Paraty: dicas para visitar e se apaixonar

Conheça Paraty, uma cidade que combina o charme das vilas históricas brasileiras com praias de águas transparentes e ilhas caprichadas. Saiba o que ver e fazer nessa cidade toda especial, e confira dicas para aproveitar a região ao máximo!

Na divisa entre os Estados de São paulo e Rio de Janeiro Paraty é uma cidade pequena, e pra lá de charmosa. Seu centro histórico caprichado tem casinhas coloniais coloridas, ruas de pedra, um porto repleto de barquinhos de madeira, igrejas fotogênicas, dezenas de restaurantes gostosos, barzinhos animados e lojinhas pra ninguém botar defeito. Além disso, Paraty é um lugar bacana para usar de base para explorar as ilhas e praias da região. Lugar incrível é o que não falta!

Texto & imagens: Mari & Ana Vidigal

A Vibe de Paraty: 1001 motivos para se apaixonar

Além dessa combinação de belezas naturais com cidade histórica, Paraty tem um jeitinho todo especial que conquistou tanto Brasileiros quanto estrangeiros. Não estranhe, o inglês é a segunda língua da cidade e você vai ouvir bastante.

E quer saber o mais legal? Paraty agrada gente de todo tipo. Tem programas românticos para casais, animação para quem curte festa, trilhas para quem curte esporte e natureza, e uma vibe natureza incrível para quem quer um detox da vida urbana!

Paraty
Ruas coloridas do centrinho de Paraty

Como chegar?

Paraty fica na divisa dos Estados do Rio de Janeiro e São Paulo. A cidade pode ser acessada tanto de carro quanto de ônibus. Enquanto o carro te dará bastante flexibilidade para ir e vir e explorar toda a região do jeitinho que você quiser, o ônibus é uma alternativa hiper econômica e que funciona bem. Quem vai de carro pode ainda aproveitar a viagem para esticar pelas praias do Litoral Paulista (Ubatuba, Ilha Bela, Guaeca e Maresias são algumas das paradas mais lindas da viagem) ou o litoral Carioca (Angra dos Reis e ilha Grande também são incríveis).

Dica da Ana Vidigal que viajou de ônibus: compre online e com antecedência

Nós viajamos Rio – Paraty de ônibus e na volta fizemos Paraty – São Paulo. A viagem é longa, são cerca de 7 horas e meia, mas dormimos e foi ótimo. Sugiro que comprem online e com antecedência (comprar na rodoviária geralmente é furada porque nunca tem lugar para o horário que você quer). Há uma pequena taxa para quem compra online, mas juro que compensa!

Veja a localização de Paraty no Mapa:

Quantos dias?

O centro histórico de Paraty é pequenino e pode ser facilmente visitado em 1 dia. Mas para curtir a região com a calma que ela merece, fazer passeio de barco, esticar para Trindade ou Praia do Sono recomendo no mínimo uns 4 dias. Tem mais tempo? Melhor, coisa linda é o que não falta por lá!

Onde se hospedar?

O centro histórico é o coração de Paraty, e uma das regiões mais gostosas da cidade para se hospedar. A graça é deixar o carro estacionado (mesmo porque as ruas de pedra do centro tem tráfego restrito para automóveis), sair a pé, tomar um drink (pra quem gosta de cachaça, a local é deliciosa) sem ter que dirigir, curtir os restaurantes sem pressa. Enfim, se couber no seu bolso, juro que vale o investimento.

A região do Jabaquara (um pouco afastado do centro) tem pousadas com bom preço e pode ser uma opção interessante para quem gosta de caminhar ou não liga de ficar pegando carro. Ainda assim, prefira o centro.

Deixe o salto fora da mala

E falando em ruas de pedra, aí vai uma dica MEGA importante. Sabe aquele sapato de salto lindo? Nem leve! As ruas do centro de Paraty são todas de pedra, chatas de andar num dia de sol e mega escorregadias quando chove. O salto é uma grande furada e seu maior inimigo na cidade.

