O que fazer em Santiago do Chile

Santiago, a divertida a capita do Chile, caiu definitivamente no gosto dos brasileiros e não é por menos! Com ares cosmopolitas, opções culturais incríveis, restaurantes deliciosos e vinícolas na redondeza a cidade é uma pedida incrível para começar seu roteiro pelo Chile. Neste post dividiremos com vocês nossas MELHORES dicas do que fazer em Santiago (com mapas) e todos os detalhes importantes para planejar uma viagem incrível. Pronto para se encantar por Santiago do Chile?

Centro histórico de Santiago
Centro histórico de Santiago | Foto: Pixabay

Santiago é um prato cheio para quem gosta de história. Fundada por espanhóis em meados de 1500, a cidade até hoje guarda itens que relembram essa trajetória – de construções históricas no cento a museus pra lá de especiais. A capital do Chile permite que você descubra e aprenda muito sobre a América Espanhola.

Além dos bate e volta para provar alguns dos vinhos mais incríveis do mundo e conhecer as montanhas maravilhosas da cordilheira, Santiago tem parques super arborizados, museus e espaços culturais importantes, mirantes caprichados e muito mais. Por ser quase inteira plana, uma das atividades mais legais para se fazer em Santiago é bater perna e descobrir cantinhos pouco turísticos enquanto, é claro, percorre as principais atrações de lá.

Como se locomover em Santiago?

Santiago é uma cidade deliciosa para caminhar. Plana – com poucas exceções – segura, e cheia de segredinhos deliciosos para desvendar pelo caminho. Comece com um giro caprichado pelo centro da cidade, e vá desvendando os bairros e descobrindo seus segredos.

E claro que também tem o metrô, que deixa no chinelo nossas linhas de São Paulo, e do Rio. As estações de metrô de Santiago sofreram um pouquinho com a depredação durante as manifestações públicas do ano passado, mas por sorte o metrô de Santiago continua firme, forte e é a melhor forma de explorar a cidade. Um detalhe curioso – e importante – do metrô de Santiago: as tarifas variam conforme o horário sendo um tiquinho mais caro nos horários de pico (das 7:00 às 9:00 e das 18:00 às 20:00).

O metrô não abrange 100% da cidade de Santiago e alguns cantinhos lindos como o Tempo Bahai (faça esse passeio) e outros importantes como o aeroporto acabam ficam de fora. Mas em ambos os casos ambos dá para ir de ônibus num boa.

E o Uber?

O Uber em Santiago funciona bem, mas ele não é legalizado (lembram do início do Uber no Brasil?), assim a dica é sentar no banco da frente.

Quantos dias em Santiago do Chile

Além de também já garantir dicas de onde se hospedar em Santiago e quais os melhores bate e voltas para fazer da cidade.

Tem muita coisa para fazer em Santiago em 5 dias, mas se você tem menos tempo, não se preocupe! Dá para encaixar as principais atrações também em um roteiro de 3 dias em Santiago.

O que fazer em Santiago:

As principais atrações turísticas de Santiago estão espalhadas em duas regiões diferentes, o centro expandido (aqui to falando do centro histórico + Lastarria + Região de Bella Vista) – apesar de não serem coladinhas umas nas outras, dá para visitar toda essa região a pé, e a região linda de Las Condes. Para chegar lá você vai precisar recorrer ao metrô.

Vamos falar do que fazer em Santiago?

Veja também:

Prontos para se encantar com Santiago?

1. Palácio de La Moneda

O Palácio de La Moneda é sede da Presidência da Republica do Chile e um lugar extremamente emblemático para a história chilena, pois foi ali que – em meio a um bombardeio – foi dado o golpe no governo de Salvador Allende e foi instaurada a ditadura chilena na década de 1970, com Augusto Pinochet. Os bombardeios destruiram parte importe do edifício e alguns arquivos históricos importantes como por exemplos a ata de independência do país de 1818, e o palácio foi sendo restaurado ao longo dos anos e até tomar a forma original e a mesma cor “gelo” do período pós ditadura.

O palácio está cercado por duas praças tão bonitas quanto ele, as praças da Cidadania e da Constituição. Ao lado do Palácio, há uma estátua de Salvador Allende que morreu durante o golpe.

