com uma cama tamanho king no centro, travesseiros de altura variada e um colchão maravilhoso (dormimos tão bem!)

The Claremont

Em frente a cama havia um televisor grande de tela plana que já estava ligado e com avisos personalizados “Seja bem vinda Marina” e uma estante + frigobar recheados com dezenas de tipos de quitutes e bebidas. Não sou fã destes frigobares de sensor que vem lotados e sem espaço para colocar algo para as crianças, mas achei a seleção deles bem boa. Também havia uma garrafa de vinho, queijos e frutas para nós (o Tom é louco por uva e tive que fotografar bem rápido porque ele não parava de falar “quero uva, por favor. Quero agora! (Será que todos os bebês são imediatistas como o meu?) e um par de ursinhos com camiseta do hotel para os pequenos.

Vistas espetaculares!

Em frente a janela há mesinha com dois lugares, e eu larguei o que tinha na mão para puxar as persianas e namorar a vista: Que lindeza!

The Claremont
Vista do nosso quarto, vou dar um zoom para você ver que especial

O hotel fica numa parte montanhosa bem na divisa entre as cidades de Berkeley e Oakland e lá do alto dá para ver a baía com a cidade de San Francisco no fundo a cidade de Oakland no visual. Lindo, lindo e lindo. Do lobby e dos restaurantes do hotel também dá para ver a Golden Gate Bridge.

Um banheiro espetacular

Um ponto de destaque do quarto do The Claremont é o banheiro super espaçoso, com chuveiro e banheira separados. E que banheira linda! As crianças que amam tomar banho de banheira ficaram malucas com a banheira e se não fossem as uvas da chegada para distraí-las eu teria perdido meu compromisso inadiável com o pôr do sol! Que sorte que demos de entrar no quarto minutos antes do sol se pôr, e que cores!

The Claremont
Banheira caprichada

The Claremont

Um por do sol pra ficar na memória

O pôr do sol na Califórnia é um dos mais lindos do mundo, juro! Assista todos os pores do sol que conseguir, e sempre que estiver em algum lugar com vistas especiais como o The Claremont, programe-se para assistí-lo. Taças na mão dos adultos, uvas na mão das crianças, câmera apontada pra janela (é claro que eu ia fotografar TUDO) e mais um pôr do sol pra ficar na memória.

The Claremont
Por do sol visto do Claremont
The Claremont
E com um por do sol destes, nada como um vinhozinho!
The Claremont
Baby Caio e eu prontos para o jantar de ano novo

Jantar de ano novo no Limewood

18:30 é um pouco cedo para os padrões de jantar brasileiros especialmente no ano novo, mas com duas crianças pequenas, achamos o horário perfeito e confirmamos com um sorriso no rosto. Ganhamos uma mesa linda de frente para a janela e bem no finalzinho do salão, uma área que pode ser reservada por grupos e que por isso estava demarcada com uma cortina. Amamos este espaço reservado.

A equipe do Claremont nos recebeu com duas taças de champanhe e duas entradas super especiais: beterrabas sob uma camada de queijo chévre, salpicadas com quinoa e bem temperadas com azeite trufado, e uma porção de couve de Bruxelas frita (o Gu que não acha a menor graça de couve de Bruxelas ficou apaixonado pela combinação e não parou de elogiar; quanto as beterrabas estavam perfeitinhas e tanto nós quanto os pequenos gostamos bastante).

Limewood
beterrabas sob uma camada de queijo chévre
Limewood
porção de couve de Bruxelas frita

Para comer pedimos um halibut servido com um consomê de legumes (achei ok, de tudo o que comemos no Limewood este foi de longe o pedido mais fraco), o Gu pediu um Wagyu servido com couve flor e purê de batatas (que estava infinitamente mais gostoso que meu prato – e olha que eu nem gosto de carne mal passada) e pedimos um mac & cheese para os pequenos.

Limewood
halibut servido com um consomê de legumes
Limewood
Wagyu servido com couve flor e purê de batatas

E para fechar, a equipe do Claremont nos mandou as duas sobremesas mais pedidas do cardápio (ambas maravilhosas, por sinal) uma torta de Yuzu servida com sorvete de berries e raspas de limão, e um pudim caramelizado de abóbora servido com sorvete de laranja e mascarpone e pedacinhos de avelã caramelizada. Não sei dizer que sobremesa gostei mais.

Limewood
torta de Yuzu servida com sorvete de berries
Limewood
Pudim caramelizado de abóbora

Fogos de artifício da janela do nosso quarto

Depois do jantar caprichado colocamos as crianças para dormir e ficamos batendo papo e tomando champanhe (já é o terceiro ou quarto ano que abrimos a garrafa antes da meia noite) para deixar o tempo passar. O Gu, cansado com o tumulto da mudança, estava bem disposto a trocar os fogos vistos da janela por duas horas a mais de sono continuo na cama gostosa do hotel. Eu também estava cansada, mas não ia perder a vista de jeito nenhum né?!

