Retrospectiva 2020: ô ano doido

Resoluções de ano novo? Eu tinha várias! Tantas que em algum momento esqueci de todas elas. Meu novo foco? Manter a cabeça calma, não ficar doente e deixar os pequenos o mais distantes possível da onda de ansiedade que por alguns meses me consumiu.

A saudades da família bateu forte e por algumas vezes me vi buscando passagens para o Brasil para o dia seguinte mesmo sabendo que muito provavelmente não teria coragem de me enfiar no avião com duas crianças pequenas que põe a mão na boca e a boca em tudo.

Os meses foram passando, a pequena trégua no número de casos na pandemia trouxe a reabertura das pré-escolas da região e a possibilidade de fazer viagens locais com o nosso trailer, aos poucos fui colocando a cabeça no lugar, curtindo o contato com a natureza, agradecendo (muito) o fato de nossas famílias estarem saudáveis e deixando o tempo passar. Escolhi: Seria um ano difícil, muito difícil mas não um ano perdido.

Tom e Caio em Pleasanton
Passar mais tempo com as crianças e vê-los crescendo tão de pertinho foi uma das conquistas de 2020.

Lockdown, horta, reforma, pizza e farinha

Hoje a tarde enquanto batia papo com o Gustavo e parávamos para pensar em tudo o que fizemos em 2020 rimos alto. Manter a mente ocupada exigiu desse altas de criatividade (e um tiquinho de vinho e de gin) e para o Gu isso significou desatrasar a reforma da casa.

Botamos a casa no chão e reformamos tudo em três meses para fazer a mudança no final de 2019 mas haviam vários projetinhos faltando e zero de motivação para começar: iluminação dos quartos, armário de louças na sala e terminar o jardim…E não é que a quarentena serviu para alguma coisa útil?

O Gu terminou todos os projetos pendentes e ainda me descolou uma hortinha linda para eu plantar. Foi entre plantas, matinhos e os espinhos da roseira que passei algumas das horas mais ansiosas da quarentena.

Colher brócolis (comemos tanto que até enjoamos), ver as flores de tomate virando flor, ganhar a guerra contra o manjericão (platei muitos até que eles finalmente vingaram) e ver as cenouras que nunca vingaram de verdade dando flor foram algumas das conquistas mais gostosas do ano. Sim, teremos mais capítulos da hortinha em 2021!

Colheita farta de tomates, uma das benções de 2020
Colheita farta de tomates, um privilégio

 

2020 também foi o ano da farinha, ou melhor, o ano em que a farinha faltou. Enquanto eu fazia – e devorava – bolos para conter a maledeta ansiedade, o Gu reatou seu gosto por fazer pão, algo que ele começou na época do mestrado em Berkeley e aperfeiçoou muito durante a temporada em casa. Foram mais de 60 Pounds de farinha ( 2 sacas de 20 e 2 de dez, sem contar nos pacotes pequenos que consumimos durante o ano)… Definitivamente não foi um ano glúten free.

Mas não foram só os pães e bolos os culpados pelo consumo ridículo de farinha, também teve pizza!

Comprar um bom forno de pizza sempre esteve na nossa lista de sonhos, a quarentena antecipou tudo e o forninho foi nosso companheiro de domingos. Pizzadas em família estão sem dúvida entre os momentos mais gostosos de 2020, e elas vieram para ficar.

Pizzada com nossa querida bolha de amigos
Pizzada com nossa querida bolha de amigos

Brigadeiros delici0sos

Em meados do ano recebi uma proposta deliciosa e irrecusável, trabalhar com meus queridos amigos Renata e Andrei no time de marketing e na sequencia de vendas da tinyB, a empresa de brigadeiros deles.

Foi muito gostoso trabalhar com eles, ver o negócio decolando e fazer acontecer. Fazer parte dessa equipe linda foi um dos destaques do ano e sou muito grata pela oportunidade. Obrigada pelo carinho queridos!

