Roteiro: 5 dias em Floripa

2
Floripa

Esse é um roteiro bem relax de 5 dias em Floripa, um roteiro que combina praias deliciosas, dicas de restaurantes testados e aprovados por nós e as dicas do Santiago que mora na cidade. Pronto para se apaixonar por Florianópolis?

Roteiro: 5 dias em Floripa

Texto: Ana Paula Vidigal

Dicas locais: Santiago Edo

Pra completar minha maratona de Brasil (tive um mês de férias e fiz Rio de Janeiro, Paraty e Foz do Iguaçu, resolvi incluir um destino que há tempos sonhava em visitar: Florianópolis. Uma cidade linda repleta de praias maravilhosas e uma vibe pra lá de alto astral.

Nossa ideia inicial era fazer o trajeto São Paulo – Florianópolis de carro (cerca de 9 horas no volante + paradas), mas como só me sobrava uma semana de férias decidimos fazer a viagem de avião e alugar um carro chegando lá. Foi uma ótima escolha!

Nosso roteiro:

  • DIA 1: Praia da Joaquina e pôr do sol em Santo Antônio de Lisboa
  • DIA 2: Praia do Matadeiro e pôr do sol da Ponte Hercílio Luz
  • DIA 3: Praia Mole e jantar português
  • DIA 4: Praia do Campeche e Ilha do Campeche
  • DIA 5: Praia Pântano do Sul

Viajamos numa segunda-feira à noite, e voltamos no domingo seguinte no horário do almoço. Assim, tivemos 5 dias completos para curtir a cidade e suas praias maravilhosas.

Dicas para planejar a viagem

Vá de carro ou alugue um

NEM PENSE em não alugar um carro. Florianópolis é uma cidade grande, as distâncias são generosas e para aproveitar bem suas férias, o carro é indispensável. Se não for de carro, alugue um.

Pacote: hospedagem + aéreo + carro

Com a viagem em mente, começamos a pesquisa de preços. Dólar nas alturas e em plenas férias de janeiro, já era de se esperar: passagens caras e hotéis com preços pouco convidativos. Depois de muito pesquisar vimos que valia a pena comprar um pacote online e foi o que fizemos.

Onde se hospedar | Dica do Santiago:

Floripa é muito grande e bem diversificada, tem locais para todos os gostos. Eu sugiro ficar na região da Lagoa,  Porto da Lagoa ou Novo Campeche pois ali você fica mais no meio da ilha, nem muito longe do norte e nem do sul. Uma opção bem bacana de hospedagem em vez de hotéis caros, é ficar numa casa do AirBNB.

Hospedagem da Ana:

Ficamos hospedados no Intercity no centro de Florianópolis (segundo o Santiago, o centro é legal pra quem vem trabalhar na cidade, mas não para quem vem passear e menos no verão). O hotel não era nada de mais. Cumpriu os objetivos da viagem, mas não passou disso.

Roteiro detalhado

DIA 1: Praia da Joaquina e pôr do sol em Santo Antônio de Lisboa

Pra começar bem a viagem, escolhemos uma das praias mais lindas (e famosas de Floripa), a Praia da Joaquina, conhecida por suas dunas de areias brancas e formações rochosas fotogênicas. Tinha visto algumas fotos de amigos, me apaixonei, e decidi que começaríamos a viagem por lá. Excelente escolha!

Floripa

Praia da Joaquina

Praia da Joaquina

Para chegar lá, nada como o bom e velho amigo Waze. Pegamos um trânsito básico  (na alta temporada, não tem muito como evitar) e encontramos a praia bem movimentada. Mas mesmo assim a praia de Joaquina é linda e relativamente tranquila, basta sair do burburinho principal para se deparar com uma praia linda e (quase) vazia. A praia é gigante e desemboca em outras praias, o que te permite caminhar tranquilamente, e apreciar a linda cor do mar.

