#Roadtripnodeserto: O incrível Bryce Canyon

20

 

Nosso sexto dia de #Roadtripnodeserto começou numa fria, estamos no Bryce Canyon em Utah, um dos lugares mais lindos que já visitei na vida, mas ainda assim, acordar e descobrir que a temperatura do lado de fora do Motor Home esta – 12 graus, dá uma preguiça danada. E olhando a previsão do tempo com carinho, descobrimos que a máxima do dia era 0 graus. Então levantamos a cabeça, nos entupimos de casacos e fizemos a primeira parada do dia: o nascer do sol. Em seguida dirigimos pelo parque parando em todos os mirantes. Um mais maravilhoso que o outro. O Bryce é encantador. Amei!

 #ROADTRIPNODESERTO: O incrível Bryce Canyon

A primeira parada do dia foi num mirante chamado Sunrise point (ponto do nascer do sol). O sol surgiu na nossa frente e foi iluminando todo o vale. Trazendo Luz  e calor. Foi bem bonito.

Nascer do sol no Bryce

DETALHE IMPORTANTE: Eu que amo tirar fotos e sou fascinada pelas cores da natureza, curti o nascer do sol, mas tanto meu pai, quanto o Gustavo detestaram. Eles não gostaram porque o Sunrise point é o mais sem graça dos mirantes do parque, fato, e porque o lugar é estreito, um pouco perigoso e haviam um montão de turistas se matando para tirar fotos. Isso sem falar do frio de -12 que congelou tudo.

 

Hoodoos, um nome estranho para um pedra linda

Hoodoo Thors Hammer, no Bryce CanyonHoodoo Thors Hammer, no Bryce Canyon

As formações rochosas do Bryce são chamadas de Hoodoos, que nada mais são que pilares de pedra de formato super diferente formados por meio de erosão.Os Hoodoos tem vários formatos divertidos e com um pouco de criatividade você conseguirá encontrar um montão de figuras “familiares”.

 Inspiration Point, o mais lindo dos mirantes

Vista do Inspiration Point, BryceVista do Inspiration Point

Assim que o sol nasceu, fomos para um segundo mirante chamado Inspiration Point que é na minha opinião, o mirante mais lindo do parque. O mirante tem três varandas com vistas panorâmicas em alturas diferentes. Fiquei apaixonada pela vista, e sem exagero, acho que essa é a vista mais linda que já vi na vida.

Vista do Inspiration Point, Bryce

Detalhe que para acessar as duas varandas de cima tive que subir um bom pedaço na neve, e mesmo com meus sapatos de trilha parrudos, levei um par de bons chãos na descida. De qualquer forma o perrengue valeu e muito, amei esse lugar.

Vista do mirante mais alto do Inspiration Point, Bryce Vista do mirante mais alto do Inspiration Point, Bryce 

Bryce Canyon de carro. De mirante a mirante rumo ao Rainbow Point

Um dos programas mais tradicionais do Bryce é dirigir pelos 13 mirantes, parando de um em um até chegar no Rainbow point que está a 2778 metros de altitude e tem uma vista super linda do parque.

E vale a pena parar em todos esses mirantes? Sim. Cada um deles tem uma visão diferente do parque. O único porem em alta temporada pode ser encontrar estacionamento. Em muitos dos mirantes há pouquíssimas vagas então você vai precisar de um pouquinho de sorte e um pouquinho de paciência, ou então optar somente pelos maiores  mirantes que são um pouco mais estruturados. Veja em seguida uma descrição mirante a mirante:

Bryce Point

Bryce Point Bryce Point

Pra quem vem do Inspiration Point o Bryce Point é até um pouco sem graça. Aqui os Hoodoos estão bem mais longe, mas continuam lindos. Amei esta arvore retorcida bem no meio de uma das vistas.

Swamp Canyon

Swamp Canyon, Bryce2438 metros de altitude. Este mirante fica no meio da estrada e não tem nem placa sinalizando. Aqui já estamos afastados do Anfiteatro do Bryce e temos uma perspectiva diferente do Hoodoos.