10 anos de ideias na mala

E no meio da maluquice toda o Ideias na mala completou dez anos, a comemoração não foi a festa que imaginei/ gostaria mas teve um bolo maravilhoso feito pela Gabi da Pão Bakery.

bolo de aniversario do Ideias na mala
bolo de aniversario do Ideias na mala

Adoro cidades mas é na natureza que me encontro

2020 foi também um ano de olhar para dentro, refletir e aprender um bocado sobre mim mesma. Percebi que a menina da cidade grande (nasci e cresci em São Paulo) gosta mesmo é do mato.

Passei boa parte do ano fazendo trilhas com os pequenos que hoje aguentam andar 4 Km (não quer dizer que eles não reclamam, mas o importante é que aguentam) e que juntos desbravamos lugares lindos em vários estados americanos.

E já que comecei a falar de viagens, vamos falar sobre nossas viagens de 2020?

Retrospectiva 2020: o que rolou em termos de viagens

Comecei o ano com 5 viagens planejadas, nunca na minha vida tinha feito um planejamento tão bonitinho com passagens compradas e tudo. E não preciso nem dizer que deu tudo errado né?! Brasil, Florida, Alemanha, Inglaterra e uma convenção em Las Vegas, nenhuma delas saiu do papel.

Com a chegada da quarentena (falei sobre a quarentena na Califórnia aqui) nossos planos de viagem mudaram bastante e nós acabamos viajando somente pelos Estados Unidos, privilegiamos destinos de natureza e usamos o nosso trailer, o Rocky de base. Transportando nossa casinha ambulante para lá e para cá, ficou muito mais fácil e muito mais seguro conhecer lugares lindos sem correr riscos.

Ter o Rocky na família foi um ultra acerto em um ano que as viagens mudaram de estilo e que o mundo virou de cabeça para baixo. Como gostamos desse nosso filho móvel!

Rocky, nosso trailer em algum lugar da Louisianna
Rocky, nosso trailer em algum lugar da Louisianna

Esqui em Mammoth Lakes

O ano começou com uma viagem que estava na lista faz tempo: esquiar em Mammoth Lakes, uma experiência linda na montanha de esqui mais alta da Califórnia. Dos planos de viagem originais de 2020 esse foi o único que saiu do papel, e a viagem só rolou porque o Visit Califórnia e a estação de esqui de Mammoth Lakes entraram como parceiros e nos ofereceram a hospedagem, passes de esqui e tubbing na neve. Obrigada pessoal!

Foram 4 dias deliciosos de neve e muita brincadeira com os pequenos. Fiquei impressionada com a estrutura da montanha – de longe a estação mais bem preparada e equipada da Califórnia – e quero voltar quando os pequenos já souberem esquiar. Mammoth não é o melhor destino para quem quer ensinar o filho a esquiar por conta própria, as esteiras não são liberadas para quem não faz aulas e o Caio ainda era muito pequeno para fazer aulas (quando fizemos a viagem ele estava as vésperas de completar 2 anos), mas para quem já esquia bem, a montanha é um espetáculo.

Sled em Mammoth Lakes no inverno
Mammoth Lakes foi a primeira viagem e bem antes da COVID começar a ser uma preocupação.

Zion National Park: Um dos highlights do nosso ano

Nossa primeira viagem pós quarentena foi uma mistura de busca por natureza (estávamos morrendo de saudades) e uma vontade louca de sair de casa para respirar novos ares.

Escolhemos o Zion National Park, um parque que já havíamos visitado duas vezes mas que tínhamos muita vontade de explorar com mais tempo, ir e ficar.

Zion National Park, um dos highlights das nossas viagens de 2020
The Narrows no Zion National Park: fazer essa trilha na água foi a realização de um sonho

Passamos uma semana todinha no parque curtindo o privilégio de visitar um dos parques mais cheios dos EUA completamente vazio. Devido a pandemia não haviam shuttles no parque e para entrar era preciso acordar as 5 da manhã ou pedalar cerca de 8 milhas algo que nós amamos de paixão. Aproveito a deixa para dizer que pedalar pelo Zion é uma experiência incrível, se for até lá não deixe de fazer!

