O que fazer em São Paulo: 15+ pontos turísticos imperdíveis

São Paulo pode não despertar amor à primeira vista, talvez o seu ritmo frenético espante os desavisados e a grandiosidade assuste um pouco. Mas, garanto que se você abrir um pouquinho seu coração São Paulo encontrará um caminho de conquistá-lo. Até porque cada um acaba encontrando a São Paulo que mais lhe encanta, seja a cultural, a gastronômica, a mais tradicional, a frenética, a relaxante com muito verde, ou todos elas juntas. E é para te ajudar uma São Paulo que é a sua cara, preparamos uma lista completa do que fazer em São Paulo!

O que fazer em São Paulo:

Diversa, barulhenta e imensa São Paulo reúne diversas facetas diferentes em uma única cidade. São Paulo é bairrista, os moradores de Pinheiros, por exemplo, dificilmente se aventuram pelas bandas do Tatuapé, os moradores do centro raramente se metem pelas bandas do Morumbi. Culpa do trânsito? Talvez, o fato é que a configuração da cidade faz com que você aprenda a navegar bem o “seu quadrado” e acabe ficando por lá.

Sabe o que isso significa? Que você que está fazendo turismo em São Paulo, seja pela primeira, ou pela 27a vez tem a chance de explorar cada um dos bairros e fazer descobertas que muitos dos seus amigos paulistanos não vão conhecer. E para tornar a sua aventura ainda mais especial criamos uma lista caprichada com os principais pontos turísticos de São Paulo, com direito a sugestões práticas para visitar cada deles. Pronto para encontrar a sua faceta preferida de São Paulo?

Para planejar sua viagem a São Paulo:

Parque do Ibirapuera

O Parque Ibirapuera foi eleito em 2015 pelo jornal britânico The Guardian o “Melhor Parque Urbano do Mundo”, superando o Buttes-Chaumont em Paris e High Line em Nova Iorque e provando todo o seu potencial.

O Parque do Ibirapuera foi concebido por uma dobradinha de peso:  projeto paisagístico de Burle Marx e a concepção arquitetônica de Oscar Niemeyer. O resultado é um parque gigante, são 225 hectares com área para atividades físicas, pista de cooper, ciclovias, quadras, espaços para piquenique, três lagos artificiais e diversas atrações espalhadas pelo parque como o Museu de Arte Moderna (MAM),o Museu de Arte Contemporânea (MAC), espaços expositivos como a Oca, Museu Afro Brasil, Pavilhão da Bienal, outras atrações incluem o Auditório Ibirapuera, Planetário e o Pavilhão Japonês.

Ibirapuera
Auditório do Ibirapuera
Ibirapuera
OCA

Dicas para explorar

Se o seu foco é o parque em si, você pode explorá-lo com caminhadas, corridas ou andando de bicicleta. São diversas espécies vegetais, borboletas e pássaro presentes no parque. Um dos locais mais frequentados do parque é a Marquise, que funciona como um elo de ligação entre o Museu Afro Brasil, Oca, Pavilhão das Culturas, Bienal e o Auditório. Como a região é coberta, rola de tudo por ali: super manobras dos skatistas, aulas de funcional e até yoga. [Atualmente parte da marquise está interditada para restaurar uma série de infiltrações, como o edifício é tombado e a verba é pública essa brincadeira pode demorar um tempão]

O que fazer em São Paulo
Pavilhão Japonês no Parque do Ibirapuera

Bicicleta + açaí

Uma das formas mais gostosas de explorar o parque é de bicicleta. Se você não tiver a sua, não tem problema. No portão 3, no bolsão do estacionamento, há infinitas bicicletas para serem alugadas. Elas custam a partir de R$5 a hora.

Um dos meus passeios preferidos em São Paulo é alugar uma bicicleta no Ibirapuera, contornar o lago (procure a rosa dos ventos que rende fotos lindas) e fechar o rolê com um açaí (peça o tipo A) na Frutaria São Paulo (Rua Hélio Pellegrino, 100 – Vila Nova Conceição). Para quem tiver com fome, as frutas e saladas também são deliciosas!

ibirapuera
Parque do Ibirapuera

Monumento às bandeiras

Aproveite sua ida ao Ibirapuera para conhecer o Monumento às Bandeiras de Victor Brecheret, uma escultura que representa os bandeirantes e é considerada um dos símbolos de São Paulo.