Floripa

Chegada na praia e a muvuca básica

Caminhada pela praia

Ao chegar na praia da Joaquina, a primeira coisa que fizemos foi caminhar pela praia, e como a maior parte das pessoas se concentra perto dos 2 ou 3 restaurantes que existem por lá, mesmo em alta temporada tivemos a sensação que a praia era toda nossa. Maravilhoso, sensação de paz, tranquilidade e segurança. Me senti bem segura em Florianópolis, e andei sem aquela preocupação toda com o celular (algo comum para quem é de São Paulo. Claro que é sempre bom ficar esperto e não “dar bandeira”, mas em geral, me senti bem segura e adorei essa sensação de descanso que durou toda a viagem.

Floripa

Praia da Joaquina para chamar de nossa

Hora de se instalar

Depois da caminhada, nos instalamos em um dos quiosques da praia e beliscamos alguns petiscos muito gostosos. Pedimos um camarão divino. Sim, Florianópolis, assim como outras cidades litorâneas são sinônimo de peixes e frutos do mar deliciosos e muito mais baratos do que São Paulo. Nos esbaldamos desde o primeiro dia.

Passeio pelas dunas

Com a pança forrada, aproveitei para curtir um pouco a praia, li um pouco, tomei sol e quando cansei do ritual resolvi caminhar até as dunas. Confesso que passei uns maus bocados, já que não escolhi o caminho mais esperto. Como eu já estava na praia, escolhi ir subir as dunas pela praia, e depois de um tempo entendi porque era a única fazendo este caminho. Como fazia muito calor, o meu pé quase morreu queimado, tadinho. Fora o esforço de subir a montanha com a areia fofa. #IdeiadeGiricoTotal

Floripa

Dunas da praia Joaquina

Depois de um tempo e um esforço considerável, finalmente cheguei ao topo, é alí que todo mundo para para curtir as vistas, tirar fotos e apreciar a beleza da praia, que ao vivo é ainda mais linda que nas fotos. Amei. E para voltar, escolhi o caminho inteligente: Desci o morro que dá para a rua, e dali caminhei de volta para a praia.

Floripa

Passeio pelas pedras da Joaquina

Em seguida, resgatei meu pai que continuava sentadão no bem bom do restaurante, e juntos caminhamos até as pedras da praia (ele não quis nem saber de subir as dunas, mas não quis  perder a vista das pedras. Pra quem tem pique, recomendo os dois passeios, para os mais sedentários, a ida as pedras vale bem a pena. Não perca).

E como adiantei, a vista das pedras da Joaquina é bem especial. Vale muito a pena!

Floripa

Vista das pedras da Joaquina

Um pastel pra ficar na memória

Dica do Santiago: Ao sair da Joaquina, passando pela Avenida das Rendeiras, pare para comer um dos melhores pasteis da ilha na pastelaria Ilha Formosa (Av. das Rendeiras 1956). Os de berbigão (vongole), bacalhau, camarão com catupiry e carne seca com queijo são os melhores!

Passadinha rápida no hotel

Depois disso, voltamos para o hotel que ficava no centro de Florianópolis bem próximo da ponte Hercílio Luz, e descansamos um pouco. Aproveitamos que o hotel tinha piscina e fizemos bom uso dela (fazia um calor do cão).

Jantar  e pôr do sol no bairro Santo Antônio de Lisboa

Jantamos no famoso bairro Santo Antônio de Lisboa, um bairro português, muito fofo. Jantamos na beira do porto e assistimos um pôr do sol caprichado. Reza a lenda, que esse é um dos melhores lugares de Floripa para ver o pôr do sol, e quer saber? Foi um dos mais lindos que já vi.

Floripa

Pôr do sol em Santo Antônio de Lisboa

Floripa

Jantamos em um restaurante na beira do porto chamado Villa do Porto (R. Quinze de Novembro, 123 -) comida gostosa, mas nada de mais. Tem vários restaurantes fofos por lá, vale a pena tentar um diferente.