Troca da Guarda no Palácio de La Moneda

A famosa troca da guarda do Palácio de la Moneda acontece a cada 2 dias na Plaza de la Ciudadanía desde 1851. Seja pontual se não quiser perder nada: a movimentação começa às 10h durante a semana e às 11h nos finais de semana. O evento dura cerca de 40 minutos.

Em 2020, a troca da guarda acontece nos dias ímpares nos meses de janeiro, março, junho, julho, setembro e outubro. Em fevereiro, abril, maio, agosto, novembro e dezembro a troca da guarda acontece nos dias pares.

Centro histórico Santiago
Palácio de la Moneda | Foto: Pixabay

VISITA GUIADA

De segunda a sexta-feira é possível fazer uma visita guiada dentro do Palácio de la Moneda. No tour, você conhecerá o palácio por dentro, seus salões e muitas outras curiosidades. O passeio é gratuito e oferecido em quatro horários: 09h30, 11h, 15h e 16h. Para agendar, basta enviar um email para visitas@presidencia.cl ou preencher o formulário no site oficial.

Centro Cultural Palácio de La Moneda

O centro cultural é subterrâneo e tem uma entrada ao lado do Palácio de La Moneda. Ali, você pode encontrar exposições de arte chilena, arte contemporânea e moderna. O espaço conta com uma cinemateca fantástica também!

Planeje sua visita (site oficial):

  • Endereço: Praça da Cidadania, 26
  • Horário de funcionamento: todos os dias das 09h às 20h30
  • Ingresso: $3.000 (entrada gratuita todos os dias das 15h às 19h30)

Como chegar:

  • De metrô: estação La Moneda
  • De carro: acesso a estacionamentos privados pela rua Teatinos
  • De bicicleta: acesso pela rua Morandé

2. Plaza de las Armas

É o marco zero da cidade e a principal praça de Santiago, fundada em 1541. O espaço é gigantesco e ali você consegue observar os chilenos ocupando o espaço público com seus afazeres cotidianos. Eles não a usam apenas como lugar de passagem, mas também como diversão. Você pode encontrar crianças tomando banho nas fontes e artistas de rua.

Plaza de las Armas
Plaza de las Armas | Foto: Pixabay

Você consegue observar artistas de rua como músicos, bailarinos, artesãos e pintores. Ela está cercada por construções históricas como a Catedral, o prédio dos Correios e o Museu Histórico Nacional – três dos mais importantes edifícios de Santiago.

Como chegar:

  • De metrô: estação Plaza de Armas (L5)

3. Visitar a Catedral do Chile

Ao lado da Plaza de las Armas está a Catedral Metropolitana do Chile. Ela é considerada o templo mais emblemático do país, que tem a maioria da população católica. Sua construção começou em 1748 e foi concluída em 1800.

Não deixe de entrar na Catedral e admirar a construção também por dentro. Repleta de detalhes da arte sacra, como vitrais, ornamentos e altares. Ainda em uso, você pode admirar um órgão de tubos construído por alemães jesuítas em 1754. Vale a visita!

Que fazer em Santiago
Catedral Metropolitana de Santiago | Foto: Wikimedia Commons

Já o Museu Histórico Nacional, também nessa região do centro histórico, ocupa o edifício do Palácio de la Real Audiencia de Santiago, antigo centro de poder do país. Nele, você pode visitar mais de 15 ambientes que contam toda a história da cidade – desde a chegada dos primeiros habitantes até os dias atuais. Além disso, também há exposições itinerantes interessantes (vale checar o calendário)!

4. Mercado Central

Mercado Central Santiago
Mercado Central de Santiago | Foto: Malu Pinheiro

Uma das paradas mais obrigatórias de quem está passando pelo centro de Santiago é o Mercado Central. É lá que é servida a famosa centolla, uma espécie de caranguejo gigante bastante tradicional da cidade. Cuidado com os garçons que vão te “caçar” na calçada e te levar para os restaurantes mais caros.

Mercado Central Santiago
Centolla no Mercado Central de Santiago | Foto: Malu Pinheiro
Mercado Central de Santiago
Mercado Central de Santiago | Foto: Malu Pinheiro

O prédio é datado de 1872 e abriga barracas de pescadores. Além da centolla, lá é uma boa opção para quem quer comer frutos do mar. Se você não curte esse tipo de culinária, não se preocupe: você encontrará restaurantes de todos os tipos (e preços) – além de diversas barraquinhas com artesanatos e souvenirs.