O que fazer em São Paulo
Monumento às Bandeiras

As fontes do Ibirapuera

O Lago do Ibirapuera fica em um local privilegiado (até mesmo quem não está no parque, está apenas passando de carro por ali consegue avistá-l0). Em seu entorno, há pistas de caminhada e é uma delícia andar por ali sentindo a brisa fresquinha das águas. Mas, o ponto alto do local são as fontes que funcionam todos os dias. Elas também apresentam com shows de água e multimídia – que acontecem de segunda a sexta 9h às 12h e das 18h às 21h. Nos finais de semana funciona das 9h às 12h e das 14h às 18h.

Parque do Ibirapuera
Fontes do Parque do Ibirapuera

Chegue com antecedência porque os estacionamentos próximos a fonte lotam, compre um saquinho de pipoca doces e faça parte de uma verdadeira tradição paulistana.

O que fazer em São Paulo
Árvore de Natal no Parque Ibirapuera

Na época do Natal, é à beira do lago que se constrói a tradicional árvore da cidade. Ao lado do monumento a Pedro Álvares Cabral, a atração fica iluminada das 19h às 01h (geralmente entre 30 de novembro a 5 janeiro). Além disso, também acontece um espetáculo especial das fontes do lado. Em três sessões diárias (às 20h30, 21h e 21h30), as águas e luzes ganham um tom natalino e encantam com coreografias e canções de Natal.

Mercado Municipal

Quando se fala em Mercado Municipal, já se lembra do famoso sanduíche de mortadela e do pastel de bacalhau, mas vamos com calma. Apesar de serem ótimos, o Mercado Municipal é bem mais do que eles.

Seu edifício foi inaugurado em 1933 e foi totalmente reformado em 2004. Os vitrais coloridos do artista russo Conrado Sorgenicht Filho foram restaurados, assim como a fachada e a pintura. Novos espaços como o mezzanino e um salão de eventos foram entregues, e o mercadão se consagrou como um dos cantinhos mais gostosos do centro de São Paulo e uma parada gastronômica importante.

Geralmente divido minha visita ao mercado em três partes, uma focada em experimentar frutas exóticas, que não costumam ser nada baratas, mas que são doces como o mel.  Em seguida parto para os queijos, nozes e frutas secas – uma das minhas bancas preferidas é o Empório Chiappetta, um dos mais tradicionais do mercado – onde compro maçãs secas, damascos suculentos, nozes e pistaches, tudo delicioso.

E termino o passeio no segundo piso, onde o sanduíche de mortadela e o pastel de bacalhau reinam. A concorrência é grande e a minha parada preferida há anos é o Hocca Bar, mas ao invés de sanduíche de mortadela (os tradicionalistas que me perdoem) peço de picanha, tão bem recheado quanto o de mortadela só que muito mais gostoso. Dá fácil para dividir.

Tour arquitetônico pelo mercadão e mais

Para quem quiser conhecer mais sobre o prédio e sobre a história do Mercadão, é possível realizar visitas guiadas de terça a quinta, devendo ser agendada por telefone (11) 3313-3365. O mercadão fica pertinho do Museu Catavento e é uma boa ideia visitar os dos locais no mesmo dia. Quem quiser pode ainda combinar a visita com uma aventura de compras pela rua 25 de março que fica ali do lado.

Centro antigo de São Paulo

As próximas atrações desta lista ficam no antigo centro de São Paulo e podem ser combinadas em único roteiro.

Farol Santander (antigo mirante do Banespa)

O Farol Santander é um dos edifícios mais emblemáticos do centro de São Paulo, teve seu projeto arquitetônico inspirado no Empire State Building em Nova York e por 8 anos foi o edifício mais alto da cidade.

O que fazer em São Paulo
Farol Santander | Foto: Divulgação

O nome oficial do edifício é Altino Arantes e ele foi finalizado em 1947. Hoje o Farol Santander é uma das melhores pedidas para ver São Paulo do alto e proporciona uma visão espetacular da cidade de São Paulo, chegando até o Pico do Jaraguá. Quem já acha a cidade grande vista de baixo, vai se espantar com as vistas do alto, o mar de prédios conta um pouco da história da urbanização Paulistana e define bem as regiões da cidade.