Farview Point

Farview Point, Bryce Farview Point, Bryce

Com 2688 metros dee altitude a fair view tem uma vista bem longa e num dia claro dá para ver até 160 km de distancia. Lá de cima enxergamos os plateaus das montanhas de Kaibab e o plateau  norte de Grand Canyon

 

Piracy Point

Caminho para o Piracy PointCaminho para o Piracy Point

Fica do lado do Fair View, mas para chegar lá você terá que fazer uma pequena trilha. Gostei de ter feito a caminhada por achei a vista do lado esquerdo super interessantes.

Natural Bridge

Natural Bridge, Bryce

Como o próprio nome indica, nesse mirante a atração principal é uma ponte natural cavada pela erosão provocado por gelo e água que caem de cim ado arco. Ali tivemos a sorte de encontrar um desses passaros pretos gordos que estava praticamente posando para nossa fotos.

Natural Bridge, Bryce

 

Pássaro posando pra foto na Natural Bridge, Bryce 

Agua Canyon

Agua Canyon, Bryce Hoodoos Coloridos no Agua Canyon

Agua Canyon, Bryce

Um mirante todo colorido. Repare na  variação de cores das formações rochosas do Bryce. Aqui tem um Hoodoo famoso, o “The hunter” um Hoodoo cheio de arvores no topo.

Ponderosa Canyon

Ponderosa Canyon, Bryce Ponderosa Canyon, Bryce2672 metros de altura. Com vários Hoodoos multicoloridos e arvores no chão. No inverno este mirante parece um gigantesco bolo de natal.

 

Black Birch Canyon

2778 metros de altitude. Este mirante caprichado chega bem perto dos Hoodoos. Para quem não quer fazer nenhuma trilha, é uma chance de se aproximar das formações sem caminhar nada.

Black Birch Canyon, Bryce Black Birch Canyon, Bryce

Yovimpa Point

Oferece uma vista bem legal do outro lado do vale – o sudeste do estado de Utah. (Só que sem muitos Hoodoos)

Yovimpa Point

Rainbow Point

Rainbow Point Rainbow Point

O final da rodovia do parque oferece uma super vista do parque. Lá do alto dá para ver um pedaço dos outro mirantes pequenininhos e repletos de Hoodoos. Raibow Point é o lugar mais alto do parque com 2778 metros de altitude.

 

O pôr do sol no Bryce

pôr do sol no Bryce

 

Pôr do sol no Bryce visto do Sunset point

Como o sol se põe do lado oposto ao parque, os nascer dos sol são muito mais bonitos e coloridos que o por do sol. Ainda sim, tivemos a sorte de ver algumas cores e enfim, curtimos a brincadeira. (E passamos frrrrriooo, assim que escurece, a temperatura despenca).

 

Uma caminhada pelo Bryce

Sunset point, ponto de inicio da nossa caminhadaSunset point, ponto de inicio da nossa caminhada

Terminada a viagem pelos mirantes – que durou pouco menos de três horas – fomos até o sunset point, que era o  ponto de inicio da nossa caminhada de 5km por dentro do Hoodooss. Lembrando que estamos no inverno e que havia neve pra caramba, fizemos a caminhada com botas de trilha e com muita calma, descendo muiito devagar para não escorregar. Mas para quem nunca caminhou na neve, recomendo seriamente o uso de grampos no sapato.

Vista do Rim Trail, BryceVista do Rim Trail

Começamos percorrendo a Rim trail, na parte de cima do canyon, caminhando até o sunrise trail. A caminhada é bem linda e passa  por Hoodoos bem interessantes. Essa parte do parque é conhecida como Anfiteatro do Bryce. Ali descemos pela Queens Garden Trail que é maravilhosa e passa por alguns Hoodoos que lembram castelinhos, com direito a  portinha e tudo.

Queens Garden Trail, Bryce Olha esses Hoodoos que lindos

Queens Garden Trail, Bryce

Queens Garden Trail, Bryce Queens Garden Trail, Bryce Queens Garden Trail, BrycePortinha na Queens Garden TrailQueens Garden Trail, Bryce Queens Garden Trail, Bryce

A descida estava super lisa e até um pouco perigosa, mas chegar lá em baixo e dar de cara com essas estátuas naturais foi super especial e um dos pontos altos do meu dia.