Pousadas charmosas

O centro de Paraty está repleto de pousadinhas fofas, muitas delas são casinhas coloniais coloridas com uma estrutura interna moderna, piscina bacana e café da manhã caprichado. Aí vão algumas sugestões de hospedagem.

  • Pousada Casa Colonial 12 (R. Dr. Samuel Costa, 12): Com pouquíssimos quartos essa pousada boutique combina o charme da fachada colonial, com um interior moderninho e caprichado. A decoração clean é de hiper bom gosto, e os quartos são hiper confortáveis.
  • Pousada Porto Imperial (R. Antônio Lapa Malvão, s/n): Decoração rústica, jardim caprichado e localização top fazem da pousada Porto Imperial uma das mais tradicionais e disputadas de Paraty. A pousada é relativamente grande e tem mais de 45 quartos.
  • Pousada Corsário Paraty ( Rua João do Prado, 26): Localizada de frente para o canal de Paraty, a pousada tem um jardim delicioso, uma piscina linda e redes para lá de confortáveis. Um lugar bem relax!
  • Pousada do Principe (Av. Roberto Silveira, 289 – Centro): A antiga casa que pertenceu ao D. João de Bragança (bisneto da Princesa Isabel) tem um pátio delicioso com piscina caprichada e uma decoração bem colonial.

Hostel

Para quem quer algo mais em conta, Paraty está repleta de hostels (e os gringos adoram!)

  • Che Lagarto (Rua Benina Toledo do Prado, 22): Bem conveniente para quem vai para cidade sem carro. O hostel fica no meio caminho entre a rodoviária e o centro e facilita a vida de quem quer curtir o centro a aproveitar as aforas de Paraty. O hostel tem uma programação bacana, vários passeios organizados por eles e um restaurante que serve combos caprichados de prato feito + caipirinha (de cachaça) por R$25,00. A Ana Vidigal ficou hospedada num quarto para 6 pessoas e gostou bastante da experiência.

Outras opções bacanas de hostel são o Maracujá Hostel (coladinho no centro e com decorações bem colorida) e o colorido Bossa Nova Hostel (1,1 Km do centro, conta com quartos coletivos e privados).

Onde comer & Beber

Outro motivo para visitar (e amar) Paraty é a gastronomia local. Restaurante gostoso é o que não falta, e atenção vegetarianos e veganos, porque também tem MUITA comida gostosa para vocês ;).

Abaixo algumas dicas que reuni com amigos queridos, a Ju Ferraro que mora em Paraty e escreve o blog Lotus Viajante, a Mirella Matthiesen – do Viajoteca -sempre afiada com as dicas gastronômica, a Caroline Requena amiga da Fafá que foi uma fofa e deu várias dicas boas, a Rosa Sigrist que engordou o post com dicas para lá de especiais, o Gabriel Vidigal que confirmou as dicas de todos 😉 e a Raisa Paula que recheou a lista com uma dica de bar! Obrigada pessoal!

Para comer

  • Margarida Café (Praça do Chafariz – Centro Histórico): Meu preferido, esse bistrozinho fofo tem pratos deliciosos, sobremesas caprichadas e um ótimo atendimento.
  • Banana da Terra (R. Dr. Samuel Costa, 14): Cozinha local deliciosa. Todos os amigos que mencionei acima falaram desse restaurante e ressaltaram a comida e o atendimento! O primeira da lista que PRECISO visitar na próxima ida a Paraty.
  • Thai Brasil (R. do Comércio, 308 A): Para quem gosta de comida tailandesa e um pouquinho apimentada, o Thai Brasil é uma excelente pedida. Aos finais de semana rola música ao vivo e o cardápio vegetariano é ótimo!
  • Pipo ( Largo do Rosário, 1): Para quem gosta de comida Italiana, a dica é o Pippo, um restaurante charmoso com decoração inspirada no cinema da década de 60. Bem bacana para ir de casal.
  • Punto Divino (R. Mal. Deodoro, 129): A casa comandada por uma casal de Italianos tem mais de 18 anos de idade (já é uma adulta!), os pratos são gostosos, bem feitinhos e o ambiente é a cara de Paraty.
  • Le Castellet (Ponta da Praia Grande): Crepes franceses bem gostosos e autênticos!
  • La Luna: (Avenida Jabaquara – Quinqué 10): Bem descontraído, na praia no Jabaquara e pé na areia.
  • Le Gite d’Indaiatiba: (Rodovia Rio-Santos, Km 558 – Graúna | uns 15 km depois de Paraty: Essa pousada- restaurante fica numa fazenda linda com um super jardim. O restaurante é comandado por um francês e a comida é ótima!