Além do mirante o edifício têm como atração um lustre com 10 mil cristais, pisos de granito, paredes de mármore e um pequeno museu que recebe exposições interessantes, vale ficar ligado no calendário.

o que fazer em São Paulo
Farol Santander | Foto: Divulgação

Como visitar o Farol Santander?

A visita é gratuita, mas não se esqueça de levar um documento com foto para realizar um rápido cadastro na recepção, o horário de visitação é de terça a domingo das 09h às 20h. O Farol Santander fica no Centro históricos de São Paulo, pertinho do Pátio do Colégio.

Emende a visita com o CCBB

Coladinho no Farol Santander há um outro lugar que considero imperdível em uma boa visita ao centro de São Paulo: Centro Cultural Banco do Brasil, o CCBB, onde acontecem exposições incríveis de arte e design, peças de teatro, shows, concertos e exibições de filmes.

O antigo edifício do Banco do Brasil tem uma decoração maravilhosa e um detalhe imperdível: o antigo cofre no subsolo foi convertido em salão de exposições e ficou lindíssimo. Vale também reparar na fachada do edifício com sementinhas de café (quem aí já ouviu falar no ouro paulista?) esculpidas em meio ao brasão, e nos terraços que formam um jogral lindo quando vistos do alto. Seja pela importância histórica ou cultural uma visita ao CCBB vale sempre a pena.

THeatro Municipal

Uns dos locais com a arquitetura mais linda cidade, mesmo já tendo visitado diversas vezes, nunca me canso de admirar sua beleza. Uma oportunidade de visitar o Theatro Municipal, além de ir em alguma apresentação da temporada, é fazendo uma visita guiada gratuita, as visitas são agendadas por ordem de chegada a partir das 10h e têm capacidade para no máximo 50 pessoas.

O que fazer em São Paulo
Teatro Municipal

Catedral da Sé

A Catedral da Sé é uma atração que vai além da religião pois representa grande parte da história de São Paulo, além de ter uma arquitetura de beleza única. A Catedral Metropolitana de São Paulo é a maior igreja de São Paulo e uns dos cincos maiores templos neogóticos do mundo. A sua cripta pode ser visitada por meio de visitas guiadas de terça a domingo, vale muito a visita, tanto por interesse histórico, como pra conhecer um local peculiar.

O que fazer em são paulo
Catedral da Sé

Depois de passear pela Catedral, vale dar um giro pela Praça da Sé, fotografar o Marco Zero (ponto de início das estradas em São Paulo) e dar um rolê a pé por toda a região.

Mosteiro de São Bento

O Mosteiro de São Bento, que fica em frente ao Metrô São Bento, teve a sua estrutura atual construída em 1910. O Mosteiro é composto pela Basílica Abacial Nossa Senhora da Assunção, do Colégio de São Bento e da Faculdade de São Bento. Hoje, cerca de 45 monges vivem por lá se dedicando à tradição do “ora e trabalha” – além de receberem com carinho hóspedes e visitantes que vão a procura de oração, retiro e orientação espiritual.

O pão de mel do mosteiro de São Bento

Quer mais um bom motivo para visitar o mosteiro de São Bento? A padaria do mosteiro tem receitas seculares (e deliciosas!) de pães, geleias, e o meu item preferido: o pão de mel. Os pães costuma se esgotar rápido, especialmente aos domingos!

Missas de domingo com canto gregoriano

Uma das formas mais tradicionais de visitar o mosteiro é durante a missa de Domingo às 10:00, quando o canto Gregoriano – presente em todas as missas – mas entoado com o reforço do orgão de tubos (lindíssimo!) para comemorar Sagrada Refeição Eucarística. A missa é lotada, então vale chegar bem cedo!

Horário das missas:

segunda a sexta às 07h, 13h e 18h. Aos sábados às 06h e, aos domingos, às 08h30 e 10h.

Brunch no mosteiro de São Bento

Já falei das delícias da padaria do mosteiro e do canto gregoriano. Que tal juntar as duas coisas? A pedida é o disputado Brunch do Mosteiro (reserve com antecedência) que acontece no último domingo do mês e junta uma das delícias preparadas no mosteiro com um menu preparado por algum chef convidado.