Planeje sua visite (site oficial)

  • Endereço: San Pablo, 967
  • Horário de funcionamento: todos os dias das 06h às 17h (de sexta até às 20h)

Como chegar:

  • De metrô: estação Puente Cal y Canto

5. Teatro Municipal De Santiago

Também no centro de Santiago, o Teatro Municipal é parada certa para quem gosta de espetáculos, principalmente ópera. Não deixe de conferir a programação de shows antes da sua viagem e, se couber em seu roteiro, assistir a um concerto por lá.

O prédio do Teatro Municipal ficou pronto em 1857, mas em 1870 sofre um incêndio que o destruiu parcialmente. Depois de restaurado, ele enfrentou um terremoto em 1906 que o abalou novamente. O projeto que o reergueu preservou suas características originais e hoje é uma das construções mais bonitas de Santiago.

Que fazer Santiago
Teatro Municipal De Santiago | Foto: Divulgação

Outra forma de conhecer o Teatro Municipal de Santiago é fazendo um tour guiado que percorre seus salões e conta a sua história política e cultural. Existem alguns tipos de visitas (umas mais completas e outras mais simples) e, geralmente, acontecem de terça a sexta-feira.

Os tours devem ser comprados previamente pelo site e são oferecidos em espanhol, inglês e português. Uma vez por mês, o Teatro Municipal abre suas portas para fazer um passeio gratuito pelas salas mais importantes do teatro. Veja datas e todas as informações no site oficial.

6. Explorar o Museus e Centros Culturais da Cidade

MUSEU nacional de BELAS ARTES

Com mais de 5 mil obras de arte, o Museu Nacional de Belas Artes é um dos mais antigos da América Latina. Nele, você verá esculturas, estátuas de mármore, desenhos e pinturas que contam a história de diversos países de todo o mundo.

Que fazer Santiago
Museu Nacional de Belas Artes | Foto: Wikimedia Commons

Um dos destaques do museu é o teto do salão principal feito em vidro na Bélgica.

Museus em Santiago
Museu Nacional de Belas Artes | Foto: Divulgação

Planeje sua visita (site oficial):

  • Endereço: José Miguel de la Barra 650
  • Horário de funcionamento: de terça a domingo das 10h às 17h30
  • Entrada gratuita

Museu Chileno de Arte PréColombinO

Alguns países da América Latina valorizam bastante suas raízes ameríndias, como o México, o Peru e o Chile. Este museu é um exemplo disto. Como eu já trabalhei em um museu que tem esta pegada em São Paulo, o Museu de Arqueologia e de Etnologia (MAE-USP) com proporções mais reduzidas, já cheguei encantada pelo lugar.

Inaugurado em 1981, o acervo conta a história não só do povo chileno, mas de toda a região dos Andes e América Central, nos últimos 14 mil anos. São três andares ocupados por duas exposições permanentes e algumas temporárias. Todo o museu está dividido em 7 categorias de região: Mesoamérica, Intermediate, Caribe, Amazônia, Centro dos Andes, Sul dos Andes e Chile.

Que fazer em Santiago
Museu Chileno de Arte Précolombino | Foto: Divulgação

O museu é fantástico e traz uma exposição grandiosa em que não é possível ver o acervo todo em um período só. Ali você encontrará artefatos arqueológicos de distintas populações indígenas da chamada pré-história americana, através de sua plumária, tapeçaria, metalurgia, entre outros. Vale muito a pena a visita!

Planeje sua visita (site oficial):

  • Endereço: Bandera 361, Santiago
  • Horário de funcionamento: de terça a domingo das 10h às 18h (com entrada até às 17h30)
  • Ingresso: $8.000

Como chegar:

  • De metrô: próximo ao metrô Plaza de Armas

Museo de la verdad y de los derechos humanos

O “Museo de la verdad y de los derechos humanos” é completamente dedicado a discutir a ditadura chilena, fruto de um golpe militar na década de 1970 e que durou 7 intensos anos. Com a perspectiva de que toda a população deve ter conhecimento deste período tão problemático da história chilena, a entrada é gratuita. Outro ponto importante é a discussão da relação entre memória e história de um povo.