Snack Natureba

  • Manuê (R. Mal. Deodoro, 36): Sucos deliciosos, Açaís e sanduíches. Boa pedida para um almoço rápido ou um lanchinho natureba.
  • Maria Fulô Bistro Natural e Tapiocaria(R. Presidente Pedreira): Tapiocas incríveis e Açaí sem xarope. Eles também servem almoços vegetarianos deliciosos

Drinks

  • Casa Coupê ( R. Mal. Santos Dias): Barzinho Relax no centrinho da cidade.
  • Paraty 33 (Rua Maria Jácome de Mello, 357): Barzinho com música ao vivo que vira baladinha! Bem descontraído, muito legal!

O que fazer em Paraty?

Passeio pelo centrinho

O centro de Paraty passou por quatro momentos históricos diferentes que moldaram suas ruas e o deixaram com a carinha atual. O ciclo do ouro (graças a localização privilegiada entre Rio, São Paulo e não muito longe das Minas Gerais), o ciclo da cana de açúcar (a tradição da cachaça é antiga em Paraty, e até hoje existem 7 alambiques na cidade), o Ciclo do Café ( Paraty era o porto mais próximo do Vale do Paraíba, principal região produtora de café) e o turismo, que preservou os casarões transformando-os em lojas e pousadas e manteve as ruas de pedra (estilo pé de moleque) chatinhas de andar, mas fotogênicas pra xuxu.

Paraty
Centrinho de Paraty

Vale falar também que o formato “perfeitinho” da cidade foi determinado pela força das marés (que invadiam a cidade nas noites de Lua Cheia), das chuvas poderosas que até hoje alagam a região (as chuvas rendem fotos lindas de Paraty, mas acredite, você não quer pegar chuva na cidade! As ruas de pedra viram sabão e alagam, uma lama que não tem fim), o porto (importante para escoamento de produtos, muitas vezes invadido por piratas) e a maçonaria (parte importante da sociedade brasileira antiga, que deixou marcas geométricas hiper fotogênicas na fachada de muitos prédios).

Paraty
Centro de Paraty visto do barco

E com tanta história e charme juntos, nada mais justo do que uma volta CAPRICHADA pelo centro de Paraty. Aí vão algumas dicas:

Igrejas:

O centro de Paraty tem duas igrejas históricas, a Matriz de Nossa Senhora dos Remédios (segunda a sexta das 9h às 12h e das 13h às 17h30. Aos sábados, das 8h às 12h e de 13h às 16h. Entrada: R$ 3,00 | Proibido tirar fotos) que levou mais de 40 anos para ser construída e jamais teve suas torres terminadas e a Igreja de Santa Rita (Aberto de 3ª a Domingo das 09h às 12h e das 14h às 17h | Entrada: R$2,00 – grátis as terça feiras) onde funciona o Museu de arte sacra da cidade. Apesar de menor que a catedral, ela é um dos principais cartões postais da cidade e fica linda vista do mar! Para fotos mais bonitas prefira a Maré alta, mas também vale a visita durante a maré baixa para ver a incrível mudança de cenário.

Da última vez que visitei a cidade fiquei um pouco chateada com o estado da matriz, repleta de mofo, e cheia de goteiras. Uma pena.

Paraty
Igreja de Santa Rita

Porto de Paraty:

Não deixe de caminhar e fotografar os barquinhos coloridos. Um charme.

