Rota das Emoções: Roteiro de 8 dias por Jericoacoara, Delta do Parnaíba e Lençóis Maranhenses

3

Conheça a Rota das Emoções, uma viagem maravilhosa por três estados brasileiros: Ceará, Piauí e Maranhão incluindo cartões postais incríveis como Jericoacoara, Delta do Parnaíba e Lenções Maranhenses. Veja neste post todos os detalhes da nossa viagem incluindo dicas de onde ficar, melhores passeios e muito mais. Pronto para se apaixonar?

Rota das Emoções: Roteiro de 8 dias por Jericoacoara, Delta do Parnaíba e Lençóis Maranhenses

Com um roteiro que combina paisagens incríveis, muito sol, dunas, praias e águas cristalinas, a Rota das Emoções é uma viagem que percorre o litoral de três estados do nordeste brasileiro: Ceará, Piauí e Maranhão. Seus principais atrativos são Jericoacoara (Ceará), Delta do Parnaíba (Piauí) e Lençóis Maranhenses (Maranhão). Neste post detalharemos cada uma das paradas deste roteiro de 8 dias pela Rota das Emoções.

Como chegar

Você pode começar a Rota das Emoções tanto pelos Lençóis Maranhenses como por Jericoacoara. Nossa sugestão é começar por Jeri, para fechar com chave de ouro nos Lençóis. Foi assim que fizemos a viagem, e aprovamos o roteiro!

Jericoacoara

Desde o ano passado, Jericoacoara tem um aeroporto próprio que conta com voos da Azul e da Gol. Quem preferir também pode fazer a viagem por terra saindo de Fortaleza, são 300 Km de viagem que podem ser feitos de transfer 4×4, ônibus + jardineira, de carro 4×4  alugado ou até mesmo helicóptero.

Lençóis Maranhenses (via São Luis)

Se você optar por começar pelos Lençóis, o aeroporto mais próximos é o de São Luis, que fica a quatro horas de carro de Barreirinhas, uma das principais portas de entrada dos Lençóis Maranhenses.

Pedra Furada em Jericoacoara

Pedra Furada em Jericoacoara | Foto: Joanna Saldanha

Quando ir

A principal variável nessa viagem são as lagoas dos Lençois Maranhenses. O melhor período para visitá-las é de junho a agosto, quando as lagoas estão cheias e o tempo está estável. De novembro a janeiro, as lagoas estão mais secas, com nível de água bem baixo.

Para quem está em busca de um local mais tranquilo e vazio, recomendo evitar as férias de verão, entre dezembro e fevereiro, quando a região fica lotada.

Quanto tempo?

Para fazer a Rota das emoções completa, recomendamos no mínimo sete noites. Os três principais destinos da Rota das Emoções tem muitos atrativos, e você ainda vai descobrir longo do caminho cidades e praias menos conhecidas, que também valem muito a pena. Se você tiver mais tempo, melhor! Tem muita coisa linda pelo caminho e tenho certeza que você vai amar curtir tudo com calma

Vale a pena alugar carro?

Sinceramente eu acho que não. Nós fizemos a rota sem alugar carro e usando os transfers locais e foi ótimo. Caso você pense em alugar carro, alugue um 4×4 (as estradas não são das melhores e muitos passeios são na areia e realmente exigem num 4×4). Vale falar também que Jericoacoara e Lençois Maranhenses ficam em Parques Nacionais, e só é permitido entrar veículos cadastrados. Assim, você corre o risco de deixar o carro mais tempo estacionado do que nos passeios.

Para quem quer fazer como nós, indicamos as agências que testamos e aprovamos durante o nosso roteiro pela rota das Emoções.

Praia de Barra Grande no Piauí

Praia de Barra Grande no Piauí | Foto: Joanna Saldanha

Roteiro resumido

  • Dia 1: Chegada em Jericoacoara
  • Dia 2: Jericoacoara
  • Dia 3: Jericoacoara
  • Dia 4: Chaval/ Barra Grande do Piauí
  • Dia 5: Parnaíba
  • Dia 6: Tutóia
  • Dia 7: Barreirinhas
  • Dia 8: Volta por São Luis

Roteiro no mapa

Veja aqui a nossa viagem pela Rota das Emoções no mapa, as cidades estão destacadas em azul, e os principais pontos turísticos em laranja.