Que fazer em Santiago
Museu da Memória e dos Direitos Humanos | Foto: Divulgação

De fácil acesso, ele fica próximo ao metrô e ao Parque Quinta Normal. A arquitetura é daquelas bem impactantes, sabe? O passeio é um daqueles que serve pra você repensar a vida mesmo, o que você considera certo e errado, e por aí vai.

santiago chile
Parte da exposição permanente do Museo de la Memoria y los Derechos Humanos com as fotos de desaparecidos e presos políticos | Foto: Thaís Carneiro

Planeje sua visita:

  • Endereço: Matucana 501, Santiago,
  • Horário de funcionamento: de terça a domingo das 10h às 18h
  • Entrada gratuita

Como chegar:

  • De metrô: conexão direta com a estação de metrô Quinta Normal da linha 5
  • De bicicleta: descer até a ciclovia da rua Rosas, virar à esquerda na av. Matucana | estacionamento na entrada do Parque Quinta Normal (frente ao museu) junto à entrada da vigilância
  • De ônibus: Pela rua Matucana: Troncal 507 Alimentadores B26 – B28 | Pela rua Catedral: Alimentadores J09 – J10 – J19 | Pela rua Compañía: Troncal 505 – 508 – 510

Museu La Chascona

Como uma das antigas casas excêntricas do poeta chileno Pablo Neruda, La Chascona tornou-se um dos museus-casa mais incríveis dessa personalidade que morreu no início da ditadura chilena na década de 1970. A construção da casa choca o olhar e traz muitos elementos de uma vanguarda na arquitetura.

Museus de Santiago
La Chascona | Foto: Wikimedia Commons

Ganhador do Prêmio Nobel de literatura de 1971, Pablo Neruda viveu em diferentes casas no Chile e elas foram transformadas em museus após a sua morte. A Chascona é a mais famosa delas pois está em uma região central, próximo ao Cerro San Cristóbal. O nome “La Chascona” (na tradução, algo como “despenteada”) vem do apelido que Neruda chamava sua amante, Matilde Urrutia, que vivia nessa residência.

Depois que Neruda se separou, em 1955, ele passou a viver com ela nesta casa que hoje abriga diverso abjetos do escritor. A visita é guiada, super interessante e revela de forma divertida os hábitos de colecionar de Nerruda – que colecionava todo o tipo de coisas.

Planeje sua visita (site oficial):

  • Endereço: Rua Fernando Márquez de la Plata 0192, Barrio Bellavista, Providencia
  • Horário de funcionamento: de terça a domingo das 10h às 18h (em janeiro e fevereiro fecha às 19h)
  • Ingresso: $7.000

7. Ver Santiago do alto

Cerro Santa Lucía

Um dos meus cantinhos preferidos da cidade e um passeio delicioso para combinar com a Plaza de las Armas e outros destinos de Santiago. O Cerro Santa Lucia fica no centro da cidade e combina arquitetura colonial linda – com direito a restos de uma antiga fortaleza – com um mirante caprichado com vistas lindas de Santiago.

Do mirante do Cerro Santa Lucía é possível observar grande parte de Santiago do Chile com a Cordilheira dos Andes ao fundo – em uma vibe bem wallpaper do Windows. Como acesso é fácil e a subida é tranquila, o lugar fica lotado. Localizado em meio a uma área urbana de Santiago, para chegar lá de metrô basta descer na Estação Santa Lucía (L1).

centro de santiago
Cerro Santa Lucia | Foto: Wikimedia Commons

Fui no horário do pôr do sol e fiquei esmagada no espaço micro do mirante para tirar poucas fotos e descer.

o que fazer em santiago
Vista de Santiago desde o Cerro Santa Lucía | Foto: Thaís Carneiro

Sky Costanera

O maior edifício da América Latina está em Santiago. São 300 metros de altura divididos em 62 andares. O Shopping Sky Costanera oferece uma vista privilegiada da cidade – além de, claro, ser visto de qualquer ponto de Santiago.

O mirante está aberto todos os dias e a subida é feita por um elevador ultra rápido que te leva ao topo do edifício em menos de um minuto.