Paraty
Barquinhos coloridos no Porto de Paraty

Dicas de lojinhas:

Lembrancinhas fofas, cachaças, roupas estilosas, artesanatos e peças de arte. Coisa linda é o que não falta no centro de Paraty! Aí vão duas dicas recomendadas pelas Mirella do Viajoteca e da Rosa Sigrist.

  • Talismã ( Rua Dr Samuel Costa, 11): Roupas e Bijuterias. Tem coisas maravilhosas! Super diferentes! 
  • Atelier do Dalcir (Rua Santa Rita, 65): cerâmicas incríveis e hiper diferentes. Se a página do Facebook já é incrível, imagine só ao vivo!!!
  • Atelier da Terra (Rua da Lapa,1): Lembrancinhas LINDAS confeccionadas pelos locais.

Galerias de arte:

  • Galeria Zoom (Rua do Comércio, 05): Exposições itinerantes de arte e fotografia.

O Forte de Paraty

O forte de Paraty esta passando por reformas (que sorte, pois na minha última visita o bichinho tava mais para lá do que para cá), mas a caminhada, a vista e o cheirinho de natureza valem para quem tem tempo sobrando. O Forte fica um pouco afastado do centro, mas dá fácil para caminhar.

Paraty
Paraty vista do alto do forte

Praia do Jabaquara

As praias dentro da cidade não são incríveis, Jabaquara é a melhor delas e tem uma vibe toda especial. Especialmente a noite, quando os barzinhos ficam lotados de gente jovem. Vale curtir uma noite por alí!

Passeio de barco pelas praias da região

Um das formas mais incríveis de conhecer e se apaixonar pela natureza e pelas praias da região é fazer um passeio de barco. Os passeios podem ser em barcos menores para grupos pequenos, ou em uma escuna com uma galera (eu Mari já fiz as duas coisas e gostei bastante. Tudo depende da sua vibe, e o que você quer naquele dia. Festa? Vá de escuna. Relaxar? Barco pequeno) e podem ser contratados no dia e no Porto (a vantagem de deixar para contratar na hora é escolher um dia ensolarado, vamos combinar que neblina e barco não combinam!). Confira os horários de saída no dia anterior, chegue uns 40 minutos antes para ter tempo de negociar e mande ver!

Paraty
Barco colorido saindo para passear

Abaixo os relatos do passeio da Ana Vidigal

Quando decidi que iria para Paraty, me falaram muito de TRINDADE e deste tal passeio de barco. Fechamos ele pelo hostel, e saiu R$60,00 por pessoa. (Quer uma dica? Vá direto no porto e você encontrará BEM mais barato). O passeio dura o dia todo, saímos as 9 horas, e voltamos por volta das 16hrs. O barco que pegamos era pequeno, tinha umas 9 pessoas, o que era bem legal.

Paraty
Curtindo o passeio de barco

Paraty

Na parte de cima dava para tomar sol e curtir a vista da costa. Fizemos 3 paradas. Duas em água doce, com lugar para ver peixes, e uma em uma praia maravilhosa. Perguntei para o marinheiro e ele me disse que paramos na Praia do Juru Mirim, Ilha da Pescaria e Praia vermelha. Me apaixonei pela  praia vermelha: Maravilhosa e tranquila! 

Paraty
Peixes coloridos vistos do barco
Paraty
Uma das paradas do passeio de escuna
Paraty
Praia vermelha no passeio de barco

Degustar cachaças locais

A cachaça é uma tradição antiga em Paraty e está por todos os lados. A cidade tem 7 alambiques (todos eles afastados do centro) e muitos barzinhos onde você poderá provar a “marvada” local. Pra quem curte pinga, vale fazer a viagem até um dos alambiques, provar a branquinha da fonte e aprender um pouquinho mais do processo produtivo. Para garantir a visita, ligue e agende com antecedência.

Como não visitei nenhum deles, vou colocar apenas os sites e endereços e deixo a escolha com vocês. Se alguém tiver dicas ou recomendações vou adorar atualizar o post.