Itinerário detalhado

Dia 1: Chegada em Jeri

Pôr do sol em Jericoacoara

Pôr do sol em Jericoacoara | Foto: Joanna Saldanha

Ao menos que você esteja no nordeste, mesmo com o aeroporto local, chegar em Jericoacoara não é muito rápido. Eu, por exemplo, fiz escala em Belo Horizonte e Recife. Por isso deixe o dia da chegada mais livre. Se você conseguir chegar a tempo de pegar o pôr do sol, as dunas de Jericoacoara tem vistas espetaculares. Nesse primeiro dia aproveite para explorar Jeri, a vila de pescadores que se transformou em um dos principais cartões postais do nordeste Brasileiro. Jeri está repleta de  lojinhas, restaurantes e bares.

Onde ficar em Jericoacoara: Nosso grupo ficou hospedado e aprovou as seguintes pousadas: Jeri DunasPousada Vila Kalango e My Blu Hotel.

Dia 2: Jericoacoara

Árvore da Preguiça

Árvore da Preguiça | Foto: Joanna Saldanha

A melhor maneira de explorar Jericoacoara é de buggy e fechamos o nosso passeio com a Cooperativa de Bugueiros de Jericoacoara. A primeira parada foi a Pedra Furada, um dos principais cartões postais de Jeri. É preciso fazer uma caminhada de aproximadamente quarenta minutos pela areia, por isso a minha dica é ir cedo. Assim, você consegue a pedra só para você e não pega o sol forte na cabeça.

Outra parada é a Árvore da Preguiça, que tem uma formação bem curiosa, que acaba sendo fotogênica. O problema é conseguir um espacinho, com tanta gente querendo tirar foto com a dita cuja. Aproveite o resto do dia na Praia de Jericoacora, a maioria dos hotéis de frente para a praia tem serviço de bar e restaurante.

Dia 3: Jericoacoara

Lagoa do Paraíso em Jericoacoara

Lagoa do Paraíso | Foto: Joanna Saldanha

Além das praias, Jeri também tem lagoas lindas. As mais famosas são a Lagoa Azul e Lagoa do Paraíso. É uma do lado da outra, e em períodos de cheia elas se unem por um canal. As duas tem barracas com bares e restaurantes, e redes que ficam dentro da água. Recomendamos ficar pelo Lagoon, que tem uma comida deliciosa, espreguiçadeiras e aluguel de stand up e caiaque.

No final do dia saímos de Jericoacoara e pernoitamos em Camocim. Nesse dia, não deu tempo de ir à praia, mas a nossa dica é passar pela Barra dos Remédios, que é considerada uma das mais bonitas da região.

Onde ficar em Camocim: Pousada Vila Maris

Dia 4: Chaval/ Barra Grande

Vista da Trilha da Carnaúba

Vista da Trilha da Carnaúba | Foto: Joanna Saldanha

Na divisa do Ceará com o Piauí, paramos em uma cidadezinha chamada Chaval. Ela tem apenas 12 mil habitantes, mas vale a parada para fazer a Trilha Ecológica da Pedra da Carnaúba. A trilha não exige muito esforço físico, e o visual de cima da pedra é lindo. Fizemos a trilha com a Chaval Tour  e recomendamos.

Nossa primeira parada no Piauí foi a Praia de Barra Grande. Que lugar incrível! Ficaria por lá um bom tempo, se eu pudesse! A praia é lindíssima, e um dos melhores pontos é em frente a Pousada BGK, uma das mais movimentadas da região. Barra Grande também é point dos praticantes de kitesurf, e recebe alguns campeonatos durante o ano. Outro passeio muito procurado em Barra Grande é o de observação dos cavalos marinhos, não tivemos tempo de fazer, vou ter que deixar para próxima. Nossa dica de restaurante em Barra Grande é o Manga Rosa, o baião de dois e a carne de sol deles são excelentes!

Onde ficar em Barra Grande: Pousada BGK, Pousada Titas e Pousada Manati

Dia 5: Parnaíba

Revoada dos Guarás no Delta do Parnaíba

Revoada dos Guarás no Delta do Parnaíba | Foto: Joanna Saldanha

Saímos de Barra Grande em direção a Parnaíba, segunda maior cidade do Piauí. Fizemos algumas paradas pelo caminho, para conhecer outras praias do litoral piauiense, como a Praia do Coqueiro e a Praia Macapá.

O passeio de barco no Delta do Parnaíba foi um dos momentos mais legais da viagem. Não é um lugar muito explorado pelos viajantes brasileiros, e surpreende muito. O delta, que marca a divisa entre o Piauí e o Maranhão, tem paisagens maravilhosas, com dunas e ilhas fluviais. Almoçamos em uma das paradas, na Pousada e Restaurante Casa de Caboclo, que além de uma comida deliciosa, o prato “frutos do mangue” foi um dos nossos preferidos, tem uma pousada e oferece passeios.