Nessa semana nos desligamos do mundo, tomamos banhos de cachoeira, fizemos duas trilhas que sonhávamos a tempos: Angel’s Landing e The Narrows e ainda revisitamos o Bryce Canyon. A experiência foi tão linda e tã0 intensa que quando paramos para pensar em tudo o que fizemos em 2020, o Zion está sem dúvida no topo da lista. Que lugar!

Pinnacles National Park

Nossa próxima viagem foi para um parque nacional aqui pertinho de casa, a ideia era fazer nosso primeiro camping seco ( testar a autonomia do Rocky) e desbravar um pouquinho mais do Pinnacles National Park.

O calor de junho, os mosquitos da região – como são chatos! – e o fato de terem fechado as entradas do Pinnacles para diminuir o acesso durante a pandemia deixaram o parque super difícil de explorar com as crianças. Fiz uma trilha grande (e bem bonita) sozinha, mas o Gu que detesta calor definitivamente não teve uma boa experiência.

Mount Shasta e as cachoeiras do norte da Califórnia

Fugir de destinos mega badalados foi uma das nossas prioridades ao escolher as viagens, assim no feriado de 4 de julho – de longe o feriadão mais popular dos EUA – escolhemos um destino não tão popular porém encantador: Mt. Shasta e suas cachoeiras espetaculares.

Trilha para o Heart Lake, vista para o Mt Shasta e Castle Lake
Castle Lake, uma das trilhas fabulosas de Mt. Shasta

A região é conhecida tanto pela natureza incrível quanto pela conexão mística, a montanha é considera como um dos chacras da terra e um local que atrai pessoas de todos os cantos do mundo em busca de autoconhecimento e crescimento espiritual.

Foram 4 dias de muitas trilhas, banhos de cachoeira e paisagens especiais. Voltamos apaixonados pelo norte da Califórnia.

Burney Falls, a cachoeira mais linda da Califórnia
Burney Falls, a cachoeira mais linda da Califórnia

Avila Beach, Malibu e Santa Barbara: Nossa primeira experiência “nômade”

Muito antes das COVID ensar em pipocar em havia planejado passar um pedacinho das férias escolares dos pequenos na praia e com o Rocky, claro. Como o Gu não poderia ficar o tempo todo, escolhi um destino perto e que o Gu conseguisse voltar para a casa de trem, assim ele poderia passar dois finais de semana conosco: o destino escolhido foi Avila Beach, nossa praia preferida em Central Coast

Com a chegada da pandemia e a institucionalização do trabalho remoto convenci o Gu a vir com a gente mas para isso tivemos que investir em uma antena de internet para o Rocky e em um plano de conexão remota. E não é que nossa primeira experiência nômade deu certo?

Tom e Caio na trilha para a Pirates Cove Beach
Tom e Caio na trilha para a Pirates Cove Beach em Avila Beach

Passamos os dez dias planejados em Avila Beach (que delícia!) e emendamos com (quase) uma semana em Malibu, um dia em Ventura, um dia em Ojai (que cidade fofa! Já quero voltar) e uns 4 dias em Santa Barbara (teríamos ficado mais se tivéssemos conseguido camping. Mas em plenas férias de julho, não rolou mesmo!)

Outra coisa muito legal que aconteceu nos dias de Santa Barbara foi a “expansão” da nossa bolha. Nossa amiga Maria veio nos encontrar e aumentar nossa bolinha. Foi muito gostoso ter a companhia dela e curtir dias de praia deliciosos em Santa Barbara.

Campus Point em Goleta a região de Santa Barbara
Pequenos pulando onda na praia do Campus Point em Goleta

Dias de praia em San Francisco

Moramos na Bay Area há 8 anos e dá para contar nos dedos os dias que conseguimos curtir a praia e entrar no mar em San Francisco, a cidade é fria o ano todo, o mar costuma ser gelado e a praia costuma ser um privilégio dos surfistas e suas roupas grossas de neoprene e das focas.