Alambique Maria Izabel: Sítio lindo e uma das melhores cachaças da região

  • Endereço:  Sitio Santo Antônio – Corumbê – Paraty/RJ |  O sítio fica no fim da estrada de terra (aproximadamente dois quilômetros) que inicia no lado direito da rodovia BR-101 a 7,3 quilômetros do trevo de entrada de Paraty, no sentido de Angra dos Reis. | Veja localização no Google Maps.
  • Telefone:  (24) 9999-9908
  • Agende visite com antecedência
Alambique Coqueiro: Maior e mais moderno de Paraty
  • Endereço: Fazenda Cabral – Cabral – Paraty/RJ | O sítio fica  na estrada que inicia no lado direito da BR-101(km 583) a 7,0 quilômetros do trevo de Paraty, sentido Ubatuba, seguindo por mais 1,1 quilômetro pela estrada. | Veja localização no Google Maps
  • Telefone: (24) 3371-0016
  • Agende visite com antecedência

Alambique Engenho d’Ouro: O menorzinho

  • Endereço: Estrada de Paraty Cunha, Km 8 – Penha – Paraty/RJ| O alambique fica na beira da rodovia Paraty/Cunha a 7,8 quilômetros do trevo de entrada de Paraty, no lado oposto ao da Igreja do Penha | Veja Localização no Google Maps
  • Telefone: (24) 9905-8268
  • Agende visite com antecedência

Alambique Pedra Branca: O moderninho

  • Endereço: Estrada da Pedra Branca, km 1 – Ponte Branca – Paraty/RJ
  • Telefone: (24) 7835-4065
  • Agende visite com antecedência

Fazer uma aula de Yoga

Para quem quer aproveitar a viagem e curtir o lado Zen de Paraty, a dica é a Casa do Dharma, uma escola de Yoga e meditação com um projeto MUITO bacana. Vale ficar de olho na página de Facebook deles e ver o que está rolando de bacana e conferir a programação. Toda quinta-feira de manhã tem roda de Deeksha – uma mistura de benção com meditação que é incrível. #Ficaadica

  • Endereço: Rua José França Núbile, 44 D

Visita a comunidades indígenas locais

Quem se interessa pela cultura indígena, pode visitar a Aldeia de Paraty Mirim. A Aldeia tem 36 famílias e vive de agricultura de sub-existência, produção de artesanatos típicos e turismo. As visitas levam cerca de duas horas, preço e horário de início devem se combinados com antecedência.

  • Endereço: Estrada Paraty-Mirim, s/n – Paraty-Mirim – Paraty
  • Telefone: (24) 3371-4047 / (24) 99838-1242 (Eva Benite)
  • E-mail: acigua@gmail.com

Teatro de Marionetes para adultos

Para quem quer fazer um programa cultural diferente, a dica é assistir uma das peças do Teatro de marionetes da cidade. As peças são focadas no público adulto, e variam de tempos em tempos. Confira horários e programação no site.

Endereço: Rua Dona Geralda, 327

Bate-e-volta de Paraty

As aforas de Paraty estão repletas de praias maravilhosas, ilhas paradisíacas, cachoeiras hiper refrescantes e trilhas com uma vista para lá de especial. Abaixo alguns passeios testados por mim e pela Ana Vidigal, e outros recomendados pelo João Chieregati (amigo hiper viajado) e pela Caroline Requena que mais uma vez arrasou nas dicas.

Trindade: Praias & cachoeiras

Trindade é um desses cantinhos abençoados, as praias são incríveis e a piscina do Caixa D’Aço é algo para lá de especial. Um lugar que faço questão de visitar toda vez que vou para a região. Nos últimos anos, a pequena Trindade cresceu bastante e hoje conta com um centrinho repleto de lojinhas, banquinhas de comida e restaurantes, o vilarejo continua sendo mais hippie e mais barato que Paraty, mas já não é remoto como antigamente. Essa “descoberta” de Trindade fez com que a praia, antes praticamente vazia, ficasse mais disputada e até um pouco lotada, mas continua sendo um lugar lindo, charmoso e que merece a visita. Abaixo os relatos da Ana Vidigal sobre a experiência dela em Trinidade.