Floripa

Terraço do Restaurante Vila Porto

Dica do Santiago:  Restaurantes imperdíveis em Santo Antônio de Lisboa

Sem dúvida o pôr-dol-sol de Santo Antônio de Lisboa é mágico! Mas lá tem quatro restaurantes que se destacam dos demais (e nem por isso são os mais caros!). O meu preferido (custo x benefício) é o Restinga (Rod. Gilson da Costa Xavier, 2592) que fica no Sambaqui, depois de Sto Antônio, continuando pela rua que vai costeando o mar. Só o caminho até lá já vale a pena. Pegue uma mesa no trapiche e depois me conte!!!

Outro restaurante bacana, também no Sambaqui,  se chama-se O Lusitano (Rod. Gilson da Costa Xavier, 2099) , um restaurante português super intimista, com uma adega de vinhos com mais de 200 rótulos todos portugueses e pratos muito bem servidos para até 4 pessoas!

Outro lugar bacana é Marisqueira Sintra (R. Quinze de Novembro, 147), também português e liderado pela renomada cheff Andreia Arruda de Paula e tem, sem dúvida, uma das melhores cozinhas da ilha.

E pra fechar tem o May  (Caminho dos Açores, 1689 )cozinha tailandesa de primeirissima qualidade em ambiente muito romântico!

E para a sobremesa

Depois do almoço/jantar, não deixe de ir ao Fairyland Cupcakeria (Caminho dos Açores, 1740). Ambiente descoladíssimo, só gente linda e ótima música enquanto desfruta um café com cupcakes.

Para um café delicioso 

Se estiver com vontade de tomar um café e comer umas delícias típicas francesas, pare no excelente Café François Boulangerie e Patisserie (Rodovia SC 401, 8600 – Santo Antonio de Lisboa) que tem disparado a melhor baguette e o melhor brioche da ilha!

Caminho de volta

No retorno, não volte pela SC 401, vá costeando pelo Cacupé para curtir a vista!

DIA 2: Praia do Matadeiro e pôr do sol na Ponte Hercílio Luz

Tentativa frustrada de ir a Ilha do Campeche

Começamos o dia com uma tentativa frustrada de ir a Ilha do Campeche pela Praia da armação, mas não conseguimos #FAIL.

O que aprendemos: Se você quer fazer o passeio da ilha do Campeche, não tente ir na sorte na praia da Armação, pois os barcos dos pescadores reservam todos os lugares para agências de turismo. Sua chance de conseguir lugar disponível durante a alta temporada é praticamente nula. Reserve um passeio de excursão, ou vá pela alternativa mais cara na Praia do Campeche (veja nosso dia 4).

Praia da Armação

De qualquer forma, nosso passeio não foi em vão, a Praia da Armação é muito fofa e merece ser vista! Além disso, vale fazer a mini trilha rumo a Praia do Matadeiro (a trilha é bem mini mesmo, já que o intuito principal da viagem era descansar, apreciar paisagem e comer bem).

Praia do Matadeiro

A praia é uma das que mais gostamos da viagem super tranquila e linda. A comida da barraquinha era gostosa, mas bem demorada. De novo a tranquilidade da praia nos surpreender positivamente, o mar calmo para nadar, e limpíssimo. Ficamos por lá por algumas horas e nos encantamos com a vibe do lugar.

Floripa

Praia do Matadeiro

Floripa

Um passeio indispensável para quem visita a Praia do Matadeiro é subir nas pedras entre a Praia da Armação e a Praia do Matadeiro!