Após o brunch – que acontece no teatro do mosteiro – os visitantes são convidados a fazer um tour pela igreja e por algumas dependências do colégio de São Bento. Eu achei a experiência bem gostosa, mas o tour é fraco, de qualquer forma recomendo muito para quem não conhece a igreja ou nunca ouviu a missa cantada.

Pátio do Colégio

O Pátio do Colégio – ou se você preferir o nome original “Pateo do Collegio” – é onde surgiu a cidade de São Paulo, sua visita é uma volta no tempo, uma oportunidade única de pisar onde tudo começou. O complexo pertence à Companhia de Jesus, ordem religiosa dos jesuítas fundada em 1540, que foram os primeiros jesuítas que chegaram no Brasil.

Atrações de São Paulo
Pátio do Colégio

O Museu Anchieta é destinado a preservar as origens de São Paulo, por meio de maquetes, mapas, painéis é possível comparar a evolução de São Paulo de vila para umas das maiores metrópoles do mundo, o museu ainda conta com vários objetos de arte sacra do período colonial. O complexo ainda possui a igreja S. José do Anchieta, a Biblioteca P. Antônio Vieira e o Café do Pateo, um dos meus cantinhos preferidos do centro para tomar um bom café. Aproveite!

Liberdade

O bairro da Liberdade é um pedaço dos principais elementos da  cultura japonesa em São Paulo. É lá que está o Museu Histórico da Imigração Japonesa (super interessante para quem quer aprende mais sobre a cultura nipônica no Brasil), o clássico Viaduto Cidade de Osaka, o Jardim Oriental e diversos templos e centros de meditação. Obviamente, não dá para ignorar a parte gastronômica da Liberdade: aproveite para entrar nos restaurantes e provar a verdadeira culinária japonesa.

O que fazer em São Paulo
Ruas da Liberdade

O Tanka Asian Kitchen (Hotel Akasaka – Praça da Liberdade, 149) é um restaurante que mistura todas as comidas asiáticas (chinesa, japonesa e tailandesa) e serve um rodízio (com sobremesa inclusa). para lá de bem servido. Se quiser provar os famosos lámens japoneses, vá no Momo Lamen House (R. dos Estudantes, 34). Além da comida ser muito saborosa, o atendimento é mega rápido.

Em frente ao Momo, está o Korea Mart (R. dos Estudantes, 41), um mercadinho coreano que vende produtos asiáticos – dos mais diferentes segmentos. Tem até itens de papelaria! E, se você é fã desses produtinhos fofos, não deixe de conferir o Haikai Presentes. Com mais de duas unidades na Liberdade, eles vendem cadernos, bloquinhos, estojos… E muito mais!

Aos domingos, acontece na praça uma feirinha com várias opções de barraquinhas gastronômicas e de artesanato com preços bem mais acessíveis. O Yakissoba é sempre uma boa pedida.

Sala São Paulo e a Orquestra Sinfônica

Quem já foi a sala São Paulo sabe que o programa é fantástico. O lugar em si é lindo. Lindo por dentro e por fora. De fora uma torre de relógio, dessas que se tivesse em Paris certamente seria tratada como cartão postal e que em São Paulo acaba ficado esquecida.

Sala São Paulo

E para quem já se encanta com o lado de fora espere então até entrar. A antiga estação de trem foi lindamente reformada, cada detalhe parece ter sido incrivelmente pensado, e o conjunto final é fantástico.

A sala São Paulo tem uma programação semanal vasta e é a sede da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo – A OSESP –  e não se engane ao pensar que é fácil conseguir ingresso. Muito pelo contrario, os bons lugares são bem disputados e olha que o ingresso não é dos mais baratos.

Sala São Paulo

E para quem pensa que esse é apenas um programa para os olhos e para o olvido esta redondamente enganado, o restaurante da sala São Paulo também é ótimo e portanto deve fazer parte do seu programa. Só cuidado que ele geralmente fica fechado nos concertos durante a semana.

Oscar Freire e a região dos jardins

A Oscar Freire já foi uma das ruas mais luxuosas de São Paulo, mas passou por diversas mudanças e atualizações que tornaram o local um ponto delicioso para passear, repleto de boas lojas (e para todos os bolsos), restaurantes e cafés. Em 2018, houve a inauguração da Estação Oscar Freire do metrô (linha 4 amarela) e ficou ainda mais fácil chegar lá.