Paraty
Praia do Caixa D’aço – Trindade

Como chegar de transporte público

O ônibus que vai para Trindade sai da Rodoviária de Paraty, e vai direto para lá. Não tem como errar.  A empresa que comanda a linha se chama Colitur ((024) 3371-1224) a freqüência dos ônibus é a cada 30-40 minutos e o bilhete custa R$5,00. Quanto mais cedo você chegar, maiores as chances de conseguir um lugar no ônibus sem ficar esperando o próximo. Vale falar que essa linha só aceita passageiros sentados, portanto e número de lugares por ônibus é limitado. O trajeto entre Paraty e Trindade leva cerca de 40- 50 min, dependendo do trânsito.

Veja aqui os horários dos ônibus (Vale sempre dar uma ligadinho para confirmar os horários!)

Como chegar de carro

De carro, o trajeto entre Paraty e Trindade é de 24 Km (cerca de 35 minutos) e é feito pela BR101. Veja abaixo o Trajeto pelo Google Maps.

Experiência da Ana em Trindade

Fizemos o  trajeto Paraty – Trindade com ônibus de linha (quem estiver sem carro, pode também optar por uma excursão ou táxi, mas sinceramente o ônibus é tão tranquilo que vale a economia) Descemos no último ponto, bem perto da trilha para as cachoeiras de Trinidade, e para a praia do Caixa D´aço.

Paraty
Praia do Caixa D´aço

Cachoeiras de Trindade

Ao descer do ônibus, perguntamos a direção das cachoeiras e começamos por elas. Adoramos ter começado pelas cachoeiras e eu super aconselho ir para elas primeiro (quando o sol tá mais forte e as praias mais cheias). A trilha para a cachoeira é bem selvagem, mas é só caminhar e buscar um lugar mais vazio e com bastante sombra. É uma delícia ficar por lá, com as sombras naturais e com a água doce da cachoeira, além de ser super bonito!

Pedra que Engole & Poço Fundo

Trindade tem quatro cachoeiras fáceis de chegar, a mais famosa é a Pedra que Engole. Ela tem esse nome porque é uma cachoeira entre duas pedras, a graça é escorregar pode dentro delas e ser engolido. (Procure vídeos no Instagram, e veja que legal!)

No caminho da Cachoeira da Pedra que engole você passará pela Cachoeira do Chuveira (pequena, porém bem forte, uma delícia de massagem natural e gelada), a Cachoeira duas paredes (que é a melhor para mergulhar, e por isso as vezes fica um pouco cheia) e a cachoeira do Poço Fundo (dividida por uma rocha grande e fotogênica.

Cachoeira da Praia Brava

Essa é uma cachoeira um pouco mais chatinha de chegar, a trilha pela Praia Brava é mais escorregadia, e pelo que vimos nas fotos, não achamos que merecia o trabalho. O que sim vale falar, é que por ser mais difícil de chegar, é uma alternativa bacana para um dia mais lotado.
Acesso por trilha em direção a Praia Brava.

A Praia do Caixa D’Aço

Terminada a sessão cachoeira, voltamos pela trilha principal rumo a praia do meio, dalí continuamos a caminhada rumo a praia do Caixa D’aço. A trilha é super rápida (+- 10 Min de caminhada), tranquila, e o trajeto tem vistas maravilhosas da costa de Trindade. Seguimos até o final, mas antes de continuar, como estávamos com fome paramos no único restaurante que tem na praia, uma graça! (Atenção: eles só aceitam cartão de crédito para quem consome acima de R$50,00). Comemos uma isca de peixe que estava deliciosa.

Paraty
Praias de Trindade vistas do alto da Trilha
Paraty
Praia do Caixa D’Aço

Piscina Natural do Caixa D’Aço

Em seguida atravessamos toda a praia do Caixa D’aço e fizemos a trilha até as piscinas naturais. Essa trilha é um pouco mais longa (uns 20/25 min de caminhada) mas vale a pena, a piscina natural é linda, repleta de pedras e com uma super vista do mar. Ficamos por lá algum tempo, mas optamos não nadar na piscina natural, pois estava muito cheia de gente.