Floripa

Corrida na Avenida Beira Mar

Voltamos para o hotel e para não perder o hábito demos um mergulho na piscina. Depois disso, enquanto meu pai descansava,  decidi colocar uma das minhas paixões em prática: correr! Corri meus 10 km na Avenida Beira Mar, uma avenida que circula a Ponte Hercílio Luz, e é simplesmente linda. Foi um passeio bem local, algo que eu amo fazer quando viajo. Adorei ver a vida na cidade, e em plena terça-feira de noite muitas pessoas correndo, cheias de vida! Ô clima bom!

[Pitaco do Santiago: Belo programa! Adoro correr na beira mar aos finais de semana.]

Jantar no Pier 54

Jantamos em um restaurante perto do hotel, o Pier 54 (Av. Osvaldo Rodrigues Cabral, 1251 – Beira Mar Norte), um lugar muito lindo para assistir o pôr do sol, com a ponte ao lado. Gostei bastante! A comida estava divina, mas com preço nos padrões de restaurantes caros em São Paulo. Comemos um peixe maravilhoso, e achamos que valeu a pena!

E olha só o pôr do sol que lindo!!

Floripa

Floripa

Floripa

Dica do Santiago: Nunca fui ao Pier 54, é turístico total e por isso os preços. No centro tem ótimos restaurantes, mas minha sugestão seria o Mercado Público (R. Jerônimo Coelho, 60) recém reformado e com ótimas opções gastronômicas, além de ser super divertido. Mas não teria o pôr do sol, isso é bem verdade!

DIA 3:  Praia Mole e Jantar português

Praia Mole, e bota mole nisso

No terceiro dia de viagem, visitamos outra praia famosa e bem quotada de Floripa, a Praia Mole. E bota mole nisso, meu pai entendeu na prática o porquê do nome, a areia da praia é tão fofa que caminhar por lá foi um verdadeiro teste de equilíbrio. Ele como é um pouquinho mais velho que eu, teve mais dificuldade em encarar a “moleza da coisa”. Sorte que logo nos acostumamos.

Floripa

Eu achei uma praia linda, maior do que a do Matadeiro, e assim como as outras praias que visitamos nos dias anteriores, com um belos conjunto de pedras altas para subir e apreciar a vista.

Floripa

Praia Mole

Dica para otimizar a viagem

Quem está num esquema mais corre-corre e topa visitar várias praias num mesmo dia? Combine as praias Mole e Joaquina num único dia, as duas são lindas e ficam bem perto uma da outra.

Dica do Santiago: Barra da Lagoa + Praia Mole

Outra opção é curtir a manhã na Barra da Lagoa, do lado da Praia Mole. Uma praia longa que na verdade junta com a praia do Moçambique, a maior praia da ilha e que faz parte do Parque Estadual do Rio Vermelho.

A Barra da Lagoa é uma praia de areia mais dura, excelente para caminhadas e corridinhas (costumo ir pelo menos 2x por mês correr lá aos sábados ou domingos). Depois de curtir a praia pela manhã, sugiro almoçar no maravilhoso Recantinho, ou Bar do Anísio (Rua Amaro Coelho, SN) como conhecido pelos locais. O restaurante é na beira do canal da barra, do outro lado do canal (para chegar lá, atravesse a ponte pencil). O Recantinho tem um deck de madeira sobre o canal e você fica literalmente em cima da água.

Para comer, peça o coquili de siri, o melhor do mundo! E para completar, peça também os camarões a milanesa e várias caipirinhas! [Se for, diga pro Anísio que foi o Santiago que recomendou! ]

Continuando desse lado do canal vá caminhando até a Prainha da Barra e curta o visual alucinante da praia do Moçambique em cima das pedras.

Depois do almoço, vá curtir a tarde e o pôr do sol na Praia Mole e nos seus bares mega agitados (vale dizer que o local é dominado pela comunidade GLBT no verão).

No caminho da Barra até a Mole, pare no Mirante da Lagoa para uma vista linda!

