Arquipélago de Abrolhos: tudo sobre o Parque Nacional Marinho no sul da Bahia

Você já ouviu falar em Abrolhos? O arquipélago, ainda pouco conhecido no Brasil, é o destino ideal para quem curte mar e vida marinha. Localizado a cerca de 65 quilômetros da costa sul da Bahia, Abrolhos é um Parque Nacional Marinho composto por cinco ilhas e formado por um complexo de chapeirões exclusivos desta região.

Além disso, Abrolhos é o mais importante berçário das baleias jubartes do Atlântico Sul. Já pensou encontrar com uma delas durante a sua passagem por lá? Isso é possível em determinado período do ano!

O destino é pedida certa não só para mergulhadores certificados, mas também adoradores de snorkel. Dá para enxergar uma vida marinha incrível bem de pertinho, sem precisar ir muito fundo! Por isso, vale encaixar Abrolhos nas suas férias – e até mesmo em um roteiro pelo sul da Bahia.

Neste texto, vamos te explicar todos os detalhes de Abrolhos para você se apaixonar e entender como planejar uma viagem até lá (existem passeios de bate a volta e pernoites de 1 até 7 noites). Para ajudar a sua navegação aqui, preparamos um menu clicável para você ir direto ao ponto que deseja:

Abrolhos: o primeiro Parque Nacional Marinho do Brasil

Assim como Fernando de Noronha, Abrolhos é um Parque Nacional Marinho. Isto é, a região é um berço incrível de preservação da vida marinha e um marco na história do Brasil. Mas, de cara, vale o aviso: não é permitido o desembarque de turistas em terra firme. Ou seja, não é permitido ancorar nas ilhas – o tempo todo você fica dentro do barco ou nadando na água, é claro.

Abrolhos
Um dos nosso pontos de parada foi bem próximo da Ilha da Siriba. O visual era esse daí!

O arquipélago foi o primeiro Parque Nacional Marinho do Brasil, criado em 06 de abril de 1983. Administrado pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, o ICMBio, Abrolhos é a maior biodiversidade marinha do Brasil e do Atlântico Sul, além de possuir o maior banco de corais e mais importante berçário das baleias jubartes do Atlântico Sul.

Abrolhos é composto por cinco ilhas: Ilha Redonda, Ilha Siriba, Ilha Sueste, Ilha Guarita e a Ilha Santa Bárbara, que fica sob jurisdição da Marinha do Brasil.

Arquipélago de Abrolhos
Arquipélago de Abrolhos visto do alto

Segundo dados do Ministério do Meio Ambiente, um estudo da biodiversidade o Banco de Abrolhos registrou aproximadamente 1.300 espécies, 45 delas consideradas ameaçadas.

Chapeirões

Os chapeirões são estruturas recifais que só são encontradas nesta região (sim, de todo o mundo)! Os chapeirões são uma espécie de colunas coralinas que crescem no fundo do mar em forma de cogumelo. Parece uma floresta de baixo da água.

chapeirão Abrolhos
Chapeirões em Abrolhos (Foto: Wikimedia Commons)

Com a base estreita e o topo expandindo, os recifes me lembraram o mundo de Avatar! É surreal! Segundo dados do próprio ICMBio, eles chegam a medir 20 metros de altura e 50 metros de diâmetro no topo.

A estrutura serve de berçário para a vida marinha: esponjas, estrelas-do-mar, ouriços, peixes, arraias, moreias, tartaruga e muito mais!

Abrolhos
Uma das muitas tartarugas que ficam nadando pertinho da gente!

Baleias jubartes

Todos os anos as baleias jubartes se reproduzem e têm seus filhos em Abrolhos. Por isso, a região é considerada o principal berçário das baleias jubarte no Atlântico Sul.

Baleia em Abrolhos
Foto: Horizonte Aberto

Entre junho e novembro, as baleias jubartes se reproduzem por ali e depois seguem para o sul do Brasil. No ano seguinte, elas voltam também neste período para terem seus filhos no mesmo local em que foram concebidos. Incrível, né?

Onde fica o arquipélago

O arquipélago de Abrolhos fica a cerca de 70 quilômetros da costa da cidade de Caravelas, no sul da Bahia. É dela que saem os barcos com destino a ilha. Caravelas fica a 50 Km de Prado (1 hora) e a 275 Km de Trancoso (pouco mais de 4 horas).

Dependendo da embarcação escolhida, o trajeto leva entre 3 a 6 horas de navegação até chegar ao arquipélago e ancorar nas águas tranquilas de Abrolhos.