Paraty
Piscina Natural do Caixa D’Aço

De volta a praia do Caixa D’Aço, já era fim de tarde. Nos instalamos na praia que já estava mais vazia, e ficamos lendo e curtindo o mar! Por volta das 18:30 voltamos para a cidade, e quando chegamos no ponto de ônibus havia uma fila gigante! O último ônibus passa as 21 horas, mas antes dele há apenas o das 19:00, e foi esse que pegamos! UFA!

Praia do Sono

Outro lugar MARAVILHOSO, e que merece ser visitado é a Praia do Sono. O lugar é tão lindo, que vale até considerar ficar uma ou mais noites por lá.

Paraty
Rede na Praia do Sono

Como chegar?

Há duas formas de chegar a praia do Sono. Por trilha (cerca de 45 minutos – 1 hora de caminhada) ou de barco (R$ 30,00 cada perna). Para chegar na boca da trilha é preciso pegar o ônibus (que sai da rodoviária) rumo a Laranjeiras. O trajeto leva cerca de 40/50 minutos de ônibus.

Ainda no ônibus você terá que decidir se deseja ir de barco ou caminhar (as paradas são diferentes e quem vai de barco desce antes). Vale falar que quem vai de barco, deve ir pela manhã, o mar fica bem agitado na parte da tarde, e dependendo do agito, a travessia não é recomendada. 

A caminhada rumo a praia do Sono

A parada final do ônibus fica na boca da trilha para a praia. É uma trilha linda, com dificuldade média e com bastante subida. Vá de tênis e leve água para não desidratar. Embora o caminho seja cheio de árvores, muitas vezes há partes longas sem sombra. O último pedaço, e o mais especial, tem um pico com vista caprichada para toda a praia, é maravilhoso!

Paraty
Praia do Sono vista da trilha

E a praia realemente vale a caminhada. Eita lugar bonito, ideal para descansar.

Paraty
Praia do Sono

Para quem quiser dormir uma ou mais noites por lá, a praia é cheia de campings. Vale pesquisar!

Cachoeira Tobogã

Outro passeio BEM gostoso e divertido na Região é a cachoeira do Tobogã, uma pedra super lisa que é um verdadeiro escorregador natural. A região tem várias outras cachoeiras menores, e o Poço do Trazan, quem tiver mais tempo pode passar o dia explorando!

Paraty
Cachoeira Tobogã

Como chegar?

De ônibus: Pegue o ônibus na Rodoviária de Paraty sentido Penha (pergunte o número do ônibus na rodoviária que todo mundo sabe). O ônibus passa de hora em hora, e a empresa que faz o trajeto é a Colitur (024) 3371-1224. Como o ônibus passa apenas de hora em hora, vale a pena ligar lá no dia anterior e conferir os horários.

De carro: O trajeto entre o centro de Paraty e a cachoeira é de pouco menos de 10 Km (cerca de 20 minutos). Veja o trajeto no google maps:

Saco do Mamanguá

Um passeio lindo, hiper bem recomendando pelos amigos João e Gabriel é o Saco do Mamanguá (ainda não fiz, mas pirei nas fotos do Google), um braço de mar que entra na mata atlântica. A chegada é feita de barco, e o visual é impressionante.

Chegando lá, você pode fazer uma trilha até o alto do Pão de Açúcar (2 horas de caminhada – com subida – dificuldade média) e ter vistas incríveis de toda a região, curtir a região de caiaque, fazer a trilha para uma das cachoeiras lindas da região e curtir os artesanatos lindos feitos pela comunidade local.

Veja as dicas do pessoal do A próxima viagem.

Ilha do Pelado

A ilha do Pelado fica a cerca de 1 Km da praia de São Gonçalo (entre Paraty e Angra dos Reis) ou pela praia do Tarituba. Para chegar em São Gonçalo você terá que cruzar um riacho (a pé ou de barquinho de pescador), e da praia poderá pegar barcos a Ilha do Pelado. O trajeto de barco leva pouco menos de 10 minutos e custa R$20,00 por pessoa.