Oscar Freire
Painel da Frida Kahlo na Oscar Freire

Entre algumas paradas obrigatórias dos turistas, estão o Espaço Havaianas (Rua Oscar Freire, 1116), loja-conceito da marca que os gringos adoram, e a Galeria Melissa (Rua Oscar Freire, 827), flagship que promove um espaço de convivência ultra bacana e muda de vitrine a cada estação. Além disso, por lá é possível encontrar uns três mercadinhos que funcionam em estilo bazar e dão espaço para novas marcas e empreendedores. Dá para garimpar bastante coisa legal!

Oscar Freire
Loja da Havaianas
Oscar freire
Loja da Amaro na Oscar Freire

Agora, se você é fã de comida, aproveite que está pela região e conheça a Casa Santa Luzia (Alamenta Lorena, 1471), um empório completo que conta com produtos exclusivos e importados que você só encontra lá, e na Carlo’s Bakery São Paulo (R. Bela Cintra, 2182), a primeira unidade do Brasil da famosa confeitaria do Cake Boss.

Onde comer em São Paulo
Carlo’s Bakery São Paulo

Dicas gastronômicas nos jardins

Todo mundo sabe que São Paulo é sinônimo de comida boa e, para minha mente gulosa, não dá para falar dos Jardins sem falar de comida. Assim, vou dar algumas dicas bem variadas porém afinadas para curtir a região:

Café da manhã/lanche rápido

Galeria do Pães (R. Estados Unidos, 1645): a tradicional padaria paulistana serve um pão na chapa delicioso, minas quente no capricho e tem um segundo andar que funciona no esquema buffet à vontade e é sempre uma boa pedida para o café da manhã ou larica da madrugada (com buffet de pães e sopas). O estacionamento grátis é sempre bem vindo.

Santo Pão (R. Padre João Manuel, 968): várias opções para um belo café da manhã: desde ovo cremoso, tapioca, misto de croissant quentinho no capricho e uma bebida chamada latte sucre, que é um café com leite que vem com a xícara toda envolta por doce de leite.

Santo Grão (Rua Oscar Freire, 413): acabaram de passar por uma modernização e o novo menu está bem completinho. Vale a pena!

Le Pain Quotidien (Alameda Lorena, 1914): o chocolate deles é mais amargo, então é uma ótima pedida para quem não curte nada muito melado. O croissant é maravilhoso e já vale a passada por lá!

BotaniKafé (Alameda Lorena, 1765): um dos novos espaços queridinhos de São Paulo por ser bem descolado e cheio de plantas. O brioche na chapa deles é incrível!

Casa Bauducco (Alameda Lorena, 1682): gosta de panetone? Lá você o encontrará todos os dias do ano, além de ótimos cafés e itens para café da manhã.

O melhor pão de queijo de São Paulo fica na Haddock Lobo bem pertinho da Oscar Freire, quem vê o todinho azul despretensioso não tem ideia da delícia que é o pão de queijo.

PÃO (R. Bela Cintra, 1618): Uma padaria artesanal orgânica que serve um café da manhã a la care delicioso. A padoca é pequenina, mas uma delícia!

Para comer bem

Ema (R. Bela Cintra, 1551): comandado pela Chefe Renata Vanzetto, o Ema tem um dos meus menus degustações preferidos da cidade. Os pratos são coloridos e perfumados e a casa é super descolada. Reserve! E já que estamos falando da Renata Vanzeto, ela construiu um império nos jardins, rs. Tem o bar Me Gusta que fica embaixo do Ema; tem a lanchonete Matilda (vizinha do Ema,) que serve sanduíches maravilhosos, e o novo Muquifo (R. da Consolação, 2910) que deu uma cara especial (e deliciosa) a pratos caseiros tradicionais, como a carne de panela e o Frango à Parmegiana.

Arabia (Rua Haddock Lobo, 1395): dono da melhor esfiha fechada de São Paulo Paulo (na minha opinião é claro), o Arabia é um árabe caprichado e uma boa pedida para almoço ou jantar. O Michui de carne também é excelente.

