São Francisco: A Fuga de Alcatraz

Eram seis da matina de um sábado cinzento quando partimos rumo a São Francisco para uma das aventuras mais divertidas e inesquecíveis das nossas vidas: fugir de Alcatraz nadando até São Francisco.

san francisco: Alcatraz

O parque aquático de São FranciscoO parque aquático de São Francisco: olha só que dia feio!

As dificuldades: distância, águas vivas e tubarões

Para quem está acostumado a nadar, a distância é o menor dos desafios são apenas 2 quilômetros de distancia (e se você tiver sorte a corrente pode estar a seu favor), mas dai por diante a coisa só complica. As águas do pacífico são geladíssimas (entre 9 e 14 graus, é frio amigo, frio pacas) o que aumenta suas chances de câimbra e hipotermia. Isso sem falar nos simpáticos colegas que podem aparecer durante a jornada: águas vivas tamanho família (morro de medo), leões marinhos e tubarões. E para fechar a porcaria do “waiver” que me fizeram assinar, ainda corria o risco de ser atropelada por um barco. Lendo tudo isso parece um pouco desanimador, mas foi absolutamente o contrário.

Leão marinho ao lado do nosso barco, nos lembrando que enfrentaríamos um frio do cãoLeão marinho ao lado do nosso barco, nos lembrando que enfrentaríamos um frio do cão

A equipe de nadadores

Éramos um grupo de 30 pseudo nadodores (alunos ou esposos (as) de alunos do MBA de Berkeley-Haas) e estávamos determinadíssimos a fugir a Alcatraz. O dia estava um pouco mais cinzento e gelado do que gostaríamos, mas este leão marinho gordo que nos desejou bom dia na saída do píer nos deixou muito animados.

Alunos do primeiro ano pousando para a foto na saídaAlunos do primeiro ano pousando para a foto na saída, com o número na nossas mãos os organizadores conseguem controlar onde estamos e quem já chegou enquanto nadamos. Os nadadores também são divididos em avançado, médio e iniciantes e os caiaques ficam de olho colado nos iniciantes. 

Barco cheinho de nadadores Barco cheinho de nadadoresBarco cheinho de nadadores

E assim deixamos o pier em São Francisco

E começa a fuga de Alcatraz

Do píer até Alcatraz são cerca de 10 minutos de barco e assim que chegamos lá, fomos de um em um pulando na água fria, de sopetão e começando nosso trajeto rumo ao parque aquático de São Francisco. Para garantir nossa “segurança” haviam pelo menos uma dezena de caiaques, dois nadadores e um barco que ia socorrendo os nadadores que estavam ou muito lentos ou completamente fora da rota. E lógico que ninguém queria ser o último a chegar, portanto rolou uma “mini competição”.

Chegueeeeei!Chegueeeeei! 

Grupo dos rapidinhos se esbaldando de tirar fotos ...

Grupo dos rapidinhos se esbaldando de tirar fotos ...Grupo dos rapidinhos se esbaldando de tirar fotos …

Instruções: como e para onde nadar?

Durante as instruções escutamos que deveríamos nadar sentido as torres gêmeas, só que ninguém me contou que as torres estavam há pelo menos uns 500 metros da entrada do parque aquático (é tipo uma porta no meio do mar e que lá de dentro, num super frio, é bem difícil encontrar) e que eu teria que nadar isso de volta – e claro, contra a correnteza – mas de resto foi tudo lindo, MARAVILHOSO. Minha fuga durou cerca de 30 minutos (o tempo limite é 1:00, acima disso o barco te carrega até o porto) e curti cada braçada. Nadar tendo como pano de fundo a Golden Gate do eu lado direito e a Bay Bridge do lado esquerdo está acima de qualquer distância ou de qualquer frio! É absolutamente SENSACIONAL.

comemorando a conquista

 Gustavo e eu comemorando a conquista

Felizes e cansados todos sobrevivemos a fuga de AlcatrazFelizes e cansados todos sobrevivemos a fuga de Alcatraz

Fotos: Haas Business School

Sobre a Fuga de Alcatraz

Para quem tiver vontade de participar, as fugas de Alcatraz ocorrem mensalmente e custam uns 100 dólares por pessoa (achei meio caro, mas vendo o tamanho da estrutura, acho que vale a pena). Antes de fugir é importante treinar pelos menos umas três vezes em mar aberto e gelado (supondo que você já esteja MUITO acostumado com a distância e super em forma) e alugar uma BOA roupa de Triatlhon. Colocar a cara na água gelada dói pacas (dói mesmo, queima tudo) e nos primeiro treinos você vai sair da água bem tonto devido o efeito do frio na laberinto (demorei para descobrir que um bom tampão de ouvido minimiza e muito o problema)

 

Veja também:

São Francisco: a fantástica ilha de Alcatraz: https://ideiasnamala.com/2013/05/22/sao-francisco-a-fantastica-ilha-de-alcatraz/

São Francisco: Desvendando o Golden Gate Park: https://ideiasnamala.com/2013/04/08/sao-francisco-desvendando-o-golden-gate-park/

Pedalando a Golden Gate: https://ideiasnamala.com/2012/05/27/sao-francisco-pedalando-a-golden-gate/

Coit Tower: a cidade vista do alto: https://ideiasnamala.com/2013/03/09/sao-francisco-a-cidade-vista-do-alto-da-coit-tower/

 

Planeje sua viagem

Comentários (4)

[…] Escapar de Alcatraz é uma aventura e tanto, e uma experiência que a Mari recomenda bastante para quem sabe nada bem. Treinar nas águas geladas da baía é essencial para quem planeja viver essa aventura. […]

[…] ultrapassam 14 graus, este pequeno parque aquático costuma encher de nadadores treinando para a travessia de Alcatraz, durante os sábados e domingos pela […]

[…] ultrapassam 14 graus, este pequeno parque aquático costuma encher de nadadores treinando para a travessia de Alcatraz, durante os sábados e domingos pela […]

[…] – tem um jeitão de lugar sombrio e temido. Pessoalmente, Alcatraz me lembra nossa “Fuga de Alcatraz“, o dia em que nadamos de Alcatraz até a cidade de San Francisco, um momento que nunca […]

Deixe o seu comentário