No meio dessa loucura toda San Francisco nos presenteou com 3 dias maravilhosos de praia e nós aproveitamos muito. Nadamos no mar, tiramos onda com o visual espetacular da ponte na praia, brincamos na areia com as crianças, e fotografamos. Foi especial!

Por do sol na praia em San Francisco
Por do sol na praia em San Francisco

#VamosCruzarosEUA

Nossas três semanas nômades no sul da Califórnia foram um treinamento e um aperitivo para a viagem que viria a seguir, cruzamos os Estados Unidos da Califórnia à Flórida de trailer. Foram 9 semanas de viagem, 10 estados e muitas paradas lindas, ai vai um resumão das mais especiais.

Sedona, Arizona

Sedona é um dos meus lugares preferidos dos Estados Unidos e o destino perfeito para começar a viagem, pena que só conseguimos reservar 3 noites de camping por l. Ainda assim foi uma delícia rever a cidade que amamos e explorar algumas trilhas novas com os pequenos.

Sedona é rodeada de montanhas vermelhas e rochas em espiral – os vórtices – e é envolta por uma energia para lá de especial. Aproveitei que já conhecíamos o basicão para explorar trilhas menos conhecidas com os meninos, a excessão foi a Cathedral Rock que eu nunca tinha subido e que adorei ver do alto.

Nossa trilha preferida foi a West Fork Trail, dica certeira de uma leitora. A trilha parece ter saído de um conto de fadas de tão linda, e tem vários cantinhos especiais para fotografar. Amei!

Janela de pedra no West Fork Trail em Sedona
Janela de pedra no West Fork Trail em Sedona

Também fizemos a Baldwin Trail, uma trilha de cerca de 4 milhas com vistas lindas da Cathedral Rock, foi um pouco desafiador com os pequenos mas valeu mega a pena.

E já que estávamos em um polo espiritual forte, visitamos o Amitabha Peace Park um parque budista  lindo. Como sempre Sedona nos encheu de alegrias e deixou aquele gostinho de quero mais. Já podemos voltar?

Flagstaff, Arizona

A parte boa de não ter conseguido ficar a semana toda em Sedona foi finalmente explorar Flagstaff, uma cidade conhecida pelos moradores do Arizona por abrigar a melhor estação de esqui do estado, mas como ainda estávamos no outono e sem nenhum sinal de neve (ufa) aproveitei meu dia e meio na cidade para explorar os parques que eu mais queria visitar o Sunset Crater e o Wupatki National Monument, um coladinho no outro.

A visita conta a história de tribos locais e como as erupções de vulcão afugentaram os nativos, o vulcão é lindo e a caminhada pelo conjunto inundado pela lava dá uma dimensão bem legal do tamanho da coisa. Algumas milhas depois na porção do Wupatki há vários conjuntos de ruínas interessantes e bem conservadas.

Caminhando pelo Wuptaki National Monument
Caminhando pelo Wuptaki National Monument

O centrinho de Flagstaff também pareceu ser bem legal mas muita coisa estava fechada pela pandemia. Optamos por um mexicano com mesinhas do lado de fora e comemos super bem.

Gostei da cidade e numa próxima ida a Sedona (já falei que sempre quero voltar?) vou querer uns dias por lá.

Albuquerque, Novo Mexico

Nossa passagem por Albuquerque foi curtinha mais foi impactante. Tivemos pouco mais de um dia para explorar a cidade e dividimos a visita em um passeio caprichado pelo centrinho (que é uma graça), um almoço em um restaurante típico da Rota 66 (adooooro!) e uma visita ao Sandia Peak, uma montanha linda com vistas especiais da cidade.

Sandia Peak, a montanha mais linda de Albuquerque
Ver o sol se pondo do alto do Sandi Peak foi lindo

Numa próxima, já com as crianças maiores, não perderei o passeio de balão.