Sky Costanera, Santiago
Sky Costanera – a cidade inteira aos seus pés

Planeje sua visita (site oficial):

  • Endereço: Av. Andrés Bello 2425, Providencia
  • Horário de funcionamento: todos os dias das 10h às 22h
  • Ingressos: $ 15.000

Cerro San Cristóbal

De longe foi uma das vistas mais lindas que vi na vida. O monte San Cristóbal é um dos poucos pontos altos de Santiago que proporciona uma vista incrível. É uma beleza de tirar o fôlego! De seu topo, você consegue ver toda a cidade e a cordilheira dos Andes.

Quando o visitei acabei indo a pé, pois o funicular, uma espécie de bondinho chileno, não estava funcionando e eu não queria perder a experiência. Aviso que a caminhada é longa e gastamos cerca de 3h entre subidas e descidas. Caso você queira vir de carro, é possível subir até uma parte do caminho.

Cerro San Cristóbal
Cerro San Cristóbal em julho: dá para ver claramente a camada de poluição e a neve cobrindo a Cordilheira | Foto: Malu Pinheiro

O que te indico mesmo é ir de funicular, pois você consegue ter uma vista bem bacana durante o percurso e ouvi rumores de que subir o Cerro San Cristóbal a pé (como eu e o meu marido fizemos) seria perigoso, pois rolam assaltos por lá. Conosco não houve nada nem nos sentimos ameaçados, mas essas coisas não têm como prever, não é?

Cerro San Cristóbal
Funicular para subir ao topo do Cerro San Cristóbal | Foto: Malu Pinheiro

Vá com o tempo para desfrutar da vista e do passeio que é delícia demais.

No topo do Cerro San Cristóbal ainda há um zoológico, piscinas públicas e o Teleférico do Parque Metropolitano. Também é possível visitar o Parque Bicentenário de la Infância, uma atração cheia de brinquedos para cansar as crianças, e o Santuário de La Inmaculada Concepcion, onde está uma estátua da santa de 14 metros.

Planeje sua visita:

  • Endereço: Pio Nono, 450, Bellavista
  • Horário de funcionamento: de terça a domingo das 10h às 20h, às segundas das 13h às 10h
  • Ingressos: entrada gratuita
  • Funicular: segunda e terças das 14h30 às 19h30, quarta a sexta das 12h30 às 19h30, sábado e domingo das 10h30 às 19h30 | valor de ida e volta: $2.000 em dias utéis e $2.600 em finais de semana e feriados
  • Teleférico: segunda e terças das 14h30 às 19h30, quarta a sexta das 12h30 às 19h30, sábado e domingo das 10h30 às 19h30 | valor de ida e volta: $2.700 em dias utéis e $3.250 em finais de semana e feriados

Como chegar:

  • De metrô: desça na Estação Baquedano (línea 1), atrevesse a Plaza Itália e caminhe até o final da Calle Pio Nono.

8. Conhecer o pulmão verde da cidade

Parque Quinta Normal

O Parque Quinta Normal fica ao lado da estação de metrô com mesmo nome. Com entrada gratuita, aos finais de semana é o lugar em que você encontrará os chilenos. São 40 hectares onde você comprar algo no mercado e comer por ali, ficar deitado na grama e curtir o lugar. Comentei com vocês sobre crianças nas fontes, não é? Ali, nenhum chafariz escapa dos pequenos e vira piscina pública mesmo. Achei incrível como os chilenos ocupam os seus espaços públicos com respeito.

Além disso, o parque possui trilhas sinalizadas e repletas de árvores e um lago onde é possível andar de pedalinho.

parques santiago
Parque Quinta Normal | Foto: Wikimedia Commons

Lá você pode ir ao Museu de História Natural e ao Ferroviário. No Museu de História Natural, o destaque fica para a flora e a fauna chilenas, trazendo elementos de lugares como a Patagônia, o deserto do Atacama e a Ilha de Páscoa. Apesar do acervo não ser tão vasto, reserve duas horas para a visita. Por sua vez, o Museo Ferroviário traz vagões preservados que datam dos séculos XIX e XX.

9. Andar pelo bairro Paris e Londres

Esse é um cantinho especial de Santiago. Os bairros Paris e Londres possuem ruas ultra charmosas que remetem à arquitetura europeia. É um local para um passeio rápido e garantir fotos lindas!

Bairro Paris e Londres
Bairro Paris e Londres | Foto: Malu Pinheiro

A porta de entrada para essa “locação europeia” em meio ao Chile é a Igreja de São Francisco de Assis – construído em 1613 e considerado o edifício mais antigo do país.