Vale dizer que até chegar na região, o caminho não é tão fácil (principalmente em dias de ventos fortes). Eu sou uma pessoa que enjoa fácil, então o caminho foi bastante sofrido pra mim, mas mesmo os “mais fortes” também sentiram bastante o balanço barco. Então, vale levar um remédio para evitar enjoos no caminho.

Como chegar e/ou visitar abrolhos

O Arquipélago de Abrolhos só pode ser visitado com agências que realizam passeios embarcados saindo de Caravelas. Mas, vale dizer, que não existe o desembarque nas ilhas do arquipélago. O tempo todo você fica ou no barco ou nadando no mar. Os barcos não podem ancorar próximos às ilhas e não é permitido caminhar nelas (apenas a Marinha tem a autorização para isso).

As agências podem fazer passeios de bate e volta (geralmente com saída às 07h e retorno às 18h) ou com pernoites, que variam de 2 a 7 dias.

Abrolhos
Ao menos 1 noite para você conseguir ter esse lindo pôr do sol em Abrolhos!

Eu fiz o passeio de 2 dias, sendo 1 pernoite. Achei muito bom, mas eu indicaria o de 3 dias (e faria novamente mais uma vez). Isso porque assim você tem ao menos um dia inteiro em Abrolhos – e acredito que isso faça total diferença.

Para mim, o bate e volta me pareceu loucura. Já que você leva 3 horas para chegar lá e fica na região por 2 ou 3 horas apenas. Acho válido se essa for a sua única opção (e se a sua intenção do passeio for avistar baleias jubartes pelo caminho).

Horizonte Aberto: testada e aprovada

Antes de ir, fiz uma pesquisa e encontrei cerca de 5 empresas de turismo que realizam o passeio. É claro que escolher uma delas depende muito da sua data de viagem e do cronograma disponível das agências. No final, optei em fazer com a Horizonte Aberto – além deles terem uma data ótima que casava com o meu roteiro naquele mês, me pareceu uma das melhores infraestruturas. Dito e feito: eu amei!

Além de um protocolo de segurança super rígido por conta do Covid-19, a tripulação foi impecável o tempo todo. Nós estávamos em 8 pessoas/turistas (o barco possuía 4 quartos), mais 4 tripulantes (o marinheiro Dito, o auxiliar Romário, a cozinheira Maria e o instrutor de mergulho Mauro).

Passeio para Abrolhos
Eles também fazem canecas personalizadas para a galera, assim evitamos o uso de copos descartáveis!

Dito e Romário estavam a todo tempo em alerta para a nossa segurança e para manter a agilidade das descidas para o mergulho. Mauro tem uma sabedoria de outro mundo em relação à vida marinha (eu, que nunca tinha feito mergulho de cilindro, me senti totalmente confiante com ele). E Maria, ah, Maria… Comida era algo que não faltou no passeio, viu? E nada de lanchinho rápido, Maria preparava refeições completíssimas!

Passeio para Abrolhos
O espaço em comum do nosso barco estava sempre cheinho de frutas fresquinhas!

Sem nenhum tipo de publicidade ou parceria, escolhi a Horizonte Aberto depois de uma pesquisa como turista mesmo – e agora indico sem medo para vocês!


Atualização Covid-19

Quando eu fiz a viagem em novembro/2020, já estávamos em pandemia e os protocolos de segurança na Horizonte Aberto estavam em vigor. Desde então, eles seguem com diminuição de 50% da capacidade de pessoas no passeio diário para atender ao distanciamento, o uso de máscara é obrigatório na agência e na embarcação, higienização de equipamentos e embarcação com produto especifico são feitos constantemente e álcool em gel fica disponível nas embarcações. Todos os membros da equipe já estão vacinados (informação de outubro/2021).


Quando visitar Abrolhos

Abrolhos pode ser visitado o ano todo, sem restrições de estações. É um ótimo destino para todos os meses, mas, claro, você pode escolher aquilo que faz mais sentido para a sua viagem.

Entre dezembro e abril é o melhor período para mergulhadores. Isso porque durante esses meses, as águas de Abrolhos são mais quentes e claras, aumentando a visibilidades.

Já entre junho e novembro acontece a migração das baleias jubartes, onde é possível avista-las durante o trajeto até a chegada ao arquipélago. Mas, atenção, aos poucos as baleias têm chegado mais cedo e ido embora também mais cedo. Então, se o seu objetivo é este, opte por julho, agosto e setembro! Eu fui em novembro crente que as veria, mas nada (vou ter que repetir o passeio, chato hein?).