Passeio pelo centro de Florianópolis

Depois, voltamos para o hotel. Meu pai ficou descansando e eu resolvi dar uma volta pelo mercado de Floripa e e explorar um pouco do centro. Bem cheio de gente, muitas lojinhas, achei ok. Sabe o que gostei de verdade? Correr na Avenida Beira Mar. Repeti a dose!

Floripa

Corrida na Avenida Beira Mar

Jantar na Taberna Ibérica

Para fechar a noite, jantamos num restaurante português, meu preferido da viagem, chamado a Taberna Ibérica (R. Felipe Schmidt, 1333 – Centro). Comemos um bacalhau maravilhoso, enquanto viamos (novamente)  a ponte Hercílio Luz novamente desde a janela. De sobremesa pedimos um pastel de Belém maravilhoso!

Floripa

Jantar no Taberna Ibérica

DIA 4: Praia do Campeche e Ilha do Campeche

Praia do Campeche e a travessia rumo a ilha

Eu queria muito ir para a Ilha do Campeche, e por isso resolvemos tentar mais uma vez. Acordamos  cedo, e chegamos por volta das 8:45 na praia do Campeche. Nessa praia há botes de pescadores que fazem o percurso da praia até a ilha. O trajeto custa caro, R$150,00 por pessoa e não aceita reservas antecipadas, ou seja, isso aumenta bem as chances de quem chega cedo e quer ir a praia.

Floripa

Praia do Campeche

E quer saber? Fizemos direitinho. Se tivéssemos atrasado mais 15 minutos não conseguiríamos. Isso porque apenas 80 pessoas por dia podem atravessar a praia. Resultado, conseguimos, mas para isso, ficamos na fila por 1 hora e pouco até que chegasse nossa vez do bote. Meu pai detestou a espera, e o programa, eu achei incrível e achei que valeu todo o esforço e as 150 pratas gastas.

Floripa

Ilha do Campeche

Trilha pela Ilha

Chegamos na ilha por volta das 11:00, e logo já reservei uma das trilhas ( sim, as trilhas da ilha do Campeche são todas guiadas, e custam R$10,00 se não me engano). Fizemos uma trilha de médio esforço que durava 1 hora, mas antes disso tivemos tempo de nadar e tomar um pouco de sol.

Floripa

Trilha pela Ilha do Campeche

Floripa

Adoramos a trilha, as vistas e na volta ainda tivemos tempo de curtir a praia e nadar mais um pouco até a hora do nosso bote voltar (ao comprar a ida, você já determina o horário da volta, e para evitar a fila, escolhemos voltar no primeiro horário. Foi uma escolha BEM inteligente.

Floripa

Ilha do Campeche

[Pitaco do Santiago: Sem dúvida um dos melhores programas na ilha. Mas 150 pratas por pessoa é carérrimo… Fora de temporada custa R$ 80.]

Jantar Italiano

Depois de alguns dias consecutivos de peixe, resolvemos variar o menu. A escolha da noite? Comida Italiana! Fomos no Di Taroni Trattoria (Av. Eng. Max de Souza, 730 – Coqueiros) e achamos gostoso, mas caro pelo que oferece.

[Pitaco do Santiago: Escolheram bem!!! É uma das melhores da cidade! Outra dica de Italiano maravilhoso é o Macarronada Italiana (Av. Jorn. Rubéns de Arruda Ramos, 2458) na Beira Mar Norte, em frente ao Shopping Beira Mar. TOP!]

DIA 5: Praia Pântano do Sul e Jantar no Centro Gastronômico Rita Maria

Nosso último dia foi tranquilo e especial. Pedimos uma dica de praia para um dos pescadores na Ilha do Campeche (ninguém melhor que um local para recomendar algo fora do circuitão) e ele nos indicou a Praia Pântano do Sul. Linda e tranquila.

Floripa

Passamos o último dia por lá e caminhamos até as duas praias vizinhas, Praia dos Açores e Praia da Solidão. Foi uma caminhada gostosa e uma bela maneira de terminar nossa estadia pelas praias de Floripa. Almoçamos petiscos na praia e nadamos bastante. Mar sem ondas, areia branquinha. Tudo de bom!