Paraty
Cruzando o Riozinho para chegar na Praia de São Gonçalo
Paraty
Barco grande rumo a Ilha do Pelado e seu pequeno motorista
Paraty
Praia de São Gonçalo vista do barco

A ilha tem três praias lindas e de águas transparentes e dois quiosques com cadeirinhas de plástico (leve dinheiro vivo). Um lugar bem tranquilo para passar o dia – e que costuma encher durante os finais de semana, quando o pessoal que trabalha em Angra vem passar o dia na ilha. Gu e eu gostamos bastantes de passar umas horinhas por lá.

Como chegar?

De ônibus: Pegue o ônibus da Colitur na Rodoviária de Paraty rumo a São Gonçalo.

De carro: são 31 Km (cerca de 30 minutos) até São Gonçalo. Veja no Google Maps

Veja aqui os relatos do pessoal do Viajar hei.

Ilha do Cedro

Mais longe, e mais bonita que a Ilha do Pelado a Ilha do Cedro é outra opção de passeio bacana acessível desde São Gonçalo (veja no item acima como chegar). Os barcos fazem a travessia frequente durante os finais de semana, férias e feriados. Em dias comuns você terá um pouco mais de dificuldade de atravessar. A ilha também tem restaurantes, mas eles só aceitam dinheiro. Espere uma consumação mínima. Praias lindas, mar transporte e sossego são garantidos nesse passeio!

Festivais em Paraty:

Além da programação normal, o centrinho fofo e as praias da região, Paraty é palco de uma série de festivais. Vale programar sua visita (seja para curtir, ou para fugir deles!)

  • Carnaval de Paraty: Paraty tem um carnaval de rua jovem, animado e bagunçado. Para quem quer agito e praia, é uma boa opção
  • Festival de Jazz – Bourbon Festival (Maio): Taí um festival interessante para quem curte Jazz, a cidade se enche de palcos e tem muito música boa rolando.
  • Festival Literário (julho): A FLIP (Festa literária Internacional) é um dos eventos literários mais importantes e interessantes do país, tenho amigos que já foram várias vezes e AMAM a chance de descobrir novos autores, conhecer gente interessante e curtir Paraty.
  • Festival da pinga (Agosto): Esse é um festival bem tradicional, mas que infelizmente de uns anos para cá se transformou numa bagunça generalizada e em muita bebedeira. A cidade tem tentado reverter o quadro de sujeira e bebedeira, mas por enquanto é um ambiente para quem quer bagunçar.

E aí, curtiu as dicas?

Pronto para se apaixonar por Paraty?

Tem sugestões/ atualizações para este post? Deixe um comentário!

Outros blogs que viajaram para Paraty:

  • Viajoteca: A Mirela visitou a cidade e escreveu um relato cheio de boas dicas!

Viaje sem stress:


Faça seu seguro de viagens


Guarde este post no Pinterest!

paraty

Planeje sua viagem

Comentários (9)

[…] completar minha maratona de Brasil (tive um mês de férias e fiz Rio de Janeiro, Paraty e Foz do Iguaçu, resolvi incluir um destino que há tempos sonhava em visitar: […]

[…] Veja também: Guia de Paraty: Dicas do que fazer, onde ficar, onde comer e muito mais […]

[…] Planet, elegeu especificamente as cidades do estado do Rio de Janeiro (Angra dos Reis, Ilha Grande, Paraty entre outras) como uma das 10 melhores regiões do mundo para viajar em 2016, porém as cidades do […]

Show de post Mariiiiiiiii …. completíssimo!
Passando também para agradecer o link <3
Love You!

Obrigada você pelas dicas!
Beijos

Mari !!! Seu post me deu saudades de Paraty !!! Esse lugar é simplesmente maravilhoso !!! Me senti entrando num tunel do tempo ! Recomendo muito o passeio !!!

EEEba! Feliz que o post te trouxe memórias lindas!
Obrigada pela visita!
Beijos

Deixe o seu comentário