Kouzina ( Rua Peixoto Gomide, 1710): Grego bonitinho, descolado e com preços bem acessíveis, a casa é comandada pela chef Mariana Fonseca e já tem três unidades em São Paulo. O ambiente é caprichado e faz com que você se sinta na Grécia, a louça é uma charme e a comida é deliciosa. Prefeito para ir com amigos! Ainda nos jardins há duas outras opções deliciosas da mesma Chef, o Myk (Rua Peixoto Gomide, 1972)  e o Fotiá  (R. Padre João Manuel, 964) onde tudo feito na brasa. Os três restaurantes tem opções vegetarianas ótimas.

Nakka (R. Padre João Manuel, 811): Um dos meus japoneses a la carte preferidos – peça o carpaccio de salmão. Ainda falando de restaurantes japoneses tem o Mori (R. da Consolação, 3610) que para mim é o melhor rodízio de São Paulo (peça o sushi com couve frita! Hummm!)

Churrascarias incríveis: Quando o assunto é carnes, os Jardins, mais precisamente a rua Haddock Lobo, tem duas das melhores e mais tradicionais pedidas paulistanas, o Rodeio (Rua Haddock Lobo, 1498) que serve uma picanha dos deuses e tem um dos melhores pães de queijo de São Paulo, eu ia ao Rodeio com o meu avô quando pequena e lembro dele falando que a carne era maravilhosa, mas o que ele ia pelo pão de queijo; e o Figueira Rubayat (Rua Haddock Lobo, 1738) com uma figueira encantadora no pátio, um couvert incrível e o buffet de sobremesas dos deuses, eu sempre peço uma carne para dividir e foco no que interessa: sobremesa e couvert! Gosto tanto do buffet de sobremesas do Figueira que poderia fácil almoçar sobremesa!

Italianos caprichados: E pra fechar nossa seleção de restaurantes nos jardins, vamos falar de comida Italiana? A Haddock Lobo tem três ótimos: La Macca (Haddock Lobo, 1589) , Gero  (Rua Haddock Lobo, 1629)e o Zuco (Rua Haddock Lobo, 1416).

Avenida Paulista

A Avenida Paulista têm diversas atrações, mas ela já é uma atração por si só, caminhar por lá é encontrar representações musicais, culturais, artísticas, gastronômicas e ainda admirar a arquiteturas dos arranhas céus e de casarões históricos. Entre as atrações que se encontram no caminho estão o Conjunto Nacional, o MASP, o Centro Cultural Fiesp, Casa das Rosas e o Itaú Cultural . No meio da Avenida fica o Parque Trianon, um local de muito verde, porque sim existe verde no meio do concreto.

Todo domingo tem Paulista Aberta

Aproveite o domingo para visitar e aproveitar a Paulista fechada para carros, é uma maneira de sentir com mas calma o dia que a avenida é tomada por pedestres, umas das intervenções mais legais da cidade. Comece o passeio pela manhã e percorra a avenida tranquilamente curtindo as apresentações musicais que acontecem nela.

O que fazer em São Paulo
Avenida Paulista

Para almoçar um buffet maravilhoso e brasileiríssimo a dica é o Capim Santo (Alameda Min. Rocha Azevedo, 471) que tem caipirinhas maravilhosas e um espaço ao ar livre legal para levar as crianças. O Capim Santo é um dos meus restaurantes preferidos de São Paulo para ir com os pequenos, a comida é maravilhosa, e as caipirinhas um espetáculo.

MASP

O MASP merece uma categoria só pra ele pois mesmo que você não tenha tempo de curtir a Avenida Paulista como um todo, desça no metrô Trianon e não deixe de visitar o MASP.

O Museu de Arte de São Paulo foi projetado pela arquiteta Lina Bo Bardi, seu projeto foi idealizado preservando o vão livre do terreno e proporcionando uma bela vista aos fundos da região. Entre os artistas presentes no acervo permanente estão Renoir, Monet, Manet , Cézanne, Van Gogh, Rafael, Bellini, Andrea Mantegna, Ticiano, entre outros.

O que fazer em São Paulo
MASP

Recentemente o museu trouxe de volta os cavaletes de cristais da Lina Bo Bardi que foram removidos em 1996, passando a organizar as obras por data e não por representação artística. Particularmente, gostei muito dos cavaletes, a liberdade de se mover e voltar entre as obras é muito dinâmica, além da sensação que traz que as obras flutuam na nossa frente.