O que fazer em Abrolhos

Snorkel

Fazer snorkel é a principal atividade de Abrolhos (exceto para os mergulhadores credenciados). A atividade é permitida sempre que o barco está ancorado e, pode acreditar, cada cantinho é diferente do outro e as novas possibilidades de vida marinha são muitas. Dá para observar os corais, os animais e, em alguns pontos, até mesmo os chapeirões.

Snorkel Abrolhos

As espécies de peixes são muitas!

 

 

 

 

Abrolhos

Olha só o tamanho dessa lagosta!

Mergulho de cilindro

Para os credenciados, são várias as paradas para mergulho. A região de Abrolhos também possui ao menos 3 grandes naufrágios onde é possível explorar durante o mergulho (Santa Catharina, Rosalinda e Guadiana).

Vale dizer também que lá é o único lugar do mundo onde é possível encontrar o coral-cérebro (Mussismilia braziliensis), que tem uma aparência que lembra um cérebro.

Mergulho Abrolhos
Conhecem reconhecer qual coral é esse que parece com um cérebro?

No mergulho também é possível encontrar tartarugas ameaçadas de extinção, como as tartarugas cabeçuda, verde e de pente – e até mesmo a tartaruga de couro, a mais rara.

Admirar os chapeirões

Como explicamos mais acima, os chapeirões são estruturas recifais gigantescas e também exclusivas de Abrolhos. Os mais conhecidos são o Jean Pierre, Atobá, Faca Cega e o Atlântida, que chega a 30 metros de altura (abaixo da água).

Avisar baleias jubartes

As baleias jubartes migram para a costa do Brasil no final do verão Antártico em busca de águas mais quentes. Em meados de junho em começam a chegar no Banco de Abrolhos, se reproduzem ou tem seus filhotes. As baleias costumavam ficam na região até novembro, mas já começaram a ir embora mais cedo, então os meses mais certeiros para encontrar com elas são julho, agosto e setembro.

Observar aves endêmicas

As ilhas do arquipélago de Abrolhos são habitat para espécies raras de aves marinhas. As mais conhecidas são a grazina do bico vermelho, atobás brancos e marrons, fragatas e beneditos.

Abrolhos
Esse é um filhote de atobá branco. Muito fofinho, né?

Experiência live aboard

Ter a experiência de ficar em um barco próximo a uma ilha e em alto mar é surreal! Diferente de tudo o que eu já fiz na vida. Vale ao menos 1 noite!

Abrolhos
Esse era o nosso quartinho. Escolhemos uma suíte para ter um banheiro só nosso!

Caminhar pela Siriba

Aqui, volto a reforçar que não existe o desembarque nas ilhas de Abrolhos. Você fica no barco (ou na água) o tempo todo! Entretanto, o ICMBio organiza caminhadas guiadas de poucos minutos e em locais escolhidos por eles. Quando eu fui (novembro/2020), o desembarque foi na Ilha de Siriba. Lá, andamos pouco mais de 1.000 metros acompanhados por membros do Instituto que fornecem informações sobre Abrolhos e toda a sua biodiversidade.

Abrolhos
Na trilha pela Siriba pudemos observar as aves bem de pertinho

Vale a pena para quem não é mergulhador?

Essa era a minha principal dúvida! Achava que o passeio de pernoite faria mais sentido para mergulhadores credenciados e, eu, que faria apenas snorkel, o bate e volta bastava. Pesquisei, pesquisei e resolvi investir em pelo menos 2 dias.

A resposta para a dúvida? Vale, e muito! Você tem possibilidades incríveis e em diferentes locais para fazer snorkel (e em cada cantinho você vê cenários bem diferentes)! No meu passeio rolou até um snorkel noturno com o Dito – que com lanternas nos levou até a “casa” de uma tartaruga cabeçuda. Além disso, a Horizonte Aberto também disponibilizava um caiaque para “brincarmos” quando quisermos.

arraia abrolhos
Vimos muitas arraias também!

As agências geralmente também oferecem a opção de fazer um mergulho de batismo, um mergulho de cilindro para iniciantes de curto tempo e pouca profundidade, onde o instrutor fica ao seu lado e mantendo contato físico o tempo todo.