Queens Garden Trail, Bryce

 

Queens Garden Trail, Bryce

Lá embaixo do anfiteatro  viramos no Najavo Loop, passamos pelas “pontes gêmeas”, dois hoodoos com mini pontes naturais um do lado do outro e começamos nossa subida em zique zague que também foi super especial.Como já era final de tarde a luz do sol estava refletida na pontinha dos Hoodoos deixando as fotos super lindas e diferentes.

Twin Bridges, Bryce

Twin Bridges, Bryce

Subida Navajo Trail

Subida Navajo TrailSubida Navajo Trail, Bryce

 

Subida Navajo Trail, Bryce

Essa volta no parque nos mostrou as “estatuas” numa perspectiva mágica e diferente. Pra quem gosta de caminhar eu diria que o passeio é imperdível!

***

Adoramos Bryce e estamos animados pela nossa próxima parada: Page, no Arizona. Acompanhe!

SOBRE A VIAGEM:

#Roadtripnodeserto é uma viagem de trailer (Motor home)  de mais de 3500 Km percorrendo partes da California, Nevada, Utah e Arizona. Foram 14 dias de estrada passando por alguns dos principais cartões postais norte americanos. Nosso ponto de partida e chegada é Berkeley, pertinho de São Francisco, Califórnia.

Veja também:

Conheça o roteiro da nossa viagem

#Roadtripnodeserto: Entre São Francisco e Mammoth Lakes

#Roadtripnodeserto: Entre Mammoth Lakes e Death Valley

#Roadtripnodeserto: Explorando o Death Valley

#Roadtripnodeserto: Zion National Park

 

Fotos da viagem:

Instagram: Marividigalb | Hashtag #roadtripnodeserto

 

About author

mari vidigal

Viajante incansável, daquele tipo que no meio de uma viagem já está pensando na próxima, na próxima e na próxima. Apaixonada por fotografia, natureza e vinhos

20 comments

  1. Henrique Ribeiro 29 janeiro, 2016 at 17:38 Responder

    Eu vou visitar o Bryce Canyon agora em fevereiro e gostaria de saber quanto foi a duração dessas trilhas que vcs fizeram. Valeu!
    aah e adorei o post, muito bom!

    • mari vidigal 30 janeiro, 2016 at 03:55 Responder

      Oi Henrique,
      Foram trilhas curtinhas de no máximo 1,5 ou 2 (por que havia neve. Sem neve daria para ter feito em menos tempo!)

  2. Cristina 8 janeiro, 2016 at 00:00 Responder

    Mari,

    A Road trip no deserto de vocês está completíssima e com ótimas fotos! Vamos viajar por esses parques em maio de 2016 e os seus posts estão nos ajudando bastante! Parabéns!

    Abraços,

    Cristina – blog Pegadas na Estrada

  3. #Roadtripnodeserto: Um roteiro pelo deserto americano | Ideias na mala 11 dezembro, 2014 at 16:21 Responder

    […] Distância: 32 milhas | passamos o dia dentro do parque percorrendo os mirantes Paixão a primeira vista, o Bryce é um dos lugares mais lindos e interessantes que visitamos. Os Hoodoos, pedaços de pedra avermelhados com formas diversas são lindos. Visitamos todos os mirantes, sendo que o Inspiration Point ganhou o meu coração. Para quem curte andar fazer uma das trilhas por dentro do Rim, é um passeio IMPERDÍVEL. Fizemos uma caminhada, em loop, de 5km que começou no Sunset point, desceu pelo Queens Garden, e terminou com a subida da trilha Navajo. AMEI o passeio  Veja este dia em detalhes aqui. […]

  4. mieko cawamura 26 janeiro, 2014 at 00:08 Responder

    Lindas fotos e belo resumo . Mari, as paisagens ficam diferentes se fizer a trilha no sentido inverso (Sunrise point para Sunset point) ?
    Tks,

Post a new comment

Veja também

Bruxelas: visitando o Atomium

Atomium – Bruxelas O Atomium, um dos prédios mais emblemáticos de Bruxelas estava na minha lista de lugares a visitar há alguns anos. Na minha ...