Outro motivo para visitar o Masp, é que em 2008 o museu passou a integrar o “Clube dos 19” que reúne os 19 museus com acervo mais representativo da arte europeia do século XIX. Aproveite as terças-feiras (dia inteiro) e quinta-feiras  (após as 18:00) que a entrada é gratuita.

Gosta de passeios guiados? O city tour em São Paulo pode ser uma opção para você. O passeio, que tem duração de três horas, passa por diversos pontos importantes da cidade, incluindo o MASP.

Museu do Ipiranga

Atualmente, o Museu do Ipiranga (o Museu Paulista da USP) está fechado para visitas por conta das obras de restauração, porém o Parque da Independência segue em funcionamento e vale a visita. Foi nesse gigante (e lindo) jardim que, às margens do córrego do bairro do Ipiranga, D. Pedro I proclamou a Independência do Brasil. É tanta área verde que fica impossível não pensar em um piquenique no local – prepare uma cesta com petiscos e aproveite a tarde por lá.

O que fazer em São Paulo
Museu do Ipiranga

Mirante 9 de Julho

Depois de 60 anos fechado, o Mirante 9 de Julho (agora novamente com uma nova administração e renomeado como Mira!) foi reaberto em 2015 abrigando uma galeria de arte, cinema, bar e restaurante. O local – com vista privilegiada para a Avenida 9 de Julho – se tornou referência em espaço cultural. O mirante funciona de terça a domingo das 10h às 22h.

Mirante 9 de julho
Mirante 9 de Julho | Foto: Divulgação

Ver as luzes de São Paulo à noite

E que tal ver as luzes da cidade à noite? São Paulo é uma cidade durante o dia (com muita correria e agitação urbana) e outra à noite (ainda agitada, porém bem mais descontraída).

O que fazer em São Paulo
Luzes de São Paulo à noite | Foto: Divulgação

Uma opção para quem quer curtir esse mundo diferente é fazer uma excursão noturna e conhecer o melhor da vida paulista experimentando drinques e curtindo música ao vivo. Durante quatro horas, você passará pela Vila Madalena, pelo Bar Brahma e pelo Sky Bar (região onde as luzes de São Paulo falam mais alto).

Vila Madalena

Apesar de ser muito conhecido pela sua vida noturna, o bairro da Vila Madalena é repleto de programas culturais e super rico na gastronomia. É lá que está o famoso Beco do Batman – um local escondido entre as vielas do bairro e repleto de grafites coloridos. É uma bela pedida para garantir fotos incríveis.

Para comer há vários cantinhos legais como o Vegetariano Banana Verde (Rua Harmonia, 278), o Árabe Sajj (quando eu morava em SP era minha pedida para um árabe descontraído), e várias padarias ótimas.

O que fazer em São Paulo
Beco do Batman, na Vila Madalena
O que fazer em São Paulo
Beco do Batman | Foto: Alessandra Fratus

Se optar por passar o dia pela região, não deixe de curtir o pôr do sol na Praça Pôr do Sol que fica bem próximo dali. Diversos paulistas se juntam na praça para assistir o fim de tarde, meditar e até praticar yoga.

Pinacoteca

A Pinacoteca do Estado de São Paulo é o museu de arte mais antigo de São Paulo e ocupa um edifício construído em 1900. Com um acervo de mais de 11 mil peças, a Pinacoteca possui diversas exposições, além de 700 obras datadas dos séculos XVIII e XX espalhadas por todo o seu espaço (mais de 2 mil metros quadrados).

Pinacoteca
Pinacoteca do Estado de São Paulo

O museu fica aberto de quarta a segunda, das 10h às 17h30, e o ingresso custa R$15. Aos sábados a entrada é gratuita para todos.

O que fazer em São Paulo
Do lado da Pinacoteca está a clássica Estação da Luz, de São Paulo.