Por volta das 10:45 o Gu se entregou ao sono e eu percebi que a única forma de não dormir era começar a escrever este post, então escrevi a primeira hora de texto esperando 2019 chegar. Às 11:50 eu acordei o Gu para vermos os fogos e grudei na janela com a câmera a postos para fotografar, mas apesar de conseguirmos ver os fogos de Oakland, Berkeley (ambos tímidos) e San Francisco (um pouco mais caprichados) estávamos um pouco longe de mais.

The Claremont
Fogos de artifício vistos da janela do quarto

E valeu a pena esperar acordada?

Valeu para matar a curiosidade, mas se ver os fogos da janela é o grande objetivo da sua noite de ano novo, o Double Tree by Hilton da Marina de Berkeley, ou os hotéis do Embarcadero (Hotel Vitale e Hyatt Regency) são melhores opções. E sim, a foto ficou lindona, mas meu zoom é dos parrudos!

O brunch do Limewood

Nosso segundo dia no The Claremont começou com um festival de fotos lindas tiradas da janela, amo vistas caprichadas e me divertida com as possibilidades.

The Claremont
Baía de San Francisco vista do Claremont
The Claremont
E com um pouquinho de Zion, olha só que lindeza!

Reservamos o brunch para o primeiro horário às 11:30 e demoramos um pouco para sentar. Como a equipe do restaurante estava fazendo a troca das mesas do café da manhã para o brunch, rolou uma pequena correria com as primeiras mesas, nada que comprometesse a nossa experiência mas gerou uma impaciência geral.

Já na nossa mesinha a equipe foi impecavelmente rápida em tirar os pedidos e servir os pratos. Viva!
Começamos com dois drinks gostosos, um Aperol Spritz para mim, e um drink de vodka com notas de manjericão para o Gu, ambos ótimos.

The Claremont
Vamos começar 2019? Saúde!

E dessa vez acertamos em cheio todos os pedidos:
Eu pedi um frango defumado servido com ovos pochê e uma combinação deliciosa de batatinhas e outras raízes bem temperadinhas sauté. Maravilhoso, comi sorrindo do começo ao fim.

The Claremont
Frango defumado servido com ovos pochê

O Gu pediu um burger da casa bem recheado com queijo chedar e um ketchup caseiro ótimo e servido com batatas fritas.

The Claremont
burger da casa bem recheado com queijo chedar e um ketchup caseiro

Para o Caio pedi uma sopa – divina – de abóbora com curry. Que sopa! Preciso aprender a fazer algo parecido em casa, juro que me apaixonei! E para o Tom pedi o infalível macarrão com molho de tomate!

The Claremont
Sopa de abóbora com curry

Para fechar este brunch especial com uma doçura, fomos de torta de chocolate que estava BEM gostosa. Nós que já havíamos adorado o jantar do dia anterior, saímos do Limewood pensando que a experiência do brunch havia sido ainda mais deliciosa que o jantar!

The Claremont

Antes de sair da área do restaurante, aproveitamos que o dia estava maravilhoso para tirar fotos caprichadas nossas e da vista linda com a Golden Gate no fundo <3.

Aproveitando o clubinho das crianças para curtir o hotel: Piscina & Champanhe

Deixamos os pequenos no clubinho e fomos direto para a piscina! Tínhamos uma hora e meia para aproveitar sozinhos e queríamos curtir cada segundinho. O Gu pulou em uma das piscinas de natação (são duas, uma de 25 metros e uma de 25 jardas) que estava com uma temperatura ótima, mas eu gosto de água bem quente e fui logo pra hot tub. Que delícia!

The Claremont
Uma das piscinas do clube do The Claremont

Reservamos o horário do clubinho já pensando que às 17:30 rola uma rodada de champanhe grátis no lobby do hotel, e por que não aproveitar? Assim, depois de curtir um tempinho gostoso na hot tub, tomamos um banho nos vestiários do clube (que são excelentes) e seguimos direto para o bar do hotel.

A rodada de champanhe foi mais tímida do que imaginávamos, havia apenas meia dúzia de gatos pingados e uma garrafa de champanhe aberta com a navalha (o que é sempre legal de assistir). Pegamos as nossas taças e curtimos o primeiro pôr do sol do ano sentados de frente para uma janela com vistas para a Golden Gate Bridge. Que delícia de começo para 2019, e que o ano seja repleto de pores do sol especiais e momentos gostosos como este!

The Claremont
Final de tarde na Golden Gate Bridge

Matando a saudades de Berkeley

Já que estávamos em Berkeley, aproveitamos umas horinhas desse segundo dia para passear por alguns dos nossos cantinhos preferidos como a Marina (Bay Shore Park) de Berkeley, foi a primeira vez que visitamos o parque com os meninos, e eles aproveitaram muito o parquinho, a 4th Street (uma das ruas mais legais de Berkeley) e jantamos no Jupiter (2181 Shattuck Ave – Berkeley) uma cervejaria e pizzaria que é a cara de Berkeley e que tem uma vibe deliciosa (e claro, adoramos as pizzas dos caras!)