Eu adoro fazer snorkel em todas as praias que vou, mas sempre tive muito medo de mergulho de cilindro (sou um pouco claustrofóbica), mas não queria perder essa oportunidade em um lugar tão surreal quanto Abrolhos. O Mauro explicou todos os detalhes de como funcionava e teve uma paciência imensa comigo (que até os 45 do segundo tempo disse que não queria mais) e o resultado foi uma experiência inesquecível e incrível! Vale a pena!

Abrolhos
Eu, meu sorriso amarelo de quem estava quase desistindo e a paciência do Dito me ensinando tudinho!

O Bruno tinha feito um mergulho de batismo em Ilha Grande, no Rio de Janeiro, e fez outro em Abrolhos. Também adorou a experiência!

Mergulho Abrolhos
O Bruno e o Mauro, que fica o tempo todo guiando durante o mergulho de batismo

E ah, para quem é mergulhador credenciado não preciso nem dizer, né? São vários mergulhos ao longo do dia! No meu passeio tinha um carioca que já havia mergulhado em vários lugares do mundo e que afirmou com todas as letras que Abrolhos se tornou o mais incrível que ele já fez.

Dá para ir com criança?

Muitas pessoas perguntaram se dá para fazer o passeio com criança. Bem, eu não tenho filhos, mas acredito que tudo depende do perfil. Assim como conheço muitos adultos que não suportam a ideia de passar o dia em barco, sei que muitas crianças adoram! Eu conversei com a Horizonte Aberto, agência que escolhi para o passeio, e eles disseram que não existem restrições – desde que as crianças estejam sempre acompanhadas dos responsáveis, é claro. “Já atendemos crianças de 06 meses em nossos passeios”, me contaram!

Quanto custa ir para Abrolhos?

Como Abrolhos é um Parque Nacional Marinho, é cobrado um ingresso para quem vai visita-lo (e geralmente as agências já colocam esse valor no pacote). Para estrangeiros a taxa é de R$104 e brasileiros R$52 por noite (valores informados no site do ICMBio em outubro/2021).

O passeio de bate e volta custa, em média, entre R$300 e R$400. Já o live aboard, sai por volta de R$1400~1700 para mergulhadores e R$900~1200 não mergulhadores (2 dias).

Para quem quer decide fazer o mergulho de batismo também é cobrado um valor a parte. No meu passeio, eu paguei R$250 para isso (e achei justíssimo principalmente pela excelência do instrutor que me acompanhou).

Lembrando que esses valores são de novembro/2020.

Como incluir Abrolhos no seu roteiro

arquipélago de abrolhos
Eu e o Bruno ficamos apaixonados por Abrolhos e já queremos voltar!

Abrolhos pode ser combinado em qualquer roteiro que inclua o sul da Bahia, mais precisamente o sul dela. Eu encaixei o arquipélago em uma viagem em Arraial D’Ajuda, Trancoso, Prado e Caraíva. Saí de Prado em um final de tarde para chegar em Caravelas, de onde saia o meu passeio para Abrolhos. Dormi uma noite lá (deixei o carro e malas na pousada) e, na manha seguinte, embarquei no live aboard. Na volta, passei na pousada para pegar o carro e continuamos a viagem – agora rumo à Caraíva.

A cidade de Caravelas fica a pouco mais de 1h de distância de Prado, uma cidade incrível para quem quer conhecer praias paradisíacas e desertas (é uma ótima base para explorar as praias de Prado e Cumuruxatiba). Ta aí um roteiro bacana também!

E aí, esclarecemos suas dúvidas sobre Abrolhos? Tem alguma questão ou sugestão? Deixe nos comentários!


Veja também outros destinos no Brasil:

Rio de Janeiro

Nordeste

Jalapão

Fernando de Noronha

Rota das Emoções


Para ficar por dentro de todas as novidades do Ideias na Mala, siga nosso instagram!

 

Comments (3)

Cilmara Matos Alves Amorim

Malu, amei seu relato. Me ajudou muito a decidir uma viagem agora em setembro. Fiz contato com a empresa Horizonte, fui muito bem atendida.

Malu, ótimo relato!
Pode me ajudar mais um pouquinho? Estou pensando em visitar Abrolhos , chegando por Teixeira de Freitas. Como você fez o deslocamento entre as cidades que ficou? Aluguel um carro? transfer?

Abs, Jéssica

Oi Jéssica, tudo bem? Que bom que gostou do post! Isso, eu aluguei um carro e fiz um roteiro mais completo pelo sul da Bahia – e aí inclui Abrolhos na jogada. Neste post tem mais detalhes sobre o trajeto: https://ideiasnamala.com/roteiro-sul-bahia/
Beijo!

Leave a comment