Museu Catavento

O Museu Catavento (aberto de terça a domingo das 09h às 16h | Entrada: R$10) é um lugar que agrada tanto adultos quanto crianças, um verdadeiro playground educativo, onde a proposta é ensinar de uma maneira interativa e inovadora. Todas as atrações são lúdicas e é possível aprender sobre elas enquanto se diverte.

pontos turísticos imperdíveis de São Paulo
Museu Catavento

Além do próprio museu, o espaço conta com atrações como o borboletário e, na parte externa, os equipamentos de grande porte cedidos pelo Museu de Tecnologia de São Paulo, destaque para a locomotiva Dübs de 1888 e o avião DC-3 de 1936.

O Museu Catavento fica localizando no palácio das indústrias, um prédio de grande importância histórica e com uma arquitetura belíssima. O museu foi eleito por vários anos consecutivos o ponto turístico mais visitado de São Paulo.

Para planejar sua viagem a São Paulo:

Como chegar em São Paulo

São Paulo tem dois aeroportos, o de Guarulhos e o de Congonhas. O aeroporto internacional é o de Guarulhos e ele fica bem mais afastado do centro de São Paulo (cerca de 25km de distância). Atualmente, já está funcionando a estação Guarulhos da linha CPTM – ela fica bem próxima ao Terminal 1 e a 3km do Terminal 3. Já o aeroporto de Congonhas fica no centro de São Paulo, na zona sul. A estação mais próxima é a São Judas, da linha azul do metrô.

Além deles, a cidade possui também três rodoviárias e todas são conectadas com as estações de metrô.

Como se locomover em São Paulo

A cidade de São Paulo tem um trânsito frenético, porém é bem abastecida por linhas de metrô e trem – que funcionam relativamente bem. O bacana é que a grande maioria das atrações está bem próxima à estações, facilitando (e muito) o acesso. Portanto, a dica é pegar um mapa com todas essas linhas e planejar seu percurso com o que você deseja conhecer.

Hoje, o valor do bilhete tanto para o metrô quanto para o trem é R$4,40 (valor de janeiro/2020).

Aplicativos como Uber e Cabify funcionam muito bem na cidade.

São Paulo
Teatro Municipal ao fundo

Onde ficar em São Paulo

Já deu para entender que estar próximo a uma estação de metrô ou trem vai facilitar bastante a sua vida, né? Você economizará bastante tempo, evitando o trânsito, e dinheiro com longas corridas de táxi ou uber. Se você tem pouco tempo na cidade, invista na região da Avenida Paulista, que possui boas opções de hotéis e a localização é excelente. Se você procura algo mais descolado e alternativo, a Vila Madalena é a melhor pedida. Já para negócios e um pouco mais de luxo, a Vila Olímpia e a região da Berrini irão te agradar.

O que fazer em São Paulo
Região da Berrini e Vila Olímpia

Confira uma seleção de boas opções de hospedagem divididas por categoria de preço. Os hotéis caprichados possuem diárias acima de R$900, os com bom custo benefício (valores entre R$400 e R$600) e os econômicos (diárias até R$200).

Seguro viagem

Mesmo para uma viagem nacional, vale conferir antes se seu seguro de viagens é válido no Brasil todo e quais são suas condições. Na dúvida, faça um plano específico para a sua viagem – afinal, ninguém quer ter surpresas desagradáveis em nenhum tipo de viagem, né?

Nós usamos e recomendamos a Seguros Promo, um comparador que faz uma cotação nos melhores seguros disponíveis no mercado e te apresenta os melhores custo x benefício para a sua viagem, economizando o seu tempo. Faça já sua cotação (e use o código IDEIASNAMALA5) para ganhar 5% de desconto.

E aí, curtiu as nossas dicas de São Paulo? Tem algum outro cantinho da cidade a ser explorado? Deixe suas indicações nos comentários!

Este post foi originalmente escrito por Deisy Rodrigues do Blog São Paulo Sem Mesmice.


Veja também:


Para ficar por dentro de todas as novidades do Ideias na Mala, siga nosso instagram!

Planeje sua viagem

Comentários (3)

Um alerta, a foto que foi postada no tema Mercado Municipal, não é do Mercado, mas sim da Estação da Luz. De resto, excelente matéria sobre SP.

Gafe nossa!
Super obrigada

[…] de explorar a história Japonesa, chegou a hora de visitar a Liberdade – um dos pontos turísticos imperdíveis de São Paulo. Um passeio pelo bairro que se preze inclui um giro com paradas para as compras e pelo menos uma ou […]

Deixe o seu comentário