Santa Fe, Novo Mexico

Santa Fe tem tudo o que eu amo: história rica, arquitetura linda, gastronomia rica e uma natureza privilegiada. Não preciso nem dizer que minhas expectativas eram gigantes preciso?

A COVID deu uma atrapalhada no programa e fechou vários dos lugares que eu sonhava em visitar, ainda assim Santa Fe superou – e muito – todas as nossas expectativas.

O Centro histórico com suas casinhas de adobe é uma graça, mas eu gostei mesmo foram dos parques nas aforas da cidade. Destaque absoluto para o Bandelier National Monument e suas cavernas que serviam de moradia para os povos ancestrais.

Cliff Dwellings, as moradias ancestrais do Bandelier National Monument
Cliff Dwellings, as moradias ancestrais do Bandelier National Monument nas aforas de Santa Fé

Oklahoma City, Oklahoma

Oklahoma City foi a grande surpresa da viagem, eu sabia que a cidade tinha coisas muito legais, mas não tinha ideia que ia gostar tanto.

Seu centrinho lindo, moderno e hiper limpo tem várias atrações legais, o incrível Scissortail park, os parquinhos (todos) estão entre os melhores dos Estados Unidos, o jardim botânico é lindíssimo e o tal do museu do Cowboy que eu estava morrendo de preguiça de visitar é o máximo.

Scissortail Bridge em Oklahoma City
Scissortail Bridge em Oklahoma City

Faltou pique para dirigir até Tulsa (a segunda maior cidade do estado), mas depois do que vi em OKC, ela entrou na lista!

Memphis, Tennesse

Memphis (também) entrou na minha lista de cidades queridinhas. Amamos a Graceland (casa do Elvis Presley), nos emocionamos muito com a visita ao Museu de direitos civis (se você for a Memphis não deixe de visitar), curtimos a vibe do Sun Studio, nos esbaldamos nos parques da cidade (Shelby Farms e Meemnan-Shelby são lindos) e adoramos passear pelas margens do Rio Mississipi.

 

Beale St. a rua do Blues em Memphis
Beale St. a rua do Blues em Memphis

Memphis nunca esteve na nossa lista de cidades dos sonhos e foi um dos lugares que mais curtimos visitar em toda a viagem.

Nashville, Tenesse

A régua foi subindo e Nashville entregou. De todas as cidades que visitamos nessa viagem Nashville é a mais legal delas.

Broadway a rua mais armada de Nashville
Curtindo o som dos Honky tonks (bar com música ao vivo) em Nashville

Adoramos a vibe maluquinha da Broadway e seus bares ao ar livre – muitos deles aceitam crianças e nós testamos e aprovamos dois – AMAMOS (e aqui boto letra maiúscula porque realmente merece) as atrações de natal do Gaylord Opryland, as luzes de natal do Cheekwood Gardens (gostei tanto do jardim que queria voltar no dia seguinte pela manhã, pena que eles estavam fechados), os shots de moonshine na Ole Smoke Destillery me deixaram alegrinha em uma degustação, e toda a cena gastronomica da cidade nos encantou.

Nashville nos deixou com vontade de ver e explorar mais cantinh0s do Tennnesse. Voltaremos em breve!

Huntsville, Alabama

Huntsville entrou no roteiro graças ao centro espacial – o maior dos Estados Unidos – e seu museu repleto de experiências. O Tom está numa fase que adora astronautas e mostrar foguetes de verdade para ele era uma oportunidade e tanto.

E não é que eu, que sabia muito pouco sobre o espaço e menos ainda sobre missões espaciais fiquei encantada com a visita e aprendi muito? Saí de lá querendo saber mais.

O foguete Saturn V no teto do pavilhão é muito impressionante, também adorei ver a capsula original do foguete que foi e voltou da lua e um pedacinho lindo de rocha lunar.

Saturn V no Centro espacial de Huntsville
Saturn V no Centro espacial de Huntsville

Deixando o centro espacial de lado, Huntsville é uma cidade para lá de especial! Adoramos o centrinho histórico lindo, os galpões antigões convertidos em estúdios e escritórios, e o parque central. Adoramos o Alabama!