Café da manhã no Limewood

Acordamos cedinho e fomos tomar nosso último café da manhã no The Claremont (já com vontade de ficar mais dias, ô lugar gostoso), o sol estava nascendo e a vista estava maravilhosa.

The Claremont
Nascer do sol no. Claremont

O salão estava bem vazio (percebemos que muita gente passou apenas a noite de ano novo no hotel e que dia 2 de janeiro era um dia bem mais tranquila) e pudemos escolher a nossa mesa: de frente para a janela, claro!

Para comer pedimos uma french toast que é feita com um brioche produzido no próprio hotel e é perfeitinha, um mingau de aveia com frutas e sem açúcar para o Caio (a porção é tão generosa que levamos metade para o lanche da tarde) e ovos beneditinos para o Gu e para mim. Eu pedi a versão vegetariana com espinafre e ele a versão tradicional com lombinho canadense, ambos estavam incríveis. Com tanta coisa gostosa, saímos sem conseguir decidir o que gostamos mais: o brunch ou o café da manhã.

The Claremont
French Toast
The Claremont
Ovos beneditinos
The Claremont
Porção de frutas

Depois do café da manhã fizemos o nosso check-out. Deu uma dó danada de não aproveitar o último dia de clubinho para as crianças e curtir as últimas horas no The Claremont com calma. Por outro lado, esse era o dia que finalmente faríamos a nossa mudança para a casa nova, e tínhamos muitas coisas para arrumar antes de tornar a casita habitável, assim nos despedimos do Claremont já com saudades das regalias mas animados para começar o nosso 2019 de verdade!

Pontos positivos: O que o The Claremont tem de legal

  • Se hospedar no hotel mais charmoso da região (o edifício é tão lindo!)
  • Pôr do sol espetacular com vistas de San Francisco
  • Quarto confortável e bem amplo (colocamos com facilidade dois berços para os pequenos)
  • Banheiro espaçoso com banheira linda e box amplo
  • Kids Club: 3 horas por dia inclusos no valor da diária
  • Dois ótimos restaurantes
  • Um clube completo com piscina, quadras de tênis e uma super academia
  • E claro, tudo o que já se espera de um hotel 5 estrelas: roupa de cama de ótima qualidade, toalhas felpudas, e etc…

O que poderia ser melhor:

  • Achei a hora do vinho bem fraquinha, faltou divulgação e animação
  • Chegamos em um momento de recepção bem cheia – e o atendimento foi ótimo – mas adoraria ter tido mais detalhes do hotel, e a dica (fundamental) de já reservar horário no kids club.

[De resto, gostei tanto do hotel e da hospedagem que não mudaria absolutamente nada.]

E vale a pena se hospedar no Claremont?

Muito! Amamos o hotel, o restaurante, o clube e a amenidade deliciosa do clubinho. Gostamos muito e voltaremos em breve!

The Claremont: Dicas para planejar sua visita

Para quem o Claremont é bacana?

O Claremont é uma alternativa ótima para quem vem para San Francisco de carro (algo que eu não necessariamente recomendo) e quer ficar em um super hotel por um preço bem mais moderado do que os preços do centro da cidade.

Ou…
Para quem já conhece San Francisco e quer explorar mais cantinhos da Bay Area.

Ou…
Para quem mora na Bay Area e quer tirar um par de dias para curtir e aproveitar um SUPER hotel.

Dá pra ficar no Claremont sem alugar carro?

Acho besteira. A estação mais próxima de Bart fica a 2,5 km do hotel, e sinceramente acho um trampo se obrigar a caminhar (ou pegar um Uber ) para sair e voltar do hotel.

Informações práticas:

The Claremont Club & Spa (Site oficial) | Reserve aqui!

  • Endereço: 41 Tunnel Rd, Berkeley
  • Telefone: +1 (510) 549-8566
  • Reservas: Consulte os preços (e as promoções) aqui

E aí, curtiu nossa dica de hospedagem?
Alguém aí já se hospedou no Claremont e quer contar para nós o que achou?

Obrigada equipe do Claremont pelo upgrade de quarto, café da manhã e brunch grátis! Estes mimos deixaram a nossa estadia ainda mais especial.

Outros posts de Berkeley:

Veja também:


Para ficar por dentro de todas as novidades do Ideias na Mala, siga nosso instagram!
[instagram-feed]

Planeje sua viagem

Comentários (1)

[…] as noites de 31/12 e 1/1 no Claremont em Berkeley, um hotel que sempre tive vontade de conhecer e que foi perfeito para descansarmos bastante. Amamos […]

Deixe o seu comentário