10. PAtio Bellavista

Não podemos terminar essa lista sem mencionar o Pátio Bellavista. Localizado no bairro Providencia, um dos points da vida noturna de Santiago, o local é uma espécie de shopping que abriga restaurantes e bares. É um ótimo pedido para um jantar ou um drink no final da tarde.

Patio Bellavista
Patio Bellavista | Foto: Malu Pinheiro

O local é frequentado por turistas e chilenos e possui mesas à céu aberto, além de pátios com luzes coloridas, tornando o ambiente charmoso e descolado.

Atrações de Santiago no mapa

Veja todas as nossas dicas do que fazer em Santiago neste mapa:

Onde ficar em Santiago

Por ser uma cidade praticamente toda plana, Santiago dá para ser percorrida boa parte a pé. Podemos definir quatro bairros principais onde os turistas geralmente costumam se hospedar: Providência (o bairro mais badalado de Santiago e a região preferida dos turistas), Lastarria (centro histórico da cidade), Vitacura (bairro sofisticado com muitos restaurantes e lojas sofisticadas) e Las Condes (região ultra moderna e caprichada).

Abaixo, vamos indicar algumas opções de hospedagens em Providência:

Ainda está em dúvida sobre onde se hospedar? Confira também o nosso guia de hotéis e bairros de Santiago.

Principais bate e voltas saindo de Santiago

Templo Bahá’i

O Templo Bahá’i de Santiago é um edifício moderno concebido para ser receptivo para pessoas de todas as religiões e para sediar o oitavo templo da religião Bahá’i no mundo e o primeiro na América do sul. Além disso, o local fica no topo de uma montanha e abriga jardins incríveis – e uma vista espetacular.

Templo Bahai de Santiago
Templo Bahai de Santiago

Inclua em seu roteiro o Templo Bahai para conhecer uma arquitetura diferenciada e ter vistas lindas de Santiago.

Valparaíso e Viña del Mar

As duas regiões são cheias de charme e vale fazer um bate volta até elas. As duas cidades são praticamente coligadas, separadas apenas por uma ponte, então é possível conhecer ambas no mesmo dia – com excursão ou por conta própria. Enquanto Viña del Mar é repleta de charme com suas flores e praias lindas banhadas pelo oceano pacífico, Valparaíso é uma cidade portuária ultra colorida com lindos grafites.

Valparaíso
Valparaíso | Foto: Malu Pinheiro

Confira o que fazer em Valparaíso e Viña del Mar em um bate e volta saindo de Santiago.

Cajón del Maipo

Localizada a cerca de 110 km de Santiago, a região de Cajón del Maipo abriga um dos lugares mais paradisíacos do Chile: Embalse el Yeso. O local é um dos principais reservatórios de água e abastece cerca de 70% da população da cidade. O lugar é rodeado por uma cadeira de montanhas. Resultado? Um cenário de tirar o fôlego.

Vale incluir no seu roteiro! Confira dicas de como planejar seu passeio para Embalse el Yeso: dá para ir sozinha por conta própria ou com tour contratado com uma agência.

Não esqueça: seguro viagem

Antes de viajar, não esqueça de contratar um seguro viagem com boa cobertura. Apesar de não ser obrigatório, é ele quem te tira de possíveis furadas como mala extraviada, voos cancelados ou até mesmo uma consulta de emergência.

Nós usamos e recomendamos os seguros viagem da Seguros Promo, uma empresa brasileira e confiável que te permite comparar os melhores seguro de viagem do mercado. Depois, é só escolher o que faz mais sentido para o seu bolso e para a sua viagem, sem abrir mão de uma cobertura espetacular.

Quer um desconto?!


Insira o código IDEIASNAMALA5 e ganhe até 10% de desconto na compra do seu seguro viagem!

Separamos o melhor de Santiago para vocês curtirem a cidade que compete nos nossos corações com os vizinhos portenhos, Buenos Aires. Tem mais alguma dica de Santiago para agregar? Conta para gente!


Veja também:

Passeios saindo de Santiago:

Deserto do Atacama:

Mais posts do Chile:


Para ficar por dentro de todas as novidades do Ideias na Mala, siga nosso instagram!

Planeje sua viagem

Deixe o seu comentário