Panamá City Beach & Destin, Flórida

Será que um dia e meio de sol – seguidos de uma semana de frente fria brava – valem 6 horas a mais de viagem? Essa foi a grande dúvida da viagem e por muito pouco a Flórida não caiu fora do nosso roteiro.

Dia de praia no St. Andrews State Park
Dia de praia no St. Andrews State Park, um dos dias mais gostosos da viagem

Que bom que decidimos ir até lá. Conhecer as praias de Panamá City Beach, Destin e Sea Side foi muito gostoso, e nosso dia no St. Andrews St. Park está entre os melhores da viagem. Amamos!

Na Flórida tivemos a melhor experiência de camping da viagem (e da vida), o Topsail Hill State Park foi nosso camping preferido da cidade, amamos o parque e a praia.

New Orleans, Louisianna

Toda a viagem começou porque queríamos visitar a nossa prima Bea que mora em New Orleans. Sonhávamos com a viagem há anos, só que a passagem San Francisco – New Orleans é tão cara que a gente sempre acabava desistindo, e finalmente deu certo!

A Bea e o Sylvio nos receberam com a casa em obras (uns fofos) e ainda fizeram um sistema de hookup para colocarmos o Rocky no jardim, ficou MUITO top! Foi uma delícia curtir uns dias com eles, passear de barco pela represa, caminhar pelo French Quarter (que cidade linda) e desbravar as plantations da Louisianna.

Passeando com os primos em New Orleans
Passeando com os primos em New Orleans

De todas as cidades que visitamos New Orleans foi a mais bonita, e graças a Bea e o Sylvio, a que comemos melhor! Logo logo escreverei um post com mil e uma dicas da cidade!

Houston, Texas

Outra surpresa deliciosa e outra cidade que quero conhecer melhor.

Para começar, uma constatação: como se come bem em Houston! Graças a um amigo do Gu que morou por lá, comemos ultra bem!

Também adorei os parques, o campus lindo da Universidade Rice, e o principal: O museu da Nasa de Houston é  IMPERDÍVEL. Achei que seria parecido com o de Huntsville, e sim, há muitas exibições comuns, mas achei o museu de Houston mais moderno e muito mais interativo.

Fonte linda no Buffalo Bayou Park
Fonte linda no Buffalo Bayou Park

Tive a sorte de visitar o museu ano dia em que um astronauta iria palestrar, e foi tão inspirador ouvir o cara falando e mostrando suas fotos, também adorei ver o Falcon – o foguete do SpaceX – e subir em todos os andares de um Space Shuttle.

Como o museu é super interativo consegui aprender muito mesmo com os pequenos visitando comigo. Foi D+.

San Antonio, Texas

Sabe aquela cidade ultra turística, mas super legal? San Antonio me conquistou com seu centrinho fofo, suas missões recheadas de história, restaurantes mexicanos bem autênticos (ai como amo ter guacamole feita na mesa) e ciclovias deliciosas de pedalar.

Riverwalk, o pedacinho mais famoso de San Antonio
Riverwalk, o pedacinho mais famoso de San Antonio

Saí de lá doida para explorar mais cantinhos do Texas.

Las Cruces, Novo Mexico

A pernada entre San Antonio e Las Cruces é tão longa e tão chata que acho que cheguei por lá mais cansada – e com muito mais bode do que deveria. Nosso plano era passar 3 dias na cidade, mas acabamos passando 1 e meio (e adorei antecipar a viagem e acelerar tudo para chegar uns dias antes em casa foi ótimo).

O destaque de Las Cruces – e não me leve a mal, a região parece ter vários parques legais, mas já estava bem cansada para colocar mais horas de direção no roteiro – é o White Sands National Park, um parque de dunas de areia de geso MARAVILHOSAS.