Floripa

Praia Pântano do Sul

Centro Gastronômico Rita Maria

Para fechar a viagem jantamos no Centro Gastronômico Rita Maria (R. Henrique Valgas, 318 – Centro), restaurante delicioso. Para quem quer comer bastante, a casa oferece um menu degustação (muita comida, mas com ótimo custo benefício), que meu pai testou e aprovou!

Para otimizar o roteiro – Sul de Floripa

As praias Pântano do Sul e Matadeiro podem ser facilmente combinadas, ambas ficam no Sul da Ilha. Para quem vai ao sul da ilha, parar no  Morro das Pedras, Retiro Vila Fátima (vista) e na Lagoa do Peri são obrigatórios.

Para comer: O Bar do Vadinho (R. Manoel Vidal, 305) no Pântano do Sul e o Vieira (R. Hermes Guedes da Fonseca, 553)em Armação são boas pedidas. Lá no Sul todo mundo vai no Bar do Arante, mas eu não recomendo! Carérrimo! Pega turista total!

Dica do Santiago: Outras dicas de Restaurante

Para um jantar caprichado:

Bistrô Isadora Duncan (Rod. Jorn. Manoel de Menezes, 2658 – Barra da Lagoa): ES-PE-TA-CU-LAR. Sempre vamos no aniversário da minha esposa. Chic, descolado, elegante, sem frescura, com uma vista alucinante e uma atmosfera mágica digna da ilha. E claro, uma cozinha dos Deuses…

Para curtir o pôr do sol:

Um lugar bacana para curtir do pôr do sol na Lagoa da Conceição é o Bar do Boni (Av. Prefeito Acácio Garibaldi São Tiago, 67) um lugar bem local e super gostoso.

O que faltou visitar

Lagoa da Conceição

Assim como a ponte Hercílio Luz, a Lagoa é um dos cartões postais de Floripa. Seu centrinho é super agitado e cheio de lojas, cafés, restaurantes e foodtrucks. Uma ótima dica na Lagoa é o Books & Biers ( R. Sen. Ivo D Aquino, 103) na marina da Lagoa. Chegue cedo, que o local é mega disputado.

Costa da Lagoa

Um dos melhores passeios de Floripa!!! Só se chega de barquinho e é um dos lugares mais lindos da ilha! Inclusive o melhor é ir pela trilha a pé (1h30 – 6,5 km de caminhada pela costa de mata atlântica super preservada e cheia de encantos a cada curva). Para almoçar, recomendo o Recanto da Natureza (ele tem barco próprio que leva os clientes para o centrinho da Lagoa sem custo), o Lagoa Azul (Servidão Caminho Costa da Lagoa, Ponto 17, 177) e o Cabral, mais caro, mas super recomendado!

Fortaleza de São José da Ponta Grossa  e Praia do Forte:

IMPERDÍVEL e ainda passa pelo Jurerê Internacional!

Ribeirão da Ilha

Um lugar maravilhoso, espetacular e bucólico. Pode ser feito junto com as praias do Matadeiro ou Pantano do Sul. A graça é passar o dia na praia e no final do dia ir pro Ribeirão comer ostras frescas recém colhidas!!!!!!!! Lá tem o super recomendado e reconhecido Ostradamus (Rodovia Baldicero Filomeno, 7640), mas prepare o bolso! Vale a experiencia, sem dúvida vale!

E aí, curtiu as dicas?

Alguém aí tem dicas de Floripa e quer compartilhar com a gente?

PraiaRoteiro

About author

mari vidigal

Viajante incansável, daquele tipo que no meio de uma viagem já está pensando na próxima, na próxima e na próxima. Apaixonada por fotografia, natureza e vinhos

2 comments

Post a new comment

Veja também