Dunas do Meio, uma das paradas no Delta do Parnaíba

Dunas do Meio, uma das paradas no Delta do Parnaíba | Foto: Joanna Saldanha

Um dos pontos altos desse passeio é a revoada dos guarás. Os pássaros, que tem um coloração vermelha, chegam de todos os lados para pernoitar em uma das ilhotas no Rio, o que proporciona um visual único. Esse passeio no Delta do Parnaíba pode ser feito em excursões ou passeios privados. Os passeios privados tem mais flexibilidade nas paradas, e são bem mais proveitosos, se couber no seu budget, #Ficaadica.

Onde ficar em Parnaíba: Casa de Santo Antônio

Dia 6: Tutóia

Pequenos Lençóis

Pequenos Lençóis | Foto: Joanna Saldanha

Nossa primeira parada no Maranhão foi na cidade de Tutóia. Fizemos um passeio pelas praias e dunas da cidade, e pelos Pequenos Lençois, uma região com paisagens lindas, que não deixam nada a desejar em comparação aos “verdadeiros” Lençois Maranhenses. Fizemos esse passeio com o Grupo Baluarte, e eles também tem um restaurante com peixes e frutos do mar maravilhosos, recomendo.

Para chegar em Barreirinhas, pegamos um barco, em uma viagem de aproximadamente duas horas. Geralmente, nesse percurso, os barcos fazem algumas paradas pelo caminho, mas como já estava escurecendo optamos por seguir direto.

Onde ficar em Barreirinhas: Pousada Murici e Pousada do Buriti

Dia 7: Barreirinhas

Lençóis Maranhenses

Lençóis Maranhenses | Foto: Joanna Saldanha

Esse foi o dia ápice da nossa viagem. Madrugamos e valeu cada segundo não dormido. Acordamos as 3h30 da manhã para ver o sol nascer nos Lençóis Maranhenses. Para chegar ao Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses é preciso pegar uma balsa para atravessar o Rio Preguiças e depois uma estrada de 50 minutos. Só é possível fazer isso com agências cadastradas.

As paisagens dos Lençóis são incríveis! Fizemos o Circuito da Lagoa Bonita, e tivemos tempo para ficar nas lagoas com o parque só para o nosso grupo. Esse passeio para o nascer do sol é relativamente recente, e nem todo mundo tem essa disposição para acordar cedo.

Amanhecer nos Lençóis Maranhenses

Amanhecer nos Lençóis Maranhenses | Foto: Joanna Saldanha

Atins e Santo Amaro são outras bases para conhecer os Lençóis Maranhenses. Se você tiver mais tempo de viagem, recomendo passar por uma delas também. Barreirinhas é a maior, com mais estrutura, Santo Amaro é a mais perto do parque e Atins é a mais rústica e com acesso mais difícil.

Dia 8: São Luis

Centro Histórico de São Luis

Centro Histórico de São Luis | Foto: Joanna Saldanha

O trajeto Barreirinhas para São Luis dura aproximadamente 04 horas de carro. Não tivemos muito tempo por lá, mas conseguimos fazer um city tour no Centro Histórico, que foi ótimo para entender um pouco da história da cidade, que tem influências portuguesas, holandesas e francesas. A cidade é uma graça e mereceria mais um dia de visita.

Onde ficar em São Luis: Stop Way Hotel

E aí, curtiram o nosso roteiro pela Rota das Emoções?

Alguém aí já fez essa viagem e tem dicas para compartilhar?

A Joanna fez a Rota das Emoções a convite do Sebrae Maranhão, Sebrae Ceará e Sebrae Piauí. Todas as opiniões e dicas deste post refletem a nossa real experiência na viagem.


Viaje sem stress

✅ Reserve seu hotel em Jericoacoara

Faça seu seguro de viagens 


Veja também:


Para ficar por dentro de todas as novidades do Ideias na Mala, siga nosso instagram!

About author

3 comments

  1. Marcia Godinho 14 junho, 2018 at 15:18 Responder

    Adorei a cobertura da viagem a Rota das Emoções, muita sensibilidade no conteúdo, mostrando as maravilhas deste território que passa por os três estados- Ceará, Maranhão e Piauí. Maravilha, parabéns!

Post a new comment

Veja também