Dunas de areia branca do White Sands National Park
Dunas de areia branca do White Sands National Park

Minha frustração foi não ter conseguido tirar nenhuma foto que explique a dimensão do parque e a brancura das montanhas… é o tipo de coisa que você terá que ver por conta própria mas adianto, vale a pena!

Tucson, Arizona

E pra fechar a retrospectiva e a viagem com chave de ouro chegamos em Tucson a terra dos cactus mirabolantes.

No deserto de Sonora vivem os Saguaros, sabe aquele cactus lindos dos desenhos animados? Queria vê-los em quantidade e fotografá-los sem medo de ser feliz. E que visita espetacular, nos encantamos com o jardim botânico de Tucson, com as duas metades do Saguaro National Park e com o Sabino Canyon.

Por do sol no Saguaro National Park
Por do sol no Saguaro National Park

Para descansar uns dias em estilo pegamos duas noites em um hotel caprichado (o sortudo do Gu ainda ganhou uma massagem de presente de natal :)) e alternamos as visitas aos parques locais com banhos de piscina (aquecida, ufa!) e hot tub.

Nosso jantar de natal no restaurante do hotel e a chegada do bom velhinho (queria guardar num potinho o Tom pulando da cama quando falei que tinha presentes na árvore e o sorriso deles ao verem os presentes) foram muito especiais.

Lar doce lar

Chegar em casa depois de 2 meses de estrada foi BEM gostoso. Minhas suculentas cresceram, o tomateiro estava carregado, os manjericões morreram de frio (coitados) e a grama começou a ficar verde com a chegada das chuvas de inverno.

Passei os últimos dias limpando bem o Rocky e arrumando a casa. A viagem gigante nos mostrou que adoramos este estilo de viagens e serviu de impulso para vendermos o Rocky (colocamos ele a venda ontem, e sim, ficarei com saudades) e compraremos um novo, já até escolhemos o modelo.

E que venha 2021

Nunca na vida desejei tanto que um ano chegasse ao fim. 2020 foi um ano duro, um ano triste, um ano louco. Sei que a simples passagem de ano é um fator simbólico e que pouco irá mudar, mas começo um 2021 sem grandes expectativas e com resoluções de ano pequeninas e bem pessoais: quero me cuidar mais, comer melh0r, me exercitar mais ver, vernossas famílias logo, continuar participando ativamente da educação das crianças e viajar bastante com o Grand Rocky.

Se você chegou até aqui, SUPER obrigada pelo carinho e por nos acompanhar.

Te desejo um 2021 cheio de saúde e de prosperidade.

Um grande abraço,

Mari

 

Planeje sua viagem

Comentários (5)

Amei amei amei! Em 2020 viajei antes da pandemia e nada mais. Tive que cancelar duas grandes viagens muuuuito desejadas. Pra não sofrer demais, tenho optado por não pensar muito nisso… Ler seu relato remexeu lá nos meus sonhos de novo!

Oi Julia,
Obrigada pela visita e pelo comentário fofo! Vamos sonhar e se tudo der certo realizar nossas viagens dos sonhos em 2020!
Um beijo,
Mari

Que delícia de viagem ! O Rock foi um amigão nessa pandemia! Sentimos muitas saudades, muita vontade de que vcs viessem passar um pouco desse afastamento social louco com a gente, mas entendemos que nem sempre as coisas são como queremos. Viajei com vcs, explorando cada cantinho que vc descrevia… Amei! Agora nos aguarde porque com um Rock gde vcs terão a gente de vez em qdo juntos para curtirmos esses netinhos lindos. Bj gde . Te amo . Mami

Mari, acompanhar você, sua família e suas viagens este ano (ou melhor, ano passado rs) foi um presente! Te acompanho há alguns anos e cada vez te admiro mais! Um ano novo mais leve e gentil pra vocês, que seja cheio de pequenas alegrias e motivos pra celebrar!

Feliz ano novo e que delícia de mensagem!
Obrigada pelo carinho Letícia e que 2021 seja um ano de muita saúde e realizações para todos nós.
Abraços,
Mari

Deixe o seu comentário